Вы находитесь на странице: 1из 26

Apontamentos Ciências

1.Porque

aumenta

a

frequência

respiratória

em

determinadas

situações?

Frequência respiratória espontânea

Ciclo respiratório

Recetores sensoriais

número

de

ciclos

respiratórios

por

minuto

controlada pelo sistema nervoso

conjunto de uma inspiração/expiração

desencandeado por um arco reflexo

monitorizam o meio interno

transmitindo

a informação ao tronco

cerebral

que

envia impulsos para os músculos

respiratórios

através

de fibras nervosas

Frequência respiratória

Atividade desportiva ou stresse

Músculos

determinada pelo número de vezes que os músculos respiratórios são

estimulados.

são

que

frequência respiratória

situações

aumentam

a

gastam mais oxigénio

necessitam de maior quantidade de

sangue por unidade de tempo

Batimento cardíaco Fluxo sanguíneo Frequência respiratória • também aumentam

Batimento cardíaco Fluxo sanguíneo Frequência respiratória

Batimento cardíaco Fluxo sanguíneo Frequência respiratória • também aumentam
Batimento cardíaco Fluxo sanguíneo Frequência respiratória • também aumentam

também aumentam

Batimento cardíaco Fluxo sanguíneo Frequência respiratória • também aumentam
Batimento cardíaco Fluxo sanguíneo Frequência respiratória • também aumentam Página 2 de 26

Página 2 de 26

2.Constituição do sistema respiratório

Sistema

respiratório

é

constituído

por

fossas nasais

laringe

faringe

traqueia

brônquios

pulmões

Vias aéreas

fossas nasais

superiores

faringe

Vias aéreas

inferiores

laringe

traqueia

brônquios

pulmões

pulmonares)

Vias aéreas inferiores • laringe • traqueia • brônquios • pulmões pulmonares) Página 3 de 26

Página 3 de 26

3.Importância da ventilação

Respiração é

importante

porque as células:

-necessitam de oxigénio

-produzem dióxido de carbono

Respiração inclui

Ventilação

ventilação

difusão de gases entre o ar

sangue

tecidos

processo onde o ar se movimenta para dentro e para fora dos pulmões

ocorre por diferenças de pressão entre o exterior e os alvéolos

Contração e relaxamento • dos músculos da parede torácia e do diafragma

Contração e relaxamento

Contração e relaxamento • dos músculos da parede torácia e do diafragma
Contração e relaxamento • dos músculos da parede torácia e do diafragma

dos músculos da parede torácia e do diafragma

Contração e relaxamento • dos músculos da parede torácia e do diafragma
criam as • mudanças de pressão

criam as

criam as • mudanças de pressão
criam as • mudanças de pressão

mudanças de pressão

criam as • mudanças de pressão
que • possibilitam os movinentos respiratórios

que

que • possibilitam os movinentos respiratórios
que • possibilitam os movinentos respiratórios

possibilitam os movinentos respiratórios

que • possibilitam os movinentos respiratórios
Inspiração • ar flui para o interior dos pulmões

Inspiração

Inspiração • ar flui para o interior dos pulmões
Inspiração • ar flui para o interior dos pulmões

ar flui para o interior dos pulmões

Inspiração • ar flui para o interior dos pulmões
porque • a pressão atmosférica é maior que a pressão alveolar

porque

porque • a pressão atmosférica é maior que a pressão alveolar
porque • a pressão atmosférica é maior que a pressão alveolar

a pressão atmosférica é maior que a pressão alveolar

porque • a pressão atmosférica é maior que a pressão alveolar

ar flui dos pulmões para o exterior

a pressão alveolar é maior que a pressão atmosférica

Expiração

Porque

para o exterior • a pressão alveolar é maior que a pressão atmosférica Expiração Porque Página

Página 5 de 26

4.Como interatuam os sistemas circulatório e respiratório

Sistema respiratório e • contribuem para o equilíbrio do circulatório organismo Fornecendo • oxigénio
Sistema respiratório e
contribuem
para
o
equilíbrio
do
circulatório
organismo
Fornecendo
• oxigénio às células
Removendo
• o dióxido de carbono

Difusão

movimento do oxigénio e dióxido de carbono para dentro e para fora dos tecidos do sangue e alvéolos

Pulmões

Tecido

oxigénio difunde dos alvéolos para o

sangue

dióxido de carbono do sangue para o ar alveolar

oxigénio difunde do sangue para as células

dióxido de carbono das células para o sangue

Página 7 de 26

5.Diagnóstico e tratamento das doenças respiratórias. Atitudes promotoras da saúde respiratória

Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade

Ciência e Tecnologia

Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade
Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade

têm colocado ao serviço da Sociedade

Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade

meios de diagnóstico

das

doenças

mais eficazes

respiratórias

cada

vez

Medicamentos

têm melhorado a qualidade de vida dos doentes

exemplo: asmáticos

No entanto • a prevelência de doenças respiratórias tem aumentado

No entanto

No entanto • a prevelência de doenças respiratórias tem aumentado
No entanto • a prevelência de doenças respiratórias tem aumentado

a prevelência de doenças respiratórias tem aumentado

No entanto • a prevelência de doenças respiratórias tem aumentado

devido

à poluição atmosférica

ao tabagismo

Prevenção das doenças

respiratórias

6.Porque temos fome?

exemplo: asma, cancro do pulmão, etc

está ligada à saúde ambiental e adoção de estilos de vida saudáveis

Fome

desejo de alimento

Saciedade • ausência de vonta de comer

Saciedade

Saciedade • ausência de vonta de comer
Saciedade • ausência de vonta de comer

ausência de vonta de comer

Saciedade • ausência de vonta de comer

Falta de ingestão de alimentos

durante muitas horas

provoca contrações rítmicas intensas - contrações de fome.

Contrações de fome

produzem uma sensação de aperto ou fisgada no estômago

às vezes causam dor

 

ocorre quando:

Sensação de fome

-estômago está vazio

de

-níveis

glicose

no

sangue

estão

 

baixos

no

hipolátamo

é

estimulado

(por

hormonas

libertadas

pelo

sistema

digestivo)

Quando o centro da fome

produzm respostas que provocam vontade de comer

Página 10 de 26

Página 10 de 26

7.Sistema digestivo

Constituição

tubo digestivo - estende-se da boca ao ânus

glândulas anexas

 

ingestão de alimentos

Funções

absorção de nutrientes

eliminação de fezes

 

desdobramento das grandes moléculas orgânicas

alimentos e nutrientes

dos

Digestão

constituientes mais simples

em

que

são absorvidos para o sangue e

linfa

Proteínas

 

Lípidos

Glícidos

complexos são digeridos

Água

Mineirais

Vitaminas

absorvidos sem digestão

digestão mecânica - mastigação e

mistura dos alimentos

digestão química - feita pelas enzimas digestivas

Digestão inclui

Página 12 de 26

Página 12 de 26

8.Como ocorre a digestão na boca?

Na boca

alimentos são sujeitos à mastigação

Mastigação

processo em que os dentes trituram os alimentos

e a mistura com a saliva

secreção das glândulas salivares

Saliva possui • amílase salivar - enzima disgestiva que inicia a decomposição dos glícidos

Saliva possui

Saliva possui • amílase salivar - enzima disgestiva que inicia a decomposição dos glícidos
Saliva possui • amílase salivar - enzima disgestiva que inicia a decomposição dos glícidos

amílase salivar - enzima disgestiva que inicia a decomposição dos glícidos

Saliva possui • amílase salivar - enzima disgestiva que inicia a decomposição dos glícidos
Após a • mastigação e salivação

Após a

Após a • mastigação e salivação
Após a • mastigação e salivação

mastigação e salivação

Após a • mastigação e salivação

forma-se

o bolo alimentar - produto da digestão da boca

Deglutição • passagem do bolo alimentar da cavidade oral para o esófago

Deglutição

Deglutição • passagem do bolo alimentar da cavidade oral para o esófago
Deglutição • passagem do bolo alimentar da cavidade oral para o esófago

passagem do bolo alimentar da cavidade oral para o esófago

Deglutição • passagem do bolo alimentar da cavidade oral para o esófago
Propulsão do bolo alimentar • ao longo do esófago

Propulsão do bolo alimentar

Propulsão do bolo alimentar • ao longo do esófago
Propulsão do bolo alimentar • ao longo do esófago

ao longo do esófago

Propulsão do bolo alimentar • ao longo do esófago

é devida a

contracções musculares - movimentos peristálticos

Página 15 de 26

Página 15 de 26

9.Como ocorre a digestão no estômago?

Bolo alimentar • entra no estômago através da cárdia

Bolo alimentar

Bolo alimentar • entra no estômago através da cárdia
Bolo alimentar • entra no estômago através da cárdia

entra no estômago através da cárdia

Bolo alimentar • entra no estômago através da cárdia
Movimentos peristálticos do estômago • misturam o bolo alimentar com as secreções gástricas

Movimentos peristálticos do estômago

Movimentos peristálticos do estômago • misturam o bolo alimentar com as secreções gástricas
Movimentos peristálticos do estômago • misturam o bolo alimentar com as secreções gástricas

misturam o bolo alimentar com as secreções gástricas

Movimentos peristálticos do estômago • misturam o bolo alimentar com as secreções gástricas

contém:

enzimas digestivas ácido clorídrico

é produzido pelas:

gástricas - situadas na superfície interna do estômago

Suco gástrico

Durante a digestão gástrica

a pepsina - enzima que decompõe as proteínas em meio ácido

pepsina - enzima que decompõe as proteínas em meio ácido • tranforma o bolo alimentar em

tranforma o bolo alimentar em quimio - produto da digestão no estômago

Quimo - passa em jatos intermitentes

através do piloro para o duodeno - porção inicial do intestino delgado

Página 17 de 26
Página 17 de 26

10.Como ocorre a digestão no intestino delgado?

   

o quimo é:

 

-misturado

pelos

movimentos

No intestino delgado

peristálticos

-submetido

à

ação

de

diversas

enzimas

Amílase

Tripsina

Lípase

inciam a transformação do quimo no

duodemo

também produz enzimas:

maltase

peptidases

e:

secreções lubrificantes

-que protegem a parede intestinal:

--da acidez do quimo

--ação das enzimas digestivas

Superfície interna do intestino

Página 19 de 26

Página 19 de 26

11.Importância da digestão

Transformações mecânicas e químicas • da digestão , da boca ao intestino delgado

Transformações mecânicas e químicas

Transformações mecânicas e químicas • da digestão , da boca ao intestino delgado
Transformações mecânicas e químicas • da digestão , da boca ao intestino delgado

da digestão , da boca ao intestino delgado

Transformações mecânicas e químicas • da digestão , da boca ao intestino delgado
permitem decompor • os alimentos ingeridos em moléculas mais pequenas

permitem decompor

permitem decompor • os alimentos ingeridos em moléculas mais pequenas
permitem decompor • os alimentos ingeridos em moléculas mais pequenas

os alimentos ingeridos em moléculas mais pequenas

permitem decompor • os alimentos ingeridos em moléculas mais pequenas

que são absorvidas

e passam para os capilares sanguíneos e linfáticos

Material não digerido ou não absorvido

que restar no intestino

delgado

é transportado para o intestino grosso

12.Qual a importância da absorção de nutrientes e da eliminação de fezes?

Superfície interna do intestino delgado apresenta

pregas circulares

vilosidades

microvilosidades

Permitem • uma maior absorção - passagem das pequenas moléculas dos alimentos para os capilares

Permitem

Permitem • uma maior absorção - passagem das pequenas moléculas dos alimentos para os capilares sanguíneos

uma maior absorção - passagem das pequenas moléculas dos alimentos para os capilares sanguíneos e quilíferos

Após absorção no intestino delgado • o restante quimo passa para o intestino grosso

Após absorção no intestino delgado

Após absorção no intestino delgado • o restante quimo passa para o intestino grosso
Após absorção no intestino delgado • o restante quimo passa para o intestino grosso

o restante quimo passa para o intestino grosso

Após absorção no intestino delgado • o restante quimo passa para o intestino grosso

No intestino grosso são absorvidos

água

mineirais

e • armazenadas as fezes antes de serem defecadas

e

e • armazenadas as fezes antes de serem defecadas
e • armazenadas as fezes antes de serem defecadas

armazenadas as fezes antes de serem defecadas

e • armazenadas as fezes antes de serem defecadas

Eliminação

processo onde os resíduos da digestão são expulsos do organismo.

Página 22 de 26

Página 22 de 26

13.Doenças do sistema digestivo diagnóstico e tratamento

 

são muito variadas

Doenças digestivas ou do sistema digestivo

e de sintomatologia muita diversa

 

cirrose hepática

A mortalidade por

cancro do esófago

etc

são indicadores de

saúde

sobretudo no sexo masculino.

Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade

Ciência e Tecnologia

Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade
Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade

têm colocado ao serviço da Sociedade

Ciência e Tecnologia • têm colocado ao serviço da Sociedade
meios de diagnóstico e tratamento • das doenças digestivas

meios de diagnóstico e tratamento

meios de diagnóstico e tratamento • das doenças digestivas

das doenças digestivas

que melhoram • a qualidade de vida dos doentes

que melhoram

que melhoram • a qualidade de vida dos doentes
que melhoram • a qualidade de vida dos doentes

a qualidade de vida dos doentes

que melhoram • a qualidade de vida dos doentes

14.Saúde digestiva atitudes promotoras

atitudes promotoras da saúde digestiva • incluem a adoção de estilos de vida saudáveis

atitudes promotoras da saúde digestiva

atitudes promotoras da saúde digestiva • incluem a adoção de estilos de vida saudáveis
atitudes promotoras da saúde digestiva • incluem a adoção de estilos de vida saudáveis

incluem a adoção de estilos de vida saudáveis

atitudes promotoras da saúde digestiva • incluem a adoção de estilos de vida saudáveis
exemplo • alimentação equilibrada • rejeição do consumo de álcool

exemplo

exemplo • alimentação equilibrada • rejeição do consumo de álcool
exemplo • alimentação equilibrada • rejeição do consumo de álcool

alimentação equilibrada rejeição do consumo de álcool

exemplo • alimentação equilibrada • rejeição do consumo de álcool

15.Distinção de alimento e nutriente

• Alimento qualquer substância líquida ou sólida que dá ao organismo os nutrientes precisos. •
Alimento
qualquer substância líquida ou sólida
que dá ao organismo os nutrientes
precisos.
exemplo: Azeite
Alimentos simples
constituídos - em grande parte - por
um só nutriente
Nutriente
substância ou constituinte alimentar
utilizado pelo organismo para a
manutenção da vida.
Energética
Quando
no organismo
Reguladora
incorporados
desempenham
várias funções
Plástica

Página 24 de 26

Página 25 de 26

Página 25 de 26

Página 26 de 26