Вы находитесь на странице: 1из 32

UNIDADE SESI SENAI CATALÃO

CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA

ANTONIO DOMINGOS DIAS


EDEILTON DA SILVA
SÉRGIO ROSA DE PAULA

SEPARAÇÃO DE CORPOS METÁLICOS BARRAS E BOLAS

Catalão
2013
ANTONIO DOMINGOS DIAS
EDEILTON DA SILVA
SÉRGIO ROSA DE PAULA

SISTEMA SEPARADOR DE CORPOS METÁLICOS

Projeto de pesquisa apresentado ao Curso


Técnico em Técnico em Mecânica da Unidade
SESI SENAI Catalão, como requisito parcial à
obtenção de nota na Componente Técnico em
Mecânica Industrial.

Orientador Instrutor: Walmer Cardoso de


Oliveira
Coorientador Instrutor: Rodrigo Oliveira
Rodrigues
Coorientador Instrutor: Hereson Giese

Catalão
2013
RESUMO

Este projeto visa uma melhoria e tem como objetivo principal, implantar adaptações no
processo que ira fazer a separação dos corpos moedores na descarga do moinho de barra e
bola, este equipamento tem em sua estrutura uma talha com um separador magnético estes
movimentam em uma monovia feita da viga tipo I. Esta separação fará no processo de
separação dos metais barras e bolas. Estes serões destinados para um depósito. Este
equipamento terá um sistema eletromecânico com sensores temporizadores para que depois de
certo tempo possa fazer a separação dos corpos moedores sendo depositado em seguida em
uma caçamba estacionária que estará abaixo da estrutura (monovia), onde a talha, movimenta
na horizontal extraindo o material através do extrator composto por um eletroímã.

Palavras-chave: Corpos Metálicos. Barra e bola. Corpos Moedores.


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO.............................................................................................................5

1.1 Tema........................................................................................................................... 6

1.2 Problema......................................................................................................................6

1.3 Hipótese.......................................................................................................................7

1.4 Objetivos......................................................................................................................7

1.4.1 Objetivo Geral..........................................................................................................7

1.4.2 Objetivos Específicos...............................................................................................7

1.5 Justificativa..................................................................................................................8

1.6 Referencial Teórico......................................................................................................8

1.7 Metodologia.................................................................................................................8

1.8 Recursos......................................................................................................................9

1.9 Cronograma...............................................................................................................10

2 DESENVOLVIMENTO...............................................................................................12

2.1 Testes e Simulações...................................................................................................13

2.2Cálculos e Dimensionamentos...................................................................................14

2.3 Materiais e Funções...................................................................................................15

2.4 Funcionamento e Plano de Manutenção....................................................................19

2.6 Resultados e Discussões............................................................................................21

REFERÊNCIAS..............................................................................................................23

APÊNDICE A – TÍTULO...............................................................................................24

ANEXO A - TÍTULO......................................................................................................27
1. INTRODUÇÃO

Este projeto tem como objetivo a implantação de um equipamento de separação de


corpos metálicos. As indústrias no geral de médio e grande porte nos dias atuais têm
certificação e junto com esta certificação a qualidade, segurança e proteção do meio ambiente,
a exemplo: ISO 9000, Qualidade, ISO 14000 meio ambiente, OHSAS 18001 melhoria
contínua a riscos operacionais e saúde. A implantação está alinhada a uma geração de renda e
um processo com segurança, que não cause impactos ao meio ambiente.

1.1 Tema

Implantação de equipamento de separação do material metálico no processo final da


moagem dos moinhos.

5
1.2 Problema

Na moagem do minério geram resíduos, corpos metálicos de aço, estes antes eram
barras e bolas que são usados no processo de moagem e no final devem ser separados. São
considerados rejeitos no processo de separação dos moinhos. Estes materiais metálicos
separados podem ser uma fonte geradora de renda para a empresa por ser material reciclável,
no momento este material não está sendo comercializado como fonte que gere renda.

Figura 1 Produção Própria

Fonte: Foto da Máquina na Vale Fertilizante

Este mostra o desenho na vista lateral, e seus elementos importante tais como: Calha
transportadora, esteira. E toda estrutura que será montada. Pode se ver a monovia via “I” com
a talha e o contêiner de coleta do material separado.

Figura 3 Produção Própria Figura 2 Produção Própria

6
Fonte: Produção Própria Fonte: Produção Própria

1.3 Hipótese
Implantação de um sistema separador de corpos metálicos.

1.4 Objetivos
1. Implantação do equipamento separador nos moinhos;

2. Separação os corpos metálicos na descarga dos moinhos;


3. Comercialização dos materiais copos metálicos;
4. Equipamento que eficiente no processo.

1.4.1 Objetivo Geral


Equipamento que faz a separação dos corpos metálicos com o uso de talha e um
separador magnético, e com isto ter uma geração de renda.

1.4.2 Objetivos Específicos


 1º - Implantação do equipamento;
 2º - Separação de corpos metálicos;
 3º - Reaproveitamento e Comercialização do Material separado no Processo;

1.5 Justificativa

Implantação de um sistema de separação dos corpos metálicos. Estes podem gerar renda,
pois é um material que poder ser reciclado. E um equipamento com acionamento elétrico e
manual com que possa corresponder com a produção atual da usina ou melhorar esta
produção
7
1.6 Referencial Teórico

2 - Pesquisa das Normas Técnicas


3 – Consultas de catálogos;
4 – Analise de equipamentos existentes em campo;
5 – Consultas de manuais eletrônicos no de acordo com as especificações usadas na empresa
em questão.

1.7 Metodologia

1 - Coletar dados do equipamento;

2 - Coletar dados no local, medidas, pesos, materiais;

3 - Pesquisa de possíveis soluções já existentes no mercado;

4 - Elaboração cronograma de manutenção;

5 - Pesquisa no mercado, cotação de componentes de baixo custo;

6 - Montar cronograma de execução de trabalho, especificando todas as etapas do projeto,


apresentar o projeto para a área envolvida, executar mesmo.

1.8 Recursos

Esta é uma lista de itens e materiais que serão utilizados no projeto. Nesta Lista de
recursos os mais importantes desta lista são o separador magnético, a Talha com Troley e a
monovia de perfil “I”
8
Tabela 1 Produção Própria
N° ITENS CUSTOS
(R$)
01 Talha Elétrica 3Ton com Trolley Elétrica Ref: 1530 10.231,00

02 Separador Magnético Suspenso Mod: SP-6116 MC-2 4.200,00

03 Perfil I 152,40X85,73X6000,00X MATERIAL ASTM A36 670,00

04 Chapa Lisa Dimensional: 1200,00X3000,00MM 3/16IN A36 740,00

05 Eletroduto Rígido Diâmetro: 1.1/2INX3000,00MM Galv. 200,00

06 Temporizador digital SIEMENS 80,00


07 Bloco de Contato SIEMENS 27,00

08 Contactora Tripolar SIEMENS 100,00


09 Chave de acionamento Tipo botão vermelho EATON 45,00
10 Sensor Tipo Indutivotubolar TECNOTRON 108,00
11 Eletroduto 1.1/2IN Flexivel 120,00
12 Botão Sinaleiro sinalizador 40,00
14 Sirene Sinal Sonoro 1300,00
15 Chapa de Polietileno 3000,00X1000,00MMX19,05MM 490,00
16 Perfil I 203,20X101,60X6,86 ASTM A36 204,00
17 TOTAL: 18.413,00
Fonte: Produção Própria

1.8.1 Custos com Serviço e Mão de Obra

Tabela 4 Produção Própria

9
1.8.2 Custo Geral dos Materiais Equipamentos e mão de obra

1.9 Cronograma

Este é o cronograma das atividades que serão feitos para que seja feito o projeto dentro
do tempo previsto. Sendo assim possível a conclusão do mesmo dentro do tempo previsto.

10
Figura 5 Produção Própria
RECURSOS
PRAZO
HUMANOS
ATIVIDADES
INÍCIO FIM TOTAL
RESPONSÁVEL
(DATA) (DATA) (DIAS)

Coletar dados do equipamento 20.06.1 29.07.1


1 Antônio 39
3 3

Pesquisar possíveis soluções já existentes 20.07.1 14.08.1


2 Sérgio Rosa 30
no mercado 3 3

Pesquisar custo dos materiais 23.07.1 19.08.1


3 Edeilton 28
3 3

Pesquisarnormas técnicas 25.06.1 20.09.1


4 Antônio 85
3 3

Pesquisar dimensional dos materiais em 20.06.1 13.09.1


5 Sérgio Rosa 83
campo 3 3

Elaboração cronograma de manutenção 21.08.1 16.09.1


6 Antônio 27
3 3

Desenvolver projeto em auto CAD 20.07.1 22.09.1


7 Walderson 63
3 3

Formatação da escrita e/ou slides conforme 06.07.1 29.10.1


8 Antônio 114
norma NBR 6024/1989 3 3

Fonte: Produção Própria

11
2.1 Testes e Simulações (Não se Aplica)

12
2.2 Cálculos e Dimensionamentos

Os cálculos aqui feitos refere se ao perfil viga “I”


Figura Produção Própria

Perfil I 152,40X85, 73X6000. ASTM A36

Perfil estrutural tipo “I” / Aço ABNT 1020

Fs= 3 Fonte: Produção Própria

Coeficiente de segurança

Figura 6 Imagem Produção Própria

Fonte: Produção Própria

P. L 7840 N .6000 mm
Mmáx= =Mmáx= = 11.760.000 N
4 4

Mmáx 210
σ= = = Legenda do Calculo do Perfil I ASTM 36
ω 3 d altura do perfil I momento de inércia
11.760 .000 bf largura da aba do perfil W módulo de resistência
Tf espessura da aba r raio de giração
ω
tw espessura da alma Z módulo de resistência plástico

11.760 .000 . 3
� ¿ = 168.000 mm³ ÷ 1000
ω

� = 168 cm³

Portanto conforme tabela perfil estrutural“I”

� = 150 x 29,8 Massa Kgf/m = 29,8 d = 157 mm

Figura 7 Produção Própria bf = 153 mm

d’ = 118 mm

13

Fonte: Produção Própria


n = 138 mm

tf = 9,5 mm

tw = 9,5 mm

2.3 Materiais e Funções

2.3.1 Talha Tipo Troley. A Talha tipo troley seu funcionamento é de suportar o separador
magnético e movimentar na horizontal em uma viga tipo I e também o material separado por
magnetismo, e dispensá-lo TALHA SANSEICOM TROLEY
no contêiner. A talha
Talha Elétrica 3Toneladas com Trolley Elétrico
Movimentará o material separado Barras e bolas até o
contêiner e este será levado até o local.
suporta o peso de até 3,000 quilos, ou seja, Três Toneladas.

Figura1 Produção Própria

Fonte: Manual da Talha Sansei. Pag. 04

2.3.2 Separador Magnético

O separador magnético fará a separação do material metálico por magnetismo. Ele fica
acoplado no cabo de aço da talha e será movimentado por ela sempre que for necessário. O
separador magnético fara a separação de até 500 quilos de material metálico, porém será
programado para separar 300 quilos por vez.

Confeccionado com imãs permanentes é recomendado para operar suspenso sobre


correias transportadoras é fabricado nos tipos limpeza manual e automática. Por ser
confeccionado com imãs permanentes, não necessita de energia elétrica para a geração de
campo magnético e não requer retificador de corrente ou óleo de refrigeração.

Figura 8 Produção do Fabricante


SEPARADOR MAGNÉTICO
INBRAS SP6330 SC -2
É acoplado a Talha móvel por um cabo de aço
Função separar o material metálico no final do
processamento.
Programada para separar 500 quilos de material.
14
Fonte: Produção Própria
Fonte: Manual de separador Magnético Inbras. Pag. 11

2.3.4 Viga Perfil Tipo “I”

A viga Perfil “I” será usada para dar condições da talha se movimentar na horizontal próxima
e suspensa sobre a esteira
VIGA PERFIL TIPO “I”
que transporta o material
Perfil I 152,40X85,73X6000,00X MATERIAL ASTM A36
que será separado.
A viga I será o Percurso deTrabalho da talha na Horizontal

Suportará o Separador Magnético e o Material Separado.


Figura 9 Produção do Site

Fonte: http://galeria.cuiket.com.br/foto

2.3.5 Sirene Eletrônica Programável

Capaz de armazenar até 15 tipos de alarmes. Já estão incluídas as versões básicas. Qualquer
tipo de alarme pode ser
Sirene Eletrônica Programável
selecionado localmente
ou remotamente, através Emite o sinal sonoro quando o equipamento esta em
da tensão de funcionamento
alimentação, Funciona como dispositivo de segurança aos operadores e
possibilitando a demais
integração com sistemas Configura se mais de quinze tipos de sons levando em conta a
automatizados. sua aplicabilidade e local de uso
 Pressão acústica:
a tecnologia NCT e a eficiência acústica dos projetores de som, resultou em mais
potência, passando de 105 dB para 110 dB a 5 metros
Figura 10 Produção Própria

15
Fonte: Produção Própria
Sensor Indutivo
Liga o motor para ir até a caçamba coletora
Aciona o motor e o magnetismo Simultaneamente
Trabalha com limite de aproximação

2.3.6 Sensor Indutivo

Figura 11 Produção Própria

16
Fonte: Produção Própria

2.3.7 Botoeira de Segurança

Botoeira de emergência
Figura 12 Produção Própria
Desliga todo o circuito quando é acionada

Dispositivo de segurança acionamento manual

Utiliza-se uma chave para todo o equipamento

Fonte: Produção Própria

Sinaleiro botão vermelho EATON

Sinaliza quando o equipamento esta ligado

Indica anomalias no equipamento


2.3.8 Botão Sinaleiro Indica que a máquina está a disposição do operador
Figura 13 Produção Própria
(sinalizador)

17

Fonte: Manual Botão Sinalizador


2.3.9 Temporizador controlador de Tempo

Figura 14 do Fabricante
Temporizador Siemens

Controla o tempo do carregamento do material 30 min.

Desligar o magnetismo após a calha posicionar na descarga

Conta o tempo de descarga do material 10 segundos

Fonte: Manual de Temporizadores Coel.

2.3.10 Contactor Tripolar

Contactor Tripolar Siemens

Liga o motor do Troley da talha para movimentar no trilho

Liga e desliga o magnetismo do Imã

liga para ir até a esteira para coleta do material metálico

Fonte: http://www.asm51.com.br

Estes são os materiais que serão utilizados em todo o equipamento. Poderíamos


indicar outros porem vamos nos deter somente nestes que vão ser utilizados. Há recursos
muito grandes a disposição de quem quer desenvolver equipamentos com este perfil ou outro
perfil de aplicabilidade na indústria de Mineração ou outras aplicações afins.

18
2.4 Funcionamento

O funcionamento do equipamento é totalmente por acionamento por comando


Eletrico. Tem se uma monovia de seis metros de comprimento perfil Viga tipo “I”.Onde tem-
se uma talha que movimenta por um carrinho troley na horizontal com separador magnético
acoplado no cabo de aço da talha que funciona na vertical, subindo e descendo por
acionamento manual. Assim o Separador magnético separa o material metálico que por ter
condutividade elétrica é atraído para o separador magnético sendo assim separados dos
demais materiais.

Figura 16 Produção Própria Figura 15 Produção Própria

19
Fonte:
Fonte: Produção
Produção Própria
Própria
2.5 Plano Manutenção e Check List

Todo o equipamento necessita de manutenção, mas os principais neste projeto são: a


talha e o separador magnéticos. Por serem considerados componentes vitais no processo e
funcionamento de todo processo. O fato de considerar estes os principais não tira a
importância dos demais elementos da máquina.

Figura 17 Produção Própria

Fonte: Produção Própria

Figura 18 Produção Própria

20
Fonte: Produção Própria

2.6
Resultados e Discussões

O trabalho realizado Por meio de pesquisa de campo e consultas de manuais e


materiais bibliográficos permitiu avaliar e fazer uma melhoria no âmbito industrial de
mineração gerando renda, economia e bem estar sócio ambiental. Com a implantação e
consolidação do processo de separação dos corpos metálicos irá gerar renda com a venda
destes materiais metálicos. Os resultados obtidos é resultado de averiguação do problema,
com isto houve a necessidade de fazer uma melhoria com um funcionamento eficaz. O intuito
do presente trabalho é satisfazer as necessidades que se aplica a indústria do presente contexto
que esta cada vez mais em ascensão e desafiando os profissionais e empresários, no que diz
respeito à tecnologia.

21
2.7 Ganhos com o Projeto Implantado em Funcionamento

A tabela foi feita com base em pesquisa feita na empresa vale fertilizantes que trabalha
no ramo de mineração com o processo de separação de corpos metálicos barras e bolas.

22
Tabela 2 Produção Própria
Material (aço) Separado por peso - Tempo - valores monetários.
Peso por Segundo Peso por Minuto Peso por Hora
4,5 Gramas 270 Gramas 16,200 Quilogramas
Ganho Diário 1 dia 24 hs Ganho Mensal 30 dias Ganho Anual 360 dias
Peso em kl 388,800 Peso em ( t ) 11.666 Peso em ( t ) 274.500
Total Em R$ R$ 244,94 Total Em R$ R$ 7.350,00 Total Em R$ R$ 172.935,00
Peso da sucata por segundo, minuto e hora.
Material metálico separado por segundo 4,5 g

Material metálico separado por minuto 270 g


Material metálico separado por horas 16,200Kg
Peso da Sucata diário, mensal e Anual.
Peso diário com a Sucata - 1 dia - 24 horas 388,800
Peso mensal com a Sucata – 30 dias - 720 horas 11, 666,66
Peso Anual com a Sucata – 12 meses – 8.640 horas 274.500,00
Valores arrecados com as Sucatas
Ganho diário com a Sucata Barras 0.63 - preço Quilo R$ 4.961,00
Ganho diário com a Sucatas Bolas (0.9, preço do Kg. Da sucata de Aço)
Ganho mensal com a Sucata R$ 13,500,00
Ganho Anual com a Sucata R$ 221,535,00

Fonte: Produção Própria REFERÊNCIAS

BEER, F. P., JOHNSTON Jr. R. Resistência dos materiais. 3ed. São Paulo, Makron
Books, 1996.
SÁ, Elizabeth Schneider de et al. Manual de normalização de trabalhos técnicos científicos e
culturais. 2. Ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e


documentação: apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e


documentação: trabalhos acadêmicos – apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

Documento via internet

TALHA TROLEY SANSEI.www.sanseitalhas.com.br/downloads/down5.pdf


Outubro - 2013

SIRENES PROGRAMÁVEIS. www.eaton.com.br/ecm/idcplg?IdcService=GET_FILE


Outubro - 2013

SEPARADOR MAGNÉTICO INBRAS. www.inbras.com.br/produtosDetalhes.asp?codigo


Novembro - 2013

23
NORMA UILIZAÇÃO DO AÇO ASTM 36. www.profissionaldoaco.com.br/destaques_in.asp
Novembro - 2013

24
APÊNDICE A

1. Desenho do Projeções

2.

Desenho técnico do Projeto

3. Circuito Elétrico de todo equipamento Talha, Troley


4. Tabela e descrição dos Equipamentos e Funções
ANEXOS A

1. Perfil Viga “I”


2. Comparativo de Tolerâncias

3. Manual do
Temporizador Elétrico
4. Esquema Elétrico do Temporizador

5. Manual da Talha Troley


6. Catálogo da Sirene Eletrônica Programável