Вы находитесь на странице: 1из 12

Aula de hoje: resumo das visões weberianas e marxistas

sobre a relação entre Estado, burocracia e instituições


políticas, na visão do Eric Olin Wright

1
Introdução:
 Questão-chave: relação entre estruturas
internas do Estado, o funcionamento das
instituições políticas e a “luta de classes”;

 Objetivo é abordar esse problema


comparando as analises da burocracia e do
Estado de Max Weber e Lênin

2
1) Proposições básicas de Max Weber sobre a burocracia,
Estado e instituições políticas:

 Proposição (1) → aumento da burocratização e da necessidade de


“administração racional” com o desenvolvimento do capitalismo;

 Proposição (2) → À medida que aumenta a burocratização tende a


aumentar o poder dos burocratas, tanto no que se refere às organizações
não burocráticas, quando aos elementos não-burocráticos das
burocracias;

 Proposição (3) → O aumento do poder/potência nas mãos da alta


burocracia gera alguns problemas, tais como:
 a) ineficiência da administração burocrática na sociedade global;

 b) maximização da influência dos grandes capitalistas nos negócios: 165;

 Proposição (4) → Apenas um parlamento atuante e não meramente


“fazedor de discursos” pode ser um antídoto eficaz e realista contra o
aumento do poder da burocracia: 167

3
2) Proposições básicas de Lênin sobre a burocracia,
Estado e instituições políticas:
 Proposição (1) → O Estado e a burocracia são órgãos de dominação de
classe: 173;

 Proposição (2) → Uma república democrático-parlamentar é o melhor


invólucro político para o capitalismo. O parlamento é uma instituição que
mistifica as massas e legitima a ordem social; a estrutura da sociedade
capitalista garante que a burocracia controle o parlamento: 172

 Proposição (3) → A burocracia é a estrutura básica através da qual a classe


capitalista domina e funcional para o capitalismo. O segredo burocrático e a
organização autoritária das organizações burocráticas fazem com que os
burocratas se oponham a qualquer proposta de gestão democrática das
organizações: 174

 Proposição (4) “O socialismo exige a completa destruição das instituições


estatais burguesas e sua substituição por uma nova forma de democracia
completa ou democracia proletária” (ou ditatura ou dominação do
proletariado).

4
Comparando os dois autores:

5
3) O problema dos determinantes da estrutura
organizacional, elites e instituições políticas
 Lênin vê o Estado como um conjunto de instituições que
por sua própria estrutura [diferente de instrumento]
sustenta a dominação da classe proprietária. O Estado é
uma complexa rede de instituições, organizações e
relações sociais que reproduz essa matriz estrutural;

 “O mais importante para Lênin quanto à ‘função decisória


política’ não são os indivíduos que fazem política, mas a
classe cujo domínio é garantido pelas estruturas dentro
das quais se formula a política” (p. 184)

 “Em resumo, o conceito de Weber de Estado centra-se


nos modos pelos quais as elites controlam determinada
espécie de organização [que é neutra em seus fins]; para
Lênin, o conceito de Estado centra-se nos modos pelos
quais as classes dominam mediante determinado tipo de
estrutura” (p. 185);
6
Papel do parlamento e os limites do
possível
 Para Weber apenas um parlamento forte e atuante pode pôr
limites à ação da burocracia de Estado, e ele sugere uma série de
reformas políticas (institucionais e regimentais) para construir
esse parlamento [cf. o artigo: Max Weber e a Reforma Política das
instituições políticas alemãs]

 “Lênin enfoca o problema de uma forma muito diferente. Os


parlamentos são inermes e as burocracias tendem a ser o local do
‘real trabalho do governo’ não por alguma falha organizacional,
mas devido às exigências estruturais da dominação estável da
classe capitalista” (185)

7
Observações críticas de Erik Olin Wright:
 “Embora Lênin esteja talvez certo de que uma teoria dos processos
organizacionais internos só possa ser compreendida no contexto de uma
análise das relações de classe, sua crítica das estruturas organizacionais
capitalistas se ressente do fato de não desenvolver essa teoria” (187);
 Lênin deposita fé exclusiva no “partido de vanguarda” para conduzir a
luta contra a burocratização, sem detalhar os mecanismos institucionais
pelos quais se dá esse processo;
 Weber não discute a questão do parlamento relacionada com a questão
das contradições sociais no capitalismo, mas apenas nos problemas
organizacionais do parlamento. Bastavam mudanças institucionais para
fortalecer o papel do parlamento, se avançar na reflexão sobre as
condições sociais ou estruturais desse poder: 192

8
Referências:
 WRIGHT, E. O. (1993 [1978, 1 ed.]). Class, Crisis and the State. 3 ed. London:
Verso.

 BEETHAM, D. (1979). Max Weber y la teoria politica moderna. Madrid:


Centro de Estudios Constitucionales.

 BENDIX, R. (1986). Max Weber, um perfil intelectual. Brasília: UnB. 432 p.


(Coleção Weberiana.)

 WEBER, M. (1997). Parlamentarismo e governo numa Alemanha


reconstruída (uma contribuição à crítica política do funcionalismo e da
política partidária). In: _____ Max Weber (Os Economistas). São Paulo: Nova
Cultural. p. 20-118.

 http://www.ssc.wisc.edu/~wright/ [site do Eric Olin Wright]

9
Finalizando: vários enfoques sobre as
instituições politicas
 Enfoque “centrado no Estado”: Weber, Marxistas, Kelsen => O
Estado é um sistema de instituições singular e diferente das
demais, existentes no sistema política;

 Enfoques pluralistas e sistêmicos (David Easton; Robert Dahl


etc.) => o conceito de sistema político subsume o de Estado;

 Diferentes versões do neoinstitucionalismo (histórico, escolha


racional e sociológico);

10
Próximas aulas:
 O conceito de Estado Capitalista em Nicos
Poulantzas e Estado Burocrático-Moderno em Max
Weber

 Polêmicas modernas sobre o Estado.

 Questão das “formas de governo” (formas de


Estado e Regime Político)

11
Referências bibliográficas e websites
recomendados:
 WRIGHT, E. O. (1993 [1978, 1 ed.]). Class, Crisis and the State. 3 ed. London:
Verso.

 BEETHAM, D. (1979). Max Weber y la teoria politica moderna. Madrid: Centro de


Estudios Constitucionales.

 BENDIX, R. (1986). Max Weber, um perfil intelectual. Brasília: UnB. 432 p.


(Coleção Weberiana.)

 WEBER, M. (1997). Parlamentarismo e governo numa Alemanha reconstruída


(uma contribuição à crítica política do funcionalismo e da política partidária). In:
_____ Max Weber (Os Economistas). São Paulo: Nova Cultural. p. 20-118.

 LENIN, V. I. (1980). O Estado e a Revolução; a doutrina do marxismo sobre o


Estado e as tarefas do proletariado na revolução. In: _____ V. I. Lenin. Obras
escolhidas em três volumes. São Paulo: Alfa-Ômega. Vol. 3. p. 219-305.

 http://www.ssc.wisc.edu/~wright/ [site do Eric Olin Wright]

12