You are on page 1of 2

AVALIAÇÃO MÚSICA BRASILEIRA 1

Acadêmico: Everton Dias do Nascimento

1.

O Império do Brasil ocorreu durante os anos de 1822 e 1889, nesse período


além de Carlos Gomes podemos citar Henrique Alves de Mesquita como
importante figura para a música erudita brasileira nessa época.

Henrique Alves de Mesquita nasceu no Rio de Janeiro em 1830. Como um


estudante premiado prosseguiu para a França em 1857 para continuar com seus
estudos, nesse país estudou Harmonia e apresentou sua primeira ópera entitulada
Une nuit au chateau. A importância desse compositor reside por este ser
considerado aquele que estabeleceu o tango brasileiro com a compoição Olhos
Matadores em 1971. Como compositor fez sucesso ainda com modinhas,
canções, lundus e obras para piano.

Durante os primeiros anos da República do Brasil em 1889 um dos maiores


expontes da música brasileira foi Leopoldo Miguéz. Durante o início desse novo
momento da histótria do Brasil Leopoldo Miguéz ganhou notoriedade ao vencer o
concurso da escolha do novo hino nacional brasileiro, o Hino À Proclamação da
República. A obra de Miguéz é em grande parte de caráter orquestral possuindo
também peças para música de câmara. São notórios seus poemas sinfônicos,
sonatas para violino e piano e vasto trabalho para piano solo.

2.

O início do tango brasileiro como gênero musical é atribuído a Henrique


Alves de Mesquita (1830-1906) com a primeira composição referida por “tango”
chamada Olhos matadores (1871), publicada no Brasil. Ainda na década de 1870,
Chiquinha Gonzaga inaugurou seu primeiro trabalho no gênero publicando pela
editora Viuva Canongia o tango entitulado Sedutor (1877). A forte atuação de
Chiquinha Gonzaga em teatros musicados durante as décadas seguinte garantiu
outras composições do gênero como por exemplo Gaucho, e também O
Corta-Jaca (1895). O Tango Brasileiro de Alexandre Levy surgiu em 1890 e
apenas em 1893 foi composto Rayon D’Or, o primeiro dos 92 tangos de Ernesto
Nazareth que mais tarde ficaria conhecido como o “rei dos tangos”.
A terminologia "choro" em meados do século XIX era mais comumente
relacionada a formações musicais e a forma de se tocar do que propriamente um
gênero musical específico, ainda hoje hipóteses divergem sobre a origem desse
nome. Aos tangos em muitas composições também foram incorporados rítmos
como o da polca, o lundo, o maxixe, a havanera e o choro. O tango e o choro
possuem possuem relações rítmicas, é fato que o tango brasileiro é um gênero
que possui influências plurais criando no passado raízes que são compatilhadas
pelo o que se tornaria o choro carioca.

Referências

Os Tangos Urbanos no Rio de Janeiro:1870-1920. Uma Análise


Histórica e Musical. Paulo Roberto Peloso Augusto - Revista Música, São Paulo,
v.8. 1997.

O Tango Brasileiro (1897-1915), de Meneleu Campos:


redirecionamento estético e flexibilidade frente aos desafios profissionais.
Mário Alexandre Dantas Barbosa. ANAIS DO IV SIMPOM 2016 - SIMPÓSIO
BRASILEIRO DE PÓS-GRADUANDOS EM MÚSICA

Associação Brasileira de Música <http://www.abmusica.org.br>