Вы находитесь на странице: 1из 25
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: De acordo com a NBR
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: De acordo com a NBR

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

De acordo com a NBR 5626, tanto os tubos como as conexões, constituintes de uma instalação predial de água fria, podem ser de:

- aço galvanizado,

- cobre,

- ferro fundido,

- PVC rígido ou de outros materiais.

Desde que satisfaçam a condição de que a pressão de serviço não deva ser superior a pressão estática, no ponto considerado, somada a sobre-pressão devido a golpes de aríete.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Esses materiais devem ser próprios
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Esses materiais devem ser próprios

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

Esses materiais devem ser próprios para a condução de água potável e devem ter especificações para recebimento, relativo a cada um deles, inclusive métodos de ensaio.

Segundo a Norma, o fechamento de qualquer peça de utilização não pode provocar sobre-pressão, maior que de 200 kPa (20mca).

A máxima pressão estática permitida é de 40mca (400 kPa) e a mínima pressão de serviço é de 0,5 mca (5 kPa).

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Os tubos e conexões mais
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Os tubos e conexões mais

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

Os tubos e conexões mais empregados são os de aço galvanizado e os de PVC rígido. Os tubos de aço galvanizado suportam pressões mais elevadas, menor deformação e resistência a altas temperaturas (incêndio). Porem são mais suscetíveis à corrosão, possibilidade de alteração das características físico-químicas da agua, maior transmissão de ruídos e perda de pressão. O valor de referência que estabelece o diâmetro comercial desses tubos é a medida do diâmetro interno dos mesmos.

comercial desses tubos é a medida do diâmetro interno dos mesmos. P r o f .

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Os tubos de PVC rígido
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Os tubos de PVC rígido

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

Os tubos de PVC rígido são agrupados em três classes, indicadas pelas pressões de serviço:

classe 12 (6 kgf/cm2 ou 60 mca)

classe 15 (7,5 kgf/cm2 ou 75 mca)

classe 20 (10 kgf/cm2 ou 100 mca)

15 (7,5 kgf/cm2 ou 75 mca) classe 20 (10 kgf/cm2 ou 100 mca) Para se conhecer

Para se conhecer a máxima pressão de serviço (em kgf/cm2) de cada classe, basta dividir o número da classe por 2.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: As normas brasileiras dividem os
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: As normas brasileiras dividem os

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

As normas brasileiras dividem os tubos de PVC em duas áreas de aplicação:

tubos de PVC rígido para adutoras, redes de água, redes enterradas de prevenção contra incêndios e instalações industriais (EB-183). São encontrados nas três classes,

tubos de PVC rígido para instalações prediais de água fria e são da classe 15 (EB-892). Estes tubos podem ser com juntas soldáveis ou com juntas roscáveis.

Podem ser utilizados desde que não hajam válvulas de descarga interligadas a esses tubos, e em prédios que não possuam grandes alturas.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Tabela com Diâmetro e Dimensões
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: Tabela com Diâmetro e Dimensões

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

Tabela com Diâmetro e Dimensões de Tubos Plásticos Marrom e Branco

Tabela com Diâmetro e Dimensões de Tubos Plásticos Marrom e Branco P r o f .

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: As principais vantagens dos tubos
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Materiais: As principais vantagens dos tubos

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Materiais:

As principais vantagens dos tubos e conexões de PVC em relação aos outros materiais são: leveza, facilidade de transporte, manuseio e instalação, resistência a corrosão, baixo custo e menor perda de carga.

Desvantagens: baixa resistência ao calor e degradação por exposição prolongada ao sol.

Velocidades:

As tubulações devem ser dimensionadas de modo que a velocidade da água, em qualquer trecho de tubulação, não atinja valores superiores a 3,0 m/s.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Registros: A altura padrão do registro
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Registros: A altura padrão do registro

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Registros:

A altura padrão do registro de gaveta é de 180cm em relação

ao piso acabado. O seu posicionamento na parede depende do

detalhe isométrico de agua fria e das interfaces com o layout

do ambiente.

A colocação do registro de pressão dentro do box deve ser estudada de maneira que os registros possam ser abertos e fechados sem que a pessoa se molhe. A altura ideal esta entre 100 e 110 cm em relação ao piso acabado.

A altura

hidromassagem é variável, pois depende das dimensões

especificadas pelo fabricante.

para

o

registro

de

pressão

para

banheira

de

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Registros: Posições possíveis do registro geral
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Registros: Posições possíveis do registro geral

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Registros:

Posições possíveis do registro geral (Fonte: Carvalho Jr.)

Posições possíveis do registro geral (Fonte: Carvalho Jr.) P r o f . M S c

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Altura dos pontos: O posicionamento dos
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Altura dos pontos: O posicionamento dos

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Altura dos pontos:

O posicionamento dos pontos de entrada de agua e posição de registros e outros elementos podem variar em função do modelo de aparelho.

Legenda

Descrição

Altura (cm)

BS

Bacia sanitária com válvula

30

BCA

Bacia sanitária com caixa acoplada

20

DC

Ducha higiênica

60

BI

Bidê

20

BH

Banheira de hidromassagem

30

CH

Chuveiro ou ducha

210

LV

Lavatório

60

MIC

Mictório

105

MLR

Maquina de lavar roupa

90

MLL

Maquina de lavar louça

60

PIA

Pia

110

TQ

Tanque de serviço

115

TJ

Torneira de jardim

60

RP

Registro de pressão

110

RG

Registro de gaveta

180

VD

Válvula de descarga

110

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: A agua da rede pública
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: A agua da rede pública

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

A agua da rede pública apresenta uma determinada pressão,

que varia ao longo da rede de distribuição. Dessa maneira, se

o reservatório domiciliar ficar a uma altura não atingida por essa pressão, a rede não terá capacidade de alimenta-lo.

Como limite prático, essa altura não deve ser superior a 9m.

Reservatório

Projeto de arquitetura

- Compatibilização

- Capacidade

- Reserva de incêndio

- Barrilete

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: Em trabalhos realizados com o
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: Em trabalhos realizados com o

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

Em trabalhos realizados com o fim específico de verificar a influência dos reservatórios domiciliares das águas de abastecimento, Lima Filho e Murgel Branco concluíram que as condições sanitárias em que encontram os mesmos são normalmente responsáveis pela deterioração da qualidade da água:

- localização imprópria do reservatório,

- a

ignorância

do

usuário

em

relação

reservatório,

à

conservação

do

- a falta de cobertura adequada,

- a ausência de limpezas periódicas.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: A existência de uma camada
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: A existência de uma camada

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

A existência de uma camada de matéria orgânica e inorgânica no fundo do reservatório provoca um aumento da turbidez e cor, é responsável pelo consumo da maior parte do cloro residual da água afluente e acarreta a diminuição do oxigênio dissolvido.

- Reservatório superior:

Pode ser alimentado pelo sistema de recalque ou diretamente pelo alimentador predial.

Quando abastecido pela rede publica, deve-se localizar em uma posição mais próxima possível dos pontos de consumo devido a perda de carga e economia.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório superior: Quando a
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório superior: Quando a

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

- Reservatório superior:

Quando a reserva de agua for acima de 2000 litros, o reservatório deve ser projetado sobre o telhado, com estrutura adequada de suporte (evitar concentração de cargas).

Nos prédios com mais de 3 pavimentos, o reservatório superior,

localiza-se

de

escada (aproveitamento de pilares).

sobre

geralmente

a

caixa

Esquema caixa d’água

de pilares). sobre geralmente a caixa Esquema caixa d’água P r o f . M S

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório superior: H ≥100
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório superior: H ≥100

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

- Reservatório superior:

H ≥100 cm
H ≥100 cm

Reservatório locado sobre a caixa de escada

O acesso ao interior do reservatório, para inspeção e limpeza, deve ser garantido por abertura mínima de 60 x 60cm e a abertura deve ser dotada de rebordo com altura mínima de 10 cm .

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório inferior: Faz-se
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório inferior: Faz-se

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

- Reservatório inferior:

Faz-se necessário em prédios com mais de 3 pavimentos, pois até esse limite a pressão da rede publica é suficiente para abastecer o reservatório elevado. Deve ser instalado em locais de fácil acesso, de forma isolada e afastado de tubulações de esgoto. Quando localizados no subsolo, as tampas devem ser elevadas em relação ao piso para evitar contaminação na agua.

Deve-se

suficiente para a instalação de dois conjuntos.

prever

espaço

físico

para

a

casa

de

bombas,

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório inferior: As bombas
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - Reservatório inferior: As bombas

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

- Reservatório inferior:

As bombas devem ficar próxima do reservatório e podem estar dispostas conforme figura abaixo:

Bomba no nível do piso (afogada)

Bomba acima do reservatório

abaixo: Bomba no nível do piso (afogada) Bomba acima do reservatório P r o f .

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - O Reservatório inferior:
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Reservatórios: - O Reservatório inferior:

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Reservatórios:

-

O

Reservatório inferior:

extravasor deve situa-se a uma altura tal que por ele não possa

penetrar agua de inundação, caso o subsolo inunde.

Deve escoar livremente em lugar visível, e nunca em caixas de areia, ralos ou calhas.

O diâmetro deve ser no mínimo, de uma bitola comercial acima do

diâmetro do tubo de entrada de agua.

Capacidade e Recomendações:

A NBR 5626 recomenda que a reservação total a ser acumulada nos reservatórios inferiores e superiores não deve ser inferior ao consumo diário e não deve ultrapassar a três vezes o mesmo.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade e Recomendações: Os reservatórios com
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade e Recomendações: Os reservatórios com

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Capacidade e Recomendações:

Os reservatórios com capacidade superior a 4000L devem ser compartimentados a fim de que o sistema de distribuição não seja interrompido durante uma operação de limpeza.

Geralmente é recomendável a seguinte divisão de volume entre os reservatórios superior e inferior:

Volume útil do R.S. = 40% do volume total

Volume útil do R.I. = 60% do volume total

Esses valores são fixados para aliviar a carga na estrutura e essa divisão é válida quando o volume total a ser armazenado for igual ao consumo diario (CD). Quando se pretender armazenar um volume maior que o CD, ele deve ser feito no R.I.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade e Recomendações: A reserva para
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade e Recomendações: A reserva para

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Capacidade e Recomendações:

A reserva para combate a incêndios pode ser feita nos mesmos reservatórios da instalação predial de água fria, porém, à capacidade para esta finalidade deve ser acrescida ao volume referente ao consumo (em torno de 20% de reserva – ver norma especifica ).

- Consumo diário:

A Tabela a seguir, fornece dados que possibilitam a estimativa do consumo diário de qualquer tipo de edificação. Verifica-se a taxa de ocupação de acordo com o tipo de uso do edifício e o consumo per capita (por pessoa).

CD = P x q

Onde: CD= consumo diário (litros/dia) P= população da edificação q= consumo per capita (litros/dia)

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Consumo diário: Tabela de taxa de
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Consumo diário: Tabela de taxa de

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Consumo diário:

Tabela de taxa de ocupação de acordo com a natureza do local

Tabela de taxa de ocupação de acordo com a natureza do local P r o f

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Consumo diário: Tabela de estimativa de
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Consumo diário: Tabela de estimativa de

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Consumo diário:

Tabela de estimativa de consumo diário

de agua fria Consumo diário: Tabela de estimativa de consumo diário P r o f .

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Consumo diário: Exemplo: 1- O consumo
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Consumo diário: Exemplo: 1- O consumo

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Consumo diário:

Exemplo:

1- O consumo diário de um prédio residencial constituído de 10 pavimentos tipos, contendo 3 apartamentos por pavimento e 5 pessoas por apartamento, é:

CD = 10 pav. x 3 apto./pav. x 5 hab./apto. x 200 1/dia hab. CD = 30.000 l/dia ou simplesmente CD 30.000 l ou CD = 30 m3 O valor de 200 l/dia pessoa foi obtido na Tabela Anterior.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade para reservatório: CR = 2
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade para reservatório: CR = 2

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Capacidade para reservatório:

CR = 2 x CD

de agua fria Capacidade para reservatório: CR = 2 x CD Onde: CR= capacidade do reservatório

Onde: CR= capacidade do reservatório (litros) CD= consumo diário (litros/dia)

Capacidade suficiente para dois dias de consumo

Exemplo:

2- Calcular a capacidade dos reservatórios de um edifício residencial de 12 pavimentos, com 4 apartamentos por pav., sendo que cada apartamento possui 2 quartos e uma dependência de empregada. Adotar reserva de incêndio de 12.000 litros, prevista para ser armazenada no reservatório superior.

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade para reservatório: Exemplo 2 -
Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria Capacidade para reservatório: Exemplo 2 -

Instalações Hidrosanitárias Aula 2 – Instalações de agua fria

Capacidade para reservatório:

Exemplo 2 - solução:

CD= P x q ,

2 pessoas/ quarto + 1 pessoa/ empregada P= (2x2) + 1 = 5 pessoas/ apto x 48 aptos P= 240 pessoas

CD= 240 x 200 l/dia= 48.000 l/dia

sendo:

CR= 2xCD

CRS= (0,4x96.000) + 12.000 = 50.400 litros CRI= (0,6x96.000) = 57.600 litros

CR= 2x 48.000 = 96.000 litros

P r o f .

M S c .

C r i s t i n a

M a t t o s