Вы находитесь на странице: 1из 17

Atuação do profissional e os desafios no cotidiano da profissão

dentro de uma empresa.

Tutora a Distância:

CIDADE/SP
2016

1
NOME

Atuação do profissional e os desafios no cotidiano da profissão


dentro de uma empresa.

CIDADE/SP
2016
2
Sumario
PASSO 01 ............................................................................................................................................. 4
PASSO 02 ............................................................................................................................................. 5
PASSO 03 ............................................................................................................................................. 8
PASSO 04 ........................................................................................................................................... 11
CONSIDERAÇÕES FINAIS ............................................................................................................. 16
REFERENCIAS .................................................................................................................................. 17

3
PASSO 01

Num primeiro momento, para responder ao questionamento da empresária


sobre o perfil de um empresário empreendedor, você deve explorar os seguintes
tópicos:

a) indicar quais são as diretrizes necessárias que devem ser traçadas pelo
empreendedor no cenário atual;

b) indicar quais são os principais obstáculos encontrados pelo empreendedor


para realizar mudanças e as sugestões para vencer os obstáculos diante de
conflitos;

c) fazer uma tabela compilando os dados dos dois itens anteriores, da


seguinte forma:

Diretrizes que orientam Obstáculos encontrados Sugestões para o


o trabalho do para a realização de aperfeiçoamento do
empreendedor. mudanças. trabalho do
empreendedor.
Missão Bagagem Ter um Diferencial
Visão Hábitos Assumir os riscos
Valores Emoções Valorizar a Equipe
Políticas Ambiente Não esperar, Correr Atrás

4
PASSO 02

Nesse passo, você vai analisar os problemas da seção de corte, costura e


acabamento em razão da sugestão de mudança apresentada pela consultoria que
provocou manifestações e gerou conflitos e transformações no ambiente de
trabalho. Primeiramente, você deve apresentar os enfoques teóricos sobre o
assunto:

- Os aspectos que envolvem os grupos e equipes de trabalho são vários e diferentes


como os indivíduos que a compõe. Fazemos parte de grupos e de equipes desde
que nascemos, embora nessa pesquisa o assunto explorado seja o da Organização,
fazer parte é uma necessidade humana. Estamos sempre tentando nos encaixar. Às
vezes são mais fáceis, outras mais difíceis, contudo é uma busca. O apoio do grupo
ou da equipe naquilo que realizamos em prol de todos é alimento para nosso eu,
para renovar as nossas forças para continuar lutando pelo que se quer atingir. São
muitos estágios para crescer, se efetivar, construir ou reconstruir, mas o importante
é pertencer e saber que já realizamos algo positivo está realizando ou vamos
realizar. Bom é estar em paz consigo mesmo e com os grupos que pertencemos.
Dar o melhor em prol de todos que no fundo é um retorno certo para nós mesmos.

A) Por todos os cantos, vemos as pessoas alegarem que os problemas nas


empresas são causados pelas falhas de comunicação ou pela falta dela. Se o
projeto não ficou pronto no prazo, o gerente logo afirma que houve um
desencontro nas informações, ou seja, problema de comunicação. Se o
funcionário recentemente contratado vai reclamar ao RH que seu salário não
é aquele que foi combinado na entrevista, o gestor desse departamento
alegará que o novo empregado não entendeu bem as condições, ou melhor,
teve dificuldade na comunicação. Parece que ficou provado que a culpa é
sempre dessa tal comunicação. Antes de qualquer coisa, o mais importante
de tudo é termos em mente que a comunicação não é uma entidade com vida
própria que sobrevive alimentando-se da sabotagem nos relacionamentos
pessoais e profissionais. Assim como as empresas, a comunicação é feita
pelas pessoas. Portanto, a comunicação ineficaz ou falha ocorre por nossas
5
limitações quando nos comunicamos. Comunicação vem da palavra latina
comunicare, que significa compartilhar, tornar comum. Para o ser humano, a
comunicação é como os sentimentos, pensamentos, as idéias, emoções são
compartilhadas e, assim, como ele se relaciona com o outro. Através da
comunicação, o homem perpetua sua história, dá exemplos através de suas
experiências, convence o outro, negocia, comercializa, enfim, sobrevive. Além
disso, a comunicação é necessária por ser a maneira como interagimos com
os outros, afinal, nascemos para viver em sociedade. Retornando ao aspecto
profissional e aos desastres atribuídos à comunicação mal realizada nas
empresas, não são apenas as habilidades de falar e escrever bem e o hábito
de leitura que garantem a boa comunicação. Na verdade, quando agregamos
o conceito de comportamento, temos a Comunicação Comportamental, um
processo dinâmico que determina a qualidade dos relacionamentos
profissionais.Assim, a linguagem corporal, a habilidade de escutar o outro
com atenção, o relacionamento com pessoas difíceis, marketing pessoal,
autoconhecimento e motivação são os pilares da Comunicação
Comportamental.Por exemplo, um profissional de Vendas que não atinge
suas metas pode não ter desenvolvido sua habilidade de escutar o cliente
com atenção, e todos sabemos que o cliente quer suas necessidades
conhecidas, ou seja, que alguém o escute. Um profissional responsável por
um departamento e por uma equipe pode acreditar que, retendo informações,
terá salvaguardado seu poder. Um atendente que reage grosseiramente
diante da reclamação de um cliente deve achar que a queixa tem fundo
pessoal, desconhecendo princípios básicos de lidar com conflitos.
Poderíamos seguir infinitamente com exemplos de comunicação defeituosa,
mas nosso ponto aqui é mostrar que o desenvolvimento das habilidades
profissionais de comunicação comportamental é feito nas pessoas. Como
conseqüência, as falhas diminuirão consideravelmente e a tal da
comunicação deixará de ser acusada sem fundamentos. Apesar de nosso
enfoque ser o âmbito profissional, todo esse desenvolvimento é também
aplicado com sucesso na vida pessoal.

B) A motivação é o primeiro passo para o sucesso da organização. Funcionários


satisfeitos com seu trabalho e que se sentem respeitados e reconhecidos por
6
aquilo que desenvolvem tornam-se parceiros de negócio, fazem muito além
do que as suas obrigações e se preocupam com o andamento da empresa.
Todos precisam estar motivados! Mas para que isso aconteça, a própria
organização deve se preocupar com o bem estar de seus colaboradores e
oferecer condições favoráveis de trabalho.Segundo Carlos Alberto Simões
Barreiro, diretor executivo da TailorMade Consulting, o fundamental é ter
uma gestão competente de pessoas e um bom relacionamento dentro da
empresa. “Se você me perguntar por que as pessoas saem da empresa hoje
em dia, 90% é por causa de mau relacionamento com o chefe. Não é por
conta do salário, não é por falta de beneficio, e não é por nada relacionado a
isso. Então a grande motivação dos funcionários, atualmente, é uma liderança
extremamente preparada e desenvolvida, pois isso sim os retêm
assustadoramente na empresa”.A possibilidade de fazer carreira dentro de
uma corporação ainda é um dos fatores que motivam bastante. Algumas
pessoas precisam ter a informação clara de quando e como elas podem se
tornar um líder, por exemplo. O processo de promoções na empresa deve ser
claro, apresentando um plano de carreira concreto. Do contrário, profissionais
com este objetivo não perduram muito tempo nas companhias. “Um plano de
carreira transparente é essencial para o indivíduo saber como deve evoluir e
conduzir seu ofício da melhor forma para ele e para a organização”,
diz Marcello Arias Dias Danucalov, coach executivo.

Justificativa:

A resistência à mudança vem do medo do desconhecido ou da expectativa de


perda. O início do processo de resistência à mudança de um indivíduo passa por
como ele percebe a mudança. Já o fim deste processo passa por como ele está
equipado para lidar com a mudança que ele espera.

Logo de cara você precisa definir a mudança para os funcionários com tanto
detalhes quanto possível e tão cedo quanto puder.

Perceba que transparência é uma via de mão dupla. Uma vez esclarecido o
problema, você precisa que os funcionários também esclareçam as razões por
detrás da resistência deles.
7
PASSO 03

Você será responsável pela orientação à empresária durante o processo de


negociação que ela fará com os colaboradores da seção de corte, costura e
acabamento para a implantação das sugestões da consultoria no tocante à reforma
da referida seção. Com a reformulação, será necessário que sejam contratados
novos trabalhadores e que seja feita a capacitação dos já existentes que estão
apresentando grande resistência em aceitar essas modificações. A partir da
abordagem sistêmica na Administração, analise como deve ser feita a negociação
entre a empresária e seus colaboradores. Como enfoque teórico responda:

1- HABILIDADES ESSENCIAIS DOS NEGOCIADORES

Colaboradores

Estilo Características Táticas usadas na negociação

Restritivo Não cooperativo. Age de Coerção, medo e ameaça.


acordo com seus interesses. Apresentando várias barreiras a fim
que a empresa procure ficar na
situação que se encontra sem
mudanças.

A Empresaria

Estilo Características Táticas usadas na negociação

Amigável Simpático. Acredita no Cordialidade e paciência. Levara


relacionamento de confiança conhecimento da mudança e
e companheirismo. datecnologia aplicada na empresa e
as vantagens que ela trará.

8
2-PONTOS PRINCIPAIS A SEREM NEGOCIADOS.

Contratação de novos colaboradores: O novo irá incomodar os colaboradores que


já está há mais tempo na empresa, a estrutura não comportará.

Situação: Nossa empresa é conceituada, através de pesquisa realizada referente a


custo, logística e ambientação ideal, pretendemos investir em melhorias na região,
trazendo um progresso contínuo ao local escolhido como sede da empresa.

Planejamento: Temos como objetivo inovar contratar novos colaboradores, comprar


novos equipamentos dando melhor meio de vida aos nossos colaboradores tendo
melhor resposta na produção e com o decorrer do tempo ir agregando novos
comércios ao redor e gerando assim uma relação duradoura.

Estratégias: Referente às reclamações apresentadas iremos esclarecer cada ponto


em questão e apresentar as devidas soluções. Trazendo melhorias para os setores,

3- Tipos Psicológicos e estilos de Negociação

Gottschalk (1974), em Martinelli (2002), define como estilo de negociação a


descrição de todas as características de comportamento de um indivíduo envolvido
em um encontro de negociação, incluindo, a impressão inicial, as atribuições de
situações vivenciadas, as questões de outras fontes não relacionadas ao
conhecimento e o comportamento subsequente durante as negociações.
Estilo Controlador: orientado para os resultados finais. Enfatiza os ganhos e
vantagens competitivas que a outra parte obterá no fechamento do negócio.
Considera outros benefícios da negociação como preço, custo. Antecipa um
fechamento atendendo às necessidades da outra parte. Decisivo, confiante e rápido
Estilo Analítico: tende a usar uma abordagem cuidadosa e sofisticada,
enfatizando dados e fatos em todas as fases da negociação. Na intenção de cobrir
todas as bases e antecipar todas as possibilidades pode incluir muitos detalhes. Sua
9
abordagem é baseada na razão e orientada para os fatos, usa acentuadamente a
investigação para verificar os dados preliminares da negociação.
Estilo Apoiador: forte orientação para o relacionamento enfatiza “quem” a
outra parte é tenta analisar buscando identificar os dados da personalidade, seus
motivos e suas necessidades. Sempre que possível, o negociador tenta usar ou
desenvolver uma ligação pessoal com a contraparte.
Estilo Visionário: grande ênfase em determinar os dados relevantes do
negócio e seus planos para o futuro, orientado a ações de longo prazo. Ao
apresentar os benefícios na negociação tende a apelar ao desejo de
reconhecimento da contraparte. Tendência à intelectualizarão e ao excesso de
explicações, que pode levar a indecisão ou a confusão.
Os sistemas tipológicos constituem-se em modelos característicos de uma
atitude geral que se manifestam em muitas formas individuais (JUNG, 1991).
Quando esses sistemas tipológicos estudam os temperamentos das pessoas, temos
os tipos psicológicos que representam maneiras pelas quais as pessoas selecionam
e organizam as informações que recebem do ambiente externo, formam as suas
idéias e tomam decisões. Os tipos, assim, caracterizam as pessoas quanto a
interesses, preferências e habilidades (SILVEIRA, 2006).

4- Formas de atuar na Negociação

Conflitos acontecem quando há diferentes interpretações sobre um mesmo


problema. Isso é muito comum, pois quase todas as pessoas têm percepções
distorcidas de como as coisas realmente são. Em pequenas empresas, onde o
convívio é mais intenso, estes conflitos são ainda mais comuns.

Quem impõe pontos de vista de maneira intransigente costumam gerar


discussões com outros colaboradores, clientes e fornecedores. Para o
empreendedor minimizar conflitos entre os membros de sua equipe,

 Seja empático

 Ouça

 Tenha uma postura racional

10
 Estimule o diálogo

 Não se omita

PASSO 04

RELATÓRIO
Para finalizar a atividade, descrever, de maneira detalhada no Relatório que
será entregue, as respostas às questões apresentadas.

1-INTRODUÇÃO.

Vamos tratar da importância do comportamento da organização assim como a


importância da visão sistêmica na negociação e os benefícios que ela traz. Iremos
analisar as habilidades de cada lado e ver seus valores éticos. A influência da ética
e seus valores e consequências nas relações, que podem trazer coisas boas que
geram respostas duradouras ou podem pôr fim ao um acordo entre as partes
envolvidas. Para uma boa negociação deve se usar as técnicas e conceitos da visão
sistêmica onde aja um equilíbrio para que ambas as partes ganhem e nenhum tire
proveito do outro. Onde sabemos que nem sempre os envolvidos caminham no
mesmo sentido. Vamos dar ênfase ao conflito no qual nos foram passados e
chegarmos ao um consenso usando um planejamento/proposta para negociação e
as devidas táticas que nos foram passadas com o objetivo de solucionar o conflito.
De modo que ambas as partes saiam satisfeitas com os seus objetivos
conquistados.

11
PRIMEIRA QUESTÃO

O empreendedorismo. O que é necessário para o espírito empreendedor.


Problemas enfrentados diante de situações de mudanças e sugestões para o
empreendedor nessas situações.

Empreendedores em geral são movidos pelo desafio ao trilhar um caminho


praticamente irreversível, portanto, a busca permanente e obstinada por resultados
positivos num ambiente altamente competitivo, de maneira indiferente aos
obstáculos, não se surpreende quem se dedica a estudar esse fenômeno.

Identificar e avaliar uma oportunidade não são tarefa simples. Trata-se de um


processo complexo pelo qual o empreendedor constata a oportunidade para um
novo negócio ou empreendimento. Muitas oportunidades surgem de maneira
inesperada, mas o que define o seu aproveitamento é a tentação do empreendedor
e a sua perspicácia para entender a oportunidade como uma possibilidade de
negócio. É importante destacar que a fase de identificar e analisar as oportunidades
são apenas a primeira parte do processo empreendedor.

O empreendedor é um administrador, mas com diferenças consideráveis em


relação aos gerentes e executivos tradicionais, pois os empreendedores são mais
visionários que os gerentes. Desta forma, quando uma organização cresce, o
empreendedor geralmente tem dificuldade em tomar decisões do dia-a-dia dos
negócios, pois se preocupam mais com aspectos estratégicos, com os quais se
sentem mais à vontade. Logo, pode-se observar que criatividade e inovação, assim
como habilidade de gestão são importantes para ser um empreendedor.

12
SEGUNDA QUESTÃO

Comportamento organizacional. O papel da liderança e a condução do


processo decisório de mudança da empresa. A importância da comunicação.

BUENO (1995, p. 9) diz que "hoje, não se pode imaginar uma empresa que se
pretenda líder de mercado e que volte às costas para o trabalho de comunicação".
A Comunicação ainda vem tentando conquistar espaço e por trabalhar com
aspectos intangíveis, difíceis de serem mensurados quantitativamente, sofre
discriminação, muitas críticas e um total desconhecimento por parte dos gestores de
empresa.
No entanto, pesquisas têm demonstrado a importância da Comunicação no
mundo empresarial, embora muitas organizações, na prática, a ignorem
completamente. O alto índice de empresas que não conseguem resistir à
competitividade está relacionado com problemas comunicacionais.
Problemas como boicotar informações aos funcionários, simulando cenário
difícil e tentar manter uma imagem positiva junto ao mercado para não ter as ações
em queda é inadmissível nos dias atuais.

13
TERCEIRA QUESTÃO

Técnicas de negociação. Como aplicar as técnicas de negociação diante


dos conflitos dentro da empresa num momento de reestruturação.

A probabilidade de ocorrer conflitos aumenta conforme o tamanho do grupo,


das afinidades, o grau de especificações das tarefas e, quando a organização
promove recompensas que estimulam o esforço individual de seus membros. Todos
os sentimentos que alteram o comportamento emocional geram pequenos e grandes
conflitos entre as pessoas. Os coordenadores e líderes têm um papel fundamental
para achar o equilíbrio para que não haja competições mantendo a equipe focada na
busca dos melhores resultados para a empresa.
O melhor modo de resolver um conflito é ter conhecimento de sua causa e o
que ele envolve. Desta forma, é necessário estar preparado para negociar com
pessoas diversas, que possuem personalidades diferentes e, conseqüentemente,
atitudes distintas diante de uma situação. Além disso, também é atraente analisar a
amplitude do conflito no qual se está envolvido.
Tipos de conflitos:
 Inter-organizacional: aquele que ocorre entre organizações diferentes
ou concorrentes.
 Organizacional: aquele que ocorre dentro da organização.
 Intergrupal: aquele que ocorre entre dois ou mais grupos.
 Interpessoal: aquele que ocorre entre dois ou mais indivíduos.
 Intrapessoal: aquele que ocorre dentro do próprio indivíduo.
Negociar é buscar um ajuste por meio do dialogo, é a forma para as pessoas
minimizarem suas diferenças. Pode ser interpessoal que ocorre quando uma pessoa
deseja algo de outra ou pode envolver mais pessoas. A negociação visa o acordo
entre as partes podendo ser um processo simples ou complexo, rápido ou
duradouro, mas que sempre foca uma resolução buscando o ganha a ganha.
14
Na resolução dos conflitos e nas tomadas de decisões é importante usas a
negociação como instrumento de conhecimento para auxiliar no encaminhando e na
resolução de conflitos.
Neste caso, a liderança na negociação é democrática e há um sentimento de
auxilio, no qual o interessante de cada individua são rejeitados e a solução nas quais
ambas as partes saiam ganhando domina.

15
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Consideramos para a construção deste trabalho o que aprendemos com as


aulas que nos foram passadas de Comportamento Organizacional e Técnicas de
Negociação e vimos que muitas destas regras e comportamentos são vistas em
vários setores, e nós ajudou a entender como é empregado o perfil, o
comportamento e as técnicas. Vimos que às vezes para se chegar a um acordo uma
parte tem que ceder de modo que as duas saiam satisfeitas e cheguem no objetivo
esperado.

Tentamos passar a conclusão de um acordo empregando também o uso da


ética e assim de certo modo diferenciar do que já parecia claro desde o começo,
mudando o final esperado, mas sem deixar de chegar à comum acordo e gerar
benefícios para ambas as partes, foco no objetivo.

Concluímos que o que fizemos neste trabalho é o que acontece no dia a dia,
e se seguirmos as regras conseguiremos chegar onde queremos. E a questão da
ética está estampada todo dia nos jornais e revistas, pois não passa da pura
verdade em que nós vivemos em nosso País nos dias de hoje.

16
REFERENCIAS

DEAN, James W Jr; SHARFMAN, Mark P. Does decision process matter? A study
of strategic decision-making effectiveness. Academy of Management Journal; Apr
1996; 39, 2; pg. 36

MARTNELLI, Dante Pinheiro. Negociação empresarial: enfoque sistêmico e visão


estratégica. Barueri: Manole, 2002.

SILVEIRA, E. G. F. Gestão do conhecimento nas organizações: perfil motivacional e


tipos psicológicos junguianos: um estudo de caso em uma organização de saúde.
Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão
do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, 2006
RICHARDSON, RJ Pesquisa Social – Métodos e Técnicas. 3ª ed. São Paulo: Atlas,
1999.

HIRATA, Renato. Estilo de negociação as oito competências vencedoras. SP:


Saraiva 2007. JUNG, C. G. Tipos Psicológicos. Petrópolis: Vozes, 1991. JUNG, C.
G. A natureza da Psique. 4ª ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

WANDERLEY, J. A. Negociação total: encontrando soluções, vencendo


resistências, obtendo resultados. São Paulo, Ed. Gente, 1998..

17