Вы находитесь на странице: 1из 56

Cargas Combinadas

8.1- PROBLEMAS

8.1. Um tanque esférico de gás tem raio interno r = 1,5 m. Se for submetido a uma pressão interna p = 300 kPa,
determine a espessura exigida para que a tensão normal máxima não ultrapasse 12 MPa.

t = 0,01875 m = 18,8 mm

8.2. Um tanque esférico pressurizado deverá ser fabricado com aço de 12,5 mm de espessura. Se for submetido a uma
pressão interna p = 1,4 MPa, determine seu raio externo para que a tensão normal máxima não ultrapasse 105 MPa.

8.3. A figura mostra duas alternativas para apoiar o cilindro de parede fina. Determine o estado de tensão na parede
do cilindro para ambas as alternativas, se o pistão P provocar uma pressão interna de 0,5 MPa. A parede tem espessura
de 6 mm, e o diâmetro interno do cilindro é 200 mm.

Figura 8.3

Caso (a)

= 8,33 MPa

Caso (b):

= 8,33 MPa

= 4,17 MPa

449
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.4. O tanque do compressor de ar está sujeito a uma pressão interna de 0,63 MPa. Se o diâmetro interno do tanque
for 550 mm e a espessura da parede for 6 mm, determine as componentes da tensão que age no ponto A. Desenhe um
elemento de volume do material nesse ponto e mostre os resultados no elemento.

Figura 8.4

= 28,88 MPa

= 14,44 MPa

8.5. O tubo de extremidade aberta tem parede de espessura 2 mm e diâmetro interno de 40 mm. Calcule a pressão que
o gelo exerceu na parede interna do tubo para provocar a ruptura mostrada na figura. A tensão máxima que o material
pode suportar na temperatura de congelamento é máx = 360 MPa. Mostre como a tensão age sobre um pequeno elemento
de material imediatamente antes de o tubo falhar.

Figura 8.5

A tensão na direção circunferencial é a que provoca ruptura na parede interna, sendo assim:

p = 36 MPa

450
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.6. O tubo de extremidade aberta feito de cloreto de polivinil tem diâmetro interno de 100 mm e espessura de 5 mm.
Se transportar água corrente à pressão de 0,42 MPa, determine o estado de tensão nas paredes do tubo.

Figura 8.6

= 4,2 MPa

8.7. Se o fluxo de água no interior do tubo do Problema 8.6 for interrompido devido ao fechamento de uma válvula,
determine o estado de tensão nas paredes do tubo. Despreze o peso da água. Considere que os apoios exercem somente
forças verticais sobre o tubo.

Figura 8.7

= 4,2 MPa

= 2,1 MPa

*8.8. A cinta de aço A-36 tem 50 mm de largura e está presa ao redor do cilindro rígido. Se os parafusos forem apertados
de modo que a tração neles seja 2 kN, determine a tensão normal na cinta, a pressão exercida sobre o cilindro e a
distância até onde metade da cinta estica.

Figura 8.8

= 13,33 MPa

p = 0,199 MPa

= 6,665 10-5 mm/mm

= 0,0422 mm

451
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.9. Inicialmente, a cinta de aço inoxidável 304 está perfeitamente ajustada em torno do cilindro rígido liso. Se ela for
submetida a uma queda de temperatura não linear = 12sen² ºC, onde é dado em radianos, determine a tensão
circunferencial na cinta.

Figura 8.9

= 19,69 MPa

8.10. O barril está cheio de água até em cima. Determine a distância s entre o aro superior e o aro inferior de modo que
a força de tração em cada aro seja a mesma. Determine também a força em cada aro. O barril tem diâmetro interno de
1,2 m. Despreze a espessura da parede. Considere que somente os aros resistam à pressão da água. Observação: A água
desenvolve pressão no barril de acordo com a lei de Pascal, p = (900z) Pa, onde z é a profundidade da água em relação
à superfície, medida em metros.

Figura 8.10

p = 900z

= 3.110,4 N

4F 3.110,4 = 0 2 777,6 0,6 + 2 777,6 (0,6 + s) 3.110,4 0,8 = 0

s = 0,4 m = 400 mm

452
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.11. Um tubo de madeira com diâmetro interno de 0,9 m é atado com aros de aço cuja área de seção transversal é 125
mm². Se a tensão admissível para os aros for adm = 84 MPa, determine o espaçamento máximo s dos aros ao longo da
seção do tubo de modo que este possa resistir a uma pressão manométrica interna de 28 kPa. Considere que cada aro
suporta a pressão do carregamento que age ao longo do comprimento s do tubo.

Figura 8.11

P = 28 10³ 0,9 s = 25.200s

2F 25.2000s = 0

s = 0,83333 m = 833,33 mm

*8.12. Uma caldeira é feita de chapas de aço de 8 mm de espessura ligadas nas extremidadades por uma junta de topo
que consiste em duas chapas de cobertura de 8 mm e rebites com diâmetro de 10 mm e espaçados de 50 mm, como
mostra a figura. Se a pressão do vapor no interior da caldeira for 1,35 MPa, determine: (a) a tensão circunferencial na
chapa da caldeira separada da costura, (b) a tensão circunferencial na chapa de cobertura externa ao longo da linha de
rebites a-a e (c) a tensão de cisalhamento nos rebites.

Figura 8.12

(a) A tensão circunferencial na chapa da caldeira separada da costura:


= 126,56 106 = 127 MPa
(b) a tensão circunferencial na chapa de cobertura externa ao longo da linha de rebites a-a:
126,56 106 0,05 0,008 = 2 0,04 0,008 = 79,1 MPa

(c) a tensão de cisalhamento nos rebites:

F 79,1 106 0,008 0,04 = 0 F = 25,3 kN

= 322 MPa

453
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.13. O anel cujas dimensões são mostradas na figura é colocado sobre uma membrana flexível bombeada com uma
pressão p. Determine a mudança no raio interno do anel após a aplicação dessa pressão. O módulo de elasticidade para
o anel é E.

Figura 8.13

454
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.14. Um vaso de pressão com extremidades fechadas é fabricado com filamentos de vidro trançados sobre um mandril
de modo que, no final, a espessura da parede t dovaso é composta inteiramente de filamento e adesivo epóxi, como
mostra a figura. Considere um segmento do vaso de largura w trançado a um ângulo . Se o vaso for submetido a uma
pressão interna p, mostre que a força no segmento é , onde é a tensão nos filamentos. Além disso, mostre
que as tesões nas direções circunferencial e longitudinal são e , respectivamente. A que
ângulo (ângulo de trançamento ótimo) os filamentos teriam de ser trançados para obterem-se tensões circunferencial
e longitudinal equivalentes?

Figura 8.14

455
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.2 - PROBLEMAS

8.15. O suporte de aço é usado para ligar as extremidades de dois cabos. Se a tensão normal admissível para o aço for
adm = 168 MPa, determine a maior força de tração P que pode ser aplicada aos cabos. O suporte tem espessura de 12
mm e largura de 18 mm.

Figura 8.15

M 0,059P = 0 M = 0,059P

P = 1,756 kN

*8.16. O suporte de aço é usado para ligar as extremidades de dois cabos. Se a força P = 2,5 kN for aplicada, determine
a tensão normal máxima no suporte. O suporte tem espessura de 12 mm e largura de 18 mm.

Figura 8.16

M 0,059 2,5 10³ = 0 M = 147,5 N.m

456
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.17. A junta está sujeita a uma força de 1,25 kN, como mostra a figura. Faça um rascunho da distribuição da tensão
normal que age na seção a-a se a seção transversal retangular do elemento tiver largura de 12 mm e espessura de 18
mm.

Figura 8.17

1.000 N=0 V 750 = 0 M 750 0,05 + 1.000 0,032 = 0

N = 1.000 N V = 750 N M = 5,5 N.m

Tensão de tração máxima: = 17,36 MPa (T)

Tensão de compressão máxima: = 8,10 MPa (C)

y = 8,2 mm

457
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.18. A junta está sujeita a uma força de 1,25 kN, como mostra a figura. Determine o estado de tensão nos pontos A e
B e faça um rascunho dos resultados em elementos diferenciais localizados nesses pontos. O dispositivo tem área de
seção transversal retangular de largura 12 mm e espessura 18 mm.

Figura 8.18

1.000 N=0 V 750 = 0 M 750 0,05 + 1.000 0,032 = 0


N = 1.000 N V = 750 N M = 5,5 N.m
Tensão Normal:

= 4,63 MPa (T)

= 8,10 MPa (C)

Tensão de Cisalhamento:

= 5,21 MPa

QB = 0 = 0 MPa

458
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.19. A serra tem lâmina ajustável que está apertada com uma tensão de 40 N. Determine o estado de tensão nos pontos
A e B da estrutura.

Figura 8.19

Seção A

40 N=0 N = 40 N

M 40 0,1 = 0 M = 4 N.m

Seção B

V 40 = 0 V = 40 N

M 40 0,05 = 0 M = 2 N.m

Tensão Normal:

= 123 MPa (T)

= 62,5 MPa (T)

459
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.20. Determine as tensões normais e máximas na seção a do suporte quando a carga é aplicada em x = 0.

Figura 8.20

V 4=0 V = 4 kN

Mx 4.000 0,015 = 0 M = 60 N.m

= 26,7 MPa (C)

= 13,3 MPa (T)

8.21. Determine as tensões normais mínimas e máximas na seção a do suporte quando a carga é aplicada em x = 50
mm.

Figura 8.21

V 4=0 V = 4 kN

Mx 4.000 0,035 = 0 M = 140 N.m

= 53,3 MPa (C)

= 40 MPa (T)

460
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.22. A força vertical P age na parte inferior da chapa cujo peso é desprezível. Determine a distância máxima d até a
borda na qual aquela força pode ser aplicada de modo a não produzir nenhuma tensão de compressão na seção a-a da
chapa. A chapa tem espessura de 10 mm, e P age ao longo da linha central dessa espessura.

Figura 8.22

N P=0 N=P

M (d 0,075)P = 0 M = (d 0,075)P

= 666,67P 26.666,67P(d 0,075)

Para que a tensão de compressão seja nula, = 0, logo:

666,67P 26.666,67(d 0,075)P = 0, solucionando a equação obtem-se: d = 0,100 m = 100 mm

461
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.23. A força vertical P = 600 N age na parte inferior da chapa, cujo peso é desprezível. A chapa tem espessura de 10
mm, e P age ao longo da linha central dessa espessura, de modo que d = 100 mm. Desenhe um gráfico da distribuição
da tensão normal que age ao longo da seção a-a.

Figura 8.23

N P=0 N = 600 N

M (0,100 0,075)(600) = 0 M = 15 N.m

Tensão de tração maxima na chapa:

= 800 kPa

Tensão de compressão maxima na chapa:

= 0 kPa

462
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.24. A cabine de teleférico e seus passageiros pesam 7,5 kN, e o centro de gravidade do conjunto está em G. O braço
de suspensão AE tem área da seção transversal quadrada de 38 mm por 38 mm e está preso por pinos acoplados às suas
extremidades A e E. Determine a maior tensão de tração desenvolvida nas regiões AB e DC do braço.

Figura 8.24

Região DC

7,5 N=0 N = 7,5 kN

M 7,5 0,375 = 0 M = 2,8125 kN.m

= 312,73 MPa (T)

Região AB

7,5 N=0 N = 7,5 kN

M = 0 N.m

= 5,19 MPa (T)

463
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.25. O suporte em degrau está sujeito à carga de apoio de 50 kN. Determine as tensões de compressão máxima e
mínima no material.

Figura 8.25

N 50 = 0 N = 50 kN

My = 50 0,02 = 1 kN.m

Tensão de compressão máxima na base superior: = 8,33 MPa (C)

Tensão de compressão máxima na base inferior: = 11 MPa = 11 MPa

=0

8.26. A barra tem diâmetro de 40 mm. Se submetida a uma força de 800 N, como mostra a figura, determine as
componentes da tensão que age no ponto A e mostre os resultados em um elemento de volume localizados nesse ponto.

Figura 8.26

400 N=0 N = 400 N

V 692,82 = 0 N = 50 N

Mx 692,82 0,2 = 0 Mx = 138,564 N.m

= 0,318 MPa

= 0,735 MPa

464
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.27. Resolva o Problema 8.26 para o ponto B.

Figura 8.27

400 N=0 N = 400 N

V 692,82 = 0 N = 50 N

Mx 692,82 0,2 = 0 Mx = 138,564 N.m

= 21,7 MPa

= 0 MPa

*8.28. Visto que o concreto só pode suportar pouca ou nenhuma tração, esse problema pode ser evitado se o concreto
for protendido com cabos ou hastes. Considere a viga simplesmente apoiada como mostra a figura, que tem seção
transversal retangular de 450 mm por 300 mm. Se o peso específico do concreto for 24 kN/m³, determine a tração exigida
na haste AB, que se estende por toda a viga, de modo que nenhuma tensão de tração seja desenvolvida na seção central
a-a da viga. Despreze o tamanho da haste e qualquer deflexão da viga.

Figura 8.28

W= = 24 0,3 0,45 2,4 = 7,776 kN

T N=0 N=T

M 3,888 1,2 + 3,888 0,6 + 0,175T = 0 M = (2,3328 0,175T) kN.m

A tensão de tração na viga será: = 230,4 24,6914T

Como sabemos que nenhuma tensão de tração é desenvolvida na viga na seção a-a, então:

230,4 24,6914T = 0 , resolvendo a equação, obtem-se: T = 9,331 kN

465
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.29. Resolva o Problema 8.28 se o diâmetro da haste for 12 mm. Use o método da área transformada discutido na
seção 6.6. Eaço = 200 GPa, Ec = 25 GPa.

Figura 8.29

W= = 24 0,3 0,45 2,4 = 7,776 kN T N=0 N=T

M 3,888 1,2 + 3,888 0,6 + 0,175T = 0 M = (2,3328 0,175T) kN.m

=8 = 791,681348 mm²

= 226,02027 mm

= 0,002302229 m4

= 226,953926 24,389657T

226,953926 24,389657T = 0, resolvendo a equação, obtem-se: T = 9,305 kN

8.30. O bloco está sujeito às duas cargas axiais mostradas na figura. Determine a tensão normal desenvolvida nos pontos
A e B. Despreze o peso do bloco.

Figura 8.30

N 250 500 = 0 N = 750 N

My = 500 0,0375 250 0,0375 = 9,375 N.m

Mz = 500 0,025 250 0,025 = 6,25 N.m

= 0,200 MPa (C)

= 0,600 MPa (C)

466
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.31. O bloco está sujeito às duas cargas axiais mostradas na figura. Faça um rascunho da distribuição da tensão normal
que age na seção transversal no corte a-a. Despreze o peso do bloco.

Figura 8.31

N 250 500 = 0 N = 750 N

My = 500 0,0375 250 0,0375 = 9,375 N.m

Mz = 500 0,025 250 0,025 = 6,25 N.m

= 0,200 MPa (C)

= 0,600 MPa (C)

= 0,200 MPa (C)

= 0,200 MPa (T)

467
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.32. Uma barra de seção transversal quadrada de 30 mm por 30 mm tem 2 m de comprimento e é segura pela mão
por uma das extremidades, com a outra volta para cima. Se tiver massa de 5 kg/m, determine o maior ângulo medido
em relação à vertical no qual ela pode ser segura sem sofrer tensão de tração perto da mão.

Figura 8.32

N 5 2 9,81 cos =0 N = 98,1cos

M 5 2 9,81 x sen 1=0 M = 98,1sen

= 0 (Tensão de tração perto da mão é nula)

tang( = 0,0050

8.33. Resolva o Problema 8.32 se a barra tiver seção transversal circular de 30 mm de diâmetro.

Figura 8.33

N 5 2 9,81 cos =0 N = 98,1cos

M 5 2 9,81 sen 1=0 M = 98,1sen

= 0 (Tensão de tração perto da mão é nula)

tang( = 0,00375

468
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.34. A viga de abas largas está sujeita à carga mostrada na figura. Determine as componentes da tensão nos pontos A
e B e mostre os resultados em um elemento de volume em cada um desses pontos. Use a fórmula do cisalhamento para
calcular a tensão de cisalhamento.

Figura 8.34

2,5 0,5 12,5 1,5 15 2,5 + 4R2 = 0 R2 = 14,375 kN

R1 2,5 12,5 15 + 14,375 = 0 R1 = 15,625 kN

15,625 2,5 V=0 V1 = 13,125 kN

M 15,625 1 + 2,5 0,5 = 0 M = 14,375 kN.m

= 1,91502 10-5 m4

QA = 0 QB = 0,050 0,050 0,012 + 0,081 0,1 0,012 = 1,272 10-4 m3

= 65,31 MPa (C) = 18,77 MPa (T)

= 0 MPa = 7,265 MPa

469
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.35. A viga em balanço é usada para suportar a carga de 8 kN. Determine o estado de tensão nos pontos A e B e trace
um rascunho dos resultados sobre os elementos diferenciais localizados em cada um desses pontos.

Figura 8.35

Reações:

V 8=0 V = 8 kN

M 8 3=0 M = 24 kN.m

= 1,67333 10-6 m4

QA = 2 0,0375 0,01 0,025 = 1,875 10-5 m3

QB = 0,015 0,020 0,010 2 + 1,875 10-5 = 2,475 10-5 m3

= 358,6 MPa 359 MPa (T) = 71,7 MPa (T)

= 4,48 MPa = 5,92 MPa

470
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.36. O cilindro e peso desprezível repousa sobre um piso liso. Dtermine a distânia excêntrica na qual a carga
pode ser posicionada de modo que a tensão normal no ponto A seja nula.

Figura 8.36

N=P M=P

=0

Resolvendo a equação, obtem-se:

8.37. A viga suporta a carga mostrada na figura. Determine o estado de tensão nos pontos E e F na seção a-a e represente
os resultados em um elemento de volume diferencial localizado em cada um desses pontos.

Figura 8.37

10 2 + TDsen 4 + TBDcos 0,3 = 0 Ax 7,5758 0,6 = 0 Ay + 7,5758 0,8 20 = 0

TBD = 7,5758 kN Ax = 6,061 kN Ay = 15,454 kN

471
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
Seção a-a

6,061 N=0 15,454 10 V=0 M + 10 0,5 15,454 1=0

N = 6,061 kN V = 5,454 kN M = 10,454 kN.m

= 4,31 10-5 m4

QE = 0,05 0,1 0,015 + 0,105 0,15 0,01 = 2,325 10-4 m3

QF = 0

= 1,01 MPa = 1,01 MPa (C)

= 27,7 MPa = 27,7 MPa (C)

= 1,96 MPa = 5,92 MPa

8.38. O elo do metal está sujeito à força axial P = 7 kN. Sua seção transversal original deve ser alterada pelo corte de
uma ranhura circular em um lado. Determine a distância a até onde a ranhura pode penetrar na seção transversal de
modo que a tensão de tração não ultrapasse adm = 175 MPa. Indique um modo melhor de remover o material até essa
profundidade da seção transversal e calcule a tensão de tração para esse caso. Despreze os efeitos da concentração de
tensão.

Figura 8.38

472 Continua...
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas

, com isso, tem-se que:

175a² 28,56a + 1,0976 = 0, solucioando a equação do segundo grau, obtem-se: a = 0,0619 m = 61,9 mm

= 15,5 MPa

8.39. Determine o estado de tensão no ponto A quando a viga está sujeita à força de 4 kN no cabo. Indique o resultado
como um elemento de volume diferencial.

Figura 8.39

Cx 4=0 4 0,625 3,75Cy = 0

Cx = 4 kN Cy = 0,667 kN

N 4=0 V 0,667 = 0 M 0,667 1=0

N = 4 kN V = 0,667 kN M = 0,667 kN.m

= 8,28 10-5 m4

QA = 0,05 0,1 0,015 + 0,11 0,15 0,02 = 4,05 10-4 m3

= 0,444 MPa (T)

= 0,217 MPa

473
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.40. Determine o estado de tensão no ponto B quando a viga está sujeita à força de 4 kN no cabo. Indique o resultado
como um elemento de volume diferencial.

Figura 8.40

Cx 4=0 4 0,625 3,75Cy = 0

Cx = 4 kN Cy = 0,667 kN

N 4=0 = 0,522 MPa = 0,522 MPa (C)


V 0,667 = 0
N = 4 kN V = 0,667 kN

= 8,28 10-5 m4 = 0 MPa

= 0,522 MPa = 0,522 MPa (C)

= 0 MPa

8.41. O pino de suporte sustenta a carga de 3,5 kN. Determine as componentes da tensão no elemento estrutural do
suporte no ponto A. O suporte tem 12 mm de espessura.

Figura 8.41
474
Continua...
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
Ncos(60°) Vcos(30°) = 0 [1]

Nsen(60°) + Vsen(30°) 3,5 = 0 [2]

Solucionando [1] e [2], obtem-se: N = 3,0311 kN e V = 1,75 kN

M (3,5)(0,032 0,025) = 0 M = 0,0245 kN.m = 24,5 N.m

= 23,78 MPa (C)

QA = 0 = 0 MPa

8.42. O pino de suporte sustenta a carga de 3,5 kN. Determine as componentes da tensão no elemento estrutural do
suporte no ponto B. Suporte tem 12 mm de espessura.

Figura 8.42

Ncos(60°) Vcos(30°) = 0 [1]

Nsen(60°) + Vsen(30°) 3,5 = 0 [2]

Solucionando [1] e [2], obtem-se: N = 3,0311 kN e V = 1,75 kN

M (3,5)(0,032 0,025) = 0 M = 0,0245 kN.m = 24,5 N.m

= 51,84 MPa (T)

QB = 0 = 0 MPa

475
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.43. O painel de sinalização uniforme pesa 7,5 kN e é suportado pelo tubo AB que tem raio interno de 68 mm e raio
externo de 75 mm. Se a parte frontal do painel estiver sujeita a uma pressão uniforme do vento p = 8 kN/m², determine
o estado de tensão nos pontos C e D. Mostre os resultados em um elemento de volume diferencial localizado em cada
um desses pontos. Despreze a espessura do painel de sinalização e considere que ele está apoiado ao longo da borda do
tubo.

Figura 8.43

P=8 3,6 1,8 = 51,84 kN

Nx = W = 7,5 kN Vy = P = 51,84 kN Tx = 1,8 51,84 = 93,312 kN.m

My = 1,8 7,5 = 13,5 kN.m Mz = 1,8 51,84 = 93,312 kN.m

= 111,5 MPa (T)

= 866,2 MPa (T)

= 360,8 MPa

= 434,3 MPa

476
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.44. Resolva o Problema 8.43 para os pontos E e F.

Figura 8.44

P=8 3,6 1,8 = 51,84 kN

Nx = W = 7,5 kN Vy = P = 51,84 kN Tx = 1,8 51,84 = 93,312 kN.m

My = 1,8 7,5 = 13,5 kN.m Mz = 1,8 51,84 = 93,312 kN.m

= 870,9 MPa (C)

= 128,05 MPa (C)

= 434,3 MPa

= 467,2 MPa

477
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.45. A barra tem diâmetro de 40 mm. Se sua extremidade for submetida às duas componentes de força mostradas na
figura, determine o estado de tensão no ponto A e mostre os resultados em um elemento de volume diferencial localizado
nesse ponto.

Figura 8.45

Nx = 0 N Vy = 300 N Vz = 500 N

Tx = 0 N.m My = 500 0,15 = 75 N.m Mz = 300 0,15 = 45 N.m

= 11,9 MPa (T)

= 0,318 MPa

8.46. Resolva o Problema 8.45 para o ponto B.

Figura 8.46

478
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Continua...
Cargas Combinadas

Nx = 0 N Vy = 300 N Vz = 500 N

Tx = 0 N.m My = 500 0,15 = 75 N.m Mz = 300 0,15 = 45 N.m

= 7,16 MPa (C)

= 0,531 MPa

8.47. O guindaste AB consiste em tubo que é usado para levantar o feixe de hastes que tem massa total de 3 Mg e centro
de massa em G. Se o tubo tiver diâmetro externo de 70 mm e 10 mm de espessura de parede, determine o estado de
tensão que age no ponto C. Mostre os resultados em um elemento de volume diferencial localizado nesse ponto.
Despreze o peso do tubo.

Figura 8.47

W=3 103 9,81 = 29,43 kN

T = 20,81 kN

N 20,81cos(45°) = 0 M 20,81sen(45°) 1,5 + 14,715 1,5 20,81cos(45°) 0,075 = 0

N = 14,715 kN M = 1,10362 kN.m

= 52,1 MPa = 52,1 MPa (C) e = 0 MPa

479
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.48. O guindaste AB consiste em um tubo que é usado para levantar o feixe de hastes que tem massa total de 3 Mg e
centro de massa em G. Se o tubo tiver diâmetro externo de 70 mm e 10 mm de espessura da parede, determine o estado
de tensão que age no ponto D. Mostre os resultados em um elemento de volume diferencial localizados nesse ponto.
Despreze o peso do tubo.

Figura 8.48

W=3 103 9,81 = 29,43 kN

T = 20,81 kN

N 20,81cos(45°) = 0 N = 14,715 kN

M 20,81sen(45°) 1,5 + 14,715 1,5 20,81cos(45°) 0,075 = 0 M = 1,10362 kN.m

= 7,81 MPa = 7,81 MPa (C)

= 0 MPa

480
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.49. O painel de sinalização está sujeito à carga uniforme do vento. Determine as componentes da tensão nos pontos
A e B no poste de sustentação de 100 mm de diâmetro. Mostre os resultados em um elemento de volume localizado em
cada um desses pontos.

Figura 8.49

P = 1,5 2 1 = 3 kN

Vx = 3 kN Vy = 0 kN Nz = 0 kN

My = 3 3,5 = 10,5 kN.m Tz = 3 1 = 3 kN.m

= 107 MPa

= 15,3 MPa

= 0 MPa

= 14,8 MPa

481
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.50. O painel de sinalização está sujeito a carga uniforme do vento. Determine as componentes da tensão nos pontos
C e D no poste de sustentação de 100 mm de diâmetro. Mostre os resultados em um elemento de volume localizado em
cada um desses pontos.

Figura 8.50

P = 1,5 2 1 = 3 kN

Vx = 3 kN Vy = 0 kN Nz = 0 kN

My = 3 3,5 = 10,5 kN.m Tz = 3 1 = 3 kN.m

= 107 MPa = 107 MPa (C)

= 15,3 MPa

= 0 MPa

= 15,8 MPa

482
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.51. O eixo de 18 mm de diâmetro é submetido à carga mostrada na figura. Determine as componentes da tensão no
ponto A. Trace um rascunho dos resultados em um elemento de volume localizado nesse ponto. O mancal em C só pode
exercer as componentes de força Cy e Cz sobre o eixo, e o mancal de encosto em D só pode exercer as componentes de
força Dx, Dy e Dz sobre o eixo.

Figura 8.51

Vz = 600 N

My = 600 0,25 = 150 N.m

= 262 MPa (C) = 0 MPa

*8.52. Resolva o Problema 8.51 para as componentes da tensão no ponto B.

Figura 8.52

Vz = 600 N

My = 600 0,25 = 150 N.m

= 0 MPa = 3,14 MPa

483
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.53. A haste maciça está sujeita à carga mostrada na figura. Determine o estado de tensão desenvolvido no material
no ponto A e mostre os resultados em um elemento de volume diferencial nesse ponto.

Figura 8.53

Nx = 10 kN

Tx = 200 N.m

Mz = 10 0,03 = 0,3 kN.m = 300 N.m

= 17,7 MPa (T) = 4,72 MPa

8.54. A haste maciça está sujeita à carga mostrada na figura. Determine o estado de tensão desenvolvido no material
no ponto B e mostre os resultados em um elemento de volume diferencial nesse ponto.

Figura 8.54

Nx = 10 kN

Vy = 10 kN

Tx = 10.000 0,03 200 = 100 N.m

Mz = 10 0,03 + 10 0,15 = 1,8 kN.m

= 81,3 MPa = 81,3 MPa (C) = 2,36 MPa

484
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.55. A haste maciça está sujeita à carga mostrada na figura. Determine o estado de tensão desenvolvido no material
no ponto C e mostre os resultados em um elemento de volume diferencial nesse ponto.

Figura 8.55

Nx = 10 kN Vy = 10 kN Vz = 15 kN

Tx = 10.000 0,03 200 15.000 0,03 = 350 N.m My = 15 0,15 = 2,25 kN.m

Mz = 10 0,03 + 10 0,45 = 4,8 kN.m

= 103 MPa = 103 MPa (C)

= 3,54 MPa

485
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
*8.56. A haste maciça de 25 mm de diâmetro está sujeita às cargas mostradas na figura. Determine o estado de tensão
no ponto A e mostre os resultados em um elemento diferencial localizado nesse ponto.

Figura 8.56

Nx = 375 N Vy = 400 N Vz = 500 N

Tx = 400 0,075 = 30 N.m My = 500 0,2 375 0,075 = 71,875 N.m Mz = 400 0,2 = 80 N.m

= 52,9 MPa (T)

= 11,14 MPa

486
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.57. A haste maciça de 25 mm de diâmetro está sujeita às cargas mostradas na figura. Determine o estado de tensão
no ponto B e mostre os resultados em um elemento diferencial localizado nesse ponto.

Figura 8.57

Nx = 375 N Vz = 500 N
Vy = 400 N

Tx = 400 0,075 = 30 N.m My = 500 0,2 375 0,075 = 71,875 N.m Mz = 400 0,2 = 80 N.m

= 46,1 MPa (C)

= 10,86 MPa

487
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.58. A lança de guindaste é submetida a uma carga de 2,5 kN. Determine o estado de tensão nos pontos A e B. Mostre
os resultados em um elemento de volume diferencial localizado em cada um desses pontos.

Figura 8.58

V = (2,5)(3/5) = 1,5 kN

N = (2,5)(4/5) = 2 kN

M = (2,5)(3/5)(2,4) + (2,5)(4/5)(1,5) = 6,6 kN.m

= 3,928275 10-6 m4

A=2 0,012 0,075 + 0,075 0,012 = 0,0027 m²

QA = QB = 0

= 83,34 MPa (T) = 0 MPa

= 84,75 MPa (C) = 0 MPa

488
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.59. A pilastra de alvenaria está sujeita à carga de 800 kN. Determine a equação da reta y = f(x) ao longo da qual a
carga pode ser posicionada sem provocar tensão de tração na pilastra. Despreze o peso da pilastra.

Figura 8.59

Nz = 800 kN Mx = 800y My = 800x kN.m

= 118,52x + 79,012y 59,26

Como a carga não provoca tensão de tração na pilastra, logo: .

Isolando y na equação, obtem-se: y = 0,75 1,5x

*8.60. A pilastra de alvenaria está sujeita à carga de 800 kN. Se x = 0,25 m e y = 0,5 m, determine a tensão normal em
cada canto A, B, C, D (não mostrado na figura) e trace a distribuição da tensão na seção transversal. Despreze o peso da
pilastra.

Figura 8.60

Nz = 800 kN Mx = 800 0,5 = 400 kN.m My = 800 0,25 = 200 kN.m

489 Continua...
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
= 9,88 kPa (T)

= 49,4 kPa = 49,4 kPa (C)

= 128 kPa = 128 kPa (C)

= 69,1 kPa = 69,1 kPa (C)

8.61. A barra de distribuição de peso carregada simetricamente é usada para levantar o tanque de 10 kN (~1 tonelada).
Determine o estado de tensão nos pontos A e B e indique os resultados em elementos de volumes diferenciais.

Figura 8.61

2Tcos(30°) 10 = 0 N = 5,7735sen(30°) = 2,89 kN V = 5,7735cos(30°) = 5 kN M = 5,7735 cos(30°) 0,45

T = 5,7735 kN M = 2,25 kN.m

= 218,31 MPa (T)

= 2,31 MPa (T)

= 0 MPa = 6 MPa

490
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.62. Um poste com as dimensões mostradas na figura está sujeito à carga de apoio P. Especifique a região na qual essa
carga pode ser aplicada sem provocar o desenvolvimento de tensão de tração nos pontos A, B, C e D.

Figura 8.62

Nx = P My = Pez Mz = Pey

= 6a²

Como só há desenvolvimento de tensão de compressão, segue a condição:

Reduzindo a inequação, obtem-se: 6ey + 18ez < 5a

491
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.63. O homem tem massa de 100 kg e centro de massa em G. Se ele mantiver na posição mostrada na figura, determine
a tensão de tração máxima e a tensão de compressão máxima desenvolvida na seção a-a da barra curva. Ele é suportado
uniformemente pelas duas barras, e cada uma delas tem diâmetro de 25 mm. Considere que o piso é liso.

Figura 8.6

W = 100 9,81 = 981 N

981 0,35 1,35R2 = 0 R2 = 254,33 N

2R1 + 254,33 981 = 0 R1 = 363,33 N

= 3,02524 10-3 m

= 0,162259 m

N 363,33 = 0 N = 363,33 N

M 363,33(0,3 + 0,162259) = 0 M = 167,95 N.m

= 103 MPa (T)

= 117 MPa = 117 MPa (C)

492
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.3 - PROBLEMAS DE REVISÃO

*8.64. O bloco está sujeito às três cargas axiais mostradas na figura. Determine a tensão normal desenvolvida nos
pontos A e B. Despreze o peso do bloco.

Figura 8.64

Nz = 500 + 250 + 1.250 = 2.000 N

Mx = 250 0,1625 + 1.250 0,0375 + 500 0,0375 = 25 N.m

My = 250 0,05 + 1.250 0,1 500 0,1 = 87,5 N.m

= 2,8958333 10-4 m4

= 7,08333 10-5 m4

A = 0,1 0,325 + 2 0,05 0,075 = 0,04 m²

= 0,1703 MPa (C)

= 0,0977 MPa (C)

493
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.65. Se P = 15 kN, desenhe o gráfico da distribuição de tensão que age na seção transversal a-a do elo fora de centro.

Figura 8.65

N 15 = 0 N = 15 kN

M 15 0,055 = 0 M = 0,825 kN.m = 825 N.m

= 228 MPa (T)

= 168 MPa = 168 (C)

y = 28,8 mm

8.66. Determine o valor da carga P provocará a tensão normal máxima máx = 200 MPa na seção a-a do elo.

Figura 8.66

N P=0 N=P

M P 0,055 = 0 M = 0,055P

P = 13,2 kN

494
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.67. A pressão do ar no cilindro será aumentada se forem exercidas as forças P = 2 kN nos dois pistões, cada qual raio
de 45 mm. Se a espessura da parede do cilindro for 2 mm, determine o estado de tensão na parede do cilindro.

Figura 8.67

= 0,31438 MPa

= 7,07 MPa

*8.68. Determine a força máxima P que pode ser exercida em cada um dos dois pistões de modo que a componente da
tensão circunferencial no cilindro não ultrapasse 3 MPa. Cada pistão tem raio de 45 mm e espessura da parede do
cilindro é 2 mm.

Figura 8.68

495
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.69. O parafuso da prensa exerce uma força de compressão de 2,5 kN nos blocos de madeira. Determine a tensão
normal máxima desenvolvida ao longo da seção a-a. Nesse lugar, a seção transversal é retangular com dimensões 18
mm por 12 mm.

Figura 8.69

N 2,5 = 0 N = 2,5 kN = 2.500 N

M 2,5 0,1 = 0 M = 0,25 kN.m = 250 N.m

= 397,4 MPa (T)

8.70. O suporte de parede tem espessura de 6 mm e é usado para suportar as reações verticais da viga carregada, como
mostra a figura. Se a carga for transferida uniformemente para cada alça do suporte, determine o estado de tensão nos
pontos C e D da alça B. Considere que a reação vertical F nessa extremidade age no centro e na borda do suporte, como
mostra a figura.

Figura 8.70
496
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Continua...
Cargas Combinadas
50 0,6 + 54 2,1 3FB = 0 FB = 47,8 kN

M = 47,8 0,025 = 1,195 kN.m

= 79,67 MPa (T)

= 159,33 MPa (C)

= 0 MPa = 0 MPa

8.71. O apoio está sujeito à carga de compressão P. Determine as tensões normais absolutas máximas e mínimas que
agem no material.

Figura 8.71

N P=0 N=P

M = 0,5Px

A = a(a + x)

Para que a tensão normal de compressão seja máxima, , portanto:

; resolvendo a derivada, obtem-se: x = 0,5a, sendo assim:

497
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016 Continua...
Cargas Combinadas
Para que a tensão normal de tração seja mínima: , portanto:

; resolvendo a derivada, obtem-se: x = 2a, sendo assim:

*8.72. O apoio tem seção transversal circular, cujo raio aumenta linearmente com a profundidade. Se for submetido à
carga de compressão P, determine as tensões normais máxima e mínima que agem no material.

Figura 8.72

d' = 2r + x A = (r + 0,5x)²

Para que a tensão normal de compressão seja máxima, , portanto:

, resolvendo a derivada, obtem-se: x = 0,4r, sendo assim:

Para que a tensão normal de tração seja mínima: , portanto:

, resolvendo a derivada, obtem-se: x = 2r, sendo assim:

498
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.73. A tampa do tanque cilíndrico é parafusada ao tanque ao longo das abas. O tanque tem diâmetro interno de 1,5 m
e espessura da parede de 18 mm. Considerando que a maior tensão normal não deve ultrapassar 150 MPa, determine a
pressão máxima que o tanque pode sustentar. Calcule também o número de parafusos necessários para prender a tampa
ao tanque se cada um deles tiver diâmetro de 20 mm. A tensão admissível para os parafusos é ( adm)p = 180 MPa.

Figura 8.73

= 20.250 MPa

= 113 parafusos

8.74. A tampa do tanque cilíndrico é parafusada ao tanque ao longo das abas. O tanque tem diâmetro interno de 1,5 m,
e a espessura da parede é 18 mm. Se a pressão no interior do tanque for p = 1,20 MPa, determine a força nos 16 parafusos
utilizados para prender a tampa ao tanque. Além disso, especifique o estado de tensão na parede do tanque.

Figura 8.74

Logo, a força em cada parafuso será: = 132,54 133 kN

= 50 MPa

= 25 MPa

499
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.75. Um pé-de-cabra é usado para retirar o prego em A. Se for necessária uma força de 40 N, determine as componentes
da tensão na barra nos pontos D e E. Mostre os resultados em um elemento de volume diferencial localizado em cada
um desses pontos. A barra tem seção transversal circular com diâmetro de 12 mm. Não ocorre deslizamento em B.

Figura 8.75

P = 7,071 N

V 7,071 = 0 V = 7,071 N

M = 0,8839 N.m

= 5,21 MPa (T) = 0 MPa

= 0 MPa = 0,0834 MPa

500
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.76. O parafuso de prensa exerce uma força de compressão de 2,5 kN nos blocos de madeira. Faça um rascunho da
distribuição de tensão ao longo da seção a-a da prensa. Nesse lugar, a seção transversal é retangular com dimensões 18
mm por 12 mm.

Figura 8.76

2,5 N=0 N = 2,5 kN = 2.500 N

M 2,5 0,1 = 0 M = 0,25 kN.m = 250 N.m

= 397,4 MPa (T)

= 374,2 MPa (C)

y = 8,73 mm

501
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.77. O parafuso de prensa é composto pelos elementos estruturais AB e AC conectados por um pino em A. Se a força
de compressão em C e B for 180 N, determine o estado de tensão no ponto F e indique os resultados em um elemento
de volume diferencial. O parafuso DE está sujeito somente a uma força de tração ao longo de seu eixo.

Figura 8.77

30T 180 70 = 0 T = 420 N

M 180 0,055 + 420 0,015 = 0 M = 3,6 N.m

420 180 V=0 V = 240 N

= 6,4 MPa = 6,40 MPa (C)

= 0 MPa

502
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.78. O olhal está sujeito à força de 250 N. Determine as tensões de tração e compressão máxima na seção a-a. A seção
transversal é circular e tem 6 mm de diâmetro. Use a fórmula da viga curva para calcular a tensão de flexão.

Figura 8.78

= 8,585756 10-4 m

= 0,03293167 m

250 N=0 N = 250 N

M 250 0,03293167 = 0 M = 8,233 N.m

= 354,4 MPa (C)

= 425,3 MPa (T)

503
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016
Cargas Combinadas
8.79. Resolva o Problema 8.78 se a seção transversal for quadrada, de dimensões 6 mm por 6 mm.

Figura 8.79

= 1,093929 10-3 m

= 0,0329089 m

250 N=0 N = 250 N

M 250 0,0329089 = 0 M = 8,2272 N.m

= 208,4 MPa (C)

= 250,2 MPa (T)

504
Resolução: Steven Róger Duarte dos Santos, 2016