Вы находитесь на странице: 1из 11
MODELAGEM MATEMÁTICA RELACIONADA AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA: UMA EXPERIÊNCIA COM FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA Ana

MODELAGEM MATEMÁTICA RELACIONADA AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA:

UMA EXPERIÊNCIA COM FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

Ana Carolina Maia Barreto UNESPAR/FECILCAM, carolzinha_barreto@hotmail.com

Guilherme Fernando Ribeiro UNESPAR/FECILCAM, guilherme.ribeiro91@hotmail.com

Wellignton Hermann UNESPAR/FECILCAM, eitohermann@gmail.com

Resumo: Neste trabalho relatamos uma experiência desenvolvida com alunos do 4º ano do curso de Licenciatura em Matemática da Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (FECILCAM), da cidade de Campo Mourão, Paraná. Este trabalho tem como tema o desperdício de água. É um tema que possibilita múltiplas aplicações e também várias formas de ser abordado, uma vez que ele coloca em evidência aspectos como economia de água e educação ambiental. Utilizamos a Modelagem Matemática para verificar o desperdício de água das torneiras dos banheiros da FECILCAM, bem como o desperdício de água referente a um dia, a um mês e a um ano nas torneiras utilizadas para as coletas dos dados. Está atividade possibilitou aos alunos uma experiência com a Modelagem Matemática reflexões sobre a escassez de água em um futuro não muito distante. Os resultados do trabalho serão apresentados à direção da faculdade para que esta tome as devidas providências quanto aos vazamentos encontrados.

Palavras-chave: Educação ambiental; Modelagem Matemática; Desperdício de água.

Introdução

Neste trabalho apresentamos um relato de uma atividade desenvolvida com alunos

do Curso de Licenciatura em Matemática da Faculdade Estadual de Ciências e Letras de

Campo Mourão (FECILCAM), durante as aulas da disciplina de Introdução a Modelagem

Matemática. O professor da disciplina propôs que fossem formados grupos de alunos e que

estes lessem o livro “Modelagem Matemática na Educação Brasileira: pesquisas e práticas

educacionais 1 ” para escolher um tema e elaborar um projeto de Modelagem. Na sequencia,

cada grupo deveria elaborar uma atividade de Modelagem Matemática, a qual deveria ser

desenvolvida com o restante da turma. O grupo proponente deveria ficar responsável pelo

andamento da aula e das atividades.

1 BARBOSA, J. C.; CALDEIRA, A. D.; ARAÚJO, J. L de. Modelagem Matemática na Educação Brasileira: pesquisas e práticas educacionais. Recife: SBEM, p. 253- 268, 2007.

Modelagem Matemática na Educação Brasileira: pesquisas e práticas educacionais. Recife: SBEM, p. 253- 268, 2007.
Escolhemos o tema Educação Ambiental e o projeto tratava do Desperdício de Água , visto

Escolhemos o tema Educação Ambiental e o projeto tratava do Desperdício de Água, visto que é um recurso escasso e, seu desperdício é notável. O objetivo do trabalho foi de investigar vazamentos de água em torneiras da FECILCAM e fazer uma projeção do desperdício para um dia, um mês e para um ano de vazamento.

Modelagem Matemática

A Matemática é uma ciência que foi construída a partir de desafios lançados pelo dia-a-dia ao homem 2 , uma vez que seu desenvolvimento inicial deu-se a partir das necessidades de sobrevivência dos povos primitivos. Acreditamos, assim como Caldeira (2009), que a Matemática se desenvolveu historicamente, como parte da cultura da humanidade e, portanto, foi construída socialmente. Neste sentido, instiga-nos o interesse em refletir sobre o ensino de Matemática que geralmente é abordado de forma tradicional e descontextualizada da realidade dos alunos, expresso de maneira extremamente formal desde os primeiros anos da Educação Básica. No âmbito da Educação Matemática, muitas são as críticas e os estudos que propõem mudanças no ensino. Neste sentido, são promovidas pesquisas e discussões sobre novas concepções e práticas de ensino da Matemática. Isto porque é de se pensar que, se a matemática foi construída para resolver problemas de ordem prática, a que se deve o ensino formalizado e sem conexão com a realidade dos alunos? Desta forma, encontramos na Modelagem Matemática uma alternativa pedagógica que favorece os processos de ensino e aprendizagem da Matemática. Acreditamos que a Modelagem Matemática é um ambiente de aprendizagem no qual o professor convida os alunos a investigar, por meio da matemática, situações provenientes de outras áreas da realidade. Ela é um encaminhamento que pressupõe o ensino e a pesquisa, possibilitando aos alunos e professores que trabalham em sala de aula os mais diversos temas (Barbosa, 2004). Vale ressaltar que

As vantagens do emprego da modelagem matemática em termos de pesquisa podem ser constatados nos avanços obtidos em vários campos como a Física, a Química, a Biologia e a Astrofísica entre outros. A modelagem pressupõe

multidisciplinariedade [

]

(BASSANEZI, 2006, p. 16).

2 Utilizamos um substantivo masculino para representar todas as pessoas de forma geral. Neste caso, homem tem sentido de “humano”.

um substantivo masculino para representar todas as pessoas de forma geral. Neste caso, homem tem sentido
A Modelagem Matemática pode ser considerada uma alternativa pedagógica em que, mediante um processo investigativo,

A Modelagem Matemática pode ser considerada uma alternativa pedagógica em

que, mediante um processo investigativo, busca-se encontrar soluções para problemas do cotidiano. O ambiente de Modelagem está associado à problematização, ato de criar perguntas e problemas e a investigação, que é a organização e a busca de informações.

De acordo com Perez (2007, p. 9):

Um dos mais relevantes aspectos com o qual o ensino por meio da Modelagem contribui, é o social, pois por meio da valorização de temas atuais e da realidade, pode-se trazer para a sala de aula assuntos em que, ao mesmo tempo em que se ensina Matemática, desperta-se para problemas atuais da sociedade, problemas ambientais, econômicos, financeiros, dentre outros. O aluno sai de uma posição passiva, e como cidadão integrado no mundo no qual faz parte, tem condições de contribuir, provocar mudanças, interagir, integrar e tomar decisões.

Para Barbosa (2001, p. 3), “a Modelagem Matemática contribui na compreensão

dos conceitos matemáticos, desenvolve habilidades de pesquisa e experimentação, leva em conta o contexto sociocultural e, por fim, viabiliza a interdisciplinaridade e a espiralização

do

currículo”.

A

Modelagem Matemática pode, portanto, proporcionar aos (futuros) professores

o

contato com aspectos da Matemática, até então, por eles desconhecidos ou

despercebidos. Assim, garante aos alunos um ambiente em sala de aula mais propício a reflexão acerca de conceitos matemáticos. Acreditamos que Embora

] [

alguns desafios ao professor. Daí a importância de introduzir atividades de Modelagem nos cursos de formação de professores, seja por meio de disciplina específica, seja permeando outras disciplinas curriculares, para viabilizar aos professores, ou aos futuros professores, experiências e perspectivas otimistas em relação ao uso de Modelagem em sua prática docente. (ALMEIDA; DIAS, 2007,

p. 256)

seja uma perspectiva curricular inovadora, a Modelagem Matemática coloca

a formação de um

professor de matemática mais reflexivo, crítico, colaborador e investigador de sua prática” (SILVA, 2007, p. 217). Os métodos e práticas adotados pelo professor precisam auxiliar o aluno a construir o seu próprio conhecimento, visto que o estudante precisa ter “formação necessária para o enfrentamento com vistas à transformação da realidade social, econômica e política de seu tempo” (PARANÁ, 2008, p. 20). Assumimos, para este trabalho, a perspectiva de Modelagem de Barbosa (2001; 2004), com vistas à formação de professores para atuar na Educação Básica, de forma que estes proporcionem a seus (futuros) alunos a vivência de situações que privilegiem

discussões acerca do papel desempenhado pela matemática e por suas próprias ações na sociedade em que vivem.

Nesta perspectiva, a modelagem pode proporcionar, “[

]

e por suas próprias ações na sociedade em que vivem. Nesta perspectiva, a modelagem pode proporcionar,
Encaminhamentos Metodológicos Os sujeitos participantes e proponentes deste trabalho são alunos do 4º ano de

Encaminhamentos Metodológicos

Os sujeitos participantes e proponentes deste trabalho são alunos do 4º ano de Licenciatura em Matemática da FECILCAM . O grupo responsável pela atividade foi composto por 3 acadêmicos e outros 11 acadêmicos a desenvolveu. Foi realizada na Disciplina de Introdução à Modelagem Matemática, do Curso de Licenciatura em Matemática, do Departamento de Matemática, da FECILCAM. A atividade foi realizada no dia 06 de julho de 2012, em duas horas aulas. Inicialmente, apresentamos, por meio de slides, como a água doce e salgada está distribuída pelo planeta, como evitar vazamentos, verificar equipamentos hidráulicos desregulados e algumas dicas de economia de água. Depois disso, apresentamos o seguinte texto aos alunos:

A população global não pára de crescer. Segundo a ONU, até 2050, seremos aproximadamente 9 bilhões e 300 milhões de habitantes. Contudo, a quantidade de água disponível para consumo não aumenta; pelo contrário, está ameaçada pelo alto grau de poluição e pelo aquecimento global- de redução em cerca de um terço nos próximos vinte anos. Por isso, além da urgente união dos governos mundiais para uma gestão inteligente dos recursos hídricos, é de primeira importância que todos combatam o desperdício. Você sabe qual é o desperdício aproximado de água em litros de uma simples torneira pingando em um dia? (MODERNA, 2006, p. 188, apud MIYASAKI; ROLKOUSKI, 2007, p. 11)

Em seguida, os 11 alunos foram distribuídos em três grupos e cada grupo recebeu uma folha com a atividade. Foi solicitado que escolhessem um nome para cada equipe. Apresentamos os nomes escolhidos na Tabela 1.

Tabela 1 – Nome dos grupos e integrantes

NOME DO GRUPO

QUANTIDADE DE ALUNOS

FEFEI Águas

4

Water Park Produções

4

Fiscais da Água

3

Cada grupo recebeu, para realizar a coleta dos dados, uma garrafa pet de 510 ml, uma seringa médica de 5 ml, um copo medidor de 10 ml (copinho de xarope), um copo descartável de 180 ml. Na Figura 1, temos as seringas e os copos que foram fornecidos aos grupos.

de xarope), um copo descartável de 180 ml. Na Figura 1, temos as seringas e os
Figura 1 - Seringas e copos utilizados Após a entrega dos materiais foi sugerido que
Figura 1 - Seringas e copos utilizados Após a entrega dos materiais foi sugerido que

Figura 1 - Seringas e copos utilizados

Após a entrega dos materiais foi sugerido que cada grupo encontrasse, nas dependências da instituição, alguma torneira com vazamento e então realizasse a coleta para avaliar o desperdício de água dessa torneira. Nas figuras a seguir apresentamos os grupos que realizaram as atividades. Na Figura 2, temos o grupo Water Park Produções, na Figura 3, o grupo Fiscais da Água e na Figura 4, o grupo FEFEI Águas.

Fiscais da Água e na Figura 4, o grupo FEFEI Águas . Figura 2 – Grupo

Figura 2 – Grupo “Water Park Produções”

4, o grupo FEFEI Águas . Figura 2 – Grupo “Water Park Produções” Figura 3 –

Figura 3 – Grupo “Fiscais da Água”

4, o grupo FEFEI Águas . Figura 2 – Grupo “Water Park Produções” Figura 3 –
Figura 4 – Grupo “FEFEI Águas” A busca por torneiras com vazamento foi proposta com
Figura 4 – Grupo “FEFEI Águas” A busca por torneiras com vazamento foi proposta com

Figura 4 – Grupo “FEFEI Águas”

A busca por torneiras com vazamento foi proposta com a finalidade de calcular o desperdício decorrente em um dia, um mês e um ano, bem como responder questões como, por exemplo, o que se pode fazer com esta água desperdiçada em uma torneira com vazamento.

com esta água desperdiçada em uma torneira com vazamento. Figura 5 – Aluna realizando a medição

Figura 5 – Aluna realizando a medição da coleta realizada pelo seu grupo

Essa atividade visou contribuir, também, para a formação dos acadêmicos, visto que tem como um dos seus objetivos desenvolver ações que visam o estabelecimento de uma base conceitual consistente para os futuros professores de Matemática, ou seja, além do interesse na aprendizagem matemática, com ela visava-se contribuir com a formação pedagógica, visto que a reflexão acerca do tema contribui para o desenvolvimento pessoal, social, educacional e cultural dos acadêmicos.

que a reflexão acerca do tema contribui para o desenvolvimento pessoal, social, educacional e cultural dos
Análise do trabalho desenvolvido em sala de aula Foi questionado aos acadêmicos, o desperdício de

Análise do trabalho desenvolvido em sala de aula

Foi questionado aos acadêmicos, o desperdício de água que a torneira causaria em um dia, um mês e um ano, se o vazamento persistisse com a mesma intensidade. O grupo Water Park Produções mediu o vazamento de um bebedouro durante um minuto para fazer os cálculos. Encontraram que em um minuto a torneira desperdiçava 3,2 ml, o que resulta em 4,608 litros por dia e 138,24 litros em um mês, ou seja, 8294 litros por ano de água desperdiçados.

mês, ou seja, 8294 litros por ano de água desperdiçados. Figura 6: Dados do Grupo Water

Figura 6: Dados do Grupo Water Park Produções

O grupo Fiscais da Água encontrou uma torneira com vazamento em um dos banheiros femininos do primeiro andar da instituição. Segundo o grupo, eles ficaram impressionados ao perceber o vazamento desta torneira: “- era como se a torneira praticamente estivesse aberta!”. Este grupo optou por medir durante um minuto este vazamento. Encontraram que esta torneira vazava 143 ml por minuto e fizeram os cálculos, obtendo 205,92 litros por dia de água desperdiçados. Consequentemente, o desperdício em um mês seria de 6177,6 litros de água e, em um ano de 75160,8 litros de água desperdiçados. Após medir este vazamento, uma das integrantes do grupo tentou fechar a torneira, mas o vazamento continuou. Em seguida mediram novamente, obtendo 10 ml por minuto de água desperdiçados e, consequentemente 54 litros em um dia, 1620 litros em um mês e 19710 litros por ano. Na figura 7 apresentamos os resultados encontrados por esta equipe:

por ano. Na figura 7 apresentamos os resultados encontrados por esta equipe: Figura 7: Dados do

Figura 7: Dados do Grupo Fiscais da Água

por ano. Na figura 7 apresentamos os resultados encontrados por esta equipe: Figura 7: Dados do
O grupo FEFEI Águas também optou por medir o vazamento durante um minuto. Encontraram uma

O grupo FEFEI Águas também optou por medir o vazamento durante um minuto. Encontraram uma torneira em um dos banheiros femininos no segundo andar da instituição para realizar a atividade. Cronometraram e perceberam que o vazamento era de 2,5 ml por minuto e, consequentemente, 3,6 litros de água desperdiçada em um dia, o que acarreta o desperdício de 108 litros por mês e 1314 litros por ano, como podemos observar na figura a seguir:

litros por ano, como podemos observar na figura a seguir: Figura 8: Dados do Grupo FEFEI

Figura 8: Dados do Grupo FEFEI Águas

Segundo estimativas, uma pessoa utiliza cerca de 250 litros de água para realizar suas atividades diárias como higiene pessoal, limpeza, e para ingestão. Questionamos aos alunos que, caso esta afirmativa seja verdadeira, qual seria o consumo mundial diário no ano de 2050, visto que no texto inicial foi falado sobre a densidade demográfica e a expectativa da população mundial para este ano. Todos os grupos encontraram o mesmo resultado, que é o de 2 trilhões e 325 bilhões de litros de água por dia. Este questionamento foi feito justamente para que os alunos refletissem a respeito do desperdício de água e, se uma simples torneira pingando faria diferença ou não no impacto causado ao meio ambiente.

faria diferença ou não no impacto causado ao meio ambiente. Figura 9. – Aluna resolvendo um

Figura 9. – Aluna resolvendo um dos problemas propostos

faria diferença ou não no impacto causado ao meio ambiente. Figura 9. – Aluna resolvendo um
Pedimos aos alunos que explicitassem o parecer de seus respectivos grupo a respeito dos resultados

Pedimos aos alunos que explicitassem o parecer de seus respectivos grupo a respeito dos resultados obtidos e suas opiniões relacionadas às atividades desenvolvidas e à salas de aula da Educação Básica.

O grupo Fiscais da Água sugeriu que fosse calculado o impacto econômico

causado por estas torneiras que estavam pingando. O grupo também percebeu que o problema não é apenas o do desperdício de água, mas também envolve outras questões do tema Educação Ambiental, como, por exemplo, o lixo que não é bem separado ou que é jogado no chão. O grupo Water Park Produções falou da importância da conscientização para que as pessoas, além de evitar desperdícios, economizem água ao máximo, com o propósito de evitar que as gerações futuras passem sede e outras necessidades pessoais, relacionadas a falta de água. Já o grupo FEFEI Águas relatou que é espantosa a desproporcionalidade existente entre a quantidade de água potável e água salgada do mundo e, o tema tratado é de grande importância e esta atividade mostrou como desperdiçamos água sem perceber. Com relação ao desenvolvimento de atividades semelhantes com alunos da Educação Básica, representantes de todos os grupos explicitaram suas opiniões a respeito da multiplicidade de conteúdos que poderiam ser desenvolvidos por meio da Modelagem

Matemática. Elencaram desde transformações de unidades de medida de volume, operações fundamentais, proporção, até funções afim. Conteúdos estes, por eles utilizados durante a realização das atividades propostas.

A partir da experiência vivenciada durante o desenvolvimento das atividades de

Modelagem Matemática com os acadêmicos, concluímos que essa perspectiva pedagógica pode auxiliar na formação de professores de Matemática para lecionar nos Ensinos Fundamental e Médio. Principalmente, por proporcionar a articulação entre conteúdos

matemáticos, realidade e encaminhamento pedagógico.

Considerações Finais

A partir dos cálculos efetuados por cada grupo, os alunos perceberam que, mesmo

que pareça insignificante, no decorrer de certo tempo, o desperdício de água causado por uma torneira vazando resulta em um grande impacto ambiental e, também, econômico.

o desperdício de água causado por uma torneira vazando resulta em um grande impacto ambiental e,
No desenvolvimento da atividade, podemos perceber que os alunos se interessaram e se envolveram na

No desenvolvimento da atividade, podemos perceber que os alunos se

interessaram e se envolveram na busca das soluções para os problemas. Trabalhar com

conceitos matemáticos contextualizando as situações da realidade dos alunos é uma das

maneiras de incentivá-los e também, de contribuir com a sua formação.

Percebemos que os alunos não se limitaram em calcular o desperdício. Surgiram

discussões a respeito do tema tratado que contribuem para o desenvolvimento da

criticidade dos alunos, bem como para a conscientização sobre o desperdício de água. Ao

final, uma sugestão dos alunos foi a de apresentar os resultados do trabalho para a direção

da faculdade, para que esta tome as devidas providências.

Referências

ALMEIDA, Maria de Lourdes Werle.; DIAS, Michele Regiane. Modelagem Matemática em Cursos de Formação de Professores. In: BARBOSA, Jonei Cerqueira.; CALDEIRA, Ademir Donizete.; ARAÚJO, Jussara Loiola de. Modelagem Matemática na Educação Brasileira: pesquisas e práticas educacionais. Recife: SBEM, p. 253- 268, 2007.

BARBOSA, Jonei Cerqueira. Modelagem Matemática e os professores: a questão da formação. Bolema, Rio Claro, n. 15, p. 5-23, 2001.

BARBOSA, Jonei Cerqueira. Modelagem Matemática: O Que É? Por Que? Como? Veritati. n. 4, p. 73-80, 2004.

BASSANEZI, Rodney Carlos. Ensino e Aprendizagem com Modelagem Matemática:

uma nova estratégia. 3 ed. São Paulo: Contexto, 2006.

BIEMBENGUT, Maria Salett. Modelagem Matemática & Implicações no Ensino- Aprendizagem de Matemática. Ed. da Furb, 1999.

CALDEIRA, Ademir Donizete. Modelagem Matemática: um outro olhar. In:

ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.2, n.2, p.33-54, jul.

2009.

MIYASAKI, Dirce Mayumi; ROLKOUSKI, Emerson. Modelagem Matemática e Educação Ambiental: possibilidades para o Ensino Fundamental. Universidade Federal do Paraná, 2007. Disponível em:

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/359-4.pdf. Acesso em 25/08/2012, às 16:52.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares de Matemática Para as Séries Finais do Ensino Fundamental e para o Ensino Médio. 2008.

Diretrizes Curriculares de Matemática Para as Séries Finais do Ensino Fundamental e para o Ensino Médio
PEREZ, Willian Fuzinato. Modelagem e Educação Ambiental: Apresentando um projeto no Ensino Médio por meio

PEREZ, Willian Fuzinato. Modelagem e Educação Ambiental: Apresentando um projeto no Ensino Médio por meio do tema desperdício de água. Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná, 2007.

SILVA, D. K. da. Ações de Modelagem Matemática para a Formação Inicial de Professores de Matemática. In: BARBOSA, J. C.; CALDEIRA, A. D.; ARAÚJO, J. L de. Modelagem Matemática na Educação Brasileira: pesquisas e práticas educacionais. Recife: SBEM, p. 215-232, 2007.

de. Modelagem Matemática na Educação Brasileira : pesquisas e práticas educacionais. Recife: SBEM, p. 215-232, 2007.