Вы находитесь на странице: 1из 4
Estereótipo A palavra estereótipo , vem do g re g o stereos e t yp os

Estereótipo

A palavra estereótipo, vem do grego stereos e typos compondo uma "impressão sólida". Uma marca ou cliché como forma de caracterizar ou representar pessoa, objeto ou grupo social.

É a imagem preconcebida de determinada pessoa, coisa ou situação. São usados principalmente para definir e limitar pessoas ou grupo de pessoas na sociedade. O estereótipo é geralmente imposto, segundo as características externas, tais como a aparência (cabelos, olhos, pele), roupas, condição financeira, comportamentos, cultura, sexualidade, sendo estas classificações (rotulagens) nem sempre positivas que podem muitas vezes causar certos impactos negativos nas pessoas.

Esta impressão pode se dar através da cultura ou das diferenças apresentadas entre os grupos sociais. Tradicionalmente herdamos estas informações de nossos ancestrais num movimento transgeracional.

A frase “Brasil, o país do futebol” é um exemplo de estereótipo positivo e demonstra a paixão que os brasileiros têm em relação ao futebol. No entanto, existem idéias estereotipadas caracterizadas como negativas, como por exemplo, “o Paquistão é o país dos homens bomba”. Essa generalização não é vista com bons olhos pelos paquistaneses, uma vez que a maioria dos habitantes que vivem lá é contra o terrorismo. O fato é que muitos estereótipos são geralmente adquiridos na infância sob a influência dos pais, familiares, amigos, professores e através da mídia. E quando um estereótipo é aprendido e armazenado no cérebro, a tendência é que seja passado para outras pessoas.

Assim, por intermédio da percepção, as vivências históricas e sócio-culturais se tornam presentes à nossa consciência, gerando a afetividade e as ações que determinada experiência permite ter. A realidade age sobre nós se for apreendida e internalizada. Define-se estereótipo social como crença coletivamente compartilhada acerca de algum atributo, característica ou traço psicológico, moral ou físico atribuído extensivamente a um agrupamento humano, formado mediante a aplicação de um ou mais critérios, como por exemplo, idade, sexo, inteligência, filiação religiosa e outros. Os estereótipos sociais influenciam condutas e comportamentos em interações sociais quando os interatores são enquadrados por essa crença. Do ponto de vista da psicologia, estereótipos podem ser investigados sob aspectos diferentes que vão desde a sua formação até manifestação coletiva.

“Representações, obviamente, não são criadas por um indivíduo isoladamente. Uma vez criadas, contudo, elas adquirem uma vida própria, circulam, se encontram, se atraem e se repelem e dão oportunidade ao nascimento de novas representações, enquanto velhas representações morrem.” (Moscovici, 2003).

As representações, os estereótipos, são ingredientes importantes do caldo sócio- cultural. Segundo esse psicólogo, é extrememente importante que consideremos que as representações sociais são capazes de influenciar o comportamento do indivíduo e, dessa forma, gerar movimentos que englobem uma coletividade.

BASES HUMANÍSTICAS

Prof. Leonardo Mello de Sousa

“A distinção entre opinião particular e opinião pública, por legítima que seja, nem por isso resolve

“A distinção entre opinião particular e opinião pública, por legítima que seja, nem por isso resolve a dificuldade, pois uma e outra interferem entre si, de maneira sutíl e movediça. A própria opinião pública, domínio de eleição do psicólogo social, tange a um sistema de crenças fortemente enraizadas e cristalizadas, assim ao nível coletivo como ao individual; de outra parte liga-se a processos episódicos afetados de forte contingência, correspondentes ao que se chama a atualidade ou as notícias” (Maisonneuve, 1977).

Sua aceitação é ampla e culturalmente difundida, sendo um grande motivador de preconceito e discriminação.

Podemos classificar os estereótipos em:

Estereótipos de gênero: São estereótipos direcionados ao gênero masculino e

feminino. Estereótipos raciais e étnicos: São estereótipos direcionados a diferentes

etnias e raças. Estereótipos sócio-econômicos: São estereótipos relacionados com a questão

financeira de indivíduos e grupo de indivíduos. Estereótipos no meio profissional: direcionados a certas profissões.

Estereótipos em relação à orientação sexual: gays, lésbicas e bissexuais.

Estereótipos da estética: moda, arte, mídia

Estereótipo nas escolas: “nerds” ou “CDF” que representam os alunos que se destacam pela sua inteligência e pelo seu jeito introvertido.

Preconceito

É um "juízo" de valor, preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude "discriminatória" perante pessoas, lugares ou tradições considerados diferentes ou "estranhos". Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém, ou de um grupo social, ao que lhe é diferente. Mas também pode representar algo positivo, infelizmente o senso comum acabou reforçando uma idéia sempre negativa a palavra, embora estabelecer previamente conceitos sobre alguém ou algo, não necessariamente é algo negativo.

Observar características comuns a grupos são consideradas preconceituosas quando entrarem para o campo da agressividade ou da discriminação, caso contrário reparar em características sociais, culturais ou mesmo de ordem física por si só não representam preconceito, elas podem estar denotando apenas costumes, modos de determinados grupos ou mesmo a aparência de povos de determinadas regiões, pura e simplesmente como forma ilustrativa ou educativa.

Os sentimentos negativos em relação a um grupo fundamentam a questão afetiva do preconceito, e as ações, o fator comportamental. Segundo Max Weber (1864-1920), o indivíduo é responsável pelas ações que toma. Uma atitude hostil, negativa ou agressiva em relação a um determinado grupo, pode ser classificada como preconceito.

As formas mais comuns de preconceito são: social, "racial" e "sexual".

BASES HUMANÍSTICAS

Prof. Leonardo Mello de Sousa

O preconceito racial é caracterizado pela convicção da existência de indivíduos com características físicas hereditárias, determinados

O preconceito racial é caracterizado pela convicção da existência de indivíduos com características físicas hereditárias, determinados traços de caráter e inteligência e

manifestações

culturais

superiores

a

outros

pertencentes

a

etnias

diferentes.

O

preconceito racial, ou racismo, é uma violação aos direitos humanos, visto que fora utilizado para justificar a escravidão, o domínio de alguns povos sobre outros e as

atrocidades que

ocorreram

ao

longo

da

história.

Nas sociedades, o preconceito é desenvolvido a partir da busca, por parte das pessoas preconceituosas, em tentar localizar naquelas vítimas do preconceito o que lhes “faltam” para serem semelhantes à grande maioria. Podemos citar o exemplo da civilização grega, onde o bárbaro (estrangeiro) era o que "transgredia" toda a lei e costumes da época. Atualmente, um exemplo claro de discriminação e preconceito social é a existência de favelas e condomínios fechados tão próximos fisicamente e tão longes socialmente. Outra forma de preconceito muito comum é o sexual, o qual é baseado na discriminação devido à orientação sexual de cada indivíduo.

O preconceito leva à discriminação, à marginalização e à violência, uma vez que é baseado unicamente nas aparências e na empatia.

Escala de Preconceito de Allport - The Nature of Prejudice (1954)

NÍVEL

CONCEITO

DESCRIÇÃO

1

Antilocução

Grupo majoritário fazendo piadas abertamente sobre um grupo minoritário. Também chamado de incitamento ao ódio. É geralmente vista como inofensiva pela maioria, mas estabelece o cenário para erupções mais sérias de preconceito.

2

Esquiva

O contato com as pessoas do grupo minoritário passa a ser ativamente evitado pelos membros do grupo majoritário. Não há intenção de fazer mal diretamente (isolamento).

   

O grupo minoritário é discriminado negando-lhe oportunidades e serviços. Os comportamentos

3

Discriminação

têm por objetivo específico prejudicar o grupo minoritário impedindo-o de atingir seus objetivos, obtendo educação ou empregos etc.

   

O grupo

majoritário

vandaliza

as

coisas

do

grupo

minoritário,

queimam

propriedades

e

desempenham ataques violentos contra

4

Ataque Físico

indivíduos e grupos. Danos físicos são perpetrados contra os membros do grupo minoritário (linchamento, atear fogo em índios,

   

agredir homosexuais). O grupo majoritário busca a exterminação do

5

Extermínio

grupo minoritário.

BASES HUMANÍSTICAS

Prof. Leonardo Mello de Sousa

Discriminação Significa "fazer uma distinção".O significado mais comum, no entanto, tem a ver com a discriminação

Discriminação

Significa "fazer uma distinção".O significado mais comum, no entanto, tem a ver com a discriminação sociológica:

Discriminação Social

Discriminação Racial

Discriminação Deficiência

Discriminação Religiosa

Discriminação Sexual

Discriminação Idade

Discriminação Nacionalidade

Discriminação Trabalho

A ato de discriminar leva em muitos casos a um processo de exclusão social que marginaliza e estigmatiza o indivíduo ou grupo social, representando uma série de restrições e aprisonamentos sociais incapacitantes.

A legislação brasileira considera crime o ato discriminatório, como se depreende das leis 7.853/89 (pessoa portadora de deficiência), 9.029/95 (origem, raça, cor, estado civil, situação familiar, idade e sexo) e 7.716/89 (raça ou cor).

BASES HUMANÍSTICAS

Prof. Leonardo Mello de Sousa