Вы находитесь на странице: 1из 5

Controle conjunto de instrumentos estabelecidos pelo ordenamento jurídico que possibilita o exercício do poder de fiscalização de toda a Administração Pública (todos os Poderes), com o objetivo de garantir a congruência entre sua atuação e esse mesmo ordenamento.

Pública (todos os Poderes), com o objetivo de garantir a congruência entre sua atuação e esse

Sistemas de Controle no Mundo:

Sistemas de Controle no Mundo: No Brasil Controle externo Congresso Nacional, com o auxílio do TCU

No Brasil

Controle externo Congresso Nacional, com o auxílio do TCU, ao qual compete:

I - apreciar as contas prestadas anualmente pelo Presidente da República, mediante parecer prévio que deverá ser elaborado em sessenta dias a contar de seu recebimento;

II - julgar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos da administração direta e indireta, incluídas as fundações e sociedades instituídas e mantidas pelo Poder Público federal, e as contas daqueles que derem causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo ao erário público;

III - apreciar, para fins de registro, a legalidade dos atos de admissão de pessoal, a qualquer título, na

administração direta e indireta, incluídas as fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público,

excetuadas as nomeações para cargo de provimento em comissão, bem como a das concessões de

aposentadorias, reformas e pensões, ressalvadas as melhorias posteriores que não alterem o fundamento legal do ato concessório;

IV

- realizar, por iniciativa própria, da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, de Comissão técnica ou

de

inquérito, inspeções e auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e

patrimonial, nas unidades administrativas dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, e demais entidades referidas no inciso II;

V - fiscalizar as contas nacionais das empresas supranacionais de cujo capital social a União participe, de

forma direta ou indireta, nos termos do tratado constitutivo;

VI - fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos repassados pela União mediante convênio, acordo, ajuste ou

outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito Federal ou a Município;

VII - prestar as informações solicitadas pelo Congresso Nacional, por qualquer de suas Casas, ou por

qualquer das respectivas Comissões, sobre a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial e sobre resultados de auditorias e inspeções realizadas;

VIII - aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de despesa ou irregularidade de contas, as sanções previstas em lei, que estabelecerá, entre outras cominações, multa proporcional ao dano causado ao

erário;

IX - assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as providências necessárias ao exato cumprimento da

lei, se verificada ilegalidade;

X

- sustar, se não atendido, a execução do ato impugnado, comunicando a decisão à Câmara dos Deputados

e

ao Senado Federal;

XI

- representar ao Poder competente sobre irregularidades ou abusos apurados.

Competência exclusiva do CN Julgar as contas do Presidente da República Competência privativa da CD

Competência exclusiva do CN

Julgar as contas do Presidente da República

Competência privativa da CD

Proceder a tomada de contas do Presidente da República, se não apresentadas (60 dias).

Competência privativa do Senado

Aprovar as indicações para Ministro do TCU (votação secreta à arguição pública)

Competência privativa do Presidente da República

Nomear os Ministros do TCU + prestar, dentro de 60 dias, as contas ao Congresso Nacional

Controle interno:

I. avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual, a execução dos programas de governo e dos orçamentos da União; II. comprovar a legalidade e avaliar os resultados, quanto à eficácia e eficiência, da gestão orçamentária, financeira e patrimonial nos órgãos e entidades da administração federal, bem como da aplicação de recursos públicos por entidades de direito privado;

III. exercer o controle das operações de crédito, avais e garantias, bem como dos direitos e haveres da

União;

IV. apoiar o controle externo no exercício de sua missão institucional.

Em São Paulo

V - organizar e executar, por iniciativa própria ou por solicitação do Tribunal de Contas do Município,

programação trimestral de auditorias contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial nas unidades administrativas sob seu controle.

§ 2º - Os responsáveis pelo controle interno, ao tomarem conhecimento de qualquer irregularidade, ilegalidade ou ofensa ao art. 37 da Constituição da República, deverão representar à autoridade competente, dando ciência à Câmara Municipal*, sob pena de responsabilidade solidária. *Não é ao Tribunal pela leitura do dispositivo como é na CF 88.

Competência dos Tribunais além das Expressas na CF/88 Competência pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Verificar os cálculos dos limites da despesa de pessoal

Alertar despesa total com pessoal > 90% do limite dívida consolidada e mobiliária, operações de créd. e conc. de garantia > 90% do limite gastos com inativos e pensionistas > limite definido em lei

Processar e julgar (Crimes fiscais)

deixar de divulgar o RGF LDO sem metas fiscais não adotar as medidas necessárias à redução da despesa total com pessoal que houver excedido ao limite máximo

Competências Lei n. 8.666/93

Competência pela Lei de Licitações e Contratos

Controle de despesas com contratos e demais instrumentos Qualquer licitante, contratado, pessoa física ou jurídica, pode representar contra irregularidades Tribunais de Contas e CI podem solicitar para exame cópia do edital de licitação até o dia útil anterior à data de recebimento das propostas

Competências segundo o Supremo

Medidas cautelares - com ou sem oitiva prévia da parte Suspensão de ato ou procedimento Apreciação da constitucionalidade de leis e atos do Poder Público

Competência pela Lei de Ficha Limpa

Ato doloso de improbidade administrativa – inelegibilidade por 8 anos, a contar da decisão TC encaminha a relação contendo os responsáveis que tiveram suas contas julgadas irregulares à Justiça Eleitoral Não compete ao TC declara a inelegibilidade

que tiveram suas contas julgadas irregulares à Justiça Eleitoral Não compete ao TC declara a inelegibilidade

Natureza Jurídica do Tribunal de Contas Independente Autônomo Autonomia administrativa e financeira Não subordinado a nenhum dos 3 Poderes Competências exclusivas - CF/88 Vinculado, para efeitos orçamentários, ao Poder Legislativo

Natureza das Decisões Multa/débito - Título executivo extrajudicial Execução - Procuradoria dos Estados/Municípios (AGU - União) Caráter administrativo - Coisa julgada administrativa

Jurisdição TCU - própria e privativa, em todo o território nacional, sobre as pessoas e matérias sujeitas à sua competência. qualquer pessoa, física ou jurídica , que GAGAU ou que dê causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte dano ao Erário

física ou jurídica , que GAGAU ou que dê causa a perda, extravio ou outra irregularidade