Вы находитесь на странице: 1из 7

O Manifesto de Santidade

Sobre o Manifesto de Santidade


O Manifesto de Santidade nasceu de três anos de consulta de representantes de dez
denominações wesleyanas de linha de santidade: Igreja do Nazareno, Igreja Metodista
Livre, Exército de Salvação, Igreja de Deus (Anderson), Igreja de Deus em Cristo, irmãos
em Cristo, Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular, Aliança Cristã e Missionária,
Internacional Pentecostal Holiness, e Escudo da Fé. Três representantes de cada igreja,
juntamente com observadores de igrejas Metodista Unida e Católica Romana
participaram deste projeto de estudos sobre Santidade.

O Projeto Estudo surgiu de uma preocupação por parte de alguns líderes da igreja e
teólogos que perceberam que a men sagem de santidade foi sendo diluída internamente
e deturpada externamente. Por um lado, em meados do século 20, a santidade era cada
vez mais definida em termos de performance, geralmente em termos daquilo que as
pessoas não devem fazer. Isso levou a uma ênfase exagerada sobre regras de
comportamento, o que acabou descambando em legalismo. Por outro lado, na segunda
metade do Século XX, devido a uma ênfase exagerada em crescimento da Igreja,
tivemos um aumento do número de cristãos nominais, que não manifestam frutos dignos
de arrependimento. Juntos, esses fatores ameaçavam ofuscar a mensagem do amor e
da transformação do coração e da vida que são a herança do movimento de santidade.

Nos últimos 10 anos, igrejas de linha de santidade se tornaram cada vez mais
conscientes do seu patrimônio único e de seu potencial para ministrar com relevância as
necessidades desta sociedade pós-moderna. Com ênfase na graça de Deus,
transformação, e vida íntegra e autêntica diante de Deus e de outras pessoas, a
mensagem de santidade é cada vez mais atraente para uma ampla gama de pessoas de
todas as tradições religiosas.

Um dos objetivos deste projeto foi o de chamar a atenção para a necessidade de


rearticular a mensagem de santidade de modo a fazer jus ao seu legado histórico, a
medida que também busca evitar as armadilhas de dois extremos: legalismo, de um lado,
e evangélicos genéricos sem transformação de vida, de outro .

O Manifesto de Santidade foi lançado em fevereiro de 2006. Para obter mais informações
e para poder ler outros textos publicados sobre o tema,
acesse: http://holinessandunity.org

Manifesto de Santidade

Projeto de Estudo Wesleyano e de Santidade, Azusa, Califórnia, Fevereiro de 2006.

A Crise que Enfrentamos

Jamais houve um tempo em que uma articulação autêntica e motivadora da mensagem


da santidade fosse tão necessária como atualmente. Pastores e líderes em todos os
níveis eclesiásticos chegaram a um beco sem saída em sua procura por formas de
revitalizar suas congregações e denominações. O que fazemos não dá resultados. A
membresia das igrejas de todas as tradições estabilizou-se (nos Estados Unidos). Em
muitos casos, há mesmo uma queda na membresia das igrejas. Não temos sequer
atingido o crescimento vegetativo, ao comparar com o crescimento vegetativo da
população dos Estados Unidos da América. O zelo e a energia das igrejas tem sido
empregados na busca incessante por um método melhor, uma moda passageira, uma
visão mais recente e melhor para desencadear o crescimento. Nesse processo para
descobrir um método mágico para termos igrejas vibrantes, saudáveis e crescentes,
nosso povo tornou-se altamente ineficaz e cativo de um cristianismo genérico que
resultou em congregações que não se distinguem da cultura que as circundam. As igrejas
precisam de uma mensagem autêntica e clara que substituirá o “santo graal” de métodos
como o foco de nossa missão. Nossa mensagem é nossa missão!

Além do mais temos sido inundados por líderes que se tornaram prisioneiros de uma
mentalidade de sucesso numérico e influência programática. Eles se tornaram tão
preocupados sobre “como” administrar a igreja que negligenciaram o aspecto mais
importante que tem a ver com “o que” a igreja declara. Nós inundamos o “mercado” com
esforços metodológicos para fazer a igreja crescer. Neste processo, nossos líderes
perderam a capacidade de liderar. Eles não conseguem liderar porque não tem nenhuma
mensagem autêntica para transmitir, nem uma visão autêntica de Deus, nem uma
compreensão transformadora da alteridade de Deus (Deus: o totalmente Outro). Eles
sabem disto e desejam encontrar o poder centralizador de uma mensagem que faça a
diferença. Mais que nunca desejam banhar-se em uma profunda compreensão do
chamado de Deus pela santidade - vida transformada. Estão cansados de confiarem em
métodos. Querem uma missão. Querem uma mensagem!

As pessoas hoje estão buscando um futuro sem terem uma memória espiritual. Eles
suplicam aos cristãos por uma palavra generosa e integrativa que faça sentido e faça a
diferença. Temos a obrigação de deixar claro que Deus é relevante para a vida das
pessoas. Nós temos de nos livrar de nossa obsessão por uma linguagem verborrágica, de
expectativas embaraçosas e de nossos padrões intransigentes. Qual é o âmago, o centro,
a essência do chamado de Deus? Eis aí nossa mensagem, eis aí nossa missão!

As pessoas nas igrejas estão cansadas das nossas mesquinhas linhas de demarcação
que criam artificialmente compartimentos, denominações e divisões. Estão cansadas de
construírem instituições. Anseiam por uma mensagem clara e articulada que transcenda a
institucionalização e os conflitos entre os seguidores de Jesus Cristo. Estão
envergonhados pela mentalidade corporativista das igrejas que defendem pedaços do
evangelho como se a elas pertencessem. Querem conhecer o poder unificador e
transformador de Deus. Querem ver a impressionante santidade de Deus, que nos
compele à unidade na qual testemunhamos seu poder. As pessoas aceitam o fato de que
nem todos nós seremos semelhantes; haverá diversidade. Mas querem ter a certeza que
qualquer que seja a igreja ou líder, saibam que somos um - unidos pelo santo caráter de
Deus que nos dá toda a vida e amor. Querem uma mensagem que seja unificadora. A
única mensagem que pode fazer isto vem da natureza de Deus, que é unidade na
diversidade.

Portanto, neste momento crítico, para o bem estar da igreja, nós focalizamos o tema da
santidade de uma maneira renovada. Em nosso ponto de vista, este foco é o coração das
Escrituras no que diz respeito à existência dos cristãos através dos tempos - e claramente
para o nosso tempo.
A Mensagem Que Temos

Deus é santo e nos chama a sermos um povo santo.


Deus, que é santo, tem um amor abundante e fiel por nós. O santo amor de Deus nos é
revelado na vida e ensinamentos, morte e ressurreição de Jesus Cristo, nosso Senhor e
Salvador. Deus continua a agir, dando vida, esperança e salvação através da habitação
do Santo Espírito, conduzindo-nos à vida santa e amorosa de Deus. Deus nos transforma,
livrando-nos do pecado, idolatria, servidão e egoísmo para amarmos e servirmos a Deus,
aos outros e para sermos mantenedores da criação. Portanto, nós somos renovados à
imagem de Deus como revelada em Jesus Cristo.
Separado de Deus, ninguém é santo. Os santos são separados para o propósito de Deus
no mundo. Capacitados pelo Espírito Santo, os santos vivem e amam como Jesus Cristo.
A santidade é tanto um dom quanto uma resposta renovadora e transformadora, pessoal,
comunitária, ética e missionária. Os santos de Deus seguem a Jesus Cristo ao
engajarem-se nas culturas do mundo e trazerem os povos a Deus.

Os santos não são legalistas ou julgadores. Não buscam um estado privado e exclusivo
de serem melhores que os outros. Santidade não é ausência de falha, mas o
preenchimento com a vontade de Deus para nós. A busca pela santidade não deve cessar
nunca, pois o amor de Deus não se extingue.

Deus quer que sejamos, pensemos, falemos e ajamos no mundo à maneira de Cristo.
Convidamos a todos a abraçarem o chamado de Deus a:

 Ser cheios do Espírito Santo em Jesus Cristo - sendo capacitados a cooperar em


favor do Reino de Deus;
 Viver uma vida devota, pura e reconciliada, sendo desta forma agentes
transformadores de Jesus Cristo no mundo;
 Viver como um povo fiel da aliança, construindo comunidades responsáveis,
crescendo em Jesus Cristo, encarnando o Espírito das leis de Deus em uma vida
santa;
 Exercitar, para o bem comum, um leque eficaz de ministérios e chamados, de
acordo com a diversidade de dons do Espírito Santo;
 Exercer ministério de compaixão, solidariedade aos pobres, advogar a causa da
igualdade, promover a justiça, a reconciliação, a paz; e
 Cuidar da terra, o dom de Deus confiado a nós, trabalhando com fé, esperança e
confiança pela cura e cuidado por toda a criação.

Pela graça de Deus, comprometamo-nos juntos a sermos um povo santo.

As Ações que Tomamos

Que este chamado nos impulsione a levantarmos a visão bíblica da missão cristã:

 Preguemos a mensagem transformadora da santidade;


 Ensinemos os princípios do amor e do perdão de Cristo;
 Vivamos vidas que reflitam a Jesus Cristo;
 Lideremos um engajamento com as culturas do mundo; e
 Partilhemos com outros para multiplicarmos seu efeito pela reconciliação de
todas as coisas.

Para isso vivemos e trabalhamos pela glória de Deus.


Participantes:

Comitê Diretivo

 David Bundy—Pentecostal Lisa Dorsey—Escudo da Fé


 Donald Thorsen—Metodista Livre
 Bill Kostlevy—Secretary—Metodista Unido
 Kevin Mannoia—Chair—Metodista Livre
 Participantes do Projeto
 Henry Alexander—Escudo da Fé
 Perry Engle—Irmãos em Cristo
 Jesse Middendorf — Nazareno
 Thomas Noble — Nazareno
 Diane Leclerc — Nazareno
 Jonathon Raymond—Exército de Salvação
 George McKinney—Igreja de Deus em Cristo
 Greg Dixon—Igreja de Deus (Anderson)
 Lyell Rader—Exército de Salvação
 Roger Green-Exército de Salvação
 David Kendall—Metodista Livre
 Doug Cullum-Metodista Livre
 Howard Snyder-Metodista Livre
 James Leggett—Internacional Pentecostal de Santidade
 Lynn Thrush—Irmãos em Cristo
 Ron Duncan—Igreja de Deus (Anderson)
 Tim Erdel—Igreja Missionária
 Barry Callen—Igreja de Deus (Anderson)
 David Winn—Igreja de Deus (Anderson)
 Doretha O'Quinn — Evangelho Quadrangular
 John Hatcher — Evangelho Quadrangular
 Steve Schell — Evangelho Quadrangular
 David Shrout—Igreja de Deus (Anderson)
 Jim Adams — Evangelho Quadrangular
 Doug O'Brien—Exército de Salvação
 Brian Hartley—Metodista Livre
 Ric Gilbertson—Aliança Cristã e Missionária
 Bernie Van De Walle—Aliança Cristã e Missionária
 Franklin Pyles—Aliança Cristã e MissionáriaDoug Beacham—Internacional Pentecostal
de Santidade
 John Huntzinger — Evangelho Quadrangular
 Donald Dayton — WesleyanaCraig Keen — Nazareno

Olhar Renovado em Santidade


Vivendo o Manifesto de Santidade

Como líderes devem avançar na vivência da santidade em seus ministérios, o que vem a seguir representa
os temas que deverão ser considerados com cuidado nos próximos anos. Nós oferecemos isso como um
convite ao engajamento em torno da mensagem transformadora confiada aos nossos cuidados.

1. Dimensões da Santidade
Santidade tem várias dimensões. Dentro de cada dimensão existem realidades contrastantes. É importante
abraçar os dois elementos de cada lado, a fim de experimentar e praticar a santidade na sua plenitude.

 Individual e corporativa : Nós somos chamados a ser pessoas santas individualmente e a ser um
povo santo corporativamente. O aspecto social da santidade, que é proeminente nas Escrituras,
precisa ser novamente enfatizado nesta época e cultura.
 Centrada em Cristo e centrada no Espírito Santo : o trabalho do Espírito Santo em nós leva a
conformidade com a pessoa de Jesus Cristo. Um não deve ser expresso sem o outro.
 Desenvolvimento e Fim: Deus tem um propósito final para cada pessoa, que é ser como Jesus
Cristo. O ensino sobre o desenvolvimento da vida cristã deve ter como propósito final levar o
cristão a ser semelhante a Cristo.
 Crise e Processo: Uma obra definitiva da graça de Deus em nossos corações e nossa constante
cooperação com sua graça, devem ser igualmente enfatizados.
 Bênçãos e Sofrimentos: A plena união com Jesus Cristo traz muitas bênçãos, mas também nos
torna participantes de seus sofrimentos.
 Separação e Encarnação: Os santos de Deus estão, mas não são do mundo. Santidade requer
tanto separação e redenção, reconciliação e engajamento restaurador.
 Forma e Essência: Santidade sempre se expressa em formas específicas, que são as maneiras
pelas quais ela é traduzida em vida e ação. Mas as formas não devem ser confundidas com a
essência da própria santidade.

Como você consegue conciliar estas realidades contrastantes em sua vida pessoal e ministério? Onde você
vê a necessidade de maior equilíbrio?

2. Essência da Santidade
A essência da santidade é que Deus é santo e nos chama a ser um povo santo. O desafio é refletir a Jesus
Cristo de uma forma relevante e contextual que transcenda as barreiras sociais e as diversidades culturais.
Habitado e fortalecido pelo Espírito Santo, o povo santo deve viver e amar como Jesus Cristo. Andando
intimamente com ele, transbordamos em compaixão e abraçamos a causa daqueles a quem Deus ama.

Como você pode efetivamente encarnar a santidade no contexto onde você vive atualmente, quer no nível
pessoal como também no social, através da sua ação missionária?
3. Catolicidade da Santidade
Embora as diferenças no tenha levado a nos fragmentarmos em igrejas, a santidade nos convida à unidade.
Deus quer nos curar, restaurar o que foi quebrado, promovendo unidade e integração do indivíduo, da
família, da igreja e de toda a sociedade. O impacto da santidade ultrapassa as fronteiras da tradição, da
teologia, do gênero, das etnias e do tempo, afetando positivamente as pessoas e as estruturas
institucionais. A cura resultante une todos os cristãos plenamente, que podem testemunhar assim de seu
crescimento na semelhança de Cristo. A mensagem de santidade envolve conversação e envolvimento com
os outros.

Quais não devem ser nossos discursos e ações em favor da plena restauração das pessoas, das igrejas e
da sociedade?

4. Santidade e Cultura
O Povo Santo, enquanto ele mesmo é influenciado pela cultura, deve transmitir a mensagem de santidade
dentro das diversas culturas existentes. Cultura afeta a mensagem de santidade e as igrejas porque, como
seres humanos, somos seres sociais. A cultura nos desafia a articular a santidade de modo relevante e
transformador sem perder a integridade da mensagem.

Como fazer exegese da cultura e subcultura a fim de produzir transformação? Como você poderia encarnar
a mensagem de santidade no seu contexto pastoral?

5. Santidade e Comunidade
Santidade individual e social exige que as comunidades de fé possuam estruturas organizacionais,
processos e conteúdos que promovem a obediência radical a Jesus Cristo. Santidade não se desenvolve
isoladamente e as comunidades de fé oferecem apoio espiritual e prestação de contas.

Que estruturas organizacionais, processos e conteúdos ajudariam melhor a promover a obediência radical a
Jesus Cristo, pessoalmente e no ministério?

6. Santidade e preocupação social


Compromisso social é uma expressão essencial da encarnação da santidade pessoal e social. Inclui
ministério entre os pobres, oprimidos e marginalizados. Santidade requer uma resposta às necessidades
mais profundas e severas do mundo. Engajamento social é a continuidade do trabalho de Jesus Cristo,
através da Igreja, pelo Espírito Santo e para o mundo.

Sendo a proclamação do evangelho de Jesus Cristo para os pobres algo tão essencial, como você tem se
engajado em dar sequência a obra de Cristo em socorro aos desfavorecidos e marginalizados?
7. Comunicar Santidade
Cristãos vivem em ambientes de mudança continua de linguagem. Eles devem comunicar uma mensagem
de santidade, de maneira clara, relevante e cativante. A mensagem de santidade, muitas vezes, é
comunicada com os termos e paradigmas que não são compreendidos hoje em dia.

Que termos e paradigmas você poderia usar para comunicar a mensagem de santidade de forma mais
convincente?

Projeto Wesleyano de Estudo de Santidade


28 de março de 2007

No Brasil

Consórcio wesleyano brasileiro de estudo sobre santidade

Grupo de representantes das Igrejas de Herança Wesleyana que tem se reunido para aproximação e
possíveis ajudas mútuas entre nossas igrejas. Reunião realizada no dia 13 de Julho na Igreja Metodista do
Meier com a presença do Dr Kevin Mannoia. A reunião foi uma grande benção e um momento histórico para
nossas Igrejas. Os mais “empolgados” chegaram a registrar quase 500 pessoas que passaram pela nossa
programação, embora não tenham ficado todos ao mesmo tempo, realmente vários chegaram no final da
tarde, enquanto que outros tiveram que se retirar. Tenho mais de 300 inscrições com bastantes
Superintendentes Distritais, além de vários pastores e lideranças leigas das Igrejas Metodista, Metodista
Wesleyana, Metodista Livre, Metodista Ortodoxa, Nazareno e Exército de Salvação. Creio que estamos
vivendo um momento histórico para o povo de herança Wesleyana.

No dia 15 de Julho de 2010, Dr. Kevin Mannoia esteve reunido com as seguintes líderes: Bispo Adriel Maia,
Bispo Nelson Leite, Bispo Stanley Moraes (Igreja Metodista); Pr. Odilon Pereira e Pr. Ataulfo Sá (Metodista
Wesleyana); Pr. Key Yuasa, Pr. Eduardo Goya e Pra. Yokimi Yuaça (Holiness); Capitão Nelson Wakai e
Oficial Raquel Elizabete de Sousa (Exército de Salvação); Bispo Ildo Mello, Pr. Nilson Campos, Pr. Dionísio
Oliveira, Alberto Kuwano e Jorge Hirakawa (Igreja Metodista Livre). Foi o primeiro passo para a organização
de um consórcio wesleyano que visa promover unidade em torno de nossa herança comum, em especial, a
mensagem de santidade. Queremos aprender uns com os outros, buscando encontrar as melhores formas
de articular a mensagem de santidade no contexto atual de modo a fazer jus ao seu legado histórico, a
medida que também buscamos evitar as armadilhas do legalismo de um lado e de uma "graça barata", de
outro, que trata o tema da santidade como algo apenas posicional e não vivencial.

Похожие интересы