You are on page 1of 2

NBR 7219 AGO 1987

Agregados - Determinação do teor de


materiais pulverulentos
ABNT – Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 28º andar
CEP 20003-900 – Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro – RJ
Método de ensaio
Tel.: PABX (021) 210-3122
Fax: (021) 220-1762/220-6436 Origem: 18:02.10-001/1987 (MB-9/1987)
Endereço eletrônico:
www.abnt.org.br ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados
CE-18:02.10 - Comissão de Estudo de Determinação do Teor de Materiais
Pulverulentos
NBR 7219 - Aggregates - Determination of pulverulent materials content - Test
method
Copyright © 1987
ABNT–Associação Brasileira
Incorpora Errata n! 01 de Mar 2000
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/ Palavra-chave: Agregado 2 páginas
Impresso no Brasil
Todos os direitos reservados

SUMÁRIO
Prefácio
1 Objetivo
2 Documentos complementares
3 Definição
4 Aparelhagem
5 Execução do ensaio
6 Resultados

1 Objetivo
Esta Norma prescreve o método para a determinação do teor de materiais pulverulentos presentes em agregados
destinados ao preparo do concreto.
2 Documentos complementares

Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

NBR 5734 - Peneiras para ensaio - Especificação

NBR 7216 - Amostragem de agregados - Procedimento

NBR 9941 - Redução de amostra de campo de agregados para ensaios de laboratório - Procedimento
3 Definição

Para os efeitos desta Norma é adotada a definição de 3.1.


3.1 Materiais pulverulentos

Partículas minerais com dimensão inferior a 0,075 mm, inclusive os materiais solúveis em água, presentes nos agregados.
4 Aparelhagem

A aparelhagem necessária é relacionada em 4.1 a 4.7.


4.1 Balança com capacidade mínima de 5 kg e resolução de 5 g.

4.2 Estufa para secagem.

4.3 Conjunto de duas peneiras 1,2 mm e 0,075 mm, conforme a NBR 5734.
2 NBR 7219/1987

4.4 Recipientes com dimensões suficientes para reter a amostra do agregado e a água de recobrimento. Deve ser
resistente para permitir a agitação vigorosa sem perda de água ou da amostra.
4.5 Bisnaga para água.

4.6 Dois recipientes de vidro transparente com dimensões iguais.

4.7 Haste para agitação.

5 Execução do ensaio

5.1 Amostragem

5.1.1 Coletar a amostra de acordo com a NBR 7216.

5.1.2 Da amostra remetida ao laboratório (depois de umedecida, a fim de evitar segregação, e de cuidadosamente
misturada) formar duas amostras de ensaio, conforme a NBR 9441. A massa mínima por amostra é indicada na Tabela.
Tabela - Massa mínima por amostra de ensaio

Dimensão máxima característica do agregado Massa mínima por amostra de ensaio

(mm) (kg)

< 4,8 mm 0,5

> 4,8 mm e < 19 mm 3

> 19 mm 5
5.2 Ensaio

5.2.1 Secar previamente as amostras de ensaio em estufa a 105"C - 110"C até constância de massa. Determinar suas
massas secas (Mi1 e Mi2).
5.2.2 Colocar a amostra (Mi1) no recipiente e recobrir com água. Agitar o material, com o auxílio de uma haste, de forma a
provocar a separação e suspensão das partículas finas, tomando o cuidado de não provocar abrasão no material. Despejar
1) 2)
a água cuidadosamente através das peneiras para não perder material .
5.2.3 Lançar o material retido nas peneiras de volta ao recipiente e repetir a operação de lavagem até que a água de
lavagem se torne límpida. Fazer a comparação visual da limpidez entre a água, antes e depois da lavagem, utilizando os
recipientes indicados em 4.6.
5.2.4 Ao terminar a lavagem, colocar o material no recipiente, recobrir com água e deixar em repouso o tempo necessário
para decantar as partículas. Retirar a água em excesso com auxílio de bisnaga para facilitar a posterior secagem em
estufa, tomando o cuidado de não provocar perda de material.
5.2.5 Secar o agregado lavado em estufa a (105 - 110)"C até constância de massa e determinar sua massa final seca
(mfi).
5.2.6 Repetir o procedimento para a outra amostra (Mi2).

6 Resultados
6.1 O teor de materiais pulverulentos de cada amostra é obtido pela diferença entre as massas da amostra antes (Mi) e
depois da lavagem (Mf) e expresso em porcentagem da massa da amostra ensaiada.

Mi - Mf
Teor de materiais pulverulentos = x 100 (%)
Mi

6.2 O resultado é obtido pela média aritmética das duas determinações.

6.3 A diferença obtida nas duas determinações não deve ser maior que 0,5% para agregado graúdo e 1,0% para agregado
miúdo. Quando esta condição não for atendida, realizar uma terceira determinação e adotar como resultado a média
aritmética dos dois valores mais próximos.

_________________

_________________
1)
A peneira 1,2 deve ser posicionada sobre a peneira 0,075 mm, para protegê-la contra esforços provocados por excesso de material ou
por partículas de grandes dimensões que eventualmente sejam carregadas pela água de lavagem.
2)
Não adicionar detergentes, dispersantes ou outras substâncias à àgua de lavagem.

Related Interests