Вы находитесь на странице: 1из 3

1º Ano do Ensino Médio – 2015

Prova 01 Professor Obs.: Data Bimestre Nota


Filosofia Robson Victor / / 1ºbim
Nome Número Turma

INSTRUÇÕES  É proibido o uso de corretivo liquido;


 Coloque nome, número e turma; caso não preencha perderá 0.5  A interpretação das questões é parte do processo de avaliação, não
ponto; sendo permitidas perguntas aos aplicadores de prova;
 A duração da avaliação é de 45 minutos;  Os critérios de avaliação das questões discursivas serão os seguintes:
 Leia todas as questões antes de respondê-las e inicie pelas que objetividade ao tema, clareza, coesão, domínio da língua e pertinência a
considerar mais fáceis; questão;
 O valor da prova é 10.0; questões de múltipla escolha: 2.0 p;  Todas as respostas devem ser feitas à caneta preta ou azul.

CIENCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS

01 - A felicidade é, portanto, a melhor, a mais nobre e a mais aprazível coisa do mundo, e esses atributos não devem estar
separados como na inscrição existente em Delfos “das coisas, a mais nobre é a mais justa, e a melhor é a saúde; porém a mais doce
é ter o que amamos”. Todos estes atributos estão presentes nas mais excelentes atividades, e entre essas a melhor, nós a
identificamos como felicidade.
ARISTÓTELES. A Política. São Paulo: Cia. das Letras, 2010.
Ao reconhecer na felicidade a reunião dos mais excelentes atributos, Aristóteles a identifica como:
a) busca por bens materiais e títulos de nobreza.
b) plenitude espiritual e ascese pessoal.
c) finalidade das ações e condutas humanas.
d) conhecimento de verdades imutáveis e perfeitas.
e) expressão do sucesso individual e reconhecimento público.

02 - O que é ser feliz?

Um homem muito rico resolveu viajar e então pegou seu iate e saiu pelo mundo. Certo dia chegou a uma ilha maravilhosa, cheia de
riachos, de água cristalina e cachoeiras. Tinha também muitos tipos de árvores frutíferas e muito peixe. O homem rico começou a
andar pela ilha e encontrou um caboclo deitado numa rede, olhando para aquele mar muito azul.
Chegou bem perto do caboclo e puxou conversa:
- Muito bonito tudo por aqui...
- É... Disse o caboclo, sem tirar os olhos daquele mar.
- Tem muito peixe nesse mar?
- É só jogar a rede e pega quantos quiser.
- Por que você não pesca bastante?
- Para que?
- Ora, você pega um montão de peixes e vende.
- Para que?
- Com o dinheiro destes peixes, você compra uma canoa maior, vai mais no fundo e pega mais peixe ainda.
- Para que?
- Com o dinheiro você compra mais um barco, pega mais peixe e ganha mais dinheiro.
- Para que?
- Você vai juntando, cada vez mais dinheiro, compra cada vez mais barcos, até chegar um dia em que você terá uma indústria de
pesca.
- Para que?
- Ora, meu homem, você então será um homem poderoso, um homem rico, terá tudo que quiser, tudo o que sonhar, poderá comprar
um iate como o meu, poderá comprar uma ilha como esta e então ficar o resto da vida descansando, sem preocupações...
- Ao que o caboclo serenamente respondeu:
E o que é que eu estou fazendo agora?
Fazendo uma leitura compreensiva do texto, infere-se que:
a) a felicidade para o caboclo está baseado na riqueza e no acúmulo de bens.
b) o caboclo por ser analfabeto, não entende o que o homem rico está propondo para ele realmente ser feliz e, repetidamente,
pergunta “Para que?... Para que?...”.
c) para o homem muito rico a felicidade está intimamente ligada a valores externos, posses e só será possível mediante muito
esforço e trabalho.
d) ao final do texto o homem rico compreende que o caboclo já estava feliz e realizado por ser o dono daquela ilha.
e) tanto o homem rico como o caboclo concordam no conceito de felicidade, tanto é que vão parar no mesmo lugar.

03 - Marcuse e Foucault, por caminhos diferentes, desvendam o controle sobre o corpo e sobre a sexualidade, ainda quando esta
aparece como “normal” ou “liberada”. Sobre a relevância do tema que ambos problematizam, julgue os itens seguintes com atenção.
a) Para Marcuse as exigências da nova ordem industrial capitalista provocam uma super-repressão, intimamente ligada ao
princípio de desempenho. Essa característica afeta drasticamente o convívio familiar que por sua vez influi sadiamente na
busca da felicidade neste período.
b) Ainda para Marcuse, a racionalidade do mundo ocidental é uma racionalidade técnica. Essa razão abandonou os ideais
iluministas de liberdade, igualdade e fraternidade, ela não tem mais a preocupação com a felicidade humana, mas sim com o
capital.
c) Marcuse, busca recuperar a antiga essência da razão humana. A razão tem como objetivo aliviar as tensões do organismo
através do prazer.
d) Michel Foucault elabora a teoria da microfísica do poder onde demonstra que a debilitação do corpo se dá pela falta de
exercícios físicos no cotidiano.
e) Para Foucault, portanto, a felicidade depende do poder que o estado exerce sobre cada indivíduo.

04 - Em grego, significa altruísmo, generosidade. A dedicação ao outro vem sempre antes do próprio interesse. Quem pratica esse
estilo de amor entrega-se totalmente à relação e não se importa em abrir mão de certas vontades para a satisfação do ser amado.
Investe constantemente no relacionamento, mesmo sem ser correspondido. Sente-se bem quando o outro demonstra alegria. No limite,
é capaz até mesmo de renunciar ao parceiro se acreditar que ele pode ser mais feliz com outra pessoa. É visto por muitos, como uma
forma incondicional de amar. Esse tipo de amor é o amor:
a) Eros
b) Filia
c) Platônico
d) Ágape
e) Passageiro

05 – “Quais são as consequências do afrouxamento das regras de comportamento que passaram a permitir modos plurais de conduta?”
Nesse sentido o filosofo Gilles Lipovetsky analisa as mudanças do nosso tempo, por ele consideradas inevitáveis(forçosas). A partir
dos seus conhecimentos da leitura do capitulo que trata da busca da felicidade e da valorização do individualismo e narcisismo
interprete a charge acima .
Sucesso.