You are on page 1of 8

O Capacitor

Componente eletrônico constituído de duas placas condutoras, separadas por um


material isolante. É um componente que, embora não conduza corrente elétrica entre seus
terminais, é capaz de armazenar energia elétrica, sendo esta sua principal característica.
É constituído por 2 placas condutoras denominadas Armaduras, que são separadas por
um material isolante chamado Dielétrico. Ligados à estas placas condutoras (as armaduras)
estão os terminais para conexão do capacitor com outros componentes de um circuito elétrico.

A Capacitância (C) é a capacidade de acumulação de cargas elétricas no capacitor,


quando aplicamos em seus terminais determinada tensão. Sua capacitância é determinada
pelas dimensões das placas e pela distância de uma em relação à outra, ou seja, é diretamente
proporcional à área das armaduras e inversamente proporcional à espessura do Dielétrico.
Unidades de Medida da capacitância: Farad (F), Microfarad (µF), Nanofarad (ηF) e
Picofarad (ρF). A quantidade de cargas (Q, em Coulomb) que um capacitor pode armazenar
depende da tensão (V, em Volts) e de sua capacitância (C, em Farad) entre seus terminais:

Q=V.C

Quando uma Tensão Contínua é aplicada às placas do capacitor, através dele não se
verifica nenhuma passagem de corrente, devido à presença do dielétrico. Por outro lado, ocorre
uma acumulação de carga elétrica nas placas de tal forma que, a placa ligada ao pólo negativo
do gerador acumula elétrons enquanto que a placa ligada ao pólo positivo do gerador fica com
falta elétrons. Este fenômeno é chamado de Polarização do Dielétrico.
Quando a tensão aplicada é interrompida, a carga acumulada mantém-se devido ao
campo elétrico que se forma entre as placas. Se as placas forem curto-circuitadas, encostando-
se os dois terminais de ligação, uma rápida passagem de corrente é produzida e o capacitor se
descarrega, retornando à condição inicial.
Quando uma corrente contínua é aplicada a um capacitor, a tensão leva certo tempo
para atingir o valor máximo. Portanto, no capacitor, a corrente está adiantada em relação à
tensão. O tempo necessário para que o capacitor se carregue totalmente depende das
resistências do circuito.
Para um circuito RC em série, quanto maior o valor do resistor e do capacitor, mais
tempo leva para que o capacitor carregue-se totalmente. A medida da velocidade de
crescimento da tensão no capacitor é dada pela constante de tempo (τ) do circuito.

–t/τ
VC = Vcc . (1 – e ) τ=R.C
Onde:
VC – Tensão do Capacitor
e – n° de Euller ou base do logaritmo neperiano (e = 2,72)
t – tempo decorrido após o fechamento da chave.

Gráfico Vc x t Gráfico i x t

Com um intervalo de tempo igual a R.C, o capacitor terá o valor de 63,2% da tensão da
fonte. Com 3.R.C, o capacitor estará com aproximadamente 95% de carga e com 5.R.C, estará
com 99,3%, quando consideramos como carga total para efeitos práticos. A tabela abaixo
mostra alguns pontos notáveis na curva de carga do capacitor.

–t/τ
Constante de tempo 1–e (tensão no capacitor)
RC 63,2 % Vcc
2RC 86,5 % Vcc
3RC 95,0 % Vcc
4RC 98,2 % Vcc
5RC 99,3 % Vcc

E assim, acontece da mesma forma quando submetemos um capacitor a uma


descarga através de um circuito RC, como mostra a figura abaixo:

Supondo que o capacitor esteja completamente carregado, ao fecharmos a chave S1,


ele iniciará sua descarga através do resistor R, e a tensão no capacitor poderá ser calculada
com a seguinte equação:

–t/τ
VC = Vatual. (e )

Onde:
V atual – tensão que está acumulada no capacitor no instante do fechamento da chave.
VC – Tensão do Capacitor
e – n° de Euller ou base do logaritmo neperiano (e = 2,72)
t – tempo decorrido após o fechamento da chave.
Reatância Capacitiva
Quando uma Tensão Alternada é aplicada a um capacitor, seu comportamento é a
conseqüência direta do que ele manifesta no caso de uma Tensão Contínua.
O Dielétrico é submetido a solicitações alternadas, pois variam de sinal rapidamente e
sua polarização muda com o mesmo ritmo. Se a freqüência aumenta, o Dielétrico não pode
seguir as mudanças com a mesma velocidade com que ocorrem, e assim, a polarização
diminui, o que acarreta uma redução da capacitância. Portanto, devido ao fato de que a
capacitância tende a diminuir com o aumento da freqüência, os capacitores Styroflex e
cerâmicos são os únicos que podem ser empregados em alta freqüência (Amplificadores e
Osciladores). Com as Tensões Alternadas, produzindo o fenômeno de sucessivas cargas e
descargas, verifica-se uma circulação de corrente, embora esta não flua diretamente pelo
Dielétrico.
Assim, chega-se a uma das principais aplicações dos capacitores: a de separar a
Corrente Alternada da Corrente Contínua, quando estas se apresentam simultaneamente.Em
geral: o capacitor comporta-se como um circuito aberto em corrente contínua e como uma
resistência elétrica em corrente alternada.

A reatância capacitiva (Xc) é calculada por:

Xc = 1
2 . π .f .C
Onde:
F – Freqüência (Hz)
C – Capacitância (F)
Xc – Reatância Capacitiva (Ω)

A Tensão e a Corrente num circuito contendo Reatância Capacitiva é determinada por:

Vc = Xc . Ic

Tipos de Capacitores
O que determina o tipo do capacitor é o seu Dielétrico. Pode ser do tipo:
- Axial (1 terminal em cada extremidade).
- Radial (2 terminais na mesma extremidade).

Tipo Dielétrico Armadura Fixa de Valor Faixa de Tensão


Papel Papel Parafinado Folhas de Alumínio 1ηF – 10µF 150 – 1000V
Mica Folhas de Mica Folhas de Alumínio 1ρF – 22ηF 200 – 5000V
Styroflex Tiras de Poliestireno Folhas de Alumínio 4.7ρF – 22ηF 25 – 630V
Folha de Poliéster Folhas de Poliéster Folhas de Alumínio 1ηF – 1µF 100 – 1000V
Poliéster Metalizado Folhas de Poliéster Alumínio Depositado 10ηF – 2.2µF 63 – 1000V
Policarbonato Metalizado Folhas de Policarbonato Alumínio Depositado 10ηF – 2.2µF 63 – 1000V
Cerâmico Tipo I Disco Cerâmico Prata Depositada 0.5ρF – 330ρF 63 – 500V
Cerâmico Tipo II Disco de Titanato de Bário Prata Depositada 100ρF – 470ρF 15 – 1000V
Eletrolíticos de Alumínio Óxido de Alumínio Folhas de Alumínio 0.47ρF – 220000µF 4 – 500V
Eletrolíticos de Tântalo Óxido de Tântalo Tântalo Metalizado 2.2µF – 220µF 3 – 100V
Disposição das placas:

Associações de Capacitores

Associação em Série
A Capacitância Total diminui, pois há um aumento efetivo da distância entre as placas.
Para calcular a Capacitância Total em Paralelo:

1= 1+ 1+ 1 CT = C1 . C2
CT C1 C2 Cn C1 + C2
(para 2 capacitores)

Associação em Paralelo
A Capacitância Total aumenta, pois aumenta a área de placas que recebem cargas.
Para calcular a Capacitância Total em Série:

CT = C1 + C2 + Cn

Tensão de Trabalho
Há um limite para a tensão que pode ser aplicada a um capacitor qualquer. Se for
aplicada uma tensão alta, haverá uma corrente que forçará uma passagem através do
Dielétrico. O capacitor entra em curto-circuito e é descarregado. A tensão máxima a ser
aplicada a um capacitor é chamada de Tensão de Trabalho e não deve ser ultrapassada.

Capacitores eletrolíticos
Consiste em uma folha de alumínio como armadura positiva, onde por um processo
eletrolítico, forma-se uma camada de óxido de alumínio que serve como dielétrico, e um fluído
condutor, o eletrólito que impregnado em um papel poroso, é colocado em contato com uma
outra folha de alumínio de maneira a formar uma armadura negativa. O conjunto é bobinado,
sendo a primeira folha de alumínio ligada ao terminal positivo e a outra ligada a uma caneca
tubular, encapsulado todo o conjunto, e ao terminal negativo.
Os capacitores eletrolíticos, por apresentarem o dielétrico como uma fina camada de
óxido de alumínio e em uma das armaduras um fluido, constituem uma série de altos valores
de capacitância, mas com valores limitados de tensão de isolação e terminais polarizados.
Leitura de capacitores

Os capacitores eletrolíticos apresentam seu valor nominal e polaridade inscrita no


próprio componente. Alguns outros capacitores apresentam uma codificação é um tanto
estranha mesmo para os técnicos experientes, (e ainda mais difícil de compreender para o
técnico novato.) Observemos o exemplo abaixo:

-12
O valor do capacitor,"B", é de 3300 pF (picofarad = 10 F) ou 3,3 nF
-9 -6
(nanofarad = 10 F) ou 0,0033 µF (microfarad = 10 F). No capacitor "A", devemos acrescentar
mais 4 zeros após os dois primeiros algarismos. O valor do capacitor, que se lê 104, é de
100000 pF ou 100 nF ou 0,1µF.

Capacitores usando letras em seus valores

O desenho acima, mostra capacitores que tem os seus valores impressos em


-9
nanofarad (nF) = 10 F. Quando aparece no capacitor uma letra "n" minúscula, como um dos
tipos apresentados ao lado por exemplo: 3n3, significa que este capacitor é de 3,3nF. No
exemplo, o "n" minúsculo é colocado ao meio dos números, apenas para economizar uma
vírgula e evitar erro de interpretação de seu valor.

-12
Para transformar em picofarad, pegamos 0,000.000.003.3F e dividimos por 10 ,
resultando 3300pF. Alguns fabricantes fazem capacitores com formatos e valores impressos
como os apresentados abaixo. O nosso exemplo, de 3300pF, é o primeiro da fila.

Note nos capacitores seguintes, o aparecimento de uma letra maiúscula ao lado dos
números. Esta letra refere-se a tolerância do capacitor, ou seja, o quanto que o capacitor
pode variar de seu valor em uma temperatura padrão de 25°C. A letra "J" significa que este
capacitor pode variar até ±5% de seu valor, a letra "K" = ±10% ou "M" = ±20%. Segue na
tabela abaixo, os códigos de tolerâncias de capacitância.
Até 10pF Código Acima de 10pF
±0,1pF B
±0,25pF C
±0,5pF D
±1,0pF F ±1%
G ±2%
H ±3%
J ±5%
K ±10%
M ±20%
S -50% -20%
+80% -20%
Z
ou +100% -20%
P +100% -0%

Agora, um pouco sobre coeficiente de temperatura "TC", que define a variação da


capacitância dentro de uma determinada faixa de temperatura. O "TC" é normalmente
expresso em % ou ppm/°C ( partes por milhão / °C ). É usado uma seqüência de letras ou
letras e números para representar os coeficientes. Observe o desenho abaixo.

Os capacitores acima são de coeficiente de temperatura linear e definido, com alta


estabilidade de capacitância e perdas mínimas, sendo recomendados para aplicação em
circuitos ressonantes, filtros, compensação de temperatura e acoplamento e filtragem em
circuitos de RF. Na tabela abaixo estão mais alguns coeficientes de temperatura e as
tolerâncias que são muito utilizadas por diversos fabricantes de capacitores.

Código Coeficiente de temperatura


NPO -0± 30ppm/°C
N075 -75± 30ppm/°C
N150 -150± 30ppm/°C
N220 -220± 60ppm/°C
N330 -330± 60ppm/°C
N470 -470± 60ppm/°C
N750 -750± 120ppm/°C
N1500 -1500± 250ppm/°C
N2200 -2200± 500ppm/°C
N3300 -3300± 500ppm/°C
N4700 -4700± 1000ppm/°C
N5250 -5250± 1000ppm/°C
P100 +100± 30ppm/°C
Outra forma de representar coeficientes de temperatura é mostrada abaixo. É usada
em capacitores que se caracterizam pela alta capacitância por unidade de volume
(dimensões reduzidas) devido à alta constante dielétrica sendo recomendados para
aplicação em desacoplamentos, acoplamentos e supressão de interferências em baixas
tensões.

Os coeficientes são também representados exibindo seqüências de letras e números,


como por exemplo: X7R, Y5F e Z5U. Para um capacitor Z5U, a faixa de operação é de
+10°C que significa "Temperatura Mínima", seguido de +85°C que significa "Temperatura
Máxima" e uma variação "Máxima de capacitância", dentro desses limites de temperatura,
que não ultrapassa -56%, +22%. Veja as três tabelas abaixo para compreender este exemplo
e entender outros coeficientes.

Temperatura Temperatura Variação Máxima


Mínima Máxima de Capacitância
A ±1.0%
B ±1.5%
C ±2.2%
D ±3.3%
2 +45°C
E ±4.7%
X -55°C 4 +65°C
F ±7.5%
Y -30°C 5 +85°C
P ±10%
Z +10°C 6 +105°C
R ±15%
7 +125°C
S ±22%
T -33%, +22%
U -56%, +22%
V -82%, +22%

Capacitores de Cerâmica Multicamada


Capacitores de Poliéster Metalizado usando código de cores

A tabela a seguir, mostra como interpretar o código de cores dos capacitores abaixo.
No capacitor "A", as 3 primeiras cores são: laranja, laranja e laranja, correspondem a 33000,
equivalendo a 33 nF. A cor branca, logo adiante, é referente a ±10% de tolerância. E o
vermelho, representa a tensão nominal, que é de 250 volts.

1ª - algarismo 2ª - algarismo 3ª - n° de zeros 4ª - tolerância 5ª - tensão


PRETO 0 0 - ± 20% -
MARROM 1 1 0 - -
VERMELHO 2 2 00 - 250V
LARANJA 3 3 000 - -
AMARELO 4 4 0000 - 400V
VERDE 5 5 00000 - -
AZUL 6 6 - - 630V
VIOLETA 7 7 - - -
CINZA 8 8 - - -
BRANCO 9 9 - ± 10% -