Вы находитесь на странице: 1из 9
Professor: Arley Andrade Teymeny
Professor: Arley Andrade Teymeny
Professor: Arley Andrade Teymeny

Professor: Arley Andrade Teymeny

0º -140º 140º- 0º
0º -140º 140º- 0º

0º -140º

140º- 0º

APREENSÃO PARA PATELA  Procedimento: O paciente em decúbito dorsal,  enquanto o examinador pressiona
APREENSÃO PARA PATELA  Procedimento: O paciente em decúbito dorsal,  enquanto o examinador pressiona

APREENSÃO PARA PATELA

Procedimento: O paciente em decúbito dorsal,

enquanto o examinador

pressiona a patela tentando desloca- lá (lateralmente ou medialmente).

Sinal Positivo:

Vulnerabilidade ou predisposição

à luxação recorrente da

patela, além da face

apreensiva do paciente.

da patela, além da face  apreensiva do paciente. Objetivo: Determinar se a patela está propensa

Objetivo: Determinar se a patela está propensa ao deslocamento lateral ( subluxação e ou luxação)

SINAL DE CLARKE  Procedimento: Paciente em DD, com a perna estendida. O fisioterapeuta comprime
SINAL DE CLARKE  Procedimento: Paciente em DD, com a perna estendida. O fisioterapeuta comprime

SINAL DE CLARKE

SINAL DE CLARKE  Procedimento: Paciente em DD, com a perna estendida. O fisioterapeuta comprime o

Procedimento: Paciente em DD, com a perna estendida. O

fisioterapeuta comprime o

músculo quadríceps, em direção distal. Em seguida solicita ao paciente que

contraia isometricamente o

mesmo

Sinal Positivo: Dor

Objetivo:

condromalácia patelar

Identificar

presença

de

TESTE DE COMPRESSÃO E TRAÇÃO DE APLEY

TESTE DE COMPRESSÃO E TRAÇÃO DE APLEY  Procedimento: O paciente em decúbito ventral com o
TESTE DE COMPRESSÃO E TRAÇÃO DE APLEY  Procedimento: O paciente em decúbito ventral com o
TESTE DE COMPRESSÃO E TRAÇÃO DE APLEY  Procedimento: O paciente em decúbito ventral com o

Procedimento: O

paciente em decúbito ventral com o joelho flexionado a 90 graus.

O examinador estabiliza

o membro inferior a ser

examinado e com as mãos realiza compressão,

indicando lesão meniscal

e ou tração indicando

lesão capsulo ligamentar.

Sinal Positivo: Dor

localizada a lesão.

Objetivo: Avaliar presença de lesão meniscal e ou lesão capsulo ligamentar.

ESTRESSE EM VALGO/VARO

ESTRESSE EM VALGO/VARO  Procedimento: O paciente SENTADO (ou deitado), com ligeira semiflexão do joelho (
ESTRESSE EM VALGO/VARO  Procedimento: O paciente SENTADO (ou deitado), com ligeira semiflexão do joelho (

Procedimento: O paciente

SENTADO (ou deitado), com ligeira semiflexão do joelho ( 20 a 30) graus,

enquanto o examinador

realiza estresse em valgo e/

ou varo.

Sinal Positivo: Dor e/ ou

estresse em valgo e/ ou varo.  Sinal Positivo: Dor e/ ou presença de folga acentuada

presença de folga

acentuada.

Objetivo: Detectar como se encontra a

estabilidade e /ou lesão dos ligamentos

colateral medial (LCM) e colateral lateral do

joelho (LCL).

TESTE DE MC MURRAY

TESTE DE MC MURRAY  Procedimento: O paciente em decúbito dorsal, enquanto o examinador realiza a

Procedimento: O paciente em decúbito dorsal, enquanto o examinador

realiza a flexão completa do

joelho, para em seguida roda- lá mediamente e/ ou lateralmente e estende-lo.

Objetivo: Avaliar a presença de lesão meniscal.

para em seguida roda- lá mediamente e/ ou lateralmente e estende-lo . Objetivo: Avaliar a presença

TESTE DE GAVETA ANTERIOR E POSTERIOR

TESTE DE GAVETA ANTERIOR E POSTERIOR  Procedimento: Paciente em decúbito dorsal com o joelho flexionado
TESTE DE GAVETA ANTERIOR E POSTERIOR  Procedimento: Paciente em decúbito dorsal com o joelho flexionado

Procedimento: Paciente em

decúbito dorsal com o joelho

flexionado (90) graus e pé apoiado, enquanto o examinador segura,firmemente,

a extremidade proximal da tíbia

com as duas mãos, puxando a para frente e empurrando-a para trás.

Sinal Positivo: Quando se

observa movimento excessivo, ou seja, a tíbia se desloca para frente e/ ou para trás em relação

ao fêmur com ou sem dor.

Objetivo: Avaliar a Integridade dos

ligamentos cruzado anterior e

posterior.

TESTE DE LACHMANN

TESTE DE LACHMANN  Procedimento: O paciente em Dec. Dorsal com o joelho fletido entre 10

Procedimento: O paciente em Dec. Dorsal com o joelho fletido entre 10 a30 graus aproximadamente.

Com uma das mãos o

examinador estabiliza o fêmur Distalmete e com a outra traciona anteriormente

a tíbia a partir de sua

extremidade proximal.

Sinal: Deslocamento anterior perceptível da tíbia em

relação ao fêmur com ou sem

dor.

Objetivo: Avaliar lesão de ligamento

cruzado anterior (LCA).

da tíbia em relação ao fêmur com ou sem dor. Objetivo: Avaliar lesão de ligamento cruzado