Вы находитесь на странице: 1из 3

4 RESULTADOS E DISCUSSÃO

4.1 EXPERIMENTO 1

Ao adicionarem-se duas gotas de fenolftaleína a uma cápsula de porcelana contendo


água destilada, pôde-se observar que não houve mudança visível. Ao cortarem-se fragmentos
de sódio e lítio, verificou-se que houve menos dificuldade para cortar o sódio. Observando-se
o aspecto da superfície do metal, o lítio possui uma coloração cinza com brilho e
posteriormente apresenta-se escurecido e sem brilho.

Ao colocar-se o fragmento de lítio na água que estava na cápsula de porcelana, houve a


mudança de coloração de incolor para rosa, efervescência, liberação de calor, gotículas de
água na superfície do vidro de relógio, desparecimento do lítio e observou-se que essas
evidências ocorreram mais lentamente com o lítio em comparação ao sódio. Esses são
indicativos de que ocorreu reação e mudança de pH do meio.

A partir das evidências observadas e avaliando-se as espécies presentes na cápsula de


porcelana tem-se H20(l) e fenolftaleína. Desta forma, avalia-se o pH da H20(l) a fim de que se
apresente uma possível explicação de acordo com o que foi observado após a realização do
experimento.

De acordo com literatura (vou colocar referência) fenolftaleína é um indicador ácido-


base que em pH menor que 8 apresenta-se incolor e em pH maior ou igual a 8 mostra-se rosa.
Considerando-se (esse termo está adequado ou é melhor colocar já que) que a água utilizada
no experimento possui pH=6, este fato pode explicar por que não foi possível observar a
mudança de coloração do meio.

Para verificar por qual motivo há maior facilidade em cortar o fragmento de sódio do
que o de lítio é necessário avaliar a relação carga-raio de ambas as espécies. Avaliando-se a
força de atração com a qual sódio e lítio atraem seus elétrons de valência, é possível fazer
uma inferência em relação à atração que os núcleos desses metais exercem sobre os elétrons
dos outros átomos na ligação metálica. Quanto maior a relação carga-raio, mais difícil é cortar
o fragmento do metal, já que quanto mais fortemente o núcleo do metal atrair seus elétrons de
valência e analogamente os elétrons dos outros átomos da ligação, mais intensa é a interação
entre os átomos. Portanto, mais energia é demandada para que a interação seja quebrada (não
sei se os termos estão corretos).
De acordo com a (perguntar a ela) 1, que se refere à relação carga-raio de um dado
átomo:

𝐾𝑞 + 𝑞 −
Fa= (1)
𝑑2

onde q+ = número de prótons, q- = número de elétrons dos outros átomos e d= raio


atômico e avaliando-se cada fator, observa-se que q+ é maior para o sódio, q- é maior para o
sódio e d é maior para o sódio, já que o nível de energia onde encontra seu elétron mais
externo é maior de acordo as configurações eletrônicas abaixo:

Li: [He]2s1

Na: [Ne] 3s1

A partir da análise da relação carga-raio, observa-se que o fator mais significativo é o


raio atômico, pois os fatores q+ e q- são os mesmos. Desta forma, verifica-se que a relação
carga-raio do lítio é maior, já que de acordo com a equação (não sei se o nome eh equação
mesmo) 1, o raio é inversamente proporcional à força de atração. Portanto, este fato pode
explicar por que o corte do fragmento de lítio ocorreu menos facilmente do que o do sódio.

Já que ao expor o fragmento de lítio ao ar, ocorreu mudança no aspecto deste, é


necessário avaliar as possibilidades de reação do lítio quando exposto ao ar. De acordo com a
literatura (vou colocar), quando o lítio queima no ar pode-se formar óxido de lítio (Li2O) ou
peróxido de lítio (Li2O2), sendo mais comum a formação do óxido de lítio, que apresenta um
aspecto escurecido.

Segundo a literatura (vou colocar), Li2O(s) reage com água conforme a equação 2:

Li2O(s) + H2O(l)  2Li+(aq) + 2OH-(aq)

Visto que o óxido de lítio reage com água gerando Li+(aq) e OH-(aq), é necessário
avaliar as espécies presentes no meio após esta reação e as possíveis reações ocorridas. A
partir daí, as espécies presentes no meio são Li+(aq) , OH-(aq), H2O(l) e fenolftaleína.
4.2 EXPERIMENTO 2

Ao colocar-se o fragmento de sódio na água contida na cápsula de porcelana, verificou-


se a mudança de coloração de incolor para rosa, efervescência, liberação de calor, evaporação
da água, presença de gotículas de água na superfície do vidro de relógio e o desaparecimento
do sódio. A partir desses indicativos, pode-se inferir que ocorreu reação e mudança de pH do
meio.

Pôde-se perceber que o sódio apresenta uma coloração branca com amarela inicialmente
e gradativamente torna-se acinzentado.