Вы находитесь на странице: 1из 10
PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA “Noções Básicas de Socorrismo” Formador: João Henriques

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

“Noções Básicas de Socorrismo”

Formador: João Henriques

INDICE

ENQUADRAMENTO

3

DURAÇÃO

3

PÚBLICO-ALVO

3

MODALIDADE DA AÇÃO

3

OBJETIVOS GERAIS

3

OBJETIVOS ESPECIFICOS

4

CONTEUDOS PROGRAMÁTICOS

4

AVALIAR SINAIS VITAIS DA VÍTIMA

4

APLICAR POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA

5

COMBATER AO ESTADO DE CHOQUE

6

PEDIR AUXÍLIO

6

PLANO DE SESSÃO 1

ERRO! MARCADOR NÃO DEFINIDO.

PLANO DE SESSÃO 2

8

METODOLOGIAS E ESTRATÉGIAS

9

MÉTODO EXPOSITIVO ÉTODO EXPOSITIVO

9

MÉTODO DEMONSTRATIVO ÉTODO DEMONSTRATIVO

9

MÉTODO ATIVO ÉTODO ATIVO

9

SIMULAÇÃO IMULAÇÃO

9

RECURSOS DIDÁTICOS

9

AVALIAÇÃO

10

WEBGRAFIA

10

Formador: João Henriques

2
2

Noções Básicas de Socorrismo

Enquadramento

Esta temática foi escolhida devido ao facto de ser importante a população em geral ter conhecimentos básicos de socorrismo dado que, em situações do quotidiano, esses conhecimentos podem ajudar a salvar uma vida enquanto se espera por equipas de socorro.

Com esta formação, os formandos vão adquirir competências que lhes permite avaliar sinais vitais, evitar o estado de choque, colocar vítimas na posição lateral de segurança e chamar por equipas de socorro.

Duração

8 horas em regime pós laboral repartido em duas sessões de 4 horas.

Público-alvo

Formação adequada a maiores de idade.

Modalidade da ação

Formação certificada de curta duração, em contexto pós-laboral.

OBJETIVOS GERAIS

Avaliar modo seguro para poder atuar Fornecer ao formando capacidade de avaliar o meio envolvente de modo a determinar se é seguro atuar, salvaguardando a sua segurança e a da vítima.

Atuar em casos de consciência ou inconsciência Avaliar primariamente a vítima (sinais vitais e estado de consciência), de modo a determinar a técnica mais adequada em caso de consciência ou inconsciência da vítima.

Aplicar técnicas adequadas Aplicar técnicas que ajudam a manter o estado de consciência, discernimento e tranquilidade da vítima, quando esta se encontra consciente. No caso da vítima se encontrar inconsciente, tem que se adotar a técnica mais adequada para não se piorar a sua patologia.

Formador: João Henriques

3
3

OBJETIVOS ESPECIFICOS

Com esta formação, os formandos ficam aptos a:

Avaliar sinais vitais da vítima Saber determinar se a respiração e pulsação são regulares e se estão estáveis.

Aplicar posição lateral de segurança Saber quando é que a posição lateral de segurança (PLS) deve ser aplicada.

Combater ao estado de choque Sensibilizar os formandos para algumas técnicas a aplicar, que podem ajudar a evitar o estado de choque da vítima.

Pedir auxílio Consciencializar os formandos para o facto de que, para pedir ajuda, não se deve abandonar a vítima.

CONTEUDOS PROGRAMÁTICOS

Avaliar sinais vitais da vítima Saber determinar se a respiração e pulsação são regulares e se estão estáveis, por meio dos sentidos sensoriais (visão audição e tacto) através da observação e palpação.

meio dos sentidos sensoriais (visão audição e tacto) através da observação e palpação. Formador: João Henriques

Formador: João Henriques

4
4

Aplicar posição lateral de segurança A posição lateral de segurança é uma técnica que consiste em colocar a vítima em posição lateral, de modo a permitir que esta respire sem dificuldades, pelo facto de manter as vias aéreas abertas. Outro benefício desta técnica é garantir que não ocorra uma situação de afogamento se houver regurgitação por parte da vítima.

Antes de se aplicar esta técnica, é necessário retirar quaisquer objetos que possam ferir ou magoar a vítima, como é o caso de óculos, brincos, etc. Para além deste procedimento, deve-se verificar os bolsos da vítima para determinar se tem chaves ou telemóveis que possam aleijar o sujeito socorrido.

Esta técnica só pode ser aplicada em situações em que a vítima esteja inconsciente e a respirar.

Depois de se aplicar esta técnica, deve-se ajustar a mão que se encontra debaixo da face para um melhor conforto e, com a palma da mão na testa e com dois dedos no queixo, o socorrista deve posicionar a cabeça da vítima de maneira a manter as vias aéreas bem abertas.

deve posicionar a cabeça da vítima de maneira a manter as vias aéreas bem abertas. Formador:

Formador: João Henriques

5
5

Combater ao estado de choque O estado de choque pode originar diversas situações que podem colocar em sério risco a saúde da vítima e do socorrista. Com esta ação, os formandos ficam capacitados para aplicar técnicas que evitem o estado de choque, através do diálogo e reconforto da vítima, evitando que esta se sinta sozinha e desamparada.

Pedir auxílio É importante saber como pedir ajuda e chamar equipas de socorro, sem abandonar a vítima. Para tal, basta saber o número de emergência (112) ou ter a capacidade de pedir a alguém que se encontre próximo que telefone para o número de emergência. Se estiver sozinho, sem recurso a telefone ou terceiros, não tenha receio de acionar outros meios como por exemplo, ativar o alarme de um estabelecimento comercial. As autoridades tomarão conta da ocorrência.

ativar o alarme de um estabelecimento comercial. As autoridades tomarão conta da ocorrência. Formador: João Henriques

Formador: João Henriques

6
6

Plano de sessão 1

   

Formador:

Curso: Suporte básico de vida

 

Duração da sessão: 4 Horas

João Henriques

Módulo: Noções básicas de socorrismo

 

Data:

 

1ª Sessão

31/10/2012

     

Métodos e

Materiais e

 

Tempos

 

Etapas

Conteúdos programáticos

Objetivos específicos

Avaliação

Técnicas

equipamentos

Atividades didáticas

previstos

       

Computador;

     

Dar a conhecer aos formandos a entidade formadora, as regras de funcionamento da formação e sistemas de avaliação.

Método

expositivo

Aferição de conhecimentos inicial

Questões

Introdução

 

Videoprojector;

1 Hora

diretas

 

Método

Aferição de competências e experiências pessoais/ profissionais dos formandos.

interrogativo

Tela de projeção;

       

Computador;

Simulação de avaliação de sinais vitais da vítima

   

Método

expositivo

Saber determinar se a respiração e pulsação são regulares e se estão estáveis.

Videoprojector;

 

2.30

Desenvolvimento

Avaliar sinais vitais da vítima

Método

demonstrativo;

Horas

Observação

Tela de projeção;

 

Método ativo.

Tapete de

exercícios

 

Avaliação de conhecimentos adquiridos, no decorrer da 1ª sessão.

Aferição de conhecimentos final

Método

     

Observação

Conclusão

interrogativo.

30 Min

Formador: João Henriques

7
7

Plano de sessão 2

   

Formador:

Curso: Suporte básico de vida

 

Duração da sessão: 4 Horas

João Henriques

Módulo: Noções básicas de socorrismo

 

Data:

 

2ª Sessão

01/11/2012

     

Métodos e

Materiais e

 

Tempos

 

Etapas

Conteúdos programáticos

Objetivos específicos

Avaliação

Técnicas

equipamentos

Atividades didáticas

previstos

       

Computador;

     

Introdução

Aferição de conhecimentos adquiridos

Método

Videoprojector;

30 Min.

Questões

Revisões da sessão anterior

interrogativo

diretas

   

Tela de projeção;

   

No final da sessão os formandos devem estar aptos a:

-

Conhecer e aplicar posição lateral de segurança;

 

Computador;

     

Desenvolvimento

Posição lateral de segurança;

Método

expositivo;

Método

Videoprojector;

Tela de projeção;

2.30

Horas

Observação

Combate ao estado de choque;

 

demonstrativo;

Aplicação de técnica para colocar vítima em posição lateral de segurança.

- Ajudar a evitar estado de choque;

Tapete de

Pedido de auxílio.

Método ativo.

exercícios

 

-

Saber pedir auxílio.

     

Método ativo;

       

Conclusão

Avaliação de conhecimentos adquiridos, no decorrer da sessão.

Aferição de conhecimentos final

Tapete de

1 Horas.

Observação

Método

exercícios

     

interrogativo.

   

Formador: João Henriques

8
8

Metodologias e estratégias

Método expositivo Metodologia aplicável para aquisição de competências referentes à avaliação das condições do meio envolvente, do estado da vítima (sinais vitais e consciência) e dos fatores a ter em conta antes de se aplicar a técnica para colocar a vítima na posição lateral de segurança.

Método interrogativo Esta metodologia ajuda a evidenciar e avaliar os conhecimentos adquiridos pelos formandos, por meio de colocação de questões diretas no decorrer das duas sessões. Por meio desta técnica, também é possível criar um “brainstorming” que viabilize a troca de ideias entre os elementos do grupo de trabalho, no sentido de consolidar as competências adquiridas com a participação de todos os formandos.

Método demonstrativo Aplicação desta metodologia para aplicar na prática os conhecimentos teóricos adquiridos referentes à avaliação das condições do meio envolvente, do estado da vítima e demonstração da técnica utilizada para se colocar a vítima na posição lateral de segurança.

Método ativo Metodologia utilizada para motivar, consolidar e evidenciar

os exercícios práticos.

e

conhecimentos

adquiridos

pelos

formandos,

utilizando

exemplos

Simulação Aplicação de técnicas e procedimentos demonstrados na teoria para se avaliar o meio envolvente, o estado da vítima e para se aplicar a PLS corretamente.

Recursos didáticos

Recursos didáticos são todos os materiais utilizados no processo de ensino/ aprendizagem, para que a transmissão de conhecimentos seja mais eficiente e eficaz.

Tendo como principal objetivo despertar e captar a atenção/ interesse dos formandos, estes recursos vão ajudar na retenção de informação por meio de associação das temáticas abordadas a imagens visuais, por meio da observação e experimentação, tornando o ensino seja mais objetivo e concreto.

Formador: João Henriques

9
9

Computador; Videoprojector; Tela de projeção; Diapositivos; Tapete de exercícios; Informação disponível na plataforma colaborativa, através do link:

Avaliação

No decorrer da ação de formação será efetuada uma avaliação formativa no decorrer das duas sessões, sendo proposta uma avaliação sumativa na simulação final do módulo. Vão ser avaliados os seguintes parâmetros:

Aferição de conhecimentos;

Atividades desenvolvidas;

Participação dos formandos;

Questões pertinentes colocadas no decorrer da sessão;

Aplicação das técnicas adequadas para a PLS na simulação final.

No final da formação será efetuada uma simulação final em que os formandos deverão demonstrar na prática os conteúdos apreendidos no decorrer deste módulo. Esta avaliação sumativa terá em conta as metodologias e procedimentos aplicados.

Webgrafia

http://www.esocvp.org/ Escola de socorrismo cruz vermelha portuguesa

Formador: João Henriques

10 10 10 10
10
10
10
10