You are on page 1of 76

63º Seminário do GEL - 2015

PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAÇÃO
63º Seminário do GEL - 2015 PROGRAMAÇÃO

Telefone úteis

Secretaria do GEL: 3521-1707 Tesouraria: 3521-1769

Internet Wi-Fi

Rede GEL

Senha: gel2015

Táxi Barão Geraldo: 3289-3300 (Central Terminal) / 3288-0125 (Hotel Matiz) Emergência Unicamp (Serviço Vidas Veículo Interno): 3521-6000

Mapa dos locais do evento do 63º Seminário do GEL

CEL IEL CENTRO DE CONVENÇÕES - CDC (abertura)
CEL
IEL
CENTRO DE
CONVENÇÕES - CDC
(abertura)

Caderno de Programação

Caderno de Programação 63 Seminário do G rupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo

63 o Seminário do Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo

Instituto de Estudos da Linguagem

Caderno de Programação 63 Seminário do G rupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo

6 a 9 de julho de 2015

Diretoria do GEL (2013-2015)

Presidente: Profa. Dra. Rosana do Carmo Novaes Pinto Vice-Presidente: Profa. Dra. Terezinha de Jesus Machado Maher Secretário: Prof. Dr. Angel Humberto Corbera Mori Tesoureiro: Prof. Dr. Petrilson Alan Pinheiro da Silva

Comissão Organizadora

Rosana do Carmo Novaes Pinto Terezinha Maria de Jesus Machado Maher Angel Humberto Corbera Mori Petrilson Alan Pinheiro da Silva Luciane de Paula Bruna Caroline Ribeiro Dias Marcela Alves

Apoio à secretaria e à organização

Ivana Pereira Ivo (Coord. de monitores e debatedores) Arnaldo Rodrigues de Lima

Instituto de Estudos da Linguagem/UNICAMP

Diretor: Flávio Ribeiro de Oliveira Diretor Associado: Jefferson Cano Diretora do CEL (Centro de Estudos de Línguas): Edilene Narezzi Diretor de Informática do IEL: Fernando Luis Barbosa Diretora de Serviços Administrativos/Financeiros: Roseli da Silva Lopes Assistente técnico: Gilmar Dias da Silva

Apoio:

Diretoria do GEL (2013-2015) Presidente: Profa. Dra. Rosana do Carmo Novaes Pinto Vice-Presidente: Profa. Dra. Terezinha

COMISSÃO CIENTÍFICA

Adail Ubirajara Sobral UCPEL Adriana Fischer FURB Adriane B. Belório de Castro FATEC Ana Cristina B. Salomão UNESP Ana Paula de O. Santana UFSC Angel H. Corbera Mori UNICAMP Anna Flora Brunelli UNESP Aroldo de Andrade UNICAMP Ataliba Teixeira de Castilho USP Bento Carlos Dias da Silva UNESP Carlos Eduardo Mendes de Moraes UNESP Carlos Piovezani UFSCAR Cláudia Lemos Vóvio USP Claudia Zavaglia UNESP Cleudemar Alves Fernandes UFU Cristina Carneiro Rodrigues UNESP Cristina Martins Fargetti UNESP Daniel Soares da Costa UNESP Daniela Nogueira de Moraes Garcia UNESP Daniela Palma UNICAMP Dantielli Assumpção Garcia USP Denise Campos e Silva Kuhn UNAERP Dirceu Cleber Conde UFSCAR Eliane A. Galvão Ribeiro Ferreira UNESP Emerson de Pietri USP Érika de Moraes UNESP Ester Mirian Scarpa UNICAMP Evani Andreatta Amaral Camargo FML Fabiana Cristina Komesu UNESP Fátima de Gênova Daniel USC Filomena Sândalo UNICAMP Flávia Bezerra de Menezes Hirata Vale USP Flaviane Romani Fernandes Svartman USP Geraldo Tadeu Souza UFSCAR Giliola Maggio USP Gisele Cássia de Souza UNESP Gladis Massini-Cagliari UNESP Grenissa Bonvino Stafuzza UFG Ida Lucia Machado UFMG Ieda Maria Alves USP Iran Ferreira de Melo UFPE Ivani Rodrigues Silva UNICAMP Jauranice Rodrigues Cavalcanti UFTM Jefferson Cano UNICAMP Karin A. Henschel Pobbe Ramos UNESP Kelly C. H. Pobbe de Carvalho - UNESP Lauro José Siqueira Baldini UNICAMP Lilian do Rocio Borba UNICAMP Lígia Negri UFPR Lúcia Regiane Lopes-Damásio UNESP Luciana Salazar Salgado UFSCAR Luciane de Paula UNESP Luciano Novaes Vidon UFES Lucília Maria Sousa Romão USP

Luiz Antônio da Silva USP Luiz Carlos Cagliari UNESP Luiz Francisco Dias UFMG Luzmara Curcino Ferreira UFSCAR Maira Angélica Pandolfi UNESP Manoel M. Santiago Almeida USP Marcelo Módolo USP Marcia Azevedo de Abreu UNICAMP Marcia Romero UNIFESP Maria Beatriz Nascimento Decat UFMG Maria de Fatima Amarante PUC/Campinas Maria de Lourdes O. G. Baldan UNESP Maria do Rosário Gomes de Lima UNESP Maria Helena de Moura Neves UNESP Maria José R. F. Coracini UNICAMP Maria Lúcia da C. V. de O. Andrade USP Mariana Luz Pessoa de Barros USP Margarida Maria Taddoni Petter USP Marilei Amadeu Sabino UNESP Matheus Nogueira Schwartzmann UNESP Mônica Baltazar Diniz Signori UFSCAR Mónica Graciela Zoppi-Fontana UNICAMP Mônica Veloso Borges UFG Naiá Sadi Câmara UNIFRAN Olga Ferreira Coelho Sansone USP Orna Messer Levin UNICAMP Pablo Picasso Feliciano de Faria UNICAMP Paulo Martins USP Paulo Ramos UNESP Raquel Salek Fiad UNICAMP Renata Coelho Marchezan UNESP Renato Miguel Basso UFSCAR Roberto Gomes Camacho UNESP Rogério Vicente Ferreira UFMS Rosana do Carmo Novaes Pinto UNICAMP Rosineide de Melo CUFSA Rozana Aparecida Lopes Messias UNESP Ruth Vasconcelos Lopes UNICAMP Sandra Aparecida Ferreira UNESP Sandra Denise Gasparini Bastos UNESP Sebastião Carlos Leite Gonçalves UNESP Sheila Vieira de Camargo Grillo USP Sírio Possenti UNICAMP Susanna Busato UNESP Taísa Peres de Oliveira UFMS Terezinha Machado Maher UNICAMP Valdemir Miotello UFSCar Vanderci de Andrade Aguilera UEL Vandersi Sant’Ana de Castro – UNICAMP Vera Lúcia Rodella Abriata UNIFRAN Vera Pacheco UESB Viviane Veras UNICAMP Zilda Gaspar de Oliveira Aquino USP

Programação Geral

06 de julho

(segunda-feira)

9:30 12:30/14:30 17:30: Minicursos do GEL (IEL/UNICAMP) 14:00 18:00: Credenciamento e inscrições para ouvintes

Entrega de arquivos de apresentações (simpósios e comunicações individuais)

Local: Hall da Direção do IEL

07 de julho

(terça-feira)

8:00 18:00: Credenciamento e inscrições para ouvintes

Entrega de arquivos de apresentações (simpósios e comunicações individuais)

Local: Hall da Direção do IEL

8:30 10:30: Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e Centro de Estudos de Línguas (CEL)

10:30 - Coffee-Break

Local: Hall da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural (CDC) Centro de Convenções, anexo ao Ginásio de Esportes da UNICAMP

11:00 11:30: Solenidade de Abertura (Diretoria do GEL e Diretoria do IEL),

com apresentação do Grupo Musical Ars Brasil

Local: Auditório III da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural (CDC) Centro de Convenções, anexo ao Ginásio de Esportes da UNICAMP

11:30 12:30: Conferência de Abertura 1

Meaning making in a social and semiotic world of diversity and provisionality

Prof. Dr. Gunther Kress

Departamento de Cultura, Comunicação e Mídia, Instituto de Educação, Universidade de Londres, Reino Unido)

The theory with which I approach the related issues of meaning learning knowing identity is Social Semiotics. Its central assumption is that meaning is constantly newly made and remade in social (inter-) action, by social

1 Conferência proferida em inglês e sem tradução simultânea.

agents using existing socially made cultural resources. In the process, existing cultural/semiotic resources are

subject to constant change by social / semiotic agents (whether in transformation or transduction); as is ‘the matter at issue’ (i.e. knowledge, of any kind); as are those engaged in interaction (i.e. in terms of ‘subjectivity’

and ‘identity’). The theory, in other words, takes ‘the social’ as prior, and has the dynamic of change at its core. The theoretical issue, then, is how to set an apt frame for a semiotic theory which can account for these processes, when the social is marked by profound diversity and provisionality; and where changes in technologies act as

major and constant amplifiers of these factors, both socially and semiotically. Some crucial questions apart from that about the apt frame are how to name this new world, when the existing/available terms – e.g. ‘language’, ‘grammar’, ‘text’ – all point back toward an entirely differently conceived social; and where the meanings that attach still to terms in use – e.g. ‘coherence’, ‘genre’, ‘syntax’ – tend still to be associated with conceptions of language as the dominant semiotic resource. For those of us interested in ‘language’ – and in ‘Linguistics’ – perhaps the most immediate, direct question is the simple one: “what’s this got to do with me?” In the lecture I will make the point that, as with most (?) /all (?) disciplines that have come to us from the 20 th century or before, the ‘fit’ has given way, between the world whose questions gave rise to these disciplines, and the world which in turn is still, largely, projected in them. In very many places, maybe everywhere, that ‘fit’ no longer exists. I will suggest (not of course in any way a novel suggestion) that ‘language’ can no longer be seen as a discrete

phenomenon, but rather as one which has to be radically ‘re-thought’/’re-conceptualized’ in all its inter- connections and in all ways socially, semiotically, epistemologically/ontologically and integrated anew in the social and semiotic world of the present.

14:30 16:30: MESAS-REDONDAS 1 e 2 / Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Salas do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e do Centro de Estudos de Línguas (CEL)

Mesa 1: Respostas do funcionalismo à tensão entre transparência e opacidade

Local: Auditório do IEL

Coordenador: Prof. Dr. Roberto Gomes Camacho (UNESP S. José do R. Preto) Profa. Dra. Margarida Martins Salomão (UFJF): Transparência e Opacidade ou Motivação e Idiomaticidade? Prof. Dr. Dante Lucchesi (UFBA): Transparência e opacidade na gênese e desenvolvimento das línguas pidgins e crioulas Prof. Dr. Roberto Camacho (UNESP): Condições de violação de transparência

A transparência representa a situação extrema em que uma língua exibiria uma relação consistentemente biunívoca entre unidades formais e unidades funcionais e, na realidade, é justamente desse grau máximo de transparência que as línguas, tomadas como instrumentos de comunicação pela teoria funcionalista, deveriam dispor para atingir o grau máximo de eficiência comunicativa. Não é evidentemente esse o panorama geral: a maioria das línguas do mundo não dispõe de transparência em grau máximo e muitas chegam a exibir mesmo um grau muito elevado de opacidade (HENGEVELD, 2011). A opacidade se vincula ao fato de a codificação morfossintática dispor de seus próprios princípios de organização, quando, por exemplo, a uma língua se impuser um padrão de ordenação arbitrário que não pode ser considerado funcionalmente motivado. Em função de seu caráter simbólico, a linguagem humana é capaz, portanto, de tolerar um grau muito elevado de arbitrariedade entre forma e função; nem por isso, deixa de haver uma quantidade considerável de fenômenos que mostram certa homologia entre unidades formais e unidades de conteúdo, ou iconicidade, detectável no modo como, por exemplo, a ordem de codificação morfossintática reflete a ordem das categorias das dimensões pragmática e semântico-cognitiva. A relação entre morfossintaxe e as dimensões pragmica e semântico- cognitiva, que lhe servem de input, numa perspectiva funcional, é governada por princípios que contribuem para maximizar o paralelismo entre as estruturas, encarecendo a transparência e a facilidade de interpretação da estrutura linguística (HENGEVELD; MACKENZIE, 2008, p. 283). O objetivo desta mesa-redonda é discutir se o balanço entre transparência e opacidade deveria requerer, de análises funcionalistas, uma análise formal mais precisa da estrutura morfossintática, sem perder de vista as restrições de ordem funcional, que resultam naturalmente das dimensões pragmática e semântico-cognitiva.

Mesa 2: Linguística Experimental: aspectos metodológicos em Fonética e imageamento cerebral

Local: Anfiteatro do IEL

Coordenador: Prof. Dr. Plinio Barbosa (UNICAMP) Prof. Dr. Pablo Arantes (UFSCar): Apontamentos de boas práticas na análise estatística de experimentos na linguística experimental Prof. Dr. Augusto Buchweitz (PUC-RS): O cérebro bilíngue e a representação neural da semântica das palavras e da compreensão de textos Prof. Dr. Plinio Barbosa (UNICAMP): Novas luzes sobre a harmonia vocálica em português brasileiro à luz de protocolo experimental

A finalidade desta mesa é a de apresentar exemplos diversos da boa condução de experimentos na área da linguagem, especificamente em Fonética e Imageamento Cerebral, desmistificando alguns aspectos da estatística inferencial, bem como reforçando a necessidade de procedimentos necessários para responder adequadamente às hipóteses levantadas na pesquisa. O trabalho de Arantes esclarece questões sobre amostra e população apontando para a necessidade da atenção para a relação entre tamanho de amostra, tamanho do efeito e poder do teste. O de Buchweitz se serve experimentalmente do imageamento cerebral para a identificação das dimensões psicológicas e semânticas da representação de substantivos no cérebro bilíngue e no entendimento dos processos cognitivos associados com a compreensão bilíngue. Fechando a mesa, o trabalho de Barbosa apresenta os resultados iniciais de um estudo sobre harmonia vocálica para chamar a atenção para os aspectos experimentais que permitem iluminar o conhecimento sobre esse fenômeno.

16:30 Coffee-Break

Local: Hall da Direção do IEL

17:00 18:00: Sessões de Painéis (com debatedores, divididos por temas/áreas)

Local: Salas do IEL (ver a lista de trabalhos e locais de exposição na última parte deste programa)

18:00 19:30 Lançamento de livros de sócios do GEL (Ver a lista ao final deste caderno)

Local: Hall da Direção do IEL e Arcádia

08 de julho

(quarta-feira)

8:00 18:00: Credenciamento e inscrições para ouvintes

Entrega de arquivos de apresentações (simpósios e comunicações individuais)

Local: Hall da Direção do IEL

8:30 10:30: Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e Centro de Estudos de Línguas (CEL)

10:30 Coffee-Break

Local: Hall da Direção do IEL

11:00 13:00: MESAS-REDONDAS 3 e 4 / Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Salas do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e do Centro de Estudos de Línguas (CEL)

Mesa 3: (Dis)fluência, prosódia e multimodalidade

Local: Auditório do IEL

Coordenadora: Profa. Dra. Ester M. Scarpa (UNICAMP/UFFS) Prof. Dr. Lourenço Chacon (UNESP): Instabilidades e regularidades na distribuição de pausas em enunciados infantis Profa. Dra. Marianne Carvalho Bezerra Cavalcante (UFPB): Fluência Infantil: quando começa? Profa. Dra. Ester M. Scarpa (UNICAMP): Disfluências na fala adulta e na fala infantil: sua incidência na hierarquia prosódica

Nos últimos tempos, o tema da fluência e sua contraparte, disfluência, tem atraído relevantes pesquisas, que recobrem variadas áreas e interesses acadêmicos, tanto com relação à fala sintomática, quanto à não- sintomática, sempre objetivando melhor entender a falsa eleição da fala fluente como o único recorte do estudo linguístico. Esta mesa-redonda pretende dar um passo à frente no referido tema: busca aprofundar os princípios e natureza da distribuição - linguística e discursiva - da fluência e da disfluência, bem como explorar as características da abordagem da multimodalidade no tratamento da questão. Atenção especial será dada à prosódia e seu papel nessa distribuição, contemplando tanto dados adultos quanto infantis.

Mesa 4: A tradução e sua(s) história(s): saberes e experiências

Local: Anfiteatro do IEL

Coordenadora: Profa. Dra. Viviane Veras (UNICAMP) Profa. Dra. Marcia A. P. Martins (PUC-RJ): Reflexões sobre tradução desenvolvidas no Brasil em paratextos e metatextos Profa. Dra. Cristina Carneiro Rodrigues (UNESP S. J. Rio Preto): A publicação da Biblioteca Histórica Brasileira na coleção Reconquista do Brasil Profa. Dra. Viviane Veras (UNICAMP): Tradução e transmissão: frente a diferenças, novas diferenças

As reflexões sobre tradução têm se tornado cada vez mais importantes como formas de trabalhar as relações entre línguas, sujeitos, comunidades e culturas. Fazem parte de sua história tanto paratextos e/ou relatos de experiências como prefácios, dedicatórias, cartas, resenhas, verbetes de dicionários, tratados de retórica e de poética, quanto abordagens mais formalistas e descritivas, de início com pretensões mais pontualmente científicas e mais recentemente deslocando-se também para questões ideológicas e culturais implicadas no trabalho do tradutor. Os trabalhos apresentados distribuem-se da seguinte maneira: uma proposta de organizar uma coletânea bilíngue com o objetivo de fazer circularem reflexões não formais sobre tradução, de forma a dar mais visibilidade à história desses saberes tradutórios no Brasil; uma análise dos paratextos que

acompanham traduções que integram a Biblioteca Histórica Brasileira, publicadas entre 1940-1952 e reeditadas entre 1973-1985 na coleção que traz o sugestivo título de Reconquista do Brasil; uma reflexão sobre as diversas tarefas do tradutor como formas de “viver a diferença das línguas” (Blanchot), considerando que textos de cunho mais testemunhal constituem saberes sui generis do tradutor sobre o que há de irredutível em sua relação com o outro e consigo mesmo.

14:30 16:30: MESAS-REDONDAS 5 e 6 / Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Salas do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e do Centro de Estudos de Línguas (CEL)

Mesa 5: Multiletramentos em perspectiva bakhtiniana

Local: Auditório do IEL

Coordenadora: Profa. Dra. Roxane Rojo (UNICAMP) Profa. Dra. Roxane Rojo (UNICAMP): Multimodalidade e pluralidade cultural em perspectiva bakhtiniana Profa. Dra. Walkyria Monte Mór (USP): Multimodalidade e formação crítica na área de línguas Profa. Dra. Cláudia Hilsdorf Rocha (UNICAMP): Ensino crítico de língua estrangeira na contemporaneidade:

diálogos entre a orientação translíngue e a teoria bakhtiniana

A contemporaneidade e, sobretudo, os textos/enunciados contemporâneos colocam novos desafios aos

letramentos e às teorias. O conceito de multiletramentos, articulado pelo Grupo de Nova Londres, busca justamente apontar, já de saída, por meio do prefixo “multi”, para dois tipos de “múltiplos” que as práticas de letramento contemporâneas envolvem: por um lado, a multiplicidade de linguagens, semioses e mídias envolvidas na criação de significação para os textos multimodais contemporâneos e, por outro, a pluralidade e diversidade cultural trazida pelos autores/leitores contemporâneos a essa criação de significação. Isso significa que as escolas precisam ensinar aos alunos novas formas de competências nesses tempos, em especial “a habilidade de se engajarem em diálogos difíceis que são parte inevitável da negociação da diversidade” (COPE;

KALANTZIS, 2006, p. 139, tradução nossa). No campo específico dos multiletramentos, isso implica negociar uma crescente variedade de linguagens e discursos: interagir com outras línguas e linguagens, interpretando ou traduzindo; usando interlínguas específicas de certos contextos; usando inglês como língua franca; criando sentido da multidão de dialetos, acentos, discursos, estilos e registros presentes na vida cotidiana, no mais pleno plurilinguismo bakhtiniano. Ao invés da gramática como norma para a língua padrão, uma gramática contrastiva que, como Ártemis, permite atravessar fronteiras. A questão trazida pelos multiletramentos pode se beneficiar grandemente das teorias bakhtinianas, como um enfoque global de junção, hibridação e reinterpretação transdisciplinar da contribuição de diferentes campos (pedagogia, semiótica, linguística aplicada, antropologia, sociologia). Podem ser adequadas certas ferramentas conceituais elaboradas pelo Círculo de Bakhtin para a análise dos enunciados situados, em especial os conceitos de gênero discursivo e suas dimensões (tema, conteúdo temático, forma composicional, estilo) e alguns outros conceitos relacionados, importantes para detectar tanto a flexibilidade dos enunciados nos gêneros como a reflexão e refração ideológica que deles resulta: apreciação valorativa, plurilinguismo, polifonia, vozes, cronotopo, discurso citado e réplica ativa. Não se trata de propor um exercício de aplicação da teoria bakhtiniana a um novo objeto impensado pela teoria do Círculo, mas trata-se de propor uma abordagem transdisciplinar, buscando dotar de uma unidade complexa os vários construtos teóricos de diferentes disciplinas que se voltaram para o estudo dos textos, discursos e culturas nos multiletramentos. As falas nesta Mesa Redonda buscarão caminhar neste sentido.

Mesa 6: Efeitos da psicanálise nos estudos da linguagem

Local: Anfiteatro do IEL

Coordenador: Prof. Dr. Lauro Baldini (UNICAMP) Prof. Dr. Paulo Sérgio de Souza Jr (UFRJ): A psicanálise e seu calão: Os efeitos da boca pra fora Prof. Dr. Marco Aurélio Barbai (Labeurb/UNICAMP): Um gesto de leitura: os efeitos da psicanálise na tradição e saber linguístico do Brasil Profa. Dra. Lucília Maria Abrahão e Sousa (USP-RP): O sujeito e a trapaça da linguagem

É toda a estrutura da linguagem que a experiência psicanalítica descobre no inconsciente, nos diz Lacan em A instância da letra no inconsciente ou a razão desde Freud (1957). Isso já deveria alertar a todos aqueles interessados no estudo da linguagem de que a hipótese do inconsciente tem implicações em toda e qualquer área que se dedique a colocar as línguas e a linguagem como objeto, como a linguística, a literatura e a tradução,

por exemplo. Naquele momento do ensino e da prática de Lacan, os efeitos de se pensar a linguagem como aquilo que orienta o funcionamento do inconsciente fez com que ele não hesitasse em se apoiar em uma certa leitura da linguística para propor seu retorno a Freud. A proposta dessa mesa é pensar, na via inversa, os efeitos de Lacan nas ciências que se veem concernidas pelo fato da linguagem. Quais são os efeitos epistemológicos, analíticos, políticos de se levar em conta o ensino lacaniano? Para tanto, três estudiosos da linguagem, eles mesmos psicanalistas, estão convidados a dar testemunho dessa implicação fundamental entre linguagem e inconsciente nos seus respectivos campos de atuação.

16:30 Coffee-Break

Local: Hall da Direção do IEL

17:00 18:00: Conferência

Local: Auditório do IEL

Monopólio do inglês ou um modelo plurilíngue? Rumo a políticas de linguagem nas ciências e a educação superior para América Latina

Prof. Dr. Rainer Enrique Hamel

Departamento de Antropologia da Universidad Autónoma Metropolitana - Unidade de Iztapalapa México, D.F

Durante o século XX, ocorreu no âmbito das ciências e de sua difusão, uma transição de um modelo plurilíngue restrito a umas poucas línguas europeias a um quase monopólio do inglês, como parte da globalização na comunicação internacional. Essa tendência que observamos, sobretudo, nas publicações científicas, vem acompanhada atualmente de uma maior penetração do inglês enquanto língua de ensino nos programas de pós-graduação, os quais atraem um crescente público internacional com a progressiva mobilidade estudantil. Hoje, encontramo-nos em uma disjuntiva crucial, com consequências possivelmente irreversíveis. Podemos transitar de uma hegemonia para um monopólio total do inglês que excluiria a todas as demais línguas das ciências; ou, ao contrário, avançarmos para um modelo plurilíngue renovado que reforce a diversidade de línguas, das estratégias discursivas e dos modelos culturais de fazer ciência e ensino superior. Há quatro boas razões, particularmente na América Latina, para opor-se ao monopólio do inglês nessa área estratégica: os riscos teórico-metodológicos de um monolinguismo para a criatividade nas ciências; o problema das crescentes assimetrias de poder e conhecimento entre comunidades linguísticas diferenciadas; as consequências da atrofia e do estancamento das línguas internacionais que abandonam esse campo e as consequências negativas do monolinguismo anglófono para uma simétrica cooperação internacional. A partir de uma perspectiva das políticas de linguagem, das ciências e do ensino superior, parece equivocado aceitar a fragmentação do campo, tal como ocorre em estudos tendenciosos que separam as publicações do restante das atividades científicas e que diagnosticam um monopólio quase irreversível do inglês nas revistas internacionais como justificação para a transição do campo, em seu conjunto, para essa língua hegemônica. Como alternativa, proponho conceber o espaço das ciências e do ensino superior em seu conjunto, estruturado como campo sociológico e comunicacional (Bourdieu, Gumperz) que integra as esferas da produção, da circulação e da formação. Essa seria a unidade e o objeto adequados para analisar e planificar os usos das línguas. Como tema de discussão, proponho, finalmente, alguns elementos de modelo plurilíngue para definir políticas integradas da linguagem, das ciências e do ensino superior na América Latina.

18:00 - Assembleia do GEL

Local: Auditório do IEL

09 de julho

(quinta-feira)

8:00 10:00: Credenciamento

Entrega de arquivos de apresentações (simpósios e comunicações individuais)

Local: Hall da Direção do IEL

8:30 10:30: Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e Centro de Estudos de Línguas (CEL)

10:30 Coffee-Break

Local: Hall da Direção do IEL

11:00 13:00: MESAS-REDONDAS 7 e 8 / Simpósios e Comunicações Individuais

Local: Salas do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e do Centro de Estudos de Línguas (CEL)

Mesa 7: Gênero, sexualidades, língua(gem)

Local: Auditório do IEL

Coordenadora: Profa. Dra. Mônica Zoppi Fontana (UNICAMP) Profa. Dra. Ana Josefina Ferrari (UFPR): Da “minha parte” ao trabalho: uma análise do significante “trabalho” em falas de mulheres trabalhadoras rurais quilombolsas Profa. Dra. Maria Célia Passetti (UEM): Questões de gênero na relação mídia e política: os desafios de Dilma Rousseff no HGPE/TV das eleições 2010

A problemática dos movimentos feministas, dos estudos das mulheres, das teorias queer, e mais amplamente das diversas abordagens teóricas e militantes sobre as questões de gênero, apresenta um espaço profícuo de reflexão sobre a contradição constitutiva dos processos de produção do sentido e do sujeito, que tanto reforçam o imaginário social quanto irrompem como acontecimento, abrindo brechas sociais e discursivas para o deslocamento de sentidos, para a subversão de estereótipos e para a emergência de novas modalidades de identificação e de constituição de sujeitos políticos. Este amplo campo de questões fornece um espaço privilegiado de observação para os estudiosos da(s) língua(gens), dado que está inteiramente atravessado por processos discursivos que deslocam sentidos já estabilizados historicamente. Em termos teóricos, permite desenvolver indagações sobre o aparelho conceitual e os procedimentos analíticos organizados em torno da questão dos processos que constituem o sujeito, na sua relação com as práticas de dominação e resistência que (re)significam as relações sociais através do funcionamento simbólico de diversas materialidades significantes e de diversos dispositivos de controle que intervêm na produção dos corpos, sexualidades e subjetividades contemporâneas. O objetivo desta mesa é abordar estas questões trazendo para o debate a contribuição de diversos campos disciplinares, todos os quais analisam a relação gênero, sexualidades e língua(gens), estabelecendo assim um diálogo produtivo dos estudos linguísticos e discursivos com os estudos antropológicos e sociológicos. As análises exploram o funcionamento de diversas práticas de significação das relações e identificações de gênero em diversos espaços simbólicos, como a mídia, o discurso político, o discurso sobre trabalho e outros, nos quais é possível descrever as relações de dominação, opressão e resistência produzidas pelas contradições de classe, raça, gênero, sexualidade. Esta mesa se inscreve nas atividades do projeto Mulheres em Discurso: lugares de enunciação e processos de subjetivação (CNPq, processo 487140/2013-3). A problemática geral será apresentada pela coordenadora, seguida da apresentação de análises por parte das integrantes da mesa

Mesa 8: Literatura brasileira e espaço público: escritos, impressos e leituras

Local: Anfiteatro do IEL

Coordenador: Prof. Dr. Jefferson Cano (UNICAMP) Prof. Dr. Jefferson Cano (UNICAMP): O romantismo brasileiro, entre leituras e espaços Profa. Dra. Lúcia Granja (UNESP): Um editor no espaço público: Baptiste-Louis Garnier e a consolidação da coleção em Literatura Brasileira Prof. Dr. Nelson Schapochnik (USP): Direito autoral e profissionalização do escritor: uma velha nova história

Desde o século XIX, a vida intelectual brasileira foi marcada pelo tema da identidade nacional. Gestado na tensão entre originalidade e imitação, de um modo geral, esse tema ofuscou, na medida em que se impôs ao campo de estudos, a originalidade da própria problemática: na dialética entre nacional e estrangeiro, pertença e ruptura, os letrados brasileiros estabeleciam um diálogo com literaturas europeias que não enfrentavam o mesmo dilema, uma vez que lá o estado-nação já se formara muito antes, em um momento cujos embates culturais se travaram em torno da própria língua literária, e não de formas literárias. Assim, pensar a atuação dos literatos a partir dos próprios termos em que estes a definem é ao mesmo tempo o caminho para relativizar esses termos. Pensar a especificidade histórica da literatura brasileira a partir da maneira como ela formula o problema de sua própria existência significa também compreender como ela joga luz sobre determinadas questões ao mesmo tempo em que deixa outras à sombra. O objetivo dessa mesa-redonda é pensar as perspectivas de uma discussão da literatura brasileira a partir da interação de diferentes sujeitos, em sua diversidade de interesses e papeis sociais, buscando compreender a riqueza dos processos dentro dos quais pessoas, instituições e estratégias foram moldando a produção, circulação e recepção de textos de que resultou o patrimônio literário que hoje reconhecemos.

10:30 Coffee-Break

Local: Hall da Direção do IEL

14:30 16:30: MESA-REDONDA

Mesa 9: A Linguística e a Mídia

Local: Auditório do IEL

Coordenadora: Dra. Valéria Paz (Dra. em Letras pela USP e consultora linguística da Rede Globo/SP) Dra. Valéria Paz (Rede Globo/SP): Linguística e Mídia: um diálogo possível Ms. Tereza Garcia (Mestre em Ciências Sociais PUC-SP/Editora Chefe do Jornal Hoje): Perspectivas linguísticas e mudanças nos textos do Jornal Hoje Prof. Dr. Ataliba Castilho (USP/UNICAMP/Museu da Língua Portuguesa): Linguística para a mídia

Não são poucos os casos em que a mídia discute ideias do campo da Linguística sem compreendê-las ou, pior do que isso, condena as ideias antes de discuti-las. Episódios como a crítica, alguns anos atrás, ao livro didático Por uma vida melhor, destinado à Educação de Jovens e Adultos (EJA), mostram como a imprensa não se aprofunda nesse campo do conhecimento e, ao mesmo tempo, conforme aponta o Prof. Dr. Ataliba de Castilho (USP/UNICAMP), como os linguistas brasileiros têm tido dificuldades em passar para a mídia conceitos contemporâneos das teorias linguísticas e o conhecimento acumulado sobre o português brasileiro. Neste mesa- redonda, será debatido o tema “A Linguística e a Mídia”.

16:30 Coffee-Break

Local: Hall da Direção do IEL

17:00 18:00: Conferência de Encerramento

Local: Auditório do IEL

Algumas ideias para uma história semântica do português brasileiro

Prof. Dr. Rodolfo Ilari (Departamento de Linguística/UNICAMP) Prof. Dr. Renato Basso (UFSCar)

Nos propomos a traçar uma visão panorâmica da semântica que se fez no Brasil desde os anos 1960. As principais tendências serão rapidamente comentadas. A abordagem cronológica, inevitável no caso, será combinada com a preocupação de verificar, para cada uma dessas tendências, em qual destes três patamares podem ser localizadas suas contribuições: 1. tomada de conhecimento de conceitos teóricos e metodológicos importados, 2. assimilação e discussão autônoma desses conceitos, 3. aplicação a fatos do português resultando em análises de alguma amplitude / profundidade de fenômenos ou conjuntos de fatos centrais. Dado esse pano de fundo será posta em discussão a pergunta - para onde vai a semântica que se faz no Brasil, e até que ponto tem contribuído para fornecer um quadro das opções significativas do PB? Essa pergunta admite, é claro, respostas muito diferentes, mas é importante que seja considerada a esta altura da linguística brasileira.

18:00 Encerramento dos trabalhos pela Diretoria do GEL

07 de julho de 2015 (terça-feira) 08h30 às 10h30

SIMPÓSIOS
SIMPÓSIOS

SIMPÓSIO 1 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 01)

Língua, leitura, escrita, cidade e conhecimento: a linguagem na circulação de saberes

 

Ana Cláudia Fernandes Ferreira

Autor(es)

Trabalho

Ana Cláudia Fernandes Ferreira

O paulistano em diferentes enciclopédias: constituição de

uma memória de (diversos) saberes

Carolina de Paula Machado

Uma história de sentidos da “língua” em documentos da

educação brasileira

Cidarley Grecco Fernandes

Institucionalização da leitura no Brasil: do livro ao dispositivo

Coelho

eletrônico

Juciele Pereira Dias

O espaço do comentário no Facebook

SIMPÓSIO 2 GRAMÁTICA FUNCIONAL (Sala IEL 02)

 

Integração de cláusulas em perspectiva funcional-discursiva: um estudo baseado no uso

 

Ivo da Costa do Rosário

 

Autor(es)

 

Trabalho

 

Amanda Heiderich Marchon

Cláusulas

complexas:

um

estudo

de

interface

sintático-

discursivo

Ivo da Costa do Rosário

Aspectos sintático-semânticos da correlação aditiva

 

Violeta Virginia Rodrigues

Cláusulas relativas: sintaxe versus prosódia

 

Nilza Barrozo Dias

As construções completivas impessoais e o controle do falante

SIMPÓSIO 3 ENSINO DE LÍNGUA MATERNA (Sala IEL 03)

Reflexões sobre ensino-aprendizagem de leitura e escrita no espaço político-simbólico escolar

 

Eduardo Alves Rodrigues

Autor(es)

Trabalho

Eduardo Alves Rodrigues e Renata Chrystina Bianchi de Barros

A diversidade na leitura (possível) de paradidáticos: “Pelos olhos de Nicolas”

Carmen Agustini

O processo de (re)escrita em espaço escolar: sujeito e rasuras

Joelma Pereira de Faria

Oficinas de Escrita

José Simão da Silva Sobrinho

Leitura e escola na sociedade de risco: uma análise discursiva

do PISA

SIMPÓSIO 4 LINGUAGEM E NOVAS TECNOLOGIAS (Sala IEL 04) Mediação das tecnologias da internet em eventos de letramento escolar/acadêmico

 

Edilaine Buin

Autor(es)

Trabalho

Edilaine Buin e Elisangela Pereira

Dois casos de busca de informação na internet e a formação

da Silva

de professores

Bruno Cuter Albanese

Narrativas transmídias: um novo letramento para o ensino de

literatura

Fabiana Poças Biondo-Araujo

Práticas colaborativas de construção de conhecimentos em

fóruns online

Luciene Maria Garbuio

Processos e estratégias de leitura de hipertexto no ensino

superior tecnológico

Andrea Cristina Bombonati Lopes

Representações constitutivas das relações entre os usos das novas tecnologias e as concepções de processo de ensino-

aprendizagem virtual

SIMPÓSIO 5 SEMIÓTICA (Sala IEL 05) Formas de vida do brasileiro: um estudo de figurativizações na lei, na mídia e na literatura

 

Amanda Cristina Martins Raiz

Autor(es)

Trabalho

Amanda Cristina Martins Raiz

Com ou sem compromisso: formas de vida de uma garota que

(quase) pode ser o que quiser

...

e ser feliz!

Flavia Karla Ribeiro Santos

Forma de vida moralizante no romance “O casarão da Rua do

Rosário”, de Menalton Braff

Renata Cristina Duarte

A forma de vida do ator protagonista em “Passeio Noturno”:

entre o ser e o parecer

Raíssa Medici de Oliveira

Ser X Parecer: a construção do ator "homem do lar" em

crônicas de "Borralheiro", de Fabrício Carpinejar

SIMPÓSIO 6 EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA E MULTICULTURALISMO (Sala IEL 06) Multiculturalismo e plurilinguismo: problematizações para uma educação linguística ampliada

 

Ana Cecília Cossi Bizon

Autor(es)

Trabalho

Ana Cecília Cossi Bizon

Educação linguística e multiculturalismo: elementos centrais

de projetos de internacionalização

Leandro Rodrigues Alves Diniz

Uma proposta pós-colonialista para a produção de materiais didáticos para o ensino-aprendizagem de Português como

Língua Adicional

Marcia Niederauer

Indígenas em eventos acadêmicos: representação na web

Carolina Assis Dias Vianna

Multiculturalismo em livros didáticos de Língua Portuguesa e ensino da norma-padrão: conciliando interesses para desconstruir o mito da unidade linguística nas aulas de língua

materna

Antonieta Heyden Megale

Do Halloween ao Carnaval: dilemas da educação bilíngue

brasileira

SIMPÓSIO 7 ANÁLISE DO DISCURSO (Anfiteatro)

O conceito de estereótipo e a análise do discurso: definições e organização de corpus

 

Sirio Possenti

Autor(es)

Trabalho

Sirio Possenti

Aproximando e distinguindo conceitos

Ana Cristina Carmelino

O Brasil nas piadas: estereótipo e humor

Ana Carolina Nunes da Cunha

Estereótipos e AD: da análise à teoria

Vilela-Ardenghi

Lafayette Batista Melo

Como estereótipos circulam no Facebook: “quando dizem o

que sou”

Cellina Rodrigues Muniz

Humor, estereótipos e simulacros na imprensa natalense da

Belle Époque

COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

 

SESSÃO 01 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 07)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

08:30

Claudia Garcia Cavalcante e

Ponto de exclamação como índice de autoria: análise dialógica

Anderson Cristiano Da Silva

de um livro didático universitário de língua materna

 

08:50

Arlete Machado Fernandes

Os museus de ciência à luz da teoria dialógica do Círculo de

Higashi

Bakhtin

09:10

Ana Luiza Azevedo Fireman

Uma análise discursiva da Súmula 385 do STJ

 

09:30

Sandro Luis da Silva

O discurso midiático

e as eleições:

do título

ao

texto de

notícias jornalísticas

 

09:50

Antonio Carlos Bezerra Camelo

O processo de transposição didática da noção de gênero do

discurso: em pauta os critérios de avaliação de livros didáticos

 
 

SESSÃO 02 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 08)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

08:30

Rafael Prearo Lima

Ethos feminino em Dove: retratos da (des)construção da

beleza

08:50

Felipe de Souza Costa

A primeira

impressão

é

a

que

fica? Ethos discursivo de

presidentes no dia da posse, a partir de manchetes de jornais

impressos paulistas

 

09:10

Josiane Cristina Barbosa de

A página de perfil na rede social: lugar do dizer e formação do

Souza Rosa

Ethos

09:30

Juliana Vieira Chalub

O Ethos do discurso

 

09:50

Ana Claudia Moraes Merelles

A

Análise

do

Discurso

e

os

significantes

“ideologia”

e

Bezz e Frederico Sidney

“inconsciente”

 

Guimaraes

 
 
 

SESSÃO 03 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 09)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

08:30

Caroline da Cunha Moreno e

Relações de professores com a arte e suas implicações para

Filomena Elaine Paiva Assolini

suas práticas de ensino

 

08:50

Eliana Maria Severino Donaio

Representações de professor na era digital

 

Ruiz

 

09:10

Érica Mancuso Schaden

A autoria na formação do futuro professor: autorizações para

a constituição do intérprete-historicizado

 

09:30

Raphael de Morais Trajano

Análise

do

discurso

e

educação:

uma

reflexão

sobre

estratégias (im)possíveis

 

09:50

Bárbara Melissa Santana

Análise Dialógica Discursiva sobre gêneros em La majorité

opprimée

 
 

SESSÃO 04 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 10)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

08:30

Ana Paula Peron

Mulheres e relatos de violência doméstica e familiar: uma

leitura discursiva sobre o “ser mulher”

 

08:50

Diego Lacerda Costa

Entre a salvação da alma e o alvará de soltura: o poético e o

jurídico no discurso para a mulher presa

09:10

Valquiria Botega de Lima

A cidade em mim e eu nela: algumas considerações analíticas

sobre a presença das mulheres no espaço urbano

09:30

Paula de Souza Gonçalves

A nova classe média no discurso da Folha de S. Paulo

Morasco

 
 

SESSÃO 05 ANÁLISE DA CONVERSAÇÃO/ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 11)

 

Autor

Trabalho

08:30

Denise Durante

A incorporação da fala popular nos contos “Brás, Bexiga e

Barra Funda”, de Alcântara Machado

08:50

Katiuscia Cristina Santana

(Des)cortesia na rede social Facebook

09:10

Joelma Aparecida Bressanin

Linguagem e tecnologias: a construção de sentidos para o

sujeito professor

09:30

Daiane Rodrigues de Oliveira

Análise discursiva de um guia evangelístico: a representação

Bitencourt

da África pela Junta de Missões Mundiais

 
 

SESSÃO 06 EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA E MULTICULTURALISMO / LIBRAS (Sala IEL 12)

 

Autor

Trabalho

08:30

Anna Paula Scarabotto Cury

Oralidade no ensino superior: as aulas de língua portuguesa como uma contribuição efetiva no desenvolvimento do

discurso oral

08:50

Nastassia Santos Neves

As identidades e a representação masculina no mundo social

Coutinho

hegemônico

09:10

Carolina de Oliveira Jimenez e Silvestre

A prática de reformulação de enunciados na construção de sentido em língua portuguesa (L2): o ensino-aprendizagem

para surdos em perspectiva bilíngue

09:30

Aryane Santos Nogueira

A leitura de imagem em movimento: aproximações e

diferenças entre jovens surdos e ouvintes

 
 

SESSÃO 07 LINGUAGEM E NOVAS TECNOLOGIAS (Sala IEL 13)

 

Autor

Trabalho

08:30

Aline Akemi Nagata e Noemia

Ensino-aprendizagem de línguas por meio de recursos digitais:

Fumi Sakaguchi

uma nova perspectiva

08:50

Gerson Luiz de Moraes

Tecnologias da informação a serviço da educação

09:10

Lucimar Luisa Ferreira

O sujeito discursivo em blogs: deslocando a noção de usuário

09:30

Eliane Fernandes Azzari

Os discursos e a práxis na apropriação de TICDs por uma

professora de inglês na escola pública

09:50

Gláucio Geraldo Moura Fernandes

O ensino de língua inglesa sob a perspectiva da Teoria de Gêneros a importância e relevância em se publicar a

produção dos alunos

 
 

SESSÃO 08 ENSINO DE LÍNGUA MATERNA (Sala IEL 14)

 

Autor

Trabalho

08:30

Maria Aparecida Garcia Lopes

Sequências didáticas que viabilizam práticas de leitura bem

Rossi

informadas teoricamente nos Ensinos Fundamental e Médio

08:50

Camila Dalla Pozza Pereira

Pedagogia dos Multiletramentos, o Currículo Transformativo

e o Currículo em Movimento dos anos finais do Ensino

   

Fundamental do Distrito Federal: análise das influências e

nuances

 

09:10

Karin Adriane Henschel Pobbe Ramos

Considerações a respeito do trabalho com os gêneros textuais na sala de aula: experiências de professores de português em

formação continuada

 

09:30

Ana Paula dos Santos de Sá

De documentos oficiais à transposição didática: o lugar e os

contornos do multiculturalismo no ensino de Literatura

 

09:50

Juliana Fermino Pinto

O gênero tira em materiais didáticos

 
 
 

SESSÃO 09 SOCIOLINGUÍSTICA E DIALETOLOGIA (Sala CEL 01)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Antônio Anderson Marques de

Concordância e verbo SER na fala dialetal lusitana

 

Sousa

 

08:50

Maria Zélia Alves Nogueira

Variação e ensino no município de Palmas de Monte Alto: o

(não) uso da concordância verbal

 

09:10

Samine de Almeida Benfica

Discutindo a influência de

aspectos

sociais

sobre

a

concordância verbal na fala de Vitória

 

09:30

Alexandre Monte

Nova velha história: a concordância verbal no PB e no PE

 
 
 

SESSÃO 10 SOCIOLINGUÍSTICA E DIALETOLOGIA (Sala CEL 02)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Rafael de Almeida Arruda Felix

Um artigo interessantérrimo: uma análise do superlativo na

fala gay

 

08:50

Mara Pereira Mariano

A

atuação

de

fatores

sociais

sobre

o

fenômeno

da

concordância nominal

 

09:10

Marcus Vinicius Avelar

Masculinidade e patriotismo: sobre a utilização de categorias

híbridas em duas entrevistas sociolinguísticas

 

09:30

Francisca da Cruz Rodrigues

Objetos

indiretos

em

cartas

pessoais:

um

tratamento

Pessoa

sociolinguístico

 

09:50

Lilian do Rocio Borba

Vernáculo popular e sintaxe escrita convencional: aspectos de variação linguística na concordância nominal em artigos de D.

Obá II

 
 
 

SESSÃO 11 GRAMÁTICA FUNCIONAL (Sala CEL 03)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Marize Mattos Dall Aglio

A sobreposição entre modalidade e evidencialidade:

Hattnher

predições e descrições segundo a GDF

 

08:50

Lisângela Aparecida Guiraldelli

Usos modais dos verbos DEVER e PODER no português do

e Ana Maria Paulino Comparini

Brasil sob a luz da GDF

 

09:10

Samuel da Silva

O

gênero

ensaio:

um

enfoque

da

gramática

sistêmico-

funcional

 

09:30

Paulo Roberto Gonçalves

Engajamento e processamento discursivo: diálogos entre a

Segundo

Linguística Sistêmico-Funcional e a Linguística Cognitiva

 

09:50

Virginia Maria Nuss

A não sinalização

da

relação

de

coerência

e

seu

reconhecimento por parte do destinatário do discurso

 

SESSÃO 12 GRAMÁTICA FUNCIONAL (Sala CEL 04)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Fabiana Pirotta Camargo

 

O condicional evidencial no gênero jornalístico

Lourenço

 

08:50

Luciana Ribeiro de Souza

 

O estabelecimento da cadeia referencial e a construção de

 

pontos de vista em sequências dissertativas

09:10

Mariana Ximenes Bastos

 

O comportamento dos sintagmas nominais complexos em

 

artigos de divulgação científica

 

09:30

Cibele Naidhig de Souza

 

Análise

de

usos modais do

verbo dar em entrevistas no

 

português brasileiro

 
 

SESSÃO 13 LINGUÍSTICA TEXTUAL (Sala CEL 05)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Silvia Adélia Henrique

 

O texto argumentativo do aluno de periferia: produção ou

Guimarães

 

tradição?

08:50

Maria Isabel Soares Oliveira

Estratégias linguísticas de produção textual argumentativa:

uma análise de redação nota 1.000 do ENEM

09:10

Silvia Augusta de Barros Albert

Tecendo a rede para um projeto de dizer: processos de referenciação na construção da coesão e da coerência em

redações do ENEM 2013

 

09:30

Ana Beatriz Manhani

 

Leitura e interpretação do gênero artigo de opinião: uma experiência reflexiva em ambiente socioeducativo - Fundação C.A.S.A

 
 

SESSÃO 14 LEXICOLOGIA E LEXICOGRAFIA (Sala CEL 06)

 

Autor

 

Trabalho

08:30

Igor Caixeta Trindade Guimarães

 

Do discurso ao enunciado: um estudo dos itens lexicais “surdo-mudo” e “deficiente auditivo”

08:50

Rosana Maria SantAna Cotrim

Casos de criação e remotivação de lexias textuais em João

Cabral: crítica social, ironia e expressividade

09:10

Sandra Mina Takakura

 

A expressividade das criações lexicais na arte poética de

 

Arnaldo Antunes

 

09:30

Renato Railo Ribeiro

 

Inclusão de ilocuções em dicionários híbridos via corpora:

 

pressupostos teóricos e procedimentos metodológicos de

uma proposta

 

09:50

Deni

Yuzo

Kasama

e

Claudia

Etnofaulismos e suas marcas de uso em quatro dicionários

Zavaglia

 

monolíngues brasileiros

 
 
 

SESSÃO 15 SEMÂNTICA (Sala CEL 07)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Renata Ortiz Brandão

 

As nuances de trabalhador: análise dos sentidos da palavra em

 

dicionários e em trechos de um discurso de Getúlio Vargas

08:50

Taisir Mahmudo Karim

 

Marcas do dizer: sentidos do Arraial do Cuyabá

09:10

Aline Pereira de Souza

Metáforas, Personificações e Esquemas de Imagem: um estudo dos títulos de notícias e reportagens de alguns jornais

brasileiros

09:30

Fernando Martins Rocha

A sintaxe do verbo haver, antes e após a Nomenclatura

Gramatical Brasileira (NGB)

 
 
 

SESSÃO 16 NEUROLINGUÍSTICA (Sala CEL 08)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

08:30

Lou-Ann Kleppa

Interações fictivas enquanto estratégia comunicativa em

sujeitos com agramatismo: um estudo de caso

 

08:50

Larissa Picinato Mazuchelli

Questões de linguagem no processo de envelhecimento: uma

abordagem enunciativo-discursiva em Neurolinguística

09:10

Danilo Brandão de Lima

A estruturação da fala em casos de afasia

 

09:30

Isabella de Cássia Netto

Linguística e pedagogia: um diálogo necessário

 

Moutinho

 

09:50

João Pedro de Souza Gati

Considerações

sobre

a

noção

de

“mutismo”

enquanto

categoria clínica

07 de julho de 2015 (terça-feira) 14h30 às 16h30

SIMPÓSIOS
SIMPÓSIOS

SIMPÓSIO 8 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 01) O estilo bakhtiniano em diferentes gêneros

 

Camila de Araújo Beraldo Ludovice

Autor(es)

Trabalho

Talita Cristina Bartolomeu e Camila de Araújo Beraldo

As relações dialógicas na propaganda política de abertura da presidente Dilma Rousseff em 2014

Ludovice

Rosana Letícia Pugina e Juscelino

Vozes de Eros: o estilo e as relações dialógicas no conto

Pernambuco

erótico “Cinco sentidos”, de Manoel Lobato

Andre Plez Silva

Estilística dialógica no romance “Quarup” de Antonio Callado

Marilurdes Cruz Borges e Juliana Spirlandeli Barci

A estilística nas colunas “o português é uma figura”, de Marcílio Godoi e no texto “Guia de conduta para o homem

pós-moderno”, da revista Gentlemen´s Quarterly

Rafael Menari Archanjo

“Bié, bié, brasil”, ou “bye, bye”, “milagre brasileiro”!? O

humor parodístico em disjunção com o discurso do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), no contexto

da ditadura civil-militar pós-1964

SIMPÓSIO 9 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 02) Discurso e tecnologia: processos de significação na contemporaneidade

 

Cristiane Pereira Dias

Autor(es)

Trabalho

Maristela Cury Sarian

Ensino de língua portuguesa e tecnologias digitais: um olhar

discursivo para a leitura e a escrita em um livro didático

Cristiane Pereira Dias

Um sentido para o amor: uma análise da digitalização dos

afetos

Greciely Cristina da Costa

Corpo em jogo: tecnologia, memória e ideologia

Marcos Aurélio Barbai

Cidade e Tecnologia: corpo e afeto no laço geossocial

Jaqueline Gonçalves Araujo

Ciberfeminismos: identidades possíveis

SIMPÓSIO 10 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 03) Corpo e sujeito: textualizações significantes

 

Dantielli Assumpção Garcia

Autor(es)

Trabalho

Dantielli Assumpção Garcia

Corpo e significações: modos de dizer sobre a mulher

João Flávio de Almeida

Para uma estética pecheutiana: sentidos errantes num corpo

que dança

Rodrigo Daniel Sanches

Dietas e mídia: a constituição do sujeito e sua relação com o

corpo na contemporaneidade

Jonathan Raphael Bertassi da

A discursividade sobre o amor mediado pela tecnologia no

Silva

filme “I'm a cyborg, but that's ok”

Daiana de Oliveira Faria

Sujeito e memória: das relações impelidas pela tecnologia

SIMPÓSIO 11 ENSINO DE LÍNGUA MATERNA (Sala IEL 04) Ambiguidade: fenômeno da língua ou da linguagem?

 
 

Marilia Blundi Onofre

 

Autor(es)

 

Trabalho

Tarcilane Fernandes da Silva

A constituição lexical como mecanismo enunciativo: proposta

reflexiva para o ensino de língua materna (português)

 

Marilia Blundi Onofre

A ambiguidade como um princípio de leitura

 

Cássia Regina Coutinho

Uma releitura da ambiguidade a partir da TOPE: os gêneros

Sossolote

discursivos em discussão

 

Jacqueline Jorente

Uma exploração

das

operações

de

quantificação

e

qualificação em sala de aula

 

SIMPÓSIO 12 LINGUAGENS E NOVAS TECNOLOGIAS (Sala IEL 05) Multiletramentos na escola por meio da hipermídia

 

Petrilson Alan Pinheiro

Autor(es)

Trabalho

Roziane Keila Grando

Novos letramentos e a formação de professores: aportes teóricos e reflexões sobre uma experiência com alunos do

curso de letras

Rafaela Salemme Bolsarin e

Wikipédia e letramento digital: uma experiência de prática

Petrilson Alan Pinheiro

colaborativa de escrita

Viviane de Fatima Pettirossi

Práticas colaborativas de escrita em disciplina de Língua

Raulik

Inglesa de curso militar

Carlos José Lírio

Comunicação digital e multiletramentos no âmbito da Lei 10.639/03: um estudo crítico-discursivo a partir de “A gAXÉta

– o jornal da diversidade”

 
 

SIMPÓSIO 13 SEMIÓTICA (Sala IEL 06) Paixão e Memória

 

Mariana Luz Pessoa de Barros

Autor(es)

Trabalho

Norma Discini

Éthos e páthos: entre paixão e memória

Eliane Soares de Lima

Memória e afetividade em “Vermelho Amargo”, de

Bartolomeu Campos de Queirós

Sueli Maria Ramos da Silva

O discurso ritual: a passionalização da resignação

Mariana Luz Pessoa de Barros

Paixões da memória: entre a lembrança e o esquecimento

Elizabeth Harkot-de-La-Taille

Por exemplo, o perdão

SIMPÓSIO 14 EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA E MULTICULTURALISMO (Sala IEL 07) Educação Linguística e Formação de Professores Indígenas

 

Maria Gorete Neto

Autor(es)

Trabalho

Maria Gorete Neto

Educação linguística e formação de professores indígenas na

universidade: o Pibid Diversidade em foco

Letícia Fraga

“Formação continuada de professores de língua em contextos bi/multilíngues paranaenses”: a experiência na escola Kokoj Ty Han Jà (T.I. de Mangueirinha/PR)

Ana Alice dos Passos Gargioni

Representações identitárias na constituição de uma escola e educação escolar indígena: o caso dos professores Terena do

Mato Grosso do Sul

Maxwell Gomes Miranda

Marigu! Formação e prática docentes no fortalecimento da

língua e cultura bóroro na comunidade Meruri (MT)

SIMPÓSIO 15 FONOLOGIA (Sala IEL 08) Adaptações fonológicas de anglicismos na língua portuguesa

 
 

Natália Cristine Prado

Autor(es)

Trabalho

Natália Cristine Prado

Adaptações fonológicas na pronúncia de nomes

de

estabelecimentos comerciais brasileiros com elementos do

inglês

Gladis Massini-Cagliari

Adaptação fonológica de prenomes estrangeiros: comparação entre Português Arcaico e Português Contemporâneo

(Brasileiro e Europeu)

Suzana Maria Lucas Santos de Souza

Acomodações fonético-fonológicas plenas e parciais de anglicismos: a produção de nomes personativos adotados por

indivíduos brasileiros

Márcia Helena Sauáia Guimarães

O “inglês” dos reggaes no Maranhão: análise da interferência

Rostas

de uma língua “estrangeira” que é nativizada através do som

Natalia Zaninetti Macedo

Adaptação fonológica de antropônimos e hipocorísticos de

origem estrangeira na variedade sãocarlense

COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

 

SESSÃO 17 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 09)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Karine de Medeiros Ribeiro

Mulheres honestas e prostitutas: análise discursiva de uma

divisão lógico-jurídica

 

14:50

Vicentina dos Santos Vasques

O corpo da mulher como objeto de manipulação mercantil

Xavier

15:10

Rosângela Oliveira Cruz

As mulheres afegãs pela imprensa brasileira

 

Pimenta e Paulo Nin Ferreira

 

15:30

Marcio dos Reis Sales

Expressividade e constituição do feminino, em Cora Coralina

15:50

Mirielly Ferraça

Garotas de programa e o entre-lugar discursivo

 
 
 

SESSÃO 18 ANÁLISE DO DISCURSO / LINGUAGEM E PSICANÁLISE (Sala IEL 10)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Maria do Carmo Meirelles Reis

Sequências explicativas e argumentativas na composição do

Branco Ribeiro

gênero “anúncio publicitário”

 

14:50

Maria Elizabeth da Silva Queijo

O discurso no discurso: reflexões e refrações das palavras de

Simone de Beauvoir reportadas em enunciados publicitários

15:10

Mercia Sylvianne Rodrigues Pimentel

"Parta dessa para uma melhor": algumas reflexões acerca do discurso sobre a morte na publicidade funerária

15:30

Shirlei Maria Freitas de Mello

Merchandising impresso: a encenação e as estratégias

discursivas do discurso informativo em mídias impressas

15:50

Diogo Gomes Novaes

O equívoco de escrita como ponto de partida para a reescrita

em sala de aula.

 
 
 

SESSÃO 19 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 11)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Vanessa Amin

Análise discursiva da imagem de Eduardo Campos nas

propagandas político-partidárias de 2013

 

14:50

Gabriella Silveira Hóllas

O posicionamento discursivo da mídia alemã em relação à

presidenta Dilma Rousseff

 

15:10

Sidnay Fernandes dos Santos

Uma leitura de fotografias do rosto de Dilma Rousseff

15:30

Elaine de Moraes Santos

A produção de um efeito discursivo de copresença Lula-Dilma

em 2010: enquadramentos da Revista Época

 

15:50

Érica Karine Ramos Queiroz

Sentidos sobre o MST em jornais impressos de Minas Gerais

 
 

SESSÃO 20 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 12)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Águeda Aparecida da Cruz

A noção

de sujeito no discurso em torno

de indígenas na

Borges

cidade

14:50

Bianca Cavichia Desidério

Os deslocamentos Brasiguaios e a construção da noção de

espaço: uma análise do discurso acadêmico

 

15:10

Evelyn Yamashita Biasi

Representações do trabalhador (in)visível das muralhas

15:30

Denise Machado Pinto

A arte do mangueio: processos de subjetivação do sujeito

artesão de rua

 

15:50

Siomara Ferrite Pereira

Uma representação da mulher no lar, em crônica do cotidiano

Pacheco

de Chico Buarque de Hollanda

 
 
 

SESSÃO 21 EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA E MULTICULTURALISMO (Sala IEL 13)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Silvia Maria Beraldo Dos Santos

O currículo

e

o

desenvolvimento

de

propostas

didáticas

baseadas na ecologia de saberes: a formação de alunos crítico-

reflexivos

 

14:50

Maria Daise da Cunha Matos e

Educação de Jovens e Adultos: ênfase na variação linguística

Maria Betanea Platzer

no ensino de Língua Portuguesa

 

15:10

Sueli Salles Fidalgo

Questionamento da linguagem que permeia a sala de aula:

rumo a uma linguagem Inclusiva

 

15:30

Marcia Andréa dos Santos

"Nós

conseguimos

enxergar

dessa

maneira":

Fochzato

representações e formação de professores

 
 
 

SESSÃO 22 ENSINO DE LÍNGUA MATERNA (Sala IEL 14)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Ana Carolina Sperança

O estudo da sintaxe no ensino fundamental e médio:

Criscuolo

sugestões para um trabalho contextualizado com a gramática

14:50

Valdenildo dos Santos

Níveis de leitura do texto para interpretação e produção do sentido em enunciados de caráter verbal, não verbal e

sincrético

 

15:10

Geralda Fátima de Souza

Valência verbal: uma perspectiva de ensino de transitividade

e regência verbal no Ensino Médio

 

15:30

Rosivaldo Gomes e Heloane

Multimodalidade e gêneros multimodais em provas do Enem:

Baia Nogueira

um olhar para as questões de leitura

 

15:50

Carla Andréia Thadei Nunes

A ESCRITA DIALÓGICA: Investigando o relacionamento do

dos Santos

sujeito com o próprio texto

 
 
 

SESSÃO 23 ENSINO DE SEGUNDA LÍNGUA/ LÍNGUA ESTRANGEIRA (Sala CEL 01)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Henrique Rodrigues Leroy

Percepções interculturais manifestadas linguisticamente na interação face a face do Certificado de Proficiência em Língua

Portuguesa para Estrangeiros (Exame Celpe-Bras)

 

14:50

Eliana Kobayashi

Estudo sobre o impacto de um exame de proficiência no

programa Inglês sem Fronteiras

 

15:10

Ana Lígia Barbosa de Carvalho e Silva

A análise de necessidades e sua relação com cursos e avaliação de proficiência em inglês para um grupo de pilotos militares

brasileiros

 

15:30

Heloisa Brito de Albuquerque

Francês sem Fronteiras (FsF) na Escola Politécnica da USP:

Costa

aquisição do léxico específico de engenharia para a

comunicação em contexto acadêmico na França

 

15:50

Ana Cristina Biondo Salomão

Língua e cultura no curso de graduação em Letras: uma reflexão sobre as concepções de alunos, Projeto Político

Pedagógico e programas de ensino

 
 

SESSÃO 24 LITERATURA ESTRANGEIRA (Sala CEL 02)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Amanda Miotto Muniz

O tempo e a memória na narrativa sveviana

 

14:50

Isaías Eliseu da Silva

Memória, culpa e redenção em “Atonement”, de Ian McEwan

15:10

Everton Fernando Micheletti

Vozes múltiplas: oralidade e discurso indireto livre na

literatura de Boaventura Cardoso

 

15:30

Aline Venturini

Dom Quixote: leituras de Machado de Assis e Jorge Luís Borges

sobre o clássico espanhol

15:50

Deolinda de Jesus Freire

Os procedimentos retóricos aplicados por Dom Antonio de

Solís no prólogo da “Historia de la conquista de México”

 
 
 

SESSÃO 25 SEMIÓTICA (Sala CEL 03)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Matheus

Nogueira

Veja e Carta Capital: prática epistolar como estratégia de

Schwartzmann

veridicção

14:50

Thais Borba Ribeiro Rodrigues

Identidade e emotividade no discurso dos hinos pátrios: uma

análise semiótica dos filhos deste solo

 

15:10

Marcos da Veiga Kalil Filho

“Caso João Hélio”: A intensidade da cobertura da revista Veja

e suas estratégias de enunciação

 

15:30

Raiane Nogueira Gama

A cobertura de mortes trágicas e/ou violentas por O Globo:

uma abordagem semiótica

15:50

Renata Grangel da Silva

Identidade brasileira e estratégias enunciativas em Carta

Capital

 
 

SESSÃO 26 LETRAMENTOS (Sala CEL 04)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Cláudia Gomes Silva Guimarães

Formação do professor como agente de letramento:

implicações sobre o processo de elaboração de atividade para

produção textual multimodal

14:50

Marília Curado Valsechi

O estágio supervisionado

nas

orientações

oficiais

da

universidade: incidências na cadeia enunciativa da esfera

universitária

15:10

Kelly Cristiane Henschel Pobbe de Carvalho e Silvia Cristina

Projeto de Letramento: uma experiência de pesquisa no contexto PROFLETRAS

Rapatoni Ribeiro

15:30

Denise Akemi Hibarino

O ensino-aprendizagem de língua inglesa no contexto do ProFIS-UNICAMP: construções e exercícios de agência

docente

15:50

Cristina Yukie Miyaki Fuchs

O discurso citado em resumos acadêmicos: uma análise das propostas do Exame de Proficiência em Língua Portuguesa da

PUC-PR

 
 

SESSÃO 27 SEMÂNTICA (Sala CEL 05)

 
 

Autor

 

Trabalho

14:30

Elaine Regina Franco Magro

Modos de ver, modos de dizer sobre a cidade: Rua Rabo da

Gata, um estudo semântico-enunciativo de nomeação

 

14:50

Thalita Nogueira de Souza

Os sentidos de cota na arguição de descumprimento de

Preceito Fundamental 186

15:10

Letícia Lucinda Meirelles

Os verbos de movimento no PB

 

15:30

Thatiana Ribeiro Vilela

 

Reflexões sobre a descrição e a abordagem metodológica de

 

preposições: o caso de COM no português brasileiro

 

15:50

Adriana Aparecida Vaz da Costa

A designação do nome brasiguaio em dicionários de Língua

Portuguesa: reescrituração e definição

 
 
 

SESSÃO 28 SEMÂNTICA (Sala CEL 06)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

14:30

André Campos Mesquita

 

Os sentidos do

termo

‘evolução’

na

obra

“Ensaio

de

 

semântica” de Michel Breal

 

14:50

Eliana da Silva Tavares

 

Referenciação e espaços mentais interligados: como a igreja

 

inventou a publicidade

 

15:10

Rosimar Regina Rodrigues de

A civilização como argumento para a conquista do oeste

Oliveira

selvagem/indígena

 

15:30

Anderson Braga do Carmo

 

“O Brasil Dilmou! ”. Formação e funcionamento semântico- enunciativo de um verbo denominativo derivado de nome

 

próprio de pessoa

 
 
 

SESSÃO 29 SEMÂNTICA (Sala CEL 07)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

14:30

Gabrielle Perotto de Souza da

O sentido construído pelo discurso no ensino de língua

Rosa

portuguesa como língua estrangeira

 

14:50

Gabriela da Silva Pires

 

“Para um iniciante, você está indo muito bem”: estudos sobre

 

a Construção Concessiva Comparativa (CCC) e sua relação com

a alteração de escala

 

15:10

Luisa Andrade Gomes Godoy

 

A linguagem de representação nos estudos linguísticos uma

 

abordagem epistemológica

 

15:30

Giseli Veronêz da Silva

 

Patrimônio: reescrita e articução, sentidos da palavra no

 

Decreto-Lei nº 25

 
 
 

SESSÃO 30 LÍNGUA E LITERATURA CLÁSSICA/RETÓRICA E ESTILÍSTICA (Sala CEL 08)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

14:30

Larissa de Souza Lopes Kerr

 

Si uales, ego ualeo: algumas concepções do gênero epistolar

 

greco-romano

 

14:50

Maria Júlia Santos Duarte

 

Pistas de contextualização em “Vidas Secas”: uma análise

 

15:10

Luana Ferraz

 

O

coração

entre

o

sorriso

e

a solidão:

uma análise

do

 

movimento passional no esquete cômico

 

15:30

Ivani Cristina Silva Fernandes

 

Qual é o refúgio da ironia? Considerações sobre os usos

 

retóricos na construção de um lugar de interação

 

15:50

Ana Lúcia Magalhães

 

O Supremo Tribunal Federal e a dessacralização retórica da

 

família

 
 
 

SESSÃO 31 NEUROLINGUÍSTICA/PSICOLINGUÍSTICA (Sala CEL 09)

 
 

Autor

 

Trabalho

 

14:30

Betina Rezze Barthelson

 

A importância da interlocução na constituição do sujeito

 

14:50

Marcus

Lepesqueur

Fabiano

A estruturação de textos narrativos em figura e fundo:

Gomes

atenção, memória e linguagem

 

15:10

Mariana

Terra Teixeira

e

O desempenho de crianças em fase de alfabetização em

Bernardo Kolling Limberger

avaliações de leitura

 

15:30

Lélia Erbolato Melo

 

Contribuições reflexivas para a leitura interativa de imagens

 

08 de julho de 2015 (quarta-feira) 08h30 às 10h30

SIMPÓSIOS
SIMPÓSIOS
 

SIMPÓSIO 16 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 01)

Discursos midiáticos que atravessam a constituição das subjetividades na contemporaneidade

 

Eliane Righi de Andrade

Autor(es)

Trabalho

Eliane Righi de Andrade

Entre a resistência e a anarquia: representações dos

manifestantes de junho de 2013

Paulo Noboru de Paula

Os Anonymous de Junho: uma reflexão sobre autoria dentro

Kawanishi

das redes sociais

Carlos Alberto Zanotti

A batalha dos números: a estimativa de multidões como parte das estratégias argumentativas nas relações de poder

mediadas pela imprensa

Maria de Fátima Silva Amarante

Consumindo(-se) em comunidades de aprendizagem: entre a

hiperindividualidade e a solidariedade

Lucas Rodrigues Lopes

Câmera, memória, ação: o morador de rua e suas narrativas

em vídeos do YouTube

SIMPÓSIO 17 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 02)

Discursos e sentidos: a constituição e a circulação de diferentes materialidades

 

Fernanda Correa Silveira Galli

Autor(es)

Trabalho

Fernanda Correa Silveira Galli

Percursos de leitura na/em rede

Telma Domingues da Silva

O sujeito urbano e a notícia impressa: novos percursos de

leitura

Ana Sílvia Couto de Abreu

Acesso a recursos e gestos de filiação memórias em jogo

Luciana Aleva Cressoni

Os discursos sobre a formação de professores da Educação

Básica no Brasil

Caciane Souza De Medeiros

Imagens e sentidos na Faixa de Gaza: o discurso em rede

SIMPÓSIO 18 GRAMÁTICA FUNCIONAL (Sala IEL 03) Construções concessivas em perspectiva funcionalista II

 

Juliano Desiderato Antonio

Autor(es)

Trabalho

Juliano Desiderato Antonio

A relação retórica de concessão no português falado

Michel Gustavo Fontes

Construções concessivas com 'ainda que'

Renata Margarido

O uso argumentativo das construções concessivas

Andre Vinicius Lopes Coneglian

A natureza da concessividade na cognição e na linguagem

SIMPÓSIO 19 ENSINO DE LÍNGUA MATERNA (Sala IEL 04)

A leitura e a produção textual como encontro entre subjetividade e alteridade: desafios para o ensino e a aprendizagem nas esferas escolar e acadêmica

 

Mary Elizabeth Cerutti Rizzatti

Autor(es)

Trabalho

Aline Cassol Daga

A leitura na universidade: um olhar para o encontro com o

outro por meio do ato de ler

Anderson Jair Goulart e Mary

Tensões entre a ação e a descrição: desafios no estudo dos

Elizabeth Cerutti Rizzatti

'encontros' mediados pela modalidade escrita da língua

Simone Lesnhak

Perspectivas convergentes sobre o sujeito e a linguagem: a

filosofia, a antropologia e a psicologia da linguagem

Hellen Melo Pereira

O lugar das práticas de letramento na esfera escolar: um

estudo sobre o encontro aula de Língua Portuguesa

Suziane da Silva Mossmann

O ato de dizer entre Babel e Pentecostes: um estudo sobre os

usos sociais da escrita na esfera acadêmica

SIMPÓSIO 20 ENSINO DE LÍNGUA MATERNA (Sala IEL 05) O professor de língua materna face aos desafios da avaliação

 

Matilde Virginia Ricardi Scaramucci

Autor(es)

Trabalho

Luciana Amgarten Quitzau

A produção de gêneros textuais na prova de Redação do Vestibular Unicamp: as percepções de professores do Ensino

Médio

Matilde Virginia Ricardi

A integração de habilidades em tarefas de avaliação de

Scaramucci

desempenho e a percepção do professor

Monica Panigassi Vicentini

A dissertação no ENEM e os gêneros em tarefas integradas de leitura e escrita no vestibular da Unicamp: efeitos nas práticas

de uma professora de escola privada

Maria Inês Vasconcelos Felice

Avaliando o ensino e a prática da avaliação

 

SIMPÓSIO 21 SEMIÓTICA (Sala IEL 06)

Uma visada semiótica sobre as manifestações de junho: corpo, valores e história

 

Oriana de Nadai Fulaneti

Autor(es)

Trabalho

Oriana de Nadai Fulaneti

Entre a rede e a rua: uma análise semiótica das manifestações

políticas contemporâneas

Alexandre Marcelo Bueno

As manifestações vistas pelas charges: a historicidade nas

polêmicas políticas contemporâneas

Aline Perrotti

Vandalismo Privado e Vandalismo Público: uma análise da transição discursiva dos audiovisuais da Folha de S. Paulo

sobre as Jornadas de Junho

Marcos Rogério Martins Costa

As jornadas de junho: um estudo semiótico sobre o corpo

discursivo do ator manifestante

SIMPÓSIO 22 EDUCAÇÃO LINGUÍSTICA E MULTICULTURALISMO (Sala IEL 07) Educação Linguística em cenários multilíngues/multiculturais, Globalização e Políticas Linguísticas

 
 

Cloris Porto Torquato

Autor(es)

Trabalho

Renata Franck Mendonça de Anunciação

Se língua é poder, ensinar língua é empoderar: a necessidade de criação de uma política linguística para o ensino de português para imigrantes em situação de vulnerabilidade

social

Bernardete Ryba

Identidades étnico-linguísticas e práticas de letramentos em comunidades bi/multilíngues de descendentes de poloneses

no Paraná

Cloris Porto Torquato

Ideologias linguísticas na educação linguística em Cabo Verde

e políticas linguísticas no cenário multilíngue

e

inter/multicultural cabo-verdiano

Helena Karla Isoppo Schmid

Questões sobre política e educação linguística: pensando o

cenário multilíngue de Timor-Leste

SIMPÓSIO 23 NEUROLINGUÍSTICA (Sala IEL 08) Pesquisas em Neurolinguística: teoria e/na prática

 
 

Rosana do Carmo Novaes Pinto

Autor(es)

 

Trabalho

Mirian Cazarotti Pacheco

Contribuições

da

análise

microgenética

às

pesquisas

em

 

neurolinguística

 

Reynaldo Otero da Silva

O corpo em movimento: um estudo neurolinguístico sobre a

relação afasia-apraxia

 

Marcus Vinicius Borges Oliveira

As palavras na ponta-da-língua e o funcionamento integrado

das funções psicológicas superiores

 

Elenir Fedosse

Contribuições

da

teorização, avaliação

Neurolinguística

e

terapia

de

Discursiva

para sujeitos afásicos com

a

apraxia orofacial

 

Rosana do Carmo Novaes Pinto e

Produção de parafasias no contexto das afasias: evidências

Thalita Cristina Souza Cruz

para o estudo de processos de categorização

 

COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

 

SESSÃO 32 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 09)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Milene Maciel Carlos Leite

 

Sentidos sobre infância - uma análise discursiva de imagens na

 

imprensa

 

08:50

Jairo Venício Carvalhais Oliveira

Em busca da persuasão: o funcionamento das relações

retóricas na construção de imagens

 

09:10

Elizângela

Fernandes

dos

Além da imagem: um pouco de mim, um encontro com os

Santos

Outros

09:30

Khal Rens Cândido

 

Do Outro ao Mesmo: Jô Soares entrevista Ataliba Castilho e

 

Evanildo Bechara

 

09:50

Nicole Mioni Serni

 

Les

Misérables:

relações

dialógicas

entre

o

musical

e

o

 

romance

 
 
 

SESSÃO 33 ANÁLISE DO DISCURSO (Sala IEL 10)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Leonardo Paiva Fernandes

 

O modelo da linguística saussuriana é a democracia?

 

08:50

Thales de Medeiros Ribeiro

 

A língua em jogo: a metáfora do jogo de xadrez na linguística

 

saussuriana

 

09:10

João Thiago Monezi Paulino da

O sintagma “complexo de vira-latas” e as Copas de 1958 e

Silva

2014: traços de identidade brasileira

 

09:30

Patrícia Aparecida de Aquino

O percurso de um acontecimento discursivo a polêmica em

torno da dislexia

 

09:50

Heloisa Mara Mendes

 

Uma formação discursiva sobre a língua portuguesa

 
 
 

SESSÃO 34 AQUISIÇÃO DA ESCRITA (Sala IEL 11)

 
 

Autor

 

Trabalho

08:30

Bianca de Carvalho Coelho

 

Características fonológicas das transposições ortográficas

 

08:50

Luciani Ester Tenani e Simone

Emergência de grafia de coda nasal no primeiro ano do ensino

Rizzatto Albertini Garcia

 

fundamental

 

09:10

Giordana França Ticianel

 

O discurso direto na aquisição da escrita

 

09:30

Tatiane

Henrique

Sousa

Conflitos com a noção de palavra

 

Machado

 

09:50

Viviane Favaro Notari

 

O uso do hífen na aquisição da escrita

 
 
 

SESSÃO 35 LINGUAGEM E NOVAS TECNOLOGIAS (Sala