Вы находитесь на странице: 1из 5
INCREMENTALISMO ORCAMENTARIO E POLITICAS PUBLICAS Joao Henrique Pederiva ‘Antonio Heider Medeiros Reboucas Hana ’Trombka *» Paulo Roberto Alonso Viegas Resumo O objetivo do trabalho é identificar bases de dados na internet que per- mitam aprofundar a investigagio sobre o inerementalismo orgamentio. O incrementalismo resolve problemas por aproximagdes progressivas € modificagSes marginais, A pergunta de pesquisa versa sobre a existéncia de dados suficientes para determinar se 0 osgamento brasileiro & ou no incremental. O orgamento consiste numa matriz. disciplinar composta pelos paradigmas de controle politico, administrativo e orgamentirio. Ha elementos que apontam para o incrementalismo dos oreamentos puiblicos federais no contexto de uma racionalidade limitada das politicas pablicas brasileiras. Quanto aos paradigmas politico e administrativo, constatase & caréncia de séries temporais mais extensas, nos dados orcamenttrios dis- pontveis pela internet, junto as paginas do Senado Federal, da Secreta- tia do Tesouro Nacional e do Contas Abertas. Excetua-se a Camara dos Deputados, cujas paginas contém dados anuais da execugio orgamenté~ ria federal, desde 1995, Em relagio ao paradigma econdmico, os dados disponiveis nas péginas da Secretaria do Tesouro Nacional, desde 1980, possibilitam avangos no exame quantitativo do eventual incrementalismo ‘orcamentirio da Unio. Apesar das limitagoes temporais ¢ de contetido, como a auséncia da execucao do orgamento de investimento das estatais, essas bases contzibuem para a expansio do conhecimento atual sobre as dindmicas dos orgamentos federais e das politicas piblicas nacionais. Palavras-chave: Orgamento piblico, processo decisério governamental, accountability governamental, controle da administragio publica. Intodugio O Estado Democratico de Direito em que se constitui a Reptblica Federativa do Brasil supre as necessidades coletivas, insatisfcitas apenas 307 pelos acordos voluntirios entre os individuos, A Constituisio Federal subdivide o Estado brasileiro em setor governamental ~ administragao publica ou poder piiblico ~ ¢ setor privado (BRASIL, 1988). Um dos prineipios constitucionais ressalta o papel do planejamento da realizagao dos objetivos fndamentais da Republica: determinante para 0 setor go ‘vernamental e indicativo para o setor privado (BRASIL, 1988). O orga~ ‘mento anual,o plano geral de governo, os programas nacionais, regionais e setoriais de duragao plurianual e a programagio financeira de desem- bolso si instrumentos brisicos desse planejamento (BRASIL, 1967) © Congreso Nacional responde pelo planejamento ¢ pelo controle das politicas pablicas nacionais ¢ federais e dos orsamentos da Unido. De fato, a realizagio dessas politicas 6 discutida e detalhada nos respectivos or- gamentos ptiblicos (GIAMBIAGI; ALEM, 2000). Nesse sentido, a carga tributaria bruta, entre 1991 e 2005, aumentou de 24,6196 para 37,37% do Produto Interno Bruto (PIB), em todos os niveis federativos,e de 16,12% para 26,18% do PIB no caso federal (RECEITA FEDERAL, 1998, 2003, 2006). Dessa forma, o estudo do incrementalismo orgamentirio insere-se no exame das politicas piblicas, como uma forma de ampliar a compreen~ so sobre as atividades governamentais (WILDAVSKY, 2001). O incre mentalismo consiste em resolver problemas por aproximagies progressivas € modificages marginais, considerando as limitagées de tempo e conheci- mento daqueles que decidem (SANCHES, 2004). Virios fatores contribuem para o ressurgimento da importincia das politicas puiblicas como campo de conhetimento, Souza (2006) fiisa os seguintes: (1) a adogio de politicas restritivas de gasto, (2) as visbes pés- keynesianas do papel dos governos ¢ (3) a falta de coalizdes politicas capazes de equacionar satisfatoriamente as demandas por politicas pa- blicas de desenvolvimento econémico com inclusio social. O pressupos- to analitico dos estudos nessa area é de que, nas democracias estaveis, a atuago governamental mostra-se inteligivel para os pesquisadores inde- pendentes (SOUZA, 2006). Searing (1991) frisa a importincia do estudo das regras compor~ tamentais, formais ow no. Sob 0 ponto de vista do processo legislativo, © orgamento rege-se por normas constitucionais, legais e regimentais (BRASIL, 2006). Assim, as proposigies orgamentatias encaminhadas pelo Executivo so submetidas 3 deliberagio da Comissio Mista de Pla- nos, Orcamentos Pablicos e Fiscalizagio (CMO), cujo parecer é sub- metido ao Plenério do Congresso Nacional. Uma vez aprovadas, elas retornam para a sancio ou o veto presidenciais (BRASIL, 1988). 308, {ss0 posto, o objetivo do trabalho é identificar as bases de dados na internet que permitam deseavolver um programa de pesquisa acerca do incrementalismo no orgamento brasileiro. A pergunta de pesquisa versa sobre a existéncia de dados suficientes para determinar se o orgamento brasileiro ¢ ou nao incremental. Metodologia Apés a delimitacéo inicial do objeto de estudo, mediante pesquisa bibliografica, foram consultadas as paginas na internet do Senado Fede- ral (2007), da Camara dos Deputados (2007), da Secretaria do Tesou- 10 Nacional (STN, 2007) e do Contas.Abertas (2007). Dois dos sitios pesquisados - Senado Federal e Camara dos Deputados ~ situam-se no Congreso Nacional, que efetua as emendas ao projeto de lei orgamen- tiria, elaborado pelo Poder Executivo da Unio, julga as contas prestadas pelo Chefe do Poder Executivo Federal e aprecia os relatérios sobre a execugio dos planos de governo, além de formular ¢ controlar as po- liticas piblicas (BRASIL, 1988). O terceiro sitio corresponde a STN, . Acesso em: 12 jul. 2007. . Decreto-Lei r# 200, de 25 de fevereiro de 1967. Dispée sobre a organizagéo da Administragao Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dé outras providéncias. Disponivel em: . Acesso em: 17 mar. 2004, Lei n® 10.180, de 6 de fevereiro de 2001 Organiza e disciplina 0s Sistemas de Planejamento ¢ de Orgamento Federal, de Administra- io Financcira Federal, de Contabilidade Federal e de Controle Interno do Poder Executivo Federal, e da outras providéncias. Disponivel em: . Acesso em: 12 jul. 2007, _. Lei Complementar n? 101, de 4 de mai 2000. Estabelece nor- mas de finangas piblicas voltadas para a responsabilidade na gestio fiscal, ¢ dé outras providéncias. Disponivel em: ‘Acesso em: 12 jul. 2007. . Resoluyéo nt 1, de 22 de dezembso de 2006, do Congresso Nacional. Dispée sobre a Comissio Mista Permanente a que se refere 0 § Ido art. 166 da Constituigio, bem como a tramitagao das matérias a que se refere o mesmo artigo. Disponivel em: . ‘Acesso em: 12 jul. 2007. CAMARA DOS DEPUTADOS. Orpamento Brasil. Disponivel em: . Acesso em: 12 jul. 2007, 312, CONTAS ABERTAS. Orjamento da Unido. Disponivel em: . Acesso em 29 jul. 2007. DEZHBAKHSH, Hashem; TOHAMY, Soumaya M.; ARANSON, Peter H.A new approach for testing Budgetary Incrementalism. The Jour nal of Politics, v.65, n.2, p. 532-558, May 2003, GIACOMONI, James. Orramento publico, 13. ed, Sto Paulo: Atlas, 2005, GIAMBIAGI, Fibio; ALEM, Ana Cléudia Duarte de. Firangas pui- blicas, 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000. KUHIN, Thomas 8.4 estrutura das revolugées cientifcas. 9. ed. Sio Paulo: Perspectiva, 2005, LIMONGI, Fernando; FIGUEIREDO, Argelina. Procesto Orgamenta- rio e Comportamento Legislative: Emendas Individuais, Apoio ao Executivo e Programas de Governo. Dados, v.48, n. 4, p.737-776, out -dez, 2005, OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. Sobre 2 pensamento antropolégico. 3. ed, Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003. PIRES JUNIOR, José Antonio Meyer. 4 Realizapéo Orgamentiria ¢ Financeira de Emendas Orgamentarias ¢ 0 seu Controle pelo Executive por ‘meio da (In)Fidelidade Parlamentar. Brasilia: ESAF, 3005, PROTASIO, Carla Garcia, BUGARIN, Mauricio Soares. Incentivos na execugéo oramentdria: um modelo para redugao voluntdria de gastos. Brasilia: Editora da UnB, 2000. RECEITA FEDERAL. Carga Tributdria no Brasil: 2008. 2006, Dis- ponivel em: . ‘Acesso em: 12 jul. 2007. . Carga Tributdria no Brasil — 2002. 2003. Disponivel em: /wrww.receita fazenda gow-br/Publico/EstudoTributario/carga- fiscal/CTB2002.pdt>. ‘Acesso em: 12 jul. 2007. Tabela 1 ~ Carga Fiscal Bruta: 1991 a 1997. 1998. Dispo- :chttp://www.receita fazenda.gov.br/historico/arrecadacao/ carga_fiscal/1997/Tabelal.htm>. ‘Acesso em: 12 jul. 2007. 313 SANCHES, Osvaldo Maldonado. Diciondrio de Oreamento, Planeja~ mento e dreas afins. 2. ed. Brasilia: Prisma/OMS, 2004, SEARING, Donald D. Roles, Rules, and Rationality in New Institutiona~ lism. The American Political Science Review, V.85,N. 4, p. 1239-60, Dec. 1991. * SENADO FEDERAL. Siga Brasil. Disponivel em: . Acesso em: 12 jul. 2007. SOUZA, Celina, Politicas Publicas: uma revisao da literatura, Sociolo- gias. Porto Alegre, a. 8, n. 16, p. 20-45, jul-dez 2006. STN, Secretaria do Tesouro Nacional. Estatfica. Disponivel em: hetp://wwwestn.fazenda.gov.br/estatistica/est_contabil asp. Acesso em 29 jul. 2007. ‘TRUE, James L.; JONES, Bryan D, BAUMGARTNER, Frank R. Punctuated-Equilibrium Theory: explaining Stability and Change in Public Policymaking. In: SABATIER, Paul A, Theories of the Policy Process. Cambridge: Westview Press, 2007, p. 155-188. WILDAVSKY, Aaron. Budgeting and governing. News Brunswick: ‘Transaction Publishers, 2001. 314 MEDIDA PROVISORIA LEGISLATIVA José Mendonga de Aratijo Filho Resumo, Os Poderes Judicidrio ¢ Executivo tém-medidas para atender situagdes de emergéncia. A seu turno o Poder Legislativo € o tinico que nao dispoe de um mecanismo legal que o instramente a responder uma demanda turgente do destinatirio de seus servigos. Partindo desse problema, ¢ uti- lizando-se do método heuristico, foi-se buscar no direito constitucional italiano ¢ depois no modelo constitucional brasileiro uma resposta para dle, Evidencia-se, portanto, que o trabalho nao se limitou apenas a um ou dois tipos metodolégicos, mas do que a teoria tem denominado de plu- ralidade metodologica. Foram priorizados alguns tipos de pesquisa, como a exploratéria, pesquisa de campo, documental ¢ observagao participate, Poringeressar muito de pero naureajuridica des medida prvi sua origem e consectérios, prescindiu-se de uma abordagem diferenciada e mal tice a repeto, A partir dla chegos mea provsria gi lativa, que permitiria ao Legislative mecanismos e meios para atender as situagoes de urgéncia e perigo enfrentadas pela sociedade. O resultado da pesquisa pockria servi como mas um suport instrument par o Pa lamento garantir no s6 a seguranga juridica quanto permitir a criagio de uma fase prévia ao processo legislativo ordinério. Com vigéncia imediata a medida proviséria legislaiva serviria como consulta prévia sociedade, que definitia quando do processo legislativo ordinério sua pretensio. O ‘modesto resultado esperado poderia contribuir nfo 86 para os casos pre~ sentes ¢ futuros, quanto ainda, despertar a capacidade de um poder consti- tuido remodclar-se para nfo comprometer os motivos de sua génese. Palavras-chave: Medias Cautclares ¢ de Emergéncia, Medida Provi- soria do Executivo, instrumento eficaz de urgéncia para o Legislativos Processo Legislativo, Introdugio As duas fungies (Poderes) do Estado, udiciéria executiva, tém seus ‘meios para atender as demandas de risco itninente, a0 passo que a fungio legislativa no dispbe de um instrumento habil e eficaz nesse sentido. 315