Вы находитесь на странице: 1из 15

BOLETIM DE Nº 29

CONHECIMENTO novembro 2016


TÉCNICO

PROJETOS CASAIS
E A IMPLEMENTAÇÃO BIM
O Departamento Técnico da Casais participa com uma apresentação no 1º Congresso
Português de ‘Building Information Modelling’ – PT BIM, que decorre no dia 24 de novembro,
no Campus de Azurém da Universidade do Minho, em Guimarães...
// pág. 02

GESTÃO
PREVENÇÃO E SEGURANÇA
NOVAS REGRAS SOBRE PROTEÇÃO
O PERIGO DO AMIANTO
// pág. 4
DE INFORMAÇÃO
// pág. 9

DIREITO A FALAR
MARCAS E LOGÓTIPOS
// pág. 12

“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

ENGENHARIA

PROJETOS CASAIS E A
IMPLEMENTAÇÃO BIM

Miguel Pires O Departamento Técnico da Casais participa com uma apresentação


Departamento Técnico no 1º Congresso Português de ‘Building Information Modelling’ – PT
BIM, que decorre no dia 24 de novembro, no Campus de Azurém da
André Monteiro Universidade do Minho, em Guimarães. Para mais informações sobre
(bimTEC) este evento, consultar o site aqui.

Com o objetivo de partilhar a realidade CASAIS, foram abordadas as


diferentes fases da implementação BIM na empresa.

Projetos como Ocean Spa Plaza (Gibraltar) e o Edifício Estrela 24


(Lisboa) são apresentados como case studies.

•• 2 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

ENGENHARIA

O destaque desta apresentação, é a obra West One, também em Gibraltar, que se


afirmou como um projeto-piloto, cuja conceção e construção foram totalmente
desenvolvidas pelos técnicos da Casais, coordenados pelo Departamento Técnico.

Estrutura Arquitetura

MEP Masterplan

Para consultar a apresentação completa, clicar aqui

•• 3 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

SEGURANÇA EM 1º LUGAR

O PERIGO DO
AMIANTO
PREVENÇÃO E SEGURANÇA

Daniel Pintor O que é o Amianto (asbestos)?


Departamento de Prevenção É um termo genérico para designar um grupo de seis silicatos naturais
e Segurança – Gibraltar de magnésio e/ou ferro que apresentam formas fibrosas:

• Actinolite;
• Crisótilo;
• Crocidolite;
• Antofilite;
• Amosite;
• Tremolite.

•• 4 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

SEGURANÇA EM 1º LUGAR

Que tipos de amianto existem? Que aplicações teve o amianto no passado?


Os diferentes tipos de amianto podem ser agrupados Isolamento térmico, físico e acústico, por exemplo em:
em duas famílias:
• Estruturas metálicas dos edifícios;
1. Anfíbolas: Crocidolite (amianto azul), Amosite (amian- • Portas;
to castanho), antofilite, actinolite e tremolite; • Instalações elétricas;
2. Serpentinas: Crisótilo (amianto branco). • Sistemas de aquecimento;
• Tubagens de água quente;
• Fabrico de fios e tecidos (incombustíveis);
Quais os tipos de amianto com maior • Fibrocimento utilizado no fabrico de telhas e tuba-
significado industrial? gens para abastecimento de água, drenagem de
Os tipos de amianto mais utilizados na indústria foram águas residuais e pluviais ou outras aplicações;
a Crocidolite (amianto azul), a Amosite (amianto cas- • Produtos sujeitos a fricção, como sejam os calços de
tanho) e o Crisótilo (amianto branco) o mais utilizado travões e discos de embraiagem;
mundialmente. • Materiais de revestimento, por exemplo em locais com
risco de incêndio;
• Pavimentos;
Que propriedades tornaram o uso do • Tetos falsos.
amianto tão generalizado?
O amianto foi no passado considerado como “mineral
mágico” ou “ouro branco” dadas as suas excelentes
propriedades: Elasticidade, Incombustibilidade, Fraca
Condutibilidade Térmica e Resistência a Altas Tempera-
turas, aos Produtos Químicos, à Putrefação e à Corrosão.

O Amianto foi banido/proibido no ano 2000, pelo que


até esta data podemos considerar que qualquer edifi-
cação ou remodelação anterior esteja potencialmente
“contaminada” com Amianto ou elementos contendo
partes de amianto.

•• 5 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

SEGURANÇA EM 1º LUGAR

•• 6 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

SEGURANÇA EM 1º LUGAR

Que doenças podem ser atribuídas à Como podem os trabalhadores proteger-se?


inalação de fibras de amianto? Através da utilização de equipamento de proteção indivi-
O amianto foi classificado com cancerígeno para o ser dual, formação e informação aos trabalhadores e da ava-
humano (grupo 1) pela IARC (International Agency for Re- liação da exposição a fibras de amianto (Avaliação de risco).
search on Cancer). Os tipos de cancro mais comuns nos
indivíduos expostos por inalação a fibras de amianto são:

1. Mesotelioma - Afeta a pleura (membrana que reveste


os pulmões) ou o peritoneu (membrana que reveste
os órgãos abdominais), cuja incidência é muito baixa
na população geral. A maioria dos casos conhecidos é
atribuída ao amianto. O fumo do tabaco não interfere no
aparecimento do mesotelioma.

2. Cancro do pulmão sendo o risco é bastante mais


elevado nos fumadores.

3. Asbestose é uma fibrose pulmonar irreversível cau-


sada pela inalação de elevadas concentrações de fibras
de amianto e tem tendência para progredir mesmo após
a cessação da exposição. A Asbestose é agravada pela
exposição a fumo de tabaco.

Caso seja necessário remover o amianto,


quais as medidas adequadas para a proteção
dos trabalhadores envolvidos?
Estas doenças, resultantes Sempre que exista suspeita de existência/presença de
da exposição ao amianto, Amianto ou elementos compostos por partes de Amian-
aparecem, em regra, mui- to, e onde a intervenção implica qualquer contacto com
tos anos após a primeira os mesmos, deve ser elaborado (obrigatoriedade legal)
exposição (15 a 40 anos). um procedimento específico (Method Statement) e res-
petiva análise de risco (Risk Assessment).

As operações de remoção de amianto requerem medi-


das especiais de confinamento e deverão ser acompa-
Existe risco para a saúde quando a exposi- nhadas de colheitas de amostras de ar, nomeadamente:
ção ao amianto ocorre por ingestão?
Não. A Organização Mundial de Saúde não encontrou, 1. Durante os trabalhos para avaliação da contamina-
até à data, evidência consistente de que o amianto seja ção do ar por fibras respiráveis para controlo / garantia
perigoso quando ingerido apenas quando inalado. da sua adequada execução. Resultado da avaliação a
comparar com o valor limite de exposição constante
legal (0,1 fibra/cm3);

2. Após a conclusão dos trabalhos para verificação


da adequada limpeza do local, a fim de que possa ser

•• 7 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

SEGURANÇA EM 1º LUGAR

garantida a segurança na sua reocupação. Resultado

O Amianto
da avaliação a comparar com o indicador de área limpa
preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS)
– 0,01 fibra/cm3.

Quais são atualmente as profissões com


maior risco de exposição a amianto? é um perigo
silencioso
Apesar da proibição, continuam expostos os trabalha-
dores da construção civil, construção naval, fundições,
altos fornos, profissionais de Aquecimento Ventilação
e Ar Condicionado (AVAC), construção de máquinas
e carruagens (ferroviárias), autocarros e elétricos,
trabalhadores envolvidos na recolha e tratamento de
resíduos de construção.

Todos os materiais contendo amianto apre-


sentam o mesmo risco?
Não. Confirmada a presença de amianto no material, o
risco será distinto consoante se trate de:

• Material friável - Grande probabilidade de libertação


de fibras para o ar ambiente - Risco elevado;
• Material não friável - Baixa probabilidade de liberta-
ção de fibras para o ar ambiente – Risco baixo.

Resumo

→→ O Amianto é de risco muito elevado.


→→ O Amianto mata mais de 5000 pes-
soas / ano só em Inglaterra.
→→ Pode ser encontrado em quase
todos os edifícios de construção /
remodelação anterior a 2000.
→→ Requer um procedimento específico
e devidamente aprovado.
→→ O Amianto não se vê, não se prova e
não tem odor.

•• 8 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

G E S TÃ O

NOVAS REGRAS
SOBRE PROTEÇÃO
DE INFORMAÇÃO
Guilherme Teixeira
Departamento Sistemas
de Informação

A regulamentação da proteção de dados nas empresas está em


mutação, devido à publicação e transposição do Regulamento
Europeu 2016/679, para todos os Estados-membros.

As empresas passam agora a ter dois anos como período de


transição para se adaptar à nova legislação até dia 25 de junho de
2018, que vai impor várias alterações.

•• 9 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

G E S TÃ O

Preparados para as utilização generalizada da Internet e Num primeiro momento é natural


novas regras sobre ao surgimento da economia digital. que as empresas portuguesas se
dados pessoais?* O novo diploma é aplicável a partir foquem no aspeto mais bombástico
do dia 25 de maio de 2018. Este do diploma, o enorme aumento do
É hora das atividades de segurança e período de dois anos entre a publi- valor das sanções aplicáveis. A coi-
proteção da informação assumirem cação e a aplicação é fundamental ma máxima na legislação atual é de
um papel crucial e dianteiro na peda- para as empresas se adaptarem às aproximadamente 30 mil euros. No
gogia e prevenção do risco em todas novas regras. Pode parecer muito novo Regulamento, a coima máxi-
as dimensões organizacionais. tempo, mas não é... ma será de 20 milhões de euros ou
até 4% do volume de negócios anual
O REGULAMENTO GERAL sobre a Os princípios subjacentes ao Regula- da empresa, a nível mundial, e cor-
Proteção de Dados, Regulamento mento são os mesmos que enfor- respondente ao exercício financeiro
(UE) 2016/679, foi publicado no mam a legislação atual: proteger a anterior, consoante o montante que
jornal oficial da União Europeia no privacidade dos cidadãos e garantir for mais elevado.
dia 4 de maio de 2016. Este diploma a livre circulação de dados pessoais
legal revoga a legislação atualmen- dentro da União Europeia. As novida- Não obstante, a alteração que terá
te em vigor sobre a proteção de des resultam sobretudo da neces- porventura um maior impacto é
dados pessoais, publicada em 1995, sidade de responder aos desafios o desaparecimento da obrigação
ou seja, revoga legislação que foi colocados pela revolução tecnológi- de notificar ou obter autorização,
aprovada em momento anterior à ca ocorrida nas últimas décadas. junto da Comissão Nacional de

•• 10 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

G E S TÃ O

Proteção de Dados (CNPD), previa- Ter informação atualizada sobre


mente ao início de um tratamento todos os tratamentos de dados
de dados pessoais. pessoais realizados, saber avaliar os
riscos associados a novos tratamen-
Atualmente, e em relação ao siste- tos, conseguir aconselhar a empresa
ma de autorizações, o tratamento sobre as medidas adequadas a
de dados sensíveis e de dados implementar para mitigar os riscos
relativos ao crédito e à solvabili- associados e cumprir as obrigações
dade (categorias que incluem, por relacionadas com a comunicação
exemplo, dados de saúde e informa- de informação sobre quebras de
ção sobre transações bancárias), segurança são apenas algumas das
está sujeito a autorização prévia tarefas que terão de ser realizadas
da Comissão Nacional de Prote- dentro de menos de dois anos.
ção de Dados, um processo que
demora meses, chegando por vezes Conhecer o Regulamento em deta-
a demorar mais de um ano. Este lhe e começar a repensar a organi-
mecanismo representa um obstácu- zação da empresa são os primeiros
lo administrativo muito prejudicial passos deste processo de prepara-
para as empresas, que deixam de ção para 25 de maio de 2018.
poder controlar a data de início dos
seus projetos.

Com o Regulamento existe uma


mudança de paradigma: as empre-
sas terão de avaliar elas próprias o
impacto dos tratamentos de dados
pessoais, não sendo necessário
obter qualquer autorização prévia
ou sequer notificar a CNPD. Esta
alteração irá trazer maior flexibilida-
de e liberdade para às empresas. O
desafio está na criação dos procedi-
mentos internos que permitirão as
empresas fazer esta avaliação, pois
hoje são muito poucas as empresas
que têm esta capacidade.

Neste sentido, o processo simples


de preencher um formulário e espe-
rar (sentado) pela resposta da CNPD
será substituído por uma análise
complexa, tanto do ponto de vista
jurídico como técnico, sobre o trata- *Texto da autoria de Daniel Alegria dos Reis, Sócio e Coordenador da PLMJ TMT,
mento que se pretende realizar. publicado na revista IT Insight, na edição de outubro 2016. Disponível aqui

•• 11 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

D I R E I T O A FA L A R

MARCAS E
LOGÓTIPOS
Filipa Teixeira
Departamento Jurídico

MARCAS
A marca é um sinal que identifica, no mercado, os
produtos ou serviços de uma empresa, distinguindo-os
dos de outras empresas. Através das marcas somos
capazes de diferenciar produtos e/ou serviços de uma
empresa dos de outras empresas.

•• 12 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

D I R E I T O A FA L A R

Tipos de Marca Marcas compostas por slogans: sem o consentimento do titular,


As marcas podem assumir múlti- constituídas por frases publicitárias, produzam, fabriquem, vendam
plas configurações: independentemente da sua proteção ou explorem economicamente a
pelo Direito de Autor. marca registada;
Marcas nominativas: Compostas
apenas por elementos verbais, no- • Vá pelos seus dedos A propriedade e o exclusivo sobre
meadamente palavras, incluindo no- • Quem tem páginas amarelas marcas adquire-se apenas por via do
mes de pessoas, letras ou números. tem tudo registo, não através do simples uso
no mercado.
Quais as marcas que não podem
ser objeto de registo? • Impede que outros registem
Nem todos os sinais podem ser sinal igual ou semelhante para
objeto de registo. Não são passíveis produtos ou serviços idênticos
Marcas figurativas: Compostas ape- de proteção: ou afins;
nas por elementos figurativos, como • Possibilita ao titular do registo a
desenhos, imagens ou figuras. • Os sinais que careçam de ca- utilização das indicações "marca
pacidade distintiva (descritivos, registada", "MR" ou ®, de modo a
usuais, entre outros); dissuadir potenciais infrações.
• Os sinais suscetíveis de induzir o
consumidor em erro; O uso destes símbolos por quem
• Os sinais contrários à lei e à ordem não tenha efetivamente promovido
Marcas mistas: Compostas por pública ou que ofendam a moral e o registo da sua marca é proibido,
elementos verbais e figurativos. os bons costumes, bem como, constituindo um ilícito contraorde-
• Os sinais que constituam nacional. No entanto, enquanto o
infração de direitos alheios ou registo não tiver sido concedido e
que possam favorecer atos de o requerente pretender de alguma
concorrência desleal. forma divulgar a marca, pode sempre
indicar que se encontra pendente o
Marcas sonoras: Compostas por sons. Salvo autorização, também não podem respetivo registo.
ser registadas as marcas que conte-
nham símbolos de Estado, emblemas • Garante a possibilidade de trans-
de entidades públicas ou estrangeiras, mitir o registo ou de conceder
brasões, medalhas, nomes ou retratos licenças de exploração a favor
de pessoas, sinais com elevado valor de terceiros, a título gratuito ou
Marcas tridimensionais: compostas simbólico, nomeadamente símbolos oneroso.
pela forma do produto ou da respeti- religiosos, entre outros.
va embalagem. Pedido de registo
Quais as vantagens da proteção Antes da apresentação, são aconse-
O registo não é obrigatório. Todavia, lháveis alguns cuidados, de modo a
é altamente aconselhável, dadas as que não venha a investir num pedido
múltiplas vantagens que oferece: que, à partida, não tem viabilidade.

• Permite valorizar o esforço finan- 1.º Passo - Procurar saber o tipo de


ceiro e intelectual utilizado na marcas que não podem ser registadas.
conceção de novas marcas;
• Confere um direito exclusivo que Sendo certo que nem todos os sinais
permite impedir que terceiros, podem ser registados como marca,

•• 13 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

D I R E I T O A FA L A R

deve-se ter em atenção as regras Como pedir o registo de uma marca LOGÓTIPO
que regem a sua constituição. O pedido de registo pode ser feito on- O logótipo é o sinal adequado a
line, de um modo simples e imediato. identificar uma entidade que preste
2.º Passo - Averiguar se existem Os pedidos efetuados por esta via serviços ou comercialize produtos,
sinais iguais ou semelhantes àquele beneficiam de uma redução no valor distinguindo-a das demais, podendo
que se pretende registar. É impor- das taxas a pagar. ser utilizado, nomeadamente, em es-
tante que se verifique se existem tabelecimentos, anúncios, impressos
sinais anteriores que sejam iguais ou Os pedidos podem também ser entre- ou correspondência. É o modo pelo
semelhantes àquele que se pretende gues diretamente nos Serviços do INPI qual determinada entidade pretende
registar, quer se trate de uma marca, ou enviados por correio. Junto dos ser conhecida junto do público.
de um nome ou de uma insígnia de Centros de Formalidades de Empresas
estabelecimento, ou de um logótipo. (CFE), de algumas Conservatórias Constituição dos logótipos:
do Registo Comercial e do Registo O logótipo pode ser constituído
Deve-se, para isso, realizar pesquisas Nacional de Pessoas Coletivas (RNPC) por um sinal ou conjunto de sinais
de anterioridade nas bases de dados existem balcões onde pode igualmen- suscetíveis de representação gráfi-
que se encontram disponíveis, gratui- te apresentar os pedidos. ca, nomeadamente por elementos
tamente, no Portal do INPI. nominativos, figurativos ou por uma
Exame do pedido combinação de ambos.
Concluídos estes passos, deve for- O registo de uma marca não é um ato
malizar o seu pedido. automático. Implica um processo que Exemplo:
se inicia após a apresentação do pe-
Como posso saber se já dido e que envolve a realização de um
existe uma marca igual à que exame do sinal à luz das regras que
se pretende registar? regem a constituição das marcas.
Logotipo nominativo
Pode-se pesquisar pelo sinal da
marca na base de dados integrada
disponível no site do INPI (nacional, Vigência por 10 anos
indefinidamente
internacional e comunitária): aceder renováveis
aos serviços de pesquisas na Página
Exame aos
Inicial desse Portal e selecionar a Pedido
Exame Fase de
requisitos de
Formal Oposição
base de dados relativa a Marcas. concessão
Logotipo figurativo

Verificar se, para os produtos ou Publicação Decisão


serviços para os quais se preten- do pedido Publicação do despacho

de proteger o sinal, já existe outro


igual ou semelhante válido para os
países em que se pretende solicitar
Logotipo misto
o registo, ou dirigir-se ao INPI onde, Por quanto tempo é válido o registo
junto do balcão de atendimento ao de marca?
público, pode-se solicitar um pedido A duração do registo é de 10 anos,
de pesquisa. Esta poderá ainda ser indefinidamente renovável por perío-
requerida online ou por via postal. dos iguais.

•• 14 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt
Boletim de Conhecimento Técnico Nº 29/2016

D I R E I T O A FA L A R

O registo de logótipo confere Taxas a pagar pelo Registo de


ao seu titular: Marca e Logótipo:

• A possibilidade de impedir que


terceiros utilizem ou tentem re-
gistar, sem o seu consentimento,
sinal igual ou semelhante.

A propriedade e o exclusivo sobre lo-


gótipos adquirem-se apenas por via
do registo, não através do simples
uso no mercado.

• A possibilidade de assinalar que


o logótipo se encontra protegido,
de modo a dissuadir potenciais
infrações (através das indica-
ções “Logótipo registado”, “Log.
Registado” ou das iniciais “L.R.”).

O uso destes símbolos por quem não


tenha efetivamente promovido o regis-
to do seu logótipo é proibido, consti-
tuindo um ilícito contraordenacional.

O registo é válido por 10 anos, a


contar da data da respetiva conces-
são, podendo ser indefinidamente
renovado por iguais períodos.

•• 15 ••
“O Engenho” é um Boletim de Conhecimento Técnico Mensal, os conteúdos não podem ser reproduzidos ou copiados sem a devida autorização dos autores.
Todos os direitos reservados. Grupo Casais © 2016 www.casais.pt | www.casaisnet.casais.pt