Вы находитесь на странице: 1из 34

1º CONGRESSO INTERNACIONAL DE

DIREITO MINERÁRIO

FECHAMENTO DE MINA E SUPERVISIONAMENTO


DE MINAS ÓRFÃS
FECHAMENTO DE MINA
DESATIVAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS
MINERÁRIOS
Especificidades da Mineração

Os recursos minerais que constituem as jazidas, reservas minerais (técnica,


econômica e ambiental) possuem especificidades distintas:

♦Rigidez locacional;

♦Produção de atividade extrativa;

♦Longo tempo de maturação de um projeto;

♦Exauribilidade previsível e não renovável;

♦Singularidade; e

♦Reversibilidade dos impactos ambientais.


Licenciamento Ambiental de Empreendimentos Minerários

– preservação da qualidade ambiental e o desenvolvimento


sustentável

Licença Ambiental: Ato Administrativo pelo qual o órgão ambiental integrante


do SISNAMA (condições, restrições e medidas de controle ambiental
EIA/RIMA ...impacto significativo (!) Resolução CONAMA 1/86)
(Sistema Nacional do Meio Ambiente - Licenciamento Ambiental Federal,
Estadual, Municipal - Lei 6.938/81 (arts. 6º c/c 10) e Resolução CONAMA
237/97 que distribuiu as competências - segundo âmbito nacional, regional,
estadual e local). CONAMA 9 e 10/90 (RCA/PCA). SMA 42/94 (RAP).

 Análise jurídica do ciclo de vida do empreendimento (LP/LI/LO/”LD”);


Renovação das Licenças de Operação (Lei 9.477/96, Decreto 47.397/02);
Plano de Desativação (Suspensão e Encerramento de Empreendimentos
(Decreto Estadual 47.400/02).
Sistema de Informações de Recuperação de Áreas Mineradas – SIRAM
(Resolução SMA 28/10).
Plano Ambiental de Fechamento de Minas - PAFEM (Deliberação Normativa
COPAM 237/08). Estabelece diretrizes e procedimentos para avaliação ambiental da
fase de fechamento de mina.
Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental – RADA.
1. INTRODUÇÃO

Prevenção de passivos ambientais

“A Política Nacional do Meio Ambiente tem por objetivo a


preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental
propícia à vida, visando assegurar, no País, condições ao
desenvolvimento sócio-econômico, aos interesses da segurança
nacional e à proteção da dignidade da vida humana (...)”.
(artigo 2° da Lei Federal n. 6.938/81).
 
A Política Nacional de Meio Ambiente tem como objetivo
zelar pelos recursos naturais, de forma a não restringir o
crescimento sócio-econômico, protegendo a dignidade
humana.
INSTRUMENTOS PREVENTIVOS DE CONTROLE:

 AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS


(art.9°, inc. III Lei 6.938/81);

 LICENCIAMENTO AMBIENTAL e a Revisão de Atividades


efetiva ou potencialmente poluidoras
(art.9°, inc. IV Lei 6.938/81);
2. PRINCÍPIOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
AMBIENTAL E MINERAL

. Princípio da Precaução : art. 225, § 1° incs. IV e V da


Constituição Federal;
. Princípio da Prevenção : Lei n. 6.938/81, art. 2°, IX,
art. 170, inc. VI da CF e art. 47, incs. X, XI e XII do
Decreto-lei n. 227, de 28.02.1967 - Código de Mineração;
. Princípio da Recuperação e/ou Reabilitação da Área
Degradada : Lei n. 6.938/81, art. 2°, VIII e art. 225 § 2º da
Constituição Federal, art. 19 da Lei n. 7.805/89 e parágrafo
único do art. 55 da Lei n. 9.605/98.
PRINCÍPIOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
AMBIENTAL E MINERAL

. Princípio da Função Social da Propriedade Mineira


(aproveitamento racional e social do bem mineral)
(CF, art. 5º, XXII e XXIII e art. 170, inc. III).
. Princípio do Desenvolvimento Sustentável: Lei n.
6.938/81, art. 2º, “caput” e art. 4º, inc. I e CF, caput art. 225
“Uso racional e eficiente dos recursos minerais”
(art. 3º, incs. IV,V e VII da Lei n. 8.876/94).
PRINCÍPIOS DO DIREITO MINERÁRIO
٠ Supremacia do Interesse Público sobre o Privado (art. 176, caput
da CF e art. 47 do Código de Mineração).
٠Função Social da Propriedade Mineira (CF, art. 5º, XXII e XXIII, art.
170, incs. III e VI; e art. 225, § 1º, inc. V e art. 47 e incs. do CM).
(aproveitamento racional e social do bem mineral).
٠ Recuperação/Reabilitação da Área Degradada (Lei 6.938/81 art. 2°,
VIII e art. 225, § 2° da CF, art. 19 da Lei 7.805/89 e § único do art. 55
da Lei 9.605/98).
٠ Princípio da destinação do bem mineral ao uso geral (art. 170, inc.
VI e 225, § 1º, inc. V da CF e art. 47 do Código de Mineração.
٠ Princípio do resultado global (art. 3º, incs. IV, V e VII da Lei 8.876)
(aproveitamento racional e eficiente dos recursos minerais)
٠ Princípio do conteúdo ético (art. 47, inc. VII e art. 48 do Decreto-lei
n. 227, de 28.02.1967 – Código de Mineração).
• CF/88, art. 170: “A ordem econômica fundada na
valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem
por fim assegurar a todos, existência digna, conforme os
ditames da justiça social, observados os seguintes
princípios: VI – defesa do meio ambiente, inclusive
mediante tratamento diferenciado conforme o impacto
ambiental dos produtos e serviços e de seus
processos de elaboração e prestação.”

• CF/88, art. 225: “Todos têm direito ao meio ambiente


ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo
e essencial a sadia qualidade de vida, impondo-se ao
Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e
preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”
3. OBJETIVOS:
٠Proporcionar uma nova utilização auto-sustentável à área,
após o encerramento das atividades de mineração,
minimizando os impactos ambientais e socioeconômicos,
garantindo a segurança e proporcionando um ambiente que
não ofereça riscos à saúde da população local.
٠ Proteção dos Recursos Naturais
(ar, águas - superficiais e subterrâneas- terra:solo e
subsolo,fauna e flora)
٠ Eficácia Legal e Social: análise jurídica da desativação
como uma fase do Licenciamento Ambiental e Minerário,
desde a pesquisa de lavra até a exaustão da jazida e sua pós-
desativação.
٠Compatibilização das políticas públicas, com vistas à
prevenção de passivos e a proteção dos recursos naturais não
renováveis.
Aspectos legais do Fechamento de Empreendimentos
de Mineração e seu Uso Futuro
4. ANÁLISE JURÍDICA DO CICLO DE
VIDA DO EMPREENDIMENTO
MINERÁRIO

-Pesquisa Lavra/beneficiamento Fechamento Outros usos


------------------→-----------------------------------→-----------------------→----------------------→
-LP/LI LO Renovação LO Licença Desativação Pós-Desativação
-Recuperação Reabilitação/Fechamento de frente de lavras Plano de Desativação
٠ Procedimento: levantamento por meio da renovação
da licença ambiental como índice de atualização tecnológica
do controle da fonte de poluição, pela continuidade da
atividade, suspensão temporária ou desativação dos
empreendimentos minerários. Análise jurídica dos
instrumentos de gestão (PAE). Plano de Fechamento
de Mina – PFM com a hipótese da Licença de
Desativação – LD, com vistas à prevenção de passivos
ambientais. Renovação da LO com o planejamento e
com cronograma de desativação,após cumprimento das
etapas de lavra, culminando com a exaustão da jazida,
obsolescência, impactos ambientais.
Colocar em prática os procedimentos do PFM (NRM) e
Plano de Desativação pela emissão da LD. Sem esta o
minerador ficará impedido do fechamento da mina.
FLUXOGRAMA - DNPM e correlação com o Órgão Ambiental (atual)

Alvará de Aprovação
Pesquisa Rel.Pesq.

Requerimento
Requerimento Autorização de Concessão
de Pesquisa de Lavra de Lavra
Pesquisa
Declaração PAE
satisfatório
Publica Portaria
Autenticação de de Lavra
plantas
DNPM
Órgão
Ambiental
Licença Licença Licença
Prévia Instalação Operação
FLUXOGRAMA (DNPM e correlação com Órgão Ambiental) - PROPOSITURAS em vermelho
   Plano de lavra

Alvará de Aprovação    Plano de Controle de Impacto


Pesquisa Rel.Pesquisa Ambiental na Mineração (PCIAM)

   Plano de Resgate e Salvamento


Requerimento Autorização Requerimento Concessão
de de de    Plano de Fechamento de
de Mina
Pesquisa Pesquisa Lavra Lavra

Declaração PAE Publica Portaria


Renúncia
satisfatório de Lavra
concessão
Autenticação de de lavra
plantas
DNPM
Órgão
Ambiental
Licença Licença Licença Licença de
Prévia Instalação Operação Desativação
ATIVIDADE MINERÁRIA COM RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA

Argila:

18,2% dos documentos;

produção de cerâmica, uso industrial


(argila refratária) e na fabricação de cimento;

desmonte mecânico (por escavação ou


escarificação).

Fonte: SMA, São Paulo.


PLANO DE RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA

Argila:

Desmonte em meia encosta - reafeiçoamento dos taludes,


implantação de um sistema de drenagem e revegetação com
gramíneas;

Cava - preenchimento das cavas com material estéril e


revegetação, ou aterro parcial com manutenção de lâmina d'água;

Aproveitamento da cava para a implantação de aterro de resíduos sólidos


inertes. (Resolução CONAMA 307/02 e SMA 42/02).
PLANO DE RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA
Fonte: Revista Brasil Mineral,2006
PRÁTICAS DE GESTÃO AMBIENTAL PARA TODAS
AS FASES DE OPERAÇÃO DO EMPREENDIMENTO
MINERÁRIO

Fonte: Revista Brasil Mineral,2006


-Planejamento da lavra;
-Recuperação imediata das áreas degradadas;
-Controle das drenagens das cavas;
-Utilização de circuito fechado de águas no beneficiamento;
-Monitoramento sistemático da qualidade das águas e do ar no
entorno das minas;
-Projeto de segregação de resíduos;
-Monitoramento das vibrações provocadas pelas detonações;
-Implementação de ações de desenvolvimento social e educação
ambiental com as comunidades do entorno; e
-Política de relacionamento com os órgãos gestores de fiscalização e
controle ambiental.
NÍVEIS DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS PELA
MINERAÇÃO E USOS POSSÍVEIS
NÍVEL DE NOVA SITUAÇÃO NOVO USO
RECUPERAÇÃO

DEGRADAÇÃO SEM USO


ABANDONO
REGENERAÇÃO VÁRIOS POSSÍVEIS

CONSERVAÇÃO

NOVO AMBIENTE PISCICULTURA

RECREATIVO

CONSERVAÇÃO

RECREATIVO
CONDIÇÕES SIMILARES
MINA* REABILITAÇÃO
ÀS ANTERIORES
AGRÍCOLA OU FLORESTAL
URBANO (RESIDENCIAL,
COMERCIAL, INDUSTRIAL)

TURÍSTICO
CONSERVAÇÃO DO
PATRIMÔNIO INDUSTRIAL
EDUCATIVO

RESTAURAÇÃO ESTABILIDADE VÁRIOS POSSÍVEIS

* O termo “mina” inclui todas as instalações necessárias à produção de substância minerais, em particular
as escavações, locais de disposição de estéreis e rejeitos, áreas de estocagem de minério, insumos e
produtos, usinas de beneficiamento, instalações de apoio. (Sánchez, 2001).
CONCLUSÕES ARTICULADAS

PROPOSIÇÕES FUTURAS

- Efetividade no acompanhamento dos instrumentos legais;


- Acompanhamento da Recuperação da Área Degradada (ciclo de
vida do empreendimento minerário);
- PFM atrelado à renovação da LO com planejamento do Plano de
Desativação (SP); PAFEM (MG);
- Licença de Desativação - LD, como instrumento de prevenção de
passivos ( Licença social);
- Levantamento SIRAM (Inadimplentes por abandono de área);
- Seguro Garantia (TCRA, TCCA); e
- Eficácia legal no fechamento de mina* com prevenção de passivos
por meio de supervisionamento de áreas órfãs e/ou abandonadas.

* Desativação de empreendimentos minerários.


CONCLUSÕES ARTICULADAS

DESAFIOS E TENDÊNCIAS
- As diretrizes que fundamentam o Projeto de Lei para o novo Marco
Regulatório da Mineração são baseadas no desenvolvimento social e
tecnológico do setor e na precaução e prevenção dos danos
causados pela atividade mineral, visando à exploração responsável e
sustentável para o setor.
- Com relação ao aproveitamento mineral estão estabelecidas normas
sobre as atividades de pesquisa, lavra, beneficiamento de
substâncias minerais e de recuperação ambiental, bem como o
fechamento da mina. Destacou que alguns minerais serão regidos por
leis próprias. “São aqueles minerais que constituem monopólio da
União, que inclui fósseis comprovadamente de interesse científico e
raro, águas minerais, mineração em terras indígenas e faixa de
fronteira”. Propostas de alterações institucionais e regulatórias feitas
pelo grupo de trabalho coordenado pela Secretaria de Geologia,
Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

- Marco para a prevenção de passivos ambientais - Renovação da


Licença de Operação com planejamento da etapa de fechamento de
mina/desativação, respeitadas as características do empreendimento
minerário e uso futuro para reabilitação da área impactada;
- Políticas públicas integradas;
- Empreendimentos com Atividade Minerária cumprindo a função social
da propriedade mineira após o encerramento da atividade;
- Gerenciamento integrado do Plano de Fechamento de Mina com a
Licença de Desativação (Plano de Desativação com medidas de
recuperação ambiental e prevenção de passivos ambientais);
- Uso racional e social do bem mineral com eqüidade; e
- Certificado de regularidade mínero-ambiental (Licença social dos bens
naturais).
"Uma política de recursos naturais responsável, da parte da
geração atual, consiste de um conjunto de regras, induções e ações
relacionadas com o uso dos recursos naturais, suficientes para levar a
economia a um padrão eficiente, indefinidamente sustentado, não
declinante, de consumo agregado, sem deterioração irreversível do
ambiente físico, e sem a imposição de riscos significativamente
maiores sobre as gerações futuras”.

Howe
Obrigada pela atenção!

Msc. Eliane Pereira Rodrigues Poveda


elianepoveda@gmail.com
elianep@cetesbnet.sp.gov.br