Вы находитесь на странице: 1из 4

hierarquia e disciplina dentro

das Forças Armadas e forças


auxiliares.

Há dezenas de cargos diferentes nas três instituições que cuidam da defesa do


país - o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. Como a estrutura das Forças Armadas
é complexa, explicar a hierarquia do Exército, é bom saber que existem 19 cargos
diferentes no Exército brasileiro. A base da pirâmide são os soldados. Depois, pela
ordem, vêm os cabos, sargentos, tenentes, capitães, majores, tenentes-coronéis,
coronéis e os generais. Essas patentes também possuem subdivisões - os
sargentos, por exemplo, são classificados em primeiro, segundo e terceiro-
sargento. Na carreira militar, as promoções são distribuídas de acordo com o
tempo de carreira e o merecimento de cada um, tudo analisado em avaliações de
desempenho. Em tempos de paz, o posto mais alto é o do general-de-exército,
que chefia as tropas de todo o país. Em caso de guerra, cria-se um cargo especial,
o marechal, que lidera o Exército na hora do conflito e responde diretamente ao
presidente da República por suas ações. Historicamente, essa estrutura começou a
ser desenhada no começo do século 20, sob a influência de duas forças armadas
diferentes: a francesa, logo depois da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), e a
americana, na década de 1940. Nessa estrutura rígida, há espaço para as
mulheres? Sim, mas elas ficam de fora da hierarquia. No Brasil, as mulheres só
podem integrar as Forças Armadas em funções de apoio - por exemplo, como
médicas e dentistas.

Ordem no quartel Estrutura do exécito brasileiro conta com


19 cargos diferentes
Começando na carreira
Também chamado de "manga-lisa" por não ter nenhuma insígnia no uniforme, o
soldado ocupa o posto mais baixo na hierarquia militar. Ao subir na carreira, ele
obtém sua primeira graduação, tornando-se cabo

Pau para toda obra


O taifeiro é o soldado que ajuda na cozinha, no refeitório e no almoxarifado. Há
três graduações: taifeiro segunda-classe (mais baixa), taifeiro primeira-classe e
taifeiro-mor (mais alta). O posto seguinte na carreira também é cabo

Seção
Grupo de 6 a 12 soldados

Pelotão
Grupo de 16 a 36 soldados

As armas
São as subdivisões básicas da tropa do Exército. As que atuam diretamente em
combates são a cavalaria, a infantaria e a artilharia

Cavalaria
O nome remete aos cavalos, usados pelas tropas até o século 19. Hoje, a cavalaria
é composta por tanques e carros blindados com grande potência de fogo

Infantaria
É a arma composta pelos soldados que combatem a pé, usando de simples fuzis a
mísseis de última geração

Artilharia
É a área responsável pela operação de canhões, obuses (uma espécie de morteiro
de guerra), foguetes e mísseis

Esquadrão
Grupo de 3 pelotões (48 a 108 soldados)

Companhia
Grupo de 3 pelotões (48 a 108 soldados)

Bateria
Grupo de 3 pelotões (48 a 108 soldados)

Regimento
Grupo de 3 esquadrões (144 a 324 soldados). Ocupa um quartel

Batalhão
Grupo de 3 ou mais companhias (144 a 324 soldados). Ocupa um quartel
Grupo de Artilharia
Grupo de 3 baterias (144 a 324 soldados). Ocupa um quartel

Bridaga
Grupo que reúne regimentos, batalhões e grupos de artilharia (cerca de 3 mil
soldados)

Divisão
Grupo de 2 a 5 brigadas (cerca de 10 mil soldados)

Região Militar
Grupo de uma ou mais divisões

É o centro de controle que coordena a proteção das fronteiras do território, a


mobilização das tropas, o transporte de suprimentos e toda a administração dos
quartéis. Há 12 regiões militares no Brasil — a maioria ocupa mais de um estado

Comando Militar
Grupo de uma ou mais regiões militares

É o centro de onde se supervisionam as missões da tropa. Nas suas atribuições


estão o planejamento das ações do Exército e o preparo dos soldados de sua área.
No Brasil, há sete comandos militares

Exército brasileiro
Conjunto dos 7 comandos operacionais — ou seja, todas as tropas do país

Hierarquia Quem comanda as subdivisões


• Soldado

• Taifeiro

• Cabo (nenhum dos três exerce função de comando)

• Terceiro-sargento

• Segundo-sargento

• Primeiro-sargento (cuida de tarefas administrativas)

• Subtenente
• Aspirante

• Segundo-tenente

• Primeiro-tenente

• Capitão

• Major (comanda companhias, esquadrões e baterias de elite, subordinadas


diretamente ao comando militar)

• Tenente-coronel

• Coronel

• General-de-brigada

• General-de-divisão

• General-de-divisão

• General-de-exército

• General-de-exército escolhido pelo Presidente da República

Fora da hierarquia
O Ministro da Defesa é uma espécie de diretor-administrativo das Forças Armadas.
Como se trata de um cargo político, ele não precisa ser militar. Suas funções são
integrar Exército, Marinha e Aeronáutica, planejar o orçamento militar e coordenar
a participação em operações de paz