Вы находитесь на странице: 1из 3

INFORME PSICOPEDAGÓGICO (DIAGNÓSTICO)

I) Dados de identificação
Nome: M.
Idade: 08 anos
Sexo: Masculino
Escolaridade: 2º ano do Ensino Fundamental
Data da avaliação: ----/11/2009 a ----/01/2010

II) Motivo da Procura


M. não está conseguindo se alfabetizar e tem dificuldades em juntar as letras
para formar as sílabas e as palavras. É dispersivo e apresenta baixa auto-estima.

III) Instrumentos utilizados


Técnicas e estratégias utilizadas:
 Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem,
 Provas Pedagógicas,
 Provas Piagetianas,
 Provas Projetivas Psicopedagógicas,
 Anamnese.

IV) Imagem do sujeito


M. tem 08 anos e frequenta o segundo ano do ensino fundamental, tendo sido
retido no primeiro ano por apresentar dificuldades de aprendizagem no ano de 2009.
Foi aprovado para o segundo ano em 2010.
A dificuldade de aprendizagem foi percebida no início de sua alfabetização.
Essa dificuldade foi mais pontual no processo de aprendizagem da leitura e da
escrita e pode estar associado a essa dificuldade o fato do cliente até os 5 anos falar
como Bebê e de não ter frequentado a Educação Infantil.
Nas provas piagetianas, M. deveria estar no nível operatório de
desenvolvimento cognitivo e não no nível pré-operatório. No nível operatório, o
pensamento da criança torna-se reversível podendo realizar a operação inversa no
pensamento.
Durante as provas projetivas psicopedagógicas, M. demonstrou uma
dependência extrema da mãe gerando sentimentos de insegurança e inferioridade,
como também déficits em habilidades sociais e problemas emocionais ou de
comportamento talvez pela perda auditiva de 25% em um dos ouvidos.
Sua auto – estima no momento se encontra bastante rebaixada, pois sente
que não é capaz de produzir o que lhe é solicitado, preferindo atividades lúdicas no
lugar de atividades pedagógicas.
No que se refere à família foi possível observar bom vínculo com a mãe.

V) Síntese dos resultados – hipótese diagnóstica:


Trata-se de uma criança com dificuldades de aprendizagem que podem estar
aliadas aos transtornos de saúde que ocorreram numa fase de grande importância
para o seu desenvolvimento cognitivo e emocional, portanto, os obstáculos
funcionais orgânicos, aliados a fatores emocionais, interferem diretamente em seu
desempenho escolar.
A dificuldade de M. pode estar relacionada aos problemas de processamento
auditivo - incapacidade de processar informação verbal. As crianças com este
diagnóstico pode compreender informações ou instruções dadas por meio da palavra
falada em uma conversa um - a -um, mas tem extrema dificuldade de receber
informações auditivamente em grupo. Os estudantes podem parecer não estar
prestando atenção na aula, ou pode confundir instruções com várias etapas.

VI) Prognóstico
Na criança com deficiência auditiva podem ser encontradas dificuldades
durante o processo de aquisição da linguagem oral e escrita, dado seu déficit
sensorial, o que a torna uma criança de risco para a aquisição e desenvolvimento da
linguagem escrita e, por conseguinte, do conteúdo da aprendizagem escolar em
geral.
Apoiando-se na oralidade e/ou gestos para escrever, a criança com
deficiência auditiva necessita de constante reforço analítico e de grande variedade
de recursos para impulsionar a construção de sua linguagem escrita, em um

2
momento em que ainda passa pela construção e aprimoramento de sua linguagem
oral.
O trabalho pedagógico dentro da equipe interdisciplinar de reabilitação é um
importante facilitador para o acesso otimizado à linguagem escrita pela criança.

VII) Indicações:
- Atendimento Psicológico familiar,
- Atendimento Psicopedagógico,
- Avaliação neurológica.