Вы находитесь на странице: 1из 29

Manejo da Coinfecção TB-HIV

Aspectos gerais do diagnóstico de tuberculose ativa em PVHA

Professora: Denise Arakaki-Sanchez

Professora: Denise Arakaki-Sanchez
da Coinfecção TB-HIV Aspectos gerais do diagnóstico de tuberculose ativa em PVHA Professora: Denise Arakaki-Sanchez

Anamnese clínica de tuberculose em PVHA

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Deve ser feita em toda visita da pessoa vivendo com HIV/aids ao serviço de saúde.

????
????

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Consiste em perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas:

Consiste em perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas: 1 Tosse - Seca ou

1 Tosse

- Seca ou com escarro?

- Há quanto tempo?

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Consiste em perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas:

perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas: 2 Febre (em geral, baixa e no

2 Febre

(em geral, baixa e no final do dia)

- Sensação de calafrio?

- Sensação de corpo quente?

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Consiste em perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas:

em perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas: 3 Sudorese noturna - Precisa acordar

3 Sudorese noturna

- Precisa acordar para trocar o pijama?

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Consiste em perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas:

perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas: 4 Emagrecimento - Percebeu que as roupas
perguntar ao paciente se tem algum desses quatro sintomas: 4 Emagrecimento - Percebeu que as roupas

4 Emagrecimento

- Percebeu que as roupas estão mais largas?

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids Tosse Sudorese noturna Febre Emagrecimento A presença

Tosse

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids Tosse Sudorese noturna Febre Emagrecimento A presença

Sudorese

noturna

Febre
Febre

Emagrecimento

A presença de um único sintoma deve indicar o desencadeamento da investigação diagnóstica.

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids A radiografia de tórax pode aumentar a

A radiografia de tórax pode aumentar a sensibilidade das quatro perguntas.

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

????
????

A continuidade da investigação diagnóstica vai depender de anamnese clínica.

Prova tuberculínica negativa não exclui tuberculose ativa em PVHA

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

A prova tuberculínica não serve para diagnóstico da tuberculose no Brasil.

de TB em pessoas vivendo com HIV/aids A prova tuberculínica não serve para diagnóstico da tuberculose

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

A prova tuberculínica negativa não exclui a tuberculose ativa porque não faz parte dos exames diagnósticos.

HIV/aids A prova tuberculínica negativa não exclui a tuberculose ativa porque não faz parte dos exames

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Pacientes vivendo com HIV podem não responder à prova tuberculínica.

clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids Pacientes vivendo com HIV podem não responder à

Anamnese clínica de TB em pessoas vivendo com HIV/aids

Pacientes com imunodeficiência grave (CD4 < 200 céls/ml) não produzem resposta à prova tuberculínica.

HIV/aids Pacientes com imunodeficiência grave (CD4 < 200 céls/ml) não produzem resposta à prova tuberculínica.

Exames histopatológicos podem ajudar na elucidação diagnóstica

Exames histopatológicos

Exames histopatológicos Granuloma não crecrotizante (TB pulmonar) Crédito: Yale Rosen Exames histopatológicos: -
Exames histopatológicos Granuloma não crecrotizante (TB pulmonar) Crédito: Yale Rosen Exames histopatológicos: -

Granuloma não crecrotizante (TB pulmonar) Crédito: Yale Rosen

Exames histopatológicos:não crecrotizante (TB pulmonar) Crédito: Yale Rosen - Revelam granulomas frouxos ou granulomas com BAAR no

- Revelam granulomas frouxos ou granulomas com BAAR no interior;

A cultura dos fragmentos da biópsia:granulomas frouxos ou granulomas com BAAR no interior; - Permite melhor elucidação diagnóstica; e - Deve

- Permite melhor elucidação diagnóstica; e

- Deve ser acompanhada da identificação da micobactéria e do teste de sensibilidade.

Exames histopatológicos

Exames histopatológicos SARCOIDOSE - granuloma nas vias aéreas Crédito: Yale Rosen Outras micobactérias não

SARCOIDOSE - granuloma nas vias aéreas Crédito: Yale Rosen

Outras micobactérias não tuberculosas podem também causar doenças em PVHA.SARCOIDOSE - granuloma nas vias aéreas Crédito: Yale Rosen Granulomas frouxos sem BAAR também podem ser

Granulomas frouxos sem BAAR também podem ser vistos em outras doenças. Como por exemplo:não tuberculosas podem também causar doenças em PVHA. - H istoplasmose; - S arcoidose; - D

- Histoplasmose;

- Sarcoidose;

- Doenças autoimunes.

Exames bacteriológicos

Exames bacteriológicos

Exames bacteriológicos A pessoa vivendo com HIV em geral não produz cavidades pulmonares. Então, esses indivíduos
Exames bacteriológicos A pessoa vivendo com HIV em geral não produz cavidades pulmonares. Então, esses indivíduos

A pessoa vivendo com HIV em geral não produz cavidades pulmonares. Então, esses indivíduos apresentam baixa carga de bacilos.

Exames bacteriológicos

Exames bacteriológicos Cultura do Mycobacterium tuberculosis Crédito: CDC / Dr. George Kubica Em PVHA, as amostras
Exames bacteriológicos Cultura do Mycobacterium tuberculosis Crédito: CDC / Dr. George Kubica Em PVHA, as amostras

Cultura do Mycobacterium tuberculosis Crédito: CDC / Dr. George Kubica

Em PVHA, as amostras de escarro sempre devem ser encaminhadas para:

Baciloscopias; aciloscopias;

Cultura com identificação de espécie de micobactéria; e de espécie de micobactéria; e

Teste de sensibilidade.escarro sempre devem ser encaminhadas para: B aciloscopias; Cultura com identificação de espécie de micobactéria; e

Exames bacteriológicos

Exames bacteriológicos Mycobacterium tuberculosis Crédito: CDC / James Archer A identificação da micobactéria vai

Mycobacterium tuberculosis Crédito: CDC / James Archer

A identificação da micobactéria vai servir para diferenciar uma micobactéria tuberculosa de uma micobactéria não tuberculosa, uma vez que elas necessitam de medicamentos diferentes.

Exames bacteriológicos

Exames bacteriológicos Bacilos álcool-ácido resistentes (BAAR) Crédito: CDC / Dr. Edwin P. Ewing, Jr. A baciloscopia

Bacilos álcool-ácido resistentes (BAAR) Crédito: CDC / Dr. Edwin P. Ewing, Jr.

resistentes (BAAR) Crédito: CDC / Dr. Edwin P. Ewing, Jr. A baciloscopia positiva deve indicar o

A baciloscopia positiva deve indicar o início imediato do tratamento para tuberculose.

Teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB)

Teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB)

Por que usar o TRM-TB?

Diagnostica cargas bacilares baixas;molecular para tuberculose (TRM-TB) Por que usar o TRM-TB? Detecta a resistência da micobactéria à Rifampicina.

Detecta a resistência da micobactéria à Rifampicina. micobactéria à Rifampicina.

Por que usar o TRM-TB? Diagnostica cargas bacilares baixas; Detecta a resistência da micobactéria à Rifampicina.

Teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB)

Teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB) Diferentes tipos de amostras: Escarro; Escarro induzido; Lavado

Diferentes tipos de amostras:

Escarro;para tuberculose (TRM-TB) Diferentes tipos de amostras: Escarro induzido; Lavado broncoalveolar; Lavado gástrico;

Escarro induzido;tuberculose (TRM-TB) Diferentes tipos de amostras: Escarro; Lavado broncoalveolar; Lavado gástrico; Líquor; Gânglios

Lavado broncoalveolar;Diferentes tipos de amostras: Escarro; Escarro induzido; Lavado gástrico; Líquor; Gânglios linfáticos; e

Lavado gástrico;de amostras: Escarro; Escarro induzido; Lavado broncoalveolar; Líquor; Gânglios linfáticos; e Macerados de tecidos.

Líquor;Escarro; Escarro induzido; Lavado broncoalveolar; Lavado gástrico; Gânglios linfáticos; e Macerados de tecidos.

Gânglios linfáticos; etipos de amostras: Escarro; Escarro induzido; Lavado broncoalveolar; Lavado gástrico; Líquor; Macerados de tecidos.

Macerados de tecidos.tipos de amostras: Escarro; Escarro induzido; Lavado broncoalveolar; Lavado gástrico; Líquor; Gânglios linfáticos; e

Teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB)

Teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB) Indicado, principalmente, para o diagnóstico de TB pulmonar e

Indicado, principalmente, para o diagnóstico de TB pulmonar e laríngea, em adultos e crianças.

A sensibilidade do teste

é menor em crianças com

menos de 10 anos.

Slides e infográficos: Lorena Medina Ícones: F r eepik

Slides e infográficos: Lorena Medina Ícones: Freepik

© 2015. Ministério da Saúde. Sistema Universidade Aberta do SUS. Fundação Oswaldo Cruz & SE/UNA-SUS

© 2015. Ministério da Saúde. Sistema Universidade Aberta do SUS. Fundação Oswaldo Cruz & SE/UNA-SUS

Alguns direitos reservados. É permitida a reprodução, disseminação e utilização dessa obra, em parte ou em sua totalidade, nos termos da licença para usuário final do Acervo de Recursos Educacionais em Saúde. Para tradução para qualquer idioma, inclusão em banco de dados, inclusão em novas obras ou coletâneas e inclusão em material didático ou curso que constitua uma nova obra é necessária a autorização prévia e expressa. Deve ser citada a fonte e é vedada sua utilização comercial.

Esse e outros recursos educacionais, produzidos pelo Sistema UNA-SUS, podem ser recuperados no Acervo de Recursos Educacionais em Saúde – ARES https://ares.unasus.gov.br/acervo/