Вы находитесь на странице: 1из 11

A PETIÇÃO INICIAL PERFEITA

Prezado leitor;

Você está recebendo um modelo de petição inicial de ação de


conhecimento.
Trata-se de um modelo que eu criei pensando em cada detalhe, em cada
exigência legal, em cada situação que você possa ter que enfrentar em seu processo,
durante a estruturação da sua petição inicial.
É claro que este trabalho não tem a intenção de esgotar o assunto. Optei por
contemplar nessa peça aquilo que é mais usual, que mais se utiliza nas petições
iniciais.
O modelo foi criado com base na minha experiência profissional (há mais de
15 anos analiso petições iniciais diariamente como Juiz de Direito), bem como na
experiência de inúmeros outros profissionais que se submeteram a uma detalhada e
criteriosa pesquisa de campo que eu realizei, com o intuito de descobrir como deve ser
a “petição inicial perfeita”.
Como você poderá ver, coloquei no modelo várias sugestões e dicas para
que você possa aproveita-lo ao máximo, bem como para facilitar a adaptação ao seu
caso concreto. Observe atentamente cada dica, cada sugestão, para que você possa
extrair o máximo proveito desse trabalho.
A minha intenção ao elaborar o presente modelo foi a de contribuir com seus
estudos, para que você possa escrever uma petição inicial tecnicamente perfeita e,
com isso, potencializar o sucesso de sua advocacia.
Antes de terminar, quero fazer uma ressalva: o que eu chamo de “Petição
Inicial Perfeita” é reflexo da minha visão a respeito da referida peça, de como ela deve
ser para que possa evitar determinações de emendas e para que possa ser bem
recebida pelo seu destinatário, que é o juiz. Mas isso não significa, nem de longe, que
não existam outros modelos e técnicas que também possam ser considerados
perfeitos. Respeito profundamente aqueles que pensam e escrevem de forma diferente
e proponho a estes que somemos forças para que possamos, verdadeiramente, ajudar
aqueles que querem dominar a arte de escrever e de persuadir.
Espero que aproveite e que tenha pleno sucesso.
Um grande abraço.

José Andrade
Juiz de Direito
Juízo de Direito da ____ª Vara Cível Residual da Comarca de XXXXXXX:

PRIORIDADE DE TRAMITAÇÃO - PESSOA IDOSA

ANTÔNIA OLIVEIRA, casada, aposentada, inscrita no CPF/MF sob


o n. 221.365.987-58, portadora da Cédula de Identidade com RG nº 54268 SSP/MS,
residente e domiciliada na Rua dos Andradas, nº 234, bairro Chácara das Olivas,
Campo Grande-MS, CEP: 79.214-554, com endereço eletrônico
antoniaoliveira@hotmail.com, por intermédio de seu ADVOGADO, Dr. Fulano de Tal,
portador da OAB-MS n. xxxxx, com endereço profissional à Rua Cáio Mário, n. 123,
Bairro Alto, em Campo Grande-MS, com endereço eletrônico fulanodetal@gmail.com,
vem à presença de Vossa Excelência propor, pelo procedimento comum (art. 318 e
seguintes do CPC/2015), AÇÃO DE CONHECIMENTO, com pedido de XXXXXXXX,
em desfavor de BANCO DO EMPRÉSTIMO FÁCIL, sociedade anônima, inscrita no
CNPJ sob o nº 01.325.874/0001-18, com sede na Rua dos Golpes, 567, Jardim dos
Pinhais, Campo Grande – MS, Cep 79.546-147, endereço eletrônico desconhecido,
pelos fatos e fundamentos seguintes.

I – QUALIFICAÇÃO DAS PARTES (ART. 319, II, CPC)


A demandante declara não dispor de endereço eletrônico como
requerido pelo CPC. Mas isto jamais pode ser obstáculo para o acesso à justiça,
especialmente quando se está diante de um indivíduo hipossuficiente econômico e
digital. Deste modo, este requisito não pode ser obstáculo ao recebimento da
demanda, senão restará configurada hipótese insuperável de inconstitucionalidade por
violação ao artigo 5º, inciso XXXV, da Constituição de 1988.
Ao lado disso, também cumpre consignar que não foi possível
indicar todos os dados da parte demandada. No entanto, os elementos indicados nesta
exordial são suficientes para permitir a citação. Ademais, por força do princípio da
colaboração, cumpre à parte demandada complementar seus dados quando da
apresentação de sua defesa. Portanto, deve ser aplicada a norma do §3º do
mencionado artigo, determinando-se, se for o caso, a realização de diligências
necessárias à sua obtenção (§1º, art. 319, CPC).
Assim, pugna-se pela aplicação do disposto no §3º do art. 319 do
CPC ao caso em estudo.

II – FUNDAMENTOS FÁTICOS E JURÍDICOS


Narrar os fatos da pretensão resistida.
II. 1. Fundamentos “A”
Concatenar os fatos com as razões jurídicas do pedido.
II. 2. Fundamentos “b”:
Concatenar os fatos com as razões jurídicas do pedido.
II. 3. Da necessária inversão do ônus da prova:
QUANDO FOR RELAÇÃO CONSUMERISTA
Como a relação jurídica entre os litigantes é nitidamente
consumerista, deve ser concedida ao consumidor-demandante a facilitação de sua
defesa, com a inversão do ônus probatório para o fornecedor-demandado, nos termos
do artigo 6º, inciso VIII, da Lei nº 8.078/90.
O pleito se justifica tanto por decorrência da verossimilidade da
alegação, como pela hipossuficiência do consumidor, senão veja-se.
A verossimilhança da alegação está evidenciada pela
documentação anexa, que indica a relação de consumo e a ilicitude da conduta do
fornecedor ao não proceder ao reembolso do consumidor, ora requerente, mesmo com
a tempestiva devolução do produto.
Ao lado disso ainda há hipossuficiência da parte demandante,
que é tanto técnica quanto financeira (declaração anexa). Esta última por ser prova, na
forma da lei, enquanto que a primeira deve ser balizada pela dificuldade de o
consumidor produzir as provas em seu favor, enquanto que ao fornecer a prova é de
fácil produção, mormente porque ____.
E ainda que não fosse classificada como consumerista a demanda,
é imperiosa a distribuição dinâmica do ônus probatório com fundamento no artigo 373,
§1º do Código de Processo Civil. Isto porque à parte demandante é dificílima ou até
mesmo impossível produção de prova de que (DESCREVER O FATO A SER
PROVADO).
Frisa-se que a inversão pleiteada não torna diabólica a prova para a
parte requerida (§2º do art. 273, CPC), haja vista que lhe é plenamente possível
produzir a prova do fato supra, notadamente em razão de _____.
Assim, fica requerida a inversão do ônus da prova para a requerida.
QUANDO FOR RELAÇÃO NÃO CONSUMERISTA
Sabe-se que a distribuição legal do ônus probatório é estática (frisa-
se: em regra) e impõe à parte autora o encargo de provar o fato constitutivo de seu
direito (art. 373, I, CPC). Malgrado isso, o caso em testilha merece atenção especial
desse Juízo, porquanto a manutenção da lógica básica da lei não se compraz com o
processo civil constitucional.
Prova disso é que o novo Código de Processo Civil adotou
claramente a teoria da distribuição dinâmica do ônus probatório nas situações traçadas
no §1º do artigo 373, in verbis:
§ 1o Nos casos previstos em lei ou diante de peculiaridades da causa
relacionadas à impossibilidade ou à excessiva dificuldade de cumprir o encargo nos
termos do caput ou à maior facilidade de obtenção da prova do fato contrário,
poderá o juiz atribuir o ônus da prova de modo diverso, desde que o faça por
decisão fundamentada, caso em que deverá dar à parte a oportunidade de se
desincumbir do ônus que lhe foi atribuído. (original sem destaques)
A teleologia do dispositivo em questão foi a de contemplar uma visão
constitucional do processo, pois de nada adiante dar o acesso à justiça sem os devidos
instrumentos adequados para que a lesão ou a ameaça de lesão a direitos sejam
repelidas pelo Judiciário.
No caso em estudo é imprescindível a inversão para a parte
demanda, pois a autora não tem a menor condição de provar que (descrever o fato e
os motivos do impedimento).
Frisa-se que a inversão pleiteada não torna diabólica a prova para a
parte requerida (§2º do art. 273, CPC), haja vista que lhe é plenamente possível
produzir a prova do fato supra, notadamente em razão de _____.
Assim, fica requerida a inversão do ônus da prova para a requerida.

III – DA TUTELA DE URGÊNCIA (ANTECIPADA OU CAUTELAR)

TUTELA ANTECIPADA
Independentemente da natureza da tutela provisória de urgência
(antecipada ou cautelar), estabelece o novo Código de Processo Civil que seus
requisitos gerais são: a) probabilidade do direito; e, b) perigo de dano ou o risco ao
resultado útil do processo.
Em sede de tutela antecipada (satisfativa), ainda há o acréscimo do
requisito negativo, qual seja, ausência de risco de irreversibilidade da medida (§3º, art.
300, CPC).
Muito bem.
Os elementos coligidos na inicial sumariamente demonstram a
verossimilhança dos fatos deduzidos na exordial, assim como também trazem à
tona plausibilidade jurídica dos pedidos formulados pelo(a) demandante. Ou seja, há
evidências de que a causa de pedir remota do(a) autor(a) (descrever os fatos que a
amparam) tem amparo em nosso ordenamento jurídico.
O segundo requisito, que pode ser sintetizado como sendo perigo
da demora, exsurge dos elementos juntados nesta peça inaugural, na medida em que a
espera por um provimento jurisdicional final (em sede de cognição exauriente)
prejudicará sobremaneira, ou quiçá tornará imprestável, o direito do demandante
buscado nesta demanda. Isto porque (explicar o risco da demora faticamente).
Por fim, tem-se como plenamente reversível a medida a ser
concedida, uma vez que a (explicar a reversibilidade no caso concreto).
Destaca-se que no caso da demandante, por ser hipossuficiente,
deve ser dispensada a prestação de caução real ou fidejussória, conforme autoriza o
§1º do já citado artigo 300 do Código de Ritos.
Enfim, roga-se pela concessão da medida liminarmente (§2º, art.
300, CPC). A um, porque a espera pela oitiva da parte demandada irá resultar grave
prejuízo ao demandante, já que (indicar os prejuízos). A dois, a postergação do
contraditório não causará prejuízo à parte demandada.
Dessa arte, merece ser concedida a tutela de urgência satisfativa
(antecipada) no caso presente, para (indicar a tutela pretendida), sem prejuízo do uso
de uma das medidas específicas indicadas no artigo 297 do CPC, para assegurar a
eficácia do provimento jurisdicional.
TUTELA CAUTELAR
Independentemente da natureza da tutela provisória de urgência
(antecipada ou cautelar), estabelece o novo Código de Processo Civil que seus
requisitos gerais são: a) probabilidade do direito; e, b) perigo de dano ou o risco ao
resultado útil do processo.
Destaca-se que em sede de cautelar é inaplicável o requisito da
reversibilidade previsto no §3º, art. 300, CPC.
Muito bem.
Os elementos coligidos na inicial sumariamente demonstram a
verossimilhança dos fatos deduzidos na exordial, assim como também trazem à
tona plausibilidade jurídica dos pedidos formulados pelo(a) demandante. Ou seja, há
evidências de que a causa de pedir remota do(a) autor(a) (descrever os fatos que a
amparam) tem amparo em nosso ordenamento jurídico.
O segundo requisito, que pode ser sintetizado como sendo perigo
da demora, exsurge dos elementos juntados nesta peça inaugural, na medida em que a
espera por um provimento jurisdicional final (em sede de cognição exauriente)
prejudicará sobremaneira, ou quiçá tornará imprestável, o direito do demandante
buscado nesta demanda. Isto porque (explicar o risco da demora faticamente).
É curial dizer, ainda, que no caso da demandante, por ser
hipossuficiente, não pode ser exigida a prestação de caução real ou fidejussória,
conforme autoriza o §1º do já citado artigo 300 do Código de Ritos.
Enfim, roga-se pela concessão da medida liminarmente (§2º, art.
300, CPC). A um, porque a espera pela oitiva da parte demandada irá resultar grave
prejuízo ao demandante, já que (indicar os prejuízos). A dois, a postergação do
contraditório não causará prejuízo à parte demandada.
Dessa arte, merece ser concedida a tutela de urgência cautelar
no caso presente, para (indicar a tutela pretendida), sem prejuízo do uso de uma das
medidas específicas indicadas no artigo 297 do CPC, para assegurar a eficácia do
provimento jurisdicional.

IV – DO INTERESSE OU DESINTERESSE NA AUTOCOMPOSIÇÃO (art. 334, §5º,


CPC)
OPÇÕES DE DESINTERESSE
Diante da premência na efetivação da tutela pretendida e da
natureza do direito envolvido, manifesta o desinteresse inicial na autocomposição do
litígio, a teor do que determina o art. 334, § 5º do Código de Processo Civil.
ou
A parte autora já tentou pessoalmente dirimir o conflito de interesse
versado nesta demanda, porém sem sucesso. Deste modo, dada inviabilidade de
autocomposição, pugna-se pela dispensa da audiência de composição do litígio (art.
334, §4º).
OPÇÃO DE INTERESSE NA CONCILIAÇÃO
A parte autora pretende dirimir o conflito de interesses versado nesta
demanda por meio da autocomposição, motivo pelo qual já fica requerida a designação
de audiência de conciliação ou mediação, conforme preconiza o artigo 334, §5º do
CPC.
Por conseguinte, requer-se seja a parte autora intimada para
comparecer à audiência.

V – DOCUMENTOS INDISPENSÁVEIS EM PODER DE TERCEIROS


A parte demandante apresenta com esta exordial os documentos
indispensáveis à propositura da demanda (art. 320, CPC), com exceção do(s)
seguinte(s): ___.
A razão disso é que o(s) documento(s) não está em poder do
demandante, mas sim da parte demandada (ou de terceiro), que apesar instada a
fornecê-lo assim não o fez, conforme comprova documentos inclusos.
Destaca-se que o documento visa provar _____.
Dessa forma, preenchidos os requisitos do art. 397 do CPC, devem
ser aplicadas analogicamente ao caso presente as normas do §1º do artigo 319, para
determinar que seja fornecido o documento no prazo de 5 (cinco) dias (art. 398, CPC).

VI – REQUERIMENTOS E PEDIDOS
Ante o exposto, requer-se a Vossa Excelência que se digne em:
• receber a presente petição inicial, a despeito da inexistência
de endereço eletrônico das partes e outros dados de impossível
obtenção, a teor do §º3, do art. 319 do CPC, concedendo-se à
parte autora os benefícios da justiça gratuita, nos termos da
declaração de hipossuficiência que ora se faz, consoante
preconizam os artigos 98 e 99 do Código de Processo Civil;

• Determinar a prioridade na tramitação do feito, na forma do


art. 1.048, I, do Código de Processo Civil e art. 71, da Lei nº
10.741/2003, por se tratar de pessoa idosa;

• Conceder TUTELA DE URGÊNCIA, liminarmente, para


______, sob pena de multa diária no valor de R$ ____(_), para a
hipótese de descumprimento total, parcial ou cumprimento
moroso, valendo-se, se for caso, de quaisquer uma das medidas
específicas previstas no art. 297 do Código de Processo Civil,
para assegurar a eficácia do provimento jurisdicional;

• A citação e intimação da parte demandada para comparecer à


audiência sob pena de aplicação de multa (§8º, 334, CPC) e
apresentar defesa no prazo legal;

ou

A citação da arte demandada para apresentar defesa no prazo legal;

• Determinar que a parte demandada ou terceiro exiba o


documento ____, no prazo de 5 (cinco) dias a contar de sua
intimação (art. 398, CPC);
• Conceder a inversão do ônus da prova em favor da parte autora,
determinando-se à requerida que produza provas ____;

• Deferir a produção de todos os meios de prova admitidos em


direito, em especial depoimento pessoal do demandado, oitiva de
testemunhas (rol abaixo), juntada de documentos em prova,
periciais etc.;

E ao final sejam julgados procedentes os pedidos para, tornando


definitiva a tutela provisória, ou concedê-la ao final:
• Declarar ___

• Condenar __

• Desconstituir ou constituir ___

• Condenar a parte demandada ao pagamento das despesas


processuais (art. 82, §2º, CPC) e honorários advocatícios (art. 85,
CPC), estes no patamar de 20% do valor da condenação ou da
causa;

Dá-se à causa o valor de R$ ____, __ (por extento), com


fundamento no artigo 292, inciso ____ do CPC.
Pede deferimento.
Local, data.

Fulano de tal
Advogado

ROL DE TESTEMUNHAS (ART. 450, CPC)

01 - o nome, a profissão, o estado civil, a idade, o número de inscrição no Cadastro de


Pessoas Físicas, o número de registro de identidade e o endereço completo da residência e do
local de trabalho;