Вы находитесь на странице: 1из 27

LIÇÃO 01

FUNDAMENTOS PARA UMA VIDA DE REALIZAÇÃO SEXUAL

LIÇÃO 01

FUNDAMENTOS PARA UMA VIDA DE REALIZAÇÃO SEXUAL

Se você quiser ter uma vida sexual plena no seu casamento, precisará reconhecer que a sua vida espiritual impacta drasticamente e sua habilidade de ser saudável e de ter intimidade com seu cônjuge. Reconhecer isso é um processo e o primeiro passo é decidir: preciso buscar a Deus e manter meu coração puro, diante Dele e do meu cônjuge espiritualmente falando.

A partir daí, é preciso haver uma decisão em sua mente na área dos seus pensamentos. Você precisa dizer a si mesmo: ‘’ Não vou permitir que o pecado me instrua e não vou deixar o meu passado instruir meu casamento.

nosso

da

forma correta e isso significa dizer que haverá sanidade nas emoções de sua

vida

suas emoções,

quer

estresse ou sobre a falta de apetite sexual.

o

a

responsabilidade por

Precisamos

e

mudar

a

pensamento

começar

você

a

pensar

e

seja

que

assumirá

sobre

sobre

raiva,

Suas emoções serão um jardim e, se você cuidar bem delas, mas também, das emoções de seu cônjuge, vocês dois, junto, conseguirão transpor barreiras e dificuldades e poderão, juntos, colher os bons frutos no relacionamento conjugal.

Precisamos tomar uma decisão com nossa vontade e nosso livre arbítrio de nos entregarmos ao nosso casamento, em uma aliança entregamos nosso corpo em aliança e nesta aliança, não cabe se esquivar de seu cônjuge ou proibi-lo de tocar seu corpo se você estiver com raiva ou se estiver passando por momentos difíceis.

Lembre-se que vocês têm uma aliança de um satisfazer as necessidades do outro, e isso inclui as necessidades sexuais e, quando tiverem um problema, vocês lidarão com ele de forma positiva e proativa e nada os fará desistir de seu casamento de sua aliança.

Vocês estão comprometidos, por vontade própria, e fazer com que o relacionamento de vocês não seja controlado pelas emoções, mas sim, pelo amor Ágape, Diga ao seu cônjuge:

Eu vou lhe amar com o amor Ágape e estou comprometido com o nosso casamento, independentemente de como você se sinta ou de como eu me sinta, me comprometo a me sacrificar e a fazer a coisa certa por você.”

A nossa vontade tem um impacto tremendo no sexo e, fisicamente, é importante dizer que nosso corpo é templo do Espírito Santo. Não estabeleçam padrões injustos um para o outro, tal como é a prática do mundo, entendam sobre a forma que se alimentam, sobre o modo de vida, entendam que os hormônios, as químicas, a idade e todas essas

questões impactam nossa sexualidade e, portanto, precisamos ser proativos na forma como cuidamos de nosso corpo.

um

relacionamento multidimensional. Ele não está somente na área física, apesar de a parte física ser importante. Há todas as demais áreas que precisam ser cuidadas, para que possamos gozar do bom sexo, que só é experimentado em sua completude por quem é cristão, porque a pessoa que não conhece a Cristo, não consegue ter acesso à natureza espiritual é a base para todo o resto, e ela tem suas raízes na intimidade com Deus.

Afina,

o

sexo

é

Se você esteve aqui com dificuldades em qualquer uma dessas áreas que falamos, você pode superar isso. Não saia daqui esta manhã com a mentalidade de um comprador que diz:

“Talvez eu tenha escolhido o homem errado. Talvez eu tenha escolhido a mulher errada. Se eu tivesse escolhido outra pessoa, o sexo seria melhor.” Mas saia daqui com a mentalidade de um jardineiro que diz: “Se algo que eu gostaria que acontecesse não está acontecendo, é porque, pode ser, que haja algo que deveria estar acontecendo. Será que não estou colocando água o suficiente? Será que há algo em minha vida que precisa ser perdoado? Será que preciso mais de oração? Será que preciso mais de Deus? Será que há lago faltando e que precisa ser adicionado?”

O sexo é algo multidimensional, não é somente uma expressão física do seu desejo. O sexo expressa tudo o que acontece em nossas vidas.

LIÇÃO 02

HABILIDADES PARA A PATERNIDADE BEM-SUCEDIDA

LIÇÃO 02

HABILIDADES PARA A PATERNIDADE BEM-SUCEDIDA

Nossos filhos foram dados por Deus como presentes preciosos para trazer prazer às nossas vidas, mas isso acontecerá apenas se formos mordomos fiéis sobre eles. Próximo ao nosso relacionamento com Deus e com nossos cônjuges, nossos filhos devem ser a mais importante prioridade em nossas vidas. Eles requerem e merecem muito tempo, amor e atenção de ambos os pais. Eles abençoam nossas vidas e crescem como adultos responsáveis, de quem podemos nos orgulhar. Mas quando nós falhamos em amar nossos filhos e em suprir suas necessidades de forma apropriada, eles podem se tornar grandes problemas e uma ameaça para os nossos casamentos.

Quando os pais demonstram um equilíbrio entre o amor e a verdade para uma criança durante sua infância, investindo a si mesmos, fielmente, no desenvolvimento da mesma, será mais fácil para uma criança entender e aceitar ao Senhor. Mas quando os pais são ausentes, rejeitadores, cruéis, abusivos e/ou fracos, a criança não terá suas necessidades supridas e terá mais dificuldade em compreender e aceitar a Deus.

Consequentemente, o propósito duplo de cada pai é:

1. Conduzir o filho no entendimento e

aceitação de Jesus Cristo como Senhor

e

Salvador.

2.

Suprir as quatro necessidades básicas

do filho.

Como

suprir

as

quatro

necessidades básicas de um filho:

Número Um: Aceitação. Os pais precisam fazer todo o possível para demonstrar amor e aceitação para um filho desde o nascimento. É importante para os pais comunicar aos seus filhos em quatro maneiras principais:

1. Afeição física: Tanto as crianças novas quanto as mais velhas precisam ter contato e serem seguradas por ambos os pais. Nós nunca somos grandes o bastante para não necessitarmos de afeição física. Quando os pais regularmente tocam e seguram seus filhos calorosamente, a aceitação lhes é comunicada de forma poderosa.

2. Afirmação verbal: Todas as crianças

precisam ser elogiadas e louvadas durante suas vidas. Elas precisam ouvir seus pais dizerem que as amam todos os dias. Quando as crianças são

colocadas numa atmosfera de louvor e afirmação verbal, elas se conectam aos seus pais e crescem acreditando em si mesmas.

3.

Disponibilidade: Muito tem sido dito

e

escrito a respeito de passar tempo de

qualidade com os filhos. Apesar de concordarmos que o tempo gasto com os filhos deva ser de qualidade,

também sabemos que as crianças

necessitam de grandes quantidades de tempo ao redor de seus pais, especialmente de tempo ao redor de seus pais, especialmente quando são mais novas. Pais que passam muito tempo no trabalho, na Igreja, com amigos ou fazendo outras coisas deixam seus filhos se sentindo solitários e desimportantes.

4. Expressão: Há duas coisas que toda criança necessita de seus pais: um senso de pertencimento e um senso de identidade e de expressão individual. Uma pessoa saudável sempre tem um senso equilibrado sobre a quem pertence. Uma pessoa não-saudável sente uma ausência de pertencimento ou uma falta de identidade. Portanto, como pais, precisamos deixar que nossos filhos saibam que respeitamos seus sentimentos, opiniões e

individualidade. Embora tenhamos que ensinar nossos filhos a nos obedecerem e a se moldarem a certos padrões, não devemos subjugar suas identidades individuais com nossas próprias opiniões ou personalidades dominantes.

Número Dois: Identidade: Todos nós temos uma necessidade profunda de nos sentirmos únicos e significativos. Os pais começam a comunicar esse senso de identidade para seus filhos, permitindo que eles saibam como são especiais. Uma criança não deve ser comparada aos seus irmãos ou forçada a se conformar excessivamente ao sistema da família. Uma criança precisa ter a permissão de se expressar numa atmosfera de amor e ordem.

Número Três: Segurança: O senso de segurança de uma criança se deriva

principalmente da estabilidade da vida de seus pais. Portanto, quando uma criança sente que há contenda em casa, ela imediatamente se sentirá insegura. Toda vez que já pressão financeira, embora os pais possam não falar sobre ela abertamente, os filhos intuitivamente a sentirão e se tornarão inseguros. Os pais precisam respeitar a sensibilidade natural e a vulnerabilidade emocional de seus filhos. O ponto de partida é esse: Os filhos se sentem seguros quando estão numa atmosfera de estabilidade e amor. Os pais precisam fazer todo o possível para criar esse tipo de ambiente para seus filhos. Estabelecer parâmetros e discipliná-los apropriadamente também os faz sentir-se seguros no ambiente familiar do amor.

Número Quatro: Propósito:

Mesmo quando uma criança é nova, ela precisa ser ensinada que Deus tem um propósito especial para a sua vida. Enquanto lhe dizemos que ela é especial e única para nós e para Deus, também permitimos que ela saiba que o Senhor a criou para esse propósito especial que será revelado algum dia. Quando uma criança é ensinada a ser produtiva é responsável, ela fica mais feliz e sente que tem um propósito. Todavia, quando é permitido que uma criança seja irresponsável ou preguiçosa, ou ela nunca é ensinada a obedecer à vontade de Deus para a sua vida, ou a ter responsabilidade na família, igreja e comunidade, ela se sentirá infeliz e não-realizada.

Não há desculpa para o abuso: Há quatro questões importantes a serem consideradas por todo pai ao endereçar o assunto da disciplina da criança e castigo físico.

1. Abusar de uma criança é indesculpável:

Embora acreditemos que possamos bater

em nossos filhos, nós absolutamente não respaldamos o abuso infantil. O modo pelo qual distinguimos a disciplina e o abuso é que o abuso sujeita a criança a influências físicas, emocionais ou espirituais que são nocivas e que demonstram a ela algo contrário à natureza de Deus. Por outro lado, bater da forma apropriada não traz dano à criança. Na verdade, bater da forma certa protege a criança e revela para ela a verdade de que Deus pune aqueles que o desobedecem e à Sua Palavra. Portanto, bater é útil a uma criança quando feito da forma apropriada. Outra coisa que o pai abusivo geralmente faz é maltratar a criança física e verbalmente. Bater numa criança em partes aleatórias do corpo com sua mão ou um instrumento é inseguro e não-saudável. E também gritar com uma criança, xingá-la e discipliná-la em público traz danos à criança emocionalmente. Finalmente, não minta para uma criança para colocar medo sobre ela.

2. Bater é correto, mas não para toda situação disciplinar: Embora concordemos em bater, uma pessoa precisa ter cuidado para não usar um método como uma cura geral para todos

os

problemas. Por exemplo, algumas vezes,

o

comportamento de uma criança está

comunicando uma necessidade não- suprida ou uma ferida. A pessoa precisa ser sensível aos filhos para saber quando algo está errado no interior deles. Há momentos, então, em que outra forma de disciplina pode ser mais efetiva. Eu não acredito em colocar uma criança de castigo, pois pune tanto os pais quanto os filhos. Eu creio na retirada de certos privilégios e em outras formas criativas de ensinarmos nossos filhos a se

comportarem.

Além disso, precisamos ter cuidado para que a disciplina não cause danos às

crianças ou as sujeite a influências ímpias. Por outro lado, precisamos nos certificar de que nossas formas de disciplina realmente chamem a atenção delas e as faça pensar duas vezes da próxima vez. Logo, é preciso ser sensível aos filhos e criativos na paternidade.

3. Os pais devem estar em acordo com seu plano e padrões de disciplina.

Quando os pais não concordam a respeito

de como disciplinarão, ou quando um pai

não apoia o outro, há uma influência extremamente prejudicial sobre as crianças

e sobre o casamento. Portanto, a

concordância deve começar com um marido envolvido e participativo. Em vez

de deixar a disciplina para a esposa, o

marido deve agressivamente pensar e orar

a respeito dela, envolvendo-se na disciplina

dos

filhos. Os sentimentos e crenças tanto

do

marido quanto da esposa dever ser

ouvidos e respeitados, pois ambos trazem uma perspectiva importante e legitima à discussão da disciplina. Uma vez que ambos os pais expressem seus sentimentos, um acordo deve ser alcançado e seguido consistentemente na disciplina dos filhos. Nenhum dos pais deve ser o único disciplinador. Ambos devem ser. Quando um pai disciplinar um filho, o outro deve respaldá-lo. Se há alguma preocupação ou discordância, ela deve ser

expressada em particular.

Ambos os pais devem amar e disciplinar seus filhos. Novamente, o marido deve assumir a liderança, mas ser sensível à sua esposa. Ao fazer isso, e enquanto o casal se depara com os desafios da paternidade em acordo juntos, eles certamente serão bem-sucedidos.

LIÇÃO 03

HABILIDADES PARA O SUCESSO FINANCEIRO

LIÇÃO 03

HABILIDADES PARA O SUCESSO FINANCEIRO

Para te ajudar a ser bem- sucedido financeiramente, ou para evitar ou superar muitos dos perigos das finanças no casamento, nesse capítulo, você será apresentado a sete princípios bíblicos para o sucesso financeiro.

Princípio Número Um: Posse. Salmos 24:1. O primeiro fato que precisamos reconhecer antes de sermos verdadeiramente bem- sucedidos em nossas finanças é: Não somos donos de nada, e Deus é dono de tudo. O primeiro passo que você precisa dar na estrada para a liberdade e segurança financeira é se arrepender diante de Deus por tomar posse das coisas em sua vida, negligenciando reconhecer a posse e a autoridade Dele sobre elas. Depois, você precisa submeter completamente tudo o que você tem a Deus, sendo obedientes em lidar com as finanças e em tomar decisões financeiras.

Princípio Número Dois:

Mordomia. Malaquias 3:8-12. Deus nos desafia a prova-lo com nossas finanças, permitindo que Ele revele Seu poder e fidelidade abrindo as janelas dos céus e derramando bênçãos transbordantes. Ele, também promete que repreenderá o devorador para nós se o dermos o primeiro e o melhor de nossas finanças.

Ao ministrar o dízimo você comunica a Deus o reconhecimento de

que todas as bênçãos vêm Dele. É uma forma poderosa de dizer, “Obrigado, Senhor”. Ao fazer isso, Deus vai lhe responder com mais bênçãos.

Princípio Número Três:

Liderança. Provérbios 11:14. Através de um orçamento, grandes problemas são evitados. O tipo de planejamento financeiro que envolve sentar-se e considerar seriamente demandas combinadas à renda deve ser iniciado pelo marido, com a assistência e o apoio da esposa. Quando você se submete a uma liderança apropriada para tomar decisões financeiras, a paz mental e um aguçado senso de direção são notadamente presentes. Sem um plano sólido e direção para as finanças, você tende a tomar decisões baseadas em caprichos pessoais ou desejos de seu próprio coração. O sucesso financeiro em longo prazo requer planejamento e disciplina. Não o adie. Comece exatamente agora a colocar em ordem sua casa financeira. Se você fizer isso, seu casamento se beneficiará grandemente, e continuará se tornando melhor, enquanto você desobedece a Deus, e Ele continua a te abençoar.

Princípio Número Quatro:

Contentamento. Timóteo 6:8-10. Estar contente não significa que você não possa ter sonhos e desejos por casais maiores. Simplesmente significa que você é agradecido pelo que tem, e desejoso por esperar pela provisão e pelo tempo de Deus para receber mais. O verdadeiro contentamento significa que você será agradecido mesmo se nunca tiver nada mais do que comida e

um teto. O descontentamento é uma força destrutiva que nos impele a buscar mais e a obtê-lo agora. Para piorar as coisas, os anunciantes hoje são especialistas em nos incitar a estar descontentes com o que temos, seduzindo-nos a comprar seus produtos, mesmo se precisarmos entrar em dividas para tal. Muitos casais estão em jugo financeiro hoje porque são ingratos pelo que têm ou estão tentando manter as aparências perante a sociedade (possivelmente perante algum membro da família ou amigos), que os menospreza se não se adaptarem a ela. Embora nenhum de nós queira estar totalmente fora de compasso com aqueles ao nosso redor, precisamos estar comprometidos com um estilo de vida de contentamento, não importa quão ricos ou pobres sejamos.

Princípio Número Cinco: Fidelidade. Provérbios 28:20. Algumas pessoas são presa fácil para vigaristas que vendem esquemas rápidos para enriquecer.

A fidelidade é o caminho de Deus. Dia sim e dia não, faça o que é certo, e isso resultará em sucesso. Assim como uma pessoa acima do peso que deseja emagrecer, em 3 semanas, os quilos que ganhou em 30 anos, muitos pessoas acreditam em métodos rápidos para a prosperidade financeira. Entretanto, assim como as dietas não funcionam dessa forma, esquemas financeiros instantâneos também não.

A resposta é se disciplinas a viver

corretamente todos os dias. Exercitar-

se de forma fiel e adequada trará força.

Comer fielmente de forma adequada trará a cintura fina. Da mesma forma, a mordomia fiel e apropriada das nossas finanças, ano após ano, trará segurança e sucesso.

Princípio Número Seis:

Liberdade. Provérbios 22:26. Há três questões básicas relacionadas à liberdade nas finanças que todos os casais precisam considerar cuidadosamente. A primeira é a dívida. Apesar de não crermos que é pecado pegar dinheiro emprestado, mais e mais percebemos que muita dívida é jugo. A maioria das pessoas provavelmente tem que pegar dinheiro emprestado pra comprar uma casa ou um carro; entretanto, o alvo na vida de um cristão deve ser pagar tudo à vista, especialmente itens que não sofrem valorização. Se você precisa de algo e não pode tê-lo, espere até poder fazê- lo. Fazer as coisas dessa forma significa que você não tem as coisas que quer ou que precisa tão rápido como gostaria, mas também significa que você não vive com a pressão das dívidas ou dos juros altos que as acompanham. Este é o segredo: Ser capaz de viver em paz, dentro do que posso. A segunda questão da liberdade financeira tem a ver com parcerias de negócios. A não ser que a parceria permita que cada pessoa esteja no controle, estabelecendo parâmetros de proteção desde o começo, ela provavelmente não será bem-sucedida. Na verdade, muitas pessoas inocentes perderam bastante dinheiro através de parcerias. Como um casamento que resulta em divórcio, uma parceria malsucedida

pode ser muito dolorosa e financeiramente devastadora. A terceira questão relacionada à

liberdade financeira tem a ver com ser

o fiador do débito de outra pessoa. A

Bíblia é muito clara ao declarar que não

somos fiadores da dívida de outros. Esse é um conselho sábio da parte de Deus para a proteção do nosso dinheiro e relacionamentos. Ser fiador torna uma pessoa um co-devedor, que é tão responsável pela dívida como o próprio devedor. Em vez de ser fiador, dê uma oferta financeira ou deixe que uma empresa de empréstimos cuide do problema sem o seu envolvimento.

Princípio Número Sete:

Abnegação. Mateus 16:24. O egoísmo

é uma perigosa ameaça ao bem-estar

de um casamento. Por exemplo, quando um ou os dois cônjuges competem ou controlam excessivamente os recursos financeiros da família, para que tenham, primeiramente, aquilo que desejam então, a amargura, o ressentimento e a

instabilidade financeira, ou até mesmo

o caos, são inevitáveis. A segurança e o sucesso financeiro duradouro começam com a atitude mútua de abnegação. Em outras palavras, mesmo que signifique não tem o que você quer, você precisa estar desejoso por negar a si mesmo pelo bem-estar de seu casamento e família. Esse tipo de atitude é semelhante a de Cristo. Portanto, Deus a honra, enquanto abençoa aqueles que estão dispostos a entregar suas vidas por Ele e um pelo outro.

Nós acreditamos que esses sete princípios te levarão ao prazer e ao sucesso duradouro nas finanças de sua família. Embora você possa não ser um especialista, comece hoje a aplicar-se e

a obedecer aos princípios de Deus, para

o sucesso financeiro. Se você fizer isso, Deus te abençoará, e você começará a experimentar o prazer, para toda a vida, que a obediência e a disciplina trazem.

LIÇÃO 04

NOSSAS PALAVRAS SÃO ATÔMICAS

LIÇÃO 04

NOSSAS PALAVRAS SÃO ATÔMICAS

Hoje vamos falar sobre a linguagem da intimidade: “Do fruto da boca o estômago do homem se farta, do que produzem os lábios se satisfaz. A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza como do seu fruto.” Pv. 18:20

A Bíblia nos diz que nossas palavras são atômicas no reino espiritual, o que é uma grande verdade. Tudo o que você vê foi criado pela palavra de Deus. O próprio Jesus é chamado de ‘a palavra de Deus’. Nossas palavras foram criadas à imagem de Deus. Temos um poder tremendo em nossas palavras e Salomão nos diz isso no livro de Provérbios que, literalmente, o poder de vida e de morte está em nossas palavras.

É possível, basicamente, matar o espírito de qualquer pessoa através das palavras que proferimos. Pais podem fazer isso com seus filhos, maridos com esposas, esposas com maridos, nossas palavras podem construir relacionamentos ou destruí-los.

O livro Cânticos de Salomão é um livro altamente poético e alegórico. Ao lê-lo, percebe-se que é a história de Salomão e de sua noiva Sulamita uma de suas noivas, mas esse livro não se trata de Salomão e sua esposa, mas, sim, sobre Jesus e a Igreja. Salomão fala profeticamente de um relacionamento que Jesus, no futuro, terá com sua Igreja.

“Ouço a vós do meu amado; ei-lo

aí galgando os montes, pulando

sobre os outeiros. O meu amado é

semelhante ao gamo ou ao filho

da gazela; eis que está detrás da

nossa parede, olhando pelas

janelas, espreitando pelas grades.

O meu amado fala e me diz:

Levanta-te, querida minha, formosa minha, e vem. Porque eis que passou o inverno, cessou a chuva e se foi; aparecem as flores na terra, chegou o tempo de cantarem as aves, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira começou a dar seus figos, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, querida minha, formosa minha, e vem. Pomba minha, que andas pelas fendas dos penhascos, no esconderijo das rochas escarpadas, mostra-me o teu rosto, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e o teu rosto, amável.” Cânticos 2:8

É assim que todos os amantes falam de forma positiva e, quanto mais intimidade houver no relacionamento, mais segura é a forma de se falar trata-se de uma linguagem segura.

Quero que entendam que quando nos tornamos o povo que temos que nos tornar, falaremos assim com Deus e com outras pessoas também. E é neste nível de linguagem que Deus quer que nossos relacionamentos estejam. É impossível a qualquer relacionamento sobreviver sem que haja uma boa comunicação. O

relacionamento deve maturar na mesma medida que a comunicação e a linguagem um não pode se sobrepor ao outro. É preciso haver quantidade e qualidade na linguagem e também nos diálogos. Não é possível um relacionamento viver sem isso, tal como não é possível que haja monólogos num relacionamento; O mesmo é verdade no que se refere a nosso relacionamento com Deus.

E Deus é um comunicador fabuloso. O que foi dito neste texto é: a voz do meu amado é doce. Deus tem uma voz doe e a sua palavra é cheia de amor. Ao longo de toda a escritura vemos o quanto de amor Deus tem para com a humanidade.

Cremos que Deus está sempre falando conosco: palavras de encorajamento, palavras de afirmação, palavras de direcionamento. Deus é um comunicador fabuloso, mas, para que o relacionamento seja o que tem que ser, nós, que estamos na outra ponta do relacionamento, também precisamos ser grandes comunicadores. Precisamos aprender a falar de uma determinada forma.

“pois nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dEle e pra Ele.” Cl. 1:16

Precisamos entender que a sua boca foi criada por Deus e para Des, para louvá-lo e adorá-lo, além de amá-

lo e para amarmos uns aos outros, mas

o propósito de satanás é perverter isso

e impedir isso. Sabem quando inimigos guerreiam uns contra os outros? O que

o inimigo entende é que a forma como

você derrota seu adversário é cortando as linhas de comunicação entre eles, e nem entre as tropas, é possível derrotar o exército inimigo, porque os terá deixados confusos. E o diabo tenta fazer o mesmo em nosso relacionamento com Deus: se ele conseguir cortar a linha de comunicação que há entre nós e Deus, ele conseguirá nos confundir e nos derrotar. O mesmo pensamento é aplicado em cada família, em cada casamento. É o próprio Jesus quem nos diz que o reino dividido não sobrevive.

Quando o inimigo tenta nos derrotar ele sempre atacará nossas linhas de comunicação. Jesus disse em Mateus 12 que a árvore se conhece

pelos frutos. Não sei se você entende isso, mas, a sua reputação depende diretamente daquilo que você diz enquanto indivíduo. Há contudo, uma pequena diferença: em um ambiente onde você já é uma pessoa conhecida,

o seu caráter e o tempo que as pessoas

lhe conhecem são levados em consideração ao analisarem aquilo que você fala. Contudo, se você está num ambiente no qual ninguém lhe conhece, então, você será julgado por suas palavras e nada mais. As palavras de sua boca revelam ao diabo quem você é e o que ele pode fazer com você. Suas palavras revelam a Deus quem você é o que Ele pode fazer através de você.

No reino espiritual, Jesus está aqui dizendo a verdade: uma verdade é conhecida por seus frutos. Ou seja, você é conhecido pelas palavras que saem de sua boca. Vivemos numa sociedade que é muito perigosa com a boca que tem. Vivemos numa sociedade a qual promove e exalta pessoas que são sarcásticas ou espertalhonas, que exalta as pessoas que são más e mesquinhas, vivemos numa sociedade com pessoas que usam a boca de forma muito incorreta,

mas, o que precisamos entender é que cada ser humano dará conta de cada sílaba proferida, cada palavra frívola que tenha saído de sua boca, quer seja em público ou a portas fechadas.

E não conseguiremos entrar num fluxo de relacionamento até que aprendamos o poder da linguagem e libere-o em favor de seu próprio relacionamento.

LIÇÃO 05

O CASAMENTO DOS SONHOS

LIÇÃO 05

O CASAMENTO DOS SONHOS

É uma excelente notícia sermos capazes de tomar posse de nossos sonhos! E sonhar com o casamento é simplesmente verdade. Temos o sonho de ter um casamento feliz e seguro. Está no nosso DNA.

Não importa o que esteja acontecendo no mundo hoje, Deus criou o casamento e nos criou para o casamento. É a Palavra de Deus que diz que não é bom que o homem esteja só. Nós precisamos do casamento.

Mas existem passos, atitudes que precisamos tomar para que consigamos receber de Deus a experiência de um casamento dos sonhos, com tudo aquilo que acreditamos ser realmente maravilhoso para um relacionamento saudável:

1. Precisamos ter fé para permanecer. Na terra prometida, sempre haverá gigantes. Se eles não aparecem no começo, aparecerão no meio ou no final. Eles estarão na terra por todo o tempo que que você estiver casado. Entretanto, quanto mais gigantes você matar, mais terra tomará posse, só que, será cada vez mais fácil mata-los.

2. O segundo passo é render nossas vidas a Deus. Não somos donos de nada, mas sim mordomos, servos e gerentes.

3. O terceiro passo é servir um ao outro e semear na vida um do outro, tanto nos momentos bons quanto nos maus. Isso significa ser o realizador dos sonhos de seu cônjuge, mas não significa que você não tenha necessidades próprias e que não possa comunica-las. Significa apenas não tentar realizar o seu próprio sonho através da força do medo, mas sim, agir através da fé. Você semeará crendo que algo bom será dado a você. Você semeia na vida do seu cônjuge e é abençoado pela colheita advinda disso.

4.

O

quarto

passo

é

dizer

palavras

positivas

em

todos

os

momentos. O modo como falamos é

absolutamente

crucial

na

área

do

casamento.

“Do fruto da boca de cada um se fartará o seu ventre; dos renovos dos seus lábios ficará satisfeito. A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto. Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor”. Provérbios 18:20-22

Não é interessante que o versículo que fala sobre ter uma esposa venha logo após o que fala sobre a língua? O seu casamento nunca chegará a um nível maior do que o da sua boca. Você nunca terá um casamento melhor enquanto não tiver uma boca melhor. Vida e morte estão no poder da língua.

LIÇÃO 06

O SILÊNCIO É A FOME DOS RELACIONAMENTOS COM DEUS E COM O CÔNJUGE

LIÇÃO 06

DOS

RELACIONAMENTOS COM DEUS E COM O CÔNJUGE

O

SILÊNCIO

É

A

FOME

O silêncio significa fome no relacionamento. Trata-se da pior coisa que pode acontecer nos relacionamentos. Salmo 32 diz assim:

“Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos, pelos meus constantes gemidos, todos os dias. Porque a tua mão pesava sobre mim, dia e noite, e o meu vigor se

tornou em sequidão e estio. Confessei- te o meu pecado e a minha iniquidade

não mais ocultei. Disse: confessarei ao

Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado. Sendo assim, todo homem

que é de Deus, te fará suplicas em

tempo de poder encontrar-te. Com efeito, quando transbordarem muitas águas, não o atingirão. Tu és o meu esconderijo; tu me preservas da tribulação e me cercas de alegres cantos de livramento”.

Precisamos entender que quando começamos a orar, Deus nos cerca com músicas. Há, literalmente, cantos de livramento, que servem para nos cercar. A linguagem do céu é multidimensional e Deus sempre fala conosco de alguma forma, quando nossa comunicação com Ele é estabelecida. O que o salmista está nos dizendo é que enquanto ele se manteve em silêncio, seus ossos pereciam.

Todo relacionamento encontra- se em um desses dois estágios: ou está crescendo, ou está morrendo. Nenhum relacionamento fica num único estágio somente. O seu relacionamento com Deus encontra-se num desses dois estágios e a comunicação mostra a linha de vida ao longo do tempo. Voltando mais uma vez ao que o salmista disse, temos: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os

meus ossos”. O centro de todo o ser do salmista se degradava. Ouçamos agora

a resposta de Deus ao salmista:

“Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas te darei conselho”.

as

minhas vistas, te darei conselho” significa que você irá orar e Deus irá lhe instruir de acordo com o que ELE VÊ, e não de acordo com o que você vê.

O

trecho

que

diz:

“e

sob

Quantos aqui prefeririam ser

guiados por aquilo que Deus vê? Ele vê, milhares de anos a frente, com clareza total. Ele sabe de cada acontecimento,

de cada pessoa que entrará em sua

vida, de cada perigo, cada coisa que irá acontecer nos diferentes níveis da sua vida e também no nível espiritual. Ele sabe de tudo e é por isso que Ele lhe diz: “Se você vier até mim, quebrar o silêncio, e falar comigo, Eu lhe guiarei

pelo caminho que deve seguir e, de acordo com o que vejo, lhe darei sabedoria para o seu futuro um futuro sem erros. Você nunca mais precisará dar um passo em falso, ir pelo caminha errado, você nunca mais perderá um, dois, ou cinco anos indo na

direção errada, para que não precise se arrepender mais tarde”.

Não sejas como o cavalo ou a

mula,

sem

entendimento,

os

quais

com

freios

e

cabrestos

são

dominados.

Deus tem formas de nos fazer falar. Imaginem aquele cavalo manso e obediente, que só de você chegar perto, ele já se aproxima para que você monte nele. Imaginem agora, aquele tipo de cavalo que você vive fugindo e não obedece a nenhuma de suas ordens. Qual desses dois cavalos você gostaria de ser? Conosco é o mesmo.

Você pode ser o tipo de pessoa que fala, ou, você pode ser o tipo de pessoa que é forçada a falar. E existem formas de lhe forçar a falar. Deus pode trazer circunstâncias para a sua vida que lhe quebrantarão e lhe causarão tamanha dor que você será forçado a falar. O interesse de Deus não é na sua dor, mas sim, na sua presença, porque Ele sente a sua falta. Entenda: Ele lhe criou para que você esteja na presença dEle. Ele sente ciúmes de você e não desistirá. E isso é uma promessa.

Por que as pessoas ficam em silêncio nos relacionamentos? Um dos motivos é a ignorância. E da mesma forma como o seu relacionamento conjugal necessita da comunicação, o seu relacionamento com Deus também necessita. Deus tem necessidade de que o seu Deus está distante e sempre ocupado.

Outro motivo que faz com que as pessoas se emudeçam em seu relacionamento é a condenação.

Romanos 8:1 diz assim: Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.Em Cristo Jesus não estamos condenados, mas o diabo

é quem nos sentencia. Ele nos diz

assim: Você pecou contra Deus mais de uma vez, Deus não aprova o que você fez e Ele não vai mais lhe ouvir.

A condenação faz com que você se

afaste de Deus até que não precise mais dEle. O diabo faz você acreditar que terá de reparar o seu erro antes de ir até Deus, porque você e sua presença e a sua voz irritam a Deus. E o que acontece com os que acreditam nisso? Nós nos afastamos e ficamos tentando fazer coisas para provar para Deus que nós mudamos. Mas o problema com isso é que, a partir do momento que

você acredita nisso e começa a fazer isso sozinho, não precisará mais dEle para lhe perdoar e lhe justificar.

A melhor maneira de se reparar um relacionamento é através da conversa. O problema é que a condenação faz com que você acredite que não deve se dirigir ao Senhor até que precise Dele, ou, que você não deve conversar com Ele até que Ele tenha esquecido aquilo de errado que você fez, mas Ele se esquece, a partir do momento que você conversa com Ele e se arrepende.

Por mais estranho que possa parecer, eu também já ouvi pessoas dizerem assim: Não tenho mais conseguido orar desde que tal coisa

aconteceu. Estou com raiva de Deus. Não entendo o porquê de Deus ter deixado tal coisa acontecer. Mas há um grande perigo nisto. A bíblia nos diz para irarmos sem, contudo, pecarmos. A bíblia também nos diz que não devemos deixar que o sol se ponha sobre nossa ira. Jamais deitem para dormir se houver algo não resolvido. Não seguir esse ensinamento é algo muito perigoso. O diabo vem e começa a lhe convencer de que Deus não lhe ama ou de que seu cônjuge não lhe ama. O grande perigo de você deixar

que sua ira interfira em seu comportamento com Deus, é que o diabo começa a colocar em sua mente a ideia de que o que lhe acontece de ruim é a culpa de Deus. Ele começa a minar o seu relacionamento com Deus dizendo: Ele não está do seu lado, Ele não se importa com você, mais isso é um erro. O silêncio é fome de relacionamento. Não podemos nos silenciar com Deus ou com qualquer pessoa que amamos.

LIÇÃO 07

PRECISA EXISTIR DIVERSÃO NO CASAMENTO

LIÇÃO 07

PRECISA

CASAMENTO

EXISTIR

DIVERSÃO

NO

Sem falar o fator diversão e sem sexo, o seu casamento corre o sério risco de se transformar em um relacionamento de negócios e, a propósito, um relacionamento bastante perigoso.

do

Departamento de Psicologia da Universidade de Denver, fez uma pesquisa muito interessante sobre a diversão na vida dos casais. Eis uma citação dele: Quanto mais se investe em diversão e amizade e em ajudar seus amigos, mais feliz será seu relacionamento com o passar do tempo. A relação entre diversão e felicidade matrimonial é significante.

J.

Howard

Markan,

Há também uma citação de Thomas N. Bradbury, da Universidade da Califórnia, que diz: Pessoas que vivem em relacionamentos felizes geram diversão. E, à medida que criam diversão, elas mantêm seus relacionamentos fortes, saudáveis e sempre joviais.

O que estão dizendo neste artigo do Bradbury é que a diversão não é uma luxúria. Trata-se de um item necessário para a sobrevivência do casamento. Eles mostram, inclusive, um casal de sessenta anos de idade, se divertindo no jogo de baseball. Ouçam o depoimento da mulher: Às vezes, quando as coisas ficam tensas demais, tentamos brincar e falar umas coisas

bobas um para o outro, só pra quebrar a tensão do momento. Já temos uma frase que usamos em momentos de tensão.

O estresse está arruinando nossas vidas, nossos casamentos e nossa saúde.

Neste mesmo artigo há outras citações igualmente importantes de

pesquisas correlatas. Eis outra que vale a pena deixar registrado: Paul Amato e sua pesquisa Como o casamento tem

mudado

na América

(Howmarriageischanging in America). Ele compara 1980 com o ano 2000.

Ouçam as estatísticas de algumas perguntas que ele fez:

Pergunta:

Você

visita

seus

amigos

com

regularidade?

1983: 53%

2000: 34%

Vocês participam de atividades de lazer juntos?

1983: 62%

2000: 44%

 

Vocês

fazem

as

principais

refeições

juntos?

1983: 78%

2000: 66%

 

Trata-se de uma pesquisa empírica, mas eles estão tentando dizer que a falta de lazer juntos está arruinando os casamentos. Muitos não têm mais tempo de se divertirem juntos. A vida está se tornando cada vez mais difícil e, porque não se tem

tempo para a diversão, os casamentos estão sendo deixados de lado.

Outra coisa que precisamos tratar é a respeito da televisão e da internet. Ouçam isto: não importa quanto tempo vocês gastem seja com a televisão ou com a internet, nenhuma das duas têm o poder de fortalecer os relacionamentos. Não se pode pautar seu relacionamento em assistir tv e navegar pela internet. E por quê? Porque não há interação alguma nessas atividades.

Por outro lado, se vocês dois vão ao jogo de futebol juntos, vocês tem a chance de interagirem, de conversarem.

Portanto, qualquer coisa que forem fazer em prol do relacionamento de vocês, optem por atividades que privilegiem a interação: caminhada, ir ao parque, ou o que quer que seja.

Precisamos, contudo, considerar as diferenças entre homens e mulheres. Os homens, por exemplo, se abrem mais facilmente em dois momentos específicos: quando estão se divertindo e após o sexo. Já para as mulheres, isso é mais fácil. Não é

necessário um momento específico. Mas pra eles, sim.

O próximo passo é planejar a noite, separar um dia certo, coloca-la na sua planilha de gastos. Não abra mão de seu dia ou sua noite de diversão ou de seu fim de semana de diversão. Incorporem isso à rotina do casal. A melhor parte da diversão é que ela é gratuita.

Eu lembro que quando era menor ia pra casa de meus avós e nós nos divertíamos muitíssimo fazendo coisas bem simples como jogar cartas. Naquela época eu não fazia ideia de que meus avós eram pessoas muito pobres. Mas, mesmo assim, nós nos divertíamos muito. Jogávamos canastra, jogávamos dominó, jogávamos xadrez.

Portanto, divertir-se é essencial! A vida já nos é séria demais. Precisamos nos divertir. Abram os jornais e procurem por atividades gratuitas e que não envolvam gastos. Procurem por atividades que os façam rir se divertir.

LIÇÃO 08

TREINANDO SUA BOCA NO CASAMENTO

LIÇÃO 08

TREINANDO

SUA

BOCA

NO

CASAMENTO

Vamos falar com vocês sobre comunicação e sobre palavras usando

o que a bíblia diz acerca das palavras e, então, amanhã, falaremos sobre como desarmar a comunicação disfuncional.

O que faz dizer as coisas que dizemos,

mesmo sendo erradas e contraproducentes e que não deveriam

fazer parte de nosso casamento? Como fazer para deixar de fora esse tipo de

comunicação?

Abram aí em Provérbios 18:20:

Do fruto da boca o coração se farta,

do que produzem os lábios se satisfaz.

A morte e a vida estão no poder da

língua; o que acha uma esposa acha o bem e alcançou o favor do Senhor.

O texto diz que a satisfação do homem virá mais de sua boca do que

de qualquer outra coisa e, ao preparar

a sua boxa de forma adequada, você

estará se preparando para o casamento. E isso é uma grande verdade. Nosso casamento nunca estará acima do nível de nossa boca nunca, jamais. Todo bom casamento é composto de muitas palavras proferidas.

Se não já muitas boas palavras proferidas especialmente para as mulheres, que têm essa necessidade, elas se sentirão como num deserto sem água. Não haverá muito o que colher de sua mulher se você não estiver dizendo a ela boas coisas. Por outro

lado, se há muitas palavras ruins ou se só há palavras ruins, a colheita não será muito boa. Portanto, para que um casamento vá bem, é preciso que haja boas palavras.

Vamos começar falando sobre o potencial do discurso positivo.

Lembrando que estamos em Provérbios 18:20: Do fruto da boca o coração se farta, do que produzem os lábios se satisfaz. A morte e a vida estão no poder da língua; o que acha uma esposa acha o bem e alcançou o favor do Senhor.

Há aí algumas terminologias bem específicas aos que trabalham com plantação. Mas o que se pode perceber é que, basicamente, o verso fala de semear e colher. Nossas palavras são sementes que darão frutos. Do fruto de seus lábios você será satisfeito. Portanto, toda palavra proferida tem sua consequência. Não existe um discurso, um fala sequer que, depois de proferida, evapore. Não. Ela irá frutificar sempre. A palavra é semente.

Em Mateus 12, Jesus diz que todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á isso perdoado; as, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo, nem no porvir.

Jesus está falando da boca neste texto. E Ele continua: Ou fazei a árvore boa e o seu fruto bom ou a árvore má e o seu fruto mal; porque pelo fruto se conhece a árvore. Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração. O homem bom tira do tesouro bom coisas boas; mas o homem mau do mau tesouro tira coisas más. Digo-vos que de toda palavra frívola eu proferirem os homens, dela darão contra no dia do juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado.

Este verso está em linha com o que

lemos em Provérbios ambos falam da mesma coisa. E, para os que não sabem

o que vem a ser blasfemar contra o

Espírito, eu lhes digo: blasfemar contra

o Espírito Santo é ver as boas coisas

que o Espírito faz e atribuí-las ao diabo. Esse pecado não lhes será perdoado.

Ou seja, dá para se ter uma ideia do quão poderosas são as palavras. O próprio Jesus nos diz que TODOS os nossos pecados nos serão perdoados, exceto o de blasfêmia contra o Espírito. Percebem isto? As palavras tem o poder de mudar toda a sua eternidade.

Оценить