Вы находитесь на странице: 1из 36
GEOGRAFIA DE MATO GROSSO POLÍCIA JUDICIÁRIA CIVIL 2017 11 MUNICÍPIOS DE MATO GROSSO 1 -
GEOGRAFIA DE MATO GROSSO
POLÍCIA JUDICIÁRIA CIVIL 2017
11
MUNICÍPIOS DE MATO GROSSO
1
- ACORIZAL
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Em Acorizal foi instalado o primeiro posto telegráfico da Comissão
Rondon em 1907. Na hierarquia da rede urbana regional, Acorizal é
classificada pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome Acorizal é referência a uma palmeira muito
comum na região, chamada acori.
Criação do município: 12 de dezembro de 1953
Gentílico: Acorizalense ou acorizano
Área: 841,17 km2
População: 5.516 (2010)
Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
Microrregião: Rosário Oeste
Bioma: Cerrado
Distância da capital: 59 km
2
- ÁGUA BOA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Colonizado por sulistas na década de 1950. Na hierarquia da rede
urbana regional, Água Boa é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: Água Boa recebeu este nome no período da abertura
da BR-158, devido a um ponto de abastecimento de água em um córrego
situado na beira da estrada.
 Criação do município: 26 de dezembro de 1979
 Gentílico: Aguaboense Área: 7.484,21 km2
 População: 20.844 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 736 km
3- ALTA FLORESTA
Projeto de colonização desenvolvido pela Indeco. Na década de 1980
foi palco de intensa atividade garimpeira. Na hierarquia da rede urbana
regional, Alta Floresta é classificada pelo IBGE como centro de zona A.
Origem do nome: O município recebeu o nome de Alta Floresta por estar
localizado na floresta Amazônica.
Criação do município: 18 de dezembro de 1979
Gentílico: Alta-florestense ou florestense
Área: 8.947,07 km2
População: 49.233 (2010) (50 189 hab. estimativa IBGE/2017)
Mesorregião: Norte Mato-grossense
Microrregião: Alta Floresta
Bioma: Amazônia
Distância da capital: 800 km
4
- ALTO ARAGUAIA
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária e a
exploração mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Alto Araguaia é
classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio Araguaia,
que margeia a sede municipal e serve de marco divisório entre Mato
Grosso e Goiás.
 Criação do município: 26 de outubro de 1938
 Gentílico: Alto-araguaiense
 Área: 5.538,02 km2
 População: 15.670 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Araguaia Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 426 km

5

- ALTO BOA VISTA

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Alto Boa Vista é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome Alto Boa Vista é uma referência à Imobiliária Boa Vista, colonizadora local.

Criação do município: 19 de dezembro de 1991

Gentílico: Alto boavistense

Área: 2.241,83 km2

População: 5.249 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião : Norte Araguaia

Bioma: Cerrado e Amazônia

5.249 (2010) Mesorregião: Nordeste Mato-grossense Microrregião : Norte Araguaia Bioma: Cerrado e Amazônia

6

- ALTO GARÇAS

O município é de origem bastante recente, o desbravamento, propriamente dito de suas terras e a sua consequente formação populacional está intimamente ligada à atividade garimpeira, a qual começou a se desenvolver na região a partir de 1919, com a chegada dos primeiros aventureiros do garimpo, sedentos de valiosíssima pedra ali existente: o diamante. É classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O termo Alto Garças faz referência ao fato do rio Garças ter as suas nascentes dentro do território municipal.

Criação do município: A Lei Estadual nº. 660, de 10 de dezembro de 1953, criou o município com denominação de Alto Garças.

Gentílico: alto-garcense

Área: 3 660,387 km²

População: 10.350 pessoas (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense

Microrregião: Alto Araguaia

Bioma: Cerrado

População: 10.350 pessoas (2010) Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense Microrregião: Alto Araguaia Bioma: Cerrado

Distância da capital: 357 km

7

- ALTO PARAGUAI

A região que compreende o território de Alto Paraguai foi largamente palmilhada por garimpeiros à procura de pedras preciosas e ouro. Sua

história está ligada a Diamantino desde 1728. Terminado o ciclo do ouro e do diamante no século passado, restaram sítios e fazendas apenas. Novo ciclo garimpeiro se iniciou em 1938, com o garimpo do Gatinho e outros mais. É classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A alteração do nome deveu-se ao fato do município abrigar em seu território as nascentes do rio Paraguai.

Criação do município: O município de Alto Paraguai foi criado em 16 de dezembro de 1953, pela Lei nº 709.

Gentílico: alto-paraguaiense

Área:1.846,145 km²

População: 10.066 (2010)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-Grossense

Microrregião: Alto Paraguai

Bioma: Cerrado

km² População : 10.066 (2010) Mesorregião: Centro-Sul Mato-Grossense Microrregião : Alto Paraguai Bioma : Cerrado

Distância da capital

8

- ALTO TAQUARI

A primeira denominação da localidade foi Cabeceira, após alguns anos, passou a ser chamada de Taquari em referência à nascente do rio Taquari, que fica muito próxima à sede municipal. Povos indígenas, antigos habitantes da área, usavam a haste da taquara, abundante na região do rio Taquari, para fabricar cachimbos e flechas. É classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A denominação Alto Taquari foi escolhida através da Associação de Amigos, depois de ampla discussão com os moradores da cidade. Cogitou-se, também, a possibilidade do nome da cidade ser São José do Taquari, em homenagem ao santo padroeiro São José, e ao rio Taquari.

Criação do município: No dia 13 de maio de 1986, pela Lei nº 4.993, foi criado o município de Alto Taquari.

Gentílico: taquariense

Area: 1 394,760 km²

População: 8.072 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense

Microrregião: Alto Araguaia

Bioma: Cerrado

: 8.072 (2010)  Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense  Microrregião: Alto Araguaia  Bioma: Cerrado

Distância da capital: 480 km

9 - APIACÁS Em 07 de julho de 1891, no auge da economia da borracha,
9 - APIACÁS
Em 07 de julho de 1891, no auge da economia da borracha, o
governador coronel João Nepomuceno de Medeiros Mallet criou no território do
atual município uma agência de arrecadação fiscal. A história da economia
seringueira declinou. A colonização efetiva de Apiacás deu-se através da
INDECO, empresa de Ariosto da Riva.
Origem do nome: A denominação dada ao núcleo de origem do atual
município de Apiacás, além da serra e do rio, também homenageia o povo
indígena apiaká
Criação do município: Em 06 de julho de 1988, pela lei estadual nº
5.322, foi criado o município com a denominação de Apiacás.
Gentílico: apiacaense
Area: 20.364 km²
População: 8.855 (2012)
Mesorregião: Norte Mato-grossense
Microrregião: Alta Floresta
Bioma: Amazônia
Distância da capital: 953 km
10
- ARAGUAIANA
Araguaiana primeiro municipio criado no leste mato-grossense,
desmembrado diretamente de Cuyabá com território diminuído, do grande
município de Araguaya, em 8 de junho de 1913. O município era o quarto do
Estado em extensão territorial - 216.429 km² - menor apenas que Cuiabá, Vila
Bela da Santíssima Trindade e Diamantino. A lei nº 698, de 12 de junho de
1915, alterou a denominação de Araguaya para Registro do Araguaya,
instituindo a Comarca. Classificado pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: Deve-se a sua localização geográfica, vale médio do
Rio Araguaia.
Criação do município: 8 de junho de 1913
Gentílico: araguaianense
Área: 6 415,109 km²
População: 3 221(2010)
Mesorregião: Nordeste Mato-Grossense
Microrregião: Médio Araguaia
Bioma:
Distância até a capital: 454 km
11
- ARAGUAINHA
Araguainha foi ocupada por conta de atividades garimpeiras, sendo
Aprígio José de Lima o grande pioneiro da região. Foi a determinação de
Aprígio Lima que possibilitou a ocupação definitiva dessa porção territorial
situada na região do Vale do Rio Araguaia. Classificada como centro local.
Origem do nome: Localização próxima ao Ribeirão Araguainha, no
município de Alto Araguaia.
Criação do município: Foi criado através da lei estadual nº 1.946, de 22
de novembro de 1963.
Gentílico: araguainhense
Área: 688,676 km²
População: 1 000
Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense
Microrregião: Tesouro
Bioma: Cerrado
Distancia da capital: 445 km
12
- ARAPUTANGA
Município surgido de movimento de colonização programada pelo
governo estadual na década de 1940. Na hierarquia da rede urbana regional,
Araputanga é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: A denominação Araputanga é uma referência a grande
quantidade de mogno (madeira também chamada de araputanga)
existente na região.
 Criação do município: 14 de dezembro de 1979
 Gentüico: Araputanguense
 Área: 1.602,73 km2
 População: 15.387 (2010) (16 223 hab. estimativa IBGE/2017)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 371 km
13 - ARENÁPOLIS A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na
13
- ARENÁPOLIS
A
atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Arenápolis é classificada pelo
IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Areias, em cujas
margens surgiu um povoado ligado ao garimpo de diamantes, origem do
município.
Criação do município: 15 de dezembro de 1953
Gentüico: Arenapolitano
Área: 414,68 km2
População: 10.355 (2010) (9 576 hab. estimativa IBGE/2016)
Mesorregião: Centro-Sul Matogrossense
Microrregião: Alto Paraguai
Bioma: Cerrado e Amazônia
Distância da capital: 259 km
14
- ARIPUANÃ
A
atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral e o extrativismo da borracha. De história e movimentação antiga, a
primeira sede municipal estava localizada cerca de 200 quilômetros de
distância da atual, na margem do rio Roosevelt. Os primeiros prefeitos
governavam o município a partir de um escritório montado em Cuiabá.
Na década de 1960 a sede do município foi mudada para a margem do
rio Aripuanã, na altura dos saltos Dardanelos e Andorinha. Na hierarquia da
rede urbana regional, Aripuanã é classificada pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio
Aripuanã, que margeia sede municipal.
Criação do município: 31 de dezembro de 1943
Gentüico: Aripuanense
Área: 24.651,58 km2
População: 18.581 (2010)
Mesorregião: Norte Mato-grossense
Microrregião: Aripuanã
Bioma: Amazônia
Distância da capital: 976 km
15
- BARÃO DE MELGAÇO
Barão de Melgaço é considerado o mais pantaneiro de todos os
municípios mato- grossenses: do total de sua área territorial, pouco mais de
2% é formado por terra firme. Na hierarquia da rede urbana regional, Barão de
Melgaço é classificada pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome do município é uma homenagem a Augusto
Leverger, o Barão de Melgaço, herói da Guerra do Paraguai.
Criação do município: 12 de dezembro de 1953
Gentüico: Melgascence
Área: 11.182,85 km2
População: 7.591 (2010)
Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
Microrregião: Alto Pantanal Bioma: Pantanal
Distância da capital: 121 km
16
- BARRA DO BUGRES
A atividade econômica que originou o município foi o extrativismo da
poaia. Na hierarquia da rede urbana regional, Barra do Bugres é classificada
pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio dos Bugres, afluente
do rio Paraguai.
 Criação do município: 31 de dezembro de 1943
 Gentüico: Barra-bugrense
 Área: 5.799,16 km2
 População: 31.058 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Tangará da Serra
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 169 km

17

- BARRA DO GARÇAS

A atividade econômica que originou o município foi a exploração

A atividade econômica que originou o município foi a exploração

mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Barra do Garças é classificada pelo IBGE como centro sub- regional A.

Origem do nome: O primeiro nome da localidade foi Barra Cuiabana, depois Barra do Rio das Garças. A junção dos dois nomes originou o topônimo Barra do Garças. O vilarejo surgiu no encontro do rio das Garças com o rio Araguaia.

Criação do município: 15 de setembro de 1948

Gentüico: Barra-garcence

Área: 9.141,84 km2

População: 56.423 (2010) (58 974 hab. estimativa IBGE/2017)

 

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Médio Araguaia

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 516 km

18

- BOM JESUS DO ARAGUAIA

A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na hierarquia da rede urbana regional, Bom Jesus do Araguaia é classificada pelo IBGE como centro local.

agropecuária. Na hierarquia da rede urbana regional, Bom Jesus do Araguaia é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O topônimo Bom Jesus do Araguaia é uma homenagem ao santo padroeiro e ao vale do Araguaia, região onde está inserido o município.

Criação do município: 29 de setembro de 1999 Gentüico: Bom- jesusense-do-araguaia

Área: 4.279,09 km2

População: 5.231 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Norte Araguaia

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 983 km

19

- BRASNORTE

Município

colonizado

por sulistas. Na hierarquia

da

rede

urbana

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Brasnorte é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma referência à empresa colonizadora da

região, a Colonizadora Brasnort Ltda.

Criação do município: 05 de setembro de 1986

Gentüico: Brasnortense

Área: 15.959,33 km2

População: 15.280 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Aripuanã

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 580 km

20

- CÁCERES

Município fundado em 1778. Desenvolveu-se na segunda metade do século XIX com a navegação pelo rio Paraguai, a instalação de charqueadas

1778. Desenvolveu-se na segunda metade do século XIX com a navegação pelo rio Paraguai, a instalação

e a exploração da poaia e da borracha. Na hierarquia da rede urbana regional, Cáceres é classificada pelo IBGE como centro sub-regional A.

Origem do nome: A denominação Cáceres é uma homenagem a Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, quarto governador da capitania de Mato Grosso e fundador da localidade.

Criação do município: 28 de junho de 1850

Gentüico: Cacerense Área: 24.398,40 km2

População: 87.912 (2010) (91 271 (MT 6º) hab. estimativa IBGE/2017)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

Microrregião: Alto Pantanal

Bioma: Cerrado, Amazônia e Pantanal

Distância da capital: 250 km

21

- CAMPINÁPOLIS

 

A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária.

  A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária.

Na hierarquia da rede urbana regional, Campinápolis é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A denominação Campinápolis é resultante da união dos termos Campinas de Goiânia e Anápolis, em homenagem a famílias oriundas dessas duas localidades do estado de Goiás.

Criação do município: 13 de maio de 1986

Gentüico: Campinapolense

Área: 5.970,46 km2

População: 14.222 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Canarana

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 565 km

22

- CAMPO NOVO DO PARECIS

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Campo Novo do Parecis é classificada pelo IBGE como centro de zona B.

sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Campo Novo do Parecis é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O primeiro nome da localidade foi Campos Novos, mais tarde mudada para Campo Novo. Com a criação do município foi acrescentado o termo Parecis, uma referência ao povo Paresi.

Criação do município: 04 de julho de 1988

Gentílico: Campo-pareciense

Área: 9.448,38 km2

População: 27.574 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Parecis

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 397 km

23

- CAMPO VERDE

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Campo Verde é classificada pelo IBGE como centro local.

colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Campo Verde é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O topônimo é uma referência às lavouras de soja que ocupam extensas áreas no município. Essa monocultura foi trazida pelos colonos do Sul do país e se desenvolveu graças à topografia plana do relevo e terras favoráveis ao seu cultivo.

Criação do município: 04 de julho de 1988

Gentílico: Campo-verdense

Área: 4.794,56 km2

População: 31.612 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-grossense

Microrregião: Primavera do Leste

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 139 km

24

- CAMPOS DE JÚLIO

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Campo de Júlio é classificada pelo IBGE como centro local.

por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Campo de Júlio é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O nome do município é uma homenagem ao ex- governador de Mato Grosso Júlio Campos.

Criação do município: 28 de novembro de 1994

Gentüico: Campojuliense

Área: 6.804,58 km2

População: 5.019 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Parecis

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 692 km

25

- CANABRAVA DO NORTE

 

Município colonizado por goianos e maranhenses. Na hierarquia da

  Município colonizado por goianos e maranhenses. Na hierarquia da

rede urbana regional, Canabrava do Norte é classificada centro local.

pelo IBGE como

Origem do nome: O nome do município é referência a uma espécie de

cana de grande espessura que floresce nas margens de córregos.

Criação do município: 19 de dezembro de 1991

Gentílico: Canabravense

Área: 3.449,98 km2

População: 4.767 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Norte Araguaia

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 1.132 km

26

- CANARANA

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Canarana é classificada pelo IBGE como centro local.

colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Canarana é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: O nome do município é referência a um capim da região e foi escolhido pelo pastor luterano Norberto Schwantes, o colonizador da região.

Criação do município: 26 de dezembro de 1979

Gentílico: Canaranense

Área: 10.834,33 km2

População: 18.701 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Canarana

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 838 km

27

- CARLINDA

 

Projeto de colonização desenvolvido pela Indeco. Na hierarquia da

  Projeto de colonização desenvolvido pela Indeco. Na hierarquia da

rede urbana regional, Carlinda é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio Carlinda.

Criação do município: 19 de dezembro de 1994

Gentüico: Carlindense

Área: 2.417,21 km2

População: 10.985 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Alta Floresta

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 724 km

28

- CASTANHEIRA

 

Projeto de colonização desenvolvido pela Codemat. Na hierarquia da

  Projeto de colonização desenvolvido pela Codemat. Na hierarquia da

rede urbana regional, Castanheira é classificada pelo local.

IBGE como centro

Origem do nome: A denominação do município é uma referência ao castanheiro ou castanha-do-pará, árvore de grande porte existente na região Amazônica.

Criação do município: 04 de julho de 1988

 

Gentüico: Castanheirense

Área: 3.948,86 km2

População: 8.231 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Aripuanã

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 780 km

29

- CHAPADA DOS GUIMARÃES

A origem do núcleo urbano de Chapada dos Guimarães está ligada a implantação da Missão de Santana do Sacramento, para a redução de índios, no ano de 1751, pelo padre jesuíta Estevão de Castro. Na hierarquia da rede urbana regional, Chapada dos Guimarães é classificada pelo IBGE como centro local.

de Castro. Na hierarquia da rede urbana regional, Chapada dos Guimarães é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O nome é uma homenagem a Guimarães, cidade berço da nação portuguesa, e foi dado em 1769 pelo terceiro governador da capitania de Mato Grosso, Luiz Pinto de Souza Coutinho.

Criação do município: 15 de dezembro de 1953

Gentüico: Chapadense

Área: 6.206,57 km2

População: 17.799 (2010)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

Microrregião: Cuiabá

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 65

30

- CLÁUDIA

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Cláudia é classificada pelo IBGE como centro local.

colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Cláudia é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: O nome Cláudia foi dado pela diretoria da Colonizadora Sinop, a empresa responsável pelo povoamento do núcleo que originou o atual município.

Criação do município: 04 de julho de 1988

Gentílico: Claudiense

Área: 3.820,95 km2

População: 10.972 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Sinop

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 608 km

31

- COCALIHO

 

Município surgido de movimento de colonização programada pelo

  Município surgido de movimento de colonização programada pelo

governo estadual na década de 1920. Na hierarquia da rede urbana regional, Cocalinho é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome Cocalinho é diminutivo de coqueiro-da-baía,

 

palmeira que frutifica em locais quentes.

Criação do município: 13 de maio de 1986

Gentílico: Cocalinhense

Área: 16.538,83 km2

População: 5.498 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Médio Araguaia

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 765 km

32- COLIDER

 
 

Projeto de colonização desenvolvido pela Colonizadora Líder. Na

  Projeto de colonização desenvolvido pela Colonizadora Líder. Na

hierarquia da rede urbana regional, Colíder é classificada pelo IBGE como centro de zona B.

Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora da região: Colonizadora Líder.

Criação do município: 18 de dezembro de 1979

Gentílico: Colidense

Área: 3.038,25 km2

População: 30.864 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Colider

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 648 km

33

- COLNIZA

Município colonizado inicialmente por sulistas. Recebeu, posteriormente, grande número de migrantes oriundos do estado de

Município colonizado inicialmente por sulistas. Recebeu, posteriormente, grande número de migrantes oriundos do estado de

Rondônia. Foi palco de intensa atividade garimpeira. Na hierarquia da rede urbana regional, Colniza é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora da região: Colniza - Colonização Comércio e Indústria Ltda.

Criação do município: 26 de novembro de 1998

 

Gentílico: Colnizense

 

Área: 27.947,65 km2 (maior município de Mato Grosso em extensão territorial)

População: 26.390 (2010) (36 161 hab. estimativa IBGE/2017)

 

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Aripuanã

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 1.065 km

 

34

- COMODORO

 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Comodoro é classificada pelo IBGE como centro local. Origem do nome: O nome Comodoro foi dado por José Carlos Piovesan, o

colonizador da região. Criação do município: 13 de maio de 1986 Gentílico: Comodorense Área: 21.743,36 km2 População: 18.157 (2010) Mesorregião: Norte Mato-grossense Microrregião: Parecis Bioma: Cerrado e Amazônia Distância da capital: 677 km

 

35

- CONFRESA

Município colonizado por nordestinos. Na hierarquia da rede urbana regional, Confresa é classificada pelo IBGE como centro de zona B. Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora da região: Colonizadora Frenova Sapeva. Criação do município: 20 de dezembro de 1991 Gentílico: Confresense Área: 5.796,38 km2 População: 25.127 (2010) Mesorregião: Nordeste Mato-grossense Microrregião: Norte Araguaia Bioma: Cerrado e Amazônia Distância da capital: 1.160 km

Nordeste Mato-grossense Microrregião: Norte Araguaia Bioma : Cerrado e Amazônia Distância da capital: 1.160 km

36

- CONQUISTA D’OESTE

 
 

A formação da vila se deu em virtude de um projeto de assentamento

  A formação da vila se deu em virtude de um projeto de assentamento

implementado pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Conquista d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O topônimo é uma referência à fazenda Conquista, em cuja sede foi implantado o projeto de colonização desenvolvido pelo Incra.

Criação do município: 28 de dezembro de 1999

 

Gentílico: Conquistense d’oeste

 

Área: 2.698,01 km2

 

População: 3.388 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

 

Microrregião: Alto Guaporé

 

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 571 km

37

- COTRIGUAÇU

 

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Cotriguaçu é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora da região: Cotriguaçu Colonizadora do Aripuanã S/A.

Criação do município: 20 de dezembro de 1991

Gentílico: Cotriguaçuense

Área: 9.490,99 km2

População: 14.987 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Aripuanã

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 920 km

38

- CUIABÁ

 

Cidade fundada pelos bandeirantes paulistas no século XVIII. Na

  Cidade fundada pelos bandeirantes paulistas no século XVIII. Na

hierarquia da rede urbana regional, Cuiabá é classificada capital regional A.

pelo IBGE como

Origem do nome: Existem várias versões sobre a origem do nome Cuiabá. A mais tradicional afirma que o nome tem origem na palavra bororo ikuiapá, que significa lugar onde se pesca com flecha-arpão. Outra tese, mais recente, é a de que Cuiabá seria uma aglutinação de kyyaverá em cuyaverá, depois cuiavá e finalmente cuiabá. O termo guarani kyyaverá significa rio da lontra brilhante.

Criação do município: 08 de abril de 1719

Gentílico: Cuiabano, cuiabense ou papa-peixe

Área: 3.538,17 km2

População: 551.350 (2010) 590 118 hab. MT: 1º IBGE/2017)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

Microrregião: Cuiabá

Bioma: Cerrado e Pantanal

Distância da capital: 0

39

- CURVELÂNDIA

 

A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na

  A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na

hierarquia da rede urbana regional, Curvelândia é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A primeira denominação do local foi “Curva do Boi”, em referência a um acidente ocorrido em uma curva na estrada onde morreram vários bois. A denominação foi alterada para Curvelândia quando passou pelo processo de emancipação.

Criação do município: 28 de janeiro de 1998

Gentílico: Curvelandense

 

Área: 748,36 km2

População: 4.898 (2010)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense Microrregião: Alto Pantanal Bioma: Amazônia e Pantanal Distância da capital: 311 km

40

- DENISE

A atividade econômica que deu originou o município foi a agricultura de subsistência e a pecuária extensiva. Na hierarquia da rede urbana regional, Denise é classificada pelo IBGE como centro local.

e a pecuária extensiva. Na hierarquia da rede urbana regional, Denise é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O nome é uma homenagem à filha de Júlio da Costa Marques, o colonizador da região.

Criação do município: 06 de maio de 1982

Gentüico: Denisiense

 

Área: 1.300,92 km2

População: 8.494 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

Microrregião: Tangará da Serra

Bioma: Cerrado e Amazônia

 

Distância da capital: 208 km

41

- DIAMANTINO

A

atividade econômica que originou o município foi a exploração

A atividade econômica que originou o município foi a exploração

mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Diamantino é classificada pelo IBGE como centro de zona A.

Origem do nome: O nome é uma referência às minas de diamante descobertas em 1728.

Criação do município: 23 de novembro de 1820

Gentüico: Diamantinense

Área: 7.630,21 km2

População: 20.420 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Parecis

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 209 km

42

- DOM AQUINO

A

atividade econômica que originou o município foi a exploração

A atividade econômica que originou o município foi a exploração

mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Dom Aquino é classificada

pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome do município é uma homenagem a D.

Francisco de Aquino Corrêa, arcebispo de Cuiabá.

Criação do município: 22 de dezembro de 1958

Gentüico: Dom-aquinense

Área: 2.205,08 km2

População: 8.131 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-grossense

Microrregião: Rondonópolis

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 172 km

43

- FELIZ NATAL

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Feliz Natal é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A denominação é uma referência ao rio Feliz Natal,

pequeno curso d’água que corta o município.

Criação do município: 17 de novembro de 1995

Gentüico: Feliz-natalense

Área: 11.448,05 km2

População: 10.933 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Sinop

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 538 km

44

- FIGUEIRÓPOLIS D’OESTE

Município colonizado por mineiros, goianos, paranaenses e

Município colonizado por mineiros, goianos, paranaenses e

nordestinos. A pavimentação da BR-364 impulsionou o

desenvolvimento

da região. Na hierarquia da rede urbana regional, Figueirópolis d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome do município é uma homenagem a família Figueiredo, desbravadora do local.

Criação do município: 13 de maio de 1986

Gentílico: Figueiropolitano ou figueiropolense-do-oeste

Área: 890,95 km2

População: 3.805 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

Microrregião: Jauru

Bioma: Amazônia e Pantanal

Distância da capital: 402 km

45

- GAÚCHA DO NORTE

 

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Gaúcha do Norte é classificada pelo IBGE como

centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa

colonizadora da região- Colonizadora Gaúcha.

Criação do município: 17 de novembro de 1995

Gentílico: Gauchenses-do-norte

Área: 16.898,57 km2

População: 6.287 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Paranatinga

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 595 km

46

- GENERAL CARNEIRO

A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Em 1892 foi instalado um posto avançado da expedição que implantava a

originou o município foi a exploração mineral. Em 1892 foi instalado um posto avançado da expedição

linha telegráfica ligando Mato Grosso a Goiás. Na hierarquia da rede urbana regional, General Carneiro é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem ao general Antônio Ernesto Gomes Carneiro, comandante da Comissão Construtora de Linhas Telegráficas que ligou Mato Grosso a Goiás.

Criação do município: 03 de dezembro de 1963

Gentüico: General-carneirense

Área: 3.721,08 km2

População: 5.018 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-grossense

Microrregião: Tesouro

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 449 km

47

- GLÓRIA D’OESTE

 

A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na

  A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na

hierarquia da rede urbana regional, Glória d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome primitivo do local era Cruzeiro d’Oeste. Quando da emancipação foi realizado um plebiscito pela comunidade, que optou pela denominação Glória d’Oeste (já existia um município com o nome de Cruzeiro d’Oeste no estado do Paraná).

Criação do município: 20 de dezembro de 1991

Gentílico: Glorienses-do-oeste

Área: 846,05 km2

População: 3.125 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

Microrregião: Jauru

Bioma: Amazônia e Pantanal

Distância da capital: 304 km

48

- GUARANTÃ DO NORTE

Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra em parceria com a Cotrel. Na hierarquia da rede urbana regional, Guarantã do Norte é classificada pelo IBGE como centro local. Origem do nome: O nome guarantã é referência a uma árvore típica da região. Criação do município: 13 de maio de 1986 Gentílico: Guarantanhense Área: 4.713,04 km2 População: 32.150 (2010) Mesorregião: Norte Mato-grossense Microrregião: Colider Bioma: Amazônia Distância da capital: 721 km

(2010) Mesorregião: Norte Mato-grossense Microrregião : Colider Bioma : Amazônia Distância da capital : 721 km

49

- GUIRATINGA

A atividade econômica que originou o município foi a exploração

A atividade econômica que originou o município foi a exploração

mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Guiratinga é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A primeira denominação do local foi Lageado. Como já existia uma cidade no Rio Grande do Sul com o mesmo nome, em 1943 a denominação foi alterada para Guiratinga, que em tupi-guarani tem o significado de garça branca, ave abundante na região.

Criação do município: 29 de março de 1938

Gentüico: Guiratinguense

Área: 5.358,32 km2

População: 13.867 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-grossense

Microrregião: Tesouro

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 334 km

50

- INDIAVAÍ

A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na

A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na

hierarquia da rede urbana regional, Indiavaí é centro local.

classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O termo Indiavaí ainda precisa de estudos para compreender seu significado. Moradores locais afirmam que é de origem indígena: indi (índia) e avaí{feia), ou seja, índia feia.

Criação do município: 13 de maio de 1986

Gentílico: Indiavaiense

Área: 600,33 km2

População: 2.407 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

Microrregião: Jauru

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 398 km

51

- IPIRANGA DO NORTE

Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Ipiranga do Norte é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem ao projeto original de colonização denominado Projeto Ipiranga, que tinha como referência a fazenda Ipiranga.

Criação do município: 29 de março de 2000

Gentílico: Ipiranguense

Área: 3.440,16 km2

População: 5.123 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Alto Teles Pires

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 455 km

52

- ITANHANGÁ

Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Itanhangá é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome foi escolhido em plebiscito pela comunidade por ocasião do processo de emancipação. Na língua tupi-guarani a palavra Itanhangá significa pedra de fogo.

Criação do município: 29 de março de 2000

Gentüico: Itanhangaense

Área: 2.896,10 km2

População: 5.160 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Alto Teles Pires

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 447 km

53

- ITAÚBA

 
 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Itaúba é classificada pelo IBGE como centro local.

 

Origem do nome: O nome é referência a uma árvore típica da região.

Criação do município: 13 de maio de 1986

 

Gentüico: Itaubense

 

Área: 4.538,34 km2

População: 4.570 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Sinop

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 599 km

 

54

- ITIQUIRA

 
 

A

atividade econômica que originou o município foi a exploração

  A atividade econômica que originou o município foi a exploração

mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Itiquira é IBGE como centro local.

classificada pelo

Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Itiquira, que atravessa

a sede municipal.

 

Criação do município: Iº de dezembro de 1953

 

Gentüico: Itiquirense

 

Área: 8.638,69 km2

População: 11.493 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-grossense

 

Microrregião: Rondonópolis

 

Bioma: Cerrado e Pantanal

Distância da capital: 359 km

55

- JACIARA

 

Projeto de colonização desenvolvido pela Cipa. Recebeu migrantes paulistas, mineiros, nordestinos e sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Jaciara é classificada pelo IBGE como centro de zona B.

nordestinos e sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Jaciara é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: O nome Jaciara tem origem tupi-guarani e foi extraído da obra A serpente de bronze, de Humberto de Campos, que conta a lenda da índia Jaciara, a Senhora da Lua.

Criação do município: 20 de dezembro de 1958

 

Gentüico: Jaciarense

 

Área: 1.658,72 km²

População: 25.666 (2010)

Mesorregião: Sudeste Mato-grossense

 

Microrregião: Rondonópolis

 

Bioma: Cerrado

 

Distância da capital: 148 km

 

56

- JANGADA

 
 

A

atividade econômica que originou o município foi o comércio. Na

  A atividade econômica que originou o município foi o comércio. Na

hierarquia da rede urbana regional, Jangada é classificada centro local.

pelo IBGE como

Origem do nome: O nome é uma referência ao ribeirão Jangada, que

 

corta a sede municipal.

 

Criação do município: 11 de setembro de 1976

 

Gentüico: Jangadense

 

Área: 1.021,94 km²

População: 7.696 (2010)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

 

Microrregião: Rosário Oeste

 

Bioma: Cerrado

 

Distância da capital: 82 km

 

57

- JAURU

Município colonizado por paulistas e mineiros. Na hierarquia da rede urbana regional, Jauru é classificada pelo IBGE como centro local.

por paulistas e mineiros. Na hierarquia da rede urbana regional, Jauru é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Jauru, que corta o território do município.

Criação do município: 20 de dezembro de 1979

 

Gentüico: Jauruense

 

Área: 1.832,78 km²

População: 10.461 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

 

Microrregião: Jauru

 

Bioma: Cerrado e Amazônia

 

Distância da capital: 463 km

58

- JUARA

Projeto de colonização desenvolvido pela Sibal. Na hierarquia da rede urbana regional Juara é classificada pelo IBGE como centro de zona B.

desenvolvido pela Sibal. Na hierarquia da rede urbana regional Juara é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: Há duas versões para a origem do topônimo: uma, que se originou da junção dos nomes dos rios Juruena e Arinos, formando a palavra Juarinos, posteriormente simplificada para Juara; a outra que Juara é palavra de origem tupi- guarani e significa menina-moça.

Criação do município: 23 de setembro de 1981

 

Gentüico: Juarense

 

Área: 21.387,33 km²

População: 32.769 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Arinos

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 690 km

 

59

- JUÍNA

Projeto de colonização desenvolvido pela Codemat. Na hierarquia da rede urbana regional, Juína é classificada pelo IBGE como centro de zona A.

pela Codemat. Na hierarquia da rede urbana regional, Juína é classificada pelo IBGE como centro de

Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Juína, que na língua paresi significa rio do gavião.

Criação do município: 09 de maio de 1982

 

Gentüico: Juinense

 

Área: 26.251,28 km²

População: 39.260 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Aripuanã

 

Bioma: Cerrado e Amazônia

 

Distância da capital: 737 km

60

- JURUENA

 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Juruena é classificada pelo IBGE como centro local.

 

Origem do nome: A denominação é uma referência ao rio Juruena e uma

 

homenagem à Juruena Empreendimentos de Colonização Ltda, a empresa que colonizou a região.

Criação do município: 04 de julho de 1988

 

Gentílico: Juruenense

 

Área: 3.220,45 km2

População: 11.269 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Aripuanã

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 893 km

 

61

- JUSCIMEIRA

Município colonizado por mineiros e paulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Juscimeira é classificada pelo IBGE como centro local.

por mineiros e paulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Juscimeira é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O nome é uma junção de Juscelândia (antigo nome da cidade, em homenagem a Juscelino Kubitschek) com Limeira (cidade paulista de onde alguns dos primeiros colonos eram oriundos).

Criação do município: 10 de dezembro de 1979

Gentílico: Juscimeirense

Área: 2.205,02 km²

População: 11.434 (2010)

Mesorregião: Sudeste Matogrossense

Microrregião: Rondonópolis

Bioma: Cerrado e Pantanal

Distância da capital: 164 km

62- LAMBARI D’OESTE

 

Município colonizado por mineiros e capixabas. Na hierarquia da rede urbana regional, Lambari d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro local.

e capixabas. Na hierarquia da rede urbana regional, Lambari d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: 0 nome do município é uma referência ao córrego Lambari, curso d’água que atravessa o território municipal.

Criação do município: 20 de dezembro de 1991

Gentüico: Lambariense

Área: 1.337,25 km²

População: 5.438 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

Microrregião: Jauru

Bioma: Amazônia e Pantanal

Distância da capital: 327 km

63

- LUCAS DO RIO VERDE

Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Lucas do Rio Verde é classificada pelo IBGE como centro de zona B.

pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Lucas do Rio Verde é classificada pelo IBGE

Origem do nome: O nome do município é referência ao seringalista Francisco Lucas de Barros e ao rio Verde, curso d’água que corta o território do município.

Criação do município: 04 de julho de 1988

Gentílico: Luquense

Área: 3.659,86 km²

População: 45.545 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Alto Teles Pires

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 360 km

64

- LUCIARA

 

Município surgido de movimento de colonização programada pelo

  Município surgido de movimento de colonização programada pelo

governo estadual na década de 1960. Na hierarquia da rede urbana regional, Luciara é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem a Lúcio Pereira da Luz, desbravador da região.

Criação do município: 11 de novembro de 1963

Gentílico: Luciarense

Área: 4.145,26 km²

População: 2.229 (2010)

Mesorregião: Nordeste Mato-grossense

Microrregião: Norte Araguaia

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 1.180 km

65

- MARCELÂNDIA

 
 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Marcelândia é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem a Marcelo, filho de José Bianchini, proprietário da Colonizadora Maiká, a povoadora da região.

Criação do município: 13 de maio de 1986

 

Gentüico: Marcelandense

 

Área: 12.294,14 km²

População: 11.994 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Sinop

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 712 km

 

66

- MATUPÁ

Projeto de colonização desenvolvido pela Agropecuária Cachimbo S/A. Na hierarquia da rede urbana regional, Matupá é classificada pelo IBGE como centro local.

Agropecuária Cachimbo S/A. Na hierarquia da rede urbana regional, Matupá é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: O nome Matupá foi dado pela diretoria do Grupo Ometto, e designa uma porção de terra, com vegetação, que se desprende das barrancas dos rios da bacia Amazônica e desce à deriva da correnteza.

Criação do município: 04 de julho de 1988

 

Gentüico: Matupaense

 

Área: 5.151,85 km²

População: 14.172 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Colider

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 696 km

 

67

- MIRASSOL D’OESTE

 

Município colonizado por paulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Mirassol d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro de zona A.

paulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Mirassol d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro de

Origem do nome: O nome é uma homenagem à cidade paulista de Mirassol, localidade de origem das famüias dos idealizadores de Mirassol d’Oeste, os Srs. Antonio Lopes Molon e Benedito Cesário da Cruz, que vieram para a região por volta de 1958.

Criação do município: 14 de maio de 1976

 

Gentüico: Miradolense

 

Área: 1.072,54 km²

População: 25.331 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

 

Microrregião: Jauru

 

Bioma: Amazônia e Pantanal

 

Distância da capital: 329 km

68

- NOBRES

 

De ocupação antiga, Nobres era ponto de passagem entre Cuiabá,

  De ocupação antiga, Nobres era ponto de passagem entre Cuiabá,

Rosário Oeste e Diamantino no século XVIII. Na hierarquia da rede urbana regional, Nobres é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome é uma homenagem à família do Sr. Francisco Nobre, dono de uma das sesmarias que deu origem à localidade.

Criação do município: 11 de novembro de 1963

 

Gentílico: Nobrense

 

Área: 3.859,51 km²

População: 15.011 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Alto Teles Pires

 

Bioma: Cerrado

 

Distância da capital: 151 km

 

69

- NORTELÂNDIA

A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. A ocupação definitiva ocorreu a partir de 1937 com a migração de

que originou o município foi a exploração mineral. A ocupação definitiva ocorreu a partir de 1937

nordestinos. Na hierarquia da rede urbana regional, Nortelândia é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O nome da cidade é uma homenagem aos migrantes nordestinos, chamados de nortistas, que colonizaram a região.

Criação do município: 16 de dezembro de 1953

Gentílico: Nortelandense

Área: 1.350,78 km²

População: 6.438 (2010)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

Microrregião: Alto Paraguai

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 254 km

70

- NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO

A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Nossa Senhora do Livramento é classificada pelo IBGE como centro local.

mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Nossa Senhora do Livramento é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O nome é uma homenagem à padroeira da localidade.

Criação do município: 19 de maio de 1883

Gentílico: Livramentense

Área: 5.192,57 km²

População: 11.592 (2010)

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

Microrregião: Cuiabá

Bioma: Cerrado e Pantanal

Distância da capital: 42 km

71

- NOVA BANDEIRANTES

Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Bandeirantes é classificada pelo IBGE como centro local.

por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Bandeirantes é classificada pelo IBGE como centro

Origem do nome: O nome é uma referência à Colonizadora Bandeirantes, companhia povoadora da região.

Criação do município: 20 de dezembro de 1991

Gentílico: Nova bandeirantense

Área: 9.531,21 km²

População: 11.630 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Alta Floresta Bioma: Amazônia

Distância da capital: 980 km

72

- NOVA BRASILÂNDIA

A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. No final da década de 1950 a região tornou-se área de pecuária. Na

originou o município foi a exploração mineral. No final da década de 1950 a região tornou-se

hierarquia da rede urbana regional, Nova Brasilândia é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O topônimo é uma referência à fazenda Brasil, onde foi implantada a vila que originou a sede municipal.

Criação do município: 10 de dezembro de 1979

Gentílico: Brasilandense

Área: 3.266,22 km²

População: 4.593 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Paranatinga

Bioma: Cerrado

Distância da capital: 223 km

73

- NOVA CANAÃ DO NORTE

 

Inicialmente o município foi projeto de colonização desenvolvido pela Colonizadora Líder. Com o fracasso da empreitada, o Incra saiu em socorro dos colonos, promovendo a regularização fundiária de 3.540 famílias. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Canaã do Norte é classificada pelo IBGE como centro local.

famílias. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Canaã do Norte é classificada pelo IBGE como

Origem do nome: O topônimo Nova Canaã do Norte foi sugestão de D. Henrique Froehlich, bispo de Sinop.

Criação do município: 13 de maio de 1986

 

Gentílico: Canaense

 

Área: 5.968,99 km²

População: 12.132 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Colider

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 696 km

 

74

- NOVA GUARITA

 
 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Nova Guarita é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O topônimo é uma homenagem à cidade gaúcha de Guarita, local de origem de grande parte dos colonos migrantes.

Criação do município: 19 de dezembro de 1991

 

Gentüico: Nova guaritense

 

Área: 1.087,31 km²

 

População: 4.929 (2010)

Mesorregião: Norte Mato-grossense

 

Microrregião: Colider

 

Bioma: Amazônia

Distância da capital: 667 km

 

75

- NOVA LACERDA

 
 

A

atividade econômica que originou o município foi a pecuária. Na

  A atividade econômica que originou o município foi a pecuária. Na

hierarquia da rede urbana regional, Nova Lacerda é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A denominação Nova Lacerda é uma homenagem ao ex-deputado José Lacerda, autor do projeto de lei que criou o município.

Criação do município: 26 de dezembro de 1995

 

Gentílico: Novo-lacerdense

 

Área: 4.734,16 km²

 

População: 5.469 (2010)

Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense

 

Microrregião: Alto Guaporé

 

Bioma: Cerrado e Amazônia

 

Distância da capital: 546 km

76

- NOVA MARILÂNDIA

 
 

A

atividade econômica que originou o município foi a exploração

  A atividade econômica que originou o município foi a exploração

mineral. Recebeu migrantes de Minas Gerais, Bahia e Santa Catarina. Na

hierarquia da rede urbana regional, Nova Marilândia é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: O topônimo Nova Marilândia é uma referência ao ribeirão Maria Joana, curso d’água que atravessa a sede municipal.

Criação do município: 19 de dezembro de 1991

 

Gentílico: Novo marilandense ou marilandense

Área: 1.942,82 km² População: 2.925 (2010)

 

Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense

Microrregião: Alto Paraguai

 

Bioma: Amazônia

 

Distância da capital: 261 km

 

77

- NOVA MARINGÁ

 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Nova Maringá é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: 0 nome é uma homenagem à cidade paranaense de Maringá, local de origem de Antônio José da Silva, fundador do núcleo de colonização que originou o município.

Criação do município: 19 de dezembro de 1991

 

Gentüico: Nova maringaense

Área: 11.512,47 km² População: 6.590 (2010)

 

Mesorregião: Norte Mato-grossense

Microrregião: Arinos

Bioma: Cerrado e Amazônia

Distância da capital: 392 km

78

- NOVA MONTE VERDE

 

Município

colonizado

por

sulistas.

Na

hierarquia

da

rede

urbana

  Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana

regional, Nova Monte Verde é classificada pelo IBGE como centro local.

Origem do nome: A denominação é de origem geográfica, em referência ao Monte Verde, local elevado em que erguido o núcleo urbano inicial de colonização.

Criação do município: 20 de dezembro de 1991

 

Gentüico: Nova monteverdense