Вы находитесь на странице: 1из 55

INTRODUÇÃO

ELEMENTOS DE AUTOMAÇÃO

Instrutora: Engª Milene O. de Sousa

Campina Grande, 02 de Janeiro de 2018


Elementos de Automação

Objetivo

• Definir os conceitos básicos de automação industrial e fornecer uma visão geral dos
seus principais elementos, que serão aprofundados ao longo da disciplina.

Figura 1. Processo Industrial Automatizado

2
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• O que é automação?

• Quando programamos um micro-ondas para cinco minutos e pressionamos o


botão de início, esperamos que, passado esse tempo, ele se desligue sozinho.

• Esse processo é automático, ou seja, acontece sem a intervenção humana.

3
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• O que é automação?

• Quando entramos em um elevador e selecionamos o andar desejado no painel,


presumimos que ele pare automaticamente naquele andar.

• A temperatura interna de uma geladeira é mantida relativamente constante por


um sistema de controle automático, que liga ou desliga o compressor, conforme
necessário.

4
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• O que é automação?

• Um controle automático é aquele em que o próprio dispositivo é capaz de


perceber mudanças que afetam o sistema, decidir sobre a necessidade de
realizar alguma ação corretiva e atuar sobre o sistema, sem intervenção humana.

• Quando falamos de automação, estamos nos referindo ao processo de instalar


controles automáticos em um equipamento, uma máquina ou um processo.

5
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Onde a automação pode ser aplicada?

• Todas as áreas das atividades humanas.

• Não se pode pensar a vida sem algumas facilidades e alguns confortos que ela
proporciona.

• Terminais de autoatendimento bancário, lojas comerciais, restaurantes,


residências, controle de semáforos, shopping centers, indústria dos mais variados
segmentos, veículos, aparelhos domésticos, etc.

6
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Onde a automação pode ser aplicada?

• A evolução da tecnologia tem contribuído muito para o desenvolvimento das


ciências.

• Na medicina:

• Desenvolvimento de aparelhos e equipamentos que produzem imagens


radiológicas bastante precisas e exatas, as quais auxiliam no processo de
diagnóstico.

• Procedimentos cirúrgicos, como a cirurgia a laser para correção da miopia,


só são possíveis atualmente em virtude da existência de equipamentos com
extrema precisão.

• A tecnologia da automação está fortemente presente no transporte, na


logística e no ensino, entre outras áreas.

7
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Onde a automação pode ser aplicada?

• Dependendo de onde é aplicada, surgem temos como:

• Automação Industrial

• Automação residencial

• Automação Comercial

• Automação bancária

8
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Automação Residencial

• A maioria das aplicações tem por objetivo a melhoria no conforto e na segurança


das residências e condomínios:

• Acendimento automático de luzes;

• Porteiro eletrônico;

• Portão automático;

• Controle de acesso por meio de biometria;

• Circuitos de monitoramento de temperatura de ambiente.

9
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

10
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

11
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Automação Comercial

• É o ramo da automação que visa controlar, gerenciar e otimizar comerciais


típicos, como: faturamento, controle de estoques, contas a pagar e receber, folha
de pagamentos, identificação de mercadorias por código de barras ou por
radiofrequência (RFID) etc.

• Seu uso visa aumentar a eficiência do trabalho dos funcionárias, bem como
atender à demanda dos clientes que certamente preferem fazer suas compras
com conforto e rapidez.

• Dentre outros benefícios, podemos citar a diminuição de erros no cálculo e na


digitação de preços, informações gerenciais mais precisas, disponibilização de
serviços por meio eletrônico, especialmente tecnologias relacionadas à internet.

12
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Automação Industrial

• Surgiu como primeiro elemento facilitador em larga escala, a fim de viabilizar que
os produtos tivessem as mesmas características, independentemente da
quantidade e do tempo de produção.

• Por exemplo, ao compramos um pacote de batata industrializada de certa marca,


esperamos que o sabor, o aroma, a quantidade, etc. sejam relativamente
constantes, independentemente de onde e quando esse produto tenha sido
adquirido.

• Isso só é possível se existir algo no processo de fabricação capaz de garantir


uniformidade nos produtos fabricados.

• Deve haver algum tipo de controle de qualidade que assegure isso.

• Esse controle pode ser feito por humanos ou máquinas, ou ainda, pela
combinação dos dois.
13
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Automação Industrial

• Algumas tarefas são mais bem executadas por humanos, especialmente as que
exijam criatividade, senso crítico e tomada de decisões, sobretudo quando essas
decisões deva ser tomadas com base em informações incompletas ou incertas.

• Já outras são mais bem desempenhadas por máquinas, que é normalmente o


caso das operações que possam compreender a saúde do trabalhador, como as
executadas em locais insalubres ou perigosos, ou quando são necessários
procedimentos repetitivos com alta velocidade, precisão e exatidão.

14
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Automação Industrial

• Com a evolução da tecnologia, cada vez mais as máquinas são utilizadas em


tarefas nas quais não se exijam talentos típicos dos humanos.

• Tarefas repetitivas e monótonas são muito mais bem executadas por máquinas,
que normalmente fazem esse trabalho de forma mais rápida e precisa e, ainda,
sem se cansarem ou se entediarem com o passar do tempo, o que garante uma
produtividade relativamente constante.

15
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

• Automação Industrial

• Quando uma indústria se decide por um processo de fabricação automatizado,


pode ter vários objetivos, como:

• Aumentar a eficiência e maximizar o volume produzido com o menor


consumo de energia ou matéria-prima;

• Ter menor emissão de resíduos poluentes no meio ambiente;

• Apresentar melhores condições de segurança para o processo ou as pessoas


envolvidas;

• Reduzir a dependência da intervenção humana nesse processo ou na


máquina.

16
Elementos de Automação

Introdução
Conceito

17
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial

• Como podem ser classificados os sistemas de automação?

• Com base na flexibilidade e no nível de integração das operações do processo de


fabricação.

• O limite entre essas operações não é claramente delimitado, de forma que há


alguma sobreposição. Mas a maioria dos sistemas de automação pode ser
classificada em uma das seguintes formas a seguir;

18
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Fixa

• Conhecida como automação rígida e cabeada.

• Os primeiros sistemas de automação eram construídos especificamente para um


determinado propósito.

• A lógica de funcionamento do sistema era implementada utilizando-se uma


composição de componentes eletromecânicos, como relés e contatores.

• O fundamento então era feito por meio da conexão de fios e cabos, também
conhecida como hardwired.

• Fica evidente que, depois que o sistema estivesse construído, qualquer alteração
na lógica envolveria refazer conexões, um processo demorado, custoso e
complexo – características não desejáveis na indústria.

19
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Fixa

• A automação fixa é adequada quando se deseja continuamente uma grande


quantidade de um único tipo de produto.

• A vantagem é que o investimento nesse tipo de automação é menor que nos demais,
por ser mais simples. No entanto, por produzir um produto específico, há a
desvantagem de poder tornar-se obsoleto, caso o ciclo de vida do produto chegue ao
fim, o que exigiria mudanças de projeto ou modelo.

• Esse tipo de automação (fixa) é bastante utilizada em processo de destilação,


transportadoras, oficinas de pintura, linhas de transferência, etc.

20
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Programável

• É utilizada para fabricar produtos personalizados.

• Uma montadora automobilística por exemplo, pode utilizar esse tipo de automação
para produzir um mesmo carro em diversas cores, diferentes tipos de revestimento de
bancos, acessórios e assim por diante.

• O produto é um só, mas pode ser gerado com variações.

21
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Programável

• A linha de produção é projetada a fim de ser adaptável às diferentes características e


configurações dos produtos a serem fabricados.

• Essa adaptabilidade é conseguida mediante a utilização de um equipamento que seja


capaz de armazenar toda a lógica de funcionamento necessária, incluindo a sequência
de acionamentos, e que possa ligar e desligar dispositivos automaticamente.

• Os CLPs são os principais equipamentos utilizados nesse tipo de automação.

• É possível a fabricação de uma variedade de produtos com características diferentes,


segundo um programa de instruções previamente introduzido.

22
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Programável

• Nesse tipo de automação pode ser necessário um esforço de programação não trivial,
no intuito de reprogramar a máquina ou a sequência de operações.

• O investimento nesse tipo de automação se justifica quando o processo de produção


pode ser alterado com alguma frequência.

• A automação programável é normalmente utilizada em processo descontínuo, no qual


a variedade de trabalho é baixa e o volume do produto é de médio a alto.

• A automação programável é o tipo de automação mais comum na maioria das


industrias.

23
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Flexível

• É uma solução de compromisso entre a automação fixa e a programável, ou seja,


possui algumas características de ambas.

• No caso da indústria automobilística, por exemplo, mesma linha de produção pode


ser utilizada para fabricar diferentes modelos de veículos.

• Uma característica importante desse tipo de automação é que o tempo entre a troca
de produção de um tipo de produto para outro deve ser pequeno.

• Ou seja, não deve perder muito tempo nessa operação. Portanto, essa é a
característica que a diferencia da automação programável.

24
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Flexível

• Esse tipo de automação é usada em sistemas flexíveis de manufatura, os quais são


sempre controlados por um sistema computadorizado.

• A sequencia de operações e os demais procedimentos necessários devem ser


programados, utilizando-se uma linguagem adequada.

• Cada máquina da produção recebe configurações e instruções do computador, que


automaticamente carrega ou descarrega as ferramentas necessárias e realiza as
instruções de processamento.

• Após o processamento, os produtos são automaticamente transferidos para a próxima


máquina.

25
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Flexível

• A automação flexível normalmente é utilizada em uma produção, na qual há uma


grande variedade de produto e o volume de trabalho é de médio a baixo.

• Em razão das características de programação e adaptabilidade, vários produtos


diferentes podem ser fabricados, mesmo em pequenos lotes e, até mesmo, uma única
peça ou produto.

26
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Flexível

27
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Integrada

• É a automação completa de uma fábrica, com todos os processos funcionando sob o


controle de um sistema de informação, que integra as diferentes áreas.

• Pode incluir tecnologias, como Computer Aided Design (CAD), Planejamento e


Controla da Produção (PCP), Manufatura Intergrada por Computador (CIM), máquinas
de controle numérico e sistemas de movimentação de materiais automatizados, como
robôs e guindastes transportadores.

• Em outras palavras, simboliza a integração total de processos e gestão de operações


com tecnologias de informação.

28
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Integrada

• A automação flexível é indicada nas seguintes situações:

• Variabilidade significativa no tipo de produto. Uma mesma linha de produção é


utilizada para fabricar produtos que podem ser formados pela combinação de
diferentes partes (produção personalizada)

• O ciclo de vida do produto é curto, o que exige atualizações frequentes do


modelo, mudando suas características.

• Os volumes de produção são moderados e a demanda não é totalmente


previsível.

29
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Integrada - CIM

• A automação integrada também é conhecida por manufatura integrada por


computador ou CIM (Computer Integrated Manufacturing).

• É a integração da área de produção com as demais áreas da fábrica.

• Trata-se praticamente de uma necessidade das empresas hoje, já que o processo de


decisão é menos sujeito a erros quanto mais informações se tem sobre um assunto.

• Alguns termos aparecem quando se fala de controle integrado de manufatura; CAD,


CAM, CAE e CNC.

30
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Integrada - CAD

• Desenho auxiliado por computador ou CAD (Computer Aided Design) é a designação


genérica dos softwares por diferentes áreas, como engenharia e arquitetura, a fim de
facilitar o desenho técnico dos projetos.

• O termo design pode também ser traduzido como “projeto”.

• Embora existam alguns softwares que realmente auxiliem a fazer o projeto, a maioria
se limita a auxiliar na confecção do desenho ou diagrama, ficando o projeto por conta
do operador.

• Podemos utilizar essa categoria de softwares, por exemplo, para fazer o desenho
esquemático de um circuito, bem como o projeto do layout da sua placa de circuito
impresso.

31
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Integrada - CAD

32
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Automação Integrada - CAE

• Engenharia Auxiliada por Computador ou CAE, são softwares que fazem cálculos
especializados de engenharia.

• São utilizados para análise e simulação de materiais ou processos.

• Por exemplo, possui grande aplicabilidade na engenharia mecânica (e mecatrônica) no


uso para análise estrutural de elementos de máquinas, com utilizado do Método por
Elementos Finitos (MEF).

• Incluem a análise de escoamento de fluidos, a simulação de esforços em estruturas


mecânicas, etc.

33
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Dirigir uma organização, nos dias atuais, é um grande desafio.

• A quantidade de dados e informações gerados nas diversas áreas ao longo do


processo produtivo é muito extensa.

• Tomas decisões a partir dessa enorme quantidade de dados sem o auxílio de


ferramentas da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é praticamente
impossível.

• Assim as empresas normalmente estruturam seus sistemas de forma que possam


obter informações úteis de todas as áreas.

34
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Embora cada empresa seja única em suas características, algumas boas práticas
estabelecem um conjunto mínimo essencial para todas elas.

• Um termo bastante difundido na literatura é a “pirâmide de automação”.

• Trata-se de uma abstração cujo objetivo é facilitar o entendimento do papel


desempenhado por cada nível de atividade interna.

• É comum usar o conceito de camada, ou seja, dividem-se logicamente as operações


típicas de um ambiente automatizado de acordo com o papel principal de cada uma.

• A pirâmide de automação pode ser dividida de quatro a cinco níveis a depender do


tipo de autor e da estrutura organizacional de cada empresa.

35
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• O primeiro nível consiste em orquestrar os elementos constituintes do processo e


tornar as ações necessárias para o seu bom funcionamento.

• O segundo nível é o de controle e supervisão. Modernamente os controladores


trabalham com um sistema de aquisição de dados e de supervisão.

• Nesse nível encontramos elementos como o Controlador Lógico Programável


(CLP) e os sistemas SCADA.

• O CLP é um equipamento eletrônico, que utiliza internamente


microprocessadores, a fim de executar uma programação especialmente
desenvolvida para cada caso.

36
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Os sistemas SCADA – Controle Supervisório e Aquisição de Dados, é um aplicativo


computacional dedicado, o qual permite que dispositivos, equipamentos e máquinas
sejam controlados e monitorados a distância.

• Tais sistemas possuem recursos que possibilitam reproduzir, na tela gráfica do


computador, a situação dos equipamentos e dos instrumentos espalhados pela planta
em determinado instante.

• Pode-se, por exemplo, identificar se um motor está ligado ou desligado, observando-


se a mudança de cor do ícone gráfico correspondente a ele.

• Esse mesmo motor também pode ser ligado e desligado por meio de um botão virtual
existente na tela do supervisório.

37
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Na terceira camada, temos os sistemas PIMS e MES.

• Os sistemas MES – Sistemas de Execução da Manufatura, têm com principal


finalidade gerenciar as diversas fontes de informações de produção e centraliza-
las em um único sistema.

• O principal papel do sistema MES é o de transformar dados de processo em


informações mais valiosas, as quais serão utilizadas pelos gestores do sistema
para decisões e direcionamentos.

38
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Na terceira camada, temos os sistemas PIMS e MES.

• PIMS é a abreviação de Sistemas de Gerenciamento de Informações do Processo.

• Sua finalidade é registrar e classificar os dados coletados de toda a planta


industrial.

• É uma ferramenta poderosa para os administradores do processo, porque


possibilita gerar uma visão global de toda a planta industrial.

• Normalmente possui ferramentas que permitem analisar os dados a partir de


múltiplas visões. Por exemplo, podem ser gerados diversos tipos de gráficos,
tabelas, agrupamento de dados de forma flexível, etc.

39
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• No quarto nível e o mais alto da organização, encontramos normalmente os sistemas


ERP, abreviação de Planejamento dos Recursos da Empresa.

• Normalmente são interligados nesse sistema os seguintes departamentos:


contabilidade, financeiro, RH, produção e vendas, entre outros.

• É uma poderosa ferramenta utilizada pelos dirigentes da empresa na hora de tomar


decisões, porque possibilita uma visão global dela.

• Dessa forma, os sistemas de produção passaram a ser integrados aos ERPs, porque,
para se planejarem vendas, compras, estoques de matérias-primas, logística, etc., é
desejável que as informações da produção provenham diretamente dos sistemas
industriais.

40
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Vantagens e desvantagens da automação:

• As principais vantagens;

• Substituir o trabalhador humano em tarefas tediosas;

• Evitar que pessoas arrisquem a saúde ou a vida em ambientes perigosos,


como usinas nucleares, trabalhos sobre a água em grande profundidade,
fornos de fundição, etc.

• Manipular cargas muito pesadas e/ou de grandes dimensões e


excessivamente quentes ou frias, as quais poderiam pôr em risco a
integridade física de trabalhadores.

• Realizar tarefas com muito maior velocidade que um humano seria capaz.

• Desenvolvimento econômico por meio de maior produtividade e eficiência.

41
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Arquitetura da Automação Industrial

• Desvantagens:

• Alto custo inicial da implantação;

• Limite tecnológico – a tecnologia ainda não permite que todas as tarefas sejam
automatizadas.

42
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

43
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

• O grande avanço da automação industrial levanta questões sociais, entre elas o


impacto sobre o emprego.

• A primeira vista, pode parecer que a automação desvaloriza o trabalhador, porque o


substitui por máquinas mais baratas.

• No entanto, o efeito global da automação no mercado de trabalho ainda não está


totalmente compreendido.

44
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

• Historicamente, essa preocupação remonta o início da Revolução Industrial.

• No início de 1800, surgiu um movimento social na Inglaterra, realizado por


operadores de máquinas têxteis, os quais protestavam contra as tecelagens que
estavam automatizando suas máquinas de tear.

• Eles chegaram a destruir várias máquinas têxteis porque sentiam que elas ameaçavam
seus empregos. De fato, quando a automação foi introduzida, houve um medo
generalizado.

• Pensou-se que a substituição dos operadores humanos por sistemas automatizados


levaria a uma situação de grave desemprego.

45
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

• Ainda hoje o tema é bastante polêmico. Basta surgir uma pequena crise econômica
para que ele volte à discussão.

• Durante a década de 1980, por exemplo, esse tema foi muito debatido.

• Nessa época o mundo enfrentou uma recessão, que levou a uma onda de
desemprego.

• Os críticos da automação afirmavam que o aumento da automação industrial era a


causa do crescimento do desemprego.

• Por outro lado, os defensores da automação afirmavam o contrário, ou seja, que o


nível de empreso havia ampliado em virtude da automação e que isso tinha
acontecido de forma invisível nos últimos anos.

46
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

• Os argumentos dos defensores da automação era que os postos de trabalho em que


ocorreram substituição de trabalhadores humanos por máquinas, nos EUA, foi
compensado por um aumento maciço de empregos em áreas como a tecnologia da
informação nesse mesmo período.

• Alguns autores defendem que a automação gera a transformação de empregos.

• Ou seja, o datilógrafo passa a ser digitador, o condutor de carroças passa a ser


motorista de veículos motorizados e assim por diante.

47
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

• Outros defendem que os empregos só estarão disponíveis para quem tiver alguma
formação especial que o qualifique para o trabalho.

• A premissa é que os trabalhadores menos qualificados são substituídos por outros


mais qualificados.

• Assim, os profissionais com maior nível de escolaridade teriam vantagem ao ocupar


os postos de trabalho.

• O aumento da qualificação gera a oportunidade de melhores cargos e salários.

• Mas, isso não significa que só existam empregos aos profissionais com maior nível de
escolaridade. Na maioria das nações que possuem uma indústria desenvolvida em
automação existem vagas tanto para os postos de trabalho mais qualificados quanto
para os menos qualificados.

• Chegou a faltar mão de obra não qualificada.

48
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


A automação gera desemprego?

• Inegavelmente a automação gerou mais conforto e comodidade para a maioria de


nós, por meio do terminal de autoatendimento bancário, do pagamento de contas
pela internet, de equipamentos domésticos, de carros, etc.

• Tudo parece indicar que o nível de emprego está muito mais relacionado às condições
macroeconômicas do que ao nível de automação.

• Se as pessoas aumentam sua renda, podem comprar mais e pensam em consumir os


mais diferentes produtos e serviços.

• A fim de atender a essa demanda, as empresas precisam produzir mais e contratar


mais, levando a um circulo virtuoso.

• O fato concreto é que a automação cresce muito mais rapidamente que a população..

• Se a automação fosse a maior causa de desemprego, certamente pouca gente estaria


trabalhando nos dias atuais.

49
Elementos de Automação

Classificação da Automação Industrial


Vamos recapitular?

• Vimos que os sistemas de controle automático fazem parte do nosso dia a dia, já que
a automação está presente em praticamente todas as atividades humanas.

• Aprendemos os tipos de automação rápida, programável, flexível e integrada, sendo


cada uma delas mais adequada para uma determinada aplicação.

• Vimos que a arquitetura dos sistemas de automação pode ser classificada em várias
camadas, sendo a mais baixa o chão de fábrica e a mais alta do sistema integrado de
gestão da empresa.

• Além disso, discutimos as vantagens e as desvantagens da automação, bem como sua


relação com o nível de emprego.

50
Elementos de Automação

Exercícios de Fixação

• 1) Cite dois exemplos de controle automático e justifique por que eles são
automáticos.

• 2) O que é automação?

• 3) A automação permite substituir o trabalho humano por:

• A) Animais;
• B) Escravos
• C) Energia
• D) Máquinas

• 4) Uma das razões que levam as empresas a automatizarem seus processos é:

• A) Reduzir a produtividade;
• B) Aumentar os custos de produção;
• C) Reduzir a qualidade;
• D) Aumentar a eficiência.
51
Elementos de Automação

Exercícios de Fixação

• 5) Durante uma visita técnica a uma indústria, como você pode identificar o tipo de
automação que prevalece nela?

• 6) Para que tipo de fábrica você recomendaria a produção integrada por computador
e por que?

• 7) Que tipo de automação você recomendaria para a fabricação:

• A) de lâmpadas;
• B) de vestuário;
• C) de malharia;
• D) de cimento;
• E) gráfica;
• F) de remédios;
• G) de brinquedos.

52
Elementos de Automação

Exercícios de Fixação

• 8) A principal característica de um sistema de automação rígida é:

• A) Alterar sua lógica de funcionamento é muito fácil e rápido.


• B) É versátil, porque permite que as alterações sejam feitas via software.
• C) É produzido para um propósito específico e não pode ser alterado pelo
fabricante.

• 9) Os CLPs são dispositivos eletrônicos que:

• A) São os mais utilizados para a automação rígida.


• B) São os mais utilizados para a automação programável.
• C) Só podem ser utilizados em indústrias multinacionais de grande porte.

53
Elementos de Automação

Exercícios de Fixação

• 10) Pode-se alterar a sequência lógica de operações executadas pelos CLPs,


modificando-se:

• A) Fisicamente seus circuitos eletrônicos;


• B) As conexões dos dispositivos ligados a ele;
• C) Seus software.

• 11) Qual a sua opinião sobre os efeitos da automação sobre o nível de emprego?

54
Obrigado pela atenção!
Contato: mileneosousa@gmail.com

ELEMENTOS DE AUTOMAÇÃO