Вы находитесь на странице: 1из 4

International Catholic

FORMAÇÃO DE LIDERANÇA
Um suplemento do Boletim do ICCRS Vol. IX, Número 6 / Novembro - Dezembro 2003
Charismatic Renewal
Services
Servindo a
Volta às raízes:
Renovação Carismática
na Igreja Católica Evangelização e Missão
por Reinaldo Beserra dos Reis

V
ibramos há pouco com a cele- prática es-
bração do Jubileu da encarnação piritual, caindo
ROTEIRO de Jesus. 2000 anos da admirável numa cer ta
DE ENSINO história que nos revela que “Deus “rotinização”.
amou tanto o mundo, que nos deu seu Filho único”
(cfe Jo 3,16) ... Deus nos deu uma segunda chance: Se, em
1 Voltando às raízes aleluia! certo sentido,
esse processo
2 Identidade e Evangelização Sob um outro ponto de vista, porém, dados de é bom pois res-
uma triste realidade ensombrearam, parcialmente, gata para a nor-
3 Identidade e Missão essa nossa festa. Por exemplo, a constatação de malidade da
que, embora passados 2000 anos de cristianismo, vida espiritual
4 Na sua palavra
mais de 2 bilhões de pessoas no mundo ainda não certos valores
conhecem Jesus Cristo. E, desses, a maioria sequer que eram tidos como “excepcionais”, por outro, não
ouviu falar dele. devemos permitir que a “normalização” desses
valores resgatados se banalize, a ponto de levar
Guerras e conflitos (raciais, de classe,
aqueles que já experimentaram esse “encanta-
políticos, e até “religiosos”), espoucam, aqui e ali... A
mento” a perder o entusiasmo e a motivação na
violência e o desamor traduzidos em fatos quase
vivência e na trans-missão deles. Se a Igreja, como
inimagináveis atingem a muitos, e assustam a
tal, passados que são estes 20 séculos, proclama a
todos... A fome, a extrema miséria, as desigualdades
necessidade de permanecermos fiéis à nossa voca-
gritantes, longe estão de ser erradicadas. A
ção original “lançando a rede”, também a RCC, que
intolerância continua a nos bestializar, e muitos
se vê a si mesma como obra do Espírito Santo para
especialmente entre os que aparentemente tem as
responder a certas necessidades espirituais de
melhores condições de vida até agora não
nosso tempo, precisa, urgentemente, voltar-se para
descobriram o sentido pleno de vida, que está em
suas raízes. E, deixandose “guiar pelo Espírito
Cristo Jesus... Ou seja, os cristãos não conseguimos
Santo qual inspirador decisivo” (cfe EN 75), perma-
ainda fazer ecoar no mundo o poder transformador
necer sendo sinal e contínuo incentivo para a ur-
da Boa Nova de Jesus, e com ela, impregnar as
gência do apostolado e missão da Igreja de anun-
múltiplas e complexas estruturas do tecido social
ciar a Boa Nova de Jesus Cristo a todos os povos.
com a caridade evangélica.
Passadas as festas jubilares e constatado esse IDENTIDADE E EVANGELIZAÇÃO
fosso abismal entre nossas intenções e a dura A Igreja existe para evangelizar. Nascida da
realidade, socorre-nos a sapientíssima voz do missão evangelizadora do próprio Jesus e dos Após-
magistério petrino que nos convida, logo no início de tolos, ela mesma é, por sua vez, enviada por Ele: “Ide,
2001, a não desanimarmos e a lançarmos a rede em pois, ensinai todas as gentes” (Mt 28,19). Ela deve
“águas mais profundas”, (ainda que pela nossa permanecer no mundo como sinal da presença de
experiente constatação, o “mar não esteja prá peixe!”). Jesus, sacramento não só de sua partida, mas espe-
cialmente de sua misteriosa permanência.
DE VOLTA ÀS RAÍZES
Sabemos todos que “nunca será possível haver
Freqüentemente, Deus intervém na história de
evangelização sem a ação do Espírito Santo” (...). E
“A Igreja existe para seu povo suscitando homens e mulheres, comunida-
que “realmente, não foi senão depois da vinda do
des ou “movimentos”, que atuam como verdadeiros
evangelizar. Nascida da Espírito, no dia de Pentecostes, que os Apóstolos
propulsores de um necessário para aquele momento
missão evangelizadora de partiram para todas as partes do mundo a fim de co-
reavivamento espiritual. E uma autêntica “corrente de
meçarem a grande obra de evangelização da Igreja”
Jesus e dos apóstolos, foi graça” se torna disponível para todos os que anseiam
(EN 75). Daí a imperiosa necessidade de sempre
enviada por Ele: 'Ide, pois, por dar à sua vida espiritual um renovado entusiasmo,
considerarmos Pentecostes como uma graça consti-
gerando em muitos um nova visão espiritual, e
e fazei que todas as nações tutiva do grande mistério pascal. O Espírito, que fora
despertando incríveis energias até então adormecidas.
apontado por Jesus como a “causa” de sua própria
se tornem discípulos'
É normal, porém, que com o passar do tempo, ação evangelizadora (cfe Mc 4), é também apontado
(Mt 28, 19)”” que aquilo que no inicio , nos “maravilhou” e por Ele como “o segredo” do qual deveríamos nos
encantou, vá se tornando “lugar-comum” em nossa servir para levar adiante nosso apostolado de
Página 2 / Novembro - Dezembro 2003 Formação de Liderança - Um suplemento do Boletim do ICCRS

anunciar a chegada de seu Reino: “...mas des- Cientes de que as “águas profundas” não estão
“por causa de tua palavra, Senhor, cerá sobre vós o Espírito e vos dará força, e necessariamente distante de nós, é hora de
lançarei a rede” Lc 5,5b
sereis minhas testemunhas em Jerualém, em “passarmos para o versículo seguinte”; e, embora
toda a Judéia e Samaria, e até os confins do ressabiados com as exigências das mudanças de
mundo” (At 1,8). A RCC, que traz no cerne de paradigmas, com o desconforto da insegurança que
sua identidade essa tomada de consciência a o mar desconhecido sugere, e com um compreensí-
respeito do papel de Pentecostes na história, vel medo diante da necessidade de desinstalarmo-
bem como da presença e da ação do Espírito nos das nossas costumeiras posições e domínio,
Santo na Igreja e no mundo, só pode realizar dizermos com fé: “Por causa de tua Palavra, Senhor,
sua pertença eclesial participando ativa e lançaremos a rede...” (cfe Lc 5,5b).
comprometidamente esta nobre e insubsti-
tuível missão da própria Igreja. Juntamente com o convite duc in altum , João
Paulo II nos dá, como que por bússola, algumas
IDENTIDADE E MISSÃO importantes pistas a serem observadas por
quantos se decidam pela aventura da nova missão:
Relacionando esta nossa identidade à missão, a busca da santidade, a escola da oração, a força da
dizia, em discurso à Comissão Nacional da Renovação Eucaristia, a escuta da Palavra...
no Espírito, na Itália, o papa João Paulo II:
Ousemos, em 2003. Permitamo-nos errar, mais
“O movimento carismático católico é um dos pelo excesso de entusiasmo que pela tibieza e pela
numerosos frutos do Concílio Vaticano II que, como um omissão. Clamemos novamente o fogo de
novo Pentecostes, suscitou na vida da Igreja um Pentecostes por sobre a terra, para que “o nosso
extraordinário florescimento de agregações e evangelho não seja pregado somente por palavras,
movimentos, particularmente sensíveis à ação do mas também com o poder, com o Espírito e com plena
Espírito Santo. Como não dar graças pelos preciosos convicção” (cfe I Tes 1,5); e para que “nossas palavras
frutos espirituais que a Renovação gerou na vida da e nossa pregação longe estejam da eloqüência
Igreja e de tantas pessoas?
persuasiva da sabedoria, mas sejam antes uma
Quantos fiéis leigos homens e mulheres, jovens, demonstração do Espírito e do poder divino, para que
adultos e anciãos puderam experimentar na própria a fé dos que nos ouvirem não se baseie na sabedoria
vida o maravilhoso poder do Espírito e dos seus dons. dos homens, mas no poder de Deus” (cfe I Cor 2,4-5)...
Quantas pessoas redescobriram a fé, o gosto da
Ousemos no ardor, na escolha do público-alvo,
oração, a força e a beleza da palavra de Deus,
das pessoas, dos ambientes, bem como nos
traduzindo tudo isto num generoso serviço à missão da
recursos, nas técnicas, nos métodos bem
Igreja” (en 04/04/1998).
lembrados de que, nada disso substitui a ação
Assim, pois, como é “evidente que a atividade discreta do Espírito Santo (cfe EN nº 75).
missionária decorre da própria natureza da Igreja” (A G
O mundo, como sempre, é hostil à Palavra. As
6), deve também ser para nós todos, evidente que, no
centro de nossa “experiência carismática”, deve preva- “águas profundas” não são nosso habitat natural, e
lecer o desejo ardente de, deixando-nos conduzir pela podem manifestar “ventos e tempestades”. O “porto
luz do Espírito do Espírito Santo, e em comunhão com a seguro” está distante. Mas, “por causa de tua pa-
plenitude desta mesma Igreja, sermos missionários da lavra, Senhor, lançaremos as redes”... Pois “o impulso
Boa Nova de Jesus pois o objetivo primordial desta apostólico impresso pelo Espírito nos inícios não se
experiência não é outro senão o crescimento do Reino! esgotou e ainda continua agora, enquanto damos os
QUESTÕES primeiros passos no terceiro milênio. Permaneceu
POR CAUSA DE TUA PALAVRA como único desejo e dever dos crentes o de anunciar
PARA DISCUSSÃO a todos os homens, Jesus, redentor do homem e de
“Voltar às raízes” não pode significar para nós todos os homens.” (João Paulo II, na Alocução Maria-
1 A Renovação Carismática apenas “voltar a fazer as mesmas coisas” que fize- na de 20 de maio de 2001, na Praça de São Pedro).
permanece fiel a sua mos um dia, no início de nosso chamado “batismo no
vocação inicial? Espírito Santo”. Trata-se, isso sim, de refontizarmos a Cientes de que os frutos da ação missionária
fundamentação do papel profético que nos cabe na evangelizadora nascem de impulsos poderosos do
2 O que podemos fazer para
história da Salvação, revalorizando a graça de nosso Espírito Santo, conforme são vivenciados em obe-
reacender a dinâmica
carismática ao voltarmos Batismo, da “efusão do Espírito”, cujo fruto mais diência à Comunidade de Fé, a Igreja, prossigamos
para casa? evidente é o desejo de evangelizar com renovado comprometidos como Igreja, abertos à ação do
ardor missionário, no poder desse mesmo Espírito. Espírito, em comunhão com todos os irmãos, e sem
3 Podemos identificar campos perder jamais a identidade com que fomos contem-
específicos de missão nas Não sei se todos já estamos motivados, mas plados nesses últimos tempos: carismáticos!
áreas em que trabalhamos? uma coisa é certa: urge velejarmos para águas mais
profundas! Urge abandonarmos a tranqüilidade e a Não resistamos. Que cada um reflita e faça
4 Reflita e discuta em grupos
segurança da pescaria em águas serenas e segundo a vontade de Deus! o que lhe compete.
sobre At 1, 8
conhecidas, e aventurarmo-nos com ousadia a lançar Que o rosto de Cristo nos sirva de Norte, e que
a rede em “mares nunca dantes navegados”. Maria, a estrela do alto mar, nos acompanhe!...
Formação de Liderança - Um suplemento do Boletim do ICCRS Novembro - Dezembro 2003 / Página 3

“A Renovação Carismática Católica segundo


o cardeal Leon Joseph Suenens”
por Matteo Calisi

E
ste pequeno artigo busca enfatizar uso dos carismas como
aqueles aspectos do ministério indicado no Concílio Vati-
pastoral do cardeal Suenens cano II (cfe Lumen Gen-
ligados ao seu trabalho como elo de tium 12).
ligação entre o Papa e a RCC mundialmente, tanto
A dimensão carismá-
no tempo de Paulo VI como de João Paulo II.
tica também existe e mais
Entre outras iniciativas nessa área, o cardeal notadamente fora dos
Suenens convocou uma Consulta Teológica e limites visíveis da Igreja
Pastoral que foi o ponto de partida dos tão conheci- Católica, na maioria das
dos documentos Malines e que descrevemos nas denominações cristãs. É
edições passadas do Boletim da ICCRS. um evento espiritual muito
promissor no que diz
Eu fui honrado recentemente em Buenos respeito a busca de
Aires, Argentina ao encontrar o Pe. Carlos Aldunate maiores progressos na
s.j., um dos renomados teólogos que trabalharam unidade cristã. Hoje cerca
nos documentos Malines. Ele me disse que uma de 600 milhões de crentes de todas as
das maiores preocupações do cardeal Suenens denominações cristãs experimentaram a graça do
naquela época era que a Renovação corria o risco batismo no Espírito Santo (cfe Ecumenismo e
de não ser vista segundo sua identidade e Renovação Carismática, card. Léon J. Suenens).
natureza, mas como um impulso do Espírito Santo Por esta razão, a Renovação Carismática não é
capaz de renovar diversos aspectos da Igreja. O nem nunca será a prerrogativa de uma “elite”
cardeal preveniu os responsáveis na Igreja contra a espiritual ou propriedade exclusiva de um
tentação de transformar a Renovação Carismática específico “movimento apostólico”. É uma graça
num “movimento” entre muitos outros (cfe que reside na Igreja e é para todos que a
Memórias e Esperanças, Ed. Veritas, 1993 Cap. 6). desejarem receber de coração sincero sem “A luz dessas declarações,
nenhuma exceção. talvez não seja tão arriscado
As palavras do Pe. Aldunate me fizeram
lembrar de outro pensamento que o padre jesuíta Esta preocupação recentemente encorajou pensar em uma Renovação
Paul Lebeau, teólogo privado do cardeal Suenens, outros líderes da Igreja a evitarem a tentação de Carismática da Igreja, uma
atribuiu ao cardeal: A Renovação Carismática institucionalizarem a experiência carismática do
Católica não é um “movimento entre outros frase que não seria referente
“Batismo no Espírito Santo” em um movimento
movimentos”, nem é “uma manifestação exclusiva específico da Igreja, assim tornando-o disponível a a um específico “movimento
substituindo tudo o que havia antes”, mas é uma qualquer cristão conforme o pensamento original eclesial”. Pelo contrário,
corrente passageira de graça em direção a uma do cardeal Suenens. Algumas dessas conside- designaria uma corrente
maior consciência da dimensão carismática rações estão reunidas em um livro chamado
inerente da Igreja” (Une nouvelle Pentecôte, pg. “Reacendendo a Chama”, compiladas em 1990 espiritual ou “movimento”
108-109. O Espírito Santo, Nossa Esperança, pg. pela Comissão de Teólogos e Pastoralistas da Igreja Católica, análogo
108-109, Ed. Paoline, Roma 1975 e Carta Pastoral “Coração da Igreja” em Techny, Illinois, com o apoio a outros, como os
do Episcopado da Bélgica). Suas próprias dinâmicas específico do Comitê de Bispos para a Renovação
“ecumênicos”,”bíblicos”,
levam a Renovação à dissipação, sob o aspecto de Carismática; elas também aparecem em um livro
um movimento distinto, “como as águas de um rio de Pe. Kilian McDonnell, osb e Pe. George T. “litúrgicos”, “monásticos” e
que perdem sua identidade ao se misturarem no Montague chamado “Iniciação Cristã e Batismo no outros movimentos que
mar” (Memórias e Esperanças, Cap. 6). Espírito Santo, Evidências dos Primeiros Oito Sécu- especificamente apontam
los” (Imprensa Litúrgica, Collegeville, Minnesotta,
À luz dessas declarações, talvez não seja tão para a renovação do
1991).
arriscado pensar em uma Renovação Carismática entendimento das pessoas
da Igreja, uma frase que não seria referente a um Durante minha estadia na Argentina, Pe.
sobre o Espírito Santo e
específico “movimento eclesial”. Pelo contrário, Aldunate me deu uma cópia de um discurso do Pe.
designaria uma corrente espiritual ou “movimento” Peter-Hans Kolvenbach, Padre Geral da sobre o ensino e uso dos
da Igreja Católica, análogo a outros, como os Companhia de Jesus, endereçado aos jesuítas da carismas como indicado no
“ecumênicos”,”bíblicos”, “litúrgicos”, “monásticos” Renovação Carismática. Em um trecho, Pe. Concílio Vaticano II (cfe
e outros movimentos que especificamente Kolvenbach diz que o maior desejo do cardeal
apontam para a renovação do entendimento das Suenens para o terceiro milênio seria que as
Lumen Gentium 12)”
pessoas sobre o Espírito Santo e sobre o ensino e pessoas “cessassem de falar da Renovação como
Página 4 / Novembro - Dezembro 2003 Formação de Liderança - Um suplemento do Boletim do ICCRS

um movimento entre outros movimentos e que se espiritual a nível nacional na Igreja Católica do
tornasse claro que a Igreja encontra sua fonte Canadá. Isto é muito significativo, uma vez que a “Os líderes carismáticos têm a
infinita de luz e vida, verdade e amor no sopro do Renovação Carismática não deve sua origem a
Espírito Santo. Se alguém experimenta isso de uma algum fundador inspirado ou figura carismática. mesma preocupação de Paulo
forma mais explícita, não é para eles formarem uma Não possui lista de membros e não é VI quando ele disse, 'como
organização separada e paralela a Igreja, mas para excessivamente limitada por estruturas internas poderia essa “renovação
manifestar o que a Igreja é em seu fundamento e ou regras. A Renovação Carismática é um amplo
espiritual” ser outra coisa além
para servi-la. O cardeal Suenens freqüentemente conjunto de pessoas, grupos de oração,
me dizia que ele entendia o modo de pensar da comunidades e atividades. Porém todos partilham do que uma bênção para a
hierarquia, para quem tudo precisa ser realizado e e comungam dos mesmos objetivos Igreja e para o mundo? E, nesse
organizado em “movimentos”. Para melhor nominalmente para promover uma conversão caso, como falharíamos ao fazer
sublinhar que o derramamento do Espírito Santo pessoal e contínua a Jesus Cristo; uma
tudo ao nosso alcance para que
precisa brotar na e para toda Igreja, ao invés de receptividade a presença, poder e dons do Espírito
dizer “carismática” uma palavra em seu ponto de Santo; um profundo amor pela Igreja e por seu possa continuar assim?'
assim?'”
vista tão estreita e até ambígua o cardeal Suenens trabalho de evangelização; uma amizade
usaria a palavra “pentecostal”, que evoca e fortalecida e; um zelo alegre pelo Evangelho.
promete o derramamento do Espírito em toda a Alguns podem dizer que a Renovação Carismática
Igreja, incluindo os carismas. Não importa que a tem sido, e continua a ser, a obra soberana do
reunião de carismáticos mundialmente ainda é Senhor, realizada através do Espírito Santo. Ela
considerado e tratado como um movimento entre toca a vida de homens e mulheres em qualquer
outros. Mais importante é que cristãos, e jesuítas etapa da vida, renova a fé delas e desperta nelas
entre eles, testemunham que este dom foi dado a um zelo e um amor alegres para servir o Senhor e
todos: a experiência de um novo Pentecostes no Seu povo. Esses fiéis leigos, sacerdotes e
seu poder, recebendo esse renovado Batismo no religiosos deixaram-se surpreender por Deus,
Espírito Santo, um Espírito que nunca cessou de surpreendidos pela experiência da presença e
fundar e revitalizar a Igreja e de dá-la vida ação do Espírito Santo em suas vidas.
verdadeira em abundância Ele, o Doador da Vida”
(03/05/2000). Portanto, é mais apropriado que, ao
revermos os 25 anos de história da Renovação
O perigo da institucionalização excessiva do Carismática, elevemos os nossos corações e
“movimento” carismático foi discutido durante o agradeçamos pelos inúmeros dons espirituais e
último Encontro e Consulta dos Líderes Carismá- bênçãos trazidas à vida da Igreja Católica no
ticos, ocorrido próximo a Roma no último setembro Canadá” (Pentecostes, 1993).
(e cujos relatórios serão publicados). O recente-
mente formado Comitê Teológico Internacional da Além de quaisquer explicações devidas, o
ICCRS não fracassará na reflexão desse tópico para que realmente importa è que as pessoas deste
o bem e futuro da Renovação Carismática. “movimento” e mais especificamente seus líderes
têm um equilíbrio espiritual que eles buscam
Os líderes carismáticos têm a mesma aprimorar através de uma jornada de santidade e
preocupação de Paulo VI quando ele disse, “como manifestam os dons do Espírito (cf. Gl 5, 22): este é
poderia essa “renovação espiritual” ser outra coisa o sentido da maturidade eclesial! (cfe Christifide-
além do que uma bênção para a Igreja e para o les laici, 1997). ICCRS
mundo? E, nesse caso, como falharíamos ao fazer International
tudo ao nosso alcance para que possa continuar Somos gratos ao cardeal Suenens por Catholic
mostrar a RCC o caminho para o apostolado Charismatic
assim? (Discurso do Papa Paulo VI a RCC por Renewal Services
ocasião da 3ª Conferência Internacional de Líderes, eclesial. Sua herança discernimento espiritual,
sabedoria pastoral e autoridade teológica, da qual “Formação de Liderança”
Roma, 19 de maio de 1975). um suplemento do
a ICCRS baseou-se no núcleo dos seus estatutos
Boletim do ICCRS.
A experiência atual mundial mostra que a RCC será sempre relevante.
é certamente um “movimento da Igreja” mas espe- É concedida permissão
cial. Não pode ser associada as origens, natureza e para reproduzir qualquer
estrutura próprios dos outros movimentos apos- artigo do Boletim do ICCRS
desde que o ICCRS
tólicos da Igreja Católica como são comumente seja citado como fonte.
definidos.
ICCRS - Palazzo della Cancelleria
Um recente documento pastoral dos bispos 00120 Vatican City
do Canadá deixa isso muito claro: “o que é Tel.: +39 06 69 88 75 38 / 65
particularmente significativo na história e rápido Fax: +39 06 69 88 75 30
E-mail: info@iccrs.org
crescimento da Renovação Carismática é o modo
newsletter@iccrs.org
como ela se espalhou espontaneamente e Web Site: http://www.iccrs.org
organicamente do nível popular dos fiéis para Fax de oração: +39 06 69 88 75 74

tornar-se muito rapidamente um fenômeno