Вы находитесь на странице: 1из 15

Universidade Anhanguera-Uniderp

Rede de Ensino Luiz Flávio Gomes – REDE LFG


Instituto Panamericano de Política Criminal - IPAN

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu TeleVirtual em


Ciências Penais

Disciplina

Política Criminal
Aula 1
ROTEIRO DE AULA – Prof.ª ALICE BIANCHINI

Slide
1
A funç
função da moderna Polí
Política criminal.

As relaç
relações entre Polí
Política criminal,
Criminologia e Ciências penais.

Professora Alice Bianchini


Doutora em Direito Penal pela PUC/SP

Slide
2
Slide
3

FENÔMENO
CRIMINAL

Slide
1º Apontamento
4
Ciência integrada do Direito Penal:
conjunta
integral

Slide
5

Slide
6
Slide
7

Slide
8

Slide
9

Slide
10
Slide
11

Slide
12

2º Apontamento

Slide Estraté
Estratégias de Polí
Política
13 Criminal

Slide Lei seca


14
- redução de acidentes: 15,3% no estado de SP

- redução mortes: 8,8% no estado de SP


63% na capital de SP

- economia custos hospitalares: R$ 4,5 mi, em


30 dias, considerando-se os 30 hospitais
estaduais da região metropolitana de S. Paulo

Luiz Flávio Gomes. Lei seca: fiscalização e


menos mortes . ESP, 08.08.08, A2
Slide 2º Apontamento
15
A estratégia de Direito penal deverá levar em conta
crime e sua modalidade | criminoso | vítima

Ex.: Lesão corporal:


Estratégias diferentes conforme seja
- briga vizinhos

- violência doméstica

- briga em estádio (estatuto do torcedor)

- lesão no trânsito

- acidente de trabalho

Slide
3º Apontamento
16

Slide Papel do Direito Penal na Polí


Política Criminal
17

Slide Qual modelo mais recomendado ?


18
As informações devem ser retiradas da
criminologia
Objetos de estudo
» crime
» pessoa do infrator
» vítima
» controle social
Funç
Funções
» Explicar e prevenir o crime e intervir na
pessoa do infrator (García-Pablos)
Slide Qual modelo mais recomendado ?
19

Slide Posicionamento dos criminó


criminólogos
20
CONTROVÉRSIAS
Delito
» problema social
» conduta irregular ou desviada
» etiqueta, etc.

PONTO PACIFICADO
o Dp não é instrumento eficaz para resolver o
problema da criminalidade

Slide Política criminal no Brasil


21

Slide Política criminal no Brasil


22

2006
Slide
23

Slide Decisões do STF de cunho minimalista


24
Progressão de regime nos crimes hediondos
Penas substitutivas em crime de tráfico de
drogas
Arma desmuniciada
Princípio da insignificância
Princípio da proporcionalidade na receptação
qualificada
Princípio da legalidade e cola eletrônica
Aborto de feto anencéfalo

Slide Decisões do STF de cunho minimalista


25
Penas substitutivas em crime de tráfico de
drogas
HC 84.928 1ª T. Rel. Cezar Peluso
HC 85.894 2ª T. Rel. Gilmar Mendes
Estupro e atentado violento ao pudor na
modalidade simples
HC 81.288

Slide Polí
Políticas pú
públicas no Brasil
26

“... alongamento dos pontos de


contato das instituições públicas
com a sociedade civil e com a
produção acadêmica mais relevante
à área.”
Luis Antonio Francisco de Souza
Slide
27

Slide Funç
Funções do Direito penal
28
Função 1
Coibir condutas que ofendam ou exponham a
perigo, de forma
grave,
intolerável e
transcendental
bens jurídicos relevantes

- Princípio da exclusiva proteção do bj


- Princípio da ofensividade

Slide Princí
Princípio da exclusiva proteç
proteção de bj
29
Direito penal deve se restringir à tutela de
bens jurídicos, não estando, assim,
legitimado a atuar quando se trata da tutela
da moral, de funções estatais, de ideologia,
de dada concepção religiosa

Slide Juiz Edilson R. Rodrigues - Sete


30 Lagoas (MG)
"Esta ‘Lei Maria da Penha’ - como posta ou
editada - é de uma heresia manifesta. Herética
porque é anti-ética; herética porque fere a lógica
de Deus; herética porque é inconstitucional e,
por tudo isso, flagrantemente injusta.”
"Ora! A desgraça humana começou no Éden: por
causa da mulher - todos nós sabemos - mas
também em virtude da ingenuidade, da tolice e
da fragilidade emocional do homem".
"O mundo é masculino! A idéia que temos de
Deus é masculina! Jesus foi Homem!".
Slide Trá
Tráfico internacional de pessoas –
31 CP, art. 231
Redação atual Redaç
Redação anterior
Lei nº 12.015/09 Lei 11.106/05
Art. 231. Promover ou Promover, intermediar ou
facilitar a entrada, no facilitar a entrada, no
territó
território nacional, de território nacional, de
algué
alguém que nele venha a pessoa que venha exercer a
exercer a prostituiç
prostituição ou prostituição ou a saída de
outra forma de exploraç
exploração pessoa para exercê-la no
sexual,
sexual, ou a saí
saída de algué
alguém estrangeiro:
que vá
vá exercê-
exercê-la no Pena – reclusão, de 3 a 8
estrangeiro. anos, e multa.
Pena - reclusão, de 3 a 8
anos.

Slide Trá
Tráfico internacional de pessoas
32
Bem jurí
jurídico
moralidade pública sexual?
mais amplo: costumes ?

Slide Princí
Princípio da ofensividade
33
Ofensa

1) Dano
2) Perigo de dano

Slide Importância da identificaç


identificação do bem
34 jurí
jurídico
Porte ilegal de arma desmuniciada
Lei 10.826, art. 14 (uso permitido)
Pena - reclusão, de 2 a 4 anos, e multa

Bem jurídico
- paz social?
 poder de intimidação
- incolumidade pública?
 potencialidade lesiva
Slide Princí
Princípio da ofensividade
35
Bj paz pública

Houve ofensividade

Bj incolumidade pública

Não pode haver ofensividade
STF - ROHC 81.057-8 SP
Sepúlveda Pertence
Joaquim Barbosa
Cezar Peluso

Slide Funç
Funções do Direito penal
36
Questões

Em relação a qualquer ofensa?


Não, só aquelas graves, intoleráveis e
transcendentais

Ex.: aplicação princípio da insignificância

Slide Princí
Princípio da insignificância
37
HC 84.412 Celso de Mello

“- O princípio da insignificância - que deve ser


analisado em conexão com os postulados da
fragmentariedade e da intervenção mínima do
Estado em matéria penal - tem o sentido de
excluir ou de afastar a própria tipicidade penal,
penal
examinada na perspectiva de seu cará caráter
material.
material (...)

Slide Princí
Princípio da insignificância
38
HC 84.412 Celso de Mello
(...) - apoiou-se, em seu processo de formulação
teórica, no reconhecimento de que o caráter
subsidiário do sistema penal reclama e impõe, em
funç
função dos pró
próprios objetivos por ele visados,
visados a
intervenção mínima do Poder Público.”
“O direito penal não se deve ocupar de condutas
que produzam resultado, cujo desvalor - por não
importar em lesão significativa a bens jurídicos
relevantes - não represente, por isso mesmo,
prejuízo importante, seja ao titular do bem jurídico
tutelado, seja à integridade da própria ordem
social.”
Slide Merecimento de Tutela Penal
39 Crime

Slide Funç
Funções do Direito penal
40
FUNÇÃO 2
Proteger o indivíduo das reações sociais
que o crime desencadeia
⇢ norma eficaz (crença no Judiciário)
Sociedade brasileira & sensação de
impunidade
⇢ norma justa (respeito pelo Dp)
Entendimento generalizado de que o Dp
brasileiro é “fraco”

Slide Funç
Funções do Direito penal
41
FUNÇÃO 2
⇢ crença no Judiciário
Justiça falha: 19,1% (2°lugar como causa da
violência)
⇢ respeito pelo Dp
Leis brandas: 15%
(4°lugar como causa da violência)
1°lugar: pobreza e miséria
[os desempregados não são mais violentos
Alba Zaluar]
3°lugar: tráfico de drogas
OESP – 11 abr 07, p. C3
34,1% - causas vinculadas ao setor jurídico

Slide Pesquisa Datafolha 2007


42
A tropa de elite tem o apoio da população
- 54% dos brasileiros acham certo que a
policia espanque os presos para eles
confessarem os crimes
- 52% acham sempre errado a polícia matar
assaltantes e ladrões após prendê-los
A cabeça do brasileiro.
Alberto Carlos Almeida
Slide Pesquisa Datafolha 2007
43
 a violência passou a ser o maior problema
do país, na visão dos brasileiros, superando o
desemprego
FSP, 8 abr., p. A4

Slide Linchamentos
44
Consultar
MARTINS, José de Souza. As condições do
estudo sociológico dos linchamentos no
Brasil. Estud. av. [online]. 1995, vol.9, n.25,
pp. 295-310. ISSN 0103-4014. doi:
10.1590/S0103-40141995000300022.

Slide Moral das instituiç


instituições
45
Ranking Nacional de confianç
confiança
1º lugar: Forças Armadas
popular
2º lugar: Igreja Católica
3º lugar: Polícia Federal
4º lugar: MP
5º lugar: Imprensa
6º lugar: Poder Judiciário
Consultor Jurídico jun/08

Slide Populaç
População brasileira x pena de morte
46
Slide Medo e sociedade
47
 80% dos brasileiros acredita que a violência
está fora de controle – CNT/Sensus – julho 07
 Óbitos com morte violenta têm decrescido
desde 2002 – IBGE
 Morre-se mais em razão de acidente de
trânsito do que por conta de homicídio
 Homens morrem mais em razão de doenças
do aparelho circulatório (32%); homicídio: 8,3%;
acidente de trânsito (5,6%)

Slide Funç
Funções do Direito penal
48
FUNÇÃO 3
Proteger o indivíduo do poder do Estado
⇢ princípio da legalidade
⇢ princípio da proporcionalidade
⇢ princípio da igualdade, etc
GARANTISMO PENAL Ferrajoli

Slide Anuá
Anuário da Justiç
Justiça
49
1988 a 2007
3.994 leis tiveram a constitucionalidade
questionada

2007
128 normas questionadas
103 declaradas inconstitucionais
Consultor Jurídico Jun/08

Interpretação conforme a Constituição

Slide Anuá
Anuário da Justiç
Justiça 2009
50
- 1.028 ADIs julgadas
- 83,5% julgadas inconstitucionais
Slide STF concede 70% dos HC
51
28% das condenações são revertidas em grau de
recurso ao STF

Slide
52
Função da pena

Função do Direito penal

Slide
53

Slide
54
Função da pena

Crise do ideal
ressocializador
Função do Direito penal
Slide Crise do ideal ressocializador
55

Movimentos Movimentos
punitivistas abolicionistas

Slide Funç
Função da pena
56
O que ela não é [SER]:
bem com propriedades terapêuticas para o
delinqüente e, via de conseqüência, para a
sociedade

O que ela não pode ser [DEVER SER]:


castigo puro