You are on page 1of 11

1

A Enfermagem do trabalho frente a Lesões por esforço repetitivo/Doenças osteomusculares


relacionadas ao trabalho.1

Santos Millena Raiane Souza2, Mota Geska Veloso², Faria Denise Carvalho do Carmo2,
Brasileiro Marislei Espíndula3. A Enfermagem do Trabalho frente Lesões por Esforços
Repetitivos/Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho. Revista Eletrônica de
Enfermagem do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição [serial on-line] 2013 jan-jul
2(2) 1-15. Available from: <http://www.ceen.com.br/revistaeletronica>.

Resumo

Objetivo: avaliar e conhecer as abordagens do enfermeiro do trabalho nas Lesões por Esforços
Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho - LER/DORT, através da
revisão bibliográfica. Materiais e Método: estudo do tipo exploratório, bibligráfico com análise
integrativa, qualitativa da literatura disponível em bibliotecas convencionais e virtuais.
Resultados: identificou-se que o enfermeiro deve ter ciência dos múltiplos fatores que
desencadeiam as lesões relacionadas ao trabalho tais como: a pré-disposição genética,
distúrbios psicológicos, falta de preparo muscular para determinadas tarefas, equipamentos,
mobiliários e/ou posturas inadequadas, trabalhos repetitivos, longas jornadas de trabalho,
trabalho noturno, pressão constante, peso, extremos de temperaturas, locais insalubres, baixa
remuneração como os principais fatores de riscos. Conclusão: as abordagens do enfermeiro do
trabalho nas Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao
Trabalho - LER/DORT devem ser voltadas para os inúmeros fatores relacionados à esse
adoecimento.

Descritores: Enfermagem, Saúde do Trabalhador, LER/DORT, Papel do profissional de


enfermagem.

Resumo em Inglês

Objective: To evaluate and understand the approaches of nurses work in Repetitive Strain
Injury / Work Related Musculoskeletal Disorders - RSI / WMSD, through the literature review.
Materials and Methods: an exploratory study, bibligráfico with integrative analysis, qualitative
literature available in conventional and virtual libraries. Results identified that nurses should be
aware of the multiple factors that trigger the work-related injuries such as: genetic

1
Artigo apresentado ao Curso de Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho, turma nº 15ª, do Centro de Estudos

de Enfermagem e Nutrição/Pontifícia Universidade Católica de Goiás.


2
Enfermeiras, especialistas em Enfermagem do Trabalho, e-mail: millena_raiane@hotmail.com,
geska_veloso@hotmail.com, denisecarvalho51@hotmail.com.
2

predisposition, psychological disorders, muscular lack of preparation for certain tasks,


equipment, furniture and / or awkward postures, repetitive work, long working hours, night
work, constant pressure, weight, temperature extremes, unhealthy places, low pay as the
main risk factors. Conclusion: the approaches of nurses work in Repetitive Strain Injury / Work
Related Musculoskeletal Disorders - RSI / WMSD should be directed to the numerous factors
related to this disease.

Keywords: Nursing, Occupational Health, RSI / WMSD, Role of professional nursing.

Resumo em Espanhol

Objetivo: Evaluar y comprender los métodos de trabajo de las enfermeras en lesiones por
esfuerzo repetitivo / Trabajar trastornos musculoesqueléticos relacionados - LER / DORT, a
través de la revisión de la literatura. Materiales y métodos: un estudio exploratorio, bibligráfico
con análisis integrador, la literatura cualitativa disponible en las bibliotecas convencionales y
virtuales. Los resultados identificaron que las enfermeras deben ser conscientes de los
múltiples factores que desencadenan las lesiones relacionadas con el trabajo, tales como: la
predisposición genética, los trastornos psicológicos, la falta muscular preparación para ciertas
tareas, equipo, mobiliario y / o posturas forzadas, trabajo repetitivo, largas horas de trabajo,
el trabajo nocturno, la presión constante, el peso, las temperaturas extremas, lugares
insalubres, bajos salarios como los principales factores de riesgo. Conclusión: los métodos de
trabajo de las enfermeras en la lesión por esfuerzo repetitivo / Trabajo trastornos
musculoesqueléticos - LER / DORT deben dirigirse a los numerosos factores relacionados con
esta enfermedad.

Palabras clave: Enfermería, Salud Ocupacional, LER / DORT, Papel de la enfermería


profesional.

1 Introdução

O interesse pela escolha do tema a enfermagem do trabalho frente as lesões por


esforço repetitivo/distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (LER/DORT) , surgiu a
partir do interesse de obter um conhecimento específico sobre essa doença ocupacional que é
uma das principais do grupo de agravos a saúde do trabalhador.

A enfermagem do trabalho busca garantir suporte para uma organização social e direito
básico do ser humano no ambiente de trabalho sendo executado em condições que cooperem
para melhorar a qualidade de vida e consequentemente a saúde do trabalhador, reduzindo-as
através de ações como a prevenção, promoção e reabilitação. Ao promover a saúde do
3

trabalhador o enfermeiro do trabalho anseia valorizar o ser humano e contribuir na diminuição


dos acidentes e doenças do trabalho¹.

Uma das doenças mais comuns é a LER/DORT, doença do trabalho causada por
prejuízos do uso exagerado ao sistema musculoesquelético e devido à impossibilidade de
cumprir o prazo necessário para recuperação. Suas características agregam vários sintomas
simultâneos ou não, de surgimento insidioso frequentemente nos membros superiores, tais
como, algia, parestesia, sensação de peso e fadiga².

Síndrome, expressão utilizada pelo INSS onde diz que LER/DORT não são causadas por
esforços repetitivos e sim por posições permanentes a longo prazo, atingindo principalmente
os membros superiores, região escapular e pescoço³. Conhecidas como as principais doenças
ocupacionais que agravam a saúde do trabalhador em nosso país segundo o INSS, estão entre
as que mais afastam trabalhadores do campo de trabalho causando além de sofrimento,
impossibilidades de trabalho por muito tempo, consequentemente afastamento e
4
indenizações .

Doenças do trabalho não recentes que com o retorno da terapia e a volta dos
movimentos a doença se regenera acometendo novamente o trabalhador tanto na vida
profissional quanto pessoal5.

LER caracterizado por um processo multifatorial que acarreta diversas causas, como
fatores organizacionais, socioculturais, psicossociais, físicos e individuais. A mesma apresenta
alterações principalmente no pescoço, braços, punhos e outros membros superiores6.

Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) que englobam os nervos,


tecidos, tendões e as estruturas de apoio do corpo, desenvolvida por um processo crônico que
é desencadeado a partir de atividades realizadas durante as jornadas de trabalho7.

LER/DORT possuem extrema relação devido a seus fatores etiológicos que estão
agregados a organização do trabalho, abrangendo principalmente equipamentos, acessórios,
ferramentas, mobiliários inadequados, a falta de atenção às técnicas durante o cumprimento
das tarefas, postura imprópria, uso de força excessiva durantes as atividades, uso demasiado
de materiais vibratórios, ventilação, umidade e temperatura inadequada para o meio de
trabalho8.

Através da alta prevalência da doença no país que pode causar afastamentos


temporários ou permanentes9 o trabalhador deve ser acompanhado pelo serviço de saúde
ocupacional devendo o enfermeiro formular e desempenhar programas que promovam,
previnam e recuperem a saúde dos empregados10.
4

O enfermeiro do trabalho é o profissional que deve acompanhar os trabalhadores


incentivando e cuidando da saúde, estimulando a prevenção dos acidentes e as doenças do
trabalho, e deve proporcionar cuidados adequados aos acidentados e doentes. De acordo com
o Ministério do Trabalho e Emprego o enfermeiro do trabalho desempenha papeis relacionados
a higiene, medicina, segurança e participando de estudos para resguardar a saúde do
trabalhador11. Dessa forma essa especialidade busca aprimorar, pesquisar e desenvolver
estudos para aperfeiçoar seu papel juntamente a saúde ocupacional12.

No Brasil, LER/DORT é considerada a segunda causa de afastamento do trabalho, os


dados dessas doenças são carentes, mas possuem elevadas influências na quantidade de
diagnósticos. Nos últimos anos o nosso país foi responsável por 532.434 Comunicações de
Acidentes de Trabalho. Já no estado de Goiás os casos notificados são mínimos, isso constata
as subnotificações, dessa forma dados do Ministério do Trabalho e Emprego e da Previdência
Social ultrapassam os dados subnotificados. Sendo assim a aplicação das fontes de pesquisas e
a capacitação das notificações é primordial para vigilância e a elaboração de projetos e ações
preventivas de LER/DORT13.

Nesse contexto o Enfermeiro possui um papel importante na prevenção, pois conforme


o Conselho Federal de Enfermagem COFEN, há um imenso empenho da Associação Nacional de
Enfermagem em Saúde Ocupacional (ANENT), junto ao COFEN e CORENs em especializar mais
profissionais em saúde ocupacional e espalha-los em mais instituições. Muitas vezes o
trabalhador ainda não é inserido no plano de ação ou intervenção do enfermeiro do trabalho o
que deixa este profissional apagado de suas atribuições contribuindo para uma restrita atuação
no atendimento e cuidados, em condições de intercorrências, acidentes, e a uma
sistematização efetiva relacionada a prevenção e promoção da saúde coletiva de
trabalhadores14.

Diante disso surge o questionamento: Qual o papel do enfermeiro do trabalho frente a


LER/DORT? Quais as abordagens do enfermeiro do trabalho nas Lesões por Esforços
Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho - LER/DORT, através da
revisão bibliográfica?

Espera-se que este trabalho contribua para a discussão dessa temática na área da
saúde, servindo de incentivo para a prevenção de doenças ocupacionais e que os profissionais
da enfermagem entendam quais são os fatores relacionados a LER/DORT dessa forma
favorecendo a saúde do trabalhador.

2 Objetivos
5

Avaliar e conhecer as abordagens do enfermeiro do trabalho nas Lesões por Esforços


Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho - LER/DORT, através da
revisão bibliográfica.

3 Materiais e Método

Trata-se de um estudo do tipo bibliográfico, exploratório, descritivo com análise


integrativa.

O estudo bibliográfico oferece meios que auxiliam na definição e resolução dos


problemas já conhecidos, como também permite explorar novas áreas onde os mesmos ainda
não se solidificaram suficientemente. Permite também que um tema seja analisado sob novo
enfoque ou abordagem, produzindo novas conclusões. Além disso, permite a cobertura de uma
gama de fenômenos muito mais ampla, principalmente quando o problema da pesquisa requer
a coleta de dados muito dispersos no espaço.

A análise integrativa é aquela que compreende a avaliação de pesquisas fundamentais e


que dão assistência para a resolução de problemas e melhoram a prática clínica, facilitam o
resumo e o entendimento de um determinado tema e indica o que necessita melhorar com a
realização de futuros estudos. Permite também a verificação de vários estudos que foram
publicados e facilita as conclusões de determinadas áreas em específica15, 16.

Após a definição do tema foi feita uma busca em bases de dados virtuais em saúde,
especificamente na Biblioteca Virtual de Saúde - Bireme. Foram utilizados os descritores:
enfermagem do trabalho, saúde do trabalhador, LER/DORT, papel do enfermeiro, doenças
ocupacionais. O passo seguinte foi uma leitura exploratória das publicações apresentadas no
Sistema Latino-Americano e do Caribe de informação em Ciências da Saúde - LILACS, National
Library of Medicine – MEDLINE e Bancos de Dados em Enfermagem – BDENF, Scientific
Electronic Library online – Scielo, banco de teses USP, no período janeiro a agosto de 2013.

Realizada a leitura exploratória e seleção do material, principiou a leitura analítica, por


meio da leitura das obras selecionadas, que possibilitou a organização das idéias por ordem de
importância e a sintetização destas que visou a fixação das idéias essenciais para a solução do
problema da pesquisa.

Após a leitura analítica, iniciou-se a leitura interpretativa que tratou do comentário feito
pela ligação dos dados obtidos nas fontes ao problema da pesquisa e conhecimentos prévios.
Na leitura interpretativa houve uma busca mais ampla de resultados, pois ajustaram o
problema da pesquisa a possíveis soluções. Feita a leitura interpretativa se iniciou a tomada de
6

apontamentos que se referiram a anotações que consideravam o problema da pesquisa,


ressalvando as idéias principais e dados mais importantes.

A partir das anotações da tomada de apontamentos, foram confeccionados fichamentos,


em fichas estruturadas em um documento do Microsoft word, que objetivaram a identificação
das obras consultadas, o registro do conteúdo das obras, o registro dos comentários acerca
das obras e ordenação dos registros. Os fichamentos propiciaram a construção lógica do
trabalho, que consistiram na coordenação das idéias que acataram os objetivos da pesquisa.
Todo o processo de leitura e análise possibilitou a criação de uma categoria. Os resultados
foram submetidos à leituras por professores da Pontifícia Universidade Católica que
concordaram com o ponto de vista dos pesquisadores.

A seguir, os dados apresentados foram submetidos a análise de conteúdo.


Posteriormente, os resultados foram discutidos com o suporte de outros estudos provenientes
de revistas científicas e livros, para a construção do relatório final e publicação do trabalho no
formato Vancouver.

4 Resultados e Discussão

Nos últimos dez anos ao se buscar as Bases de Dados Virtuais em Saúde, tais como a
LILACS e SCIELO, (ou outras revistas tais como FEN, REBEn, etc) utilizando-se as palavras-
chave:LER/DORT, enfermagem do trabalho, doença ocupacional, saúde do trabalhador
encontrou-se dezenove artigos publicados entre 2005 e 2011. Foram excluídos quatro, um por
não se relacionar com o tema e três por apresentarem pouca informação para análise, sendo
portanto, incluídos neste estudo quinze publicações. Após a leitura exploratória dos mesmos,
foi possível identificar a visão de diversos autores a respeito do papel do enfermeiro do
trabalho frente a LER/DORT.

4.1 O Enfermeiro deve ter em mente que a LER/DORT é de causa multifatorial

De acordo com os 08 artigos analisados os autores consideram que essa lesão é


causada por inúmeros fatores, conforme se verifica nas falas a seguir:

A falta de atenção às condições laborais, sobrecarga, precariedade das condições de


trabalho ocasionam lesões e danos frequentes em varias regiões do corpo17 em consequência
das restrições de microcirculação nos músculos e tendões, fadiga de origem ocupacional, dor18,
parestesia, limitação dos movimentos, incapacidade para o trabalho. Além de dificuldade para
manter membros superiores elevados19 que podem acometer tendões, sinóvias, músculos,
nervos, fácias, ligamentos, região escapular e pescoço, distúrbios orgânicos e doenças como
fibrose, câimbras musculares, exaustão, estresse, úlcera e problemas auditivos20.
7

Diante das causas e consequências para o manifestação e desenvolvimento da LER/DOR


os autores propõem as seguintes soluções: respeitar o ritmo que o corpo suporta, poupar-se
de atividades repetitivas, evitar carregar peso10, organização de mobiliários, iluminação
adequada, controle das condições de ruídos, higiene e segurança do trabalho para sua própria
proteção10.

O empregador deve planejar e desenvolver ações promotoras de melhoria10, tornar o


ambiente menos insalubre21, ergonomia e exercícios22, assistência psicológica e fisioterápica,
adaptação das condições de trabalho23 e repouso legalizado durante o turno de trabalho24.

Enfermeiro do trabalho é incumbido de assistir os trabalhadores, realizar avaliação


periódica12, estabelecer diagnósticos precisos e identificar e eliminar os fatores causais,
treinamentos para a equipe promover e zelar por sua saúde, incentivar prevenção de acidentes
e doenças relacionadas ao trabalho25, identificar, elaborar e desenvolver propostas e ações
preventivas na atenção primárias26.

Os autores citados concordam que a pré-disposição genética, distúrbios psicológicos,


falta de preparo muscular para determinadas tarefas, equipamentos, mobiliários e/ou posturas
inadequadas, trabalhos repetitivos, longas jornadas de trabalho, trabalho noturno, pressão
constante, peso, extremos de temperaturas, locais insalubres, baixa remuneração como os
principais fatores de riscos.

Conclui-se que as abordagens do enfermeiro do trabalho nas Lesões por Esforços


Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho - LER/DORT devem ser
voltadas para os inúmeros fatores relacionados à esse adoecimento.

Por outro lado é possível notar que há muito o que melhorar nessa área quando se trata
de fiscalização por parte do Coren e Cofen dentro de grandes empresas e industrias onde
passa despercebido a falta de um enfermeiro do trabalho. Pois os problemas no ambiente de
trabalho só serão identificados a partir de relatos dos próprios trabalhadores ao enfermeiro do
trabalho onde o próprio é capaz de promover ações preventivas e traçar meios que solucione
os problemas identificados assim como adaptar o trabalhador no ambiente onde são exercidas
suas funções preservando-o de riscos que venham afetar sua saúde27.

A colocação de um enfermeiro do trabalho para compor a equipe de saúde do


trabalhador é uma conquista não só para os trabalhadores como também a esses próprios
profissionais especializados que tem a responsabilidade de zelar pela saúde e bem-estar
dessas pessoas28.
8

Entende-se que o enfermeiro do trabalho possui não só a função de proporcionar ao


trabalhador condições de um ambiente de trabalho adequado e seguro, mas também a não
desregulamentação do direito do trabalho27.

5 Considerações finais

O objetivo deste estudo foi avaliação e a compreensão do papel do enfermeiro nas


abordagens das Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao
Trabalho - LER/DORT, através da revisão bibliográfica.

Após a análise dos estudos foi possível concluir que são várias as causas de risco para o
surgimento da LER/DORT e que a falta de atenção as condições no ambiente de trabalho
geram fatores que dificultam o desenvolvimento das atividades determinadas aos empregados.
Com isso os autores apresentam soluções como diminuição da insalubridade no local de
trabalho e uma assistência multiprofissional que possa apontar, sistematizar e promover a
qualidade de vida do trabalhador.

Este estudo possibilitou a compreensão das causas que levam a aparecimento da


LER/DORT e o papel que o enfermeiro do trabalho deve desempenhar frente ao trabalhador
que sofre com esse acometimento.

Percebe-se, portanto, a necessidade de um elo entre os profissionais de enfermagem e


os trabalhadores, para a identificação das causas da LER/DORT e promoção de ações que
preservem os empregados de realizar suas funções sem riscos para a saúde.

6 Referências

1. Ministério da Saúde (BR), Coordenação Técnica de Saúde dos Trabalhadores. Manual de


gestão e gerenciamento da rede nacional de atenção integral à saúde do trabalhador –
RENAST [online]. São Paulo (SP): MS; 2006 [citado 2009 nov 11]. Disponível
em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/ManualRenast07.pdf.

2. Ministerio da Saude (BR), Dor relacionada ao trabalho: Lesão por esforço repetitivo(LER)
Lesões por esforços, Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort). Saúde do
Trabalhador, Protocolos de Complexidade Diferenciada. Brasília (DF): MS; 2012. Disponível
em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dor_relacionada_trabalho_ler_dort.pdf.

3. Ministério da Previdência Social: Instrução Normativa n. 98. Brasil;2003.

4. O’NEILL, Maria José. Quanto custa e vitar custos? Disponível


em:<http://www.uol.com.br/prevler/Artigos/quantocusta.htm>. Acesso em: 1mar. 2001.
9

5. Salim, CA. Doenças do trabalho: exclusão, segregação e relações de gênero. São Paulo (SP)
Perspec. Vol.17 nº1. Jan./Mar.2003.

6. Magnago TSBS. Estresse, Aspectos Psicossociais do Trabalho e Distúrbios


Musculoesqueléticos em Trabalhadores de Enfermagem. Rev. Enferm. UERJ, Rio de Janeiro,
2009 jan/mar; 17(1):118-23.

7. Bernard EP, editor. Musculoskeletal disorders and workplace factors. Cincinnati: National
Institute for Occupational Safety and Health; 1997.

8. Cattelan, A; Severo, C; Pezzini G. Lesões por esforços repetitivos/ distúrbios


osteomusculares relacionados ao trabalho (LER/DORT): a mais nova epidemia na saúde
publica brasileira. In: Fisioweb. 2006.Disponível em:
http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/reumato/lerdortepidemia.htm
. Acesso em: 17 dez.2006.

9. Erikesen W, Bruusgaard D, Knardahl S. Work factors as predictors of intense or diasabling


lowb Black pain: a prospective study of nurses’aides. Occupational and Environmental Medicine
2004;61(5):398-404.

10. Barbosa MAS. A vida do trabalhador antes e após a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e
Doenças Osteomuscular Relacionada ao Trabalho (DORT). Res Bras Enferm, Brasília, 2007,
set-out; 60(5):491-6.

11. Ministério do Trabalho e Emprego (Br). Classificação Brasileira de Ocupação[site de


internet]. Enfermeiro do trabalho. [citado em maio 2009].Disponível em:
http://www.mte.gov.br/empregador/CBO/procuracbo/conteuddo/descricao.asp?gg=0&sg=7&g
b=1&oc=40&.

12. Castro ABS, Sousa JTC, Santos AA. Atribuições do enfermeiro do trabalho na prevenção de
riscos ocupacionais. J Health Sci Inst. 2010: 28(1):5-7.

13. Superintendência de Vigilância em Saúde Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e


Saúde do Trabalhador. Disponível em:
https://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:nQDst7IfUkIJ:www.sgc.goias.gov.br/upload/ar
quivos/2012-10/informativo-lerdort%5B1%5D.pdf+&hl=pt
mBR&gl=br&pid=bl&srcid=ADGEESj14zgaQHrsopAuUg94kjP64wjgf1MRge9bDZV2orDmX4JOVR
VtIAz0BBRjWM56nkAqPnoAT_iX91Xaa3EnK5ROqFesG3bgTUiXV5LikKijGpKzs1SxqlX17s6OXC0j
mkTG5-A4&sig=AHIEtbR5A3h-jatD-AroU3mKT-gBYx8W0w.
10

14. Silveira, Denise Tolfo. Consulta-ação: educação e reflexão nas intervenções de


enfermagem no processo trabalho-saúde-adoecimento. 154f.; il. Dissertação (Mestrado em
Assistência de Enfermagem) – Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado
Extendido, Universidade Federal de Santa Catarina/ Convênio Universidade Federal do Rio
Grande do Sul, 1997. _______ Intervenção no processo de trabalho-saúde-adoecimento
baseado no modelo de sistemas de Betty Neuman. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto
Alegre, v.21, n. 1, p.31-43, 2000.

15. Polit DF, Beck CT. Using research in evidence-based nursing practice. In: Polit DF, Beck
CT, editors. Essentials of nursing research. Methods, appraisal and utilization. Philadelphia
(USA): Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.457-94.

16. Beyea SC, Nicoll LH. Writing an integrative review. AORN J. 1998 Apr; 67(4):877-80.

17. Dalri RCMB, Robazzi MLCC, Silva LA. Riscos ocupacionais e alterações de saúde entre
trabalhadores de enfermagem brasileiros de unidades de urgência e emergência. Cienc
Enferm. 2010; 16(2): 69-81. / Leite PC, Silva A, Merighi MAB. A mulher trabalhadora de
enfermagem e os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Rev esc enferm USP
[Scielo Scientific Electronic Library Online] 2007 [citado em 14 jul 2009]. 41:287-91.
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-
62342007000200016&Ing=pt.

18. Aptel M, Cnockaert JM. Stress and work: related musculoskeletal discorders of the upper
extremities. [online] 2002 [citado em 10 dez 2007]. 19:50-6. Disponível em: http://hesa.etui-
rehs.org/uk/newletter/files/2002-19p50-56.pdf.10. Toomingas A, Theorell T, Michesen H,
Nordemar R, . Associations between self-rated and psychosocial work conditions and
musculoskeletal symptoms and signs. Scandinavian Journal of Work, Environment and Health.
1997; 23:130-9.

19. Garbim AC, Neves IR, Batista MB. Etiologia do senso comum: as lesões por esforços
repetitivos na visão dos portadores. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 1998; 1:43-55.

20. Sounis E. Manual de higiene e medicina do trabalho. São Paulo (SP): Mc Graw Hill do
Brasil; 1975. P. 213.

21. Costa MNA, Deus IA. Riscos ocupacionais em UTI: proteção específica. Rev Bras Enferm
1989 jan-dez; 42(1-4):106-9.

22. Maeno M. ET AL. LER/DORT: Diagnostico, Tratamento, Prevenção, Reabilitação e


Fisiopatologia. 2001. Série A. Normas e Manuais Técnicos, 105. Ministério da Saúde. Brasília.
11

23.Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Protocolo de Investigação,


Diagnóstico, Tratamento e Prevenção de Lesões por Esforços Repetitivos/ Distúrbios
Osteomusculares Relacioados ao Trabalho R. Brasília; 2000.

24. Pontes Z. O trabalho noturno do enfermeiro: busca de significados sobre o repouso antes,
durante e após o plantão. Rev Bras Enferm 1992 jan-mar; 45(1):80-7.

25. Ministério do trabalho e emprego (Br). Enfermeiro do trabalho incumbido de assistir os


trabalhadores, promover e zelar por sua saúde, incentivar prevenção de acidentes e doenças
relacionadas ao trabalho. Classifiação Brasileira de Ocupação [site de internet]. Enfermeiro do
trabalho. [citado em 29 maio 2009]. Disponível em:
http://www.mte.gov.br/Empregador/CBO/procuracdo/conteudo/descricao.asp?gg=0&sg=7&gb
=1&oc=40&.

26. Rorges B. O enfermeiro que identifica, elabora propostas e desenvolve ações preventivas
na atenção primárias. Enfermagem do trabalho: conceitos e práticas. Lourdes (LB):
Lusociência; 1997.

27. Campos ALA, Gutierrez PSG. Assistência Preventiva do Enfermeiro ao Trabalhador de


Enfermagem. Rev Bras enferm, 2005 jul-ago; 58 (4):458-61.

28. Silva LA, Secco IAO, Dalri RCMB, Araujo SA, Romano CC, Silveira SE. Enfermagem do
Trabalho e Ergonomia: Prevenção de Agravos a Saúde. Rev. Enferm, UERJ, Rio de Janeiro,
2011 abr/jun; 19(2):317-23.