Вы находитесь на странице: 1из 5

DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v17i1.

6760

ISSN 2177-4005

Revista do Departamento de Educação Física e Saúde e do Mestrado em


Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul / Unisc
>> Ano 17 - Volume 17 - Número 1 - Janeiro/Março 2016

ARTIGO ORIGINAL

Efeitos do Método Pilates na mobilidade da coluna


vertebral e na qualidade de vida de idosos: estudo de caso
Effects of Pilates in the spine mobility and quality of life of elderly:
a case study
Josiane Teresinha Bertoldi,1 Raquel Aparecida Winter,1 Sabrina Pscheidt Fialho.1
Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala (FGG), Joinville, SC, Brasil.
1

Recebido em: 01/12/2015 / Aceito em: 30/03/2016


bertoldi.josi@gmail.com

RESUMO nesis, Schober test (ScT) for flexibility of the lumbosa-


cral region; Stibor test (StT) for thoracolumbar region;
Objetivo: investigar os efeitos dos exercícios do basic activities of daily living (BADL) the Katz Index and
método Pilates na mobilidade da coluna vertebral, na in- the WHOQOL-Bref questionnaire about quality of life
dependência e na qualidade de vida de idosos. Método: (QOL) were conducted. Inclusion criteria were the elder-
foram realizadas anamnese, teste de Schober (TSC) pa- ly at community, aged over 60 years and as exclusion
ra flexibilidade da região lombossacral; teste de Stibor criteria with cognitive impairment, bedridden or wheel-
(TST) para região tóraco-lombar; atividades básicas de chair, with infections, with conditions that restrict the
vida diária (ABVD´s) pelo Índice de Katz e o questionário movement of the spine as osteoarthritis, arthrodesis,
WHOQOL-Bref de qualidade de vida (QV). Os critérios osteoporosis, and other clinical diagnosis. The sample
de inclusão foram idosos da comunidade em geral, com consisted of 01 elderly, male, aged 67, underwent 10
idade igual ou superior a 60 anos, sendo excluídos os selected exercise sessions of Pilates method applied to
idosos com déficit cognitivo, acamados ou cadeirantes, the mat for beginner level, three times a week lasting 30
com infecções, com patologias que restrinjam o movi- minutes. Results: the results showed 4.5 cm increase in
mento da coluna como artrose, artrodese, osteoporose, StT and 3.0cm in StT, BADL unchanged and WHOQOL-
entre outras com diagnóstico clínico. A amostra foi -Bref with mild evolution. Closing remarks: the Pilates
composta por um idoso, sexo masculino, com 67 anos, method promotes significant improvement in mobility
submetido a 10 sessões de exercícios selecionados do and flexibility of the spine, but brings little effect on the
método Pilates aplicados no solo para nível iniciante, perception of quality of life in independent elderly.
sendo três vezes por semana com duração de 30 minu- Keywords: Physical Fitness; Lumbosacral; Flexibi-
tos. Resultados: os resultados apontaram acréscimo de lity; Elderly.
4,5cm no TSC e 3,0cm no TST, ABVD´s sem alterações
e WHOQOL-Bref com leve evolução. Considerações
finais: o método Pilates promove melhora significativa INTRODUÇÃO
na mobilidade e flexibilidade da coluna vertebral, porém
traz poucos efeitos sobre a percepção da qualidade de A flexibilidade é essencial para o nosso corpo,
vida em idosos independentes. para que possamos fazer de forma adequada, as ativi-
Palavras-chaves: Aptidão física; Região Lombos- dades de vida diária (AVD´s). A falta de flexibilidade, es-
sacral; Flexibilidade; Idoso. pecialmente da coluna, está associada a dificuldades na
realização de vários componentes das AVD´s, podendo
ser a principal causa de desconforto e incapacidade no
ABSTRACT idoso, bem como também pode ser responsável pelas
tendinites, bursites e lesões de cartilagem, além do au-
Objective: to investigate the effects of Pilates mento de risco de lesões como estiramento muscular.¹
exercises in mobility spine, independence and elderly O termo mobilidade pode ser descrito com base em
quality of life. Method: to implement the survey, Anam- dois parâmetros diferentes, porém, inter-relacionados.

Cinergis, Santa Cruz do Sul, 17(1):22-26, jan./mar. 2016 ISSN: 2177-4005


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada
sob forma de uma licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. Páginas 01 de 05
http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
não para fins de citação
EFEITOS DO MÉTODO PILATES NA MOBILIDADE DA COLUNA VERTEBRAL E NA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS: ESTUDO DE CASO
Josiane Teresinha Bertoldi, Raquel Aparecida Winter, Sabrina Pscheidt Fialho.

Geralmente, é definida como a habilidade das estruturas como a regulamentação de uma ação, ao realizar a pri-
ou dos segmentos de corpo de se moverem ou serem meira vez o exercício a pessoa precisa usar o controle,
movidos de modo a permitir a presença de movimentos mas conforme a sua habilidade aumenta o controle será
amplos para as atividades funcionais. Mobilidade, quan- mais definido.12 Os exercícios do método Pilates são, na
do relacionada com amplitude de movimento funcional, sua maioria, executados na posição deitada, havendo di-
está associada à integridade articular, assim como a minuição dos impactos nas articulações de sustentação
flexibilidade ou extensibilidade dos tecidos moles que do corpo na posição ortostática e, principalmente, na
cruzam ou cercam as articulações, qualidades necessá- coluna vertebral, permitindo recuperação das estruturas
rias para que ocorram movimentos corporais irrestritos e musculares, articulares e ligamentares particularmente
sem dor durante as atividades funcionais da vida diária.² da região sacrolombar.3
O desequilíbrio entre a função dos músculos ex- O Método Pilates é uma boa alternativa na prática
tensores e flexores do tronco é um forte indício para de atividade física em idosos porque tem como objetivo
o desenvolvimento de distúrbios da coluna lombar.3 principal o fortalecimento e alongamento simultanea-
A mobilidade na coluna cervical e lombar é maior, en- mente da musculatura, despertando a consciência cor-
quanto na coluna torácica as estruturas ligamentares poral. Alguns especialistas referem-se ao Pilates como
promovem estabilidade e a rotação é de considerável a condição de ginástica mais eficiente de todos os tem-
magnitude, mas a flexão e a extensão são limitadas. pos.11 Os benefícios do método para os idosos incluem
Essas regiões com maior mobilidade possuem maior aumento da densidade óssea, melhoria da flexibilidade
incidência de lesões.4 Para Gray, apud Jesus5 os mús- nas articulações e postura, aumento da capacidade
culos da respiração produzem um efeito secundário na respiratória e cardiovascular, proporcionando satisfação
postura por haver alguma extensão da coluna dorsal a total aos praticantes que desejam obter melhoria da
cada inspiração. Com o envelhecimento, ocorre o enrije- qualidade de vida.9 Segundo Oliver, apud Schossler13 os
cimento das articulações juntamente com a diminuição exercícios do Pilates, apresentam uma combinação de
na potência muscular e perda da massa óssea, podendo atividades de força e flexibilidade, visando à manuten-
reduzir a função da sustentação. ção e desenvolvimento do equilíbrio muscular, contribuin-
Entre 30 e 70 anos ocorre uma redução de 20% do com a estabilização da região lombar.
a 30% da flexibilidade, provocando uma diminuição de Este estudo tem por objetivo observar os efeitos
mobilidade que acarretará na perda progressiva da am- de exercícios do Método Pilates sobre a mobilidade
plitude e movimento e o aumento do enrijecimento.6 A ativa da coluna tóraco-lombar, analisando os aspectos
amplitude de movimento diminuída pode envolver a de- de flexibilidade, seu reflexo na execução das atividades
terioração da cartilagem, dos ligamentos, dos tendões, básicas da vida diária e na qualidade de vida de idosos.
do fluido sinovial e dos músculos. Com estes fatores, o
idoso apresenta mais encurtamentos, desenvolvimento
de artrite e de outras condições ortopédicas negativas6
MÉTODO
e distensões musculares.7 A pesquisa do tipo quase-experimental de abor-
Os modelos de qualidade de vida na velhice vão dagem qualitativa, foi aprovada pelo Comitê de Ética
desde a insatisfação com a vida ou bem-estar social a em Pesquisa CEP/IELUSC, na cidade de Joinville-SC sob
modelos baseados em conceitos de independência, con- protocolo nº 1.063.874 de 14/05/2015. O tratamento
trole, competências sociais e cognitivas, sobressaindo foi desenvolvido no Equilibrium Pilates Estúdio, localiza-
as questões associadas a dependência-autonomia.8 Os do na cidade de Joinville-SC, durante o mês de maio e
principais fatores que afetam a qualidade de vida nos junho de 2015.
idosos são: alterações cognitivas, depressão, aumen- Os critérios de inclusão foram: idosos acima de
to ou diminuição excessivo da massa corpórea, baixa sessenta anos com o cognitivo preservado. Como crité-
frequência de contatos sociais, baixo nível de atividade rios de exclusão: idosos com déficit cognitivo, acamado
física, percepção de saúde deficiente, tabagismo e dis- ou cadeirante, com infecções, com patologias que res-
túrbios visuais.9 trinjam o movimento da coluna como artrose, artrodese,
A fisioterapia pode atuar com diferentes protocolos osteoporose, osteófitos, espondilite anquilosante, hér-
de intervenção para alcançar uma melhora na mobilida- nias discais com compressão de raízes nervosas, entre
de da coluna vertebral. A parede abdominal constitui o outras com diagnóstico clínico.
principal elo de inter-relação funcional entre as cadeias Participaram inicialmente 07 idosos com idade
musculares, influenciando diretamente a coluna lombar média de 75,28 (±8,75), que obedeceram aos critérios
e equilíbrio dos músculos paravertebrais. Dessa forma, a propostos e passaram pela pré-avaliação. Considerando
parede anterolateral do abdômen influencia diretamente a assiduidade ao tratamento proposto, necessária para
nas cadeias musculares respiratória e posterior, sendo avaliar os efeitos, 06 participantes foram desconside-
de extrema importância o fortalecimento desta região.10 rados do estudo, permanecendo somente 01 idoso que
A atividade física mais correta para esta faixa realizou o atendimento completo, do sexo masculino,
etária tem que ser de baixa à média intensidade, baixo 67 anos de idade, tabagista, com queixa de lombalgia
impacto e longa duração. As mais indicadas são: cami- sem patologias associadas.
nhada, natação, hidroginástica, dança e ultimamente vem Para avaliar a mobilidade da coluna lombar utilizou-
surgindo um grande interesse pelo Método Pilates.11 -se o teste de Schober, em que o paciente permaneceu
Na década de 1920, o alemão Joseph Pilates ini- em pé e foi localizado a articulação lombossacral com
ciou o desenvolvimento de um método de exercícios, o os polegares; fez-se uma marca nesta região e outra
qual denominava de Contrologia. O controle é definido marca dez centímetros acima. Finalmente, o paciente

Cinergis, Santa Cruz do Sul, 17(1):22-26, jan./mar. 2016 ISSN: 2177-4005 Páginas 02 de 05
não para fins de citação
EFEITOS DO MÉTODO PILATES NA MOBILIDADE DA COLUNA VERTEBRAL E NA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS: ESTUDO DE CASO
Josiane Teresinha Bertoldi, Raquel Aparecida Winter, Sabrina Pscheidt Fialho.

flexionou o tronco à frente e foi realizada a medida da Gráfico 1 - Teste de Schober.


distância das marcas dada pelo alongamento da coluna.14
O teste de Stibor foi utilizado para mensurar a
mobilidade da coluna tóraco-lombar. A medida foi rea-
lizada com o paciente em pé com os calcanhares juntos
e demarcou-se uma linha demográfica (na pele) entre as
duas espinhas ilíacas póstero-superiores e o processo
espinhoso da sétima vértebra cervical. Fixou-se uma das
extremidades da fita na sétima vértebra cervical e o pa-
ciente realizou a flexão de tronco, sem fletir os joelhos.14
No quesito independência, o paciente foi sub-
metido ao protocolo Índice de Katz, que analisou as
atividades básicas de vida diária hierarquicamente rela-
cionadas e é organizado para mensurar o desempenho
de seis funções: banhar-se, vestir-se, ir ao banheiro,
realizar transferência, continência e alimentar-se. A
escala classifica em três situações: independente, par- Gráfico 2 - Teste de Stibor.
cialmente dependente ou totalmente dependente.15
Para avaliação da qualidade de vida, aplicou-se
o questionário WHOQOL-Bref que é composto por 26
questões. A primeira questão refere-se à qualidade de
vida de modo geral e a segunda, à satisfação com a pró-
pria saúde. As outras 24 estão divididas nos domínios
físico, psicológico, das relações sociais e meio ambien-
te, sendo um instrumento que pode ser utilizado, tanto
para pessoas saudáveis como para aqueles acometidos
por doenças crônicas.16
O tratamento consistiu em 10 sessões, com frequ-
ência de 03 vezes por semana, com duração média de
30 minutos cada, compostas por exercícios selecionado
do Método Pilates em solo: the hundred; the one leg questionário WHOQOL-Bref observou-se uma discreta
circle; the spine stretch; the saw; rolling back; the one variação de 1% ao final do tratamento. Os escores por
leg kick; swimming, seguindo o número de repetições domínio estão expostos na tabela 1.
proposto por Joseph Pilates11 na sua obra original,
durante as primeiras sessões e progredindo conforme
a evolução do paciente. Os movimentos obedeceram
aos princípios do método, e foram incluídos: treino da Tabela 1 - Domínios do WHOQOL (Bref).
respiração e ativação do Powerhouse, exercícios de mo- Domínio PRÉ PÓS
bilização tóraco-lombar, estabilização lombo-pélvica, Físico 19,43 19,43
fortalecimento do core e alongamento com ênfase em Psicológico 18,67 19,33
cadeia posterior. Ao final do tratamento, realizou-se a Relações sociais 17,33 16,00
pós-avaliação. Meio ambiente 17,50 17,50
Os dados coletados foram tabulados no Microsoft Auto-avaliação 16,00 18,00
Office Excel® 2013, onde se calcularam as médias e os Média geral QV 18,15 (±1,32) 18,31 (±1,42)
desvios padrões.

RESULTADOS DISCUSSÃO
A flexibilidade da coluna lombossacra foi avaliada O Método Pilates prevê o alinhamento da pos-
através do Teste de Schober, e após 10 sessões de tra- tura e o equilíbrio muscular17 durante a execução dos
tamento com o método Pilates observou-se um ganho exercícios, contribuindo para a estabilização da região
de 4,5cm na medida entre os pontos, representando um lombar.13 O método inclui programa de exercícios que
acréscimo de 450% na mobilidade lombar, conforme fortalecem a musculatura abdominal e paravertebral,
exposto no gráfico 1. bem como os de flexibilidade da coluna, além de exercí-
A análise da coluna tóraco-lombar foi realizada cios para o corpo todo.3
pelo Teste de Stibor, que apontou um aumento de 3cm na É capaz de interferir positivamente na melhora
distância aferida, demonstrando um incremento de 60% da mobilidade da coluna, promovendo acréscimo da
na mobilidade tóraco-lombar, demonstrado no gráfico 2. flexibilidade7, de forma significativa em músculos
No quesito independência, avaliado através do paravertebrais e posteriores de coxa.18 Em um estudo
protocolo de ABVD’S Índice de Katz, o paciente obteve de Schossler et al.13 foram realizadas 10 sessões de
resultado independente tanto na pré quanto na pós- exercícios visando ao fortalecimento e alongamento
-avaliação. das cadeias musculares anterior e posterior com uma
Na avaliação da qualidade de vida, através do frequência de duas vezes por semana com duração

Cinergis, Santa Cruz do Sul, 17(1):22-26, jan./mar. 2016 ISSN: 2177-4005 Páginas 03 de 05
não para fins de citação
EFEITOS DO MÉTODO PILATES NA MOBILIDADE DA COLUNA VERTEBRAL E NA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS: ESTUDO DE CASO
Josiane Teresinha Bertoldi, Raquel Aparecida Winter, Sabrina Pscheidt Fialho.

de 45 minutos. Participaram da pesquisa 5 mulheres, melhora na mobilidade dos segmentos da coluna lom-
com média de idade de 56,1 anos. Após o tratamento, bossacra e tóraco-lombar de idosos, porém com pouco
verificou-se um aumento significativo da flexibilidade reflexo sobre a qualidade de vida de pessoas indepen-
dos isquiotibiais e melhora significativa nos aspectos de dentes, uma vez que a falta de mobilidade anterior não
capacidade funcional. Neste estudo, foi possível obser- interferia no cotidiano.
var que através de exercícios de alongamento para toda Os resultados sugerem que o método Pilates pode
cadeia posterior, inclusive isquiotibiais, houve aumento ser utilizado como estratégia para obter ganho de fle-
da mobilidade da coluna lombossacra e tóraco-lombar. xibilidade e consequentemente melhora de capacidade
Kolyniak et al.3 realizaram um estudo com 20 funcional e qualidade de vida em idosos com limitações,
pessoas que completaram 25 sessões, durante 12 salientando a necessidade de continuidade desta pes-
semanas e verificaram que o método Pilates atenua o quisa, com uma amostra maior.
desequilíbrio entre a função dos músculos envolvidos
na extensão e flexão do tronco, favorecendo a esta-
bilização lombo-pélvica e a mobilidade do tronco.³ Os REFERÊNCIAS
exercícios praticados na presente pesquisa abordavam
1. Okuma, SS. O idoso e a atividade física. 4ª ed. São Paulo:
o fortalecimento da musculatura abdominal e paraver-
Papirus; 1998. 62 p.
tebral, corroborando com os autores ao demonstrar que
2. Kisner C, Colby LA. Exercícios terapêuticos: fundamentos e
o método Pilates é capaz de incrementar a flexibilidade
técnicas. São Paulo: Manole; 2005. 2 p.
e mobilidade do tronco, conforme os testes executados.
3. Kolyniak IEGG, Cavalcanti SMB, Aoki MS. Avaliação
Para Freitas et al.19 a prática do Método Pilates,
isocinética da musculatura envolvida na flexão e extensão
por um tempo superior a seis meses, retarda signifi-
do tronco: efeito do método pilates. Rev Bras Med Esporte
cativamente a perda da flexibilidade que ocorre com o
2004;10(6):487-490.
decorrer da idade. Cabe ressaltar que nesta pesquisa, a
4. Simon RR, Sherman SC. Emergências Ortopédicas. 6ª ed.
melhora foi observada com pouco mais de um mês de
São Paulo: AMGH. 2013. 122 p.
prática, demonstrando que o método é eficaz também
5. Jesus GT, Marinho ISF. Causas da lombalgia em grupos
em curto espaço de tempo.
de pessoas secundárias e praticantes de atividades físicas.
O estudo, envolvendo 52 idosas saudáveis, dividi-
Efdeportes 2006;10(92).
das em grupo controle (n=25) e grupo Pilates (n=27)
6. Dantas EHM, Pereira SAM, Aragão JC, Ota AH. A
submetidas a sessões de Pilates concluiu que a prática
preponderância da diminuição da mobilidade articular
de Pilates promove ganhos no desempenho funcional de
ou da elasticidade muscular na perda da flexibilidade
mulheres idosas.20 No presente estudo, as atividades de
no envelhecimento. Fitness & Performance Journal
vida diária foram investigadas no idoso sem alterações,
2002;1(3):12-20.
uma vez que o paciente já era independente pré-tratamen-
7. Bertolla F, Manfredini BB, Leal ECPJ, Oltramari JD. Efeito
to, e mantendo-se nesta condição após o tratamento.
de um programa de treinamento utilizando o método pilates
Os principais fatores que afetam a qualidade de
na flexibilidade de atletas juvenis de futsal. Rev Bras Med
vida nos idosos são: alterações cognitivas, depressão,
Esporte 2007;13(4):222-27.
aumento ou diminuição excessivo da massa corpórea,
8. Victor C, Scambler S, Bond J, Bowling A. Being alone in
baixa frequência de contatos sociais, baixo nível de
later life: loneliness, social isolation and living alone. Rev Clin
atividade física, percepção de saúde deficiente, taba-
Geronto 2000;10(4):407-17.
gismo e distúrbios visuais.21 Reis et al.9 realizaram uma
9. Reis LA, Mascarenhas CHM, Lyra JE. Avaliação da qualidade
pesquisa para avaliar a qualidade de vida em 30 idosos
de vida em idosos praticantes e não praticantes do método
acima de 60 anos, 15 praticantes e 15 não praticantes
pilates. C&D-Revista Eletrônica da Fainor 2011;4(1):38-51.
do método Pilates, foram avaliados através do ques-
10. Benatti AT. Equilíbrio tóraco-abdominal: ação integrada à
tionário WHOQOL-Bref, em que constatou-se maiores
respiração e a postura. Arquivos de Ciência da Saúde da
médias nas facetas de qualidade de vida dos idosos
Unipar 2001;5(1):87-92.
praticantes do método.
11. Sacco ICN, Andrade MS, Souza PS, Nisiyama M, Cantuária
A prática do método Pilates por mais de três me-
AL, Maeda FYI, Pikel M. Método pilates em revista:
ses, promove um aumento da QV em indivíduos com
aspectos biomecânicos de movimentos específicos para
faixa etária entre 40 e 60 anos22,23 e o comprimento
reestruturação postural – Estudos de caso. R Bras Ci e Mov
dos músculos e sua capacidade de extensibilidade são
2005;13(4):65-78.
fatores importantes para a qualidade da flexibilidade do
12. Pilates JH. A obra completa de Joseph Pilates. Sua saúde e o
indivíduo11. Apesar dos ganhos significativos em rela-
retorno a vida pela contrologia. São Paulo: Phorte. 2010. 8 p.
ção à flexibilidade da coluna, a percepção de melhora
13. Schossler A, Valente TA, Bittencourt DC, Strassburger MJ.
da qualidade de vida do paciente foi discreta, variando
Efeitos dos exercícios do método pilates em paciente com dor
somente em algumas dimensões do WHOQOL-Bref,
lombar crônica. Rev Contexto & Saúde 2009;8(16):37-41.
que pode ser justificada devido ao bom condicionamento
14. Costa VPM, Gaspar JC, Ficher A, Barros EAJ, Selistre LFA.
geral do paciente no início da avaliação e a pontuação
Análise comparativa do desempenho funcional e flexibilidade
pré-tratamento que já estava próxima do escore máximo.
entre categorias sub-18 e livre de atletas do futsal do
município de Batatais – SP. R. Saúde 2012;1(1):43-57.
15. Katz S, Ford AB, Moskowitz RW, Jackson BA, Jaffe MW.
CONSIDERAÇÕES FINAIS Studies of illness in the aged. The index of ADL: a standardized
Por fim, conclui-se que o método Pilates, através measure of biological and psychosocial function. JAMA
de exercícios selecionados, é eficiente para promover a 1963;185(12):914-9.

Cinergis, Santa Cruz do Sul, 17(1):22-26, jan./mar. 2016 ISSN: 2177-4005 Páginas 04 de 05
não para fins de citação
EFEITOS DO MÉTODO PILATES NA MOBILIDADE DA COLUNA VERTEBRAL E NA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS: ESTUDO DE CASO
Josiane Teresinha Bertoldi, Raquel Aparecida Winter, Sabrina Pscheidt Fialho.

16. Kluthcovsky ACGC, Kluthcovsky FAO. WHOQOL-bref, um 20. Rodrigues BGS, Samaria Ali Cader SA, Torres NVOB, Oliveira,
instrumento para avaliar qualidade de vida: uma revisão EM, Dantas EHMD. Autonomia funcional de idosas praticantes
sistemática. Rev Psiquiatr 2009;31(3). de pilates. Fisioterapia e Pesquisa 2005;17(4):300-5
17. Siler B. O corpo pilates: um guia para o fortalecimento, 21. Kalache A, Veras RP, Ramos LR. O envelhecimento da
alongamento e tonificação sem o uso de máquinas. São população mundial: um desafio novo. Rev. Saúde Pública.
Paulo: Summus; 2008. 41 p. 1987 Jun; 21(3).
18. Miranda LB, Morais PD. Efeitos do método pilates sobre a 22. Rodrigues TS, Oliveira JQ, Matos LKBL. Efeitos do método
composição corporal e flexibilidade. Rev Bras Presc Fisiolog pilates na lombalgia. MTP & Rehab Journal 2014;12:609-629.
do Exercício 2009;3(13):16-21. 23. Simas AR, Kessler CC, Santos PP. Percepção da qualidade de
19. Freitas DS, Lima DLF, Braid LMC, Franchi KMB, Pinheiro vida de adultos praticantes do método pilates em um estúdio
MHNP. Avaliação da flexibilidade do grupo muscular em Florianópolis/SC. Rev. Bras. De Prescrição e Fisiologia do
isquiotibial entre indivíduos praticantes do método pilates. Exercício 2010;4(22):363-369.
Coleção e Pesquisa em Educação Física 2007;6(2).

Como citar: BERTOLDI, Josiane Teresinha, WINTER, Raquel Aparecida, FIALHO, Sabrina Pscheidt. Efeitos do método pilates
na mobilidade da coluna vertebral na qualidade de vida de idosos: estudo de caso. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 17, n. 1,
mar. 2016. ISSN 2177-4005. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/6760>. Acesso
em: . doi:http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v17i1.6760.

Cinergis, Santa Cruz do Sul, 17(1):22-26, jan./mar. 2016 ISSN: 2177-4005 Páginas 05 de 05
não para fins de citação