You are on page 1of 4
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA

Disciplina: HA728: Indivíduo e Sociedade: Biografias, trajetórias e histórias de vida Semestre: 2 o sem / 2014 Curso: Mestrado / Doutorado em Antropologia Social, Mestrado / Doutorado em Sociologia Professores: Paulo Guérios e Simone Meucci

Esta disciplina propõe uma reflexão acerca do modo pelo qual biografias, autobiografias, histórias de vida e trajetórias vêm sendo tratadas como objetos e como metodologia nas Ciências Sociais nas últimas três décadas. Ela privilegiará o estudo da inscrição de discursos biográficos e trajetórias nos diferentes ambientes sociais. Buscará tratar dos modos pelos quais a situação social do ator lhe fornece um eixo para a percepção e a produção de si em um determinado contexto – e, reciprocamente, de como estes textos e trajetórias nos informam acerca do mundo social vivido pelos seus protagonistas. As sessões tratarão dos debates conceituais sobre o assunto, da leitura de artigos etnográficos e de monografias que se debruçam sobre esta problemática, e dos aspectos metodológicos da produção de entrevistas e do uso de materiais documentais.

INTRODUÇÃO

1 a Sessão: Apresentação do programa

2 a Sessão: Histórias de vida nas ciências sociais Becker, H. – 1993 – “História de Vida e o Mosaico Científico”, in

_____.

Métodos de

Pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Hucitec, pp. 101-115. Guérios, P. R. – 2011 – “O estudo de trajetórias de vida nas Ciências Sociais: trabalhando com as diferenças de escalas”, in Campos, 12(1), pp.9-29. Queiroz, M.I. – 1986 – “Relatos orais: do “indizível” ao “dizível”, in Ciência e Cultura, 39, pp:272-286. Santos, H. – 2014 – “Narrativas e pesquisa biográfica na sociologia brasileira. Revisão e perspectivas”, in Civitas, 14(2), pp. 359-382.

PARTE I. LINHAGENS TEÓRICO-METODOLÓGICAS

3 a Sessão: Usos da biografia Bertaux, D. 1999 [1980]. “El enfoque biográfico: su validez metodológica, sus potencialidades”. Proposiciones, 29, marzo, p. 1-23. Fabre, D. et al. – 2010 – “Jeu et enjeu ethnographiques de la biographie”, in L'Homme, n° 195-196, pp. 7-20. Levi, G – 1989 –“Les usages de la biographie”. In: Annales. Économies, Sociétés, Civilisations, 44(6), pp. 1325-1336.

Peneff, J. – 1994 – “Les grandes tendances de l'usage des biographies dans la sociologie française”. In: Politix, Vol. 7, N°27, pp. 25-31.

4 a Sessão: Autobiografias Beaujour, M. – 1977 – “Autobiographie et autoportrait”, in Poétique. Revue de théorie et d´analyse littéraires, 32, pp. 442-458. Crapanzano, V. – 1980 – Tuhami. Portrait of a moroccan. Chicago: Un. Of Chicago Press. Lejeune, P. – 2008 – O pacto autobiográfico. De Rousseau à internet. Belo Horizonte:

Editora da UFMG. Piña, C. – 1991 – “Sobre la Naturaleza del discurso autobiográfico”, in Anuário Antropológico 88, pp. 95-126. Leituras complementares:

Fabre D. – 2002 – “Vivre, écrire, archiver”, in Sociétés & Représentations, n° 13 (1), pp.

17-42.

Poliak, C. – 2002 – “Manières profanes de « parler de soi »”, in Genèses, n o 47, pp. 4-20.

5 a Sessão: Trajetórias: um debate Bourdieu P. – 1986 – “L'illusion biographique”. In: Actes de la recherche en sciences sociales, Vol. 62-63, pp. 69-72. Damamme D. – 1994 – “Grandes illusions et récits de vie”. In: Politix, Vol. 7, N°27, pp.

183-188.

Heinich N. – 2010 – “Pour en finir avec l' "illusion biographique"”, in L'Homme, n° 195- 196, pp. 421-430. Passeron J-C – 1990 – “Biographies, flux, itinéraires, trajectoires”. In: Revue française de sociologie, 31(1), pp. 3-22.

6 a Sessão: Micro-história Bensa, Alban. [1996] 1998. “Da micro-história a uma antropologia crítica.” In Revel,

Jacques (org.) Jogos de Escalas: A experiência da micro-análise. Rio de Janeiro: FGV. Pp. 39-76.

– 1990 – “Sinais: raízes de um paradigma indiciário”, in:

Mitos, emblemas,

_____. sinais: Morfologia e História. São Paulo: Companhia das Letras. Levi, G. – 1992 – “Sobre à micro-história”. In: Burke, P. (org.), A escrita da história:

_____.

novas perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, pp. 133-162. Marin, J. J. - 2000 - "Entrevista a Giovanni Levi". In: Revista de Historia. No. 41. Enero – Junio del 2000. EUNA-EUCR. (Heredia – Costa Rica), pp. 131-148. Revel, J. – 1992 – “Microanálise e construção do social”. In: REVEL, Jacques. (org.). Jogos de escalas. A experiência da microanálise. Rio de Janeiro: Janeiro: FGV. Pp. 15-

38.

PARTE III. MEMÓRIA E IDENTIDADE

7 a Sessão: Memória Halbwachs, M. – 1990 [1950] – A memória coletiva. São Paulo: Vertice. Namer, G. – 1987 – “Introduction”, “Prémière Partie: Les problèmes de la Mémoire

Collective”, in

_____.

Mémoire et société. Paris: Meridiens Klincksieck, pp. 11-96.

Leituras complementares:

Guérios, P. R. – 2008 – “As condições sociais de produção das lembranças entre imigrantes

ucranianos”, in Mana, vol.14, n.2, pp. 367-398 . Lavabre, M. C. – 1991 – “Du poids et du choix du passé : lecture critique du « Syndrome de Vichy » ”, in Pechanski, D., Pollak, M. e ROusso, H. (eds.), Histoire politique et sciences sociales. Questions au XXe siècle. Paris : Ed. Complexe, pp. 265-278.

- 1994 - “Usages du passé, usages de la mémoire », in Revue française de science politique, 44(3), pp. 480-493.

_____

Namer, G. – 2000 – Halbwachs et la mémoire sociale. Paris: L’Harmattan. Rousso, H. – 1998 – La hantise du passé. Paris : Textuel.

8 a e 9ª Sessões: O dito, o esquecido e o ressentido Pollak M. – 1986 – “La gestion de l'indicible”. In: Actes de la recherche en sciences

sociales, Vol. 62-63, pp. 30-53. Pollak M. e Heinich N. – 1986 – “Le témoignage”, in Actes de la recherche en sciences sociales, Vol. 62-63, juin 1986. pp. 3-29. Pollak, M. – 1989 – “Memória, Esquecimento, Silêncio”, in Estudos Históricos, vol. 2, n. 3, pp. 3-15.

Pollak, M. – 1990 – “Préface”, in

L´éxpérience concentrationnaire. Paris: Métaillé.

_____. Pollak, M. – 1992 - “Memória e identidade social”, in Estudos Históricos, vol. 5, n. 10, 1992, pp. 200-212. Pollak, M. – 1992 – “L´entretien en sociologie”, in Cahiers de l´IHTP, 21, pp. 109-114. Kehl, M. R. – 2004 - Ressentimento. São Paulo: Casa do Psicólogo.

10ª Sessão: Identidades: elaboração e narração Agier, M. – 2001 – “Distúrbios identitários em tempos de globalização”, in Mana, vol.7, n.2, pp. 7-33 .

Barbu, Z. – 1978 – “O conceito de identidade na encruzilhada”, in Anuário Antropológico

78.

Brubaker, R. e Cooper, F. – 2000 – "Beyond Identity," in Theory and Society, 29: 1-47. Fernandes, F. – 2007 – “Tiago Marques Aipobureu: um bororo marginal”, in Tempo Social, v. 19, n. 2, p. 293-323. Hall, S. – 2005 – A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A. Truc, G. – 2011 – “Narrative Identity against Biographical Illusion. The Shift in Sociology from Bourdieu to Ricoeur”, in Ricoeur Studies, Vol 2, No 1, pp. 150-167.

PARTE III. SEMINÁRIOS - BIOGRAFIAS, AUTOBIOGRAFIAS:

MEMÓRIAS, ESQUECIMENTOS E IDENTIDADES SOB PERSPECTIVA CRÍTICA

11a Sessão:

Frugoni, A. – 1993 – Arnaud de Brescia dans les sources du XIIe siecle. Paris : Belles Lettres. Davis, N. – 1997 – Nas margens. Três mulheres do século XVII. São Paulo: Companhia das Letras. Ginzburg, C. – 1987 – O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras.

Levi, G. – 2000 – A Herança Imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

12 a Sessão:

Leite Lopes, J. S. – 2011 – “Memória e transformação social: trabalhadores de cidades industriais”, in Mana, vol.17, n.3, pp. 583-606. Leite Lopes, J. S. e Cioccari, M. – 2013 – Narrativas da Desigualdade: Memórias, Trajetórias e Conflitos. Rio de Janeiro: Mauad, pp. 55-103, 255-321.

Mintz, S. – 1960 – Worker in the cane. A Puerto Rican life history. New York: W. W. Norton & Co., pp. 1-25, 253-277.

– 1984 – “Encontrando Taso, me descobrindo”, in Dados: Revista de Ciências

_____. Sociais, v. 27, n. l. pp. 45-58. Leituras complementares:

Leite Lopes, J. S. – 1988 – A tecelagem dos conflitos de classe na “cidade das chaminés”. São Paulo-Brasília: Marco Zero/Ed. da UnB. Spaggiari, E. et al. – 2009 – “Entrevista com Rosilene Alvim e José Sérgio Leite Lopes”, in Plural. Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP, v. 16, n. 2, pp.

139-150.

Filme: Tecido memória - Leite Lopes, J. S.; Alvim, R. e Brandão, C., 2008, 70´.

13 a Sessão:

Jesus, C. M. – 2007 – Quarto de despejo. Diário de uma favelada. São Paulo: Ática. Lewis, O. – 2012 - Os hijos de Sánchez. Autobiografia de uma família mexicana. Mexico DF. Nash, June & Rojas, Juan – 1992 - I Spent My Life in the Mines: The Story of Juan Rojas, Bolivian Tin Miner. New York: Columbia UP. Leituras complementares:

Meihy, J. C. e Levine, R. – 1994 – Cinderela negra: a saga de Carolina Maria de Jesus. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. Dampierre, E. – 1957 – “Le sociologue et l'analyse des documents personnels”, in:

Annales. Économies, Sociétés, Civilisations, 12 (3), pp. 442-454.) Leite Lopes, J.S. e Alvim, R. – 1999 – “Uma autobiografia operária: a memória entre a entrevista e o romance”, in Estudos Avançados, 13 (37), pp.105-124. Mauger G. – 1994 – “Les autobiographies littéraires. Objets et outils de recherche sur les milieux populaires”, in: Politix. Vol. 7, N°27, pp. 32-44. Meihy, J. – 1998 – “Carolina Maria de Jesus: emblema do silêncio”, in Revista USP, 37, pp. 82-91. Filme: Simonal. Ninguém sabe o duro que dei. C. Manoel, M. Langer e C. Leal, 2009, 100´

14 a Sessão:

Bourdieu, P. – 2005 - Esboço de auto-análise. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. Elias, N. - 2001 – Norbert Elias por ele mesmo. Rio de Janeiro: Zahar Ed. Althusser, L. – 1992 - O futuro dura muito tempo. São Paulo: Companhia das Letras.

15ª Sessão:

Oficina de pesquisa