You are on page 1of 42

UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO

“A ARTE DE ENSINAR COM CIDADANIA”

CAMILA FERNANDES
CRISTIANE E. MACHADO
DAVI DOS S. MINUTTI
GUILHERME C. CANELA
MURILO V. SPIRANDELLI
ROSEANE P. DE SOUZA
WILLIANS GUADAGNUCCI
Programas de Cidadania
e Sociologia da Responsabilidade Social

BAURU – 2º/ 2009


UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO
RELATÓRIO DE EXTENSÃO E PESQUISA DE PROGRAMAS DE CIDADANIA
E SOCIOLOGIA DA RESPONSABLIDADE SOCIAL

DISCIPLINA: Programas de Cidadania e Sociologia da Responsabilidade Social


ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Humanas, Sociais, Exatas e Biológicas
ÁREA DE CONHECIMENTO: Educação e Cidadania
ÁREA DE PESQUISA: bibliográfico e campo.
TÍTULO DO TRABALHO: A Arte de Ensinar com Cidadania
AUTORES: Camila Fernandes – Jornalismo
Cristiane Elaine Machado – Letras
Davi dos Santos Minutti – Ciências Biológicas
Guilherme Colovati Canela – Ciências Biológicas
Murilo Vitor Spirandeli – Fisioterapia
Roseane Palomo de Souza - Letras
Willians Guadagnucci – Ciências da Computação
COORDENADOR/ORIENTADOR: Prof. Ms. José Rafael Mazzoni
INSTITUICAO PARTICIPANTE: Universidade Sagrado Coração
Projeto Itabom de Bola e Escola
DURACAO PREVISTA: início: 15/10/2009
Término: 11/12/2009

Prof. Ms. José Rafael Mazzoni


Orientador

Aprovado em: _____/_____/2009

2
SUMÁRIO

Dedicatória...............................................................................................................................04
Lista de Figuras.......................................................................................................................05
Resumo.....................................................................................................................................06

1 INTRODUÇÃO
1.1 Problematização/Fundamentação teórica..........................................................08
1.2 Apresentação do local..........................................................................................15
1.3 Justificativa...........................................................................................................16

2 OBJETIVOS
2.1 Objetivo geral ......................................................................................................18
2.2 Objetivos específicos .......................................................................................... 18

3 METODOLOGIA...............................................................................................................19

4 REFERÊNCIAS..................................................................................................................20
4.1 Bibliografia Consultada........................................................................................21

5 RESULTADOS E DISCUSÕES.......................................................................................22

6 CONCLUSÕES
6.1 Conclusão geral.....................................................................................................25
6.2 Conclusão por área...............................................................................................26
6.3 Conclusões Individuais.........................................................................................29

7 ANEXOS

7.1 Cronograma...........................................................................................................33
7.2 Orçamento..............................................................................................................36
7.3 Galeria de fotos......................................................................................................37

8 HORAS TRABALHADAS POR PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL/ GRUPO............42


3
DEDICATÓRIA

Dedicamos este primeiramente a nosso


orientador Prof. Ms. José Rafael Mazzoni, que
nos encaminhou e nos presenteou com este
trabalho. A todas as crianças que participaram,
tornando o trabalho algo muito prazeroso e
gratificante. Aos funcionários do Projeto “
Itabom de Bola e Escola”, pelo auxílio e
parceria perfeita. E a empresa ITABOM pelo
apoio fundamental para realização do mesmo.

4
LISTA DE FIGURAS

Fig 1 Socialização com brincadeira do barbante....................................................................36

Fig 2 Exercícios de Alongamento..........................................................................................36

Fig 3 Palestra dinâmica sobre reciclagem..............................................................................37

Fig 4 Confecção de brinquedo com sucata............................................................................37

Fig 5 Redação sobre meio ambiente.......................................................................................38

Fig 6 Colagens na caixa de madeira.......................................................................................38

Fig 7 Customização da caixa madeira....................................................................................39

Fig 8 Confecção de pipas.......................................................................................................39

Fig 9 Equipe “A Arte de Ensinar com Cidadania”.................................................................40

5
RESUMO

Crescer na vida é tudo o que queremos, a partir disso forma-se uma sociedade sem escrúpulos
e sem sentimento pelo próximo. O lado egoísta de cada pessoa entra em ação e todos temos
um único objetivo, o de sermos melhores do que os outros. Estamos cada vez mais
individualistas, sem ao menos nos importar com as conseqüências de nossos atos. Nossas
futuras gerações vêem crescendo e aprendendo a viver em meio todo esse desrespeito com o
meio ambiente, as autoridades, ou seja, a vida. Crentes de que formar cidadãos se começa
desde cedo, nos lares, escolas e instituições. Este trabalho teve como objetivo principal a
compreensão sobre o que é cidadania e sua importância por parte das crianças, com idade
entre 7 e 14 anos, atendidas pelo projeto “Itabom de bola e escola” na cidade de Itapui-SP.
Trabalhando de maneira dinâmica e fácil entendimento, a equipe multidisciplinar composta
por dois alunos de Biologia, duas alunas de Letras, um aluno de Ciências da Computação,
uma aluna de Jornalismo e um do curso de Fisioterapia, durante nove semanas desenvolveu
atividades na instituição sobre a importância da cidadania, como exercê-la, seus direitos e
deveres numa sociedade cada vez mais exigente e apática aos valores humanos. Através de
exercícios grupais e criativos, como palestras sobre reciclagem, confecção de brinquedo com
sucata, customização de caixas com fotos, confecção de pipas, elaboração de redações e a
importância de exercícios de alongamentos visando prevenção de lesões durante a prática do
futebol e melhor qualidade de vida. Desta forma, as crianças compreenderam seu papel no
meio no qual vivem, tendo em mãos as ferramentas para fazer do mesmo um lugar melhor e
contribuir para o progresso.

6
PREFÁCIO

O presente trabalho desenvolvido por alunos das áreas de Ciências Biológicas, Ciências da
Computação, Fisioterapia, Jornalismo e Letras, foi realizado na instituição Universidade
Sagrado Coração e Projeto Itabom de Bola e Escola, teve como objetivo incentivar a
cidadania, através de atividades educativas.

Durante 9 semanas a equipe multiprofissional e interdisciplinar participou de diversas


atividades com crianças e os resultados foram devidamente satisfatórios.

Convidamos o (a) leitor (a) a se aprofundar na leitura do presente Relatório onde, além da
fundamentação bibliográfica conhecerá e se integrará as diversas atividades que, sem dúvida,
foram momentos de conhecimento recíproco entre os envolvidos e os resultados, por mais
simples que possam parecer, temos certeza de que foram muito significativos para quem
aprendeu e quem ensinou: todos.

Boa leitura e aprofundamento!

Prof. Ms. José Rafael Mazzoni

Coordenador e Orientador

7
1 INTRODUÇAO

1.1 Problematização / Fundamentação teórica

Cidadania. Palavra na qual nos questionamos sobre sua importância e seu real
significado. Atualmente, muito se fala em cidadania, mas praticá-la é um ato individual,
apesar de ter efeitos coletivos, é muito “difícil” de ser realizado, tal qual o pensar sobre a
própria vida e os próprios atos. Estas são ações extremamente particulares e que, se praticadas
por todos, têm um grande poder. Devemos firmar mais nosso papel de cidadãos. Pode-se
afirmar que “ser cidadão” está na moda. Não somente a educação formal que a escola oferece,
mas também a que vem do lar, da família. E é aí que entra a formação do caráter, princípio
fundamental para a prática do bem, para a busca dos direitos individuais e coletivos e para o
cumprimento dos deveres.

Segundo Candau (1995), o exercício da cidadania implica no reconhecimento e formas


pelos quais os direitos são constantemente violados em nossa sociedade. Educar para a
cidadania exige educar a esta para a ação de não ser somente individual, nem individualista.

Educação e família são a base para a formação de um bom cidadão, aquele que joga o
papel no lixo certo; aquele que pratica uma ação pensando em um grupo, na comunidade, e
não somente nele próprio. A educação tem privilegiado na sua historia conteúdos escolares
que propiciam aos alunos o domínio de informações e não a formação e compreensão dos
fatos e fenômenos sociais, culturais e científicos que acontecem no mundo, relata o autor
anteriormente citado.

Pesquisas desenvolvidas em vários campos das ciências humanas, segundo Gardner


(1997), trouxeram dados importantes sobre o desenvolvimento da criança, sobre o processo
criador, sobre a arte e sua influencia no desenvolvimento psicomotor.

Continuando o raciocínio do autor acima, o desenvolvimento pode ser facilitado pela


postulação de três sistemas no organismo. Esses sistemas podem ser chamados de fazer,
perceber e sentir. Os resultados do sistema que faz são os atos ou as ações; os produtos do
sistema que percebe são as discriminações ou distinções; os resultados do sistema que se sente
são os afetos. Essas unidades básicas dos três sistemas podem ser chamadas de padrões ou
esquemas comportamentais.

8
O desenvolvimento pode ser visto com um processo em que os três
sistemas inicialmente separados começam gradualmente a se
influenciar mutuamente, com a interação finalmente se tornando tão
dominante que cada sistema inevitavelmente envolvem os outros.
(GARDNER, 1997, p. 61)

Pressupomos que as habilidades artísticas se desenvolvem por meio de questões que se


apresentam na criança no decorrer de suas experiências de buscar meios para transformar
idéias, sentimentos e imagens dentro de um trabalho artístico, relata o autor acima. Segundo
Antunes (2003) Essa criação favorece o desenvolvimento total da personalidade, reunindo em
harmonia a atividade intelectual, a sensibilidade e habilidade manual.

Desta maneira, não tem função apenas de dar prazer à criança, mas de
libertá-la de frustrações, canalizar sua energia, dar motivo a sua ação,
explorar sua criatividade e imaginação” (ANTUNES, 2003, p. 19)

A possibilidade de mexer com vários materiais dá a grande liberdade e prazer à


criança, ajudando-as a tornarem-se adultos completos e sensíveis. Segundo Antunes (2003), a
infância precisa ser reconhecida como uma fase admirável que deve ser apreciada em si
mesma, razão pela qual a alegria e o prazer precisam sempre caminhar lado a lado com os
propósitos de aprendizagem.

A criança mobiliza todo o seu ser quando se entrega espontaneamente a um trabalho


educativo que visa o desenvolvimento e pensamento artístico, que caracteriza um modo
particular de dar sentido as experiências das pessoas: por meio dele, o aluno amplia
sensibilidade, a percepção, a reflexão e a imaginação. Aprender arte envolve basicamente,
fazer trabalhos artísticos, apreciar e refletir sobre eles, nesse pressuposto acreditamos que o
ensino das artes contribui para o desenvolvimento global do aluno colaborando de forma
significativa para o processo ensino-aprendizagem, conclui o autor acima.

(...) A criatividade é uma capacidade que pode ser adquirida e desenvolvida. Por
outro lado, a criatividade tem sido desenvolvida como uma característica de gênios, o
que é uma abordagem elitista e não verdadeira. Como a própria conceituação de
criatividade indica, ela é uma capacidade adquirida que envolve inovar, criar, não
sendo necessário ser dotado de inteligência privilegiada. As pessoas de inteligência
‘normal’ podem ser criativas. A criatividade distingue-se muito mais pelos interesses,
atitudes e motivos das pessoas do que pelas suas habilidades intelectuais (...)
(AGUIAR, 1992, p.35).

9
O autor anteriormente citado segue dizendo que a criatividade, pode ser colocada em
prática na questão de conscientização ambiental, pois muito se fala e pouco se faz na sua
preservação. Portanto é indispensável que as futuras gerações tenham total conhecimento
sobre o todo o processo que rege no meio ambiente.

Segundo a resolução do CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente –


(306:2002) entende-se por meio ambiente o

conjunto de condições, leis, influencia e interações de ordem física, química,


biológica, social, cultural e urbanística que permite, abriga e rege a vida em todas as
suas formas. ( CONAMA, 306:2002, p. 23)

Seguindo ainda temos o conceito de Meio Ambiente segundo a ISO 14001:2004,


normas que regem a questão ambiental

circunzinhança em que uma organização opera, incluindo-se a água, solo, recursos


naturais, flora, fauna, seres humanos e suas inter-relações.(CONAMA, 306:2002 p.
25)

Em Estocolmo, no ano de 1972, na Conferencia das Nações Unidas definiu-se meio


ambiente como

conjunto de componentes físicos, químicos, biológicos e sócias capazes de causar


efeitos diretos ou indiretos, em um prazo curto ou longo, sobre os seres vivos e as
atividades humanas.(DIAS, 1949, p. 42)

De acordo com Gaia (2003) percebe-se que, nos últimos anos o Meio Ambiente como
manchete e foco de várias discussões políticas e acadêmicas, na busca de uma solução única e
eficaz contra o acelerado processo de destruição e esgotamento dos recursos naturais.

Entretanto o alerta inicial não é recente, no inicio da industrialização alguns


naturalistas alertavam para um perigo eminente: o acumulo da riqueza gerando uma falha
distribuição de renda, uma ocupação desordenada das cidades e o consumo exagerado de
recursos não renováveis.(SACHS, 1923)

O desgaste do Meio Ambiente é o resultado da interação entre o consumo crescente


dos recursos escassos e da poluição gerada pela melhoria do padrão de vida. Entretanto outros
fatores contribuem para este estado atual como a pobreza e o próprio crescimento econômico.
Os pobres e famintos por vezes são obrigados a destruir seu próprio Meio Ambiente para sua

10
própria subsistência culminado em desmatamentos, terras inférteis e a destruição de rios e
nascentes.(SACHS, 1923)

Atualmente busca-se novas perspectivas a fim de manter o crescimento e não


prejudicar o Meio Ambiente. Neste novo cenário cria-se o desenvolvimento sustentável,
entendido como

um processo de transformação no qual a exploração dos recursos, a direção dos


investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança
institucional se harmonizam e reforçam o potencial presente e futuro, a fim de
atender às necessidades e as aspirações humanas (WECD, 1991, p.49)

sendo criado 1987 em um informe da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e


Desenvolvimento (CMMAD, 2002).

De acordo com Tayra (1996) neste conceito de Desenvolvimento Sustentável


cunharam-se dois princípios fundamentais: a necessidade e o limite. Ainda, segundo a autora

o desenvolvimento sustentável significa a compatibilidade do crescimento


econômico, com desenvolvimento humano e qualidade ambiental. Portanto, o
desenvolvimento sustentável preconiza que as sociedades atendam às necessidades
humanas em dois sentidos: aumentando o potencial de produção e assegurando a
todos as mesmas oportunidades. ( TAYRA, 1996, p. 52)

Através de ações simples e aplicáveis ao nosso cotidiano como evitar o desperdício de


água e alimentos e a reciclagem de vários produtos podemos minimizar, mesmo em pequena,
escala a degradação que o Meio Ambiente vem sofrendo. (CHAVES, 2006).

O processo de reciclagem, por exemplo, de acordo com o autor anteriormente citado é


tão antigo quanto o início da utilização do mesmo nas indústrias, mas é um fator importante
quando falamos em aprendizagem, criatividade, conscientização ambiental.

É moderna a idéia de que o homem se faz a si mesmo e se eleva como ser humano por
meio do trabalho, transformando o mundo material. E a essa forma de pensar acrescenta-se a
consolidação de um aparato legal e a aparente conversão de trabalho social em trabalho
assalariado (LAGARINHOS, 2008).

No Brasil, de acordo com o autor acima, estima-se que o número de catadores de


materiais recicláveis seja de aproximadamente 500.000 (quinhentos mil), estando 2/3 deles no
Estado de São Paulo. Conforme dados da Companhia Municipal de Urbanização de Goiânia –
11
COMURG, em Goiânia, no ano de 2004, foram identificados 506 catadores que coletam
materiais recicláveis na cidade. Há indícios de que em Goiânia esse número seja bem maior,
conforme elucidado em outros tópicos.

Leal, (2002) concluiu que o catador de material reciclável participa como elemento
base de um processo produtivo bastante lucrativo, no entanto, paradoxalmente, trabalha em
condições precárias, subumanas e não obtém ganho que lhe assegure uma sobrevivência
digna.

Catar lixo é considerado por Barros, Sales e Nogueira (2002) uma atividade
excludente pela própria natureza do tipo de trabalho. Entretanto, a mídia em geral, alguns
estudiosos e instituições de diversos setores divulgam que a catação constitui uma
possibilidade de inclusão social de uma parcela de trabalhadores.

As cooperativas de reciclagem de lixo são recentes no Brasil. Segundo Magera (2003)


a Cooperativa dos Catadores Autônomos de Papel, Aparas e Materiais Reaproveitáveis
(COOPAMARE), fundada em 1985, é uma das pioneiras no país.

Uma cooperativa de catadores pode desenvolver diferentes ações, visando enfrentar


fatores que interferem no processo de negociação de materiais recicláveis, possibilitando
competitividade através do aumento da oferta de materiais recicláveis num volume maior que
garanta negociação de preços (IPT, 2003)

O IPT (2003) também destaca as seguintes vantagens da cooperativa: evitar depender


de um único comprador; vender cargas “fechadas” por um preço médio; estocar – os materiais
podem ser armazenados por período mais longos.

Em muitas ocasiões enfrentamos a falta de meios tanto físicos como de instalações e


equipamentos, obrigando-nos a buscar novas formas de desenvolver um programa de
trabalho, segundo Escámez (1999), por isso pode-se julgar de grande utilidade o
aproveitamento de materiais recicláveis e/ou descartáveis para a confecção de brinquedos e
outros diversos produtos.

Olhando por outro ângulo a questão da cidadania, devemos considerar como parte
fundamental, a comunicação na vida das crianças. Responsável pela interatividade e meio de
aprendizagem.A comunicação está integrada aos processos culturais presentes em cada
momento, por isso ela não é um fenômeno isolado na sociedade. Para a compreensão

12
historicamente da comunicação, é preciso analisar sempre como a mesma foi gestada e
aplicada na comunidade, no entanto é necessário compreender as realidades nas quais o
homem se encontra quando surge a expansão da comunicação.( HERSKOVITS, 1969)

Ressalta que sem a compreensão do fluxo de noticias através de distintas sociedades, o


entendimento da vida dessas sociedades é limitado. Herskovits (1969), afirma que a
sobrevivência no ambiente natural que o homem se encontra , se vê obrigado a desenvolver
um outro ambiente, é a cultura, que é:

(...)o conjunto complexo que inclui conhecimentos em crenças, arte,


moral, ética, leis, costumes q quaisquer capacidades e hábitos
adquiridos pelo homem como membro da sociedade(...). (
HERSKOVITS, 1969, p. 18 )

Ou seja, a comunicação é um conjunto de relação interpessoal, que caracteriza a


existência social implicando através desse processo, o aprendizado - aculturação, difusão e
formas de expressão, arte, captando uma visão do meio que se vive, conclui Herskovists
(1969).

A noticia faz tanto parte da comunicação escrita, quanto a oral. Seu valor está no fato
de ser contada, comunicada, Stephens (1993) afirma que

‘ o ato de contar noticias , traz consigo uma serie de gratificações para


o ego, oportunidade de parecer bem – informado, culto, atualizado,
além do privilégio de brindar os acontecimentos com suas próprias
conclusões’. ( STEPHENS, 1993, p. 67 )

Aplicando também a Teoria Empírica, relacionada à Teorias da Comunicação de


Wolf (1992), faremos a avaliação da criança de acordo com seu interesse: Motivação pela
informação; exposição seletiva (atitude opinião); Percepção seletiva (interpretação das
noticias).

Seguindo o raciocínio do autor acima, para a Sociologia, socialização significa


transmissão e assimilação de padrões de comportamento, normas, valores e crenças, atitudes e
sentimentos em coletivos pela comunicação, portanto, é um aprendizado.

De acordo com Vila Nova (1995), durante a infância e adolescência há uma


socialização intensa, um processo permanente. Mudando de posição social e de grupo, os
indivíduos têm de se adaptar a novas situações, e essa adaptação é feita através da
13
aprendizagem de agir e pensar, isso requer dele a assimilação dos novos padrões de
comportamento desenvolvidos na sociedade.

O autor acima afirma que a socialização é importante no desenvolvimento da


personalidade.

(...) É através da socialização que o individuo pode desenvolver a sua


personalidade e ser admitido na sociedade. A socialização é, portanto,
um processo fundamental não apenas para a integração do individuo
na sua sociedade, mas também para a continuidade dos sistemas
sociais. (...) ( VILA NOVA, 1995, p.45)

Segundo o autor acima, há dois tipos básicos de socialização, a primaria e a


secundaria. A socialização primaria (que ocorre na infância) é a que dá aos indivíduos os
padrões de comportamento básicos necessários para uma viver uma vida normal na sociedade,
que o indivíduo se apropria de um sentimento para se identificar com o meio, com grupos de
referência (pais, irmãos). Na secundária, a socialização se refere a aprendizagem de padrões
de comportamento especiais para determinadas posições e situações sociais- se uma criança
escolhe uma profissão para ser quando torna-se adulta, é através de seu conhecimento,
habilidade, assimilação de certas situações.

Já Rident (1996), cita o sociólogo Emile Durkheim (1858-1917),como analítico da


sociedade, defendendo uma organização social como forma de socialização.Segundo
Durkheim, a sociedade contemporânea deve ser analisada como um todo orgânico, regulado
por leis naturais, sendo composta por grupos diferentes, mas interdependentes.Ocorrendo
assim, a integração entre as partes que compõem o organismo social, cada parcela da
sociedade tem sua função especifica, que é indispensável para a harmonia, a pacificação, a
conciliação o consenso social, e dentro desse aspecto de ordem natural das coisas, faz o
individuo e a sociedade crescer como um todo, dando-se o chamado progresso.Dai o famoso
Ordem e Progresso.

Não somente o assunto intelectual da criança é importante na sua formação, damos


continuidade ao estudo com a questão dos benefícios e importâncias dos exercícios físicos na
vida das mesmas.

O autor acima cita que os alongamentos são de extrema importância antes de qualquer
atividade física. Isso já foi provado, mas apesar disso os professores e as instituições de

14
ensino não colocam alongamento como uma forma indispensável na prevenção de lesões
causadas por atividades físicas que as crianças desenvolvem nas escolas e fora dela, por isso à
necessidade da conscientização dos professores de educação física e profissionais da área,
sobre a importância de se alongar antes, durante e após qualquer exercício ou atividade física
para não só evitar lesões como melhorar a flexibilidade e outros benefícios.

Seguindo o estudo do autor acima, os Alongamentos são exercícios voltados para o


aumento da flexibilidade muscular, que promovem o estiramento das fibras musculares,
fazendo com que elas aumentem o seu comprimento. O principal efeito dos alongamentos é o
aumento da flexibilidade, que é a maior amplitude de movimento possível de uma
determinada articulação. Quanto mais alongado um músculo, maior será a movimentação da
articulação comandada por aquele músculo e, portanto, maior sua flexibilidade.O
alongamento é um relaxamento dos músculos, deve ser incorporado a um exercício físico,
mas também pode ser praticado sozinho. É uma prática fundamental para um bom
funcionamento do corpo, proporcionando maior agilidade e elasticidade, além de prevenir
lesões.

No entanto, de acordo com Michael J. Alter (2000), são benéficos os exercícios de


alongamentos, quando realizados corretamente. Os atletas precisam fazer e se dedicarem ao
exercício de alongamento como parte regular de treinamento, dedicando-se durante vários
minutos a prática. O alongamento deve ser aplicado por um profissional capacitado, para que
o exercício seja de forma preventiva de lesões e não causa deles.

1.2 Apresentação do local

O Projeto Itabom de Bola e Escola está localizado na rua Sebastião Ferreira Dias, n
169 – Fone (14)3664-3232 – Itapuí/ SP- CEP: 17230-000. Teve inicio em suas atividades em
01/03/2006 e é mantido integralmente pela empresa Itabom. O projeto atende atualmente 106
crianças, sendo 87 meninos e 19 meninas, que se encontram na faixa etária de 07 a 14 anos.
Os alunos estão divididos em períodos e dias diferentes de treinamento. A equipe é formada
por um coordenador geral, um professor para meninos e uma professora para meninas, três
assistentes e um ajudante de serviço geral da conservação da sede.

A principal finalidade do projeto é utilizar o esporte (futebol) para ocupar o tempo


vago das crianças, evitando que as mesmas sigam caminho da marginalidade. É fato, o intuito
15
do estimulo a um bom desempenho geral e bom comportamento da mesma. Desempenho este
não somente a boa conduta em sua vida escolar, social e familiar, mas também o gosto e
interesse pelos estudos, que é de extrema importância para um melhor desenvolvimento
profissional.

Os participantes ao chegarem no projeto, recebem um lanche, após a refeição se


dirigem ao seus vestiários para troca de roupa, em seguida é realizada uma chamada para
acompanhamento de freqüência da criança no projeto, após isto vão a campo para alguns
exercícios de preparo anteriormente a prática do futebol.

As crianças têm como hábito, a oração do Pai Nosso diariamente como forma de
agradecimento, e quinzenalmente cantar o hino nacional.

Os participantes contam com o fornecimento de todo o material necessário utilizado


no projeto (chuteiras, bolas, uniformes, material de treino para professores), lanches com suco
ou achocolatado, acompanhado de uma fruta, também são oferecidos diariamente, além do
transporte (ida e volta) até o local de treinamento.

Todo o projeto é acompanhado por profissionais capacitados e uma pessoa é


responsável por colher informações da criança em sua escola. É de total importância que a
criança esteja freqüentando a escola e também esteja com boas notas. Mensalmente
acontecem reuniões com o grupo de professores e colaboradores do projeto junto da comissão
instituída pela Itabom.

1.3 Justificativa

Devemos firmar mais nosso papel de cidadãos. Não somente a educação formal que a
escola oferece, mas também a que vem do lar, da família. E é aí que entra a formação do
caráter, princípio fundamental para a prática do bem, para a busca dos direitos individuais e
coletivos e para o cumprimento dos deveres. Trabalhar com reciclagem em meio tanta
destruição é um dever de todos, em benefício e preservação do meio ambiente. A
comunicação está integrada aos processos culturais presentes em cada momento, por isso ela
não é um fenômeno isolado na sociedade. Contudo, o trabalho da parte física da criança é
fundamental para um bom desenvolvimento e prevenções de lesões devido a prática de
esportes.

16
A equipe multiprofissional e interdisciplinar promoveu atividades dinâmicas e
educativas, com exercícios de alongamentos, confecção de brinquedos com sucata,
customização de objetos com fotos, elaboração de um informativo e desenvolvimento
lingüístico através da redação.

17
2 OBJETIVOS

2.1 Objetivo geral

O presente trabalho visa incentivar a cidadania, através de atividades


educativas.

2.2 Objetivos específicos

Trabalhar a questão cultural e artística de cada criança, através de atividades


dinâmicas e brincadeiras.

Orientar sobre importância e meios de preservação do meio ambiente para o


futuro das próximas gerações.

Informar sobre o poder da comunicação e sua importância no desenvolvimento


de atos de cidadania.

Estimular a prática de exercícios físicos, visando, evitar lesões na prática de


esportes e buscar uma melhor qualidade de vida.

18
3 METODOLOGIA

Foram realizadas atividades educativas de aprendizagem, com crianças entre a faixa


etária de 7 a 14 anos. Os encontros foram realizados uma vez por semana, durante nove
semanas, e as atividades tiveram o tempo de uma hora de duração. Trabalhamos a com
exercícios de alongamento, palestras dinâmicas através de mini-teatro, confecção de
brinquedo com o uso de material reciclado, como garrafas plásticas, elaboração de uma
redação em papel almaço, entrevista ao amigo e fotografia com câmeras digitais, elaboração
de uma caixa customizada com imagens das crianças impressas em papel A4 em preto/branco,
elaboração de pipas, com a utilização de linha branca, folhas de ceda coloridas e cola, e para
finalizar a montagem de um mural com fotos reveladas, como meio de recordação do projeto.

As atividades desenvolvidas, tiveram como base os autores Gardner (1997) que define
o desenvolvimento psicomotor da criança; Antunes (2003) que trabalha com a exploração da
criatividade e imaginação da criança. Escámez (1999) julga alguns materiais descartáveis
como grande fonte de aproveitamento para a confecção de brinquedos e diversos produtos.
Wolf (1992) aplica a Teoria Empírica, o desenvolvimento da criança avaliando a motivação,
atitude, opinião e interpretação das notícias. Baseamos-nos também em Freire (1967) que
afirma, devemos trabalhar de acordo com a realidade social e familiar de cada criança; Vila
Nova (1995) ressalta que é através da socialização a criança desenvolve sua personalidade, e é
admitida na sociedade, participando de uma organização social em que a integração entre
grupos diferentes, gera harmonia, pacificação e consenso social.

19
4 REFERÊNCIAS

AGUIAR, Maria Aparecida F. Psicologia aplicada à administração. São Paulo: Excellus,


1992.
ALMEIDA, G.R. Caio et al. “Fazendo Arte com Cidadania”. 2007. 41f. Relatório final
( Apresentado como requisito parcial para aprovação na disciplina Programas de Cidadania )
– Centro de Ciências Humanas. Universidade do Sagrado Coração, Bauru, 2007.
ANTUNES, Celso. Jogos para estimulação das múltiplas inteligências. Petrópolis- RJ.
Editora Vozes, 2005.
ANTUNES, Celso. O jogo e a educação infantil: Falar e dizer / olhar e ver / escutar e ouvir.
3 ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2005.
BARROS, V.A.; Sales M.M. & Nogueira, M.L.M. (2002). Exclusão, favela e vergonha: uma
interrogação ao trabalho. Em Goulart, Í.B. (Org.). Psicologia organizacional e do trabalho:
teoria, pesquisa e temas correlatos. São Paulo: Casa do Psicólogo.
BORGES, Célio José. Educação Física para o Pré-escolar. 4ª edição. Rio de Janeiro.
SPRINT. 1987.
CANDAU, Vera Maria. Tecendo Cidadania: oficinas pedagógicas de direitos humanos.
Petrópolis, RJ : Vozes, 1995
CHAVES, M. P. S., Rodrigues, D. C.B. Desenvolvimento sustentável: limites e perspectivas
no debate contemporâneo. Interações (Campo Grande) Set. 2006, vol. 8, no13, p.99-106.
CMMAD- Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro
comum. 2ª edição. Rio de Janeiro. Editora da Fundação Getulio Vargas, 1991.
DIAS, G. F.Educação Ambiental: princípios e praticas. 8 ed.. São Paulo: Gaia, 2003.
Enciclopédia do Estudante: Ecologia. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2008.
ESCÁMEZ, José Luiz Marqués. Iniciação aos Jogos e Esportes Alternativos. 1ª edição.
Belo Horizonte. Editora Itatiaia.1999.
GARDNER, Howard. As Artes e o Desenvolvimento Humano. Porto Alegre: Artes
Médicas, 1997.
HERSKOVITS, Melville J. Antropologia cultural : man and his works. 3.ed. São
Paulo.1969
IPT - Instituto de Pesquisa Tecnológica – (2003). Cooperativa de catadores de materiais
recicláveis: guia para implantação. São Paulo: SEBRAE.
LAGARINHOS, C.A.F.; Tenório J.A.S; Tecnologias utilizadas para reutilização,
reciclagem e valorização energética de pneus no Brasil. Polímeros: ciência e tecnologia,
vol.18, nº2, p. 106-118, 2008.
LEAL, A.C.; Júnior, A.T.; Alves, N.; Gonçalves, M.A. & Dibiezo, E.P. (2002). A reinserção
do lixo na sociedade do capital: uma contribuição ao entendimento do trabalho na catação e
na reciclagem. Revista Terra Livre, São Paulo, 18(19), 177-190, jul/dez.
20
LIMA, G. da C. Questão Ambiental e educação: contribuições para o debate. Ambient.
Soc., Dez 199, no 5, p.135-153.
MAGERA, M. (2003). Os empresários do lixo: um paradoxo da modernidade. Campinas,
SP: Átomo.
NOVA.V.Sebastião. Introdução à Sociologia. 3ª ed. São Paulo. Ed. Atlas. 1995
RIDENT, Marcelo. Política para quê?. São Paulo. ed. Atual. 1996.
SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986
STEPHENS. Mitchell. Globalização e Homogeneização Cultural.artigo. Los Angeles Time.
17 de janeiro de 1993.
WOLF. Mauro. Teorias da Comunicação. São Paulo. ed. Presença.1992

4.1 Bibliografia Consultada

FERREIRA, Solange Lima – Atividades recreativas para dias de chuva. Rio de Janeiro. 2ª
ed. : Sprint, 2001.

21
5 RESULTADOS E DISCUSSÕES

Inicialmente, o grupo se dividiu em duas equipes - equipe A que desenvolveu as


atividades todas as sextas feiras das 9 as 10 horas da manhã, e a equipe B que atuou também
as sextas-feiras das 15 as 14 horas.

Ambas as equipes aplicaram as mesmas atividades. Tanto Equipe A como Equipe B,


conclui os relatórios semanais com as mesmas opiniões. Trabalhamos com a mesma
quantidade de criança, variando entre 30 a 40 crianças a cada semana.

No dia 16/10, primeiro dia no projeto Itabom de Bola e Escola, tanto no horário das
9hs da manhã quanto às 15hs da tarde, houve uma apresentação da equipe as crianças no qual
se dividiu em duas turmas – turma com colete amarelo participou das atividades enquanto a
turma de colete lilás brincou livremente enquanto aguardava sua vez;

- A atividade foi o Jogo do Barbante, onde cada criança se apresentou e falou algo que mais
gosta e não gosta em voz alta, jogando sem seguida o barbante para o outro colega que diz o
mesmo. E assim o jogo continuou interativamente, ao final, o barbante volta-se para as
mesmas crianças, tendo elas que responderam os gostos do colega no qual jogou o barbante.
Deste modo, todas as crianças se conheceram e interagiram.

Na semana seguinte 23/10 segundo dia, foram aplicados exercícios de alongamento


que de acordo com Michael J. Alter (2000) visam uma melhor qualidade de vida e preparo
físico anteriormente aos esportes praticados no cotidiano da garotada. Os exercícios
selecionados estão relacionados à prevenção de lesões antes e durante a prática do futebol.
Trabalhos neste dia com todos juntos, resultado, aprendizagem e conhecimento das crianças;

- Os exercícios foram aplicados seqüencialmente e respeitando os limites de cada criança, as


mesmas se dirigiram até o centro do campo onde realizam os jogos e em forma de roda se
iniciou a sessão acompanhada pelos integrantes da equipe, ao fim um relaxamento para evitar
lesões.

Já na terceira semana dia 30/10, juntos, os alunos foram convidados a participar de


uma palestra sobre meio ambiente, focando a questão da reciclagem. Palestra está que teve o
intuito de conscientizar cada criança sobre a importância de cuidar e proteger o meio
ambiente;

22
- A palestra teve inicio com integrantes da Equipe sujando todo um espaço do projeto,
jogando papel picado, garrafas de plásticos, latinhas, entre outros objetos. Posteriormente as
crianças vendo esta situação começaram a interagir com as equipes participando e tirando
suas dúvidas sobre quanto tempo demora para se decompor vários objetos citados, e o porque
de não jogar lixo em vias publicas e outros lugares.

No dia 06/11 na quarta semana do projeto, a criatividade entrou em ação. O objetivo


era produzir brinquedos com sucata, utilizando-se de garrafas plásticas, bolas de gude, fita e
tesoura sem ponta;

- Depois de separadas e limpas as garrafas, foram entregues a cada criança. Seguindo as


instruções para não se machucarem e seguindo um modelo de brinquedo apresentado pela
equipe, as crianças deram inicio a confecção. Todos os brinquedos feitos ficaram no projeto
para passa tempo das crianças em dias de chuva, pois não podem jogar futebol.

Na sexta-feira segunte dia 13/11, foi a hora de colocar em prática tudo o que se
aprendeu sobre o meio ambiente. Conforme os temas das semanas anteriores, as crianças
foram convidadas a transmitir seu conhecimento sobre meio ambiente e reciclagem em uma
redação. Foram divididas em duas equipes, enquanto uma praticava o futebol, a outra
realizava a atividade. Conclusão, tivemos excelentes textos e nos surpreendemos com os
resultados;

- De maneira que possam trocar informações, as crianças juntas realizaram a atividade, uma
ajudando a outra. Depois de distribuídos as folhas de almaço e lápis preto deram inicio a
redação. Todos realizaram a atividade, os mais novos que ainda não sabiam escrever,
esbanjaram criatividade em desenhos relacionados ao tema.

Dia 20/11, saímos um pouco da questão do meio ambiente, e focamos no lado criativo
dessas crianças. Segundo Aguiar 1993, A criatividade é uma capacidade que pode ser
adquirida e desenvolvida, e sempre deve ser trabalhada. Pensando nisso elaboramos para esta
semana um primeiro passo para confeccionarmos um caixa que ficou como lembrança do
projeto para cada criança. Trabalhamos neste dia com todas as crianças de uma só vez;

- Já prontas as caixas, foram distribuídas a cada criança, junto com uma foto de todos do
projeto impresso em preto e branco para dar um efeito legal. Entregue um pincel para cada
crianças, começaram a passar cola de decopagem sobre a caixa e assim colando a foto em sua

23
superfície. Aguardaram a secagem da cola e nomearam cada caixa para poder guardar para a
finalização na semana seguinte.

Já no dia 27/11 sétima semana do projeto, é hora de colocar a imaginação para fora.
Sobre as caixas com as fotos, as crianças foram liberadas a colorir da maneira que achassem
mais bonito, sem restrições. Trabalhando com todos juntos por conta do fator tempo, foi dado
início a customização das caixas. Conseguimos alcançar o nosso objetivo, que foi de estimular
a criatividade;

- Sobre a mesa coberta com jornal para não danificá-la ou seja-la, devolvemos as caixas para
cada criança e deixamos a disposição várias cores de tintas e um pincel para cada uma. Deram
início a customização, teve criança que preferiu colorir a caixa toda, já algumas optaram
somente por escrever o nome e fazer desenhos pequenos. Ao fim da bagunça, todas as
crianças foram embora e as equipes limparam e guardaram todo o material restante.

Em clima de despedida e tristes por estar chegando ao fim nossa jornada, dia 04/12
penúltima semana do projeto. Neste dia para falar a verdade, não ensinamos algo a eles, e sim
aprendemos. Sem muita experiência em confeccionar pipas, foram as crianças que nos
ajudaram a montar as mesmas. Trabalhamos nesta semana separadamente, enquanto um grupo
jogava o futebol, o outro trabalhava na confecção;

- Foram entregues a cada criança 3 varetas de pipas e linha para a montagem da armação.
Algumas com experiência facilmente montaram a sua, já outras e principalmente as meninas,
aguardavam que o professor e integrantes das equipes montassem a sua pipa. Já com as
armações em mãos, foram distribuídas as folhas coloridas para a escolha, a colagem das pipas
ficou somente por conta dos integrantes da equipe.

No último dia 11/12, como forma de agradecimento e recordação, foi feito um mural
com fotos. Durante as nove semanas, muitas fotos foram tiradas e as melhores selecionadas
para ficar no mural como recordação. Neste dia, ambas as equipes trabalharam juntas na parte
da manhã, das 9 as 10 horas, com todas as crianças.

- Com um quadro de madeira especial para mural, foram fixadas as fotos com papel contact,
trabalho este realizado somente pelos integrantes de ambas equipes. Em seguida o quadro foi
pregado na parede do espaço onde funciona o projeto. Por fim, nos despedimos e
agradecemos de todos e explicamos que outras pessoas poderão realizar este mesmo trabalho
no próximo ano. Com enorme satisfação e emocionados finalizamos este trabalho.
24
6 CONCLUSÕES

6.1 Conclusão geral

Segundo Candau (1995), o exercício da cidadania implica no reconhecimento e formas


pelos quais os direitos são constantemente violados em nossa sociedade. Educar para a
cidadania exige educar a esta para a ação de não ser somente individual, nem individualista.

Conseguimos durante as nove semanas cumprir nosso cronograma, aplicando todas as


atividades da melhor maneira possível. Objetivo foi alcançado, com um excelente empenho
de todos na realização das atividades como jogo do barbante, conhecimento sobre benefícios e
importância dos exercícios de alongamento, dinamismo e aprendizagem na palestra sobre
reciclagem, interesse em confeccionar brinquedo com sucata, criatividades na customização
das caixas, conhecimento aplicado em forma de redação sobre como cuidar e proteger o meio
ambiente, entre outros fatores que completaram nossa satisfação.

Notamos que muitas das crianças necessitam de carinho, afeto e atenção. A união das
atividades e dessa partilha de sentimento entre a equipe e as crianças, fez com que as mesmas
se soltassem e se sentissem melhores, se interessando e participando de tudo aquilo que lhes
foi oferecido.

Não podemos deixar de citar o apoio imenso dos funcionários do projeto “Itabom de
Bola e Escola”, nos auxiliando, participando das atividades junto das crianças e nos ajudando
em nossas necessidades de saber como lidar da melhor maneira possível com essas pessoas
inocentes. Agradecemos ao RH da Itabom que esteve sempre presente providenciando o
material necessário para a execução das atividades. E também a nosso Prof. Ms. Jose Rafael
Mazzoni, pela orientação do nosso trabalho.

Por fim, nosso muito obrigado a todos.

25
6.2 Conclusão por área

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

De uma maneira simples, mas completa, a Biologia - Ciências Biológicas - versou


sobre a questão ambiental, focalizando as necessidades de mudanças de pensamento e, por
consequência, atitudes. A Biologia mostrou às crianças que com pequenas atitudes em seu
cotidiano pode-se melhorar a qualidade de vida e contribuir para a evolução consciente da
comunidade no que diz respeito ao desenvolvimento sustentável. O trabalho procurou
desenvolver as principais temáticas relacionadas ao meio ambiente, como a reciclagem,
através de uma palestra voltada à definição de meio ambiente e sua importância e a confecção
de um brinquedo feito à base de material retornável.

Então, pode-se dizer que, ao término deste trabalho, os efeitos almejados foram
plenamente alcançados, conclui-se isso pelos resultados observados: a mudança de atitude dos
participantes ante uma postura ambiental consciente. É satisfatório ver que as crianças
aprenderam a importância da reciclagem, jogando cada espécie de lixo em seu respectivo
lugar e que a Biologia mostrou ser uma Ciência que pode, e deve, ser aplicada à realidade de
qualquer comunidade.

CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

Ciência da computação atuou nos bastidores desse trabalho, mas esteve presente a
cada passo.
Usamos a internet para manter a comunicação quase que diária com a universidade e
os integrantes do grupo. Fizemos pesquisas para elaboração de nosso trabalho e das atividades
a serem realizadas. Com as mais diversas ferramentas fizemos a parte escrita, o preparamos
banner, editamos fotos e elaboramos nosso jornalzinho.
Sabendo usar a tecnologia a nosso fazer temos uma ferramenta incrível para exercer
cidadania.

FISIOTERAPIA

A fisioterapia atuou e teve muita importância como complemento deste projeto. Os


resultados relacionados à área foram os melhores e esperados. O projeto tem como objetivo
26
aplicar o futebol as crianças, evitando que as mesmas entrem para o mundo da marginalidade.
O papel da fisioterapia foi de explicar e apresentar da melhor maneira possível a importância
dos exercícios de alongamento principalmente antes da prática do esporte. De maneira
simples e objetiva, foi apresentado todo o porquê de se fazer alongamentos, com o intuito de
prevenir lesões e aumentar a elasticidade de cada criança antes do futebol.

Foram selecionadas as seqüências mais importantes, e apresentadas qual a sua maneira


correta de execução. Não basta somente fazer os alongamentos, para que eles tenham efeito é
necessário sua aplicação de maneira correta, por isso nos preocupamos em mostrar qual a
postura correta e o tempo necessário para cada exercício. Resultado, fácil entendimento por
parte de todos. Finalizo satisfeito com trabalho realizado e por proporcionar uma melhor
qualidade de vida a todas as crianças envolvidas no projeto.

JORNALISMO

O trabalho social que foi desenvolvido no Projeto Itabom de Bola, é de extrema


importância para a área da Comunicação, sobretudo o Jornalismo, onde se adquiri vivencia de
repertorio para lutar em prol das injustiças, miséria, violência e desigualdade social, esta, que
não só aparece de forma explicita nas páginas dos jornais, como é realidade em todo lugar.

Desde o primeiro encontro com as crianças, sente-se que a carência é,algo que habita
em cada uma delas: pais separados, muitos irmãos, violência familiar, e muitas historias para
contar, daí se inicia o contato comunicativo, onde ela se apega a sue jeito, passar a ver como
amigo protetor. De ‘Dona’, começa a chamar de tia, ou pelo próprio nome- está ai a
intimidade e a identificação com a pessoa. Isso é gratificante.

Conquistar corações e mentes, fazer do cidadão um formador de opinião, suas as funções do


jornalista e a pratica da responsabilidade social nada mais é do que um enorme complemento
para a construção de um mundo melhor.

LETRAS

Segundo Dalmo Dallari, “cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa


a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quem não tem

27
cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando
numa posição de inferioridade dentro do grupo social”.
Um professor de Letras tem como função primordial ensinar aos alunos as regras e
normas da língua culta, para que o individuo tenha a capacidade de se relacionar formal ou
informalmente com outras pessoas, e a partir de então conhecer seus direitos e deveres de
cidadão. Também é função do educador ensinar aos alunos regras da vida e da sociedade, por
isso foi extremamente gratificante para os dois integrantes do grupo que cursam Letras poder
fazer parte do projeto e colocar em prática o que já fora citado acima.

Durante as nove semanas de projeto realizado no Itabom de Bola e Escola, sentimos


na pele o que é ensinar cidadania, ser solidário e o mais importante, o que é ser uma
verdadeiro cidadão, e passar para as crianças um pouco do que aprendemos com as aulas de
Programas de Cidadania.

28
6.3 Conclusões Individuais

“Durante as nove semanas em que desenvolvemos as atividades do Projeto Itabom de


Bola, pude notar a alegria das crianças cada vez que chegávamos ao local, vinham ao nosso
encontro, perguntavam por cada integrante. Isso demonstra o carinho que tiveram por nós,
que espontaneamente fomos nos aproximando e conquistando espaço no coração deles.
Assim, quebramos a barreira da inclusão x exclusão numa sociedade onde o ter é mais
importante que o ser, e automaticamente as crianças se sentiram uteis no papel de pequenos
cidadãos.
É gratificante para o meu curso de jornalismo, onde se preza os meios de lidar com a
comunicação e o publico, pegando exemplos sociais, culturais para conquistar corações e
mentes.”
Camila Fernandes

“Essas atividades realizadas nas nove semanas no Projeto “Itabom de Bola e Escola”,
me proporcionou um avanço muito significativo tanto no meu lado acadêmico/profissional
quanto como cidadã.

Ao longo dessa caminhada ouve uma transformação em mim. Quando comecei a fazer
o trabalho junto ao meu grupo, nos primeiros dias, trabalho escrito e até mesmo nas primeiras
semanas de atividade prática eu era simplesmente uma aluna da faculdade fazendo um
trabalho acadêmico. No decorrer das atividades fui conhecendo melhor as crianças e entre
uma atividade e outra pude perceber que um laço, um vincula afetivo estava crescendo entre
eu e as crianças. Ficava muito comovida e feliz ao ver o rostinho daquelas crianças
desenvolvendo as atividade, as fisionomias delas mostravam um sentimento interno de
felicidade e até mesmo de curiosidade e ansiedade para ver o resultado final daquela
atividade, nesse tempo, elas já sabiam o meu nome e eu também já sabia o nome de quase
todas as crianças. E agora ao final dessa caminhada termino esse Projeto não mais sendo
simplesmente uma aluna da universidade mas sim sendo um ser humano que realizou um
trabalho social.
Esse trabalho foi muito importante e gratificante, e fico muito feliz em saber que fiz
algo por aquelas crianças, que passei um conhecimento a mais para elas. O sentimento dentro
de mim é enorme que nem sei como descrever, mas tenho certeza de uma coisa valeu a pena.”

Cristiane Elaine Machado


29
“Com a realização deste projeto, o que mais me agradou foi ver nas crianças uma nova
mentalidade nascendo. Pode-se dizer que a gênese de uma consciência cidadã e crítica em
cada uma delas é o maior indicador do potencial que trabalhos como este possui.

É evidente que no desenvolvimento desse trabalho, muito mais do que a área


acadêmica, em termos genéricos, o caráter foi estimulado e desenvolvido juntamente com
valores sociais e humanos.

Pode-se ressaltar que com atitudes e gestos inicialmente pequenos pode-se mudar a
mentalidade de pessoas, mesmo que paulatinamente, gerando assim indivíduos pensantes e
atuantes no meio os quais pertencem.”

Davi dos Santos Minutti

“A realização do projeto “A arte de ensinar com cidadania” realizada no Itabom de


Bola e Escola foi de grande relevância para o meu aprendizado e muito prazeroso.
Trabalhamos em uma equipe multidisciplinar e que não conhecia alguns participantes, o que é
de grande valia para a vida profissional e pessoal. Reconheci a dedicação e o quanto
gratificante foi a realização das atividades para cada integrante do grupo que realizou as
atividades decorrentes das nove semanas de trabalho.
Foi muito bom trabalhar com os profissionais que atuam diariamente no Itabom de
Bola e Escola, estiveram sempre prestativos e amigáveis conosco, apoiaram e incentivaram o
projeto desde o início e mostraram grande competência nas atividades que realizam
diariamente.
Conheci o afeto e percebi a empolgação das crianças a cada semana que estivemos
presentes. Aprendi mais com cada uma das crianças que fazem parte do projeto, além de
reconhecer a conscientização e criatividade que cada uma delas contém e obtiveram com as
atividades realizadas nessas semanas de trabalho. Foi muito gratificante tudo que foi
realizado, aprendi muito com essas nove semanas de trabalho e foi acima do que esperava no
início da aula de “Sociologia da Responsabilidade Social”, realmente foi muito marcante.”

Guilherme Colovati Canela

“Desde a parte teórica, até a parte prática, tudo foi muito prazeroso. Conseguimos
alcançar nosso objetivo, que foi a compreensão das crianças sobre o que é cidadania. Através
de atividades lúdicas, pudemos da melhor maneira possível transmitir esta mensagem. A cada
30
semana um sorriso novo, a conquista de uma nova criança, fomos ganhando espaço entre eles
e o mais importante sua confiança, facilitando mais ainda essa interação.

O fato de estarmos invadindo um tempo que era reservado somente para o futebol,
algo que os faz estar presente no projeto, nos preocupava com a rejeição das crianças perante
as atividades oferecidas, porém as mesmas provaram que isso não estava sendo um incomodo,
mostrando-se a cada semana mais participativas e interessadas.

Ouvi-las nos chamando por “tio” e “tia”, me emocionou, pois é sinal de um


relacionamento mais próximo que conseguimos junto deles, através das atividades aplicadas.
O trabalho realizado no Projeto “Itabom de Bola e Escola” chegou ao fim, encerramos nossas
atividades com uma certeza, a certeza de que não só ensinamos algo a eles, mas também
aprendemos e muito com cada uma das crianças presentes durante a execução deste trabalho.”

Murilo Vitor Spirandelli

“Para mim foi plenamente satisfatório adentrar em um Projeto tão bonito, cuja
preocupação inicial de cada integrante era “jogar futebol”, mas quando ficaram sabendo que
havia um grupo de universitários que os visitariam durante varias sextas feiras, mudaram o
interesse principal, ou melhor, nos acolheram e aceitaram alternar futebol com outras
atividades que com certeza os acrescentaram muito, pois de acordo com Pereira, (2005)
atividades artísticas manuais, como pintura, modelagem, jardinagem, possibilitam às crianças
conectarem-se ao mundo e a si mesmas. Ao construírem com suas próprias mãos, elas ativam
seus potenciais e incorporam alguns valores essenciais à vida.

Refletindo sobre o trecho de Pereira e assimilando com a realidade vivenciada no


Projeto, pude perceber que criança sente necessiade de pegar, sentir, tocar ou até mesmo
quebrar, para qua ela mesma possa tirar suas próprias conlusões e aprender para que assim
não o repita, se for o caso.

Esse trabalho foi como um feedback, pois minha parte infantil veio à tona novamente,
me mostrando o quão importante é ser criança; acredito que trabalhar cidadania com aquelas
crianças foi muito além, pois deixamos o aprendizado de serem pessoas melhores, e deixamos
neles a lembrança do que é bom, do que é ser um verdadeiro cidadão e de como exercer a
verdadeira cidadania.

31
Finalizo meu depoimento com agradecimentos profundos e sinceros ao Professor
Rafael, que me permitiu doar um pouco de aprendizagem e alegria aos pequeninos que um dia
poderão passar isso adiante, à toda equipe da Itabom que nos acolheram e possibiitaram a
realização do projeto, ás crianças que me fizeram retornar a minha infância e perceber a
importancia de ser cidadão, aos funcionários do Itabom de Bola por nos acolher e fazer das
minhas sextas feiras as melhores desse ano, e finalmente aos meus colegas de grupo com
quem aprendi a respeitar os limites de cada um, e admirá- los ainda mais.”

Roseane Palomo de Souza

“Esse projeto começou com uma diciplina do meu curso e acabou se tornando uma das
melhores liçoes de vida. Foi gratificante ver que com um pouco de atenção e carinho é muito
facil tocar as crianças que nada mais são do que o futuro de nossa nação.

Alem de tudo, pude me conhecer melhor, fazer coisas que nunca imaginei que
conseguiria ou que sentiria prazer. Ensinar arte foi mais um aprendizado, com cidadania foi
uma descoberta.”

Willians Guadagnucci

32
7 ANEXOS

7.1 CRONOGRAMA

Equipe A : Cristiane, Davi e Willians.

Equipe B : Camila, Guilherme, Roseane e Murilo.

DATA HORÁRIO ATIVIDADE ESTRATÉGIA EQUIPE

Quinta-feira 9h às 10h Socialização, Jogo do barbante –


conhecendo as apresentação e jogo
15/10 Equipe A
crianças. de perguntas.

Quinta-feira 14h às 15h Socialização, Jogo do barbante –


conhecendo as apresentação e jogo
15/10 Equipe B
crianças. de perguntas.

Quinta-feira 9h às 10h Momento Saúde: Exercícios de


aprendizagem sobre Alongamento e
22/10
a importância dos momento de
exercícios de descontração com Equipe A
alongamento. Dança.

Quinta-feira 14h às 15h Momento Saúde: Exercícios de


aprendizagem sobre Alongamento e
22/10
a importância dos momento de
exercícios de descontração com Equipe B
alongamento. Dança.

Quinta-feira 9h às 10h Meio Ambiente: Palestra dinâmica


conscientização da focando a questão de
29/10
importância da reciclagem e o que
preservação podemos produzir Equipe A
ambiental com a sucata.

Quinta-feira 14h às 15h Meio Ambiente: Palestra dinâmica Equipe B


conscientização da focando a questão de

33
29/10 importância da reciclagem e o que
preservação podemos produzir
ambiental com a sucata.

Quinta-feira 9h às 10h 1-Meu lado Criativo : Confecção de um


estimular o brinquedo com o uso
05/11 Equipe A.
desenvolvimento do de material reciclado.
potencial criativo e
novas descobertas.

Quinta-feira 14h às 15h 1-Meu lado Criativo : Confecção de um


estimular o brinquedo com o uso
05/11 Equipe B
desenvolvimento do de material reciclado.
potencial criativo e
novas descobertas.

Quinta-feira 9h às 10h Oficina de Redação: Relatório sobre o que


estimular o uso aprendeu e gostou.
12/11 Equipe A
correto da língua (a melhor redação vai
portuguesa e os para o mini-jornal)
estudos.

Quinta-feira 14h às 15h Oficina de Redação: Relatório sobre o que


estimular o uso aprendeu e gostou.
12/11 Equipe B
correto da língua (a melhor redação vai
portuguesa e os para o mini-jornal)
estudos.

Quinta-feira 9h às 10h Meu lado Jornalista: Aprender entrevistar.


o interesse por ler, Cada criança
19/11 Equipe A
escrever e fotografar. entrevista um amigo.

Quinta-feira 14h às 15h Meu lado Jornalista: Aprender entrevistar.


o interesse por ler, Cada criança
19/11 Equipe B
escrever e fotografar. entrevista um amigo.

34
Quinta-feira 9h às 10h 2-Meu lado Criativo : Elaboração de uma
estimular o caixa personalizada
26/11 Equipe A
desenvolvimento do com imagens em
potencial criativo e preto/branco, da
novas descobertas. própria criança
desenvolvendo suas
atividades no projeto.

Quinta-feira 14h às 15h 2-Meu lado Criativo : Elaboração de uma


estimular o caixa personalizada
26/11
desenvolvimento do com imagens em
potencial criativo e preto/branco, da Equipe B
novas descobertas. própria criança
desenvolvendo suas
atividades no projeto.

Quinta-feira 9h às 10h 3-Meu lado Criativo : Desenvolver a pipa


estimular o mais criativa em
05/12 Equipe A
desenvolvimento do formato, tamanho e
potencial criativo e cor.
novas descobertas.

Quinta-feira 14h às 15h 3-Meu lado Criativo : Desenvolver a pipa


estimular o mais criativa em
05/12 Equipe B
desenvolvimento do formato, tamanho e
potencial criativo e cor.
novas descobertas.

Quinta-feira 9h às 10h Finalização do Montagem mural de


trabalho fotos e entrega do
12/12 Equipe A
mini-jornal

Quinta-feira 14h às 15h Finalização do Montagem mural de


trabalho fotos e entrega do
12/12 Equipe B.
mini-jornal.

35
7.2 ORÇAMENTO

MATERIAL VALOR COMPRA / DOAÇÃO

Papelaria ( tinta, pincel, R$ 249,16 Doação


lápis, folha de almaço, folha Itabom
de ceda, linha, cola, varetas,
barbante, bolas de gude, fita ,
etc )

Revelação de fotos ( mural ) R$ 16,25 Doação


Itabom

Caixas de madeira R$ 355,10 Doação


Souza

TOTAL....................................................RS 620,51

36
7.3 GALERIA DE FOTOS

Fig 1 Socialização com Brincadeira do bartante

Fig 2 Willians e Davi aplicando os exercícios de alongamento


37
Fig 3 Davi e Willians na Palestra sobre reciclagem

Fig 4 Cristiane confeccionando brinquedo com sucata


38
Fig 5 Criando a redação sobre meio ambiente

Fig 6 Cristiane e Davi na colagem das fotos nas caixas de madeira

39
Fig 7 Pintura nas caixas de madeira

Fig 8 Roseane na confecção de pipas


40
Fig 9 Equipe “A Arte de Ensinar com Cidadania” : Roseane, Guilherme, Willians,
Cristiane, Murilo, Camila e Davi.

41
8 TABELA DAS HORAS TRABALHADAS

Horas trabalhadas por participação individual

NOME DO ALUNO CURSO HORAS DESENVOLVIDAS

NO PROJETO

Camila Fernandes Jornalismo 9 horas

Cristiane E. Machado Letras 9 horas

Davi dos S. Minutti Ciências Biológicas 9 horas

Guilherme C. Canela Ciências Biológicas 9 horas

Murilo V. Spirandelli Fisioterapia 9 horas

Roseane P. de Souza Letras 9 horas

Willians Guadagnucci Ciências da 9 horas


Computação

Horas trabalhadas por participação em grupo (somar os cursos acima)

NOME DO CURSO HORAS DESENVOLVIDAS NO PROJETO

Ciências Biológicas 18 HORAS

Ciências da Computação 9 HORAS

Fisioterapia 9 HORAS

Jornalismo 9 HORAS

Letras 18 HORAS

42