Вы находитесь на странице: 1из 20
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação do CG em veículos PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação do CG em veículos PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Determinação do CG em veículos

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Lei da Balança Definição Consiste em conjunto de artigos extraídos do
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Lei da Balança Definição Consiste em conjunto de artigos extraídos do

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Lei da Balança

Definição

Consiste em conjunto de artigos extraídos do Código de Trânsito Brasileiro e de Resoluções do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) que influem diretamente nas limitações de dimensões e pesos nas estradas brasileiras.

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Lei da Balança Consequências do excesso de peso Degradação das rodovias;
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Lei da Balança Consequências do excesso de peso Degradação das rodovias;

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Lei da Balança

Consequências do excesso de peso

Degradação das rodovias; Aumento de acidentes; Problemas na integridade estrutural de pontes e viadutos.

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Lei da Balança Limites Legais O CONTRAN (CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO),
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Lei da Balança Limites Legais O CONTRAN (CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO),

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Lei da Balança

Limites Legais

O CONTRAN (CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO), através das Resoluções nº 12/98, 184/05 e nº 62/98, regulamentou os artigos 99 e 100 do Código de Trânsito Brasileiro, nos quais constam os limites para dimensões, peso bruto total e peso por eixo, que devem ser observados para todos os veículos de carga que circulam nas vias terrestres. A lei 7.408/85 determinou que fosse atribuída uma tolerância de 5% ao limite de 45.000 kg para o PBT, passando o limite para a autuação para 47.250 kg. Através da Resolução nº 104 de 21/12/99, o CONTRAN alterou a tolerância para o excesso de peso por eixo de 5% para 7,5%.

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

onde os índices i referem-se a cada uma das massas elementares que compõem o veículo,
onde os índices i referem-se a cada uma das massas elementares que compõem o veículo,

onde os índices i referem-se a cada uma das massas elementares que compõem o veículo, sendo M=Ʃmi.

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Centro de Gravidade

Definição

O centro de gravidade, (melhor: centro de massa) é o ponto do veículo no qual se pode considerar concentrada toda sua massa M. A localização do CG, é feita pelos valores das suas coordenadas XG, YG e ZG, definidas e determináveis por:

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Centro de Gravidade Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Centro de Gravidade Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Centro de Gravidade

Exemplo

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Centro de Gravidade Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Centro de Gravidade Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Centro de Gravidade

Exemplo

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

Então: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Centro de Gravidade Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
Então:
Então:

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Centro de Gravidade

Exemplo

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

Após pesar os eixos do veículo separadamente, a localização do CG é obtida através do
Após pesar os eixos do veículo separadamente, a localização do CG é obtida através do
Após pesar os eixos do veículo separadamente, a localização do
CG é obtida através do somatório dos momentos (corpo em equilíbrio)
em relação ao ponto Wf.

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Determinação prática do CG

Nos eixos horizontais X, Y

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

Determinação prática do CG Exemplo Usando o somatório de momentos em relação ao ponto Fa,
Determinação prática do CG Exemplo Usando o somatório de momentos em relação ao ponto Fa,
Determinação prática do CG
Exemplo
Usando o somatório de momentos em relação ao
ponto Fa, temos:

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG Exemplo PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Determinação prática do CG

Exemplo

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z A determinação da
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z A determinação da

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Determinação prática do CG

No eixo vertical Z

A determinação da altura do CG é obtida se pesando o veículo com um dos eixos elevados e a suspensão travada, conforme a figura.

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Dados requeridos: W:
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Dados requeridos: W:

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Determinação prática do CG

No eixo vertical Z

Dados requeridos:

W: peso total do veículo; WF: peso do eixo frontal com o eixo traseiro levantado; b: a distância entre o eixo traseiro e o CG; Θ: ângulo teta; Rf: raio estático da roda dianteira; Rr: raio estático da roda traseira.

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Fazendo o somatório
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA
Determinação prática do CG
No eixo vertical Z
Fazendo o somatório de
momentos em torno do
ponto O:
(1)
PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Utilizando a trigonometria:
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA
Determinação prática do CG
No eixo vertical Z
Utilizando a trigonometria:
(2)
Substituindo (2) em (1):
(3)
PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Utilizando a trigonometria
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA
Determinação prática do CG
No eixo vertical Z
Utilizando a trigonometria
novamente:
(4)
Substituindo (3) em (4):
(5)
PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Como: (6) Substituindo
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA
Determinação prática do CG
No eixo vertical Z
Como:
(6)
Substituindo (6) em (5):
PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Se Rf =
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Determinação prática do CG No eixo vertical Z Se Rf =

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Determinação prática do CG

No eixo vertical Z

Se Rf = Rr = R:

Se forem diferentes:

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Referências •Canale, A. C. – AUTOMOBILÍSTICA DINÂMICA E DESEMPENHO – Editora
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA Referências •Canale, A. C. – AUTOMOBILÍSTICA DINÂMICA E DESEMPENHO – Editora

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMOTIVA

Referências

•Canale, A. C. – AUTOMOBILÍSTICA DINÂMICA E DESEMPENHO – Editora ÉRICA – 1998; • Gillespie, T. D. – FUNDAMENTALS OF VEHICULE DYNAMICS – Edit ora S.A.E. Warrendale, PA, USA – 1992;

• MILLIKEN, W.; MILLIKEN, D., Race Car Vehicle Dynamics, SAE International, 1995;

PROF.: YURI FRANKLIN MACHADO DE ABREU