Вы находитесь на странице: 1из 2

Explicações FÍSICA E QUÍMICA

Matemática e de Física e
Química

Como deve ser feito um relatório de uma atividade


laboratorial
Uma forma de sistematizar as aprendizagens inerentes à realização de uma experiência é a elaboração
de um relatório. O destino deste relatório é, neste nível de ensino (ensino secundário), a memória do
aluno, para que possa recordar o esforço que lhe permitiu compreender Física e Química. Serve
também, é claro, para mostrar ao professor se, de facto, houve ou não empenhamento para que as
aprendizagens ocorressem.

Como deve ser um relatório?


Deve ser claro e conciso!
Deve ser relatado num tempo verbal passado, usando 1.ª pessoa do plural e/ou modo impessoal.
A estrutura genérica pode ser variada, a maioria das vezes fornecida pelo professor. Uma experiência
que se faz para confirmar um resultado que já é supostamente conhecido, não terá, à partida, um
relato igual a uma outra em que o aluno se propõe fazer uma pequena investigação.

A estrutura correntemente aceite consta de uma 1.ª parte, em que se inserem…


1. o título;
2. os objetivos da experiência;
3. o equipamento; os materiais; os reagentes, etc.;
4. as precauções a ter no decorrer da experiência (especialmente no caso de uso de reagentes
químicos);
5. o método utilizado, sempre que esse for específico e mais elaborado; deve ser devidamente
descrito, ilustrado e pode até ser inserido num apêndice;
6. o procedimento adotado, que não será necessário no caso de ter sido dado pelo professor um
protocolo que o aluno seguiu passo a passo.

Explicações de Matemática e de Física e Química Tlm: 933480104 email: matematica.fisica.quimica.1973@gmail.com


Explicações FÍSICA E QUÍMICA
Matemática e de Física e
Química

Numa 2.ª parte…


A. Registam-se os dados ou valores obtidos, representados, se possível, em tabelas ou quadros,
referindo sempre os erros de medida.
B. Analisam-se os dados ou valores obtidos, fazendo cálculos, relacionando os dados, etc., mas
sem tirar conclusões.
C. Apresentam-se os resultados dos cálculos e faz-se a discussão. Sempre que possível (em
especial em Física) os resultados podem ser apresentados usando gráficos que os evidenciem e
que facilitem a discussão e a conclusão. É nesta fase final que se conclui sobre o êxito ou o
fracasso da experiência e se apontam as razões para tal desfecho.
D. Refere-se a bibliografia ou outras referências importantes.

NOTA: Relativamente ao ponto 2. (objetivos), este poderá ser substituído por uma introdução, com
considerações gerais, hipóteses a testar, objetivos a atingir e até outras experiências que já se
realizaram sobre o mesmo problema. Nesse caso, deve ter-se cautela na fase final, em C. pois nunca
deve faltar a análise da concordância dos resultados com a hipótese da introdução.

Explicações de Matemática e de Física e Química Tlm: 933480104 email: matematica.fisica.quimica.1973@gmail.com