Вы находитесь на странице: 1из 19

DESCUBRA QUAIS AS FERRAMENTAS E ACESSÓRIOS VOCÊ PRECISA PARA TRATAR AÇO ANTES DE PINTAR

www.opintorconsultoria.com
www.opintorconsultoria.com
2
2
www.opintorconsultoria.com 3
www.opintorconsultoria.com 3
www.opintorconsultoria.com
www.opintorconsultoria.com
3
3

Sumário

1 FERRAMENTAS MANUAIS:

5

 

Lixa

5

Espátula

6

Raspador de Tinta

7

Escovas de aço ou latão

8

2 FERRAMENTAS MECÂNICAS (ELÉTRICAS OU PNEUMÁTICAS):

9

 

Lixadeira Elétrica para aço ou lixadeira angular

9

Escova Rotativa

10

Martelete de Agulhas

11

3 ACESSÓRIOS:

12

 

Trincha

12

Rolo

13

Pistola

14

4

OUTROS ACESSÓRIOS:

19

www.opintorconsultoria.com
www.opintorconsultoria.com
4
4

1 FERRAMENTAS MANUAIS:

Lixa

1 FERRAMENTAS MANUAIS: Lixa Lixas para aço devem ser escolhidas de acordo com a situação do

Lixas para aço devem ser escolhidas de acordo com a situação do substrato. Dependendo do estado do aço, em geral deve ser usado primeiro uma lixa grossa e o lixamento com lixa mais fina deve ser aplicado no aço já pintado. Segue um detalhamento sobre lixas finas e grossas.

Diferença entre grãos de lixas:

O número pelo qual a lixa é identificada indica a sua granulometria. É a granulometria que determina a

5 www.opintorconsultoria.com
5
www.opintorconsultoria.com

capacidade de desbaste. Quanto mais grosso for o grão, menor é o número da lixa. Em trabalhos com o aço, geralmente se usam lixas para ferro de grão 36 ou 40.

Mais grosso: 36 40; Mais fino: 80 - 100 120.

Quanto mais grossa for a lixa, menor é o seu número e quanto mais fina for a lixa, maior é o seu número.

Fique atento para a sequência de uso de cada número de lixa, para peças pintadas. A grana seguinte não deve exceder mais que 50% do grão usado anteriormente. Se você iniciou o trabalho usando grana 80, a próxima lixa deverá ter 50% a mais de 80, isto é, 120. Esta é a condição adequada para o grão mais fino remover o risco deixado pelo grão mais grosso. Se não encontrar no mercado o número exato que precisa, use o número mais próximo. Esta dica ajuda a melhorar o aspecto da pintura.

Espátula

6 www.opintorconsultoria.com
6
www.opintorconsultoria.com

Com muita facilidade, são encontradas no mercado diversos tipos de espátulas. Para trabalhos com aço, a melhor opção é a espátula de aço com cabo de madeira. Estas se encontram com várias opções de largura. A escolha da largura ideal pode ser diferente para cada tipo de trabalho e para cada situação em que se encontra a pintura velha a ser removida. A habilidade e preferência do pintor é que vai ajudar na escolha do tamanho ideal. É recomendado o seu uso para retirar tintas que estão soltas e também pinturas sem aderência.

Raspador de Tinta

soltas e também pinturas sem aderência. Raspador de Tinta Trata-se de uma ferramenta composta de cabo

Trata-se de uma ferramenta composta de cabo de madeira ou plástico rígido com uma lâmina afiada de metal presa na extremidade oposta e com largura em torno de 4 a 5 cm. Tem a mesma função da espátula; retirar a tinta. Há profissionais que se adaptam melhor ao uso do raspador de tinta; no entanto vai depender do estado de aderência da tinta antiga no substrato junto com a habilidade do pintor

7 www.opintorconsultoria.com
7
www.opintorconsultoria.com

para a escolha da ferramenta manual ideal para cada situação de trabalho.

Escovas de aço ou latão

para cada situação de trabalho. Escovas de aço ou latão Usadas para ajudar a retirar a

Usadas para ajudar a retirar a ferrugem ou corrosão do aço. Em geral possuem cabo de madeira e são feitas de arame de aço ou de latão. É uma ferramenta manual adequada para limpeza do aço em locais de difícil acesso como cantos, arestas, reentrâncias, etc.

8 www.opintorconsultoria.com
8
www.opintorconsultoria.com

2 FERRAMENTAS MECÂNICAS (ELÉTRICAS OU PNEUMÁTICAS):

Lixadeira Elétrica para aço ou lixadeira angular

Lixadeira Elétrica para aço ou lixadeira angular É indicada para a remoção de várias pinturas antigas

É indicada para a remoção de várias pinturas antigas sobrepostas ou quando o pintor não consegue bom resultado com o uso de ferramentas manuais. Também pode ser usada para acelerar a etapa do pré-tratamento porque com o uso de uma lixadeira elétrica o serviço é concluído muito mais rapidamente quando comparado com o lixamento manual. A lixadeira para aço também consegue retirar a carepa de laminação do aço.

O mercado apresenta várias opções deste tipo de equipamento, oferecido por diversos fabricantes e diversos preços. Há também tipos específicos como por exemplo lixadeira elétrica angular e lixadeira e politriz. A escolha do equipamento fica a critério da qualidade do fabricante do equipamento e do preço.

9 www.opintorconsultoria.com
9
www.opintorconsultoria.com

Outra opção é alugar um equipamento. Existem lojas de aluguel de equipamentos onde é possível encontrar vários tipos de máquinas. O aluguel pode ser por poucos dias. Esta é uma solução mais barata e também para o caso de não se ter local para guardar o equipamento após o uso.

Escova Rotativa

para guardar o equipamento após o uso. Escova Rotativa Trata-se de escovas confeccionadas em metal (aço

Trata-se de escovas confeccionadas em metal (aço ou latão) para serem usadas em máquinas elétricas ou pneumáticas. Usadas para limpar o aço retirando toda a ferrugem, tinta velha e qualquer outra contaminação grudada no aço. Alguns tipos de escovas produzem polimento na superfície e isto deve ser corrigido para não prejudicar a aderência no substrato. A correção deve ser definida conforme a disponibilidade no local de trabalho. Uma opção é aplicar lixamento manual com lixa para aço,

10 www.opintorconsultoria.com
10
www.opintorconsultoria.com

ou passar escova de aço manual nos locais polidos para criar ranhuras.

Martelete de Agulhas

nos locais polidos para criar ranhuras. Martelete de Agulhas Também conhecido como batedor de agulhas, é

Também conhecido como batedor de agulhas, é um equipamento que solicita experiência para usar porque além do ruído também gera vibração e o pintor deve ter firmeza na mão para o trabalho fluir bem. É usado na indústria e em obras. Não é indicado para pequenos trabalhos principalmente em residências ou condomínios.

11 www.opintorconsultoria.com
11
www.opintorconsultoria.com

3 ACESSÓRIOS:

Trincha

3 ACESSÓRIOS: Trincha Os quesitos importantes a serem considerados na trincha são: largura, diâmetro e dureza

Os quesitos importantes a serem considerados na trincha são: largura, diâmetro e dureza das fibras.

A trincha pode ser construída de fibra natural, vegetal ou

animal; de maneira que não haja desprendimento das mesmas durante a aplicação. Devem ser mantidas convenientemente limpas, isentas de qualquer resíduo. Para pintura em áreas grandes, utilizam-se trinchas de até 5” (polegadas) e para pequenas áreas, trichas de ½”, ¾” e

1”

É muito importante observar se está ocorrendo desprendimento das fibras da trincha durante a aplicação porque fibras deixadas na película de tinta vão prejudicar a estética da pintura.

A trincha deve ser usada para pintura de cantos, locais

onde o acesso com o rolo é difícil e em pequenos retoques.

12 www.opintorconsultoria.com
12
www.opintorconsultoria.com

A aplicação deve ser feita de modo que a película não

apresente marcas acentuadas das fibras após a secagem. Na pintura por pulverização, a trincha deve ser usada como ferramenta auxiliar para correção de escorrimento e na pintura de regiões inacessíveis para a pistola.

Rolo

e na pintura de regiões inacessíveis para a pistola. Rolo O rolo utilizado em pintura de

O rolo utilizado em pintura de aço deve ser apropriado ao

tipo de tinta que será aplicada na peça; ou seja, o material

de construção do rolo, deve possuir resistência adequada ao solvente e a resina da tinta. No comércio esta informação é facilmente encontrada. O rolo de espuma, por

exemplo, não resiste a solvente orgânico e só pode ser usado para tintas solúveis em água. Nunca adquira o rolo antes de saber qual a tinta a ser aplicada. Em geral, para pintura que requer espessura de tinta, usa-

se

rolo de pelo alto.

O

metodo de aplicação com rolo é mais produtivo do que a

pintura com trincha; deve ser usado para pintura de áreas planas, cilíndricas ou esféricas de raio longo.

13 www.opintorconsultoria.com
13
www.opintorconsultoria.com

O movimento do rolo não deve se restringir a um sentido apenas. Deve-se fazer passes cruzados para obter película de espessura mais uniforme. Também é recomendado fazer sobreposição mínima de 5 cm entre as faixas adjacentes. Na área de pintura, este procedimento é chamado de “overlaping”. Sempre que possível, deve-se iniciar a pintura pela parte superior.

Importante: As partes acidentadas ou inacessíveis ao rolo devem ser pintadas à trincha.

Pistola

inacessíveis ao rolo devem ser pintadas à trincha. Pistola Encontra-se no mercado 3 tipos de pistola:

Encontra-se no mercado 3 tipos de pistola:

14 www.opintorconsultoria.com
14
www.opintorconsultoria.com

Pistola de Caneca:

Pistola de Caneca: A atomização é feita com ar comprimido. A alimentação por sucção é feita

A atomização é feita com ar comprimido. A alimentação por sucção é feita criando-se vácuo com a passagem de ar comprimido na capa de ar que succiona a tinta contida num recipiente de ¼ de galão e aberto para o exterior. A pistola de caneca é ideal quando há necessidade de trocas frequentes de cores e em pintura de pequenas áreas. É muito usada em oficina de pintura de automóveis.

áreas. É muito usada em oficina de pintura de automóveis. Pistola Convencional: Na pintura por pulverização

Pistola Convencional:

Na pintura por pulverização utilizando pistola convencional, a atomização é feita com auxílio de ar comprimido que

15 www.opintorconsultoria.com
15
www.opintorconsultoria.com

entra na pistola por passagem distinta da tinta e são misturados e expelidos pela capa de ar, formando leque cujo tamanho e forma são controláveis.

O ar comprimido utilizado na pistola deve ser isento de

água e óleo. O equipamento deve operar em linha de ar comprimido provida de filtros, contendo sílica gel e carvão ativado, para retirada de água e de óleo, respectivamente.

Os filtros devem ser drenados periodicamente durante a operação de pintura.

O equipamento de pintura deve possuir reguladores e medidores de pressão de ar e da tinta. Capas de ar, bicos e agulhas devem ser os recomendados pelo fabricante da tinta a ser pulverizada.

A pressão sobre a tinta no depósito e a pressão do ar na pistola devem ser ajustadas em função da tinta que está sendo pulverizada.

A pressão sobre a tinta no depósito deve ser ajustada

sempre que necessário, para compensar as variações da elevação da pistola acima do depósito.

A pressão de ar na pistola deve ser suficientemente alta

para atomizar a tinta, porém não tão alta que venha causar excessiva neblina, excessiva evaporação do solvente ou perdas elevadas por excesso de pulverização.

Durante a aplicação, a pistola deve ser mantida perpendicular à superfície e a uma distância constante que assegure a deposição de uma demão úmida de tinta, devendo a tinta chegar à superfície ainda pulverizada. Este método de aplicação não deve ser usado em locais onde existam ventos fortes e em estruturas extremamente delgadas que levem a perdas excessivas de tinta. Para uma pintura uniforme cada passe deve sobrepor o anterior em 50 % da largura.

16 www.opintorconsultoria.com
16
www.opintorconsultoria.com

Pistola sem ar (Airless Spray):

Pistola sem ar (Airless Spray): A pistola airless, ao contrário da pistola convencional, não tem regulagens

A pistola airless, ao contrário da pistola convencional, não tem regulagens de ajuste de leque e fluido. Basicamente, a pistola airless é uma válvula abre/fecha acionada por um gatilho e um bico airless caracterizado pelo orifício e pelo leque. A atomização se faz no bico pela súbita descompressão da tinta. Existem bicos de diversos orifícios e leques. Os bicos devem ser os recomendados pelo fabricante da tinta a ser aplicada.

O equipamento de pintura deve possuir reguladores e medidores de pressão de ar. A pressão da bomba pneumática do equipamento de pintura deve ser ajustada em função do tipo de tinta a ser aplicada.

Deve ser usada na aplicação de tintas com baixo ou nenhum teor de solvente; ou seja, tintas com elevada viscosidade e de elevada tixotropia. É indicada para pintura

17 www.opintorconsultoria.com
17
www.opintorconsultoria.com

de grandes áreas por ser um método de aplicação de alta produtividade.

Durante a aplicação, a pistola deve ser mantida perpendicular à superfície e a uma distância constante que assegure a deposição de uma demão úmida de tinta, devendo a tinta chegar à superfície ainda pulverizada.Para uma pintura uniforme, cada passe deve sobrepor o anterior em 50 % da largura.

18 www.opintorconsultoria.com
18
www.opintorconsultoria.com

4 OUTROS ACESSÓRIOS:

4 OUTROS ACESSÓRIOS: Caçambas ou bandejas para acondicionar tinta. Fita crepe para isolamento Misturador de tinta

Caçambas ou bandejas para acondicionar tinta.

ACESSÓRIOS: Caçambas ou bandejas para acondicionar tinta. Fita crepe para isolamento Misturador de tinta 19

Fita crepe para isolamento

ou bandejas para acondicionar tinta. Fita crepe para isolamento Misturador de tinta 19 www.opintorconsultoria.com

Misturador de tinta

19 www.opintorconsultoria.com
19
www.opintorconsultoria.com