Вы находитесь на странице: 1из 4

O JEJUM QUE AGRADA A DEUS

Para que a nossa adoração e reverência, como jejum, caridade (amor ao próximo), e até
mesmo a oração, possa subir diante do seu Trono de Glória de Deus, o Senhor Jesus, em sua
infinita benevolência, nos ensina o caminho certo. Ele recomenda a discrição, segredo quando
reverenciamos os seus mandamentos.

Portanto, se você mantém a tradição, de fazer jejum em grupo, participar de campanha de


jejum, ou habitua dizer aos outros que está jejuando, então precisamos lhe esclarecer, que
segundo as sãs palavras do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, a sua abstinência ao manjar,
está sendo inútil, desnecessária, e não está agradando a Deus nessa forma jejuar.

Jejuando conforme os escribas e fariseus, os quais o Senhor sempre os tratava por


hipócrita, não irá adquirir para si, galardão nenhum junto ao Pai, porque o jejum é semelhante à
oração e a caridade, é uma reverência pessoal e uma obra íntima entre você e Deus. Vamos
meditar na verdade de Cristo.

No Evangelho de Mateus 6.16 a 18, disse Jesus: Quando jejuardes, não vos mostrei
contristado como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça
que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Porém tu, quando jejuares,
unges a tua cabeça, lava o teu rosto, para não pareceres aos homens que jejuas, mas ao Pai, que
está em oculto, que vê em oculto, te recompensará.

O Senhor Jesus, dá o tratamento de hipócrita, falso, os que jejuam para se mostrarem aos
homens. Mas, para que sejais abençoados, faça o seu jejum a Deus, ocultamente, e "Ele" te

recompensará publicamente. Certamente, este jejum é agradável aos olhos do Senhor

Deus porque foi doutrinado pelo seu amado Filho Jesus, sendo “Ele” autor e consumador da fé
(Hebreus 12.2), e, qualquer que lhes ensinar outra forma de jejuar, estará contradizendo o
Evangelho de Cristo.

O propósito do jejum é a santificação e o fortalecimento espiritual, portanto, recomendamos


aos amados, a não usarem das coisas sagradas, com o intento de recompensa, principalmente em
se tratando de prosperidade material. Porque o Senhor conhece todas as nossas necessidades,
antes mesmo de abrirmos a boca, e dará a cada um no seu tempo e segundo a sua vontade.

No livro de Jó 41.11, disse o Senhor: Quem primeiro me deu, para que eu haja de
retribuir-lhe? Pois o que está debaixo de todos os céus é meu. Palavra confirmado na carta aos
Romanos 11.35, onde diz: Quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?
O JEJUM QUE NÃO AGRADOU A DEUS

Desde a antiguidade, o Senhor já exortava o seu povo, através dos seus Profetas, sobre o
zelo espiritual quando entramos na sua presença. Mesmo aquele jejum programado, e as
reverências oriundas da lei de Moisés, já havia uma cobrança do Senhor contra os hipócritas, os
que praticavam as ordenanças da lei, mas no seu íntimo não guardavam os mandamentos do
Senhor. Vejamos:

No Livro de Zacarias, capítulo 7, do versículo 4 ao 13, diz: "Então a palavra do Senhor dos
Exércitos veio a mim, dizendo: Fala a todo o povo desta terra, e aos sacerdotes, dizendo: Quando
jejuastes, e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi para
mim mesmo que jejuastes? Ou quando comeis e quando bebeis, não é para vós mesmos que
comeis e bebeis?
E a palavra do Senhor veio a Zacarias, dizendo: "Assim falou o Senhor dos exércitos:
Executai juízo verdadeiro, mostrai bondade e compaixão cada um para com o seu irmão. E
não oprimais a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre; e nenhum de vós intente no
seu coração o mal contra o seu irmão. Eles, porém, não quiseram escutar, e me deram o ombro
rebelde, e taparam os ouvidos, para que não ouvissem.
Sim, fizeram duro como diamante o seu coração, para não ouvirem a Lei, nem as palavras
que o Senhor dos exércitos enviara pelo seu Espírito mediante os profetas antigos; por isso veio a
grande ira do Senhor dos exércitos. Assim como eu clamei, e eles não ouviram, assim também
eles clamaram, e eu não ouvi, diz o Senhor dos exércitos.

Esta mensagem direcionada por Deus nos faz entender que de nada se aproveita

reverenciar ao Senhor Deus com jejum, estando com o coração endurecido. Porque o próprio
Deus disse "Executai juízo verdadeiro, mostrai bondade e compaixão cada um para com o
seu irmão" e não oprimas a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro e nem o pobre.

O Senhor Deus em sua infinita misericórdia, ordena amor ao próximo, não só com
palavras, mas com obras de caridade. O Senhor ainda da ênfase neste texto maravilhoso, “Ele”

disse “eu clamei, e eles não ouviram, assim também eles clamaram, e eu não

ouvi, diz o Senhor dos exércitos”.

E disse mais o Senhor. Vamos meditar: Livro do profeta Isaías 58.1,3,4 a 12: Clama em alta
voz, não te detenhas, levanta a voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão e
à casa de Jacó, os seus pecados. Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que
afligimos a nossa alma, e tu o não sabes? Eis que, no dia em que jejuais, achais o vosso próprio
contentamento e requereis todo o vosso trabalho. Eis que, para contendas e debates, jejuais e para
dardes punhadas impiamente; não jejueis como hoje, para fazer ouvir a vossa voz no alto.
Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as
ataduras do jugo, e que deixes livre os quebrantados, e que despedaces todo o jugo? Porventura,
não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres
desterrados? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne? Então,
romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante da
tua face, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda. Então, clamarás, e o SENHOR te
responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui; acontecerá isso se tirares do meio de ti o jugo, o
estender do dedo e o falar vaidade; e, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita,
então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. E o SENHOR te
guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos, e fortificará teus ossos; e serás como
um jardim regado e como um manancial cujas águas nunca faltam.

E os que de ti procederem edificarão os lugares antigamente assolados; e levantarás os


fundamentos de geração em geração, e chamar-te-ão reparador das rupturas e restaurador de
veredas para morar.

A SERIEDADE E A NECESSIDADE DO JEJUM

Evangelho de Mateus 17.14 - 21, diz: Um homem levou o seu filho lunático aos Apóstolos,
mas eles não puderam expulsar o demônio que estava no menino, sendo necessário que Jesus
mesmo expulsasse o demônio. Então perguntaram a Jesus o porquê não conseguiram expelir o
demônio do menino. Jesus lhes respondeu: Por causa da vossa pouca fé. Mas esta casta de

demônio não se expulsa senão pela oração e pelo jejum .

Evangelho de Lucas 2.25 a 38, Quando o menino Jesus foi levado ao templo para ser
apresentado a Deus, ali estava uma profetiza chamada Ana, esta era viúva de quase oitenta e
quatro anos, e não se afastava do templo servindo a Deus em jejum e orações de dia e de noite.
E sobrevindo na mesma hora, ela dava graças a Deus, e falava dele a todos os que esperavam a
redenção em Jerusalém.

Observem quão grande a recompensa daquela profetisa, pela sua obediência, pelo seu
temor, por sua fidelidade a Deus, a qual não saía do templo, servindo a Deus com jejum e oração.
A palavra diz que ela estava ali, e viu a luz que veio para alumiar as nações, para a glória do
povo de Israel.

Quando meditamos no livro dos Atos dos Apóstolos, e Epístolas, encontramos também
várias referências (Atos 13:2, 3; 14,23; II Coríntios 6:5; 11-27) onde os Apóstolos e discípulos de

Cristo, buscavam a santificação, reverenciando e adorando ao Senhor com jejum e oração. É


mandamento do Senhor para buscarmos a santificação e nos aproximarmos do seu Reino.
O próprio Jesus Cristo, Filho do Deus Altíssimo, jejuava (Mateus 4.2), deixando em si
mesmo o exemplo para que nós o imitássemos em sua perfeição.