Вы находитесь на странице: 1из 2

Biologia 3

III. (F) Os espermatócitos II (n=23) foram originados a


Módulo 1 partir de uma divisão meiótica (meiose I ou mei-
ose reducional), passando, então, por uma se-
gunda divisão meiótica, esta dita equacional, da
COMENTÁRIOS – ATIVIDADES PARA SALA qual resultarão células com a mesma ploidia
(n=23), denominadas espermátides.
1. a) O pênis possui em seu interior os corpos cavernosos IV. (V)
(tecido esponjoso formado por veias e capilares). A V. (V)
excitação provoca aumento do fluxo de sangue nas
artérias, preenchendo os corpos cavernosos de san- Resposta correta: C
gue e produzindo a ereção.
b) Vasectomia. Consiste no seccionamento dos canais 5.
deferentes impedindo que os espermatozóides ar- 1 – Acrossomo: vesícula derivada do Complexo de Golgi
mazenados no epidídimo alcancem a uretra. contendo enzimas para digerir a parede do óvulo.
c) A próstata produz uma secreção viscosa e alcalina 2 – Núcleo: contém o conjunto cromossômico paterno.
que aumenta o volume do sêmen e neutraliza a aci- 3 – Mitocôndrias: fornecem energia (ATP) para o bati-
dez natural da vagina, permitindo mobilidade aos mento flagelar.
espermatozóides. A presença de tumor pode ser de- 4 – Flagelo: estrutura locomotora que garante o deslo-
tectada pelo toque retal, ultrasonografia e PSA (an- camento do espermatozóide até o óvulo.
tígeno prostático específico).
d) Criptorquidia é a localização dos testículos na cavi-
dade abdominal. Sua conseqüência é a esterilidade,
uma vez que a espermatogênese requer uma tempe- COMENTÁRIOS – ATIVIDADES PROPOSTAS
ratura de 3 ou 4oC abaixo da temperatura corpórea.
1. 1. Túbulos seminíferos é a parte da anatomia dos testí-
culos onde ocorre as divisões celulares (mitoses) e
vários estágios da espermatogênese.
2. A formação do espermatozóide é chamada de esperma-
2. O epidídimo é um pequeno ducto contornado que
togênese. As espermatogônias estão em replicação con-
fica por trás do testículo, no escroto, na base do ca-
tínua, formando mais espermatogônias e também célu-
nal deferente, condutor do esperma do testículo até
las que, eventualmente, se transformarão em esperma-
a próstata. O epidídimo é tão longo como o testícu-
tozóides. A formação dos espermatócitos primários, a
lo, em forma de “C” achatado, junto a um dos lados
partir das espermatogônias é a primeira etapa da es-
do testículo. É um sistema tubular complexo que co-
permatogênese. Cada um dos espermatócitos primários
leta o esperma e o acumula até ser necessário.
forma espermatócitos secundários que, por sua vez,
3. Células intersticiais dos testículos produzem a testos-
também dão origem, cada um, a duas espermátides. A
terona.
espermátide então, se transforma no espermatozóide,
4. Hipófise libera o FSH (hormônio folículo estimulante)
perdendo, inicialmente, parte do seu citoplasma e, de-
e LH (hormônio luteinizante) que são hormônios go-
pois, reorganizando a cromatina de seu núcleo, para
nadotróficos.
formar uma cabeça compacta e, por fim, pela coleção
do citoplasma restante e a membrana celular em uma de
suas extremidades, para formar a cauda. Resposta correta: A

Resposta correta: B
2. I. ( F ) A linhagem que pertence os espermatozóides é
a germinativa (reprodutiva).
II. ( F ) Graças à meiose, os gametas se tornaram ha-
3.
plóides.
a) A vasectomia consiste na secção dos ductos defe-
III. ( V )
rentes, de modo que os espermatozóides não pos-
IV. ( V )
sam chegar à uretra. Tal procedimento não afeta a
produção de testosterona pelos testículos, portanto,
não interfere negativamente sobre a atividade sexual Resposta correta: C
do homem. O homem vasectomizado atinge o or-
gasmo e ejacula normalmente, com a diferença de
que seu esperma não contém espermatozóides, 3. Para iniciar a espermatogênese, tanto o FSH quanto a
sendo esse líquido constituído apenas pelas secre- testosterona são necessários. A testosterona secretada
ções das glândulas acessórias. pelos testículos em resposta ao LH tem o efeito recípro-
b) Por que os preservativos ajudam a prevenir a trans co de desligar a secreção adeno-hipofisária de LH. Cer-
missão de doenças sexualmente transmissíveis. tamente, a maior parte da inibição resulta do efeito dire-
to da testosterona sobre o hipotálamo diminuindo a se-
4. creção de GnRH. Isto, por sua vez, causa uma diminui-
I. (V) Célula 1: espermatócito I (2n=46); células 2 e 3: ção correspondente da secreção de LH e FSH pela ade-
espermatócitos II (n=23); a partir de uma meiose no-hipófise, e o decréscimo de LH diminui a secreção de
(meiose I ou reducional). Células 4, 5, 6 e 7: es- testosterona pelos testículos. Assim, sempre que a se-
permátides (n=23); a partir de uma meiose creção de testosterona se torna grande demais, este
(meiose II ou equacional). efeito de feedback negativo automático, operando atra-
II. (V) vés do hipotálamo e da glândula hipófise, reduz a secre-
ção de testosterona de volta em direção a seu nível

PRÉ-VESTIBULAR | VOLUME 1 | BIOLOGIA 3 1


normal de operação. Inversamente, testosterona de me- As transformações ocorrem com perda de grande parte
nos permite que o hipotálamo secrete quantidades de do citoplasma, reorganização dos organelos citoplasmá-
GnRH, com um aumento correspondente da secreção ticos e a diferenciação do flagelo.
de LH e FSH da adeno-hipófise e um aumento da secre- Resposta correta: D
ção testicular de testosterona. Daí a dificuldade de se
elaborar uma estratégia contraceptiva de cunho hormo-
nal para o homem. 7. A – Crescimento e preparação para a primeira divisão
na meiose;
B – Células haplóides não diferenciadas (espermátides);
4. C – Espermiogênese, diferenciação das espermátides
a) A – canal deferente; C – glândula seminal; E – glân- em espermatozóides.
dula prostática; F – testículo. Resposta correta: B

b) B – bexiga; D – reto; E – glândula prostática; G – u- 8. a)


retra.
Células Ploidia Nº de Nº de pares de
Nome
(n ou 2n) cromossomos homólogos
5. a) As células de Leydig, produtoras de testosterona, pre- 1 Espermatócito I 2n 10 5
3 Espermatócito II n 5 0
enchem o espaço entre os túbulos seminíferos.
7 Espermátide n 5 0
b) Fornecer suporte e controlar a nutrição dos esperma-
tozóides em formação, através da regulação da passa-
b) 1 – 1 – 2 e 3
gem dos nutrientes trazidos pelo sangue. Fagocitar e
c) Um
digerir os restos de citoplasma que se desprendem das
espermátides e secretar um fluído cuja correnteza
tansporta os espermatozóides.
9. I. Espermatogônia (2n)
c) Na espermiogênese ocorrem fenômenos que permitem
II. Espermatócito primário (2n)
a transformação de células esféricas (espermatídios) ou
III. Espermatócito secundário (n)
células flageladas de citoplasma reduzido (espermato-
IV. Espermátide (n)
zóides), onde se verifica: um alongamento e achata-
mento do núcleo dando forma à cabeça do espermato- Resposta correta: B
zóide, diferenciação de um flagelo, eliminação de
grande parte do citoplasma e uma organização das or-
ganelas citoplasmáticas: 10. A ereção é a resposta do pênis a um estímulo sexual. A
• Fusão das vesículas do Complexo Golgiense para partir dele, o cérebro envia sinais para o membro. É em
formação do acrossoma, que armazena enzimas; uma de suas partes, os corpos cavernosos, que se de-
• Adaptação do acrossoma ao núcleo cobrindo parte senrola o processo de ereção. Eles são estruturas pare-
de sua superfície como um capuz – capuz cefálico cidas com cilindros cujo interior lembra uma esponja:
ou acrossômico; trata-se de uma malha composta de tecido muscular e
• Disposição dos centríolos no pólo oposto ao do ca- conjuntivo (que dá sustentação) irrigada por vasos san-
puz cefálico; güíneos e cheia de espaços vazios, os sinusóides. Depois
• O centríolo posterior origina os microtúbulos que do estímulo, há a liberação de uma série de substâncias:
constituem o flagelo; a primeira é o óxido nítrico, que irá promover, por sua
• Repartição das mitocôndrias em torno da base do vez, o aumento da concentração de outra substância, o
flagelo. GMP cíclico (GMPc). É o GMPc que produz o relaxamen-
to dos músculos dos corpos cavernosos, o que permite
uma maior irrigação sangüínea. Os sinusóides se enchem
6. O esquema representa a espermatogênese onde há de sangue, os corpos cavernosos aumentam de volume
processo de formação dos espermatozóides maduros. e fazem com que a membrana que reveste os corpos
Inicia-se na puberdade até o resto da vida do homem. A (túnica albugínea) se estique até um limite máximo. Mas
espermatogênese ocorre em nível dos tubos seminíferos como a entrada de sangue continua, as veias que levam
dos testículos e divide-se em quatro fases: multiplicação, o sangue para fora do corpo cavernoso são comprimidas
crescimento, maturação e diferenciação. contra a membrana até que fiquem quase fechadas. O
Na multiplicação, as células que irão dar origem aos es- pênis fica como se fosse uma bexiga inflada em que a
permatozóides denominam-se espermatogônias, e estão saída de ar é mínima. Mantém-se ereto e rígido. Esse
localizadas na periferia dos tubos seminíferos. Durante a processo é mantido até o orgasmo. Depois aumenta a
puberdade estas células entram em proliferação cons- ação da fosfodiesterase (PDE-5), enzima que destrói o
tante, dividindo-se por mitoses sucessivas. GMPc.
No crescimento, estas aumentam de volume devido à
síntese e acumulação de substâncias de reserva, origi- Resposta correta: D
nando os espermatócitos I.
Cada espermatócito I vai se dividir por meiose, resultan-
do primeiramente em dois espermatócitos II. Por sua
vez, estes sofrem a segunda parte da meiose, originan-
do deste modo quatro espermatídeos. A todo este pro-
cesso dá-se o nome de maturação.
Finalmente, na diferenciação (ou espermiogênese), os
espermatídeos transformam-se em espermatozóides.

2 PRÉ-VESTIBULAR | VOLUME 1 | BIOLOGIA 3