Вы находитесь на странице: 1из 1

A12 Internacional

%HermesFileInfo:A-12:20100407:

QUARTA-FEIRA, 7 DE ABRIL DE 2010 O ESTADO DE S. PAULO

EUA anunciam nova doutrina nuclear


Com fim da URSS, terrorismo e proliferação tornam-se principais ameaças, afirma documento, que manda recado especial ao Irã
BRENDAN HOFFMAN/EFE
Gustavo Chacra
CORRESPONDENTE / NOVA YORK ● Mudança estratégica

Os EUA consideram o terroris- Robert Gates


mo e a proliferação nucleares SECRETÁRIO DE DEFESA DOS EUA
as principais ameaças para a “Existe uma mensagem para o
segurança global. Até agora, a Irã e a Coreia do Norte. Ela é a
maior preocupação era o risco de que, se vocês seguirem as
de uma guerra entre países regras, nós vamos assumir
que detêm a bomba atômica – certas obrigações. Mas, se vocês
possibilidade que tirava o so- não as seguirem e continuarem
no de americanos na Guerra a ser ‘proliferadores’, todas as
Fria. A conclusão é do espera- opções estarão sobre a mesa”
do relatório sobre a nova dou-
trina nuclear americana, divul- Hillary Clinton
gado ontem pela Casa Branca. SECRETÁRIA DE ESTADO DOS EUA
No documento, americanos “Por muito tempo, o papel
também se comprometem a não dissuasivo da arma nuclear
utilizar armas atômicas contra americana evitou a proliferação,
países sem capacidade nuclear ao garantir a segurança de
militar,mesmoquandoforemal- nossos aliados da Otan, do
vo de ataques com arsenais quí- Pacífico e de outros lugares.
micos e biológicos. A única exce- As novas medidas permitirão
ção seria no caso de países que conservar esse papel
desrespeitarem o Tratado de estabilizador”
Não Proliferação Nuclear Anúncio. Gates e Hillary apresentam, durante entrevista, estratégia nuclear: compromisso de zerar arsenais em longo prazo
(TNP) – um recado ao Irã.
O anúncio ocorre uma sema- ção nuclear; reduzir o papel das O Irã, acusado pelos EUA de
na antes de o presidente Barack armas nucleares na estratégia de estar em busca de armas nuclea- ✽ mos Obama se comprometer com a meta de um
Obama receber líderes de 47 paí- segurança dos EUA; manter a es- res, é citado algumas vezes no Análise: Paul Ingram mundo livre das armas nucleares. Esse docu-
ses para uma cúpula sobre proli- tabilidade e a dissuasão com as relatório. “Ao alimentarem suas mento do governo coloca tal visão no contexto
feração nuclear em Washington. forças nucleares em níveis redu- ambições nucleares, a Coreia do da real distribuição militar atual.
Antes disso, amanhã, Obama as- zidos; reforçar a segurança por Norte e o Irã violaram suas obri- Mesmo tímido, Os EUA já fizeram garantias condicionais de
sina em Praga um novo tratado meio do diálogo com a Rússia e a gaçõesdenão-proliferação,desa- segurança a Estados não nucleares antes, afir-
com os russos, acertado no mês China (cujo programa nuclear é fiaramdeterminaçõesdoConse- documento é um mando que não os atacariam com armas atômi-
passado,paraareduçãodosarse- descrito como “pouco transpa- lho de Segurança e resistirem cas. Essa NPR estende compromissos incondi-
nais atômicos dos dois países. rente”); e manterum arsenal nu- aos esforços internacionais para passo importante cionais contra a todos os países não nucleares
Em maio, ocorrerá uma ampla clear eficiente e seguro. resolver a questão pela via diplo- que honram suas obrigações.

A
conferência internacional em Deacordocom o textoda nova mática. Essas provocações (...) “Revisão da Política Nuclear” (NPR, Será que a nova NPR representa uma mudan-
Nova York sobre o TNP. política, “o arsenal nuclear da podemlevarpaísesvizinhosaop- eminglês)anunciadaontemrepresen- ça drástica? A resposta imediata é “não”. Apesar
“Hoje, meu governo deu um época bipolar da Guerra Fria não tarem pela via nuclear.” tou, inevitavelmente, uma melhora de o documento mencionar a redução do papel
passo adiante para reduzir o pa- é adequado para lidar com os de- Na avaliação americana, a no- emrelaçãoaodocumentoanterior. Pu- das armas nucleares na estratégia americana, o
pel das armas nucleares em nos- safios impostos por terroristas va política reforça a posição do blicada em2002, no auge do governo George W. poder atômico de dissuasão continua a ser cen-
sa segurança estratégica. O foco suicidas e regimes inimigos em país para persuadir outros a for- Bush,aúltimaNPRrejeitava ocontroledearma- tral e não se vê um grande compromisso com o
agora será diminuir os riscos nu- busca de armas atômicas”. talecer o regime de não-prolife- mento e defendia o combate à proliferação com desarmamento. Mas o documento é um passo
cleares do século 21”, disse Oba- Odocumentoafirmaquea“Al- raçãonuclear.Alémdisso,segun- ataques preventivos. Em vez disso, a versão de na direção certa. Mantém as escolhas abertas e
maem comunicadodepois dadi- Qaeda e seus aliados extremis- do analistas, os EUA tentam Obamacoloca seu governo devez no campodos reconhece a necessidade de avanços adicionais.
vulgação do relatório. tas estão em busca de armamen- abrir o caminho para novas san- que favorecem o controle multilateral, com
O documento do Pentágono to nuclear. E nós acreditamos çõesaoIrãnaONU.Teerã,entre- uma promessa de desarmamento futuro. ✽
divide-se em cinco pontos: pre- que eles usariam essas armas ca- tanto, afirma que seu programa Qual é a novidade? Há um ano, em Praga, vi- É ANALISTA DO JORNAL BRITÂNICO ‘THE GUARDIAN’
venir o terrorismo e a prolifera- so as obtenham”. nuclear tem fins pacíficos.

e deve ter na prevenção da proli-


Rússia diz que escudo pode levá-la a abandonar tratado feração e do terrorismo nuclear.
Também oferecemos aos russos
constantemente a oportunida-
de de cooperar conosco.”
é mais vantajoso para a Rússia para esse rompimento após o EUAcomeçaraafetarsignificati- ele seja instalado em outros paí- As negociações para o novo
Chanceler anuncia que, que seu predecessor, mas ainda presidentedosEUA,BarackOba- vamente a eficiência das forças ses, como a Romênia. tratado arrastaram-se por quase
se os planos dos EUA assim Moscou pode rompê-lo se ma, e o russo, Dmitri Medvedev nucleares estratégicas russas”, “Não é surpresa alguma que um ano. A Rússia exigia justa-
o projeto americano para cons- assinarem o pacto, amanhã. afirmou Lavrov. os russos continuem preocupa- mente que cláusulas sobre o de-
ameaçarem segurança truir um novo sistema de defesa Onovoacordo substitui oTra- Moscou ficou satisfeito com a doscomnossoprogramadedefe- senvolvimento do sistema anti-
russa, país poderá sair antimísseis se tornar uma amea- tadodeRedução deArmasEstra- decisão de Obama de desistir da sa antimísseis”, disse a secretá- mísseis dos EUA fossem incluí-
do acordo Start ça para sua segurança. A ressalva tégicas (Start na sigla em inglês) construção de um escudo anti- ria de Estado dos EUA, Hillary das em seu texto final. O Senado
foi feita ontem pelo chanceler de 1991. “A Rússia terá o direito mísseis na Polônia e na Repúbli- Clinton. “Tentamos explicar a americano, porém, opôs-se a
O novo acordo com os EUA para russo, Serguei Lavrov, que deve de desvincular-se do (novo) tra- caCheca, masaindaestá preocu- eles reiteradamente o propósito qualquer restrição explícita ao
a redução de arsenais nucleares anunciar quais serão os termos tado se o escudo antimísseis dos pado com a possibilidade de que desse sistema e o papel que pode escudo. / AP, REUTERS E AFP

Amorim pede ao Irã ‘cooperação extensiva’


a presença de inspetores da ção de sanções da ONU ao país. entre os dois lados.
No Senado, chanceler Agência Internacional de Ener- Segundo Amorim, ele alertou Em uma antecipação da posi- PARA ENTENDER
adverte que Teerã não gia Atômica (AIEA) em suas ins- ao presidente iraniano, Mah- ção brasileira na Conferência de
talações nucleares. moud Ahmadinejad, para que RevisãodoTratadodeNão-Proli-
deve ter ilusões de elevar Diante dos membros da Co- nãoalimenteilusões deque oco- feração Nuclear (TNP), marca- O presidente brasileiro, Luiz ajudou Ahmadinejad a romper
comércio com Brasil se missão de Relações Exteriores mércio entre Brasil e Irã poderá da para maio, Amorim defendeu Inácio Lula da Silva, recebeu a o isolamento diplomático do
ONU impuser sanções do Senado, Amorim afirmou que se elevar a bilhões de dólares se a aos senadores que a melhor ga- visita, em novembro, do irania- Irã. Ao mesmo tempo, o Itama-
o Irã está pagando por decisões ONU adotar novas sanções con- rantia para que outros países no, Mahmoud Ahmadinejad, raty programou para maio
Denise Chrispim Marin equivocadas relativas a seu pro- tra o a república islâmica. não iniciem a fabricação de ar- num momento em que os uma visita de Lula a Teerã.
Ana Paula Scinocca grama nuclear, mas acrescentou Conforme insistiu, o acordo mas nucleares está no desarma- EUA tentavam convencer os A secretária de Estado dos
BRASÍLIA que Teerã “não abdicará” de seu de troca de parte do estoque de mento das grandes potências. membros do Conselho de Se- EUA, Hillary Clinton, veio ao
direito de enriquecer urânio urânio levemente enriquecido “Uma só bomba atômica já é gurança da ONU a aprovar san- Brasil em março e reiterou à
Oministro dasRelaçõesExterio- com objetivos pacíficos. doIrãporcombustívelparaausi- ruim. Israel tem 200 e os EUA ções ao Irã para que o país de- diplomacia brasileira que a
res, Celso Amorim, advertiu on- Aos senadores, o chanceler in- na iraniana, proposto pela AIEA, terão 1.500”, argumentou. “En- sista de seu programa nuclear. suspensão do programa atômi-
tem que Teerã deveria flexibili- sistiu que o Brasil “não é nem está “pré-negociado”. quanto um país tiver a bomba Para o Departamento de Esta- co do Irã é uma das priorida-
zar suas posições, “cooperar da pró nem contra o Irã”, mas a fa- Amorim explicou que a vanta- atômica, outro país que se consi- do, a aproximação de Lula des da política externa ameri-
forma mais extensiva possível” vordapazedeumasoluçãonego- gem do acordo está em sua capa- derar ameaçado se sentirá no di- com o polêmico líder iraniano cana.
em favor de um acordo e aceitar ciada, que possa evitar a imposi- cidade de resgatar a confiança reito de tê-la também.”

Sabatina hostil
LKJLÇAKJSD
seu candidato seria o Serra”,
MINISTRO BATE-BOCA ● Atrito revidou Jereissati, referindo-
se à suposta escolha feita pelo
COM OPOSITORES TASSO JEREISSATI
SENADOR (PSDB-CE)
entãocandidato tucano à Pre-
sidência,em2002,deterAmo-
“O senhor começou colorido. O rim como seu chanceler.
Chanceler teve de rebater acusações duras de Collor foi o primeiro a lhe dar um “O senhor quer saber em
cargo importante” quemvotei?”,revidouominis-
Virgílio e Jereissati, que o acusou de ‘neopetismo’ tro.“O senhor começou colo-
CELSO AMORIM rido. O (presidente Fernan-
CHANCELER BRASILEIRO do) Collor foi o primeiro a lhe
Denise Chrispim Marin um protesto contra o retrato do “Sou diplomata de carreira, me dar um cargo importante”,
presidente Luiz Inácio Lula da orgulho de ter sido ministro do afirmou o senador.

A
squatro horasde au- Silva com Fidel Castro, ambos Itamar e tenho grande estima “Sou diplomata de carreira,
diência do chance- sorridentes, tirado momentos pelo Serra. Se essa notícia saiu me orgulho de ter sido minis-
ler Celso Amorim após o dissidente cubano Orlan- nos jornais, não sei” trodopresidenteItamarFran-
na Comissão de Re- do Zapata morrer em greve de Farpas. Amorim discute com Jereissati (de costas) no Senado co(1992-1995) e tenhogrande
lações Exteriores do Senado, fome. O ministro descontou estimapeloSerra.Seessanotí-
ontem, foram marcadas por quando Virgílio condenou os la- Mas o momento mais tenso manente no Conselho de Segu- didata do meu partido (Dilma cia saiu nos jornais, não sei.
bate-bocas sobre a condução ços de Lula com ditadores. “Não veio com um embate entre o rança da ONU e a posição na Ro- Rousseff) ou do ex-governador Ele nunca me disse nada dis-
da política externa. conheço um presidente que não chanceler e o senador Tasso Je- dada Doha da OMC. “Que vão de São Paulo (José Serra)”, reba- so”, respondeu. “Seu ‘neope-
Amorim ouviu do senador tenhaapertadoamãodeumdita- reissati(PSDB-CE), quecriticou continuar a ser prioridade no teu Amorim. tismo’ é comovente”, alfine-
Arthur Virgílio (PSDB-AM) dor”, disse o chanceler. a ambição por um assento per- próximogoverno,sejaeledacan- “Se fosse no governo anterior, tou Jereissati.