Вы находитесь на странице: 1из 3

1

REPRODUÇÃO E CRESCIMENTO DE MICRORGANISMOS

Crescimento em uma cultura de microrganismos significa aumento do número de células ou da


massa total de células. A taxa de crescimento de células ou da massa total de células é a
velocidade de crescimento do microrganismo, ou seja, o aumento de células ou da massa de
células em uma unidade de tempo.
As bactérias se multiplicam por fissão binária:
1. A célula dobra de tamanho - ocorre a duplicação do cromossomo (nucleóide) e do conteúdo
celular. Com o aumento de tamanho, a membrana citoplasmática se estende e as cópias do
cromossomo se separam, cada uma presa a um mesossomo;
2. A célula divide-se em duas células-filhas que têm aproximadamente o mesmo tamanho da
célula-mãe. Ocorre uma invaginação da membrana plasmática na região central da célula e
produção de uma nova parede celular entre as células-filhas;
3. As células-filhas se separam completamente ou permanecem acopladas para produzir os
diferentes arranjos de células bacterianas.

Crescimento Bacteriano
Os microrganismos unicelulares têm crescimento exponencial, o aumento do número de células
ocorre em progressão geométrica. O número de células aumenta durante cada intervalo de tempo
por um fator constante:
20  21  22  23 ... 2n
1  2  4  8 ...
n = número de gerações
2

O crescimento exponencial apresenta uma relação linear entre o tempo e o log do número de
células e é chamado também de crescimento logarítmico.
O intervalo de tempo requerido para divisão de cada microrganismo ou duplicação da população é
conhecido como tempo de geração. O tempo de geração varia entre as bactérias e também é
dependente das condições ambientais. Ex: E. coli em meio líquido = 12,5 min; Mycobacterium
tuberculosis = 13 – 15 hs.

Número de Gerações Tempo de Geração


n
N = N0 x 2 g = t/n
onde onde
N = número final de células t = intervalo de tempo
N0 = número inicial de células n = número de gerações
Aplicando logaritmo Se n = 16,5 e t = 5 hs
log10N = log10N0 + n log10 2 g = 5/16,5 = 0,30 hs
n = logN - logN0
Taxa de crescimento
log10 2
V = n/t
n = logN - logN0 V = 16,5/5 = 3,3 gerações/h
0,301
n = 3,3 (logN - logN0)
Se N0 = 1000 e N = 100.000.000
n = 3,3 (8 – 3) = 16,5 gerações

Curva de Crescimento de Microrganismos


Quando os microrganismos são inoculados em meio líquido sem adição de novos nutrientes ou
remoção de metabólitos (sistema fechado), as células dividem-se obedecendo às leis do
crescimento celular, até que a falta de nutrientes ou o acúmulo de metabólitos impeçam sua
continuidade. Esse é reproduzido graficamente como uma curva de crescimento (logaritmo do
número de células pelo tempo). A curva de crescimento pode ser dividida em fases de
crescimento:
3

A - Fase lag: fase inicial em que quase não há aumento do número de células. Nesta fase, as
células reparam danos celulares e sintetizam RNA, ribossomos, enzimas e outros materiais para
se adaptar às novas condições de cultivo. A duração da fase lag depende das condições de cultivo
anteriores (idade da cultura e composição do meio anterior).
B - Fase log: fase exponencial ou logarítmica de crescimento rápido, caracterizada pela
duplicação do número de microrganismos a cada intervalo de tempo. A taxa de divisão depende
do tipo de microrganismo e das condições de crescimento. O tempo de geração permanece
relativamente constante nessa fase, que é a escolhida para as medidas das taxas de crescimento.
C - Fase estacionária: se inicia quando as células perdem a capacidade de se reproduzir. Nesta
fase, o substrato foi consumido e também outros fatores como a alta concentração de células,
queda da pressão de oxigênio e acúmulo de metabólitos determinam o final da reprodução dos
microrganismos. Para muitos microrganismos, o número de células permanece constante porque
o número de células novas é igual o de células mortas. Para alguns microrganismos, na fase
estacionária os materiais de reserva podem se consumidos permitindo a manutenção da
viabilidade por tempo considerável, apesar da ausência de multiplicação. Nesta fase, são
produzidos metabólitos secundários importantes (antibióticos).
D - Fase de morte: ocorre o declínio da população viável até que rodas as células morram. A
contagem de células viáveis pode decrescer exponencialmente. Podem aparecer alterações
morfológicas nas células (mudança de forma, ausência de parede, etc).

Cultura Contínua
Sistema de cultivo aberto em que há adição constante de meio fresco e remoção do meio já
utilizado com as células. Nesse sistema, a fase logarítmica de crescimento é mantida. Ele é usado
para pesquisas e na indústria para garantir produção máxima dos produtos desejados.
Quimiostato - Aparelho que permite a adição de meio fresco e retirada de meio utilizado e
células. O ajuste do fluxo de entrada de meio fresco (taxa de diluição do meio) permite o controle
da taxa de crescimento celular.

Cutltura Sincrônica
Cultura em que as células se duplicam ao mesmo tempo graças à técnicas de manipulação
(mudança do meio físico – temperatura – ou da composição química do meio; filtração ou
centrifugação diferencial – separação por tamanho). Essas células permanecem por algumas
gerações no mesmo momento do ciclo de crescimento permitindo o estudo das atividades
bioquímicas características de cada período.

Determinação do Número de Células e da Massa Celular


Contagem de células viáveis - determina somente o número de células viáveis na população
(capazes de crescer e produzir colônias). Métodos:
 Pour plate (contagem em profundidade);
 Spread plate (contagem em superfície);
 Filtração por membrana (plaqueamento).
Contagem de células totais - inclui todas as células visíveis ou demonstráveis, algumas das
quais estão mortas ou danificadas. Métodos:
 Câmaras de Neubauer ou Thoma (microscópio);
 Filtração por membrana (microscópio).
Determinação da massa celular por métodos diretos
 Peso seco após centrifugação;
 Conteúdo de nitrogênio total e carbono total;
 Conteúdo de proteínas.
Determinação da massa celular por métodos indiretos
 Turbidez (Densidade óptica ou turbidez);
 Funções metabólicas (consumo de O2; produção de ácidos; produção de CO2).