Вы находитесь на странице: 1из 51
Introdução à Contabilidade Financeira 2014/2015

Introdução à Contabilidade Financeira

2014/2015

2

Sumário

1.

O papel da contabilidade nas organizações.

2.

A contabilidade externa vs a contabilidade

interna.

3. Os diversos utilizadores da contabilidade.

4. Noções de: Ativo, Passivo, Capital Próprio,

Gastos, Rendimentos e Resultados.

5. As principais demonstrações financeiras:

introdução

3

Conceitos de Contabilidade

Acto de registar, classificar e sumariar, de

forma organizada, em unidades monetárias, as transacções e eventos” (AICPA, anos 50).

Actividade cuja função é fornecer informação

quantitativa, em primeira instância de natureza financeira, sobre entidades económicas, que se

assume como sendo útil na formação de decisões

de natureza económica” (AICPA)

4

Utilidade da contabilidade:

Relato financeiro

Determinação dos custos dos produtos e serviços

Sistemas de informação para a gestão

Determinação dos impostos

Planeamento fiscal

Consultoria de gestão

Auditoria

Contas públicas nacionais

Preparação dos orçamentos

5

5

6

Tipos de Contabilidade

Contabilidade Financeira

Relato Financeiro

Contabilidade de Gestão / Interna/ Custos

Gastos, Rendimentos, Resultados

7

Os Desafios para as Empresas

Informação Organização Financeira e Sistema de Informação Decisões Comunicação de Financeira Estratégia
Informação
Organização
Financeira
e Sistema de
Informação
Decisões
Comunicação
de
Financeira
Estratégia
Indicadores
de
Performance

8

Normalização Contabilística

I.

As Normas Internacionais de Contabilidade

(IAS)

II.

O Sistema de Normalização Contabilística

(SNC)

III.

O SNC Pequenas Entidades

(R = 3M; A = 1,5M; P=50)

IV. O SNC Micro-Entidades

(R = 500m; A = 500m; P=5)

V. O SNC para Entidades Sector não Lucrativo

9

Planos Sectoriais

I.

Plano de Contas do Sistema Bancário

II.

Planos de contas dos seguros

III.

Plano Oficial de Contabilidade Pública

10

10

11

Estrutura geral do SNC

Portugal:

Decreto-Lei 158/2009 aprova o SNC,

Fornece as bases para a apresentação de demonstrações financeiras e seus modelos, o código de contas, as normas interpretativas, as NCRF -Norma Contabilística e de

Relato Financeiro (NCRF-PE para as pequenas

empresas).

Decreto-Lei 159/2009, que adapta o Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (CIRC) às NIC e ao SNC.

12

Instrumentos do SNC

Estrutura conceptual

Bases para apresentação de DF

Modelos das DF

Código de contas

Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro (NCRF)

13

Pilares do SNC

O modelo SNC assenta em quatro pilares:

Reconhecimento registo contabilístico

Mensuração - medição de valor

Apresentação forma de publicação

Divulgação explicação

14

Demonstrações Financeiras

No tocante às demonstrações financeiras, estão as empresas sujeitas

à apresentação do

Balanço,

Demonstração de Resultados por Naturezas (a Demonstração de Resultados por Funções é facultativa),

Demonstração das Alterações no Capital Próprio,

Demonstração dos Fluxos de Caixa (método directo) e

Anexo onde se divulguam as bases de preparação e políticas contabilísticas adoptadas e outras divulgações exigidas pelas NCRF.

As pequenas entidades (PE) apenas estão obrigadas a apresentar

modelos reduzidos, que integram:

Balanço,

Demonstração de Resultados por Naturezas e

Anexo.

15

Objectivo das demonstrações

financeiras

Proporcionar informação acerca da posição

financeira, do desempenho e das alterações na posição financeira de uma entidade.

17

Simplificação

As empresas que não ultrapassem dois dos

seguintes três limites:

Total de balanço: 1.500.000 ;

Total de vendas líquidas e outros rendimentos: 3.000.000 ;

Número de trabalhadores :50 (média)

estão dispensadas de apresentar a demonstração das alterações no capital próprio e a

demonstração dos fluxos de caixa.

18

Princípios para elaboração das DF

Continuidade,

Periodização económica (regime do acréscimo),

Consistência da apresentação,

Materialidade e agregação,

Não compensação (em regra, entre activos e passivos e rendimentos e ganhos) e

Informação comparativa.

19

Continuidade

As DF devem ser preparadas no pressuposto de

que a entidade funcionará no período ou no futuro, não se prevendo a liquidação ou descontinuação.

Referido no Anexo

20

Periodização económica (Regime

do acréscimo)

Os factos são reconhecidos como activos, passivos,

capital próprio, rendimentos e gastos, quando ocorrem, independentemente do momento dos pagamentos ou recebimentos .

Exemplo: Gasto de energia eléctrica em Dez N

21

Consistência

A apresentação, classificação dos factos, políticas

contabilísticas devem ser mantidas ao longo dos períodos.

22

Materialidade e Agregação

Cada classe material de itens deve ser apresentada

separadamente nas demonstrações. Se um item não for suficientemente material, este pode ser agregado a outros itens das Demonstrações Financeiras.

23

Compensação

Os activos e passivos, os rendimentos e gastos não

devem ser compensados, salvo indicação expressa nas NCRF.

24

Informação Comparativa

As demonstrações devem ser elaboradas de forma a possibilitar a comparação temporal e entre as entidades.

25

SNC vs IAS

Sempre que o SNC for omisso, recorre-se às IAS (International Accounting Standards ou

Normas Internacionais de Contabilidade)

O slide seguinte apresenta as NCRF e compara-

as com as normas do IASB (International Accounting Standards - IAS e International Financial Reporting Standards IFRS).

26

Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro vs. Normas IASB

1. Estrutura e Conteúdo das Demonstrações Financeiras - IAS 1

2. Demonstração de Fluxos de Caixa - IAS 7

3. Adopção pela primeira vez das Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro - IFRS 1

4. Políticas Contabilísticas, Alterações nas Estimativas Contabilísticas e Erros - IAS 8

5. Divulgações de Partes Relacionadas - IAS 24

6. Activos Intangíveis - IAS 38

7. Activos Fixos Tangíveis - IAS 16

8. Activos não correntes detidos para venda e unidades operacionais descontinuadas - IFRS 5

9. Locações - IAS 17

10. Custos de Empréstimos Obtidos - IAS 23

11. Propriedades de Investimento - IAS 40

12. Imparidade de Activos - IAS 36

13. Interesses em Empreendimentos Conjuntos e Investimentos em Associadas - IAS 28 e IAS 31

14. Concentrações de Actividades Empresariais - IFRS 3

15. Investimentos em Subsidiárias e Consolidação - IAS 27

16. Exploração e Avaliação de Recursos Minerais - IFRS 6

17. Agricultura - IAS 41

18. Inventários - IAS 2

19. Contratos de Construção - IAS 11

20. Rédito - IAS 18

21. Provisões, Passivos Contingentes e Activos Contingentes - IAS 37

22. Contabilização dos Subsídios do Governo e Divulgação de Apoios do Governo - IAS 20

23. Os Efeitos de Alterações em Taxas de Câmbio - IAS 21

24. Acontecimentos Após a Data do Balanço - IAS 10

25. Impostos Sobre o Rendimento - IAS 12

26. Matérias Ambientais (sem correspondência)

27. Instrumentos Financeiros - IAS 32, IAS 39 e IFRS 7

27

Código de Contas

As contas estão agrupadas em oito classes:

1.

Meios Financeiros Líquidos,

2.

Contas a Receber e a Pagar,

3.

Inventários e Activos Biológicos,

4.

Investimentos,

5.

Capital, Reservas e Resultados Transitados

6.

Gastos

7.

Rendimentos e

8.

Resultados.

28

28 Código de Contas

Código de Contas

29

Conceitos Básicos

Activo = recursos controlados pela empresa

Passivo = obrigações da empresa

Capital Próprio = Activo - Passivo

Gastos = diminuição dos benefícios económicos

Rendimentos = aumentos dos benefícios económicos

30

Conceitos

Património = Conjunto de valores utilizados pela empresa, relativos a bens, direitos e obrigações.

Exemplos:

Bens Imóveis, Inventários, Depósitos Bancários

Direitos Dívidas de clientes

Obrigações Dívidas a fornecedores, dívidas aos bancos

31

Equação Fundamental da

Contabilidade

Recursos (Activos)

=

Capital do Empresário (Capital Próprio)

+

Obrigações perante terceiros (Passivo)

32

A Equação Fundamental

vs o Débito e o Crédito

Activo

=

Capital Próprio

+

Passivo

+

-

-

+

-

+

Resultado

=

Rendimento

-

Gasto

 

-

+

+

-

Nota: débito (deve, à direita); crédito (haver, à esquerda)

33

Posição Financeira

Com os 2 lados iguais :
Com os 2 lados iguais
:

Activos

Passivo

+

Capital

Próprio

33 Posição Financeira Com os 2 lados iguais : Activos Passivo + Capital Próprio

34

Método digráfico

Qualquer transacção afecta os itens (ou contas)

do Balanço, mas o equilíbrio da equação fundamental deve ser mantido.

As transacções podem afectar :

Apenas Activos ou

Apenas Passivos / Capitais Próprios ou

Ambos

35

Gastos, Rendimentos, Pagamentos

e Recebimentos

35 Gastos, Rendimentos, Pagamentos e Recebimentos

36

Gastos, Rendimentos, Pagamentos

e Recebimentos

ÓPTICA ECONÓMICA

Rendimentos Produtos acabados e aptos para venda. GastosCustos de transformação (materiais + mão de obra).

ÓPTICA FINANCEIRA

Receitas Direito a receber (a remuneração das vendas). Despesas Obrigação de pagar (a remuneração dos

factores produtivos.

ÓPTICA DE TESOURARIA

Recebimento Entradas de dinheiro. Pagamentos Saídas de dinheiro.

37

Exemplo de Transacções

Investimento Inicial

Compra de um equipamento

Prestação de serviço

Recebimento do cliente

Despesas com o fornecedor

Pagamento ao fornecedor

Obtenção do empréstimo

38

Impacto das Transacções no

Balanço

Exemplo

Activo

Passivo

Capital

Próprio

Realização do capital

+

 

+Capital

Compra de

+ e -

   

equipamento

com dinheiro

Compra do

+

+

 

equipamento a

crédito

Venda do

+

 

+ Resultados

produto

39

Impacto das Transacções no

Balanço

Exemplo

Activo

Passivo

Capital

Próprio

Valor a

+ e -

   

receber de clientes

Obtenção de Empréstimo

+

+

 

Pagamento de dívida

-

-

 

Gastos pagos

-

 

- Resultados

Gastos em

 

+

- Resultados

dívida

40

40 Balanço e DR

Balanço e DR

41

Elaboração do Balanço

O Balanço é obtido através das seguintes classes de contas:

1.

Meios Financeiros Líquidos,

2.

Contas a Receber e a Pagar,

3.

Inventários e Activos Biológicos,

4.

Investimentos,

5.

Capital, Reservas e Resultados Transitados

8. Resultados.

81 Resultados Líquidos do Período

42

Balanço

Activo
Activo
Capitais Passivo Próprios - + Gastos Resultado + Rendimentos
Capitais
Passivo
Próprios
-
+
Gastos
Resultado +
Rendimentos
42 Balanço Activo Capitais Passivo Próprios - + Gastos Resultado + Rendimentos DR

DR

43

Elaboração da Demonstração de

Resultados

As contas das seguintes classes permitem a

determinação dos resultados dos exercicio e a elaboração da Demonstração de Resultados

(DR) por natureza:

6. Gastos e 7. Rendimentos

44

Demonstração de Resultados

Rendimentos
Rendimentos
44 Demonstração de Resultados Rendimentos Gastos Resultados (+lucro ou - prejuízo)
Gastos
Gastos
44 Demonstração de Resultados Rendimentos Gastos Resultados (+lucro ou - prejuízo)
Resultados (+lucro ou - prejuízo)
Resultados
(+lucro ou -
prejuízo)

45

45 Modelo s Reduzidos do Balanço e Demonstração de Resultados por Natureza
45 Modelo s Reduzidos do Balanço e Demonstração de Resultados por Natureza

Modelo s Reduzidos do Balanço e Demonstração de Resultados por Natureza

46

46
46

47

Balanço - Activo

47 Balanço - Activo

48

Balanço Capital Próprio e Passivo

48 Balanço – Capital Próprio e Passivo

49

DR

49 DR

50

Exercício 1

Considere a empresa ABC que comercializa

artigos de desporto.

51

O inventário da empresa em 1/1/N era constituído por:

Património:

Activo ou Passivo

Em euros

Dinheiro em cofre

 

1

200

Dívida ao Estado

 

1

000

1

Viatura Fiat

 

30

000

45

fatos de treino

 

3

000

20

bolas de futebol

 

2

000

Quota na soc. X

 

1

000

20

bolas de voleibol

 

1

500

10

bolas rugby

   

800

30

jogos de calções

 

2

000

1 computador

 

2

300

1 registadora

   

700

Dívida à empresa S

 

3

500

Empréstimo bancário obtido

 

36

000

Ex. 1

52

Pede-se que:

1/ Para cada elemento patrimonial do inventário, indique a sua natureza (Activo ou Passivo).

2/ Determine o valor do património.

3/ Indique o valor do capital próprio da empresa.

4/ Classifique os elementos patrimoniais (investimentos, inventários, Meios financeiros líquidos, passivo corrente e passivo não corrente).

5/ Apresente o Balanço.