Вы находитесь на странице: 1из 39

Genesis 1-15

Seção 1 do 2.

CH Mackintosh.

Gênesis 16-50, Seção 2 de 2.

Gênesis 1

Há algo peculiarmente marcante na maneira pela qual o Espírito Santo abre


este livro sublime. Ele nos apresenta, ao mesmo tempo, a Deus, na plenitude
essencial de seu ser, ea solidão de sua atuação. Toda a matéria preliminar é
omitido. É a Deus, somos levados. Nós ouvi-lo, por assim dizer, quebrando o
silêncio de terra, e brilhando sobre a escuridão da terra, com a finalidade de
desenvolver uma esfera em que ele pode mostrar seu eterno poder e
divindade.

Não há nada aqui em que curiosidade pode alimentar - nada sobre o qual os
pobres, a mente humana pode especular. Existe a sublimidade ea realidade da
verdade divina, no seu poder moral para agir no coração e no
entendimento. Nunca poderia vir dentro da faixa do Espírito de Deus para
satisfazer a curiosidade, pela apresentação de teorias curiosos. Geólogos
podem explorar as entranhas da terra, e chamar adiante dali materiais de que
para adicionar a, e, em alguns casos, para contradizer, o registro
divino. Podem especular sobre restos fósseis, mas o discípulo trava, com
prazer sagrado, sobre a página de inspiração. Ele lê, crê e adora. Neste
espírito pode me perseguir nosso estudo do livro profundo, que agora está
aberto diante de nós. Podemos saber o que é "perguntar no templo" Que
nossas investigações sobre o precioso conteúdo da Sagrada Escritura ser
sempre julgado no verdadeiro espírito de adoração.

"No princípio, criou Deus os céus ea terra." A primeira frase no cânone divino
nos coloca na presença d'Aquele que é a fonte infinita de toda a verdadeira
bem-aventurança.Não há nenhum argumento elaborado em prova da
existência de Deus. O Espírito Santo não pode entrar em qualquer coisa do
tipo. Deus se revela. Ele se faz conhecido por suas obras. Os céus declaram a
glória de Deus eo firmamento anuncia a obra "" Todas as tuas obras te
louvarão, ó Senhor "." Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus
Todo-Poderoso "Nenhum, mas um infiel ou um ateu iria procurar.. um
argumento em prova do Ser de quem, pela palavra de Sua boca, chamado
mundos à existência, e declarou-se o Todo sábio, o Todo-Poderoso, o Deus
eterno. Quem mas "Deus" poderia "criar" qualquer coisa ". Levantai ao alto os
olhos e vede quem criou estas coisas, quem produz por seu anfitrião por
número, ele chama a todas pelos nomes, pela grandeza do seu poder, por que
ele é forte em poder,. nem uma falha " (Isaías 40: 26) "Os deuses dos pagãos
são ídolos, mas o Senhor fez os céus." No Livro de Jó 38-41 temos um apelo a
descrição muito mais grandiosa, por parte do próprio Jeová, a a obra da
criação, como um argumento irrespondível na prova de Sua infinita
superioridade, e este recurso, enquanto ele coloca diante do entendimento a
demonstração mais viva e convincente da onipotência de Deus, toca o
coração, também, pela sua condescendência incrível A majestade e. o amor,
o poder ea ternura, são todos divina.

"E a terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo." Ali
estava, em boa verdade, uma cena em que só Deus podia agir. O homem, no
orgulho de seu coração, desde então provou-se, mas também pronto para
interferir com Deus no outro e muito maior esferas de ação, mas, na cena
diante de nós, o homem não tinha lugar até que, de fato, tornou-se, como
todos os o resto, o tema do poder criativo. Deus estava sozinho na
criação. Ele olhou para trás de sua eterna morada de luz sobre os resíduos
selvagem, e não viu a esfera na qual Seus planos maravilhosos e conselhos
ainda não foram desdobradas e trouxe - em que o Filho Eterno ainda estava a
viver, e trabalho, e depor, e sangrar e morrer, a fim de mostrar, do ponto de
vista imaginando mundos, o glorioso perfeições do Supremo. Tudo era
escuridão e caos, mas Deus é o Deus da luz e da ordem. "Deus é luz e nele não
há treva alguma." Trevas e confusão não pode viver na Sua presença, se
olharmos para ele em um ponto de vista físico, moral, intelectual ou
espiritual.

"O Espírito de Deus se movia sobre a face das águas". Ele sentou-se remoendo
a cena de sua operações futuras. A cena escura, verdadeiramente, e aquele
em que havia um amplo espaço para o Deus de luz e vida para agir. Só ele
poderia iluminar a escuridão, porque a vida a surgir, substitua ordem para o
caos, abra uma expansão entre as águas, onde a vida pode mostrar-se sem
medo da morte. Estas foram as operações dignos de Deus.

"Disse Deus: Haja luz, e houve luz." Como é simples! E ainda como
Godlike! "Ele falou, e foi feito. Mandou, e logo tudo apareceu." Infidelidade
pode perguntar: "Como? Onde? Quando?" A resposta é: "Pela fé entendemos
que foi o universo formado pela palavra de Deus, de modo que aquilo que se
vê não foi feito do que é aparente."(Hebreus 11: 3) Isso satisfaz o espírito
ensinável. A filosofia pode sorrir com desdém para isso, e pronunciá-lo
grosseiro ignorância, ou credulidade cega, adequado o suficiente para uma
época de semi-barbárie, mas bastante indigna de homens que vivem em uma
era iluminada da história do mundo, quando o museu eo telescópio puseram
nos na posse de factos de que o escritor inspirado não sabiam nada. Que
sabedoria? O aprendizado? Sim, sim, que loucura Que absurdo O total
incapacidade de compreender o alcance e design da Sagrada Escritura? É,
seguramente, não é o objetivo de Deus para nos fazer astrônomos e geólogos,
ou de nos ocupar com detalhes o que o microscópio ou telescópio estabelece-
boy antes de cada escola. Seu objetivo é conduzir-nos à Sua presença, como
adoradores, com corações e entendimentos ensinou e devidamente governado
por Sua Santa Palavra. Mas isso nunca faria para o chamado filósofo, que,
desprezando o que ele denomina os preconceitos vulgares e tacanha do
discípulo devoto da Palavra, corajosamente aproveita de seu telescópio, e
com ela varre os céus distantes, ou viagens para o abismo recessos da terra
em busca de estratos, formações, e fósseis - os quais, de acordo com seu
relato, melhorar muito, se eles não se contradizem, a narrativa inspirada.
Com tais "oposições da ciência, falsamente assim chamados," não temos nada
a fazer. Acreditamos que todas as verdadeiras descobertas, seja "em cima nos
céus, em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra", vai harmonizar-se
com o que está escrito na palavra de Deus, e se não o fizerem, assim,
harmonizar, eles são perfeitamente desprezível no julgamento de todo
verdadeiro amante da escritura. Isso dá grande descanso ao coração em um
dia como o presente, de modo produtivo de especulações e teorias aprendidas
altissonantes, que, infelizmente, em muitos casos, o sabor do racionalismo e
infidelidade positivo. É mais necessário ter o coração completamente
estabelecido como a plenitude, a autoridade, a integridade, a majestade, a
inspiração plenária do volume sagrado. Isto será encontrado para ser a única
salvaguarda eficaz contra o racionalismo da Alemanha e da superstição de
Roma. Conhecimento exato com e profunda submissão ao, a Palavra, é o
grande desideratos do momento presente.Que o Senhor, em Sua grande graça,
abundantemente aumentar, em nosso meio, tanto um quanto o outro.

"E Deus viu a luz, que era bom, e fez separação entre a luz e as trevas E Deus
chamou à luz dia, e às trevas chamou Noite.". Aqui temos os dois grandes
símbolos tão amplamente empregadas em toda a Palavra. A presença de luz
faz com que o dia; sua ausência torna a noite Assim, é na história das
almas. Não são "os filhos da luz" e "os filhos das trevas". Esta é uma distinção
mais marcante e solene. Tudo sobre os quais a luz da vida brilhou - todos os
que foram efetivamente visitado por "o oriente do alto" - todos os que
receberam a luz do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo -
todos esses, quem e onde quer que seja, pertencem à primeira classe, são "os
filhos da luz e filhos do dia."

Por outro lado, todos os que ainda estão na escuridão da natureza, natureza
cegueira, incredulidade da natureza - todos os que ainda não receberam em
seus corações, pela fé, as vigas torcendo do Sol da justiça, todos esses são
ainda envolto nas sombras das noite espiritual, são "os filhos das trevas", "os
filhos da noite."

Reader, fazer uma pausa e perguntar a si mesmo, com a presença do


Pesquisador de corações, à qual dessas duas classes que você, neste
momento, pertencem. Que pertencem tanto a um ou outro está para além de
qualquer dúvida. Você pode ser pobre, desprezado, analfabeto, mas se, por
meio da graça, há um elo de ligação que você com o Filho de Deus ", a luz do
mundo", então você é, deveras, um filho do dia, e destinado, dentro em
breve, para brilhar nessa esfera celeste, que a região de glória, de que "o
Cordeiro que foi morto", será o sol central, para sempre. Este não é o seu
próprio fazer. É o resultado do conselho e operação do próprio Deus, que deu
yon luz e vida, alegria e paz, em Jesus e Seu sacrifício consumado. Mas se
você é um estranho para a ação sagrada e influência da luz divina, se seus
olhos não foram abertos para contemplar qualquer beleza no Filho de Deus,
então, se você tivesse todo o conhecimento de um Newton, que fostes
enriquecidos com todos os tesouros da filosofia humana, embora você bebeu
com avidez todas as correntes de ciências humanas, apesar de seu nome eram
adornados com todos os títulos aprendi que as escolas e universidades do
mundo pode dar, mas é você "filho de a noite "," um filho das trevas ", e, se
você morrer em sua condição atual, você estará envolvido na escuridão e
horror de uma noite eterna. Não, pois, meu amigo, leia outra página, até que
você tenha-se totalmente satisfeito de saber se você pertence ao "dia" ou
"noite".

O próximo ponto em que me habitam é a criação de luzes. "E disse Deus: Haja
luzeiros no firmamento do céu para separar o dia da noite;. E sejam eles para
sinais e para estações, e para dias e anos, e sirvam de luminares no
firmamento do céu, para alumiar a terra, e foi assim E fez Deus os dois
grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, eo luminar menor
para governar a noite:.. ele fez também as estrelas "

O sol é o grande centro de luz, eo centro do nosso sistema. Em volta dele as


esferas menores giram. A partir dele, também, que derivam sua luz. Por isso,
ele pode, muito legitimamente, ser visto como um símbolo apropriado
daquele que está prestes a surgir, com a cura em suas asas, para alegrar os
corações daqueles que temem ao Senhor. A aptidão ea beleza do símbolo
parece totalmente para aquele que, depois de ter passado a noite em
observação, contempla o sol nascente dourado, com seus raios brilhantes, o
céu oriental. As névoas e sombras da noite estão todos dispersos, e toda a
criação parece saudar o astro retornar de luz. Assim será, aos poucos, quando
o Filho de justiça surge. As sombras da noite fugirão, e toda a criação deve
ser contente com o alvorecer de uma "manhã sem nuvens", a abertura de um
dia brilhante e interminável de glória.

A lua, sendo em si mesma opaco, deriva toda a sua luz do sol. Ela sempre
reflete a luz do sol, salvo quando a terra e suas influências intervir. * Mal tem
o sol afundou sob nosso horizonte que a Lua apresenta-se para receber os seus
raios e refleti-los de volta para um mundo escuro, ou ela deve ser visível
durante o dia, ela exibe sempre uma luz pálida, o resultado necessário de
aparecer na presença de brilho superior. Verdade é, como já foi observado, o
mundo às vezes intervém; nuvens escuras, espessas névoas, vapores e
refrigeração, também, surgir a partir da superfície da Terra, e esconder do
nosso ponto de vista a sua luz prateada.

{* É um fato interessante que a lua, como visto através de um telescópio


poderoso, apresenta a aparência de uma grande ruína da natureza.}

Agora, quando o sol é um belo e um símbolo apropriado de Cristo, para a lua


notavelmente nos lembra da Igreja. A fonte de sua luz é escondido da vista. O
mundo vê-lo não, mas ela o vê, e ela é responsável por refletir seus raios
sobre um mundo ignorante. O mundo não tem outro caminho para se aprender
qualquer coisa de Cristo, mas pela Igreja. "Ye", diz o apóstolo inspirado, "sois
a nossa carta, .... conhecida e lida por todos os homens." E ainda: "Porquanto
vós sois manifestamente declarado ser a carta de Cristo." (2 Cor 3. 2, 3).

Que lugar responsável! Como sinceramente ela deveria vigiar contra tudo o
que impediria a reflexão da luz celestial de Cristo, em todos os seus
caminhos! Mas como ela é para refletir essa luz? Ao permitir que ela brilhe
sobre ela, seu brilho não esmaecido. Se a Igreja só andou na luz de Cristo,
ela, certamente, refletem a Sua luz, e isso nunca iria mantê-la em sua
posição correta. A luz da lua não é ela própria. Assim é com a Igreja. Ela não
é chamado para definir-se perante o mundo. Ela é um devedor simples para
refletir a luz que ela mesma recebe. Ela é obrigada a estudar, com santa
diligência, o caminho que Ele percorreu, enquanto aqui em baixo, e pela
energia do Espírito Santo, que habita nela, para seguir esse caminho. Mas,
infelizmente! terra com suas brumas, suas nuvens, e seus vapores, intervém,
e esconde a luz e apaga a epístola. O mundo pode ver, mas pouco dos traços
do caráter de Cristo naqueles mho se chamam pelo seu nome, sim, em muitos
casos, eles apresentam um contraste humilhante, ao invés de uma
semelhança. Que possamos estudar mais a Cristo em espírito de oração, de
modo que podemos copiá-lo mais fielmente.

As estrelas são luzes distantes. Elas brilham em outras esferas, e têm pouca
conexão com este sistema, salvar o seu piscar pode ser visto. "Uma estrela
difere de outra estrela em glória." Assim será no reino vinda do Filho. Ele vai
brilhar no brilho de vida e eterna. Seu corpo, a Igreja, irá refletir fielmente
Seus raios em toda a volta, enquanto que santos individualmente deve brilhar
nessas esferas que um justo juiz atribuirá a eles, como uma recompensa de
serviço durante a noite escura de sua ausência. Este pensamento deve
animar-nos a uma busca mais ardente e vigorosa após a conformidade com
nosso Senhor ausente. (Lucas 19:. 12-19)

As ordens inferiores da criação são próxima introduzido. O mar ea terra são


feitas para juntar com a vida. Alguns podem sentir justificado em relação às
operações de cada dia sucessivo, como prenúncio das várias dispensações, e
os seus grandes princípios característicos da ação. Eu gostaria de assinalar, a
este respeito, que há uma grande necessidade, ao manusear a palavra, desta
forma, para assistir, com ciúme santo, o trabalho da imaginação, e também
prestar muita atenção à analogia geral das Escrituras, mais nós podem
cometer erros tristes. Eu não me sinto na liberdade de entrar na tal linha de
interpretação; Vou, portanto, limitar-me a que eu acredito ser o sentido
literal do texto sagrado.

Vamos agora considerar o lugar do homem, tal como sobre as obras das mãos
de Deus. Tudo tendo sido fixado em ordem, um era necessário para tomar a
liderança. "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa
semelhança, e domine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, e sobre
o gado, e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que rastejam sobre a
terra E criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou;. macho
e fêmea os criou eles . Então Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e
multiplicai- e enchei a terra, e sujeitai-a e dominai sobre os peixes do mar,
sobre as aves dos céus, e sobre todo animal que rasteja sobre a terra ". O
leitor vai observar a mudança de "ele" para "eles". Não são apresentados com
a realidade da formação da mulher, até o próximo capítulo, embora aqui
encontramos Deus bênção "eles" e dando "eles" em conjunto o lugar do
governo universal. Todas as ordens inferiores da criação foram criados sob seu
domínio conjunto. Eva recebeu todas as suas bênçãos em Adão. Nele,
também, ela tem sua dignidade. Embora ainda não chamado à existência real,
ela era, no propósito de Deus, encarado como parte do homem."No teu livro
foram escritos todos os meus membros, que, em continuação foram formadas,
quando ainda não havia nem um deles."

Assim é com a Igreja - a noiva do segundo homem. Ela foi vista por toda a
eternidade em Cristo, seu Cabeça e Senhor, conforme lemos no primeiro
capítulo de Efésios: "De acordo como também nos elegeu nele antes da
fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante de
dele em amor. " Antes de um único membro da Igreja ainda tinha soprou o
fôlego de vida, todos foram, na mente eterna de Deus, predestinou para
serem conformes à imagem de seu Filho. "Os conselhos de Deus tornar a Igreja
necessário para completar o homem místico. Assim a Igreja é chamada de "a
plenitude [ pleroma ] daquele que cumpre tudo em todos. "Este é um título
incrível, e que se desenvolve grande parte da dignidade, a importância ea
glória da Igreja.]

É muito comum ver a redenção como tendo apenas sobre a bem-aventurança


e da segurança das almas individuais. Isto é inteiramente muito baixo a fim de
tomar sobre o assunto. Que tudo que pertence, de alguma forma, para que o
indivíduo é, na forma mais completa, segura, é, bendito seja Deus, a mais
pura verdade. Este é o menos parte da redenção. Mas que a glória de Cristo
está envolvido, e conectado com, a existência da Igreja, é uma verdade de
muito mais dignidade, profundidade e poder. Se eu tenho direito, sob a
autoridade da Sagrada Escritura, para me considero parte integrante do que é
realmente necessário para Cristo, já não posso entreter a dúvida se há a
prestação máxima para todas as minhas necessidades pessoais. E não é a
Igreja, portanto, necessária a Cristo? Sim, é verdade. "Não é bom que o
homem esteja só, vou fazer-lhe uma ajudadora idônea para ele." E,
novamente, "Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do
homem, nem foi o homem criado por causa da mulher, mas a mulher para o
homem .... No entanto, nem o homem é sem a mulher. . nem a mulher sem o
homem no Senhor Pois, assim como a mulher veio do homem, assim também o
homem nasce da mulher, mas tudo vem de Deus. " (. 1 Cor 11, 8-12) Por isso,
não é mais a mera questão de saber se Deus pode salvar um pobre pecador
desamparado - se ele pode apagar seus pecados, e recebê-lo no poder da
justiça divina. Deus disse, "não é bom que o homem esteja só." Ele não deixou
"o primeiro homem" sem "uma ajudadora idônea," nem que ele deixar o
"Segundo". Como, no caso do primeiro, não teria havido um vazio na criação
sem Eva, então o pensamento estupenda! - No caso da última, haveria uma
placa na nova criação sem a noiva, a igreja.

Vamos, agora, olhar para a maneira pela qual Eva foi trazido à existência, no
entanto, ao fazê-lo, teremos de antecipar parte do conteúdo do próximo
capítulo. Ao longo de todas as ordens de criação não se achava uma ajudadora
idônea para Adão. "Um sono profundo" deve cair sobre ele, e um parceiro de
ser formado, a partir de si mesmo, para compartilhar o seu domínio e sua
bem-aventurança. "E o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e
este adormeceu. E tomou uma das suas costelas, e fechou a carne em seu
lugar E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, ele edificou * uma
mulher, e trouxe-a a Adão E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e
carne da minha carne. ela será chamada mulher, porque foi tirada do homem
". (Gênesis 2:. 21-23)

{* A palavra hebraica que é traduzida como "edificou" na margem da


LXX. prestar por okodomesen. Uma referência ao original de Ef. 2: 20, 22 vai
mostrar ao leitor que as palavras prestados "construído" e "edificados juntos"
são inflexões do mesmo verbo}.

Olhando para Adão e Eva como um tipo de Cristo e da Igreja, como escritura
justifica plenamente que façamos, nós vemos como que a morte de Cristo
precisava ser um fato consumado, antes que a Igreja poderia ser criado,
embora, no propósito de Deus, ela foi olhado, e escolheu em Cristo, antes da
fundação do mundo. Há, no entanto, uma grande diferença entre o propósito
secreto de Deus e da revelação e realização do mesmo. Antes que o propósito
divino poderia ser actualizados em referência aos elementos constitutivos da
Igreja, era necessário que o Filho deve ser rejeitado e crucificado - que ele
deve tomar o seu lugar no alto - que ele deveria descer o Espírito Santo para
batizar os crentes em um corpo. Não é que as almas não foram vivificados e
salvos, anterior à morte de Cristo. Eles certamente eram. Adam foi salvo, e
milhares de outras pessoas, de idade em idade, em virtude do sacrifício de
Cristo, apesar de que o sacrifício não foi ainda cumprida. Mas a salvação das
almas individuais é uma coisa, ea formação da Igreja, como uma coisa
distinta, pelo Espírito Santo, é outra completamente diferente.

Esta distinção não é suficientemente atendido, e mesmo que seja em teoria


mantida, é acompanhado com muito pouco desses resultados práticos que
podem naturalmente ser esperados a fluir a partir de uma verdade tão
estupenda. Lugar único da Igreja sua relação especial com "o segundo homem,
o Senhor do céu" seus privilégios distintos e dignidades - todas estas coisas,
caso fosse celebrado pelo poder do Espírito Santo, produzir o mais rico, o mais
raro e mais frutas perfumadas. (Veja Ef 5.. 23-32)

Quando olhamos para o tipo antes de nós, podemos formar uma idéia dos
resultados que deveriam seguir a partir da compreensão da posição e do
relacionamento da Igreja.O afeto não deve Eva para Adão? O que ela gostava
de proximidade! Que intimidade da comunhão! O plena participação em todos
os seus pensamentos! Em toda a sua dignidade, e em toda a sua glória, ela era
inteiramente um. Ele não se pronunciou sobre, mas com ela. Ele era o Senhor
de toda a criação, e ela era uma com ele. Sim, como já foi observado, ela foi
olhado, e abençoados nele. "O homem" era o objeto, e como a "mulher", ela
era necessária para ele, e, portanto, ela foi trazida à existência. Nada pode
ser mais profundamente interessante como um tipo. Homem definir pela
primeira vez, ea mulher visto, e então formou fora dele, tudo isso forma um
tipo de personagem mais impressionante e instrutivo. Não que a doutrina já
pode ser fundada sobre um tipo, mas quando encontramos a doutrina plena e
claramente estabelecidas em outras partes da Palavra, estamos então
preparados para entender, apreciar e admirar o tipo.

Salmo 8 fornece uma bela vista do homem posto sobre a obra das mãos de
Deus: "Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as
estrelas que tu ordenados: o que é o homem para que te lembres dele e ? o
filho do homem para que o visites Para tu fizeste um pouco menor que os
anjos, e tens coroado de glória e de honra Fazes com que ele tenha domínio
sobre as obras das tuas mãos;. tu colocar todas as coisas sob o seu pés: Todas
as ovelhas e bois, assim como os animais do campo, as aves do céu, e os
peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas do mar ". Aqui o homem é
olhado, sem qualquer menção distintiva da mulher, e isso é muito no
personagem, para a mulher é olhada em o homem.

Não há nenhuma revelação direta do mistério da Igreja, em qualquer parte do


Antigo Testamento. O apóstolo diz expressamente: "em outras gerações não
foi dado a conhecer aos filhos de nós, homens, é agora revelado aos seus
santos apóstolos e profetas (do Novo Testamento) pelo Espírito." (Ef 3, 1-11)
Assim, no Salmo que acabamos de citar, temos apenas "o homem" apresentado
para nós, mas sabemos que o homem ea mulher são vistos sob uma
cabeça. Tudo isso irá encontrar o seu tipo anti completa nos séculos
vindouros. Então o verdadeiro homem, o Senhor do céu, tomar o seu lugar no
trono, e, na companhia de sua noiva, a Igreja, a regra sobre a criação
restaurada.Sua Igreja é vivificada para fora da sepultura de Cristo, é a parte
"de seu corpo, de sua carne e de seus ossos." Ele é o Cabeça e ela o corpo,
fazendo com que um homem, como lemos no quarto capítulo de Efésios.

"Até que todos cheguemos, na unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de


Deus, a homem perfeito, à medida da estatura da plenitude de Cristo". A
Igreja, sendo, portanto, parte de Cristo, vai ocupar um lugar, na glória,
bastante singular. Não havia nenhuma outra criatura tão perto de Adão como
Eva, porque nenhuma outra criatura era parte de si mesmo. Assim, em
referência à Igreja, ela vai ocupar o lugar muito mais próximo de Cristo, em
Sua glória por vir.

Nem é apenas o que a Igreja será que comanda a nossa admiração, mas o que
é a Igreja. Ela agora é o corpo, do qual Cristo é a Cabeça, ela é agora o
templo de Deus, que é o habitante. Oh que tipo de pessoas devemos ser? Se
esse é o presente, como o futuro de dignidade que de que nós, pela graça de
Deus, fazem parte, sem dúvida, uma santa, uma dedicada, uma separação,
uma caminhada elevado é o que nos torna.

Que o Espírito Santo revelar essas coisas, mais completa e poderosa, para os
nossos corações, para que assim possamos ter um sentido mais profundo da
conduta e caráter que são dignos da alta vocação a que somos chamados. "Os
olhos do vosso entendimento ser iluminado, para que saibais qual é a
esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos
santos e qual a suprema grandeza do seu poder para usward que acreditam,
de acordo com o funcionamento do seu poder, que operou em Cristo,
ressuscitando-o dos mortos, e pondo-o à sua direita nos lugares celestiais,
muito acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e todo
nome que se nomeia, não só neste mundo, mas também no que há de vir, e
sujeitou todas as coisas debaixo dos seus pés, e deu-lhe para ser o cabeça
sobre todas as coisas para a Igreja, que é seu corpo, a plenitude daquele que
cumpre tudo em todos ". (Efésios 1:. 18-23)
Gênesis 2

O capítulo apresenta ao nosso conhecimento dois assuntos importantes, ou


seja, "o sétimo dia" e "The River". A primeira delas exige uma atenção
especial.

Há poucos assuntos sobre os quais tanto mal-entendidos e contradição


prevalece como a doutrina do "Sabbath". Não é que não há a menor base para
qualquer um ou o outro, pois todo o assunto está previsto na palavra, da
maneira mais simples possível. O mandamento distintas, para "santificar o dia
de sábado" virá antes de nós, o Senhor permitindo, em nossas meditações
sobre o livro de Êxodo. No capítulo de hoje diante de nós, não há um comando
dado ao homem, qualquer que seja, mas simplesmente o registro de que
"Deus descansou no sétimo dray". "Assim os céus ea terra foram terminados, e
todo o exército deles E no sétimo dia Deus terminou a sua obra que tinha
feito,., E ele descansou no sétimo dia de toda a sua obra que tinha feito, e
Deus abençoou. o sétimo dia, eo santificou, porque nele Ele descansou de
toda a sua obra que Deus criara e fizera. " Não há mandamento dado ao
homem, aqui. Estamos simplesmente disse que Deus gostava de seu descanso,
porque tudo foi feito, desde que a mera criação estava preocupado. Não havia
mais nada a ser feito, e, portanto, o único que teve, durante seis dias, vindo a
trabalhar, deixou de funcionar, e gostava de seu descanso. Tudo estava
completa, tudo era muito bom, tudo era apenas como Ele mesmo tinha feito,
descansou nele. "As estrelas da manhã cantaram juntas, e todos os filhos de
Deus rejubilavam." O trabalho de criação foi terminado, e Deus estava
comemorando um sábado.

E, seja observado, que este é o verdadeiro caráter de um sábado. Este é o


único sábado que Deus sempre celebrada, tanto quanto o registro inspirado
nos instrui. Depois disso, lemos do homem comandando de Deus para guardar
o sábado, eo homem absolutamente não para fazer, mas nunca lemos
novamente as palavras: "Deus descansou:" pelo contrário, a palavra é: "Meu
Pai trabalha até agora, e eu trabalho. " (João 5: 17) O sábado, no sentido
estrito e próprio do termo, só podia ser celebrada quando realmente havia
nada a ser feito. Só podia ser celebrada em meio a uma criação sem mácula -
uma criação em que nenhuma mancha do pecado poderia ser discernido. Deus
não pode ter descanso, onde há pecado, e só um tem de olhar ao seu redor, a
fim de aprender a impossibilidade total de Deus desfrutar de um descanso na
criação agora. O espinho eo cardo, juntamente com o de dez mil outros
melancolia e frutas humilhantes de uma criação que geme, subir antes de nós,
e declarar que Deus deve estar no trabalho e não em repouso. Deus poderia
descansar no meio de espinhos e abrolhos? Ele poderia descansar em meio a
suspiros e lágrimas, os gemidos e dores, a doença ea morte, a degradação ea
culpa de um mundo em ruínas? Deus poderia sentar-se, por assim dizer, e
celebrar um sábado no meio de tais circunstâncias?

Qualquer resposta que pode ser dada a estas perguntas, a palavra de Deus nos
ensina que Deus não teve Sabbath, ainda, salvar aquele que o segundo de
registros de Gênesis."O sétimo dia", e nenhum outro, foi o sábado. Ele
mostrou por diante a integridade do trabalho de criação, mas o trabalho de
criação é marcada, e no dia sétimo descanso interrompido, e assim, desde a
queda para a encarnação, Deus estava trabalhando, desde a encarnação até a
cruz, o Filho de Deus estava trabalhando, e de Pentecostes até agora, Deus, o
Espírito Santo tem vindo a trabalhar.

Certamente, Cristo não tinha sábado, quando Ele esteve na Terra. Na


verdade, Ele terminou Seu trabalho - felizmente, gloriosamente terminou mas
onde ele passar o dia de sábado? No túmulo! Sim, meu leitor, o Senhor Jesus
Cristo. Deus manifestado na carne, o Senhor do sábado, o Criador e
Sustentador do céu e da terra, passou o sétimo dia no túmulo escuro e
silencioso. Não tem essa voz por nós? Será que não transmitem
ensinamentos? Será que o Filho de Deus jazem na sepultura no sétimo dia, se
esse dia fosse gasto em descanso e paz, e no sentido pleno que nada restava a
ser feito? impossível! Não queremos mais uma prova da impossibilidade de
celebrar o sábado do que a que é oferecida no túmulo de Jesus. Podemos ficar
ao lado aquela sepultura surpreso ao encontrá-lo ocupado por um tal no
sétimo dia, mas, oh! a razão é óbvia. O homem é uma criatura caída
arruinado, culpado. Sua longa carreira de culpa terminou em crucificar o
Senhor da glória, e não só crucificando, mas colocando uma grande pedra na
entrada do túmulo, para evitar, se possível, sua deixá-lo.

E o que estava fazendo ao homem o Filho de Deus estava no túmulo? Ele


estava observando o dia de sábado! Que pensamento! Cristo em sua sepultura
para reparar um sábado quebrado, e ainda o homem tentando manter o
sábado como se não tivesse sido quebrado em tudo! Era sábado de homem e
não de Deus. Foi um sábado sem Cristo - um vazio, impotente, inútil, porque
sem Cristo e sem Deus, o formulário.

Mas alguns dirão: "o dia foi alterado, enquanto todos os princípios que a
integram permanecem as mesmas." Eu não acredito que a Escritura fornece
qualquer fundamento para tal idéia. Onde está a autorização divina para tal
afirmação? Certamente, se existe autoridade escritura, nada pode ser mais
fácil do que para produzi-lo. Mas o fato é que não há ninguém, pelo contrário,
a distinção é mais plenamente mantida no Novo Testamento. Tome uma
passagem notável, em prova: "No fim do sábado, quando começou a despontar
para o primeiro dia da semana." (Mat. 28: 1) Não é, evidentemente, sem
mencionar aqui o sétimo dia a ser mudado para o primeiro dia, nem de
qualquer transferência do sábado de um para o outro. O primeiro dia da
semana não é o sábado mudado, mas de todo um novo dia. É o primeiro dia de
um novo período, e não o último dia de um velho. O sétimo dia estandes
conectado com a terra eo restante terreno, o primeiro dia da semana, ao
contrário, nos céus e descanso celestial apresenta.

Isso faz uma grande diferença no princípio, e quando olhamos para a questão
em um ponto de vista prático, a diferença é de mais material. Se eu celebrar
o sétimo dia, que me marca como um homem terreno, na medida em que o
dia é, claramente, o resto do mundo - descanso criação, mas se eu estou
ensinado pela Palavra e Espírito de Deus para compreender o significado do
primeiro dia da semana, vou ao mesmo tempo apreender sua conexão
imediata com esta nova e celestial ordem das coisas, de que a morte ea
ressurreição de Cristo são a base eterna. O sétimo dia pertenciam a Israel e à
Terra. O primeiro dia dos appertains mansos para a Igreja e para o céu. Além
disso, Israel foi ordenado a observar o dia de sábado, a Igreja
é privilegiada para aproveitar o primeiro dia da semana. O primeiro foi
o teste de condição moral de Israel, este último é o importante prova de
aceitação eterna da Igreja. Isso fez com que manifestar o que Israel poderia
fazer para Deus, o que perfeitamente declara o que Deus fezpor nós.

É completamente impossível superestimar o valor ea importância do dia do


Senhor, ( e kuriake Emera ), como o primeiro dia da semana é chamado, no
primeiro capítulo do Apocalipse. Sendo o dia em que Cristo ressuscitou dos
mortos, ele apresenta, não a conclusão da criação, mas o triunfo completo e
glorioso da redenção. Também não devemos considerar a celebração do
primeiro dia da semana como uma questão da escravidão, ou como um jugo
colocado no pescoço de um cristão. É o seu prazer de comemorar esse dia
feliz. Assim, vemos que o primeiro dia da semana era pré-eminentemente o
dia em que os primeiros cristãos se reuniram para partir o pão, e em que
período da história da Igreja, a distinção entre o sábado eo primeiro dia da
semana foi totalmente mantida. Os judeus comemoraram o primeiro,
reunindo em suas sinagogas, para ler "a lei e os profetas" os cristãos
celebraram o último, através da montagem para partir o pão. Não há sequer
uma única passagem da Escritura em que o primeiro dia da semana é chamado
o dia de sábado e que não é a prova mais abundante de toda a sua nitidez.

Por que, então, lutar por aquilo que não tem fundamento na Palavra? Amor,
honra e celebrar o dia do Senhor, tanto quanto possível, procurar, como o
apóstolo, para ser "no espírito" nele, deixe a sua aposentadoria a partir de
assuntos seculares ser tão profundo como sempre você pode fazer isso, mas
enquanto você faz tudo isso, chamá-lo pelo seu nome próprio, dar-lhe o seu
devido lugar, compreender os seus princípios próprios, anexar a ele as suas
características próprias e, acima de tudo, não se ligam para baixo o cristão,
como acontece com uma regra de ferro, para observar o sétimo dia , quando é
o seu elevado e santo privilégio de observar o primeiro. Não derrubá-lo do
céu, onde ele pode descansar, uma terra amaldiçoada e manchada de sangue,
onde ele não pode. Não pergunte a ele para manter um dia que o seu Mestre
passou no sepulcro, em vez de bem-aventurada dia em que Ele deixou. (Ver,
cuidadosamente, Matt 28: 1-6, Marcos 16:. 1-2; Lucas 24: 1; João 20: 1, 19,
26, Atos 20:. 7, 1 Coríntios 16: 2; Rev. 1: 10, Atos 13: 14, Atos 17: 2; Col. 2,
16).

Mas que não se supor que perdemos de vista o fato importante de que o
sábado será de novo celebrado, na terra de Israel, e sobre toda a criação. Ele
certamente o fará."Resta ainda um repouso ( sabbatismos ) para o povo de
Deus. " (Hebreus 4: 9) Quando o Filho de Abraão, Filho de Davi, e Filho do
Homem, deve assumir sua posição de governo sobre toda a terra, haverá um
descanso sabático glorioso que o pecado nunca deve interromper. Mas agora,
Ele é rejeitado, e todos que conhecem e amam são chamados para tomar o
seu lugar com Ele na Sua rejeição, eles são chamados de "ir por diante a Ele
fora do arraial, levando o seu opróbrio." (Hebreus 13: 13) Se a terra pudesse
manter um sábado, não haveria censura, mas o próprio fato de a igreja
professa é procurar fazer com que o primeiro dia da semana, o sábado, revela
um princípio profundo. É, mas o esforço para voltar a uma posição terrestre, e
um código de terreno da moral.

Muitos não podem ver isso. Muitos verdadeiros cristãos podem, mais
conscientemente, observar o dia de sábado, como tal, e somos obrigados a
honrar as suas consciências, apesar de estarmos perfeitamente justificado em
pedir-lhes para fornecer uma base bíblica para as suas convicções
conscientes. Nós não tropeçar ou ferir sua consciência, mas que iria tentar
instruí-lo. No entanto, não estamos agora ocupado com a consciência ou de
suas convicções, mas apenas com o princípio que está na raiz do que pode ser
chamado de a questão do sábado, e eu só iria colocar a questão para o leitor
cristão, que é mais em consonância com a escopo inteiro eo espírito do Novo
Testamento, a celebração do sétimo dia ou sábado, ou a celebração do
primeiro dia do manso ou o dia do Senhor? *

{* Este assunto será, se o Senhor o permitir, vieram antes de nós novamente


em Êxodo 20, mas eu seria, aqui, observar que muito da infracção e mal-
entendidos relacionados com o objecto importante do sábado, pode ser
justamente atribuída ao conduta imprudente e insensato de alguns que, em
seu zelo para que eles chamaram liberdade cristã, em referência ao sábado, e
não perder de vista as reivindicações das consciências honestas e também do
lugar que o dia do Senhor ocupa no Novo Testamento. Alguns têm sido
conhecida a entrar em suas ocupações semanais, simplesmente para mostrar a
sua liberdade, e, portanto, eles causaram ofensa muito desnecessária. Tal
ação nunca poderia ter sido sugerido pelo Espírito de Cristo. Se eu sou sempre
tão clara e livre, em minha própria mente, eu deveria respeitar a consciência
dos meus irmãos e, além disso, eu não acredito que aqueles que assim
realizar-se, realmente entender os privilégios reais e preciosos relacionados
com o dia do Senhor . Nós só deve ser muito grato a se livrar de todos
ocupação secular e distração, a pensar em recorrer a eles, com a finalidade
de mostrar a nossa liberdade. A boa providência do nosso Deus tão organizado
pelo Seu povo em todo o Império Britânico, que podem, sem perda
pecuniária, aproveitar o resto do dia do Senhor, na medida em que todos são
obrigados a abster-se de negócios. Isto deve ser considerado, por todas as
mentes bem regulado, como misericórdia, porque, se não fosse assim
ordenada, sabemos como coração cobiçoso do homem que, se possível, roubar
o cristão do doce privilégio de assistir à montagem, no dia do Senhor. E quem
pode dizer qual seria o efeito de amortecimento de envolvimento ininterrupto
com este tráfego mundos? Aqueles cristãos que, a partir de segunda-feira a
sábado à noite, respiram a densa atmosfera do mart, o mercado e, a
confecção, pode formar uma idéia dele.

Ele não pode ser considerado como um bom sinal para encontrar os homens,
que estabelece medidas para a profanação pública do dia do Senhor. É, com
certeza, marca o progresso da infidelidade e da influência francesa.

Mas há alguns que ensinam que a expressão e kuriake Emera , que é


justamente o suficiente traduzido, "dia do Senhor", se refere ao "dia do
Senhor", e que o exilado apóstolo viu-se levado adiante, por assim dizer, no
Espírito do dia do Senhor. Eu não acredito que o original poderia suportar tal
interpretação, e, além disso, temos em 1 Tes. 5: 2 e 2 Pedro 3: 10, as
palavras exatas, o "dia do Senhor", o original de que é bastante diferente da
expressão acima referida, não sendo e kuriake Emera, mas e Emera
kurion . Isso resolve totalmente o problema, desde que a mera crítica está em
causa, e como a interpretação, é evidente que, de longe, a maior parte do
Apocalipse está ocupada, não com o "dia do Senhor", mas com eventos
anteriores à mesma. }

Vamos agora considerar a conexão entre o sábado eo rio que flui para fora do
Éden. Há muito interesse nisso. É a primeira convocação temos de "rio de
Deus", que é, aqui, introduzido em conexão com o descanso de Deus. Quando
Deus estava descansando em suas obras, o mundo inteiro sentiu a bênção e
seu refresco. Era impossível para Deus, para manter a sábado, e terra para
não sentir a sua influência sagrada. Mas, infelizmente, os córregos que
corriam diante de Eden-a cena de descanso terrestre - foram rapidamente
interrompida, porque o resto da criação foi marcada pelo pecado.

No entanto, bendito seja Deus, o pecado não colocar um fim a suas


atividades, mas apenas lhes deu uma nova esfera, e onde quer que Ele é visto
atuando, o rio é visto fluindo. Assim, quando encontrá-lo, com mão forte e
braço estendido, conduzindo suas hostes resgatados em areia estéril do
deserto, não vemos o fluxo fluindo, e não do Éden, mas a partir do Rocha
ferida - expressão apropriada e bela O solo sobre o qual os ministros graça
soberana a necessidade dos pecadores! Esta foi a redenção e não apenas
criação. "Essa rocha era Cristo:" Cristo ferido para atender a necessidade do
Seu povo. A rocha ferida estava relacionado com o lugar de Jeová no
tabernáculo, e realmente não havia beleza moral na conexão. Deus habita em
cortinas, e Israel bebendo de uma rocha ferida, tinha uma voz para todos os
ouvidos abertos, e uma profunda lição para todos os corações
circuncidados. (Ex. 17: 6)

Passando adiante, na história dos caminhos de Deus, encontramos o rio que


corre em outro canal. "No último dia, o grande dia da festa, Jesus levantou-se
e dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Aquele que crê em
mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. " (. João
7: 37, 38) Aqui, então, encontramos o rio que emana de outra fonte, e que
flui através de outro canal, embora, em certo sentido, a fonte do rio era
sempre o mesmo, sendo o próprio Deus, mas, em seguida, foi Deus, conhecido
em um novo relacionamento e sobre um novo princípio. Assim, na passagem
citada, o Senhor Jesus estava tomando o seu lugar, em espírito, fora de toda a
ordem de coisas existente, e apresentando-se como a fonte do rio de água
viva, de que o rio a pessoa do crente era ser o canal. Éden, de idade, foi
constituído um devedor para toda a terra, para enviar os fluxos de
fertilizantes. E no deserto, a rocha, quando ferido, tornou-se um devedor aos
anfitriões sedentos de Israel. Da mesma forma, agora, todo aquele que crê em
Jesus, é um devedor à cena em torno dele, para permitir que os fluxos de
refresco a fluir a partir dele.
O cristão deve considerar-se como o canal, através do qual a multiforme graça
de Cristo pode sair para um mundo necessitado, e quanto mais ele se
comunica livremente, o mais livremente que ele vai receber ", pois não há
que espalham, e ainda aumenta, e há que retém mais do que é justo, e se
empobrece. " Isso coloca o crente em um lugar de privilégio mais doce, e, ao
mesmo tempo, a responsabilidade mais solene. Ele é chamado a ser
testemunha constante e expositor da graça d'Ele em quem acredita.

Agora, mais ele entra no privilégio, mais ele vai responder a


responsabilidade. Se ele é habitualmente alimentando-se de Cristo, ele não
pode evitar expor-Lo. Quanto mais o Espírito Santo mantém os olhos do
cristão fixos em Jesus, mais vai seu coração ser ocupado com a Sua Pessoa
adorável, e sua vida e caráter são testemunho inequívoco de sua graça. A fé
é, ao mesmo tempo, o poder do ministério, o poder do testemunho, eo poder
da adoração. Se não estamos vivendo "pela fé do Filho de Deus, que nos
amou, e se entregou por nós" devemos ser nem servos eficazes, testemunhas
fiéis, nem os verdadeiros adoradores. Podemos estar fazendo um ótimo
negócio, mas não será um serviço a Cristo. Podemos estar a dizer uma grande
coisa, mas não vai ser testemunho de Cristo. Podemos apresentar uma grande
quantidade de piedade e devoção, mas não vai ser culto espiritual e
verdadeiro.

Finalmente, temos o rio de Deus, que nos é apresentado no último capítulo do


Apocalipse. * "E ele me mostrou o rio da água da vida, claro como cristal, que
sai do trono de Deus e do Cordeiro." "Há um rio, cujas correntes alegram a
cidade de Deus, o lugar santo das moradas do Altíssimo." Este é o último lugar
em que nos encontramos rio. Sua fonte pode nunca mais ser tocado - seu
canal nunca mais interrompida. "O trono de Deus" é expressiva da estabilidade
eterna, e na presença do Cordeiro marca como base sobre a terra imediato da
redenção realizada. Ele não é o trono de Deus na criação, nem na
providência, mas na redenção. Quando eu vejo o Cordeiro, eu sei que a sua
ligação com me como um pecador. "O trono de Deus," como tal, mas deter-
me, mas quando Deus se revela na pessoa do Cordeiro, o coração é atraído, ea
consciência tranquillised.

{* Compare também Ezequiel. 47: 1-12; Zc 14: 8}.

O sangue do Cordeiro purifica a consciência de cada partícula e mancha do


pecado, e define-o, em perfeita liberdade na presença de uma santidade que
não pode tolerar o pecado. Na cruz, todas as reivindicações da santidade
divina eram perfeitamente respondidas, de modo que quanto mais eu entendo
o último, mais aprecio o antigo. Quanto maior a nossa estimativa de
santidade, maior será a nossa estimativa da obra da cruz. "A graça reina pela
justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor". Por isso, o salmista
convida os santos para dar graças a lembrança da santidade de Deus. Este é
um precioso fruto de uma perfeita redenção. Antes mesmo de um pecador
pode dar graças a lembrança da santidade de Deus, ele deve olhar para ele
pela fé, do lado da ressurreição da cruz.
Tendo assim traçado do rio, do Gênesis ao Apocalipse, vamos olhar
brevemente para a posição de Adão no Éden. Nós vimos ele como um tipo de
Cristo, mas ele não é apenas para ser visto normalmente, mas, pessoalmente,
não apenas como absolutamente sombreamento adiante "o segundo homem, o
Senhor do céu", mas também como está no lugar de responsabilidade pessoal
. No meio da cena justa da criação, o Senhor Deus estabeleceu um
testemunho, e este testemunho também foi um teste para a criatura. Ele
falou sobre a morte no meio da vida . "No dia em que tu comeres, certamente
morrerás." Estranho, som solene. No entanto, foi necessário um som. A vida
de Adão foi suspenso em cima de sua estrita obediência. O vínculo que o
ligava com o Senhor Deus * era a obediência, baseada na confiança implícita
na One, que se pôs em sua posição de dignidade - a confiança em Sua verdade
- confiança em Seu amor. Ele poderia obedecer somente quando ele
confidenciou. Veremos a verdade ea força deste, mais plenamente, quando
chegamos a analisar no próximo capítulo.

{* O leitor vai observar a mudança no segundo capítulo, a partir da expressão


"Deus" ao Senhor Deus "Há muita importância na distinção Quando Deus é visto
atuando em relação com o homem, Ele leva o título de Senhor Deus.". -
(Jeová Elohim ;) mas até que o homem aparece em cena, a palavra "Senhor":
não é usado vou apenas apontar três das muitas passagens em que a distinção
é muito impressionante apresentados.. "E os que entraram eram macho e
fêmea de toda a carne, como Deus (Elohim) lhe tinha ordenado, eo Senhor
(Jeová) fechou em (Gênesis 7: 16) Elohim ia destruir o mundo, que tinha
feito, mas o Senhor cuidou de o homem com quem estava na relação. Mais
uma vez, "que toda a terra saiba que há um Deus (Elohim), em Israel. E toda
esta assembléia saiba que o Senhor (Jeová) salva", & c. (. 1 Sam 17: 46, 47)
Toda a terra foi reconhecer a presença de Elohim, mas Israel foi chamado
para reconhecer os atos de Jeová, com quem ficou na relação. Por último,
"Josafá clamou, eo Senhor (Jeová) o ajudou, e Deus (Elohim) os desviou
dele." (. 2 Cr 18, 31) Jeová cuidou de seu pobre servo que erram, mas Elohim,
embora desconhecida, agiu sobre os corações dos sírios incircunciso}.

Gostaria de sugerir aqui ao meu leitor o contraste notável entre o testemunho


criado no Éden, e que é definido agora. Então, quando tudo ao redor
era vida , Deus falou demorte , agora, ao contrário, quando tudo ao redor é a
morte, Deus fala da vida: então a palavra "no dia comeres tu morrer , "agora é
a palavra", crer e viver . " E, como no Éden, o inimigo procurou fazer o
testemunho do vazio de Deus, quanto ao resultado de comer o fruto, agora,
ele pretende tornar o testemunho de Deus quanto ao resultado de crer no
evangelho. Deus havia dito: "No dia em que tu comeres tu
certamente morrer . Mas a serpente disse: Vós não deve
certamente morrerá . " E agora, quando a palavra de Deus claramente declara
que "aquele que crê no tem eterna vida "(João 3: 16), a mesma serpente tenta
convencer as pessoas que têm a vida não eterna, nem devem presumir a
pensar em tal coisa , até que eles têm, em primeiro
lugar, feito , sentiu e experimentou todos os tipos de coisas.

Meu querido leitor, se você ainda não sinceramente acreditava que o registro
divino, deixe-me te suplico para permitir que "a voz do Senhor" a prevalecer
acima o silvo da serpente. "Quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me
enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da
morte para a vida." (João 5: 24)

Gênesis 3

Esta seção do nosso livro coloca diante de nós o rompimento de toda a cena
em que temos vindo a habitação. Ela é abundante em princípios muito
pesadas, e foi, muito justamente, sido, em todos os tempos, recorreu a como
um tema mais proveitosa para aqueles que desejavam expor a verdade como
a ruína do homem eo remédio de Deus. A serpente entra, com uma pergunta
ousada como a revelação divina - modelo terrível e precursor de todas as
questões infiéis desde levantada por aqueles que têm, infelizmente! também
serviu fielmente causa da serpente nas questões mundiais que são apenas
para ser atendidos pela autoridade suprema e. majestade divina da Sagrada
Escritura.

"É assim que Deus disse: não comereis de toda árvore do jardim?" Este
inquérito foi astuto de Satanás, e tinha a palavra de Deus foi residência
ricamente no coração de Eva, sua resposta pode ter sido direto, simples e
conclusiva. O verdadeiro caminho em que se encontrar perguntas e sugestões
de Satanás, é tratá-los como seus, e repeli-los pela palavra. Para deixá-los
perto do coração, por um momento, é perder o único poder pelo qual
respondê-las. O diabo não apresentar abertamente a si mesmo e dizer: "Eu
sou o diabo, o inimigo de Deus, e eu vim para difamar ele, e arruiná-lo." Isso
não seria de serpente, e, ainda assim, ele realmente fez tudo isso, ao
levantar questões na mente da criatura. Para admitir a pergunta: "que Deus
disse?" quando eu sei que Deus tem falado, é a infidelidade positivo, eo fato
da minha admiti-lo, prova a minha total incapacidade de enfrentá-lo. Assim,
no caso de Eva, a forma de sua resposta evidenciado o fato de que ela é má
admitiu ao inquérito astuto o coração da serpente. Em vez de aderir
estritamente às palavras exatas de Deus, ela, em sua resposta, na verdade
acrescenta à mesma.

Agora, ou para adicionar ou tirar, a palavra de Deus, se mostra muito


claramente, que a Sua palavra não habita em meu coração, ou que regem a
minha consciência. Se um homem é encontrar seu prazer em obediência, se é
sua comida e sua bebida, se ele está vivendo de toda palavra que procede da
boca de Jeová, ele vai, com certeza, estar familiarizado com, e totalmente
vivo para, Sua palavra. Ele não podia ficar indiferente a ele. O Senhor Jesus,
em Seu conflito com Satanás, aplicou corretamente a palavra, porque Ele
viveu nela, e estimava-se mais do que o Seu alimento necessário. Ele não
podia misquote ou aplicar mal a palavra, nem Ele poderia ser indiferente
sobre isso. Não é assim a véspera. Ela acrescentou que o que Deus tinha
dito. Sua ordem era bastante simples, "Não comerás dela". Para esta Eva
acrescenta suas próprias palavras, "nem tocareis nele". Estas foram as
palavras de Eva, e não de Deus. Ele não tinha dito nada sobre tocar, de modo
que se ela misquotation passou de ignorância ou indiferença, ou um desejo de
representar Deus sob uma luz arbitrária, ou de todos os três juntos, é claro
que ela estava totalmente fora do verdadeiro fundamento da simples
confiança , e sujeição a santa palavra de Deus. "Com as palavras da tua boca,
eu me guardei das veredas do destruidor."

Nada pode possuir interesse mais dominante do que a maneira em que a


palavra está em todos os lugares apresentar todo o cânon sagrado,
juntamente com a imensa importância da obediência estrita aos mesmos. A
obediência é devida a partir de nós a Palavra de Deus, simplesmente porque é
a Sua palavra. Para levantar uma questão, quando Ele falou, é uma
blasfêmia. Estamos no lugar da criatura. Ele é o Criador, Ele pode, portanto,
justamente reivindicar obediência de nós. O infiel pode chamar isso de
"obediência cega", mas o cristão chama obediência inteligente, na medida em
que se baseia no conhecimento que é a palavra de Deus para que ele seja
obediente. Se um homem não tinha a palavra de Deus, ele poderia muito bem
ser considerado em cegueira e escuridão, pois não há sequer um único raio de
luz divina, dentro ou em torno de nós, mas o que emana da palavra pura e
eterna de Deus. Tudo o que quero saber é que Deus falou, e, em seguida, a
obediência torna-se a mais alta ordem de atuação inteligente. Quando a alma
se levanta a Deus, ele alcançou o mais alto fonte de autoridade. Nenhum
homem, nem o corpo dos homens, pode reivindicar obediência a sua palavra,
pois é deles, e, portanto, as pretensões da Igreja de Roma é arrogante e
impiedoso. Em sua obediência alegando, ela usurpa a prerrogativa de Deus, e
tudo que cedê-lo, roubar a Deus do seu direito. Ela se atreve a colocar-se
entre Deus ea consciência, e quem pode fazer isso com a impunidade? Quando
Deus fala, o homem é obrigado a obedecer. Feliz é aquele, se ele faz isso. Ai
se ele não o faz. Infidelidade pode questionar se Deus tem falado; superstição
pode colocar a autoridade humana entre a minha consciência eo que Deus
tem falado, por tanto eu gosto eu estou efetivamente roubado da palavra, e,
como conseqüência, da profunda bem-aventurança da obediência.

Há bênção em cada ato de obediência, mas o momento em que a alma hesita,


o inimigo tem a vantagem, ele irá, seguramente, usá-lo, para empurrar a
alma mais e mais de Deus. Assim, no capítulo diante de nós, a pergunta: "É
assim que Deus disse?" Seguiu-se, "Certamente não morrerás". Ou seja, não foi
a primeira questão levantada, quanto a saber se Deus tinha falado, e depois
seguiu a contradição aberta do que Deus havia dito. Este fato solene é
abundantemente suficiente para mostrar o quão perigoso é admitir, perto do
coração de uma questão como a revelação divina, em sua plenitude e
integridade. A racionalismo refinado é muito perto semelhante a infidelidade
bold; ea infidelidade que se atreve a julgar a Palavra de Deus não está longe
de ser o ateísmo, que nega a sua existência. Eva nunca teria ficado por ouvir
Deus contradisse, se ela não tivesse anteriormente caído em frouxidão e
indiferença quanto à Sua palavra. Ela também tinha suas "fases de Fé", ou,
para falar mais corretamente, suas fases de Infidelidade: ela sofreu Deus para
ser contrariada por uma criatura, simplesmente porque? Sua palavra tinha
perdido a sua autoridade sobre o seu próprio coração, a sua consciência, e sua
compreensão.

Isto fornece um aviso solene a todos os que estão em perigo de serem


enganados por um racionalismo profano. Não há verdadeira segurança, salvo
em uma profunda fé na inspiração plena e suprema autoridade de "toda a
Escritura". A alma que está dotado com isso tem uma resposta triunfante a
cada objector, se ele questão de Roma ou na Alemanha. "Não há nada de novo
sob o sol". As auto-mesmo mal que agora está corrompendo as próprias fontes
do pensamento e do sentimento religioso, ao longo da parte mais bela do
continente europeu, foi o que colocou o coração de Eva em ruínas, no jardim
do Éden. O primeiro passo em seu caminho descendente era seu obedecendo à
pergunta: "Deus disse". E, em seguida, ela foi para a frente, de etapa em
etapa, até que, finalmente, ela se curvou diante da serpente, e de
propriedade dele como seu deus, ea fonte da verdade. Sim, meu leitor, a
serpente deslocado Deus ea verdade da serpente mentira de Deus. Assim foi
com o homem caído, e assim é com a posteridade do homem caído. A palavra
de Deus não tem lugar no coração do homem não regenerado, mas a mentira
da serpente tem. Deixe a formação do coração do homem ser examinado, e
ele será encontrado que há um lugar nele para a mentira de Satanás, mas
nenhuma razão para a verdade de Deus. Daí a força da palavra a Nicodemos:
"Necessário vos é nascer de novo."

Mas, é importante observar o modo em que a serpente tentou abalar a


confiança de Eva na troth de Deus e, assim, trazê-la sob o poder do infiel
" razão ". Foi por sacudindo a confiança no amor de Deus. Ele tentou sacudir a
confiança em que Deus havia dito, mostrando que o depoimento não foi
fundada no amor. "Porque", disse ele, "Deus sabe que no dia em que comerdes
desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como deuses, conhecedores do
bem e do mal." (. Ver. 6) Em outras palavras, "Não há vantagem positivo
relacionado com a comer do fruto de que Deus está procurando privá-lo, por
que, por isso, você deve acreditar que o testemunho de Deus, você não pode
colocar a confiança em alguém que, manifestamente? , não te ama, pois, se
ele te amava, por que ele deveria proibir seu desfrutando de um privilégio
positivo?

Segurança da véspera contra a influência de todo esse raciocínio, teria sido


simples repouso na bondade infinita de Deus. Ela deveria ter dito à serpente:
"Tenho plena confiança na bondade de Deus, por isso, considero impossível
que pudesse reter qualquer bem real de mim Se essa fruta foram bons para
mim, eu certamente deve tê-lo;., Mas o fato de ser proibido por Deus prova
que eu não seria melhor, mas muito pior pela alimentação do mesmo. Estou
convencido do amor de Deus e estou convencido da verdade de Deus, e eu
acredito, também, que você é um mal vir a chamar meu coração longe da
fonte de bondade e verdade. Vai-te para trás de mim, Satanás ". Esta teria
sido uma resposta nobre. Mas não foi dada. Sua confiança na verdade e no
amor cedeu, e tudo estava perdido, e assim vemos que não é tão pequeno
lugar no coração do apaixonado por amor de Deus, como existe para a
verdade de Deus. O coração do homem é um estranho para tanto um quanto o
outro, até renovado pelo poder do Espírito Santo.

Agora, é profundamente interessante para se converterem da mentira de


Satanás, em referência à verdade e no amor de Deus, com a missão do Senhor
Jesus Cristo, que veio do seio do Pai, a fim de revelar o que ele realmente
é. "A graça ea verdade" - as mesmas coisas que o homem perdido, em sua
queda - "vieram por Jesus Cristo." (João 1: 17) Ele era "a fiel testemunha" de
que Deus era. (Ap 1, 5) Truth revela Deus como Ele é, mas esta verdade está
relacionada com a revelação da graça perfeita, e, assim, o pecador encontra,
a sua, a alegria indescritível, que a revelação de que Deus é, em vez de ser
seu destruição, torna-se a base de sua salvação eterna. "Esta é a vida eterna:
que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, ea Jesus Cristo, a quem
enviaste." (João 17: 3.) Eu não posso conhecer a Deus e não tem a vida. A
perda do conhecimento de Deus era a morte, mas o conhecimento de Deus é a
vida. Este, necessariamente, torna a vida uma coisa totalmente fora de nós
mesmos, e depende do que Deus é.Deixe-me chegar ao que quantidade de
auto-conhecimento que pode, não é dito que "esta é a vida eterna, conhecer
a si mesmo;", embora, sem dúvida, o conhecimento de Deus eo conhecimento
de auto-vão muito juntos; ainda, a "vida eterna" está relacionado com o
primeiro, e não com o último. Para conhecer a Deus como Ele é, é a vida, e
"todos os que não conhecem a Deus" serão "punidos com a destruição eterna
da Sua presença."

É de extrema importância para ver que o que realmente caráter e condição


selos do homem é a sua ignorância ou o conhecimento de Deus. Isso é que
marca seu caráter aqui, e corrige o seu destino futuro. Ele é o mal em seus
pensamentos, o mal em suas palavras, o mal em suas ações? É o resultado de
seu ser ignorante de Deus. Por outro lado, ele é puro no pensamento, santo na
conversa, gracioso em ação? É, mas o resultado prático do seu conhecimento
de Deus. Assim como também para o futuro. Para conhecer a Deus é a base
sólida de felicidade sem fim - glória eterna. Para conhecê-Lo não é
"destruição eterna". Assim, o conhecimento de Deus é tudo. Ele vivifica a
alma, purifica o coração, tranquillises a consciência, eleva as afeições,
santifica o caráter ea conduta inteiro.

Será preciso saber, portanto, que grande projeto de Satanás era roubar a
criatura do verdadeiro conhecimento do único Deus verdadeiro? Ele deturpou
o bendito Deus: Ele disse que não foi gentil. Esta foi a fonte secreta de todo o
mal. Não importa o que o pecado forma desde então tem levado não importa
através de qual canal ele fluiu, em que a cabeça tem-se à distância, ou em
que traje que vestiu-se, é tudo para ser atribuída a uma coisa, a saber, a
ignorância de Deus. O moralista mais refinado cultivada, o religioso, mais
devoto, o filantropo benevolente, se ignorante de Deus, é tão longe da vida e
da verdadeira santidade, como o publicano e prostituta. O filho pródigo foi
tanto um pecador, como positivamente errado da parte do Pai, quando ele
cruzou o limiar, como quando ele estava alimentando porcos no país
distante. (Lucas 15:. 13-15) Assim, no caso de Eva. No momento em que ela
tomou-se para fora das mãos de Deus, fora da posição de absoluta
dependência e sujeição a Sua palavra, ela abandonou-se ao governo de
sentido, como usado por Satanás para toda a sua derrubada.

O sexto verso apresenta três coisas, a saber, "a concupiscência da carne, a


concupiscência dos olhos ea soberba da vida:" quais três, como o apóstolo
afirma, compreender "tudo o que está no mundo." Essas coisas
necessariamente assumiu a liderança, quando Deus foi excluído. Se eu não
cumprir com a certeza feliz do amor e da verdade de Deus, Sua graça e
fidelidade, vou me render ao governo de alguém, ou pode ser tudo, dos
princípios acima expostos, e este é apenas um outro nome para a governo de
Satanás. Não há, a rigor, não existe tal coisa como o livre-arbítrio do
homem. Se o homem se auto-governada, ele é realmente governado por
Satanás, e se não, ele é governado por Deus.

Agora, as três grandes agências pelo qual Satanás obras são "a concupiscência
da carne, a concupiscência dos olhos ea soberba da vida". Estas são as coisas
apresentadas por Satanás para o Senhor Jesus, na tentação. Ele começou
tentando o segundo homem a tomar-se fora da posição de absoluta
dependência de Deus. "Comando estas pedras que se transformem em pães"
pediu-lhe para fazer isso, e não, como no caso do primeiro homem, para
fazer-se o que não era, mas para provar que Ele era. Seguiu-se a oferta dos
reinos do mundo, com toda a sua glória. E, finalmente, realizar a Ele para o
pináculo do templo, ele tentou para dar a si mesmo, de repente e,
milagrosamente, para a admiração do povo reunido abaixo. (Comp. Matt 4:. 1-
11 com Lucas 4:. 1-13) O design simples de cada tentação era induzir o
Abençoado para a etapa a partir da posição de dependência total em Deus, e
perfeita sujeição à Sua vontade. Mas tudo em vão. "Está escrito", foi a
resposta invariável do auto-esvaziamento, o homem perfeito apenas
dependente. Outros podem comprometem-se a gerir por si, só Deus deve
gerenciar para ele.

Que exemplo para os fiéis, em todas as circunstâncias! Jesus manteve perto


de escritura, e, assim, conquistou, sem qualquer outra arma, senão a espada
do Espírito, Ele ficou no conflito, e ganhou um triunfo glorioso. Que contraste
com o primeiro Adão! Aquele tinha tudo para implorar a Deus, o outro tinha
tudo para defender contra ele. O jardim, com todas as suas delícias, em um
caso, o deserto, com todas as suas privações, na outra: a confiança em
Satanás, em um caso, a confiança em Deus, no outro: derrota completa em
um caso, a vitória completa na outra. Bendito para sempre seja o Deus de
toda graça, que colocou a nossa ajuda em um modo poderoso para conquistar
- poderoso para salvar!

Vamos agora perguntar o quão longe Adão e Eva perceberam vantagem


prometida da serpente. Este inquérito vai nos levar a um ponto
profundamente importante na conexão com a queda do homem. O Senhor
Deus tinha ordenado para ele, que na e pela queda, o homem deve ter, o que
anteriormente, ele não tinha, e que era, uma consciência, um conhecimento
do bem e do mal. Este homem, evidentemente, não poderia ter tido
antes. Ele não poderia ter conhecido deveria sobre o mal, uma vez que o mal
não estava ali para ser conhecido. Ele estava em um estado de inocência, que
é um estado de ignorância do mal. O homem tem uma consciência, e por,
cair, e nós achamos que o primeiro efeito da consciência era fazê-lo de
covarde. Satanás totalmente enganado a mulher. Ele havia dito, "seus olhos se
abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem eo mal, mas que ele tinha
deixado de fora uma parte material da verdade, que eles devem saber bem,
sem o poder de fazê-lo;!, E que eles devem saber o mal, sem poder evitá-lo.
Sua própria tentativa de elevar-se na escala da existência moral, envolveu a
perder de elevação. Tornaram-se degradada, impotente, Satanás,
escravizado, consciência-ferido, apavorado, criaturas. "Os olhos de ambos
foram abertos", sem dúvida, mas infelizmente o que a vista era apenas para
descobrir sua própria nudez Eles abriram os olhos em cima de sua própria
condição, que era "um desgraçado, e miserável, e pobre,!. . e cego, e nu ""
Eles sabiam que estavam nus "- triste fruto da árvore do conhecimento Não
era qualquer conhecimento fresco de excelência divina que haviam atingido,
não feixe fresco da luz divina da fonte pura e eterna do mesmo - infelizmente
não;! muito mais rapidamente do resultado de seu esforço desobediente
depois de conhecimento, foi a descoberta, que estavam nus.

Agora, é bom entender isso, bem, também, para saber como a consciência
funciona, - para ver que ele só pode fazer cobardes de nós, como sendo a
consciência de que somos. Muitos estão perdidos quanto a isso, eles acham
que a consciência nos levará a Deus. Será que operar assim, no caso de Adão e
Eva? Certamente que não, nem vai, no caso de qualquer pecador. Como
poderia? Como poderia o sentido do que eu estou sempre me levar a Deus, se
não for acompanhada pela fé de que Deus é? Impossível, ele vai produzir
vergonha, auto-censura, remorso, angústia. Pode, também, dar à luz a certos
esforços, da minha parte, para remediar a situação que denuncia, mas esses
mesmos esforços, longe de desenho-nos com Deus, e não agir como um cego
para escondê-lo a partir de nosso ponto de vista. Assim, no caso de Adão e
Eva, a descoberta de sua nudez foi seguido por um esforço próprio para cobri-
lo. "Eles costuraram folhas de figueira e fizeram para si aventais." Este é o
primeiro registro que temos da tentativa do homem de remediar, pelo seu
próprio dispositivo, a sua condição, ea consideração atenta do mesmo irá
permitir-nos não um pouco de instrução quanto ao verdadeiro caráter de
religiosidade humana em todas as idades. Em primeiro lugar, vemos, não só no
caso de Adão, mas em todos os casos, o esforço do homem para remediar a
sua condição baseia-se no sentido de sua nudez. Ele é, confessadamente, nu,
e todas as suas obras são o resultado de seu ser assim. Isso nunca pode
aproveitar. Eu preciso saber que estou vestido, antes que eu possa fazer
qualquer coisa aceitável aos olhos de Deus.

E esta, seja observado, é a diferença entre o verdadeiro cristianismo ea


religiosidade humana. O primeiro baseia-se no fato de um homem estar
vestido, o último, sobre o fato de ele estar nu. O ex-para o seu pós partida
que o último tem para o seu objetivo. que um verdadeiro cristão faz, é
porque ele está vestido - perfeitamente vestida, tudo o que um mero religioso
que, a fim de que ele pode ser vestido. Isso faz uma grande diferença. Quanto
mais examinamos o gênio da religião do homem, em todas as suas fases, tanto
mais havemos de ver a sua insuficiência para corrigir seu estado, ou até
mesmo para encontrar o seu próprio sentido do mesmo. Ele pode fazer muito
bem por um tempo. Pode aproveitar tanto tempo como a morte, o juízo ea ira
de Deus são olhados a partir de uma distância, se em tudo, mas, quando um
homem chega a olhar estas realidades diretamente no rosto, ele vai
encontrar, na verdade, que a sua religião é uma cama muito curto para ele
esticar-se em cima, e uma cobertura muito estreita para ele embrulhar-se
dentro

No momento em que Adão ouviu a voz do Senhor no Éden ", ele estava com
medo ", porque, como ele mesmo confessou:" Eu estava nua. " Sim, nu,
embora ele tivesse o avental nele. Mas é claro que que a cobertura nem
sequer satisfazer sua própria consciência. Tinha sua consciência sido
divinamente satisfeito, ele não teria medo. "Se o nosso coração não nos
condena, temos confiança para com Deus." (1 João 3:. 20, 21) Mas, se até
mesmo a consciência humana não pode encontrar repouso em esforços
religiosos do homem, quanto menos possível a santidade de Deus. Avental de
Adão não poderia filtrar-lo do olho de Deus, e ele não poderia estar em Sua
presença nu, por isso ele fugiu para se esconder. Isto é o que vai fazer
consciência em todos os momentos. Ele fará com que o homem se esconder de
Deus, e, além disso, tudo o que a sua própria religiosidade lhe oferece é um
esconderijo de Deus. Esta é uma disposição infeliz, na medida em que ele
deve se encontrar com Deus, uma vez ou outra, e se ele não tem nada salvar
a má consciência de que ele é, ele deve estar com medo - sim, ele deve ser
infeliz. Na verdade, nada é necessário, salve o próprio inferno, para
completar a miséria de quem sente que tem de se encontrar com Deus, e
conhece apenas a sua própria inaptidão para encontrá-Lo.

Se Adão tivesse conhecido o amor perfeito de Deus, ele não teria medo. "Não
há nenhum rasgo no amor, mas o perfeito amor lança fora o medo, porque o
medo produz tormento Aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.". (1
João 4:. 17, 18) Mas Adam não sabia disso, porque ele acreditou na mentira
da serpente. Ele pensou que Deus era nada além de amor e, portanto, o
último pensamento do seu coração teria sido para se aventurar em Sua
presença. Ele não podia fazer isso. Sin estava lá, e Deus eo pecado nunca
pode atender, por isso, enquanto houver pecado na consciência, deve haver o
sentimento de distância de Deus. "Ele é tão puro de olhos que não pode ver o
mal, e não pode olhar para a iniqüidade." (Hab. 1: 13) Santidade e pecado não
pode habitar juntos. Sin, onde quer que seja encontrada, só podem ser
cumpridas pela ira de Deus.

Mas, bendito seja Deus, há algo ao lado da consciência do que eu sou. Há a


revelação de que Ele é , e este último a queda do homem realmente
trouxe. Deus não tinha revelado, totalmente, na criação: Ele tinha mostrado
"Seu poder e Divindade eterna," * theiotes mas Ele não tinha dito a todos os
segredos profundos de Sua natureza e caráter. Por isso Satanás fez um grande
erro em vir para interferir com a criação de Deus. Ele só provou ser o
instrumento de sua própria derrota eterna e confusão, e "sua violência" é para
sempre "descerá sobre o seu crânio." Sua mentira Só deu ocasião para os
monitores da verdade plena ", em referência a Deus. A criação nunca poderia
ter trazido o que Deus era. Não era infinitamente mais nele do que poder e
sabedoria. Havia amor, misericórdia, santidade, justiça, bondade, ternura,
longanimidade. Onde poderia tudo isso ser exibido, em um mundo de
pecadores? Deus, no princípio, veio para criar e, em seguida, quando a
serpente presume-se meter com a criação, Deus veio para salvar. Isso trouxe
nas primeiras palavras proferidas pelo Senhor Deus, após a queda do
homem. "E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?" Esta
questão provou duas coisas. Ele provou que o homem estava perdido, e que
Deus tinha vindo a procurar. Ele provou o pecado do homem, ea graça de
Deus. "Onde estás?" Fidelidade incrível? Amazing grace Fidelidade, para
divulgar, a própria questão em si, a verdade como a condição do homem: a
graça, para trazer para fora, no próprio fato de Deus fazer tal pergunta, a
verdade a respeito de seu caráter e atitude, em referência aos caídos
homem. O homem foi perdido, mas Deus tinha descido para procurá-lo - para
trazê-lo para fora de seu esconderijo, atrás das árvores do jardim, a fim de
que, na feliz certeza de fé, ele pode encontrar um lugar para se esconder em
si mesmo. Esta foi a graça. Para criar o homem do pó da terra era o poder,
mas para buscar o homem em sua propriedade perdida era a graça. Mas quem
pode expressar tudo o que está envolvido na idéia de Deus ser um
candidato? Deus buscando um pecador? O que poderia o Abençoado ter visto
no homem, para levá-Lo a procurar por ele? Exatamente o que o pastor viu na
ovelha perdida, ou que a mulher viu na peça de prata perdida, ou o que o pai
viu no filho perdido. O pecador é importante para Deus, mas por que ele deve
ser tão eternidade só vai se desenrolar.

{* Há um pensamento profundamente interessante sugerida pela comparação


da palavra theiotes (Rm 1, 20) com a palavra theotes (Colossenses 2: 9 Ambos
são prestados "Divindade", mas eles apresentam um pensamento muito
diferente Os pagãos puderam. vi que havia algo sobre-humano, algo divino, na
criação, mas puro, essencial, Divindade incompreensível habitou na pessoa
adorável do Filho}.

Como, então, fez o pecador resposta ao inquérito fiel e misericordioso de


Deus bendito? ai de mim! a resposta só revela a profundidade do mal terrível
em que tinha caído."E ele disse: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque
estava nu;.? E escondi-me e disse: Quem te mostrou que estavas nu tu
comeste da árvore de que te ordenei te que tu não devias comer? E o homem
disse: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e eu
comi. " Aqui, vamos encontrá-lo na verdade, que a culpa de sua queda
vergonhosa sobre as circunstâncias em que Deus o colocara, e assim,
indiretamente, sobre o próprio Deus. Este tem sido sempre o caminho com o
homem caído. Todos e tudo é culpado, mas eu. No caso da verdadeira
convicção, o reverso é exibido. "Não sou eu que pecaram" é a investigação de
uma alma verdadeiramente humilde. Se Adão tivesse conhecido a si mesmo,
quão diferente teria sido o seu estilo! Mas ele não sabia nem o próprio Deus,
e, em vez de jogar a culpa inteiramente sobre si mesmo, ele jogou em Deus.

Aqui, então, era a posição terrível do homem. Ele tinha perdido tudo. Seu
domínio - sua dignidade - a sua felicidade - sua pureza - a sua paz - tudo se foi
com ele, e, o que era ainda pior, ele acusou Deus de ser a causa disso * Lá,
ele ficou de pé, um perdido, arruinado, culpado. e, ainda, a auto-vindicação ,
e, portanto, Deus acusando pecador.

{* O homem não só acusa Deus de ser o autor de sua queda, mas também o
culpa por sua não recuperação. Quantas vezes não ouvimos as pessoas dizem
que não posso acreditar que, se Deus não dar-lhes o poder de acreditar e,
ainda, que a menos que eles são os temas de decreto eterno de Deus, eles não
podem ser salvos.

Agora é perfeitamente verdadeiro, que nenhum homem pode crer no


evangelho, a não ser pelo poder do Espírito Santo, e também é verdade, que
quem assim crer no evangelho são os assuntos felizes do eterno de Deus
aconselha. Mas faz todo esse conjunto de lado a responsabilidade do homem
para acreditar que um claro testemunho que lhe estava na Palavra de
Deus. Ele certamente não existe tal coisa. Mas isso não revelar o mal triste do
coração do homem, que o leva a rejeitar depoimento Deuses que é
claramente revelada, e para dar como uma razão para fazê-lo, o decreto de
Deus, que é um profundo segredo, que só ele conhecia No entanto, não vai
aproveitar, pois lemos em 1 Tessalonicenses. 1: 8, 9, que "aqueles que não
obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, será punido com a
destruição eterna." Os homens são responsáveis por crer no evangelho, e eles
serão punidos por não acreditar. Eles não são responsáveis saber nada sobre
os conselhos de Deus, na medida em que não são revelados, e, portanto, não
pode haver culpa ligado a ignorância a respeito deles. O apóstolo pode dizer
aos Tessalonicenses ", sabendo irmãos amados, a nossa eleição de
Deus." Como é que ele sabe? Foi por ter acesso à página do segredo de Deus e
decretos eternos? De maneira nenhuma. Como, então? "Porque ( hoti ) o nosso
evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também no poder. " (1 Ts
1:. 4, 5) Esta é a maneira de saber a eleição de qualquer um. Quando o
evangelho chega no poder, é uma prova clara da eleição de Deus.

Mas, não tenho dúvida, as pessoas que desenham um apelo do divino


conselhos para rejeitar o testemunho divino, só quer um pouco de desculpa
esfarrapada para continuar no pecado. Eles realmente não querem Deus, e
seria muito mais honesto no que eles dizem assim, claramente, que a
apresentar um fundamento que não é meramente superficial, mas
positivamente blasfema. Tal fundamento não vai aproveitá-los muito em meio
aos terrores do dia de julgamento agora se aproximando rapidamente.}

Mas, só neste momento, Deus começou a revelar-se, e os Seus propósitos de


amor redentor, e aqui estabelecer a verdadeira base da paz e bem-
aventurança do homem.quando o homem chegou ao fim de si mesmo, Deus
pode mostrar o que Ele é, mas não até então. A cena deve ser totalmente
limpo de homem, e todas as suas pretensões vãs presunções vazias, e
raciocínios blasfemas, antes que Deus possa ou se revelará. Assim foi quando
o homem estava escondido atrás das árvores do jardim, que Deus desdobrou
Seu plano maravilhoso de redenção através da instrumentalidade da semente
machucado da mulher. Aqui somos ensinados um valioso princípio da verdade
quanto ao que é a única que vai trazer um homem, de forma pacífica e
confiantemente, na presença de Deus.

Já foi observado que a consciência nunca vai afetar isso. Consciência levou
Adam atrás das árvores do jardim; revelação o levou até a presença de
Deus. A consciência de que ele estava com medo dele, a revelação de que
Deus estava tranquillised ele. Este é verdadeiramente consolador para um
pobre pecado coração sobrecarregado. A realidade do que sou é satisfeita
pela realidade do que Deus é, e isso é a salvação.

Há um ponto onde Deus eo homem deve cumprir, seja na graça ou


julgamento, e esse ponto é onde ambos são revelados como elas são. Felizes
são aqueles que chegar a esse ponto na graça! Ai daqueles que terão que
alcançá-lo em juízo! É com o que somos que Deus trata, e é como ele é que
ele lida com a gente. Na cruz, eu vejo Deus descendo em graça para as
profundezas, não apenas da minha negativa, mas a minha condição positiva,
como um pecador. Isso dá a paz perfeita. Se Deus me conheceu, na minha
condição atual, e mesmo providenciou um remédio adequado, tudo é
eternamente resolvida. Mas tudo o que não o fazem, assim, pela fé, ver a
Deus, na cruz, vai ter que encontrá-lo, aos poucos, em julgamento Ele terá
que lidar, de acordo com o que Ele é, com o que eles são.

No momento em que um homem é levado a conhecer o seu estado real, ele


pode encontrar nenhum descanso até que ele encontrou Deus, na cruz, e, em
seguida, ele descansa em Deus. Ele, bendito seja o Seu nome é o repouso e
esconderijo da alma crente. Isto ao mesmo tempo, coloca as obras humanas e
justas humano no seu devido lugar. Podemos dizer, com verdade, que aqueles
que descansar nessas coisas não pode ter chegado ao verdadeiro
conhecimento de si mesmos. É completamente impossível que uma
consciência divinamente vivificada pode descansar deve salvar o perfeito
sacrifício do Filho de Deus. Todo esforço para estabelecer sua própria justiça
deve proceder da ignorância da justiça de Deus. Adam pode aprender, à luz
do testemunho divino sobre "a semente da mulher," a inutilidade de sua fig-
leaf avental. A magnitude do que tinha que ser feito, provou total
incapacidade do pecador de fazê-lo. Sin tinha que ser posto de lado o homem
poderia fazer isso? Não, foi por ele que tinha vindo dentro a cabeça da
serpente tinha de ser ferido o homem poderia fazer isso? Não, ele havia se
tornado escravo da serpente. Reivindicações de Deus tinha que ser
cumprida.Homem poderia fazer isso? Não, ele tinha, já, esmaguei sob os
pés. A morte tinha de ser abolida. Homem poderia fazer isso? Não, ele tinha,
pelo pecado, introduziu-lo, e transmitiu a ele sua terrível picada.

Assim, qualquer que seja nossa forma de ver o assunto, vemos a impotência
completa do pecador, e, como conseqüência, a loucura presunçoso de todos
os que tentam ajudar Deus na obra estupenda de redenção, como todos
certamente fazer que pensam ser salvo em qualquer outra forma, mas "pela
graça, mediante a fé."

No entanto, embora Adam pode, e, pela graça, fez, ver e sentir que ele nunca
poderia realizar tudo o que tinha que ser feito, mas Deus se revelou como
prestes a atingir cada jota e til da mesma, por a semente da mulher. Em
suma, vemos que Ele graciosamente levou todo o assunto em suas próprias
mãos. Ele fez isso, em conjunto, uma questão entre ele ea serpente, pois
embora o homem ea mulher foram chamados, individualmente, de colher, de
várias formas, os frutos amargos de seu pecado, mas foi para a serpente que o
Senhor Deus disse: "Porque fizeste isso." A serpente era a fonte da ruína, ea
semente da mulher viria a ser a fonte da redenção. Adam ouviu tudo isto, e
acredita-se, e, no poder do que a crença ", ele chamou o nome de sua esposa,
a mãe de todos os viventes Este foi um precioso fruto da fé na revelação de
Deus Olhando para o assunto do ponto de vista da natureza.. , Eva pode ser a
mãe chamou de "a mãe de todos morrendo . "Mas, no julgamento da fé, ela
era a mãe de todos os vivos "Sua mãe chamou Ben-Oni;. (o filho de minha
tristeza ;) mas sua pai chamou-lhe Benjamim (filho da minha mão direita). "
Foi através da energia de sustentação da fé, que Adão foi capaz de suportar
as terríveis resultados do que ele tinha feito. Foi maravilhosa misericórdia de
Deus para lhe permitir ouvir o que Ele disse à serpente, antes que ele foi
chamado para ouvir o que ele tinha a dizer para si mesmo. Se não fosse assim,
ele deve ter sido mergulhado em desespero. É o desespero de ser chamados a
olhar para mim, sem ser capaz de olhar para Deus, como revelado na cruz,
para a minha salvação. Não há filho de Adão caído que podia suportar ter seus
olhos abertos para a realidade de que ele é, eo que ele tem feito, sem ser
mergulhado em desespero, a menos que ele pudesse refugiar-se na
cruz. Assim, naquele lugar em que todos os que rejeitam a Cristo, finalmente,
deve ser consignado, a esperança pode não vir. Lá, os olhos dos homens se
abrirão para a realidade do que eles são, eo que eles fizeram, mas eles não
serão capazes de encontrar alívio e refúgio em Deus. O que Deus é, será,
então, envolver perdição sem esperança; tão verdadeiramente como o que é
Deus, Acaso, agora, envolvem a salvação eterna. A santidade de Deus, então,
ser eternamente contra eles, como é agora aquele em que todos os que crêem
são chamados para se alegrar. Quanto mais eu percebo a santidade de Deus,
agora, mais eu sei que minha segurança, mas, no caso dos perdidos, que
muito santidade será, mas a ratificação de sua condenação eterna. Solene -
indescritivelmente solene - reflexão!

Vamos, agora, olhar brevemente para a verdade que nos é apresentado na


vontade de Deus proporcionando um casacos para Adão e Eva. "Unto Adam,
também, e sua esposa, que o Senhor Deus fez túnicas de peles, e os
vestiu." Temos aqui, na figura, a grande doutrina da justiça divina
estabelecido. O manto que Deus providenciou foi uma cobertura eficaz,
porque, desde que, assim como o avental era uma cobertura ineficaz, porque
o homem lhe tinha fornecido. Além disso, o casaco de Deus foi fundada em
derramamento de sangue. Avental de Adão não era. Assim também, agora a
justiça de Deus está estabelecido na cruz, a justiça do homem é apresentada
nas obras, o pecado manchadas de obras de suas próprias mãos. Quando Adão
estava vestido com o casaco de pele que não podia dizer: "Eu estava nu,'' nem
tinha qualquer motivo para se esconder. O pecador pode sentir-se
perfeitamente em repouso, quando, pela fé, ele sabe que Deus vestiu :.? mas
para sentir-se em repouso até então, só pode ser o resultado de presunção ou
ignorância ao saber que o vestido que eu usar, e em que comparecer diante
de Deus, é da sua própria prestação, deve definir o meu coração em repouso
perfeito. Não pode haver verdadeira, descanso permanente deve mais.

Os versos finais deste capítulo estão cheios de instrução. O homem caído, em


seu estado decaído, não deve ser permitido comer do fruto da árvore da vida,
pois isso implicaria em cima dele miséria sem fim neste mundo para tomar da
árvore da vida, e coma, e viva eternamente, em nossa condição atual, seria
sem mistura miséria. A árvore da vida só pode ser degustado na
ressurreição. Para viver para sempre, em uma tenda frágil, em um corpo de
pecado e morte, seria intolerável. Por isso, o Senhor Deus "expulsou o
homem." Ele o levou para um mundo que, em toda parte, exibiu os resultados
lamentáveis de sua queda. Os Querubins ea espada flamejante, também,
proibir o homem caído para colher o fruto da árvore da vida, enquanto que a
revelação de Deus apontou-o para a morte e ressurreição de a semente da
mulher, como que a vida na qual se encontrava além do poder de morte.

Assim, Adão era um feliz e um homem seguro, fora dos limites do Paraíso, do
que tinha sido dentro, por esta razão - que, dentro, sua vida dependia de si
mesmo que, do lado de fora, ele dependia de outro, mesmo um Cristo
prometido. E, como ele olhou para cima e viu "os Querubins ea espada
flamejante", ele poderia abençoar a mão que configurá-los lá ", para guardar
o caminho da árvore da vida", na medida em que a mesma mão havia aberto
uma melhor uma maneira mais segura e mais feliz para essa árvore. Se os
Querubins e espada flamejante parou o caminho para o Paraíso, o Senhor
Jesus Cristo abriu "um novo e vivo caminho" para o mais sagrado de todos. "Eu
sou o caminho, a verdade ea vida, ninguém vem ao Pai, senão por mim." (..
Compare João 14: 6; Hb 10: 20) o conhecimento deste, o crente agora se
move para a frente através de um mundo que está sob a maldição - onde os
vestígios do pecado são visíveis em todas as mãos. Ele encontrou o seu
caminho, pela fé, ao seio do Pai, e enquanto ele pode secretamente repouso
lá, ele é aplaudido pela bendita segurança de que aquele que o conduziu até
lá, se foi preparar um lugar nas muitas moradas da casa do Pai, e que em
breve voltarei e recebê-lo para Si, em meio a glória do reino do pai. Assim, no
seio, a casa, o reino do Pai, o crente encontra sua porção presente, seu futuro
lar e recompensa.

Gênesis 4 e 5 Genesis

Como cada seção do livro de Gênesis abre diante de nós, estão equipados com
novas provas do fato de que estamos viajando mais, o que é um escritor
recente bem denominado, "a semente-enredo de toda a Bíblia", e não
somente isso , mas a semente-enredo de toda a história do homem.

Assim, no quarto capítulo, temos, nas pessoas de Caim e Abel, os primeiros


exemplos de um homem religioso do mundo, e de um homem de fé
genuína. Nascido, como eram, fora do Éden, e estando os filhos de Adão
caído, eles poderiam ter nada, natural, para distingui-los um do outro. Ambos
eram pecadores. Ambos tinham uma natureza caída. Nem era inocente. É bom
ficar claro em relação a isso, a fim de que a realidade da graça divina, ea
integridade da fé, pode ser plena e claramente visto. Se a distinção entre
Caim e Abel foram fundadas na natureza, segue-se, como uma conclusão
inevitável, que eles não eram os participantes da natureza caída de seu pai,
nem os participators nas circunstâncias de sua queda, e, portanto, não
poderia haver espaço para a exibição de graça eo exercício da fé.

Alguns nos ensinam que todo homem nasce com qualidades e capacidades
que, se usado corretamente, vai lhe permitem trabalhar o seu caminho de
volta para Deus. Esta é uma simples negação do fato tão claramente
estabelecidos na história agora diante de nós. Caim e Abel nasceram, e não
dentro, mas fora do Paraíso. Eram os filhos, e não de inocente, mas de Adão
caído. Eles vieram ao mundo como os participantes da natureza de seu pai, e
não importava de que forma que a natureza pode mostrar-se, era a natureza
ainda - caído, arruinado, natureza insanável. "O que é nascido da carne é (e
não meramente carnal, mas) carne, eo que é nascido do Espírito é, (não
apenas espiritual, mas) espírito". (João 3)

Se alguma vez houve uma oportunidade justa para as qualidades distintivas,


capacidades, recursos e tendências da natureza a manifestar-se, a vida de
Caim e Abel mobilado-lo. Se houvesse deveria na natureza, através do qual
ele poderia recuperar sua inocência perdida, e estabelecer-se novamente
dentro dos limites do Éden, esse era o momento para a sua exibição. Mas não
havia nada do tipo. Ambos foram perdidos. Eles eram "carne. Eles não eram
inocentes. Adão perdeu sua inocência e nunca recuperou. Ele só pode ser
encarado como o chefe de uma raça caída, que, por sua" desobediência ",
foram feitas" pecadores. "(Rm 5: 19) Ele tornou-se, na medida em que ele foi
pessoalmente em causa, a fonte de corrupto, de onde emanaram os fluxos
corruptos da humanidade arruinada e culpado - o tronco morto do que lançava
os galhos de uma humanidade morta, moralmente e espiritualmente mortos.

Na verdade, como já observamos, ele se foi feito um assunto da graça, e do


possuidor e expositor de uma fé viva num Salvador prometido, mas isso não
era nada natural, mas algo inteiramente divina. E, na medida em que não era
natural, nem foi dentro da faixa de capacidade da natureza de comunicá-
lo. Não foi, por qualquer meio, hereditárias. Adam não poderia legar nem
transmitir a sua fé a Caim ou Abel. Sua posse do mesmo era simplesmente o
fruto do amor divino. Ele foi implantado em sua alma pelo poder divino, e ele
não tinha poder divino para comunicá-la aos outros. O que quer que era
natural Adam poderia, no caminho da natureza, comunicar-se, mas nada
mais. E vendo que ele, como pai, estava em uma condição de ruína, seu filho
só poderia estar na mesma. Como é o progenitor, assim são eles também que
são gerados dele.Eles devem, necessariamente, participar da natureza dele,
de quem eles surgiram. "Qual o terreno, tais são também os terrenos." (1
Coríntios 15: 48.)

Nada pode ser mais importante, à sua maneira, do que um entendimento


correto da doutrina da chefia federal. Se o meu leitor vai se transformar, por
um momento, para Rom. 5: 12-21, ele vai achar que o apóstolo inspirado olha
para toda a raça humana como compreendido sob duas cabeças. Eu não tente
me debruçar sobre a passagem, mas apenas se referem a ele, em ligação com
o objecto na mão. O capítulo XV da primeira Corinthians também fornecerá
instruções de caráter similar. No primeiro homem, temos pecado, a
desobediência ea morte. Em O segundo homem, temos justiça, obediência e
vida. À medida que derivam natureza do antigo, assim como nós também a
partir do último. Sem dúvida, cada natureza irá exibir, em cada caso
específico, as suas próprias energias peculiares, que irá se manifestar em
cada indivíduo possuidor dos mesmos, seus próprios poderes peculiares. Ainda
assim, não é a posse absoluta de um verdadeiro abstrato, natureza, positiva.

Agora, como o modo no qual obtemos uma natureza do primeiro homem, por
nascimento, de modo que o modo no qual obtemos a natureza do segundo
homem é pelo novonascimento. Nascendo, nós participamos da natureza do
antigo; "nascer novamente , "nós participamos da natureza deste último. Um
recém-nascido, embora inteiramente incapaz de realizar o ato que reduziu
Adam à condição de um ser decaído, é, no entanto, um participante de sua
natureza, e assim, também, um filho recém-nascido de Deus - uma alma
recém-regenerado, apesar de não ter nada a ver com o trabalho fora da
perfeita obediência de "o homem Cristo Jesus", é, no entanto, um
participante da Sua natureza. Verdade é que, ligado ao ex-natureza, não é o
pecado, e anexado a este último, não há justiça. o pecado do homem, no
primeiro caso, a justiça de Deus no último: ainda, o tempo todo, não é
real, de boa-fé a participação de natureza real, deixar os adjuntos ser o que
desejarem. O filho de Adão participa da natureza humana e seus adjuntos, o
filho de Deus participa da natureza divina e seus adjuntos. O ex-natureza está
de acordo com "a vontade do homem" (João 1) o último é de acordo com "a
vontade de Deus", como St. James, pelo Espírito Santo, nos ensina ", a sua
própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, (Tiago 1: 18)

De tudo o que foi dito, segue-se que Abel não foi distinguido de seu irmão
Caim por qualquer coisa natural. A distinção entre eles não foi fundamentada
em cima deveria em sua natureza ou circunstâncias, pois, como para estes,
"não há diferença". O que, por isso, fez a grande diferença? A resposta é tão
simples como o evangelho da graça de Deus pode fazer isso. A diferença não
era em si mesmos, em sua natureza, ou suas circunstâncias, que
leigos, inteiramente , em seus sacrifícios . Isso torna o assunto mais simples,
para qualquer pecador verdadeiramente condenados - para qualquer um que
realmente sente que ele não só participa de uma natureza caída, mas é ele
mesmo, também, um pecador. A história de Abel abre, para um tal, a única
verdadeira razão da sua abordagem, sua posição antes, e seu relacionamento
com Deus. Ele ensina-lhe, claramente, que ele não pode vir a Deus no chão de
qualquer coisa, de, ou pertencente a, natureza, e ele deve buscar, fora de si
mesmo, e na pessoa e na obra de outro, a base verdadeira e eterna de sua
ligação com o Santo, o Justo, e só Deus verdadeiro. O décimo primeiro
capítulo de Hebreus define todo o assunto diante de nós, da forma mais
distinta e abrangente. "Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício
( pleiona thusian ) do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era
justo, dando Deus testemunho ( parturountos ) para seus dons, e por ela,
depois de morto, ainda fala. " Aqui somos ensinados que era, de modo algum,
uma pergunta quanto aos homens, mas somente quanto ao seu "sacrifício" -
não era uma pergunta quanto ao ofertante, mas como para a sua oferta. Aqui
estava o grande distinção entre Caim e Abel. O leitor não pode ser muito
simples em sua apreensão deste ponto, para aí que reside envolveu a verdade
como a posição de qualquer pecador diante de Deus.

E, agora, vamos nos perguntar o que as ofertas foram. "E no decorrer do


tempo, veio a passar, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao
Senhor. Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e do seu fruto.
Então o Senhor tinha respeito aos Abel e para a sua oferta, mas para Caim e
para a sua oferta, ele não tinha respeito. " (Gn 4: 3-5) Isso define a diferença
claramente diante de nós: Caim ofereceu o Senhor o fruto de uma terra
amaldiçoada, e que, além disso, sem qualquer vestígio de sangue para
remover a maldição. Ele apresentou "um sacrifício incruento", simplesmente
porque ele não tinha fé. Se ele tivesse possuído esse princípio divino, que
teria lhe ensinado, mesmo neste momento inicial, que "sem derramamento de
sangue, não há remissão." (Heb 9) Esta é uma grande verdade cardeal. O
castigo do pecado é a morte. Caim era um pecador, e, como tal, a morte
estava entre ele e Jeová. Mas, em sua oferta, não houve qualquer
reconhecimento deste fato. Não houve apresentação de uma vida sacrificada,
para atender as reivindicações da santidade divina, ou para responder à sua
própria condição de pecador. Ele tratou o Senhor como se Ele fosse, por
completo, o tal como ele próprio, que pode aceitar o fruto manchado pelo
pecado de uma terra amaldiçoada.

Tudo isso, e muito mais, estava envolvido em Caim "sacrifício incruento". Ele
mostrou ignorância inteiro, em referência às exigências divinas, em referência
a seu próprio caráter e condição, como um pecador perdido e culpado, e em
referência ao verdadeiro estado desse terreno, fruto do que ele presumiu a
oferecer. Sem dúvida, a razão pode dizer, "o que oferece mais aceitável
poderia um homem presente, além do que ele havia produzido pelo trabalho
de suas mãos eo suor do seu rosto?" Razão, e até mesmo mente religiosa do
homem, pode pensar assim, mas Deus pensa de forma bastante diferente, e fé
é sempre a certeza de concordar com os pensamentos de Deus.Deus ensina,
assim também a fé acredita que deve haver uma vida sacrificada, caso
contrário, não pode haver aproximação a Deus.

Assim, quando olhamos para o ministério do Senhor Jesus, vemos, de uma vez,
que, se não tivesse morrido na cruz, todos os seus serviços teriam sido
completamente inúteis no que diz respeito a criação da nossa relação com
Deus. É verdade, "Ele andou fazendo o bem" toda a sua vida, mas foi a Sua
morte que rasgou o véu. (Mateus 27: 61) Nought mas Sua morte poderia ter
feito isso. Se tivesse continuado, até o presente momento, "fazendo o bem", o
véu teria permanecido inteira, para barrar a abordagem do adorador no "santo
dos santos". Daí podemos ver o falso fundamento sobre o qual se levantou
Caim como um ofertante e um adorador. Um pecador perdoado entrar na
presença do Senhor, para apresentar um "sacrifício incruento", só poderia ser
considerado culpado do maior grau de presunção. Na verdade, ele tinha
trabalhado para produzir a sua oferta, mas e daí? Poderia labuta de um
pecador remover a maldição e mancha do pecado que poderia satisfazer as
reivindicações de um Deus infinitamente santo! Poderia fornecer uma base
adequada de aceitação por um pecador? Que poderia anular a pena que foi
por causa do pecado? Poderia roubar a morte de seu aguilhão, ou o túmulo de
sua vitória? Poderia fazer qualquer ou todas essas coisas? Impossível. "Sem
derramamento de sangue não há remissão." Caim "sacrifício incruento", como
qualquer outro sacrifício incruento, não só era inútil, mas, na verdade,
abominável, na estimativa divina. Ele não só demonstrou toda a sua
ignorância de sua própria condição, mas também do caráter divino. "Deus não
é servido por mãos de homens, como se ele precisava de alguma coisa." E, no
entanto Caim pensou que poderia ser assim, se aproximou. E cada mero
religioso pensa o mesmo. Caim teve muitos milhões de seguidores, de época
para época. Caim adoração abundou em todo o mundo. É a adoração de cada
filho não convertido, e é mantido por todo falso sistema de religião sob o sol.

Homem de bom grado fazer de Deus um receptor em vez de um doador, mas


isso não pode ser, pois, "é mais bem-aventurada é dar do que receber", e,
certamente, Deus deve ter o mais abençoado lugar. "Sem contradição alguma,
o menor é abençoado pelo maior." "Quem tem primeiro dado a ele? " Deus
pode aceitar o menor dom de um coração que aprendeu a profunda verdade
contida nestas palavras: "É teu to damos", mas, no momento em que um
homem se atreve a tomar o lugar da "primeira" doador, a resposta de Deus é:
"se eu tivesse fome, não to diria, pois," porque "Ele não é servido por mãos de
homens, como se ele precisava de alguma coisa, visto que dá para tudo"vida,
respiração e todas as coisas "O grande Dador de". todas as coisas "não pode"
precisar de alguma coisa "Louvor é tudo o que podemos oferecer a Deus;.,
mas isso só pode oferecido na inteligência completa e clara que os nossos
pecados são colocadas longe, e isso de novo só pode ser conhecida pela fé no
virtude de um pacto realizado.

Meu leitor pode fazer uma pausa, aqui e ler em oração as seguintes escrituras,
ou seja, o Salmo 1, Isaías 1: 11-18, Atos 17: 22-34, em tudo o que ele vai
encontrar distintamente previsto a verdade como a verdadeira posição do
homem diante de Deus, como também a base adequada de adoração.

Vamos agora considerar o sacrifício de Abel. "E Abel também trouxe dos
primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura." Em outras palavras, ele
entrou, pela fé, na verdade gloriosa, que Deus poderia ser abordado por
sacrifício, que não havia tal coisa como um pecador de colocar a morte de
outro entre ele ea conseqüência de seu pecado, que as reivindicações dos a
natureza de Deus e os atributos de Seu caráter poderiam ser satisfeitas pelo
sangue de uma vítima impecável - a vítima oferecida para atender às
demandas de Deus, e as necessidades profundas do pecador. Esta é, em suma,
a doutrina da cruz, em que só a consciência de um pecador pode encontrar
repouso, porque, nela, Deus é totalmente glorificado.

Todo pecador divinamente condenado deve sentir que a morte eo julgamento


estão diante dele, como "a devida recompensa de seus feitos," nem pode, por
dever que ele pode fazer, alterar esse destino. Ele pode trabalhar e trabalho,
ele pode, com o suor do seu rosto, produzir uma oferta, ele pode fazer votos
e resoluções, ele pode alterar seu modo de vida, ele pode reformar seu
caráter para fora, ele pode ser temperado, moral, vertical e, na acepção
humana do termo, religioso, ele pode, embora inteiramente destituídas de fé,
ler, orar e ouvir sermões. Em suma, ele pode fazer qualquer coisa, ou tudo o
que se encontra dentro da faixa de competência humana, mas, apesar de
tudo, "a morte eo julgamento" estão diante dele. Ele não foi capaz de
dispersar essas duas nuvens pesadas que se reuniram no horizonte. Lá estão
eles, e, portanto, longe de ser capaz de removê-los, por todos os seus atos,
ele só pode viver na expectativa sombria do momento Em seguida, eles devem
estourar em cima de sua cabeça culpado. É impossível para um pecador, por
suas próprias obras, a colocar-se na vida e triunfo, no outro lado da "morte e
julgamento - sim, suas próprias obras são realizadas apenas com o objetivo de
prepará-lo, se possível, para aqueles realidade temida.

Aqui, no entanto, é exatamente onde a cruz vem dentro Nessa cruz, o


pecador condenado pode contemplar uma provisão divina para toda a sua
culpa e toda a sua necessidade. Lá, também, ele pode ver a morte eo
julgamento totalmente removido da cena, ea vida e um conjunto glória em
seu lugar. Cristo abriu a perspectiva da morte e julgamento, desde que o
verdadeiro crente está em causa, e encheu-o com a vida, a justiça ea
glória. "Ele tem morte abolida, e trouxe vida e incorruptibilidade à luz, por
meio do evangelho." (2 Tim 1:. 10) Ele glorificou a Deus no despojamento de
que teria nos separou para sempre, da sua presença santa e feliz. "Ele colocou
o pecado", e, portanto, ele se foi. (Hb 9, 26) tudo isso é, de tipo, estabelecido
no Abel "maior sacrifício". Não houve nenhuma tentativa, por parte de Abel,
para anular a verdade a respeito de sua própria condição e lugar como um
pecador culpado - nenhuma tentativa de desviar o fio da espada flamejante, e
forçar seu caminho de volta para a árvore da vida - Nenhuma oferta
presunçosa de um sacrifício incruento "- não apresentação do fruto de uma
terra amaldiçoada a Jeová - ele tomou o fundamento real de um pecador, e,
como tal, defina a morte de uma vítima entre ele e os seus pecados, e entre
seus pecados e da santidade de um Deus que odeia o pecado. Este foi mais
simples. Abel merecia a morte eo julgamento, mas ele encontrou um
substituto.

Isto é com cada pobre, desamparado, auto-condenados, pecador consciência-


ferida. Cristo é o seu substituto, o seu resgate, sua mais excelente sacrifício,
seu tudo. Tal pessoa vai se sentir, como Abel, que o fruto da terra jamais
poderia valer para ele, que se ele apresentar a Deus as mais belas frutas da
terra, ele ainda teria uma consciência manchada pelo pecado, uma vez que
"sem derramamento de sangue não há remissão. " Os frutos mais ricos, e as
flores mais perfumadas, na maior profusão, não poderia remover uma única
mancha da consciência. Nada, mas o perfeito sacrifício do Filho de Deus pode
dar facilidade para o coração e consciência. Todos os que, pela fé lançar mão
dessa realidade divina, poderá desfrutar de uma paz que o mundo não pode
dar nem tirar. É a fé que coloca a alma na presente posse dessa paz. "Sendo
justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus
Cristo." (Romanos 5: 1) "Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício
que Caim."

Não é uma questão de sentimento, como muitos fariam isso. É totalmente


uma questão de fé em um fato consumado, a fé cooperou na alma de um
pecador, pelo poder do Espírito Santo. Esta fé é algo muito diferente de um
mero sentimento do coração, ou um parecer favorável do
intelecto. Sentimento não é fé. Assentimento intelectual não é fé. Alguns
faria fé para ser o mero assentimento do intelecto a uma determinada
proposição. Isso é terrivelmente falso. Isso torna a questão da fé humana, que
é realmente divino. Reduz-lo ao nível do homem, enquanto ele realmente
vem de Deus A fé não é uma coisa de hoje ou amanhã. É um princípio
imperecível, emanadas de uma fonte eterna, até mesmo o próprio Deus, que
se apodera da verdade de Deus, e define a alma na presença de Deus.

Mero sentimento e sentimentalismo nunca pode subir acima da fonte de onde


emanam e que fonte de auto, mas a fé tem a ver com Deus e Sua Palavra
eterna, e é um elo vivo, ligando o coração que possui com Deus mho dá
. Sentimentos humanos, porém intensa, sentimentos humanos, porém
refinado, não podia ligar a alma com Deus. Eles não são nem divina, nem
eterna, mas são humanos e evanescente. Eles são como cabaça de Jonas, que
surgiram em uma noite, e pereceram em uma noite. Não é tão fé.Esse
princípio precioso participa de todo o valor, todo o poder e toda a realidade
da fonte de onde emana, eo objeto com o qual ele tem de fazer. Ele justifica
a alma; (Rom. 5: 1) purifica o coração, (Atos 15: 9) que opera por amor; (Gl 5,
6) que vence o mundo. (1 Jo 5, 4) O sentimento eo sentimento nunca poderia
alcançar tais resultados, pois eles pertencem à natureza e à terra, a fé
pertence a Deus e para o céu, pois eles estão ocupados com o auto, a fé é
ocupado com Cristo, eles olham para dentro e para baixo, fé olha para fora e
para cima, pois eles deixam a alma em trevas ea dúvida, a fé leva-la em luz e
paz;: eles têm a ver com a própria condição flutuante, a fé tem a ver com a
verdade imutável de Deus e sacrifício eternamente duradouro de Cristo.

Sem dúvida, a fé vai produzir sensações e sentimentos sentimentos espirituais


e sentimentos verdadeiros -, mas os frutos da fé nunca deve ser confundida
com a fé "em si eu não sou justificado por sentimentos, nem ainda por
sentimentos de fé, mas simplesmente pela fé e por quê..? porque a fé crê em
Deus quando Ele fala, leva-o à sua palavra;. apreende-Lo como Ele se revelou
na Pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo Esta é a vida, a justiça ea paz Para
apreender a Deus como Ele é. . é a soma de todos os presentes e bem-
aventurança eterna Quando a alma descobre Deus, ela descobriu tudo o que
pode, eventualmente, precisa, aqui ou no futuro, mas Ele só pode ser
conhecido por sua própria revelação, e pela fé que Ele mesmo dá , e que,
aliás, sempre vê a revelação divina como seu objeto próprio.

Assim, então, pode-se, em alguma medida, celebrar o significado eo poder da


afirmação: "Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que
Caim." Caim não tinha fé, e, portanto, ele ofereceu um sacrifício
incruento. Abel tinha fé, e, portanto, ele se ofereceu tanto "sangue e
gordura", que, no tipo, estabelecido a apresentação da vida, e também a
excelência inerente à pessoa de Cristo. "O sangue", estabeleceu o primeiro, "o
gordo", prefigurado o último. Tanto sangue e gordura foram proibidos de ser
comido, sob a economia mosaica. O sangue é a vida, eo homem, segundo a
lei, não tinha direito à vida. Mas, na sexta de João, somos ensinados, que, se
não comer sangue, não temos vida em nós. Cristo é a vida. Não há uma
centelha de vida fora dele. ALL fora de Cristo é a morte. "Nele estava a vida",
e em nenhum outro lugar.

Agora, Ele deu a Sua vida na cruz e, para que a vida, o pecado foi, por
imputação, em anexo, quando o Abençoado estava pregado na árvore
maldita. Assim, ao dar a Sua vida, Ele deu-se, também, o pecado, a ele
ligado, para que seja, efetivamente, posto de lado, tendo sido deixado no
túmulo de onde ele se levantou triunfante, no poder de uma nova vida, para
que justiça tão distintamente atribui-se, nos fez para o pecado que a vida que
Ele deu em cima da cruz. Isso vai nos ajudar a um entendimento de uma
expressão usada por nosso bendito Senhor, após a Sua ressurreição, "um
espírito não tem carne nem ossos, como vedes que temos." Ele não disse,
"carne e sangue", porque, na ressurreição, Ele não tinha assumido, em sua
pessoa sagrada, o sangue que Ele derramou na cruz, como expiação pelo
pecado. "A vida da carne está no sangue, e eu o dei a vocês sobre o altar,
para fazer expiação pelas vossas almas: porquanto é o sangue que fará
expiação pela alma." (Levítico 17: 11) Fechar a atenção para este ponto terá o
efeito de aprofundar, em nossas almas, o sentido da completude do
afastamento de pecado, pela morte de Cristo, e nós sabemos que tudo o que
tende a aprofundar o nosso sentido de que a gloriosa realidade, deve,
necessariamente, tendem ao estabelecimento mais completo da nossa paz, e
com a promoção mais eficaz da glória de Cristo, como conectado com o nosso
testemunho e serviço.

Temos, já, a que se refere a um ponto de grande interesse e valor, na história


de Caim e Abel, e que é, toda a identificação de cada um com a oferta que
ele apresentou.Meu leitor não pode dar muita atenção sobre isso. A questão,
em cada caso, não era quanto à pessoa do proponente, mas, inteiramente,
quanto ao caráter de sua oferta.Assim, de Abel lemos que "Deus testificou de
seus dons." Ele não testemunhar Abel, mas o sacrifício de Abel, e isso corrige,
distintamente, a base adequada de paz e aceitação do crente diante de Deus.

Há um, a tendência constante, no coração, para fundamentar a nossa paz e


aceitação em cima de algo ou sobre nós mesmos, mesmo que admitamos que
esse algo é forjado pelo Espírito Santo. Daí surge a constante procura de ,
quando o Espírito Santo jamais nos olhando para fora . A pergunta para cada
crente não é "o que eu sou", mas "o que é o Cristo?" Tendo chegado a Deus
"em nome de Jesus", ele está totalmente identificado com Ele, e aceita em
seu nome, e, além disso, não pode mais ser rejeitado daquele em cujo nome
ele chegou. Antes mesmo de uma questão pode ser levantada como o mais
fraco crente, deve ser levantada como para o próprio Cristo. Mas este último
é claramente impossível e, assim, a segurança do crente é estabelecida sobre
uma base que nada pode mudar. Sendo em si mesmo um pobre pecador inútil,
ele veio em nome de Cristo, ele é identificado com Cristo, aceitou e como
Cristo, ligada ao mesmo pacote de vida com Cristo. Deus testifica, não dele,
mas do seu dom e seu dom é Cristo.Tudo isto é muito tranqüilizante e
consolador. É nosso privilégio feliz de poder, na confiança da fé, para se
referir a cada objeção, e cada objector, a Cristo e Sua expiação
acabado. Todas as nossas fontes estão nEle. Nele nos gloriamos todo o
dia. Nossa confiança não está em nós mesmos, mas naquele que tem tudo
feito por nós. Nós pendurar em seu nome, a confiança em seu trabalho, olhar
em Sua Pessoa, e esperar por Sua vinda.

Mas a mente carnal, ao mesmo tempo, mostra a sua inimizade contra toda
essa verdade que tanto alegra e satisfaz o coração de um crente. Assim foi
com Caim. "Ele era muito irado, e seu semblante." Aquilo que encheu Abel
com a paz, cheio de ira Caim. Caim na incredulidade, desprezou a única
maneira pela qual um pecador poderia chegar a Deus. Ele se recusou a
oferecer sangue, sem o qual não pode haver remissão e, então,
porque ele não foi recebido, em seus pecados , e porque Abel foi aceita, em
seu presente, "ele se indignou, e seu semblante." E, no entanto, de que outra
forma poderia ser? Ele deve ou ser recebida com seus pecados, ou sem eles,
mas Deus não poderia recebê-lo com eles, e que ele não iria trazer o sangue
que faz expiação por si só, e, portanto, foi rejeitado, e, sendo rejeitado, ele
se manifesta em seus caminhos, os frutos da religião corrompida. Ele persegue
e assassina o verdadeiro testemunho - o homem justificado aceite - o homem
de fé, e, ao fazê-lo, ele permanece como o modelo eo precursor de todos os
falsos religiosos, em todas as épocas. Em todos os momentos, e em todos os
lugares, os homens se mostraram mais dispostos a perseguir por motivos
religiosos, do que em qualquer outro. Este é Caim-like. Justificação -
completa, perfeita, a justificação não qualificado, somente pela fé, Deus faz
tudo, e nada homem, e homem não gosta disso, ele faz com que seu
semblante a cair, e chama a sua raiva. Não que ele pode dar qualquer motivo
de sua raiva, pois não é, como vimos, a questão do homem em tudo, mas
somente o terreno em que ele aparece diante de Deus. Tinha Abel foi aceito
no chão de dever em si mesmo, então, de fato, de Caim a ira, e seu
semblante caído, teria tido algum fundamento apenas, mas, na medida em
que ele foi aceito, exclusivamente, em razão da sua oferta e, na medida em
que não era para ele, mas ao seu dom, que Jeová deu o seu testemunho, a
sua ira era inteiramente sem qualquer base adequada. Este é trazido para
fora na palavra de Jeová a Caim: "Se fizeres bem, (ou, como a LXX lê-lo, se tu
oferecer corretamente, ( orthos prosenegkes ) tu não serás aceito? "O que
teve de referência bem-fazer para a oferta .. Abel fez bem, escondendo-se
atrás de um sacrifício aceitável Caim fez mal, trazendo uma oferta sem
sangue, e toda a sua pós-conduta era, mas o resultado legítimo de sua falsa
adoração.

"E falou Caim com o seu irmão Abel: e sucedeu que, estando eles no campo,
se levantou Caim contra Abel, seu irmão, eo matou." Assim que ele sempre
foi, os Cains perseguiram e mataram os Abéis. Em todos os tempos, o homem
e sua religião são os mesmos, a fé ea sua religião são os mesmos: e onde quer
que eles se encontraram, houve conflito.

No entanto, é bem de ver que de Caim ato de assassinato foi o verdadeiro


resultado - o fruto adequado - de sua falsa adoração. Sua fundação foi ruim,
ea superestrutura erigida nela também era ruim. Nem ele parar no ato de
assassinato, mas depois de ouvir o julgamento de Deus sobre ela, desesperada
do perdão através da ignorância de Deus, ele saiu de Sua presença abençoada,
e construiu uma cidade, e teve em sua família os cultivadores do útil e
ornamental Sciences-agricultores, músicos e trabalhadores em metais. Por
ignorância do caráter divino, ele pronunciou seu pecado grande demais para
ser perdoado. * Não é que ele realmente sabia o seu pecado, mas que ele não
conheceu a Deus. Ele totalmente exibiu o fruto terrível da queda no próprio
pensamento de Deus para que ele concedia que falassem. Ele não queria o
perdão, porque ele não queria que Deus. Ele não tinha nenhum verdadeiro
sentido de sua própria condição, sem aspirações depois de Deus, sem
inteligência, como no chão de uma abordagem do pecador a Deus. Ele era
radicalmente corrupto - fundamentalmente errado, e tudo que ele queria era
sair da presença de Deus, e perder-se no mundo e suas atividades.Ser pensou
que poderia viver muito bem sem Deus e, portanto, começou a decorar o
mundo, bem como ser poderia, com a finalidade de torná-lo um lugar
respeitável, e se um homem respeitável nele, embora na visão de Deus que
estava sob a maldição , e ele era um fugitivo e um vagabundo.
{* A palavra usada por Caim ocorre em Ps. 32: 1 cuja transgressão
é perdoada . A LXX torna por aphethenai , a ser remetido.}

Tal era " o caminho de Caim, em que forma milhões de pessoas estão, neste
momento, correndo em Essas pessoas não são, de forma alguma, despojado do
elemento religioso em sua personagem que gostaria de oferecer algo a Deus,..
fazer algo . para ele que julgarem direito de apresentar a Ele os resultados de
sua própria labuta Eles são ignorantes de si mesmos, ignorante de Deus,., mas
com tudo isso, há o esforço diligente para melhorar o mundo, para tornar a
vida agradável de diversas maneiras; para o convés a cena com as cores mais
belas. remédio de Deus para purificar for rejeitado, eo esforço do homem
para melhorar é colocado em seu lugar. Este é "o caminho de Caim." (Judas
11)

E, meu leitor, você só tem que olhar ao redor para ver como esta a maior que
"Abel, mesmo com o sangue de Cristo" WAY está prevalecendo no momento
presente, embora o mundo está manchado com o sangue. "; Ainda ver que é
um lugar homem agradável procura fazer dele Como em Caim dia, os sons
grato "a harpa e órgão," sem dúvida, completamente afogado, a orelha do
homem, o grito do sangue de Abel, agora, a orelha do homem é preenchido
com outros sons do que aqueles que emitem a partir do Calvário, e os seus
olhos cheios de outros objetos que um Cristo crucificado Os recursos do seu
gênio, também, são apresentadas para tornar este mundo um hot-house, em
que são produzidos, em sua forma mais rara. , todos os frutos para que a
natureza tão ansiosamente espera., e não apenas são os verdadeiros desejos
do homem, como criatura, fornecidos, mas o gênio inventivo da mente
humana foi criada para trabalhar com o propósito de conceber as coisas, que,
a momento em que os olhos vêem, o coração deseja, e não só desejos, mas
imagina que a vida seria insuportável sem eles. Assim, por exemplo, alguns
anos atrás, as pessoas se contentavam em dedicar três ou quatro dias para a
realização de uma viagem de uma cem milhas, mas agora eles podem realizá-
lo em três ou quatro horas,.., e não só isso, mas eles vão reclamar,
infelizmente, se acontecer de ser cinco ou dez minutos de atraso Na verdade,
o homem deve ser salvo o problema de viver Ele deve viagem sem fadiga, e
ele deve ouvir notícias sem ter que exercitar a paciência para isso. Ele vai
colocar trilhos de ferro em toda a terra, e os fios elétricos debaixo do mar,
como se a antecipar, em seu próprio caminho, que era brilhante e feliz,
quando "não haverá mais mar." *

{* Na verdade, o Senhor está usando todas essas coisas para a promoção de


seus próprios fins graciosas, e ao servo do Senhor pode livremente usá-los
também, mas isso não impede nossa visão do espírito que se origina e
caracteriza-los.}

Além de tudo isso, há abundância de religião, assim chamada, mas,


infelizmente própria caridade é obrigado a abrigar a apreensão, que muito do
que passa por religião, mas é um parafuso na grande máquina, que foi
construído para o homem do conveniência e exaltação do homem. O homem
não seria sem religião. Não seria respeitável, e, portanto, ele se contenta em
dedicar um sétimo de seu tempo à religião, ou, como ele pensa e confessa,
aos seus interesses eternos, e, em seguida, ser tem seis sétimos para se
dedicar aos seus interesses temporais , mas se ele funciona para o tempo ou a
eternidade, é para si mesmo , na realidade. tal é "o caminho de Caim". Que o
meu leitor ponderar bem. Deixe que ele veja onde este caminho começa, para
onde ela tende, e onde ele termina.

Como é diferente a maneira de o homem de fé! Abel sentiu e de propriedade


da maldição, ele viu a mancha do pecado, e, na energia sagrada de fé,
ofereceu o que encontrei, e encontrei-o completamente - ele conheceu
divinamente. Ele procurou e encontrou um refúgio em Deus, e em vez de
construir uma cidade na terra, ele encontrou, mas uma sepultura em seu
seio. A terra, que em sua superfície exibido o gênio e energia de Caim e de
sua família, foi manchada por baixo com o sangue de um homem justo. Deixe
o homem do mundo lembre-se, deixe o homem de Deus, lembre-se, deixe o
cristão mundano lembrar. A terra que pisamos em cima está manchado pelo
sangue do Filho de Deus. O mesmo sangue que justifica a Igreja condena o
mundo. A sombra escura da cruz de Jesus pode ser visto pelo olho da fé, que
paira sobre todo o brilho e brilho deste mundo evanescente. "A moda passa
deste lado do mundo." Em breve, todos ter acabado, medida em que a cena
presente está em causa. "O caminho de Caim" será seguido por "erro de
Balaão", em sua forma consumada, e então virá "contradição de Núcleo", e
que, em seguida, "O poço" vai abrir a boca para receber os ímpios, e fechá-la
novamente, para calá-los na "escuridão das trevas para sempre." (Judas 13)

Em plena confirmação das linhas anteriores, podemos correr o olho sobre o


conteúdo do capítulo 5 e encontrar nela o registro esclarecedor de fraqueza
do homem, e sujeição à regra da morte. Ele pode viver centenas de anos, e
"gerai filhos e filhas", mas, enfim, deve ser registrado que " morreu ". "A
morte reinou desde Adão até Moisés". "É aos homens está ordenado morrerem
uma só vez." O homem não pode superar isso. Ele não pode, por meio de
vapor ou eletricidade, ou qualquer outra coisa dentro do alcance de seu
gênio, desarmar morte de seu terrível picada. Ele não pode, por sua energia,
anulou a sentença de morte , embora ele possa produzir os confortos e luxos
da vida .

Mas de onde veio essa coisa estranha e terrível, a morte? Paulo nos dá a
resposta: "Por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a
morte. " (Rm 5, 12) Aqui temos a origem da morte. Ele veio por causa do
pecado. Sin quebrou em pedaços o elo que ligava a criatura para o Deus vivo,
e, o que foi feito, ele foi entregue ao domínio da morte, que o domínio que
ele tinha qualquer poder para livrar. E isto, note-se, é uma das muitas provas
do fato da total incapacidade do homem para encontrar Deus. Não pode haver
comunhão entre Deus eo homem, senão no poder da vida, mas o homem está
sob o poder da morte, portanto, por razões naturais, não pode haver
comunhão. Vida, não pode ter comunhão com a morte, não mais do que a luz
com as trevas, ou santidade com o pecado. O homem deve se encontrar com
Deus em um terreno inteiramente novo, e sobre um novo princípio, até
mesmo a fé, e essa fé lhe permite reconhecer a sua própria posição, como
"vendido sob o pecado", e, portanto, sujeito à morte, enquanto que, ao
mesmo tempo, ele permite apreender o caráter de Deus, como o dispenser de
uma nova vida - a vida além do poder da morte - uma vida que nunca pode ser
tocado pelo inimigo, nem perdido por nós.

Isto é o que marca a segurança da vida do crente - um ressuscitado,


glorificado Cristo - um Cristo vitorioso sobre tudo o que poderia ser contra
nós. Adams vida foi fundada sobre a sua obediência, quando ele desobedeceu,
a vida foi perdido. Mas Cristo, tendo vida em si mesmo, veio a este mundo e
plenamente atendidas todas as circunstâncias do pecado do homem, já forma
possível e, submetendo-se a morte, destruiu aquele que tinha o poder da
mesma e, em ressurreição, torna-se o vida e justiça de todo aquele que crê
em Sua mais excelente nome.

Agora, é impossível que Satanás pode tocar nesta vida, quer na sua origem, o
seu canal, o seu poder, o céu de sua esfera, ou a sua duração. Deus é a sua
fonte, um Cristo ressuscitado, o seu canal, o Espírito Santo, o seu poder, o
céu, a sua esfera, e da eternidade de sua duração. Daí, portanto, como poder
para um possuindo esta vida maravilhosa, toda a cena é mudada, e quando,
em certo sentido, deve ser dito ", no meio da vida estamos na morte", mas,
em outro sentido que pode ser dito ", no meio da morte estamos na vida." A
morte não existe na esfera em que um Cristo ressuscitado introduz o Seu
povo. Como poderia haver? Será que ele não aboliu isso? Não pode ser um
abolida e uma coisa existente, ao mesmo tempo, e para as mesmas pessoas,
mas a palavra de Deus nos diz que é abolida. -Cristo esvaziou a cena da
morte, e encheu-o com a vida e, portanto, não é a morte, mas a glória que
está diante do crente, a morte está atrás dele para sempre. Quanto ao futuro,
tudo é glória, glória sem nuvens. É verdade que pode ser o seu muito para
"adormecer" - para "dormir em Jesus" - ". Vida a sério", mas que não é a
morte, mas A mera questão de partida para estar com Cristo não pode alterar
a esperança específica do crente, que é ao encontro de Cristo nos ares, para
estar com Ele e como Ele, para sempre.

Disto, temos uma bela exemplificação de Enoch, que constitui a única


exceção à regra de Gênesis 5. A regra é: "ele morreu," a exceção é ", ele não
ver a morte." "Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi
achado, porque Deus o trasladara, pois antes da sua trasladação ser alcançou
testemunho de que agradara a Deus." (. Hebreus 11: 5) Enoque era "o sétimo
depois de Adão", e é profundamente interessante descobrir que a morte não
foi sofrido para triunfar sobre o "sétimo", mas que, no caso dele, Deus
interferiu, e fez ele um troféu de sua própria gloriosa vitória sobre todo o
poder da morte. O coração se alegra, após a leitura, seis vezes, o triste
recorde ", ele morreu", para encontrar, que o sétimo não morreu, e quando
pedimos, como foi isso? a resposta é: "pela fé". Enoque viveu na fé de sua
tradução, e andou com Deus trezentos anos. Isto separou dele, praticamente,
de todo. Para andar com Deus, deve, necessariamente, colocar um fora da
esfera de pensamentos deste mundo. Enoch percebeu isso, porque, na sua
época, o espírito do mundo se manifestou, e então, também, como agora, se
opunha a tudo o que era de Deus. O homem de fé, sentiu que tinha nada a ver
com o mundo, salvar a ser testemunha do paciente, nele, da graça de Deus, e
do juízo vindouro. Os filhos de Caim pode gastar suas energias na tentativa vã
de melhorar um mundo amaldiçoado, mas Enoch encontrado um mundo
melhor e viveu no poder dele. * Sua fé não foi dado a ele para melhorar o
mundo, mas para andar com Deus.

Похожие интересы