Вы находитесь на странице: 1из 11

SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO

Conceito: O sistema de esgotamento sanitário é o conjunto de instalações destinadas a coletar,


transportar, condicionar e encaminhar, somente esgoto sanitário, a uma disposição final conveniente de
modo contínuo e higienicamente seguro.

Órgãos Constitutivos:

 Rede coletora: conjunto constituído por ligações prediais, coletores de esgotos e seus órgãos
acessórios, destinados a receber e conduzir os esgotos das edificações.
 Interceptores: canalizações que recebem os coletores de esgoto ao longo de seu comprimento,
não recebendo ligações prediais diretas; são responsáveis pelo transporte dos esgotos gerados
na sub-bacia, evitando que os mesmos sejam lançados nos corpos d’água.
 Emissário: canalização destinada a conduzir os esgotos a um destino conveniente sem receber
contribuições ao longo do seu percurso.
 Sifão invertido e passagem forçada: trechos com escoamento sob pressão, cuja finalidade é
transpor obstáculos, depressões do terreno ou cursos de água, rebaixados (sifão) ou sem
rebaixamento (passagem forçada).
 Estação elevatória de esgotos (EEE): instalações que objetivam bombear os esgotos de um
ponto baixo para outro de cota mais elevada, permitindo que a partir desse ponto, os esgotos
possam fluir por gravidade. As estações elevatórias são utilizadas quando as profundidades
das tubulações tornam-se demasiadamente elevadas, quer devido à baixa declividade do
terreno, quer devido à necessidade de se transpor uma elevação.
 Estação de tratamento de esgotos (ETE): conjunto de instalações destinadas à depuração dos
esgotos, antes do seu lançamento nos cursos d’água.

Fundamento Legal:

- Resoluções CONAMA Nº 237/1997


- Resolução CONAMA Nº. 377/2006
- Lei Estadual Nº 6.787/2006 e suas alterações
- Resolução CEPRAM Nº 170/2005
- Resolução CEPRAM Nº. 120/2010

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 1 de 11
TIPO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Porte do Empreendimento Check List a ser apresentado


Vazão até 35 l/s LAS1 LO
Vazão igual ou superior a 35 l/s LP LI LO

O IMA SE RESERVA NO DIREITO DE EXIGIR COMPLEMENTAÇÃO DE


INFORMAÇÕES A QUALQUER MOMENTO DURANTE A ANÁLISE DO
PROCESSO.

1 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A LAS

Definição: Concedida na fase preliminar do planejamento do empreendimento ou atividade aprovando


sua localização e concepção, atestando a viabilidade ambiental e estabelecendo os requisitos básicos e
condicionantes a serem atendidos nas próximas fases de sua implementação.

Validade: O prazo de validade da LAS será de 2 (dois) anos podendo ser renovado por mais 4 (quatro)
anos.
a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;
b) Publicação de súmula do pedido de Licença Ambiental Simplificada em jornal de circulação
regional e no Diário Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
e) Certidão do Município, quanto ao uso e ocupação do solo, conforme modelo IMA ou modelo
específico do município ou Alvará de Localização;
f) Cópia do Ato Constitutivo ou Contrato Social da Empresa;
g) Cópia do RG / CPF /Comprovante de residência do responsável legal pela empresa.
h) Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
i) Cópia da escritura do imóvel (ETE, EEEs, outros) em nome do requerente ou contrato de
locação (neste caso, deverá ser apresentada a escritura do imóvel em nome do locador,
juntamente com o contrato de locação);

1
LAS: LP/LI/LO. Não aplicável a empreendimentos localizados em áreas protegidas por Lei.

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 2 de 11
j) Cópia da outorga de captação para utilização de recursos hídricos (se for o caso);
k) Cópia da outorga de lançamento de esgoto tratado (se for o caso);
l) Planta de localização da ETE em escala adequada com indicações gráficas no entorno de
500m contendo os seguintes elementos:
 Orientação magnética;
 Corpos d’água;
 Cobertura vegetal;
 Usos implantados e acesso.
m) Projeto do sistema da estação de tratamento de esgoto contendo layout das instalações,
memorial descritivo, plantas e a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional
que o elaborou – documentos assinados;
n) Apresentação, em escala adequada, do traçado da rede coletora, interceptores, estações
elevatórias e emissário indicando a faixa de domínio e as possíveis interferências com
sistemas viários, cursos d’água, adutora, rede de distribuição de água, gasodutos, oleodutos,
entre outros (quando couber);
o) Projeto e descrição do sistema de drenagem de águas pluviais (ETE e EEE) com sua
respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que o elaborou –
documentos assinados. (quando couber);
p) Apresentar projeto de terraplenagem e pavimentação (ETE e EEE) contendo memorial
descritivo, plantas e detalhamentos necessários. Apresentar Anotação de Responsabilidade
Técnica paga do profissional que o elaborou – documentos assinados. (quando couber);
q) Apresentar o Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil – PGRCC, elaborado
por técnico habilitado com a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que
o elaborou;
r) Apresentar cronograma de instalação do empreendimento;
s) Estudo ambiental (conforme modelo disponível no site do IMA/AL).

1.1 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A PRORROGAÇÃO DA LAS

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de prorrogação da LAS em jornal de circulação regional e no Diário
Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 3 de 11
d) Cópia da LAS com seu respectivo relatório de atendimento das condicionantes;
e) Apresentar novo cronograma de instalação com as complementações a serem realizadas.

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 4 de 11
2 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A LICENÇA PRÉVIA

Definição: Concedida na fase preliminar do planejamento do empreendimento ou atividade aprovando


sua localização e concepção, atestando a viabilidade ambiental e estabelecendo os requisitos básicos e
condicionantes a serem atendidos nas próximas fases de sua implementação.

Validade: O prazo de validade da LP será de 2 (dois) anos podendo ser renovado por mais 3 (três)
anos.

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de Licença Prévia em jornal de circulação regional e no Diário Oficial
do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
e) Certidão do Município, quanto ao uso e ocupação do solo, conforme modelo IMA ou modelo
específico do município ou Alvará de Localização;
f) Estudo Ambiental (conforme modelo disponível no site do IMA/AL;
g) Cópia do Ato Constitutivo ou Contrato Social da Empresa;
h) Planta de localização da ETE (se couber) em escala adequada com indicações gráficas no
entorno de 500m contendo os seguintes elementos:
 Orientação magnética;
 Corpos d’água;
 Cobertura vegetal;
 Usos implantados;
 Acesso.
i) Cópia do RG / CPF /Comprovante de residência do responsável legal pela empresa.
j) Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
k) Cópia do protocolo da outorga de captação para utilização de recursos hídricos (se for o caso);
l) Cópia do protocolo da outorga de lançamento de efluentes líquidos (se for o caso);

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 5 de 11
3 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A LICENÇA DE INSTALAÇÃO

Definição: autoriza a instalação do empreendimento ou atividade de acordo com as especificações


constantes dos planos, programas e projetos aprovados, incluindo as medidas de controle ambiental e
demais condicionantes, da qual constituem motivo determinante.

Validade: O prazo de validade da LI será de 2 (dois) anos podendo ser renovado por mais 4 (quatro)
anos.

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de Licença de Instalação em jornal de circulação regional e no Diário
Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cópia da escritura do imóvel (ETE, EE, outros) em nome do requerente ou contrato de
locação (neste caso, deverá ser apresentada a escritura do imóvel em nome do locador,
juntamente com o contrato de locação) - quando for o caso;
e) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
f) Apresentar cronograma de instalação do empreendimento;
g) Cópia da LP com seu respectivo relatório de atendimento das condicionantes;
h) Cópia do Ato Constitutivo ou Contrato Social da Empresa;
i) Cópia do RG / CPF /Comprovante de residência do responsável legal pela empresa;
j) Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
k) Projeto da estação de tratamento de esgoto contendo layout das instalações, memorial
descritivo, plantas e a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que o
elaborou (se couber);
l) Apresentação, em escala adequada, do traçado da rede coletora, interceptores, elevatórias de
esgoto e emissário indicando a faixa de domínio e as possíveis interferências com sistemas
viários, cursos d’água, adutora, rede de distribuição de água, gasodutos, oleodutos, entre
outros (quando couber);
m) Projeto e descrição do sistema de drenagem de águas pluviais (ETE e EE) com sua respectiva
Anotação de Responsabilidade Técnica do Conselho de Classe do profissional que o elaborou
(quando couber) – documentos assinados (quando couber);

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 6 de 11
n) Apresentar projeto de terraplenagem e pavimentação (ETE e EE) contendo memorial
descritivo, plantas e detalhamentos necessários. Apresentar Anotação de Responsabilidade
Técnica do Conselho de Classe do profissional que o elaborou – documentos assinados
(quando couber);
o) Apresentar o Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil – PGRCC, elaborado
por técnico habilitado com a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que
o elaborou;
p) Cópia da outorga de captação para utilização de recursos hídricos (se for o caso);
q) Cópia da outorga de lançamento de esgoto tratado (se for o caso);

3.1 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A PRORROGAÇÃO DA LI

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de prorrogação da Licença de Instalação em jornal de circulação
regional e no Diário Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cópia da LI com seu respectivo relatório de atendimento das condicionantes;
e) Apresentar novo cronograma de instalação com as complementações a serem realizadas.

3.2 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A REGULARIZAÇÃO DA LI

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de Regularização da Licença de Instalação em jornal de circulação
regional e no Diário Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cópia da escritura do imóvel (ETE, EE, outros) em nome do requerente ou contrato de
locação (neste caso, deverá ser apresentada a escritura do imóvel em nome do locador,
juntamente com o contrato de locação) – quando for o caso;
e) Certidão do Município, quanto ao uso e ocupação do solo, conforme modelo IMA ou modelo
específico do município ou Alvará de Localização;
f) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
g) Apresentar cronograma de instalação com as complementações a serem realizadas.

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 7 de 11
h) Cópia do Ato Constitutivo ou Contrato Social da Empresa;
i) Cópia do RG / CPF /Comprovante de residência do responsável legal pela empresa;
j) Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);

k) Planta de localização da ETE (se couber) em escala adequada com indicações gráficas no
entorno de 500m contendo os seguintes elementos:
 Orientação magnética;
 Corpos d’água;
 Cobertura vegetal;
 Usos implantados;
 Acesso.
l) Certidão do Município, quanto ao uso e ocupação do solo, conforme modelo IMA ou modelo
específico do município ou Alvará de Localização;
m) Estudo Ambiental (conforme modelo disponível no site do IMA/AL) – se couber;
n) Projeto da estação de tratamento de esgoto contendo layout das instalações, memorial
descritivo, plantas e a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que o
elaborou;
o) Projeto e descrição do sistema de drenagem de águas pluviais (ETE e EE) com sua respectiva
Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que o elaborou (quando couber) –
documentos assinados;
p) Apresentação, em escala adequada, do traçado da rede coletora, interceptores, elevatórias de
esgoto e emissário indicando a faixa de domínio e as possíveis interferências com sistemas
viários, cursos d’água, adutora, rede de distribuição de água, gasodutos, oleodutos, entre
outros (quando couber);
q) Apresentar projeto de terraplenagem e pavimentação (ETE e EE) contendo memorial
descritivo, plantas e detalhamentos necessários. Apresentar Anotação de Responsabilidade
Técnica paga do profissional que o elaborou – documentos assinados.
r) Apresentar o Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil – PGRCC, elaborado
por técnico habilitado com a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que
o elaborou;
s) Outorga de captação (se couber);
t) Outorga de lançamento de efluentes líquidos (se couber);

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 8 de 11
4 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A LICENÇA DE OPERAÇÃO

Definição: autoriza a operação da atividade ou empreendimento, após a verificação do efetivo


cumprimento do que consta das licenças anteriores, com as medidas de controle ambiental e
condicionantes determinados para a operação.

Validade: O prazo de validade da LO será de 2 (dois) anos podendo ser renovado por mais 8 (oito)
anos.

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de Licença de Operação em jornal de circulação regional e no Diário
Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
e) Cópia da LI com seu respectivo relatório de atendimento das condicionantes;
f) Apresentar o Plano de Gerenciamento do Lodo e Resíduos oriundos da unidade de tratamento
com sua respectiva ART paga (quando couber);
g) Apresentar Plano de Monitoramento da Qualidade da Água e Esgoto Tratado elaborado por
profissional habilitado com sua respetiva Anotação de Responsabilidade Técnica – ART paga;
h) Apresentar descrição dos sistemas operacionais e de manutenção, informar as entidades
responsáveis pelos mesmos.

4.1 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A RENOVAÇÃO DA LO

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de Renovação Licença de Operação em jornal de circulação regional e
no Diário Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
e) Cópia da LO com seu respectivo relatório de atendimento das condicionantes;

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 9 de 11
f) Outorga de direito de recursos hídricos para utilização de recursos hídricos (captação de
água/lançamento de efluentes) ou dispensa de outorga, se for o caso;
g) Alvará de localização;
h) Apresentar relatório conclusivo conforme previsto no Plano de Monitoramento da Qualidade
da Água e Esgoto Tratado;
i) Cópia do protocolo do IMA referente a entrega do RADA do primeiro ano de vigência da LO.
j) Apresentar o Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental (RADA) referente ao último
ano de vigência da LO.

4.2 - RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REQUERER A REGULARIZAÇÃO DA LO

a) Requerimento padrão de Licenciamento Ambiental, conforme modelo IMA;


b) Publicação do pedido de Regularização da Licença de Operação em jornal de circulação
regional e no Diário Oficial do Estado, conforme modelo IMA;
c) Comprovante de recolhimento da Taxa Ambiental;
d) Cópia da escritura do imóvel (ETE, EE, outros) em nome do requerente ou contrato de
locação (neste caso, deverá ser apresentada a escritura do imóvel em nome do locador,
juntamente com o contrato de locação) - quando for o caso;
e) Cadastro de Sistemas de Esgotamento Sanitário – CSES, conforme modelo IMA;
f) Cópia do Ato Constitutivo ou Contrato Social da Empresa;
g) Cópia do RG / CPF /Comprovante de residência do responsável legal pela empresa;
h) Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
i) Planta de localização da ETE em escala adequada com indicações gráficas no entorno de
500m contendo os seguintes elementos:
 Orientação magnética;
 Corpos d’água;
 Cobertura vegetal;
 Usos implantados;
 Acesso.
j) Apresentação, em escala adequada, do traçado da rede coletora, interceptores, elevatórias de
esgoto e emissário indicando a faixa de domínio e as possíveis interferências com sistemas

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 10 de 11
viários, cursos d’água, adutora, rede de distribuição de água, gasodutos, oleodutos, entre
outros (quando couber);
k) Projeto da estação de tratamento de esgoto contendo layout das instalações, memorial
descritivo, plantas e a Anotação de Responsabilidade Técnica paga do profissional que o
elaborou;
l) Outorga de captação para utilização de recursos hídricos (se for o caso);
m) Outorga de lançamento de esgoto tratado (se for o caso);
n) Certidão do Município, quanto ao uso e ocupação do solo, conforme modelo IMA ou modelo
específico do município ou Alvará de Localização (se for o caso);
o) Apresentar o Plano de Gerenciamento do Lodo e Resíduos oriundos da unidade de tratamento
com sua respectiva ART paga (quando couber);
p) Apresentar plano de monitoramento do sistema de tratamento de esgoto constando os
resultados analíticos iniciais do monitoramento (quando couber);
q) Apresentar descrição dos sistemas operacionais e de manutenção, informar as entidades
responsáveis pelos mesmos;

Documento sujeito a revisões periódicas


Rev. 00 (Elaboração Inicial): Outubro/2016
Página 11 de 11