Вы находитесь на странице: 1из 3

ROTEIRO PLANO INCLINADO COM ATRITO

Vamos imaginar que precisamos levar a caixa do plurall até o alto da mesa por
intermédio de um plano inclinado, porém, o chão é rugoso e temos atrito. Como
ficam as forças nessa situação?

Vamos considerar o efeito da força de atrito sobre um corpo em um plano


inclinado. Nesse caso, além das forças consideradas no estudo do plano
inclinado sem atrito, aparece a força de atrito, que é, no máximo, proporcional
ao produto da força normal pelo coeficiente de atrito.

F_a= μ.N

Além disso, tem sentido contrário a tendência do movimento do movimento do


objeto.

Vamos relembrar todas as forças?


1. A força peso atuando no objeto devido à gravidade (atuando verticalmente e
para baixo);
2. A força normal (N) exercida no objeto pelo plano perpendicular ao mesmo.
3. Se houver força de atrito, esta se oporá a tendência de movimento.
As forças que atuam na direção y são as mesmas forças que atuam sobre
um plano inclinado sem atrito. Portanto,
N+P =m.a =0 y y

N=-P =m.g.cosθ
y

Na direção x aparece mais uma força, que possui valor máximo, μN.
Por isso, indicamos essa força na figura acima como sendo F ≤ μ.N. a

Para efeito de cálculo, vamos considerar inicialmente que a força de


atrito tenha seu valor máximo, F =μ.N. Assim, podemos calcular o
a

valor de a , pela Segunda Lei:


x

F =P +F = m.a
x x a x

P -μ.N= m.a
x x

m.g.senθ-μ.m.g.cosθ=m.a x

Simplificando a massa, obtemos:


g.senθ-μ.g.cosθ=a x

Vale notar que a deve ser positivo, se o objeto se desloca para baixo.
x

Se isso não ocorrer (a <0) é porque a força de atrito não tem seu valor
x
máximo. Nesse caso, a força de atrito será igual à componente da força
peso, F =m.g.senθ, o que faz com que a aceleração seja zero. O objeto
a

está parado ou se deslocando com velocidade constante (MRU).