Вы находитесь на странице: 1из 9

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ

ENGENHARIA DE MATERIAIS
C3021TH
QUÍMICA GERAL
Carlos Maués
Francinaldo Souza
Vanessa Amorim
Ytalo Sousa

Relatório de Preparo de Soluções

Trabalho apresentado a
disciplina Química Geral como
requisito de avaliação orientado
pela professora Ana Paula
Dias.

Belém
2010
Introdução:

Nesta aula prática utilizamos o laboratório, equipamentos e produtos químicos


para aprender sobre preparo de soluções.
Solução é o nome dado para dispersões cujo tamanho das moléculas
dispersas é menor que 1 nanometro(10 Angstrons). Se caracteriza por formar um
sistema homogêneo ( a olho nu e ao microscópio), por ser impossível separa o
soluto do solvente por processos físicos.
Utilizando soluções também foi possível aprender sobre tipos de
concentração e utilização do mesmo.

Resumo teórico:
Soluto e solvente são os termos usados para representar os componentes de
uma solução:
Soluto é a substância que está sendo dissolvida;
Solvente é a substância que efetua a dissolução.
Genericamente se diz que o componente presente em maior quantidade é o
solvente e o presente em menor quantidade é o soluto.
Para grandezas relacionadas ao soluto, adota-se o índice (1), e para o
solvente o índice (2). Caso não apareça nenhum índice, a grandeza será relativa à
solução:
(1)=soluto (2)=solvente ( )=solução

Tipos de concentração:
Concentração comum: indica a massa de soluto presente num determinado
volume de solução. Geralmente se utiliza a massa em gramas e o volume em litros
C=m1/V, onde C =concentração, m1= massa do soluto, V= volume da solução.

Concentração molar ou molaridade: indica a quantidade de em mols de soluto


presente num determinado volume de solução expresso em litros.
M=n1/V, onde m= molaridade, n1= quantidade em mols do soluto e v= volume da
solução em litros. Também n1 pode ser descrito por n1= massa do soluto/massa
molar do soluto.
Título em massa: é a fração que indica a massa do soluto contida em uma
determinada massa de solução. T=m1/m onde T= título, m1= massa do soluto e
m=massa da solução

Título em volume: é a fração que indica o volume do soluto contido em um


determinado volume de solução.

Concentração normal ou Normalidade: é a relação entre o número de


equivalentes-grama do soluto e o volume da solução em litros. N = e/V, onde N =
normalidade; e = no de equivalentes-grama do soluto e V = volume da solução em
litros. Também, e = m/Eq onde m= massa da substância em gramas; Eq =
equivalente-grama.
Para calcular o equivalente-grama basta dividir o valor do peso molecular:
a) dos ácidos, pelos seus hidrogênios dissociáveis;
b) das bases. Pelo número de grupos OH ou pela valência do íon metálico;
c) dos sais, pelo número de íons metálicos (cátion ou ânion) multiplicado por sua
valência.

Relação entre concentração comum e titulo


Dividindo a concentração comum pelo título obtêm-se C/T=m/V, isolando a
concentração temos C=d*T, uma vez que m/V é a densidade.

Relação entre concentração comum e molaridade


Dividindo a concentração comum pela molaridade obtêm-se C/M=m1/n1 onde
n1=m1/mol1. Fazendo as alterações necessárias: C/M=mol1, C=M*mol1 onde
c=concentração comum, M=molaridade e mol1= massa molar do soluto.

Densidade
Densidade Absoluta ou massa específica é uma característica própria de
cada material, por isso é classificada como sendo uma propriedade específica. A
densidade absoluta é definida como sendo a razão entre a massa de uma amostra e
o volume ocupado por esta massa.
Portanto, para medirmos a densidade de um objeto qualquer, precisamos
conhecer a sua massa e volume, pois a densidade é a massa dividida pelo volume.
Objetivos:
Preparar soluções de concentração expressa em % m/m, % m/v, g/L, mol/L

Materiais e reagentes
Balança digital Frascos para reagentes
Balão volumétrico 25, 50 e 100 ml Pêra de borracha
Bastão de vidro Vidro de relógio
Béquer Na2Co3
Espátula NaOH
Pisseta CuSO4
Funil HCl

Procedimentos:
Como a ajuda de um roteiro e auxílio da professora Ana Paula Dias realizamos os
seguintes procedimentos:

Procedimento 01: Preparo de uma solução 5% m/m de Na2CO3


Material utilizado: balança digital, proveta, béquer, bastão de vidro, espátula, vidro
de relógio e Na2CO3
1-Determine a massa de soluto e do solvente para o preparo de 50g de solução 5%
m/m;
Cálculos:
T= 5%, m= 50g T=m1/m 0,05=m1/50  m1=2,5g
m1= 2,5g de Na2CO3
m2= 47,5g de H2O 47,5 ml de H2O, d=1g/cm3/ml

2- Pese o soluto na balança digital;


3- Meça o volume de água usando uma proveta;
4- Transfira quantitativamente o soluto para um béquer e dissolva na água com
auxilio de um bastão de vidro;
5- Transfira a solução para um frasco contendo um rótulo com as seguintes
informações:
Nome do soluto
Concentração
Data:
Nome do preparador

Procedimento 02: Preparo de uma solução a 2% p/v de NaOH.


Material utilizado: Balança digital, béquer, bastão de vidro, balão volumétrico e
NaOH.
Calcule a massa de soluto necessária para o preparo de 100 ml.
Cálculo:
T=m/v  2/100=m/100  m=2g de NaOH, solubilizar em 100 ml de água destilada.

2- Transfira quantitativamente o soluto para um béquer dissolvendo-o com auxílio do


bastão de vidro.
3- A seguir transfira quantitativamente o conteúdo do béquer para um balão
volumétrico de 100 ml.
4- Complete o volume da solução, com água, até próximo a aferição.
5- Afira a solução. Tampe o balão e homogeneíze a solução.
6- Transfira a solução preparada para um frasco rotulado.

Procedimento 03: Preparo de uma solução de soluto sólido


Material necessário: Balão volumétrico de 100 ml, espátula e NaCl
Preparar 100 ml de solução a 0,9% de NaCl
Cálculo:
T=m1/V  0,9/100=m1/100  m1=0,9g de NaCl, solubilizar em 100 ml de água
destilada.

1- Calcule a massa de soluto necessária para preparar a solução em questão.


2-relacione o material necessário.
3-Lave cuidadosamente o balão volumétrico de 100 ml com água e sabão e depois
com água destilada.
4-Transfira quantitativamente o soluto previamente pesado para o balão volumétrico.
5- Acrescente água destilada até mais ou menos a metade do balão.
6- Agite o balão volumétrico cuidadosamente até completa dissolução do soluto (se
for o caso).
7- Complete o volume do balão com cuidado.
8- Quando o nível do liquido estiver próximo ao traço de aferição utilize a pisseta.
Faça a aferição.
9- Feche o balão e homogeneize a solução.
10- Lave o frasco com uma alíquota da solução (2 vezes se estiver seco ou 3 vezes
se estiver molhado).
11- Transfira a solução para um frasco rotulado.

Procedimento 04: Densidade absoluta


1-calcule a densidade absoluta da solução preparada no procedimento anterior.
2- Pese um balão volumétrico devidamente seco: 46,475g
Usou-se um béquer de 25 ml.
3- Encha o balão previamente pesado com a solução preparado no procedimento
03.
4- Pese novamente o balão com a solução: 71,140g
5- Calcule a massa da solução: 24,665g
6- Determine a densidade da solução: 0,99152g/ml.
Concluindo, podemos dizer que cada mililitro da solução pesa 0,99152g.
Obs.: nesse procedimento não foi usado o balão volumétrico de 25 ml, mas sim um
béquer e uma proveta, ambos de 25 ml em função da dificuldade da pesagem dentro
da balança digital

Procedimento 05: Preparo de uma solução de soluto liquido.


Material necessário: balão volumétrico de 100 ml, pipeta de 10 ml, pêra de borracha
e HCl.
Relação entre concentração comum e molaridade
C=d*T, C=M*mol, igualando temos que 1000 d*T=M*mol
Dados:
dHCl=1,18g/ml 1000*d*T=M*mol
T= 36,5% a 38%=37,5% 1000*1,18*0,375=M*36,5
molHCl= 36,5 442,5=M*36,5
M=442,5/36,5  M=12,123
Aplicando a formula de diluição, temos que:
M1*V1=M2*V2
12,123*V1=1*100
V1=100/12,123  V1=8,2 ml (retirar 8,2 ml de HCl para preparar uma solução 1M
do mesmo)

Preparar 100 ml de solução 1mol/L de HCl


1- Adicione parte do volume da solução em água no balão volumétrico
2- Meça cuidadosamente com a pipeta graduada 8,2 ml de ácido clorídrico
concentrado- usar pêra de borracha e trabalhar na capela- transfira para o balão
volumétrico, lentamente, evitando, assim um superaquecimento do balão. Isto pode
ser perigoso e causar erro.
3- Complete com água até próximo da aferição.
4- Afira o volume da solução.
5-Transfira para um frasco devidamente rotulado.

Procedimento 06: Preparo de uma solução de soluto sólido


Material necessário: Balança digital, espátula, relógio de vidro, bastão de vidro,
béquer, balão volumétrico de 100 ml e CuSO4.
Cálculos:
M=m1/mol*V(L), m1=M*mol*V(L)  m1= 0,6*249,69*0,1=14,9814g de CuSO4

Preparar 100 ml de solução 0,6mol/L de CuSO4 (P.M.=249,69g/mol)


1- Calcule a massa do soluto necessária para o preparo de 100 ml.
2- Transfira quantitativamente o soluto para um béquer dissolvendo-o com o auxilio
do bastão de vidro.
3- A seguir transfira quantitativamente o conteúdo do béquer para um balão
volumétrico de 100 ml.
4- Complete o volume da solução, com água, até próximo a aferição.
5- Afira a solução. Tampe o balão e homogeneíze a solução.
6- Transfira a solução preparada para um frasco rotulado.

Conclusão:
Usamos, ingerimos produtos que são constituídos de soluções e misturas,
nosso dia-a-dia é repleto dessas substâncias que muitas vezes nos rótulos de seus
pacotes e frascos acompanha dados a respeito da concentração dessas
substâncias. Com a linguagem matemática usada para expressar a composição de
uma solução em nível quantitativo e a moderna linguagem química no que diz
respeito à quantidade de substâncias (mols, massa e volume) poderemos interpretar
dados contidos em rótulos de produtos caseiros, como a graduação de bebidas
alcoólicas, a composição de alguns tipos de remédios ou produtos químicos em
geral. Será possível, inclusive, analisar dados sobre poluição do ar e da água
divulgados em jornais, revistas e noticiários de TV.
Essa equipe não encontrou dificuldades no preparo das soluções, porém
encontramos dificuldades em usar fórmulas adequadas, como no procedimento 06
no qual foi encontrado um volume a ser retirado de ácido clorídrico de 8,2 ml
enquanto que em sala foi encontrado 8,3 ml e utilizamos a fórmula M *mol=d*T*1000
apesar de que em literaturas como TITO & CANTO há a fórmula M*mol=d*T.

Referências:
Apostila cedida pela professora Ana Paula Dias da disciplina Química Geral.

BIOFÍSICA. Preparo de soluções. Extraído de Biofísica Básica -parte 6 - pág.: 108.


Disponível em: <http://paginas.ucpel.tche.br/~mflessa/bi4.html> Acesso em: 12 julho
2010.

LENNE, Fábio Roberto. Densidade- Massa volumétrica. Disponível em:


<http://www.coladaweb.com/imgs/logo.jpg> Acesso em: 12 julho 2010.

TITO & CANTO. PERUZZO, Francisco Miragaia; CANTO, Eduardo leite do. Química
na abordagem do cotidiano. 2. Ed. São Paulo: Moderna, 1998. V2. p. 5, 7, 14, 19,
24.