Вы находитесь на странице: 1из 9
Malu Aragã0 – Direito Constitucional Teoria e Exercícios - CESPE TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO

Malu Aragã0 Direito Constitucional

Teoria e Exercícios - CESPE

TÍTULO III

DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO

CAPÍTULO I

DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA

Art. 18. A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos termos desta Constituição.

§ 1º Brasília é a Capital Federal.

§ 2º Os Territórios Federais integram a União, sua criação, transformação em Estado ou reintegração ao Estado de origem serão reguladas em lei complementar.

§ 3º Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos Estados ou Territórios Federais, mediante aprovação da população diretamente interessada através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar.

Jurisprudência relacionada ao tema:

EMENTA. (…). A expressão “população diretamente interessada” constante do § 3º do art. 18 da CF (“Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos Estados ou Territórios Federais, mediante aprovação da população diretamente interessada, através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar”) deve ser entendida como a população tanto da área desmembrada do Estado-membro como a da área remanescente. ( (ADI 2650/DF, rel. Min. Dias Toffoli, 24.8.2011).

§ 4º A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de Municípios far-se-ão por lei estadual, dentro do período determinado por lei complementar federal, e dependerão de consulta prévia, mediante plebiscito, às populações dos Municípios envolvidos, após divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal, apresentados e publicados na forma da lei. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 15, de 1996).

1

Eu Vou Passar e você?

EXERCÍCIOS: 01. (CESPE - 2012 – Inspetor da Polícia Civil/CE) Por serem simples descentralizações administrativas

EXERCÍCIOS:

01. (CESPE - 2012 Inspetor da Polícia Civil/CE) Por serem simples descentralizações administrativas da

União, os territórios não têm autonomia política, podendo ser criados por lei ordinária federal.

02. (CESPE - 2012 - ANATEL - técnico Administrativo) Os territórios, assim como o Distrito Federal,

podem ser divididos em municípios.

03. (CESPE - 2012 - STJ - Técnico Judiciário - Telecomunicações e Eletricidade) Com o advento da

Constituição de 1988, Brasília deixou de ser a capital da República em favor do Distrito Federal, que

passou a ter esse status.

04. (CESPE - 2012 - FNDE - Especialista em Financiamento e Execução de Programas e Projetos

Educacionais) O desmembramento de parte de um estado da Federação para a formação de um novo estado deve ser autorizado por meio de lei complementar, após a manifestação favorável, em plebiscito, da população diretamente interessada, assim entendida pelo STF como a população do território que se pretende desmembrar.

05. (CESPE - 2012 - TJ-RO - técnico Judiciário) O Congresso Nacional vincula-se a pronunciamento

plebiscitário quanto a transformação dos estados por incorporação entre si, por subdivisão ou desmembramento, quer para se anexarem a outros, quer para formarem novos estados ou territórios federais.

06. (CESPE - 2012 - TJ-RO - Técnico Judiciário) A União Federal, pessoa jurídica de direito público com

capacidade política, pode manifestar-se em nome próprio, mas não em nome da federação.

07. (CESPE - 2012 - ANATAEL - Analista Administrativo) A cidade de Brasília é a capital federal, sendo

vedada pela Constituição Federal a transferência da sede do governo federal para outra cidade.

08. (CESPE - 2012 - MPE-RR - Promotor de Justiça) Eventuais territórios federais que vierem a ser criados

não poderão dispor de órgãos judiciários nem de MP próprios, independentemente do número de eleitores e de habitantes neles existentes.

2

Eu Vou Passar e você?

09. (CESPE - 2012 - MPE-TO - Promotor de Justiça) A República Federativa do Brasil

09. (CESPE - 2012 - MPE-TO - Promotor de Justiça) A República Federativa do Brasil se organiza político-

administrativamente pela congregação das comunidades regionais: estados, DF e municípios, todos autônomos entre si.

10. (CESPE - 2012 - TJ-AL - Nível Superior) Apesar de terem natureza autárquica, os territórios federais

não constituem exemplo de descentralização administrativo- territorial da União.

11. (CESPE - 2012 - TJ-AL - Nível Superior) A autonomia municipal funda-se na capacidade de auto-

organização, autogoverno, auto-administração e capacidade normativa própria, de acordo com a

Constituição Federal de 1988.

12. (CESPE - 2013 - DEPEN - Especialista) Os estados podem incorporar-se entre si, subdividir- se ou

desmembrar- se para se anexarem a outros, ou formarem novos estados ou territórios federais, mediante aprovação da população diretamente interessada, por meio de plebiscito, ficando dispensada a atuação do Congresso Nacional.

13. (CESPE - 2013 - TCE-RO - Agente Administrativo) Brasília está localizada no Distrito Federal, mas não

se confunde com ele. A capital federal não possui autonomia. De acordo com a CF, a autonomia é uma

característica do Distrito Federal, dos municípios, dos estados-membros e da União.

14. (CESPE - 2013 - PRF - Policial Rodoviário Federal) O Distrito Federal (DF) é ente federativo autônomo,

pois possui capacidade de auto-organização, autogoverno e autoadministração, sendo vedado

subdividi-lo em municípios.

15. (CESPE - 2013 - CPRM - Analista em Geociências - Direito) O Brasil adotou a forma republicana de

governo e o modelo federativo de Estado que se embasa na autonomia e na soberania dos estados-

membros, expressa pela capacidade destes de se auto-organizarem por meio das constituições estaduais.

16. (CESPE - 2013 - MS - Analista Técnico - Administrativo) A divisão político-administrativa interna da

Federação brasileira é imutável.

3

Eu Vou Passar e você?

17. (CESPE - 2013 - TJ-DF - Técnico Judiciário - Área Administrativa) Mesmo não sendo

17. (CESPE - 2013 - TJ-DF - Técnico Judiciário - Área Administrativa) Mesmo não sendo estado nem

município, o Distrito Federal (DF) possui autonomia, parcialmente tutelada pela União.

18. (CESPE - 2013 - TRT - 10ª Região (DF e TO) - Técnico Judiciário - Administrativo) Os municípios e os

estados-membros da Federação brasileira são dotados de personalidade de direito internacional.

19. (CESPE - 2013 - TRF - 2ª Região - Juiz Federal) A possibilidade de um estado se incorporar a outro,

subdividir- se ou desmembrar-se para se anexar a outro, ou formar novo estado, depende de aprovação da população diretamente interessada, mediante referendo, e das assembleias legislativas envolvidas, mediante a edição de leis complementares.

20. (CESPE - 2013 - TRF - 2ª Região - Juiz Federal) Os territórios federais, na hipótese de virem a ser

criados, não disporão de representação no Senado Federal nem na Câmara dos Deputados, pois, como autarquias territoriais da União, eles não serão detentores de personalidade jurídica nem de autonomia política.

21. (CESPE - 2013 - TRT - 8ª Região (PA e AP) - Analista Judiciário - Área Administrativa) Os municípios, em simetria com os estados, possuem governos próprios autônomos e desempenham as funções dos Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo.

22. (CESPE - 2014 - MDIC - Analista Técnico - Administrativo) A União, entre cujos fundamentos se inclui a

soberania, é formada pelos estados, pelos municípios e pelo Distrito Federal.

23. (CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista Legislativo - Consultor Legislativo) O federalismo no

Brasil é caracterizado como federalismo por agregação, tendo surgido a partir da proclamação da

República e se consolidado por meio da Constituição de 1891.

24. (CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista Legislativo - Consultor Legislativo) No federalismo

orgânico, há uma presença marcante do ente federal, em detrimento das unidades federadas.

25. (CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista Legislativo - Consultor Legislativo) Entre as características comuns do Estado Federal incluem-se a representação das unidades federativas no

4

Eu Vou Passar e você?

poder legislativo central, a existência de um tribunal constitucional e a intervenção para a manutenção

poder legislativo central, a existência de um tribunal constitucional e a intervenção para a manutenção da federação.

26. (CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista Legislativo - Consultor Legislativo) Se o legislador

constituinte de determinado estado da Federação pretender alterar a Constituição estadual para redefinir os limites territoriais do município ALFA, desmembrando-o e incorporando parte de sua área à do município limítrofe DELTA, será dispensável a prévia consulta, mediante plebiscito, às populações de

ambos os municípios.

27. (CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista Legislativo - Consultor Legislativo) O município,

como entidade político-administrativa de terceiro grau, na ordem descendente do sistema federal brasileiro, é entidade intraestatal rígida, tal qual a União e o estado-membro.

28. (CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista Legislativo - Consultor Legislativo) Até 1946 a

autonomia municipal foi apenas nominal, uma vez que, apesar de inscrita nos textos constitucionais,

passou a ser exercida de fato e de direito apenas com a edição da Constituição de 1946.

Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

I estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;

II recusar fé aos documentos públicos;

III criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.

EXERCÍCIO:

29. (CESPE - 2012 - STJ - Técnico Judiciário - Telecomunicações e Eletricidade) É permitido à União, aos

estados, ao Distrito Federal e aos municípios estabelecer cultos religiosos e igrejas, subvencioná-los e

manter com essas entidades religiosas relações de aliança e colaboração, desde que respeitada a liberdade de consciência e crença.

5

Eu Vou Passar e você?

30. (CESPE - 2013 - PC-BA - Investigador de Polícia) Recusar fé aos documentos públicos

30. (CESPE - 2013 - PC-BA - Investigador de Polícia) Recusar fé aos documentos públicos inclui-se entre as

vedações constitucionais de natureza federativa.

31. (CESPE - 2013 - MS - - Analista Técnico - Administrativo) Pelo princípio da isonomia federativa, é

vedado à União, aos estados-membros, ao Distrito Federal (DF) e aos municípios criar distinções entre

os brasileiros, bem como criar preferências entre si.

Art. 20. São bens da União:

CAPITULO II

DA UNIÃO

I os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a ser atribuídos;

II as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras, das fortificações e construções militares, das vias federais de comunicação e à preservação ambiental, definidas em lei;

III - os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seu domínio ou que banhem mais de um

Estado, sirvam de limites com outros países, ou se estendam a território estrangeiro ou dele provenham, bem como os terrenos marginais e as praias fluviais;

IV as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limítrofes com outros países; as praias marítimas; as ilhas

oceânicas e as costeiras, excluídas, destas, as que contenham a sede de Municípios, exceto aquelas áreas afetadas ao serviço público e a unidade ambiental federal, e as referidas no artigo 26, II; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 46, de 2005).

V os recursos naturais da plataforma continental e da zona econômica exclusiva;

VI o mar territorial;

VII os terrenos de marinha e seus acrescidos;

VIII os potenciais de energia hidráulica;

IX os recursos minerais inclusive os do subsolo;

X as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos e pré-históricos;

XI as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios.

6

Eu Vou Passar e você?

§ 1º E assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao Distrito Federal e aos

§ 1º E assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, bem como a

órgãos da administração direta da União, participação no resultado da exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de outros recursos minerais no respectivo território, plataforma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou compensação financeira por essa exploração.

§ 2º A faixa de até cento e cinquenta quilômetros de largura, ao longo das fronteiras terrestres,

designada como faixa de fronteira, é considerada fundamental para defesa do território nacional, e sua

ocupação e utilização serão reguladas em lei.

Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados;

l as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emergentes e em depósito, ressalvadas, neste caso, na forma da lei, as decorrentes de obras da União;

II as áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras, que estiverem no seu domínio, excluídas aquelas sob domínio da União, Municípios ou terceiros;

III as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à União;

IV as terras devolutas não compreendidas entre as da União.

Jurisprudência relacionada ao tema:

Súmula nº 650 do STF - Os incisos I e XI do art. 20 da CF não alcançam terras de aldeamentos extintos, ainda que ocupadas por indígenas em passado remoto.

EMENTA: AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. INCISO X DO ART. 7º DA CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. BENS DO ESTADO. TERRAS DOS EXTINTOS ALDEAMENTOS INDÍGENAS. VIOLAÇÃO DOS ARTS. 20, I E XI, 22, CAPUT E INCISO I, E 231 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. INTERPRETAÇÃO CONFORME. EXTINÇÃO OCORRIDA ANTES DO ADVENTO DA CONSTITUIÇÃO DE 1891. ADI JULGADA PARCIALMENTE PROCEDENTE. I - A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, por diversas vezes, reconheceu que as terras dos aldeamentos indígenas que se extinguiram antes da Constituição de 1891, por haverem perdido o caráter de bens destinados a uso especial, passaram à categoria de terras devolutas. II - Uma vez reconhecidos como terras devolutas, por força do artigo 64 da Constituição de 1891, os aldeamentos extintos transferiram-se ao domínio dos Estados. III ADI julgada procedente em parte, para conferir interpretação conforme à Constituição ao dispositivo impugnado, a fim de que a sua aplicação fique adstrita aos aldeamentos indígenas extintos antes da

7

Eu Vou Passar e você?

edição da primeira Constituição Republicana. (STF ADI 255/RS - Rel. Min. Ilmar Galvão, Pleno, DJ

edição da primeira Constituição Republicana. (STF ADI 255/RS - Rel. Min. Ilmar Galvão, Pleno, DJ

24.05.2011).

EXERCÍCIOS:

32. (CESPE - 2012 - TJ-PI - Juiz) O patrimônio da União é formado por bens indicados exemplificativamente na CF, incluídas todas as ilhas fluviais e lacustres em zonas limítrofes com outros países, praias marítimas e ilhas oceânicas e costeiras.

33. (CESPE - 2013 - MPU - Técnico Administrativo) Entre os bens da União incluem-se as ilhas fluviais e

lacustres nas zonas limítrofes com outros países, as praias marítimas, as ilhas oceânicas e as costeiras,

excluídas dessas últimas as que estiverem no domínio dos estados-membros.

34. (CESPE - 2013 - TJ-ES - Titular de Serviços de Notas e de Registros - Provimento) Incluem-se entre os

bens dos estados todas as ilhas fluviais e lacustres existentes em seu território ou em zonas limítrofes com outros países.

35. (CESPE - 2013 - TRF - 5ª Região - Juiz Federal) De acordo com a jurisprudência do STF, não são bens

da União as terras onde se localizavam os aldeamentos indígenas extintos antes da Constituição de

1891, de domínio dos estados-membros.

36. (CESPE - 2013 - TRF - 2ª Região - Juiz Federal) Os órgãos da administração direta da União, tanto

quanto os estados, o DF e os municípios, têm assegurado o direito de, nos termos da lei, participar no resultado da exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de outros recursos minerais em seus respectivos territórios, plataforma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou compensação financeira por essa exploração.

37. (CESPE - 2013 - TRE-MS - Técnico Judiciário - Área Administrativa) As terras tradicionalmente

ocupadas pelos índios pertencem aos estados nas quais se situam.

38. (CESPE - 2014 - TJ-CE - Técnico Judiciário - Área Judiciária) Assinale a opção correta no que se refere à

organização político- administrativa.

a) São bens dos estados-membros os recursos minerais, inclusive os do subsolo, localizados em seus respectivos territórios.

8

Eu Vou Passar e você?

b) Com o advento da CF ficou proibida a criação de novos territórios federais. c)

b) Com o advento da CF ficou proibida a criação de novos territórios federais.

c) São bens dos municípios os sítios arqueológicos localizado sem seus territórios.

d) A criação de conselhos de contas municipais depende de autorização legal específica.

e) Segundo a CF, a faixa de até cento e cinquenta quilômetros de largura, ao longo das fronteiras

terrestres, é considerada essencial para a defesa do território nacional.

9

Eu Vou Passar e você?