Вы находитесь на странице: 1из 29

PROBLEMAS RESOLVIDOS DE FÍSICA

Prof. Anderson Coser Gaudio

Departamento de Física – Centro de Ciências Exatas – Universidade Federal do Espírito Santo http://www.cce.ufes.br/anderson

anderson@npd.ufes.br

Última atualização: 28/11/2006 14:52 H

Última atualização: 28/11/2006 14:52 H Fundamentos de Física 2 Halliday, Resnick, Walker 4ª

Fundamentos de Física 2 Halliday, Resnick, Walker 4ª Edição, LTC, 1996 Cap. 27 - Capacitância

20 - Capacitância

LTC, 1996 Cap. 27 - Capacitância 20 - Capacitância Física 2 Resnick, Halliday, Krane 4ª Edição,

Física 2 Resnick, Halliday, Krane 4ª Edição, LTC, 1996 Cap. 31 - Capacitores e Dielétricos

Edição, LTC, 1996 Cap. 31 - Capacitores e Dielétricos Física 2 Resnick, Halliday, Krane 5ª Edição,

Física 2 Resnick, Halliday, Krane 5ª Edição, LTC, 2003 Cap. 30 - Capacitância

2 Resnick, Halliday, Krane 5ª Edição, LTC, 2003 Cap. 30 - Capacitância Prof. Anderson (Itacaré, BA

Prof. Anderson (Itacaré, BA - Fev/2006)

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

Prof. A nderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES HALLIDAY, RESNICK, WALKER, FÍSICA, 4.ED., LTC,

HALLIDAY, RESNICK, WALKER, FÍSICA, 4.ED., LTC, RIO DE JANEIRO, 1996.

FUNDAMENTOS DE FÍSICA 3

CAPÍTULO 27 - CAPACITÂNCIA

EXERCÍCIOS E PROBLEMAS

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88

89

90

91

92

93

94

95

96

97

98

99

100

[Início documento]

[Início seção]

[Início documento]

Halliday, Resnick, Walker - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 27 – Capacitância

2

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

Prof. A nderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES RESNICK, HALLIDAY, KRANE, FÍSICA, 4.ED., LTC,

RESNICK, HALLIDAY, KRANE, FÍSICA, 4.ED., LTC, RIO DE JANEIRO, 1996.

FÍSICA 3

CAPÍTULO 31 - CAPACITORES E DIELÉTRICOS

PROBLEMAS

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62

               

[Início documento]

01. Um eletrômetro é um aparelho usado para medir cargas estáticas. Uma carga desconhecida é colocada nas armaduras de um capacitor e após isto medimos a diferença de potencial entre elas. Qual é a menor carga que pode ser medida por um eletrômetro cuja capacitância vale 50 pF e tem sensibilidade à voltagem de 0,15 V?

(Pág. 92)

Solução. A carga a ser medida pelo eletrômetro é acumulada num capacitor, de capacitância C, do instrumento e deve satisfazer à relação fundamental de capacitância:

q CV

=

(

50

10

9

q = 7,5 pC

F

)(

0,15 V

)

7,5

10

[Início seção]

9

C

[Início documento]

04. Um capacitor de armaduras paralelas é construído com placas circulares de raio 8,22 cm e 1,31 mm de separação entre elas. (a) Calcule a capacitância. (b) Qual a carga que aparecerá nas armaduras, se aplicarmos uma diferença de potencial de 116 V entre elas?

(Pág. 92)

Solução.

+q − q d
+q
− q
d

r

(a) A capacitância de um capacitor de placas paralelas, não importando a forma geométrica de suas placas, é dada por:

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

3

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

C == A d

ε

0

επ

0

r

2

d

C 143 pF

(b) A carga q vale:

q

CV

==

(

1,4340

q 17,2 nC

=

π

(

8,85 10

×

12

F/m

)(

0,0822 m

)

2

(

1,31

×

10

3

m

)

=

1,4340

×

10

10

F

)(

120 V

)

=

[Início seção]

1,7208

×

10

8

C

[Início documento]

×

10

10

F

13. Ache a capacitância equivalente à combinação na Fig. 25. Suponha que C 1 = 10,3 μF, C 2 = 4,80 μF e C 3 = 3,90 μF.

à combinação na Fig. 25. Suponha que C 1 = 10,3 μ F, C 2 =

(Pág. 93)

Solução. Em primeiro lugar, vamos resolver a associação em série de C 1 e C 2 , cuja capacitância equivalente chamaremos de C 12 e, em seguida, resolveremos a associação em paralelo entre C 12 e C 3 , cuja capacitância equivalente chamaremos de C 123 .

1

=+= 11

C

2

+

C

1

C

12

C

1

C

2

CC

1

2

C

12

=

C C

1

2

C

1

+

C

2

=

(

10,3

F

μ

)(

4,80

F

μ

)

(

10,3

F

μ

)(

+

4,80

F

μ

)

= 3,2741

μ F

A capacitância equivalente final vale:

C

123

= CC+= 3,2741 μF + 3,90 μF = 7,1741 μF

12

3

(

)

(

)

C

123

7,17 μF

[Início seção]

[Início documento]

17. (a) Três capacitores estão ligados em paralelo. Cada um deles tem armaduras de área A, com espaçamento d entre elas. Qual deve ser a distância entre as armaduras placas de um único capacitor, cada uma com área também igual a A, de modo que a sua capacitância seja igual à da associação em paralelo? (b) Repita o cálculo supondo que a associação seja em série. (Pág. 93)

Solução.

(a) A capacitância da associação em paralelo (C assoc ) é igual à capacitância do capacitor isolado

( C isol ).

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

4

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

Logo:

d C, A C, A C, A = C C assoc isol ε 0 A
d
C, A
C, A
C, A
= C
C assoc
isol
ε 0 A
CCC ++=
l
ε
A
0
3 C =
l
A
ε
A
ε 0
0
3
=
d
l
d
l =
3
l C, A
l
C, A

(b) A capacitância da associação em série (C assoc ) é igual à capacitância do capacitor isolado (C isol ).

Logo:

d d d C, A C, A C, A = C C assoc isol −
d
d d
C, A
C, A
C, A
= C
C assoc
isol
1
111
ε
A
0
++
=
⎜ ⎝
CCC
⎟ ⎠
l
C
ε
A
0
=
3
l
1
A
ε
A
ε 0
0
=
3
d
l
l = 3d

l

A 0 = 3 l 1 A ε A ε 0 0 = 3 d l

C, A

[Início seção]

[Início documento]

20. Imagine que você disponha de vários capacitores de 2,0 μF, capazes de suportar, sem ruptura dielétrica, 200 V. Como seria possível combinar esses capacitores, de modo a obter um sistema capaz de resistir à diferença de potencial de 1.000 V e com uma capacitância de (a) 0,40 μF e (b) 1,2 μF?

(Pág. 93)

Solução.

(a) É possível satisfazer a condição do enunciado por meio de uma associação em série de cinco

capacitores de C 1 = 2,0 μF.

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

5

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

C1

C1

C1

C1

C 1

=

V

V

V

V

V

1

=++++= 111115

CCCCCC

C

eq

11111

1

C =

eq

C

1

(

2,0

F

μ

)

=

5

5

C =

eq

0,40

F

μ

C1/5

5 V

Associando-se em série cinco capacitores que suportam individualmente uma tensão de 200 V, a tensão total que a associação poderá suportar é:

V

eq

=++++=VVVVV

V eq

= 1.000 V

5

V =

5(200 V)

(b) No item anterior, a associação em série de cinco capacitores de 2,0 μF produziu uma capacitância equivalente de 0,40 μF. Para produzir uma capacitância equivalente de 1,2 μF seria necessário associar em série cinco capacitores de:

1 5

=

C

C

eq

2

C ==C

5

2

eq

(

5 1,2

F

μ

)

=

6,0

F

μ

É possível construir um capacitor equivalente a 6,0 μF associando-se três capacitores de 2,0 μF em

paralelo.

C1

C1 C1
C1
C1

V

C2 = 3C1

=

V

C =++=CCC

eq

111

3

C =

1

3

(

2,0

F

μ

)

=

6,0

F

μ

É preciso lembrar que todos os capacitores que participam de uma associação em paralelo estão

sujeitos à mesma diferença de potencial do capacitor equivalente. Isto faz com que a limitação da

voltagem total também seja satisfeita. A associação total é representada no esquema abaixo, onde todos os quinze capacitores têm capacitância C 1 = 2,0 μF:

capacitores têm capacitância C 1 = 2,0 μ F : [ Início seção ] [ Início

[Início seção]

[Início documento]

24. Quando giramos a chave S da Fig. 30 para a esquerda, as armaduras do capacitor de capacitância C 1 adquirem uma diferença de potencial V 0 . Inicialmente, C 2 e C 3 estão descarregados. A chave S é agora girada para a direita. Quais os valores das cargas finais q 1 , q 2 , e q 3 sobre os capacitores correspondentes?

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

6

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

( Pág. 94 )

(Pág. 94)

Solução. Considere a seqüência de operações no circuito mostradas no esquema abaixo:

V0 C1 A
V0
C1
A

C2

C3

q0, V 0 +++ − − − V0 C1 B
q0, V 0
+++
− − −
V0
C1
B

C 2

C 3

q0,V 0 +++ − − − V 0 C 1 C
q0,V 0
+++
− − −
V 0
C 1
C

C2

C3

q2, V 2 +++ − − − q1, V 1 C2 +++ − − −
q2, V 2
+++ − − −
q1, V 1
C2
+++
− − −
q3, V3
V 0
C1
+++
− − −
C 3
D

No circuito B, a chave S é girada para a esquerda. O capacitor C 1 adquire diferençca de potencial igual à da bateria (V 0 ) e carga q 0 igual a:

q

0

= CV 0

1

(1)

No circuito D, a chave S é girada para a direita. A carga q 0 é distribuída entre os três capacitores. A

diferença de potencial de C 1 , V 1 , diminui enquanto que a de C 23 (capacitor equivalente a C 2 e C 3 ),

, V 23 , aumenta até ficarem iguais. Podemos desenvolver o seguinte cálculo:

V

1

= V

2 3

q

1

q

23

=

C

1

C

2 3

(2)

Como C 23 é uma associação em série de capacitores, teremos:

e

C C

2

3

C +

2

C

3

3

C =

23

q

23

= qq=

2

Portanto, a distribuição de carga entre os capacitores fica da seguinte forma:

q =+qq =+qq

q

Substituindo-se (4) em (2):

0

12

1

3

2

= qq

0

1

q =

1

C q

1

2

C

23

Substituindo-se (5) em (6):

q =

1

(

Cq

10

q

1

)

C q

1

0

C q

1

1

C

23

=− C

C

23

23

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

(3)

(4)

(5)

(6)

7

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

q

q

1

1

1 +

C

1

C q

1

0

C

23

C

23

=

=

Cq

1

0

C

23

⎞⎛

⎟⎜ = C q ⎠⎝

1

C

23

CC

1

+

23

1

0

CC

1

+

23

Substituindo-se (3) em (7):

q

1

=

Cq

10

⎝ ⎜

 

1

⎟ =

C

2

+

C

3

C +

C C

2

3

⎟ ⎠

C q

1

0

CC

12

+

CC

13

+

CC

23

1

C

2

+

C

3

 

Substituindo-se (1) em (8):

q

1

= CV

10


CC

12

+ CC

13

⎞ ⎟

 

CC

12

+ CC

13

+ CC

23

Da Eq. (5), temos:

CC

+

CC

 

=

CV

CV

12

13

=

C V

q

2

=

10

CV

10

CC

12

++−−

CC

12

CC

13

+

CC

13

CC

23

+

CC

23

CC

12

1

0

CC

13

q

2

10

CC

12

+ CC

13

+

CC

23

 

=

CV

 

C

2

C

3

 

q

2

10

CC

12

+ CC

13

+ CC

23

Como q 2 = q 3 :

1

q

 

= CV

10


C

2

C

3

3

 

CC

12

+ CC

13

+ CC

23

CC

12

+

CC

13

CC

12

+

CC

13

+

CC

23

(7)

(8)

[Início seção]

[Início documento]

26. Um capacitor de armaduras planas, mas não paralelas, é constituído por duas placas quadradas que formam entre si um ângulo θ, conforme na Fig. 32. O lado do quadrado é igual a a . Mostre que a capacitância deste capacitor, para valores de θ muito pequenos, é

C =

0

⎜ ⎝

1

⎟ ⎠

d

 

2 d

( Sugestão: O capacitor pode ser dividido em faixas infinitesimais que estejam efetivamente em paralelo.)

ε

a

2

θ

a

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

8

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

( Pág. 94 )

(Pág. 94)

Solução. Considere o esquema abaixo: a y θ d
Solução.
Considere o esquema abaixo:
a
y
θ
d

x dx

Tomando-se dois elementos de placas de comprimento dx e largura a , o conjunto representa um capacitor de placas paralelas de capacitância dC que possui área dA e distância de separação entre

as placas l . Capacitância dC:

dC == dA

ε

ε

adx

ε

0

adx

00

=

l

dy dx tan

+

+

θ

O capacitor da figura pode ser considerado como sendo uma associação em paralelo de capacitores

dC e, neste caso, somam-se (integram-se) as capacitâncias:

C

=

C =

dC

=

a

0

ε

0

adx

d

+

x tan

θ

ε

0

a

1

+

a tan

θ

tan

θ

d

ln

(1)

No Apêndice H deste livro vê-se que a função ln (1+ x ) pode ser expandida em série de Taylor, sendo o resultado:

(

ln 1 +

)

xx

=−

Considerando-se

1 1 2 3 x + x − ( x 2 3
1
1
2
3
x
+
x
(
x
2
3

< 1

)

a tan

θ

x =

d

e tomando-se apenas os dois primeiros termos da série:

ln

⎜ ⎝

1

+

a

tan

θ

⎟ ⎠

≈− aa

tan

θ

2

tan

2

θθ

a

tan

=

⎜ ⎝

a

tan

θ

d

2

2

d

1

ddd

2

Considerando-se θ 0, isto implica em tan θ θ. Logo:

ln

⎝ ⎜

1

+

a

tan

θ

⎞⎛θ a

≈− ⎠⎝ ⎟⎜ d

a

2

d

θ

d

1

Substituindo-se (2) em (1):

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

(2)

9

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

C

ε

0

θ

a a

⎝ ⎜

θ

a

θ

d

2

d

1

⎠ ⎟

2 ε a ⎛ a ⎞ θ 0 C ≈ 1 − d ⎜ ⎝
2
ε
a ⎛
a ⎞
θ
0
C ≈
1
d
⎜ ⎝
2 d
⎟ ⎠

[Início seção]

[Início documento]

27. A diferença de potencial fornecida pela bateria B da Fig. 33 é igual a 12 V. (a) Calcule a carga em cada capacitor após ter sido fechada a chave S 1 . (b) Idem, quando também estiver fechada a chave S 2 . Suponha que C 1 = 1 μF, C 2 = 2 μF, C 3 = 3 μF e C 4 = 4 μF.

chave S 2 . Suponha que C 1 = 1 μ F, C 2 = 2

(Pág. 94)

Solução. (a) Considere o esquema a seguir:

C1 C3 C13 = C2 C4 C24 V V
C1 C3
C13
=
C2 C4
C24
V
V

Os capacitores C 1 e C 3 estão associados em série. Isto significa que:

C

13

=

C 1 C

3

C

1

+

C

3

q

1

= q

3

O mesmo é verdadeiro para os capacitores C 2 e C 4 :

C =

24

C C

2

4

C

2

+

C

4

q

2

= q

4

Como a ddp entre as placas de C 13 e C 24 é igual a V, temos:

VVV=+=+VV 4

13

2

Tomando-se:

VVV

=+=

1

3

q

1

q

3

q

1

q

1

+

=

+

CC CC

13

1

3

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

10

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

V

=

q =

1

q

1

1

1

+

C

1

C

3

C C

V C

1

1

3

+

C

3

q

1 = q

3

= 9 μC

De forma semelhante:

q =

2

V

C C

2

4

C

2

+

C

4

q

2 = q

4

= 16 μC

(b) Considere o esquema a seguir:

C1 C3

C1

C3

C 12 C 34 = = C2 C4 C2 C4
C 12
C 34
=
=
C2 C4
C2
C4

V

VV

=+=

12

34

V

q

12

q

34

+

C

12

C

34

V

V

Onde, por se tratar de uma associação de capacitores em série:

Logo:

q

12

= q

34

V

=

q

12

1

1

+

C

12

C

34

C C

12

34

qqV C C

12

=

34

=

12

+

34

Como C 12 e C 34 são associações de capacitores em paralelo, temos:

qqV

12

=

34

=

(

)(

CCCC

1234

+

+

)

(

CC

+++

12

)(

CC

34

)

 

q

12

= q

34

= 25, 2 μC

Mas:

 

V

12

=

q

C

12

12

= 8,4 μC

Logo:

 

q

1

= VC 1

12

q

2

= VC 2

12

q

1 = 16,8 μC

De forma semelhante:

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

11

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

q 3 = 10,8 μC q 1 = 14, 4 μC
q
3 = 10,8 μC
q
1 = 14, 4 μC

[Início seção]

[Início documento]

30. As tentativas de construção de um reator de fusão termonuclear controlada que, se bem- sucedidas, poderiam fornecer uma enorme quantidade de energia a partir do hidrogênio pesado existente na água do mar, envolvem usualmente a passagem de correntes elétricas muito intensas por pequenos períodos de tempo em bobinas que produzem campos magnéticos. Por exemplo, o reator ZT-40, do Laboratório Nacional de Los Alamos (EUA), tem salas cheias de capacitores. Um dos bancos de capacitores tem capacitância de 61,0 mF a 10,0 kV. Calcular a energia armazenada, (a) em joules e (b) em kW.h.

(Pág. 95)

Solução.

(a) A energia potencial acumulada num capacitor carregado, de capacitância C sujeito à uma

diferença de potencial V, é dada por:

U

=

1

1

CV

2

=

2

2

(

61,0

U = 3,05 MJ

(b) Lembrando-se que:

×10

)(

33

F

10,0

×10

V

1 J

=

W

s

×

kW

h

×

10

3

W

3.600 s

=

2,777

×10

)

2

=

3,05

7 kW h

Teremos:

U

=

(

3,05

×10

6

J

)(

2,777

U

0,847 kW h

×10

7

kW h

)

=

0,84722

×10 6

J

kW h

[Início seção]

[Início documento]

32. Dois capacitores, um de 2,12 μF e outro de 3,88 μF são ligados em série, com uma diferença de potencial de 328 V entre os terminais da associação. Calcular a energia total armazenada nos capacitores.

(Pág. 95)

Solução.

Podemos representar a associação em série dos capacitores C 1 e C 2 pelo capacitor equivalente C 12 :

C

12

=

C C

1

2

C

1

+

C

2

A energia potencial acumulada no capacitor C 12 sujeito à diferença de potencial V vale:

Logo:

1

U = CV

2

12

2

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

12

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

}

U

=

1

+

C

2

V

2

=

1

(

2,12

×

10

6

F

)(

3,88 10

×

6

F

)

 

6

6

2

(

2,12

×

10

F

)(

3,88 10

F

)

1

C C

1

2

2 C

U 73,7 mJ

(

328 V

[Início seção]

[Início documento]

)

2

=

0,073745

J

34. Um banco de capacitores ligados em paralelo, contendo 2.100 capacitores de 5,0 μF cada, é usado para armazenar energia elétrica. Quanto custa carregar este banco até a diferença de potencial nos terminais da associação atingir 55 kV, supondo um custo de 3 centavos por kW.h? (Pág. 95)

Solução.

Considere o seguinte esquema:

V

U C U C U C U C
U
C
U
C
U
C
U
C

V

1

2

3

2.100

A tarifa total T a ser paga pelo carregamento dos N capacitores é o produto da tarifa t pela energia acumulada nos N capacitores ( C N ).

T =⋅t U

N

= NtU

Na expressão acima, U é a energia acumulada em cada um dos capacitores da associação.

T

=

Nt

⎝ ⎜

1

⎠ ⎟

1

2

2

CV

2

=

NtCV

2

T =

1

2

(

2.100

)

T 13 cents

⎜ ⎝

3,0

cents

×

kW.h

kW.h

J

2,78

×10

7

⎟ ⎠

[Início]

(

5,0

×10

6

F

)(

55.000 V

)

2

=

13,2449

cents

36. Na Fig. 24 calcule (a) a carga, (b) a diferença de potencial e (c) a energia armazenada em cada capacitor. Suponha os mesmos valores numéricos do Problema 12, com V = 112 V.

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

13

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

( Pág. 95 )

(Pág. 95)

Solução.

[Início seção]

[Início documento]

38. Seja um capacitor cilíndrico de raios iguais a a e b , respectivamente como ilustra a Fig. 4. Mostre que a metade da sua energia potencial elétrica está acumulada no interior de um cilindro de raio igual a r = a b .

sua energia potencial el étrica está acumulada no in terior de um cilindro de raio igual
sua energia potencial el étrica está acumulada no in terior de um cilindro de raio igual

(Pág. 95)

Solução. Considere o esquema a seguir: − − − − − − + + a
Solução.
Considere o esquema a seguir:
+
+
a
+
b
+
+
+
r
+
+

Capacitância de um capacitor cilíndrico:

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

14

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

C

=

2

πε

0

L

ln ( b a )
ln
(
b a
)

Energia potencial elétrica acumulada num capacitor cilíndrico:

U

=

2 q q 2 ln ( ba ) = 2 C 4 πε L 0
2
q q
2 ln
(
ba
)
=
2
C 4
πε
L
0

(1)

Densidade de energia ( u) entre as placas de um capacitor cilíndrico:

u =

dU

dU

dV

= udV

= ⎜ ⎝

1

2

ε

0

E

2

⎟ ⎠

.

(

L π r dr

.2

.

)

(2)

Campo elétrico entre as placas de um capacitor cilíndrico:

E =

q

2 πε Lr

0

Substituindo-se (3) em (2):

dU

dU

=

=

ε

0

2

q

2

4

π ε

0

222

L r

2

q dr

4 πε Lr

0

π

Lrdr

Condição que resolve o presente problema:

r

a

dU =

U

2

Substituindo-se (1) e (4) em (5):

2 2 q dr dr 1 ⎡ q ln ( ba ) ⎤ ∫ r
2
2
q dr
dr
1
q
ln
(
ba
)
∫ r
=
4
πε
Lr
a
r
24 ⎣ ⎢
πε
L
0
0
r 1
b
ln
=
ln
a 2
a
2
b
ln
=
ln
⎜ ⎝
⎛ r ⎞
⎟ ⎠
a
a
⎛ r ⎞
⎜ ⎝
2 b
=
a
⎟ ⎠
a
r
b
=
a
a
r = a b

[Início seção]

[Início documento]

(3)

(4)

(5)

40. Mostre que as armaduras de um capacitor plano de placas se atraem mutuamente com uma força igual a

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

15

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

F =

2

q

2 ε A

0

Obtenha este resultado calculando o trabalho necessário para aumentar a separação entre as armaduras x para x + dx .

(Pág. 95)

Solução.

Considere o seguinte esquema, em que temos um capacitor de placas planas e paralelas, separadas por uma distância x e carregado com carga q .

+q

++++++++

F

++++++++ F
distância x e carregado com carga q . +q ++++++++ F − q − − −

q

− −

F

com carga q . +q ++++++++ F − q − − − F − − −

− −

− −

− −

d

− −

F − q − − − F − − − − − − d − −

− −

s

− −

− −

x dx

A placa da direita é movida para a direita através de uma distância dx . O trabalho W realizado pela

força F pode ser calculado da seguinte forma:

dW =⋅F ds = Fdx cosπ

W = − Fdx

(1)

O mesmo trabalho é equivalente à variação de energia potencial do sistema:

dW =− dU =− ( U U − ) = U − U 0 0
dW
=−
dU
=−
(
U U
)
=
U
U
0
0
2
2
q
x
x dx
+
q
dW
=
=
(
2
εεAA
2
ε
A
00
0
2
q dx
dW = −
2 ε A
0
Comparando-se (1) e (2):
2
q
F =
2 ε A
0

=

2

q

qq = ⎛ ⎜

22

1

1

222

C

0

C

CC

0

x −− x dx

)

[Início seção]

[Início documento]

(2)

44. É dado um capacitor de 7,40 pF com ar entre as armaduras. Você é solicitado a projetar um capacitor que armazene até 6,61 μJ com uma diferença de potencial máxima de 630 V. Qual dos dielétricos da Tabela 1 você usará para preencher o espaço entre as armaduras do capacitor, supondo que todos os dados são exatos, isto é, a margem de erro é zero?

(Pág. 95)

Solução.

Resnick, Halliday, Krane - Física 3 - 4 a Ed. - LTC - 1996.

Cap. 31 – Capacitores e Dielétricos

16

Problemas Resolvidos de Física

Prof. Anderson Coser Gaudio – Depto. Física – UFES

Se a capacitância do capacitor com vácuo entre as placas for C 0 , com ar entre as placas for C 1 e com outro dielétrico for C 2 , valem as seguintes relações:

C

1

C

2

C

C

1

2

= κ C

1

0

= κ C

2

0

=

κ

1

κ

2

C

0

C

0

C =

2

κ

2

κ

1

C

1

A energia potencial acumulada no capacitor C 2 vale:

1

U = CV 2

2

2

2

2

Substituindo-se (1) em (2):

U

2

=

1

κ

2

2

κ

1

C ⎟ ⎞ V

2

2

1

Resolvendo-se para κ 2 :

κ

2

=

2

1

U

2

κ

2

C V

1

2

=

(

2 1,00

)(

6,61

×10

6 J

)

(

7,40

×10

12

F

)(

630 V

)

2

κ

2

4,50

= 4,501099

(1)

(2)

De acordo com a Tabela 1 (Pág. 86), o material com κ = 4,5 corresponde ao ÓLEO DE TRANSFORMADOR.

[Início seção]

[Início documento]

46. Um capacitor de armaduras, cujo dielétrico é o ar, tem capacitância igual a 51,3 pF. (a) Se as armaduras têm área de 0,350 m 2 , qual é a sua separação? (b) Se a região entre as armaduras for preenchida agora com material