Вы находитесь на странице: 1из 16

3.2.

Resolução de Problemas de Dinâmica de Corpos


Rígidos Usando a 2ª Lei de Newton

Objetivos desta seção:

➢ Desenvolver as equações
dinâmicas do movimento plano
para um corpo rígido simétrico;
➢ Discutir aplicações dessas equações
a corpos em translação, em rotação
em torno de um eixo fixo e em
movimento plano geral. As forças agentes neste veículo de
competição, quando ele começa a
acelerar, são extremamente intensas e
devem ser levadas em conta no projeto
de sua estrutura.

1
Equações Dinâmicas do Movimento Plano

 Fx  m(aG ) x
 Fy  m(aG ) y
 M G  JG

2
3.2.1. Corpo Rígido em Movimento de Translação
Define-se movimento de translação de um corpo rígido quando a direção de
ligação entre dois pontos quaisquer AB do muda não varia ao longo do
movimento.

Quando as trajetórias dos pontos A e B A


formarem retas eqüidistantes, o
B
movimento é denominado translação
retilínea.

Entretanto, se as trajetórias se dão ao


longo de linhas curvas que são A
eqüidistantes, o movimento é denominado
B
translação curvilínea.

3
Equações do Movimento: Translação
Quando um corpo rígido tem movimento de translação, todos os pontos do
corpo têm a mesma aceleração, de modo que aG=a.
Além disso =0, logo MG=0.

Agora, discutiremos a aplicação das equações do movimento para o


corpo com translação retilínea.

4
Translação Retilínea
y
x

Diagrama
Dinâmico

Somatório dos
Diagrama de momentos das forças
Corpo Livre resultantes em relação
a um ponto que não

 Fx  m(aG ) x
seja o centro de massa
+  M A   (Mef)A
 Fy  m(aG ) y
 MG  0  M A  (maG )d

5
Diagrama de Corpo Livre e Diagrama Dinâmico

Os diagramas de corpo livre e dinâmico são estabelecidos para que se possa


aplicar as equações do movimento

Exemplo: Encontrar os diagramas de corpo livre e diagrama dinâmico do


sistema formado por barco e reboque (desprezar a força de atrito).

6
Diagrama de Corpo Livre
b
a y

 Fx  m(aG ) x T  m(aG ) x  ma

 Fy  m(aG ) y N A  N B  W  m ( aG ) y  0

 MG  0 N A (a)  N B (b)  T (d )  0

7
As forças no diagrama de corpo livre causam o efeito mostrado
no diagrama dinâmico.
Diagrama de Corpo Livre Diagrama Dinâmico

b
a

Ao se somarem os momentos em relação ao centro de massa, G,


tem-se MG=0.
Entretanto, se os momentos forem somados em relação ao ponto
B, então MB= (Mef)B

N A (a  b)  W (b)  ma(d )

8
Forças que atuam em uma Carro com Tração Dianteira

9
Exercício 3.1
A camionete pesa 3220 lb e alcança uma velocidade de 44 ft/s partindo do
repouso após percorrer uma distância de 200 ft para cima da ladeira com
10% de inclinação, com aceleração constante. Calcule a força normal
debaixo de cada par de rodas e a força de atrito debaixo das rodas motrizes
traseiras. As rodas dianteiras são supostas rolarem livremente.

10
Exercício 3.2
Uma caixa uniforme de 50 kg apóia-se numa superfície horizontal para a qual
o coeficiente de atrito cinético é c=0,2. Determine a aceleração da caixa se
uma força de P=600N está sendo aplicada na caixa, como mostrado na
Figura (a). Também calcule o ponto de aplicação da Força Normal na caixa.

11
SOLUÇÃO
:
Diagrama de Corpo Livre:

A força P pode fazer a caixa deslizar ou


tombar.

Supõe-se que a caixa desliza, de modo que


F= cNC=0,2NC.

Além disso, a força normal resultante NC


age em O, que dista x (onde 0 < x  0,5 m)
da linha central da caixa.

As três incógnitas são NC , x e aG.

12
Exercício 3.3
A motocicleta mostrada na Figura (a) tem uma massa de 125 kg e um centro
de massa em G1. O motociclista tem uma massa de 75 kg e um centro de
massa em G2.
Determine o valor da força de atrito estático entre as rodas e o pavimento
para que o motociclista faça a moto ‘empinar’ como pode-se ver na foto.
Qual deve ser a aceleração necessária? Despreze a massa das rodas e
suponha que a roda dianteira possa rolar livremente.

13
SOLUÇÃO
: A moto e o motociclista possuem a mesma
Diagrama de Corpo Livre
aceleração e devemos supor que a roda
dianteira está na iminência de perder o
contato com o pavimento, de forma que a
reação normal NA  0. As três incógnitas do
problemas são NB, FB e aG.

Equações do Movimento:

+  Fx  m(aG ) x
+  Fy  m(aG ) y
 MG  0 Não vai ser usada

+  M B   (Mef)B
Diagrama Dinâmico
14
Solução do exercício 3.3. Resp: NB=1962 N; a=8,95 m/s2; Fat=1790 N

Exercício 3.4
A bicicleta e o ciclista da Figura abaixo, ambos com 68 kg, e centro de massa em G,
possuem uma velocidade v para esquerda. Em um determinado instante o ciclista
aplica os breques dianteiros, travando a roda dianteira A, que desliza sobre a pista
com coeficiente de atrito dinâmico µd.
Sabemos que se o atrito na roda for muito
grande, a roda traseira levanta e perde o
contato com a pista. Qual deve ser o
coeficiente de atrito dinâmico entre a roda
dianteira A e a pista para que a roda traseira
B fique no limiar de perder o contato com a
pista?
Resp: µ=0,33

15
Exercício 3.5
Que aceleração a do colar ao longo da guia horizontal provocará uma deflexão
do pêndulo em regime permanente de 15º medida a partir da vertical? A haste
esbelta de comprimento l e a partícula possuem, cada uma, massa m. O atrito
no pivô P é desprezível.

Resp: a=0,268g

16