Вы находитесь на странице: 1из 80

P

Propostas de resolução Maria Augusta Ferreira Neves


António Leite | António Pinto Silva

Exercícios de
MATEMÁTICA 8.° ano

onlin
e

Como utilizar este ficheiro e localizar rapidamente a resolução pretendida?

• Verifique se na Barra de Ferramentas


deste documento existe a “caixa de pes-
quisa” do seu Adobe Reader.

Se tal não suceder, active-a, clicando com


o botão direito do rato e seleccionando a
opção pretendida.

• Na “caixa de pesquisa” (Find), digite


Pág., com o “P” maiúsculo e sem esquecer
o ponto final, seguido de um espaço e do
número de página onde se encontra o
exercício ou problema do qual pretende
conhecer a resolução.

• Depois de validar a informação,


teclando em Enter, surgirá no ecrã a
página do documento PDF com todas as
resoluções dos exercícios da página selec-
cionada do livro.

Dependendo da sua extensão, a resolução


CEXM8 © Porto Editora

poderá estar na coluna ou até na página


seguinte do PDF.

1
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 1
1. Por exemplo: Pág. 11 3.

Atrapézio = 45 cm2

(A) x = 10 cm ; y = 15 cm
B+b 15 + 10 25
Atrapézio = *h= *3= *3=
2 2 2
= 12,5 * 3 = 37,5 cm2 .
Logo não é a opção (A) .

(B) x = 50 cm ; y = 10 cm
Afigura = A1 + A2 + A3 + A4 + A5 B+b 50 + 10 60
Atrapézio = *h= *3= * 3 = 90 cm2
2 2 2
b*h 2*3
A1 = = = 3 cm2 Logo não é a opção (B) .
2 2
b*h 2*1 (C) x = 22 cm ; y = 8 cm
A2 = = = 1 cm2
2 2 B+b 22 + 8 30
Atrapézio = *h= *3= *3=
A3 = a * b = 2 * 1 = 2 cm2 2 2 2
= 15 * 3 = 45 cm . Logo é a opção (C) .
2
b*h 1*3
A4 = = = 1,5 cm2
2 2 Resposta: (C) .
B+b 3+2
A5 = *h= * 1 = 2,5 cm2
2 2 4. Alentes = 2 * Acírculo = 2 * p * r2 = 2 * p * 1,42 ) 12,3 cm2
Sabemos que:
Logo Afigura = (3 + 1 + 2 + 1,5 + 2,5) cm2 = 10 cm2
diâmetro = 2,8 cm , logo
Resposta: (A) . diâmetro 2,8
raio = = = 1,4 cm .
2 2
2. Resposta: (C) .

5. Pág. 12

Aparte colorida a cor-de-rosa = Aquadrado - Acírculo


Aquadrado = L2 = 32 = 9 cm2
Por exemplo:
Acírculo = pr2 = p * 1,52 = 2,25p cm2
Afigura = Arectângulo + Atriângulo Aparte colorida a cor-de-rosa = 9 - 2,25p ) 1,9 cm2
Arectângulo = a * b = 3,5 * 2 = 7 cm2 Resposta: (B) .
b * h 3,5 * 1
Atriângulo = = = 1,75 cm2
2 2 6.
Afigura = (7 + 1,75) cm = 8,75 cm
2 2

Outro processo de resolução:


Afigura = Atrapézio
B+b
= *h
2
3+2
CEXM8 © Porto Editora

= * 3,5
2
= 8,75 cm2

Resposta: (D) .
Por exemplo:
Aparte colorida = 4 * A˚[AFE] =
5 * 10 50
=4* =4* = 100 cm2
2 2
Resposta: (A) .

2
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

7. (A) A afirmação é falsa, já que duas figuras planas geometrica- 1.3


mente iguais têm sempre a mesma área.
(B) Por exemplo, as figuras seguintes têm o mesmo perímetro e
áreas diferentes.

A = 8 cm2 A = 9 cm2
P = 12 cm P = 12 cm
B+b 6,2 + 3,8
(C) Por exemplo, as figuras seguintes são equivalentes (A = 16 cm2) Atrapézio = *h= * 2,5 =
2 2
e não são geometricamente iguais.
10
= * 2,5 = 5 * 2,5 = 12,5 cm2
2
Resposta: A área do trapézio é 12,5 cm2 .

Resposta: (D) . 2.
2.1
8. Alentes = 2 * (ATrapézio + Asemicírculo)
pr2 p * 22
Asemicírculo = = = 2p cm2
2 2
B+b
Atrapézio *h
2 B+b
ATrapézio = *h
2
B = 4 cm
11 + 5
b = 2 cm 24 = * x § 48 = (11 + 5)x § 48 = 16x §
2
h = 1 cm 48
§ 16x = 48 § x = § x=3
16
4+2 6
Atrapézio = * 1 = = 3 cm2 Resposta: x = 3 cm .
2 2
Alentes = 2 * (3 + 2p) = 6 + 4p ) 18,6 cm2 2.2
Resposta: (B) .

1. Pág. 13
1.1

B+b
ATrapézio = *h
2
8+x
20 = * 4 § 20 = (8 + x) * 2 §
2
20
§ = 8 + x § 10 = 8 + x §
2
§ x = 10 - 8 § x = 2
B+b 6+2
Atrapézio = *h= *4= Resposta: x = 2 cm .
2 2
= 4 * 4 = 16 cm 2
3. Área da figura A = 11 u.a.
Resposta: A área do trapézio é 16 cm2 . (a figura é composta por 11 quadrados geometricamente iguais, cada
um deles tem 1 u.a.)
1.2 2*3 4+2
Área da figura B = Atriângulo + Atrapézio = + *1=
2 2
3 + 3 = 6 u.a.
Área da figura C = A1 + A2 + A3 + A4 + A5 + A6
CEXM8 © Porto Editora

Base maior = (3 + 5 + 3) cm = 11 cm
B+b 11 + 5
Atrapézio = *h= * 4 = 8 * 4 = 32 cm2 .
2 2
Resposta: A área do trapézio é 32 cm2 .

3
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

b*h 2*2 4
A1 = = = = 2 u.a. 5. Pág. 14
2 2 2
b*h 5*1 5 5.1
A2 = = = = 2,5 u.a.
2 2 2
A3 = a * b = 5 * 1 = 5 u.a.
b*h 2*1 2
A4 = = = = 1 u.a.
2 2 2
A5 = A1 = 2 u.a.
b*h 3*1
A6 = = = 1,5 u.a.
2 2
Área da figura C = 2 + 2,5 + 5 + 1 + 2 + 1,5 = 14 u.a.

Área da figura = 2 * Atriângulo + Arectângulo + ATrapézio


b*h 2*2 4
Atriângulo = = = = 2 u.a.
2 2 2
Arectangulo = a * b = 9 * 3 = 27 u.a.
B+b 9+3 12
Atrapézio = *h= *3= * 3 = 6 * 3 = 18 u.a.
2 2 2
Área da figura D = A1 - 4A2 + 2 * A3
Área da figura = 2 * 2 + 27 + 18 = 4 + 27 + 18 = 49 u.a.

Resposta: A figura tem 49 u.a.

A1 = L2 = 42 = 16 u.a. 5.2
b*h 4*1 4
A2 = = = = 2 u.a.
2 2 2
b*h 3*1 3
A3 = = = = 1,5 u.a.
2 2 2

Área da figura D = 16 - 4 * 2 + 2 * 1,5 =


= 16 - 8 + 3 = 8 + 3 =
= 11 u.a.

Resposta: Figura Área

A 11 u. a.
Área da figura = 2 * Atriângulo 1 + 2 * Atriângulo 2
B 6 u. a.
b*h b*h
C 14 u. a. =2* +2* =
2 2
D 11 u. a.
= 4 * 2 + 6 * 7 = 8 + 42 = 50 u.a.

Resposta: A figura tem 50 u.a.


4. Designamos por A a área da parte da figura colorida a cor azul,
então temos que a área A é aproximadamente igual à soma das
5.3
áreas dos cinco trapézios com a área do rectângulo representados
na figura.
Deste modo, temos:
3,4 + 2,2 2,2 + 1,5 3 + 1,5
A= *1+ *1+ *1+ 4+3 *1+
2 2 2 2
4 + 1,5
4*1+ *1
CEXM8 © Porto Editora

2
A = 2,8 + 1,85 + 2,25 + 3,5 + 4 + 2,75 Área da figura = A1 + A2 + A3 + A4 + A5
A = 17,15 b * h 4 * 3 12
A1 = = = = 6 u.a.
2 2 2
Resposta: A área da parte da figura colorida a cor azul é aproxima-
B+h 4+1 5 15
damente igual a 17,15 unidades de área. A2 = *h= *3= *3= = 7,5 u.a.
2 2 2 2
A3 = a * b = 4 * 1 = 4 u.a.
b*h 1*2
A4 = = = 1 u.a.
2 2
3*2 2*3
A5 = Aquadrado - Atriângulo 6 - Atriângulo 7 = 32 - - =
2 2
= 9 - 3 - 3 = 9 - 6 = 3 u.a.
Área da figura = 6 + 7,5 + 4 + 1 + 3 = 21,5 u.a.

Resposta: A figura tem 21,5 u.a.

4
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

5.4 7. A[ABDE] = x cm2 , logo L = œx cm

b * h œx * œx x
7.1 A[ABC] = = = cm2
2 2 2
x
Resposta: A[ABC] = cm .
2
2

b * h œx * œx x
7.2 A[ABF] = = = cm2
2 2 2
x
Resposta: A[ABF] = cm2 .
2
7.3 A[ABFG] = b * h = œx * œx = x cm2
Resposta: A[ABFG] = x cm2 .

Área da figura = A1 + A2 + A3 + A4 + A5 + A6 + A7 + 1. Pág. 15


+ A8 + A9 + A10 + A11 + A12 1.1 p ) 3,14 (2 c.d.) ;
b*h 1*2 1.2 p ) 3,142 (3 c.d.) ;
A1 = = = 1 u.a.
2 2
b*h 1*2
1.3 p ) 3,1416 (4 c.d.) ;
A2 = = = 1 u.a.
2 2 1.4 p ) 3,141593 (6 c.d.) .
B+b 5+3
A3 = *h= * 2 = 8 u.a.
2 2 2. Pcírculo = 10 920 km , r = 1738 km
B+b 3+1 4 Como 2pr = 10 920 , com r = 1738 km , vem:
A4 = *h= * 1 = = 2 u.a.
2 2 2
2p * 1738 = 10 920 § 3476p = 10 920 §
b*h 1*2
A5 = = = 1 u.a. 10 920
2 2 § p= § p ) 3,14 (2 c. d.)
3476
b*h 3*1
A6 = = = 1,5 u.a. 3.
2 2
b*h 1*2 3.1 r = 2 cm
A7 = = = 1 u.a.
2 2 Área = pr2 = 4p cm2 " valor exacto
2*1
A8 = Aquadrado - 2 * Atriângulo A = 22 - 2 * = 4 - 2 = 2 u.a. Área = 4p ) 12,57 cm2 " valor aproximado com 2 c. d.
2
b*h 1*2 Perímetro = 2pr = 2p * 2 = 4p cm " valor exacto
A9 = = = 1 u.a.
2 2 Perímetro = 4p ) 12,57 cm " valor aproximado com 2 c. d.
b*h 1*3
A10 = = = 0,5 u.a. 3.2 r = p cm
2 2
Área = pr2 = p * p2 = p3 cm2 " valor exacto
b*h 1*1
A11 = = = 0,5 u.a. Área = p3 ) 31,01 cm2 " valor aproximado com 2 c. d.
2 2
A12 = A8 = 2 u.a. Perímetro = 2pr = 2p * p = 2p2 cm " valor exacto
Perímetro = 2p2 ) 19,74 cm " valor aproximado com 2 c. d.
Área da figura = 1 + 1 + 8 + 2 + 1 + 1,5 + 1 + 2 + 1 + 1,5 + 0,5 + 2 =
= 22,5 u.a. 3p
3.3 r = cm
2 2
Resposta: A figura tem 22,5 u.a. 3p 9p3
Área = pr2 = p * 122 =
4
cm2 " valor exacto
9p3
6. Área = ) 69,76 cm2 " valor aproximado com 2 c. d.
2
pr p*8 2 4
6.1 Ateia = Asemicírculo = = = 32p ) 100,5 cm2 3p
2 2 Perímetro = 2pr = 2p * = 3p2 cm " valor exacto
2
Resposta: A área coberta pela teia da aranha é aproximadamente Perímetro = 3p2 ) 29,61 cm " valor aproximado com 2 c. d.
igual a 100,5 cm2 .
6.2 Designemos por C o comprimento total, em centímetros, das 4. Área da figura = Área do triângulo + Área do semicírculo
linhas representadas na figura. Então tem-se: 12,6 * 5 p * (12,6 : 2)2
= +
C=9*8+p+p*2+p*3+p*4+p*5+p*6+p*7+p*8 2 2
CEXM8 © Porto Editora

C = 72 + 36p 63 p * 6,32
= +
2 2
C ) 185,1
39,69p
= 31,5 +
Resposta: O comprimento total das linhas representadas na figura é 2
aproximadamente igual a 185,1 cm . = 31,5 + 19,845p
) 93,84
Resposta: A área da figura é aproximadamente 93,84 m2 .

5
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

B+b 5+2
5. AA = *h= * 2 = 7 u.a. Pág. 16 8. Pág. 17
2 2
8.1 Na figura podem-se observar 16 triângulos, a saber:
Por exemplo: [ABF] , [ABE] , [ABD] , [ABC] , [AFE] , [AFD] , [AFC] ,
4*2 6*3
AB = Aquadrado + Atriângulo + Atrapézio = 22 + + *1= [AED] , [AEC] , [ADC] , [BFE] , [BFD] , [BFC] , [BED] ,
2 2
9 [BEC] e [BDC] .
= 4 + 4 + = 8 + 4,5 = 12,5 u.a.
2
8.2 Na figura podem-se observar 7 triângulos de áreas diferentes, con-
Por exemplo:
4*1 4+2 siderando uma unidade de área uma quadrícula, a saber:
AC = Atriângulo + Atrapézio = + *3=2+3*3
2 2 Triângulos Áreas
= 2 + 9 = 11 u.a.
10 * 7
AD = Aquadrado - A1 - A2 - A3 = [ABF] , [ABE] , [ABD] e [ABC] = 35
2
3*2 4*2 4*1 6*7
= 42 - - - = [AFE] e [BFE] = 21
2 2 2 2
= 16 - 3 - 4 - 2 = 16 - 9 = 7 u.a. 11 * 7
[AFD] e [BFD] = 38,5
2
AE = 9 u.a. (A figura E pode ser decom- 19 * 7
posta em nove quadrados geometrica- [AFC] e [BFC] = 66,5
2
mente iguais, cada um deles com 1 u.a.) 5*7
[AED] e [BED] = 17,5
(A) Afirmação falsa, pois área da figura C > área da figura E . 2
13 * 7
(B) Afirmação falsa, pois 2 * 7 = 14 e 14 0 12,5 . [AEC] e [BEC] = 45,5
2
(C) As figuras D e C não têm a mesma área, logo a afirmação é 8*7
[ADC] e [BDC] = 28
falsa. 2

Resposta: (D) . 9.
6. Por exemplo: Nas figuras que o João desenhou há algumas equiva- 9.1 e 9.2
lentes?
As figuras são equivalentes se tiverem a mesma área, logo temos
que calcular a área de cada uma das três figuras.
4*2 2*1
AA = A1 + A2 + A3 = + 22 + = 4 + 4 + 1 = 9 u.a.
2 2

10. 1.° Tour de França " 2418 km = 2428000 m Pág. 18


5*2 3*1
AB = A1 + A2 + A3 + A4 = + +6*1+3*1=
2 2
3
=5+ +6+3=
2
= 15,5 u.a.

AC = 7 u.a.
Resposta: Não há figuras equivalentes pois todas as três figuras têm 10.1 Proda maior = 2pr = 2p * 0,6 = 1,2p
áreas diferentes. Dist. total
N.° de voltas(roda maior) = =
Proda maior
CEXM8 © Porto Editora

7. Área da figura P = 28 u.a. (a figura pode ser decomposta em 2 428 000


28 triângulos equiláteros de lado 1 cm). = ) 644 047 (0 c.d.)
1,2p
Área da figura Q = 20 u.a. (a figura pode ser decomposta em
Proda menor = 2pr = 2p * 0,2 = 0,4p
320 triângulos equiláteros de lado 1 cm).
Dist. total
N.º de voltas(roda menor) = =
Proda menor
2 428 000
= ) 1 932 141 (0 c.d.)
0,4p
Resposta: Para percorrer 2 428 km , uma roda com 1,2 m de diâ-
metro terá de dar aproximadamente 644 047 voltas, e uma roda
com 40 cm de diâmetro terá de dar aproximadamente 1 932 141
voltas.

6
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

B+b
10.2 A afirmação é verdadeira, pois quanto maior for o diâmetro da 7. A[ACDE] = * h (*)
2
roda, maior é o seu perímetro, ou seja, menor é o número de voltas
que é necessário dar para percorrer uma determinada distância. Cálculo auxiliar:
b = ED
10.3 Diâmetro = 52 cm ; raio = 26 cm ED = œ23,04 m = 4,8 m
B = AC = AB + BC = 4,8 + BC

Vamos determinar BC recorrendo ao Teorema de Pitágoras:


2 2 2
CD = BD + BC
2
6 = 4,8 + BC
2 2

2
§ 36 = 23,04 + BC
2
§ BC = 36 - 23,04
Perímetro da roda = 2pr = 2 * p * 26 = 52p cm w> 0
BC
2
Distância total § BC = 12,96 ± BC = œ12,96
N.° de voltas = § § BC = 3,6
Perímetro da roda
Distância total Logo, B = (4,8 + 3,6) cm = 8,4 cm .
§ 15 312 =
52p 8,4 + 4,8
Voltando a (*), vem A[ACDE] = * 4,8 = 31,68 m2 .
§ Distância total = 15 312 * 52p 2
§ Distância total ) 2 501 411,469 cm Resposta: (D) .
§ Distância total ) 25,014 114 69 km 8. D = œa2 + b2 + c2
§ Distância total ) 25 km
§ D = œ42 + 22 + 22
Desta forma, temos:
§ D = œ16 + 4 + 4
25 km
= 5 km . § D = œ24 § D ) 4,9 m
5
O Pedro percorreu aproximadamente 5 km por dia. Assim, vem: Resposta: (D) .
Ida " 2 km
Volta " 3 km
1. Pág. 25
Resposta: No regresso da escola a casa, o Pedro percorre 3 km . 1.1 a = 4 + 5 § a = 9
Num triângulo rectângulo, a área do quadrado construído sobre a
1. 92 = 9 * 9 = 81 Pág. 23 hipotenusa é igual à soma das áreas dos quadrados construídos
Resposta: (B) . sobre os catetos.

2 w>0
AB 1.2 22,3 = 15,5 + b § b = 22,3 - 15,5 § b = 6,8
2. AB = 36 ± AB = œ36 § AB = 6
Num triângulo rectângulo, a área do quadrado construído sobre a
Resposta: (D) . hipotenusa é igual à soma das áreas dos quadrados construídos
sobre os catetos.
3. Resposta: (C) .
2. Vamos, inicialmente, determinar a
4. c=8, b=6 a2 = b2 + c2 ; a2 = 62 + 82 área do quadrado “médio”.
a>0
§ a2 = 36 + 64 § a2 = 100 ± 90 = 35 + x
a>0
± a = œ100 § a = 10 § x = 55 cm2
Resposta: (B) . a = œ90 m

5. b - 315 = 0 § b = 315 § b = œ315 › b = - œ315


2 2 b = œ35 m

§ b ) 17,748 › b ) - 17,748 c = œ55 m

Resposta: (B) .

6. Pág. 24
6.1 Metade da área do rectângulo, já que o triângulo tem a base com a
mesma medida do comprimento do rectângulo e ambas as figuras
têm a mesma altura. Determinamos o perímetro , P , do jardim:

Resposta: (A) . ( )
P = 3 * œ90 + 3 * œ35 + 3 * œ55 m ) 68,46 m .

6.2 72 = 42 + x2 § 49 = 16 + x2 § x2 = 49 - 16 Por outro lado, temos que 69 * 1,5 = 103,5 (temos de arredondar
x>0 por excesso, pois 68 metros não chegavam para vedar o jardim).
§ x = 33 ± x = œ33
2

Resposta: O Joaquim vai gastar aproximadamente 103,50 euros.


CEXM8 © Porto Editora

Resposta: (B) .

7
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

3. 6.
6.1

diagonal maior * diagonal menor AC * BD Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:


A[ABCD] = = 2 2 2
2 2 CB = DB + CD
Vamos determinar AC . 102 = 82 + x2
AC = AI + IC § 100 = 64 + x2 § x2 = 36
2 2 2 2 2 § x = ¿ 6 , só se considera a solu-
AB = AI + BI § 8,52 = AI + 3,82 § AI = 8,52 - 3,82
ção positiva, pois trata-se de um
2 w>0
AI
comprimento, logo: x = 6 cm .
§ AI = 57,81 ± AI = œ57,81
2 2 2 2 2
BC = BI + IC § 5,42 = 3,82 + IC § IC = 5,42 - 3,82 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
2 2 2
2 w>0
IC AC = CD + AD
§ IC = 14,72 ± IC = œ14,72
172 = 62 + y2
AC = AI + IC § AC = œ57,81 + œ14,72 § AC ) 11,44
§ 289 = 36 + y2
11,44 * 7,6
A[ABCD] ) = 43,472 cm2 § y2 = 289 - 36
2
§ y2 = 253
Resposta: A área do quadrilátero é aproximadamente 43,5 cm2 .
§ y = ¿ œ253
Como se trata de um comprimento só se considera a solução posi-
4. Para determinar a distância entre os pontos M e A e Pág. 26
tiva, logo y = œ253 ou seja, y ) 15,9 .
porque o triângulo [RAM] é rectângulo, vamos recorrer
ao Teorema de Pitágoras. Resposta: x = 6 cm e y ) 15,9 cm .
2 2 2 2 2
MA = MR + AR § MA = 62 + 32 § MA = 36 + 9 § 6.2
2 w>0
MA
§ MA = 45 ± MA = œ45 u.m.

Resposta: A distância entre os pontos M e A é œ45 u.m.

5.
5.1 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que:
d 2 = 102 + 52 § d 2 = 100 + 25
b * h 23,9 * 6
§ d 2 = 125 A˚[ABC] = = = 71,7 cm2
2 2
§ d = ¿ œ125 , como se trata de um P˚[ABC] = 17 + 10 + 23,9 = 50,9 cm
comprimento considera-se apenas a
solução positiva. Resposta: A˚[ABC] = 71,7 cm2 (1 c.d.) e P˚[ABC] = 50,9 cm (1 c.d.).

d = œ125 ) 11,2 7. Vamos determinar x usando o Teorema


de Pitágoras:
Resposta: A diagonal do rectângulo mede aproximadamente 11,2 cm .
x2 = 32 + 32
5.2 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que: § x2 = 9 + 9
x2 + x2 = 122 § 2x2 = 144 § x2 = 18
144 § x = ¿ œ18 , como se trata de um
§ x2 = § x2 = 72
2 comprimento considera-se apenas a
§ x = ¿ œ72 , como se trata de um solução positiva, ou seja:
comprimento considera-se apenas x = œ18
a solução positiva.
Para determinar y aplicamos novamente o Teorema de Pitágoras:
x = œ72
(
y2 = 32 + œ18 )2
CEXM8 © Porto Editora

Assim, temos que o perímetro, P , do quadrado é igual a 4 * œ72 ,


§ y 2 = 9 + 18 § y 2 = 27
ou seja, P = 4 * œ72 ) 33,9 .
§ y = ¿ œ27 , como se trata de
Resposta: O perímetro do quadrado é igual a 33,9 cm . um comprimento considera-se
apenas a solução positiva ou
seja, y = œ27 cm .

Resposta: x = œ18 cm e y = œ27 cm .

8
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

8. Vamos determinar MN aplicando o Teorema de Pitágoras: Pág. 27 11. Vamos determinar, o comprimento da barra de madeira, Pág. 28
usada na diagonal, aplicando o Teorema de Pitágoras.
d 2 = 12 + 2,52 § d 2 = 1 + 6,25
§ d 2 = 7,25
§ d = ¿ œ7,25 , consi-
dera-se apenas a solu-
ção positiva, pois trata-
-se de um comprimento.

Comprimento total bases de madeira = 5 * 2,5 + 2 * 1 + œ7,25 =


= 12,5 + 2 + œ7,25 ) 17,2
2 Resposta: O comprimento total das barras de madeira utilizadas
MN = 502 + 36,52
2 na construção do portão é aproximadamente 17,2 metros.
§ MN = 2500 + 1332,25
2
§ MN = 3832,25 12.
w >0
MN
± MN = œ3832,25
§ MN ) 61,9
Resposta: MN ) 61,9 m .
1
9. Determinemos BC em milhas, ora BC = AB e como AB = 32
5
milhas marítimas, temos que:
1
BC = * 32 = 6,4 Aquadrado = L2 = 22 = 4 u.a.
5
Arectângulo = c * L = 2x * x = 2x2 u.a.
O barco percorreu 38,4 milhas marítimas (32 + 6,4) .
4
Convertemos, agora, esta distância em quilómetros: Então, tem-se: 2x2 = 4 § x2 = § x2 = 2
2
38,4 milhas marítimas = 38,4 * 1,852 = 71,1168 § x = ¿ œ2 , como se trata de um comprimento só se considera
Resposta: O barco percorreu aproximadamente 71 km . a solução positiva, logo x = œ2 u.m.
Resposta: œ2 u.m.
10. A distância percorrida pela Ana é a soma das seguintes distâncias:
AB , BC , CA , AD , DB e BA . 13.
Temos que:
AB = BA ; BC = AD e CA = DB .
Sabemos que:
AB = 588 m e BC = 320 m .
Determinemos, aplicando o Teorema de Pitágoras, CA .
2 2 2
CA = AB + BC
2
§ CA = 5882 + 3202
2
§ CA = 345 744 + 102 400
2
§ CA = 448 144 BC = 2QR § BC = 10 cm
w>0
CA
± CA = œ448 144 Aplicando o Teorema de Pitágoras, vem que:
A distância percorrida pela Ana é dada pela seguinte soma: § 102 = 52 + h2
(2 * 588 + 2 * 320 + 2 * œ448 144)m ) 3155 m = 3,155 km § 100 = 25 + h2
§ h2 = 750 § h = ¿ œ75
A distância percorrida pelo João é a soma das seguintes distâncias:
h>0
AC , CB , BA , AD , DC e CA . ± h ) 8,66 cm (2 c.d.) não se
considera a solução negativa,
Temos que: pois trata-se de um compri-
AC = CA ; CB = AD e BA = DC . mento.

A distância percorrida pelo João é dada pela seguinte soma: A[ABC] ) = 43,3
CEXM8 © Porto Editora

(2 * œ448 144 + 2 * 320 + 2 * 588) m ) 3155 m = 3,155 km


Resposta: A área do triângulo [ABC] é aproximadamente
Resposta: O João e a Ana percorrem o mesmo número de quilómetros, 43,3 cm2 .
no caso, aproximadamente, 3,155 km .

9
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

14. Pág. 29 16.2 h2 = a2 + b2 " Teorema de Pitágoras


14.1 Aplicando o Teorema de Pitágoras, 2
h ph2
vem que: Auh = pr2 = p 122 =
4
2
SQ = 262 + 142 1 ph2 ph2
2 Anh = * =
§ SQ = 676 + 196 2 4 8
w >0
SQ 2
2
§ SQ = 872 ± SQ = œ872 a pa2
Aua = pr2 = p 122 =
4
§ SQ ) 29,5 m
1 pa2 pa2
Ana = * =
Resposta: SQ = œ872 m ) 29,5 m 2 4 8
2
b pb2
Aub = pr2 = p 122 =
4
1 pb2 pb2
Anb = * =
2 4 8
14.2 Resposta: (A) .
Como pelo Teorema de Pitágoras sabemos que:
15.1 Aplicando o Teorema de Pitágoras, vem que: h2 = a2 + b2 , logo
3 =x +x
2 2 2
p 2 p 2 p 2
h = a + b
§ 9 = 2x2 8 8 8
§ x2 = 4,5 Resposta: Podemos concluir que a área do semicírculo construído
Como x representa o compri- sobre a hipotenusa de um triângulo rectângulo é igual à soma das
mento do lado do quadrado, a áreas dos semicírculos construídos sobre os catetos do mesmo
área do quadrado é , 4,5 m2 . triângulo rectângulo.
17.
Resposta: A[EFGH] = 4,5 m2 .
17.1 Se [ABC] é um triângulo rectângulo então verifica o Teorema de
15.2 Azona relvada = Acírculo + A[ABCD] - Acírculo + A[EFGH] Pitágoras, logo:
Azona relvada = A[ABCD] + A[EFGH]
h2 = a2 + b2
A[ABCD] = L2 = 32 = 9 m2
52 = 42 + 32
A[EFGH] = 4,5 m2 (pela alínea 15.1)
25 = 16 + 9
Azona relvada = (9 + 4,5)m2 = 13,5 m2
25 = 25 " Proposição verdadeira
Resposta: A área da zona relvada é 13,5 m2 .
Logo o triângulo [ABC] é um triângulo rectângulo.
17.2 Designemos por A1 a área do triângulo equilátero de lado 5 ,
16. Pág. 30
por A2 a área do triângulo equilátero de lado 4 e por A3 a
16.1 h2 = a2 + b2 " Teorema de Pitágoras área do triângulo equilátero de lado 3 .
Auh = pr2 = ph2 Desta forma, pretendemos mostrar que:
p 2 A1 = A2 + A3
Am h = h
4 Determinemos A1 :
Aua = pr2 = pa2 52 = x2 + 2,52
p 2 § x2 = 25 - 6,25
Am h = h
4 § x2 = 18,75
Aub = pr2 = pb2 x>0
± x = œ18,75
p
Amb = b2 5 œ18,75
4 A1 = = 2,5 œ18,75 u.a.
2
Como pelo Teorema de Pitágoras sabemos que:
Determinemos, agora, A3 :
h2 = a2 + b2 , logo:
p 2 p 2 p 2 32 = x2 + 1,52
h = a + b § x2 = 9 - 2,25
4 4 4
CEXM8 © Porto Editora

§ x2 = 6,75
Resposta: Podemos concluir que a área do quarto de círculo cons-
x>0
truído sobre a hipotenusa de um triângulo rectângulo é igual à ± x = œ6,75
soma das áreas dos quartos de círculo construídos sobre os cate-
tos do mesmo triângulo rectângulo. 3 œ6,75
A3 = = 1,5 œ6,75 u.a.
2

10
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

Finalmente, determinemos A2 : 20.


42 = x2 + 22 20.1 Inicialmente vamos apresentar um esquema da situação.
§ x2 = 16 - 4 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
§ x2 = 12 62 = h2 + 52
x>0
± x = œ12 § 36 = h2 + 25
4 * œ12 § h2 = 36 - 25
A2 = = 2 œ12 u.a. h>0
2 ± h = œ11
Ora, recorrendo à calculadora, verifica-se que § h ) 3,3
A1 = A2 + A3 .
Resposta: A altura h é igual a 3,3 cm .
Nota que:
20.2 O quadrilátero [ABCD] chama-se trapézio rectângulo.
A1 = 2,5 œ18,75 ) 10,825
A2 + A3 = 2 œ12 + 1,5 œ6,75 ) 10,825 21. Atotal sup. tenda = 3 * Arectângulo + 2 * Atriângulo (1)
Arectângulo = a * d = 1,8 * 2,3 = 4,14 m2
18. Vamos fazer uma esquema da situação descrita. Pág. 31 a * b 1,8 * b
Atriângulo = =
2 2
Vamos determinar o comprimento b , aplicando o
Teorema de Pitágoras:
1,82 = 0,92 + b2 § b2 = 1,82 - 0,92 §
§ b2 = 3,24 - 0,81 §
b>0
§ b2 = 2,43 ± b = œ2,43
12,8
Temos que AB = 12,8 m , daí que x = m = 6,4 m . 1,8 * œ2,43
2 Atriângulo = ) 1,4030 m2 (4 c.d.)
2
Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
Voltando a (1), temos que:
82 = y2 + 6,42 § 64 = y2 + 40,96
Atotal sup. tenda = 3 * 4,14 + 2 * 1,4030 = 15,226 ) 15,2 m2
§ y2 = 64 - 40,96
y>0 Resposta: A área total da tenda é aproximadamente 15,2 m2 .
§ y2 = 23,04 ± y = 4,8
Deste modo temos que h = (8 + 4,8) m = 12,8 m .
22. Pág. 32
Resposta: h = 12,8 m .

19. Sabemos uma das dimensões do rectângulo que forma o telhado,


determinemos a outra aplicando o Teorema de Pitágoras: 20 - 10 = 10
2 - 0,6 = 1,4
Aplicando o Teorema de Pitágoras, determinemos IL
2
IL = 1,42 + 102
t 2 = 42 + 0,52 § t 2 = 16 + 0,25 2
§ IL = 1,96 + 100
t>0
§ t = 16,25 ± t = œ16,25 , só se considera a solução posi-
2 2
§ IL = 101,96
tiva, pois trata-se de um comprimento. IL > 0
w
± IL = œ101,96 (pois trata-se de uma medida de comprimento)
§ IL ) 10,1 m
P[IJKL] = 2 * 10 + 2 * 10,1 = 20 + 20,2 = 40,2 ) 40
Resposta: O perímetro da rampa é, aproximadamente, 40 m .
23.

1
Vpirâmide = * Ab * h
Atelhado = 5 * œ16,25 3
§ Atelhado ) 20,156 Ab = Aquadrado = L2 = 22 = 4 dm2
20 * 20,156 = 403,12
CEXM8 © Porto Editora

Vamos determinar a altura, h , da pirâmide,


Resposta: São necessárias 404 telhas (efectuou-se um arredonda- recorrendo ao Teorema de Pitágoras:
mento por excesso, uma vez que 403 telhas não chegavam para
22 = h2 + 12 § 4 = h2 + 1 §
cobrir o telhado). h>0
§ h2 = 3 ± h = œ3
1 4œ3
Vpirâmide = * 4 * œ3 = ) 2,3 dm3 (1 c.d.)
3 3

Resposta: O volume da pirâmide é, aproximadamente, 2,3 dm3 .

11
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

1. Pág. 33 2. Pág. 34
2.1 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que:
dg = 1,2 m § r = 0,6 m
5,2282 = a2 + 52
dp = 60 cm = 0,6 m § r = 0,3 m § 27,3320 = a2 + 25
§ a2 = 27,3320 - 25
1.1 O Pedro percorreu 1200 m . § a2 = 2,3320
a>0
Pug = 2pr = 2p * 0,6 = 1,2p m ± a = œ2,3320
Pup = 2pr = 2p * 0,3 = 0,6p m § a ) 1,5 m
1200 m 1200 (não se considera a solução negativa, pois trata-se de um compri-
= ) 318,3 voltas
Pug 1,2p mento)
Resposta: A altura, a , do degrau é aproximadamente 1,5 m .
1200 m 1200
= ) 636,6 voltas
Pup 0,6p 2.2 Vespigueiro = Vparalelepípedo rectângulo + Vprisma triângular
Vparal. rect. = Ab * h = 0,8 * 3,7 * 5 = 14,8 m3
Resposta: A roda grande deu 318 voltas completas e a roda
pequena deu 636 voltas completas. Vprisma triangular = Ab * h (1)

1.2 rmaior ) 1062 voltas Determinar a altura, h , da base do prisma triangular, aplicando o
Teorema de Pitágoras:
Designemos por x a distân-
0,52 = 0,42 + h2
cia, em quilómetros, percor-
rida pelo Pedro, então § 0,25 = 0,16 + h2
temos que: § h2 = 0,09
h>0
x ± h = 0,3
= 1062
Pug
(Não se considera a solução negativa,
§ x = 1062 * 1,2p pois trata-se de um comprimento).
§ x ) 400 365 m Voltando a (1) , temos que:
§ x ) 4 km 0,8 * 0,3
Vprisma = Ab * 5 = * 5 = 0,12 * 5 = 0,6 m3
Representemos por y a distância, em quilómetros, de A e B , 2
deste modo a distância de B a C é y + 1 . Vespigueiro = 14,8 + 0,6 = 15,4 m3
Assim, temos: Resposta: O volume do espigueiro é 15,4 m3 .
y + y + 1 = 4 § 2y = 4 - 1 § 2y = 3 § y = 1,5
Deste modo, temos: 3. Pág. 35
y + 1 = 1,5 + 1 = 2,5 3.1
Resposta: A distância de B a C é aproximadamente 2,5 km .
1.3

Vamos determinar a hipotenusa, h , do triângulo [ABC] , apli-


Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que: cando o Teorema de Pitágoras:
982 = 302 + d 2 h2 = 1,52 + 22
§ 9604 = 900 + d 2 § h2 = 2,25 + 4
§ d = 8704
2
§ h2 = 6,25
d>0 h>0
± d = œ8704 , não se considera a solução negativa, pois trata- ± h = 2,5 , só se considera a solução positiva pois trata-se de
CEXM8 © Porto Editora

-se de um comprimento. um comprimento


§ d ) 93,3 h = 2,5 km
Resposta: A distância entre os dois pontos de contacto das rodas Preço = 2,5 * 15 000 + 2,5 = 25 000
com o chão é aproximadamente 93,3 cm .
§ Preço = 2,5 * (15 000 + 25 000)
§ Preço = 2,5 * 40 000 § Preço = 100 000
Resposta: O preço de colocação da conduta é 100 000 Æ .

12
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

3.2 a) Azona florestal = A[ABCD] - 2A[EBG] (1) 4.2


2
A[ABCD] = AB = 602 = 3600 m2 .
EB * BG 40 * 40 1600
A[EBG] = = = = 800 m2
2 2 2
2 2 120
Nota: Repara que EB = AB = * 60 = = 40 e EG = EB .
3 3 3

Voltando a (1) temos que:


Azona florestal = 3600 - 2 * 800 = 3600 - 1600 = 2000 m2
Resposta: A área da zona florestal é 2000 m2 .
50 - 20 = 30
b) Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que: 30 : 2 = 15
h2 = 202 + 202 § h2 = 800 Aplicando o Teorema de Pitágoras:
h>0
± h = œ800 , só se considera a x2 = 222 + 152
solução positiva, pois trata-se § x2 = 484 + 225
de um comprimento.
§ x2 = 709
Pzona florestal = 2 œ800 + 4 * 20 x>0
± x = œ709
) 136,57 m (2 c.d.)
§ x ) 26,6 cm

Resposta: O perímetro da zona florestal é aproximadamente Resposta: x ) 26,6 cm .


136,57 m .
5. Pág. 37
4. Pág. 36 5.1
4.1 a) e b)

Área de B 3 1
5.2 a) = = ;
Área de C 12 4
Área de A 6
b) = =2.
Área de B 3
5.3

Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que:


d 2 = 22 + 62 § d 2 = 4 + 36
§ d 2 = 40
c) Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que: d>0
± d = œ40
x =4 +3
2 2 2
Resposta: O valor exacto do diâmetro da circunferência é œ40 cm .
§ x2 = 16 + 9
§ x2 = 25
x>0
± x = œ25
§ x=5
CEXM8 © Porto Editora

Então tem-se,
5 + (2,5 - 1) * 2 = 5 + 1,5 * 2 = 5 + 3 = 8

Resposta: São necessários 8 metros de fio eléctrico para ligar as


duas fichas.

13
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

5.4 PA = 2 * 2 + 2 * 3 = 4 + 6 = 10 cm . 8.
10 8.1 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que:
lado do quadrado = = 2,5 cm
4 2
AB = 12 + 12
2
§ AB = 2
Como [AB] é um dos lados do quadrado
2
[ABCD], então a área deste quadrado é AB ,
ou seja, é 2 u.a.
Resposta: A área do quadrado [ABCD] é 2 u.a.

8.2 O raio do círculo é metade do comprimento do lado do quadrado


[ABCD] , deste modo temos:
Aplicando o Teorema de Pitágoras:
h2 = 2,52 + 2,52 § h2 = 6,25 + 6,25 § h2 = 12,5
h>0
§ h = ¿ œ12,5 ± h ) 3,54 cm (só se considera a solução
positiva visto se tratar de um comprimento).

Resposta: O comprimento da diagonal desse quadrado é aproxima-


damente 3,54 cm .

6. Pág. 38
Aplicando o Teorema de Pitágoras:
2
AB = 62 + 42 AB œ2
2 2
raio = =
§ AB = 36 + 16 § AB = 52 2 2 2

w>0
AB
± AB = œ52 Área do círculo = p *
1 2
œ2 = p * 2 = p * 1 = p ) 1,6 .
2 4 2 2

Aplicando, novamente, o Teorema p


Resposta: Valor exacto: u.a. ; valor aproximado: 1,6 u.a.
de Pitágoras: 2
2
CD = 22 + 42
2 2
9. Pág. 39
§ CD = 4 + 16 § CD = 20
9.1 Determinemos x usando o Teorema de Pitágoras.
w>0
CD
± CD = œ20 562 = x2 + 422
Desta forma, temos: § 3136 = x2 + 1764
AB + CD = œ52 + œ20 § x2 = 3136 - 1764
Resposta: O valor exacto é œ52 + œ20 u.c e um valor aproxi- § x2 = 1372
x>0
mado às centésimas é 11,68 u.c. ± x = œ1372
§ x ) 37 .
7.
Resposta: Podemos então concluir que o televisor não cabe no
armário pois a altura do lugar no armário destinado para o televi-
sor é 36 cm , valor inferior a 37 cm .

9.2 Inicialmente vamos determinar a medida da diagonal do frigorífico.


Para isso, vamos aplicar o teorema de Pitágoras:
d 2 = 1,82 + 0,72 (70 cm = 0,7 m)
§ d 2 = 3,24 + 0,49
§ d 2 = 3,73
b*h
A[ABC] = d>0
2 ± d = œ3,73
Determinemos a altura do triângulo. § d ) 1,931
Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que
2
A roda tem 12,5 cm de raio, ou seja, 0,125 m .

52 =
1 2
œ20 + h2
2
Então, a porta terá de ter, no mínimo (1,932 + 0,125) m = 2,057 m
de altura.
20
§ 25 = + h2 § 25 = 5 + h2 § h2 = 25 - 5 § h2 = 20 Resposta: A altura mínima da porta, para que, na posição indicada,
4
h>0 o frigorífico entre no consultório será 2,057 metros.
± h = œ20 , não se considera a solução negativa, pois trata-se
CEXM8 © Porto Editora

de um comprimento.
2

A[ABC] =
œ20 * œ20 = (œ20 ) = 20 = 10 u.a.
2 2 2
Resposta: A área do triângulo [ABC] é 10 u.a.

14
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 1

9.3 a) 11. Comprimento da escada = AB


5,2 - 3,5 = 1,7 Aplicando o Teorema de Pitágoras:
2
AB = 14,42 + 62
Aplicando o Teorema de Pitágoras temos: 2
§ AB = 207,36 + 36
x = 1,7 + 5 § x = 2,89 + 25 § x = 27,89
2 2 2 2 2 2
§ AB = 243,36
x>0
± x = œ27,89 w>0
AB
± AB = œ243,36
§ AB = 15,6 cm

Aplicando, novamente, o Teorema de Pitágoras:


Aplicando novamente o Teorema de Pitágoras temos: 15,62 = 13,52 + y2
y = 12 + 1,7 § y = 144 + 2,89
2 2 2 2
§ 243,36 = 182,25 + y2
y>0
§ y2 = 146,89 ± y = œ146,89 § y2 = 243,36 - 182,25

Área do telhado = 10 * œ27,89 + 10 * œ146,89 ) 174,01 § y2 = 61,11


y>0
± y = œ61,11
Resposta: A área do telhado é aproximadamente 175 m2 .

b) Temos que: 175 * 22 = 3850 e 3850 * 0,25 = 962,50 . Por outro lado temos que 6 + x = y , deste modo vem:
Resposta: Para cobrir o telhado teria de se gastar 962,50 euros 6 + x = œ61,11 § x = œ61,11 - 6 § x ) 1,817
em telhas.
Resposta: A escada deslocou-se aproximadamente 1,817 metros.

10. Pág. 40
Vamos, inicialmente, determinar a altura, h ,
do triângulo aplicando o Teorema de Pitágoras.
Assim, vem que:
202 = 15,62 + h2
§ 400 = 243,36 + h2
§ h2 = 156,64
h>0
± h = œ156,64
Para determinar o número de degraus necessários para chegar de A
CEXM8 © Porto Editora

até B basta dividir o valor da altura do triângulo pela altura de


cada degrau, ou seja,
œ156,64 : 0,2 ) 62,6 (repara que 20 cm são 0,2 m) .
Resposta: São necessários 63 degraus para chegar de A até B .

15
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 2
1. (A) A correspondência não traduz uma função porque Pág. 49 9. A distância do ponto P à recta r é máxima quando [AP] Pág. 51
o elemento 3 do conjunto A não tem correspondência no é um diâmetro, ou seja, o ponto P percorreu meia volta.
conjunto B .
Resposta: (B) .
(B) A correspondência traduz uma função porque a cada elemento
10. Temos que:
do conjunto A corresponde um e um só elemento do conjunto
C. 2,50 + 10 * 1 + (32 - 10) * 2 = 56,50

(C) A correspondência não traduz uma função porque ao elemento Resposta: (C) .
1 do conjunto D correspondem dois elementos (2 e 3) do 11. (A) A altura das pessoas não aumenta até aos 50 anos de idade.
conjunto E .
(B) A altura das pessoas estabiliza a partir de uma determinada
(D) A correspondência não traduz uma função porque ao elemento idade.
1 do conjunto A correspondem dois elementos (4 e 6) do
(C) As pessoas não nascem com uma altura igual a zero.
conjunto F .
(D) A altura das pessoas não diminui acentuadamente, desde
Resposta: (B) .
certa idade até aos 50 anos (ou, aos 50 anos não se tem a
2. Df = {1 , 2 , 3 , 4} mesma altura que se tem quando se nasce).

D’f = {6 , 7 , 8 , 9} Resposta: (B) .


f (4) = 9 12. f (1) = - 2 * 1 + 1 = - 2 + 1 = - 1
Resposta: (C) . f (3) = - 2 * 3 + 1 = - 6 + 1 = - 5

3. Resposta: (B) . Então, tem-se:


f (1) - f (3) = - 1 - (- 5) = - 1 + 5 = 4
4. Em cada uma das opções, (A) , (C) e (D) é possível traçar uma
recta vertical que intersecta o gráfico em mais que um ponto. Resposta: (A) .

Resposta: (B) .
1. Pág. 52

5. As caixas A e C têm o mesmo número de chocolates Pág. 50 1.1 A correspondência f é uma função porque a cada espécie vegetal
e custos diferentes. corresponde uma e uma só zona da Península Ibérica.

As caixas A e B têm custos iguais e número de chocolates diferentes. 1.2 A imagem do objecto “sobreiro” é “Ibéria seca”.
A caixa com mais chocolates é a D . 1.3 Os objectos que têm “Ibéria húmida” como imagem são:
“Giesta” e “Castanheiro”.
Resposta: (A) .
1.4 a) Df = (Giesta, Castanheiro, Sobreiro, Azinheira, Pinheiro, Loureiro}
6. Com 20 litros de gasolina percorre 200 km .
b) D’f = {Ibéria húmida, Ibéria seca} .
Com 15 litros de gasolina percorre 150 km .
2. Destes animais o elefante é o que tem mais tempo de vida, logo cor-
O automóvel consome cerca de um litro de gasolina por cada responderá ao ponto A . Com maior tempo de vida seguem-se a
10 km percorridos. zebra e o sapo, mas a zebra é evidentemente mais pesada que o
Resposta: (A) . sapo, daí que o ponto B corresponda à zebra e o ponto C ao
sapo. Neste momento podemos afirmar que o ponto E corres-
7. Durante a viagem o autocarro parou quatro vezes. ponde à cobra, o ponto D ao pato e o ponto F à vespa.
A última paragem durou cinco minutos.
3. Pág. 53
Na viagem de regresso o autocarro percorreu 18 km em 15 minu-
tos, logo viajou a 72 km por hora e não 72 km por minuto. 3.1

Resposta: (C) .

8. Determinemos a capacidade do tanque:


7 m * 5 m * 4 m = 140 m3 .
A torneira verte água para o tanque, à taxa de 2 m3 de água por
hora, desta forma temos:
CEXM8 © Porto Editora

140
= 70 .
2
Assim, o tanque fica cheio ao fim de 70 horas.
Resposta: (B) .

3.2 a) f (12) = 90 ; 3.2 b) f (6) = 25 ;

16
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

3.3 6. Pág. 54

7.

Resposta: Uma árvore com 15 anos de idade terá previsivelmente


140 cm de diâmetro.
4.
4.1 f (20) = 1,2 * 20 = 24
Este resultado significa que um artigo que custava 20 Æ , com o
aumento passou a custar 24 Æ .
4.2 Temos que: f (x) = 9,6, então:
9,6
1,2x = 9,6 § x = § x=8
1,2
Se o preço final de um artigo é 9,6 Æ , então o preço inicial era 8 Æ .
8.
4.3 Df = {10 , 20 , 30 , 40}
8.1 O cão demorou 15 segundos a percorrer os 100 metros. O gato,
f (10) = 1,2 * 10 = 12
que partiu ao mesmo tempo que o cão, nunca parou e correu sem-
f (20) = 1,2 * 20 = 24 pre à velocidade de 5 metros por segundo, demorou 20 segundos
f (30) = 1,2 * 30 = 36 a percorrer os 100 metros (100 : 5 = 20) .
f (40) = 1,2 * 40 = 48 Portanto, foi o cão quem ganhou a corrida.

8.2

8.3 Cada um dos animais tinha percorrido 40 metros.


Esse facto ocorreu no instante t = 8 s .

9. (x - 3) * 2 = y
9.1
x 0 1 2 4

y -6 -4 -2 2
5.1 f (2) = 1 .
x = 0 : (0 - 3) * 2 = - 3 * 2 = - 6
CEXM8 © Porto Editora

Significa que o Fernando após 2 minutos de prova está a 1 m do solo.


x = 1 : (1 - 3) * 2 = - 2 * 2 = - 4
5.2 Se g (t) = 4 então t = 3 .
x = 2 : (2 - 3) * 2 = - 1 * 2 = - 2
Significa que o Geraldo atinge a altura de 4 m ao fim de 3 minu- y = 2 : (x - 3) * 2 = 2 § x - 3 = 1 § x = 1 + 3 § x = 4
tos de prova.

17
CEXM8-RES-02
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

9.2 11.
11.1 a) A avaria ocorreu às 11 horas.
b) O automóvel esteve parado uma hora.
11.2 O Sr. Antunes circulou, na fila de trânsito, durante 48 minutos.
11.3 O Sr. Antunes chegou a Évora às 13 h 24 minutos.
11.4 O Sr. Antunes permaneceu em Évora 1 h 6 min (ou 66 minutos).
11.5 A distância entre Évora e a casa do Sr. Antunes é de 190 km .
50 km
11.6 Vmédia (viagem de regresso) =
) 63,3 km/h .
3h
Resposta: Aproximadamente 63,3 km/h .

12. Pág. 57
12.1 O Nuno esteve parado 22,5 minutos.
12.2 Os dois automóveis cruzaram-se às 11 h 15 min .
12.3 A distância entre Vila Franca de Xira e Lisboa é de 30 km .
50 km Saiu de Santarém às
12.4 Vmédia (viagem Alice) = ) 29 km/h . 10 h 15 min e chegou a
1,75 h Vila Franca de Xira às 12 h .
A viagem durou 1 h 45 m ,
9.3 O ponto de coordenadas (x , y) = (- 1 , - 9) não pertence à recta, Resposta: Aproximadamente 29 km/h .
ou seja, durou 1,75 horas.
como se pode confirmar no gráfico desenhado na alínea anterior. 50 km
12.5 Vmédia = = 80 km/h . O Nuno nesta parte do per-
0,625 h curso percorreu 50 km em
37,5 minutos, ou seja, em
10. Pág. 56 Resposta: 80 km/h . 37,5
= 0,625 horas.
60
10.1 a) Tartaruga: num minuto anda 0,3 metros.
Espaço Percorrido = 0,3 * n.° de minutos 13. Linha A: Alexandre, porque ele vai de automóvel, que dentro das
situações apresentadas é o mais rápido.
d = 0,3t
Linha B: Avó da Ana, porque vai de autocarro e este é o meio
Se t = 10 : d = 0,3 * 10 = 3 m
mais rápido a seguir ao automóvel.
Resposta: A tartaruga em 10 minutos percorreu 3 metros.
Linha C: Ana, porque vai de bicicleta e este é o meio mais rápido
b) Burro: num minuto anda 2 metros. a seguir ao autocarro.
d = 2t Linha D: Adriana, porque esta deslocava-se a pé e este meio de
Se t = 10 , d = 2 * 10 = 20 m entre os que foram apresentados é o mais lento.
Resposta: O burro em 10 minutos percorreu 20 metros.
14. Pág. 58
c) Cavalo: num minuto anda 6 metros. 14.1 Foi o Manuel que descansou uma hora, enquanto que o Joaquim
d = 6t descansou 40 minutos.
Se t = 10 , d = 6 * 10 = 60 m 14.2 Quando os dois se cruzaram o Manuel estava a 30 km da cidade B .
Resposta: O cavalo em 10 minutos percorreu 60 metros. 10 km
14.3 Vmédia (antes descanso) = = 5 km/h ;
2h
30 km
Vmédia (depois descanso) ) ) 22,5 km/h .
1,33 h
Resposta: Antes do descanso foi de 5 km/h e depois do des-
canso foi aproximadamente de 22,5 km/h .

15.
15.1 Tempo
5 10 15 20 25 30 40
(min)
Distância a
0,5 0,5 0,5 3 5,5 8 12
casa (km)

12 km
15.2 = 0,3 km/min
40 min

0,3 km 1 min x = 0,3 * 60 §


x 60 min § x = 18 km/h
CEXM8 © Porto Editora

10.3 A variável dependente é a distância percorrida. Resposta: 18 km por hora.

18
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

16. Pág. 59 18. Por exemplo:


16.1 O taxista saiu da cidade A às 12 horas. O António e o Nuno começaram a corrida dos 1000 m com
grande entusiasmo.
16.2 O taxista esteve parado 30 minutos, ou seja, meia hora.
O Nuno nos primeiros 129 segundos manteve-se sempre à frente
16.3 O ciclista levava 13 km (28 - 15) de avanço sobre o taxista.
do António, no entanto este aos 130 segundos alcançou o Nuno e
16.4 Estavam a 4 km (40 - 36) da cidade B . manteve-se à frente dele até aos 270 segundos.
13 km
16.5 Vmédia (taxista até que parou) = ) 17,3 km/h . A partir daqui o Nuno ultrapassou-o e chegou à meta ao fim de
0,75 h
285 segundos de prova.
Resposta: Aproximadamente 17,3 km/h
O António chegou a seguir perfazendo 320 segundos para con-
15 km
16.6 Vmédia (ciclista depois paragem) = = 12 km/h . cluir a prova dos 1000 metros.
1,25 h
Resposta: 12 km/h . 19.

16.7 Foi o taxista, com um avanço de aproximadamente 16,5 minutos.


16.8

17. Pág. 60
20. Pág. 61
17.1 Número de kg
1 2 3 4
de carne
Tempo de assadura
65 105 145 185
(min)

17.2

21.
21.1 A Sara nasceu com 2,8 kg .
21.2 No seu primeiro aniversário a Sara “pesava” 11,2 kg .
21.3
Comprimento (cm) “Peso” (kg)

50 5,6

55 6,4
CEXM8 © Porto Editora

60 7,6

17.3 a) São necessários 85 minutos para assar 1,5 kg de carne. 65 10

b) São necessários 125 minutos para assar 2,5 kg de carne.


21.4 Aproximadamente 18 cm (65 - 47).
21.5 3,6 kg (10 - 6,4).

19
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

22. Pág. 62 • O ponto A pode corresponder ao António porque como os


22.1 a) Com a tinta da marca A o João para pintar 40 m2 necessita dois testes lhe correram muito mal, tanto o valor da abcissa
de 5 litros de tinta. Recorrendo a uma regra de três simples, (pontuação a Língua Portuguesa), como o valor da ordenada
temos: (pontuação a Matemática) são valores muito baixos.
N.º de litros de tinta Área(em m2) • O ponto J pode corresponder à Joana porque o teste de
5 40 Matemática correu-lhe bem, ou seja, o valor da ordenada é
x 60 alto. O teste de Língua Portuguesa correu-lhe mal, logo o
5 * 60 valor da abcissa é baixo.
x= § x = 7,5
40
• O ponto I pode corresponder à Inês, porque no teste de
Resposta: 7,5 litros de tinta.
Matemática ela vai ter zero, ou seja, o ponto I está sobre o
b) Com a tinta da marca B o João para pintar 30 m2 necessita eixo das abcissas. A Língua Portuguesa vai tirar uma boa clas-
de 5 litros, deste modo é imediato que para pintar 60 m2 sificação, logo o valor da abcissa é alto.
necessita de 10 litros de tinta.
• O ponto B pode corresponder à Beatriz, pois os dois testes
Resposta: 10 litros de tinta. correram-lhe razoavelmente, logo o valor da abcissa (pontua-
22.2 A área das portas e das janelas é de 20 m2 , então o Pedro vai ção a Língua Portuguesa), como o valor da ordenada (pontua-
necessitar de 2,5 litros de tinta da marca A . ção a Matemática) são médios.
Vamos determinar o número de litros de tinta da marca B que
ele necessita. 24. Pág. 63
2
N.° de litros de tinta Área (em cm ) 24.1 A temperatura subiu entre as 5 horas e as 16 horas e entre as
5 30 20 horas e as 24 horas.
x 45
24.2 A temperatura mais baixa verificou-se às 5 horas.
5 * 45
x= = 7,5
30 24.3 A temperatura foi de 14 °C às 3 horas, às 8 horas e às 20
Assim, concluímos que o Pedro necessita de 7,5 litros de tinta horas.
da marca B . 25.
Resposta: O Pedro tem de comprar 2,5 litros de tinta da 25.1 Um euro.
marca A e 7,5 litros de tinta da marca B .
25.2 De Janeiro a Fevereiro, e de Junho a Novembro.
22.3 Vamos usar uma regra de três simples:
25.3 Em Junho, pois é quando o preço das maçãs é mais baixo.
N.º litros de tinta Área (em m2)
5 40
4,2 x 26. Pág. 64

4,2 * 40 26.1 170 , 200 , 230 e 260 .


x= = 33,6
5 26.2 O João gastou 80 euros.
Resposta: A Inês pintou 33,6 m2 .
26.3 20 + 30x = 440 §
22.4 Para pintar o prédio com tinta da marca A seriam necessários § 30x = 440 - 20 §
40 litros de tinta (5 * 12,5 = 62,5 ; já que 500 : 40 = 12,5) .
§ 30x = 420 §
Para pintar o prédio com tinta da marca B seriam necessários,
420
500 § x= § x = 14
1
aproximadamente 84 litros de tinta já que
30 2
* 5 ) 83,3 . 30
Desta forma gastavam-se, aproximadamente, mais 44 litros de Resposta: O Pedro dormiu 14 noites no hotel.
tinta (84 - 40 = 44) da marca B que da marca A . 26.4
Resposta: Gastavam-se, aproximadamente, mais 44 litros de
tinta da marca B que da marca A .

23.
CEXM8 © Porto Editora

• O ponto P pode corresponder ao Pedro porque como os


dois testes lhe correram muito bem, tanto o valor da abcissa
(pontuação a Língua Portuguesa), como o valor da ordenada
(pontuação a Matemática) são valores altos.

20
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

27. 30.
27.1 30.1
Número de dias Custo do aluguer Tempo (horas) Custo (Æ)

1 170 1 13

2 190 2 16

3 210 3 19

4 230 4 22

27.2 y = 150 + 20x . 30.2


27.3

28.
28.1

31. Pág. 66
31.1

28.2 Por exemplo: y = - 2x + 1 .

29. Pág. 65
29.1
Número de horas Custo (Æ)
31.2 Usando uma regra de três simples temos que:
1 35 Custo (em euros) Custo (em libras)

2 45 10 15
22 x
3 55
22 * 15
x= = 33
B 10
Resposta: A boneca custa 33 libras.
y y = 25 + 10x
31.3 Usando uma regra de três simples, temos que:
29.2 Temos que: Custo (em euros) Custo (em libras)
25 + 10 * 5 = 25 + 50 = 75 10 15
Resposta: A Cristina pagará 75 euros. x 90
29.3 Temos que: 10 * 90
CEXM8 © Porto Editora

x= = 60
25 + 10x = 55 § 10x = 55 - 25 § 10x = 30 § 15
30 Resposta: A jarra da Vista Alegre custa 60 euros.
§ x= § x=3
10
Resposta: A máquina levou 3 horas a arranjar.
21
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

32. y = 50 + 40x 38.


3 3
38.1 Foi o João quem ganhou a corrida.
Total n.° de meses
38.2 1000 m = 1 km
32.1 Tempo = meio ano = 6 meses
1 km
y = 50 + 40 * 6 § y = 50 + 240 § y = 290 João: vmédia = ) 0,14286 km/min
7 min
Resposta: A mãe da Ana pagou 290 Æ . vmédia = 0,142 86 * 60
tuvmin ) 8,57 km/h
32.2 530 = 50 + 40x § 530 - 50 = 40x § 480 = 40x § 1h
480 1 km
§ = x § x = 12 Pedro: vmédia = = 0,1 km/min
40 10 min
Resposta: A mãe da Ana levou 12 meses a pagar o televisor. vmédia = 0,1 * 60 = 6 km/h
1 km
António: vmédia = ) 0,086 96 km/min
33. Pág. 67 11,5 min
vmédia = 0,086 96 * 60 ) 5,22 km/h
33.1 O Carlos percorreu mais 50 metros que o João (O Carlos per-
correu 550 metros e o João 500 metros). Resposta: A velocidade média do João, do Pedro e do António
é, respectivamente 8,57 km/h aproximadamente, 6 km/h e
33.2 Aos 52,5 segundos e aos 97,5 segundos (ou 1 min 37,5 segun-
5,22 km/h aproximadamente.
dos)
33.3 45 segundos (Dos 52,5 segundos ao 1 min 37,5 segundos) 38.3 Foi o Pedro quem correu a uma velocidade constante.

33.4 O João venceu a corrida e cortou a meta 15 segundos antes do 38.4 Por exemplo: A corrida dos 1000 metros
Carlos, logo o João ganhou a aposta. O João, o Pedro e o António participaram numa corrida de 1000
metros.
34.
O João percorreu os primeiros 400 metros em apenas um
34.1 y = 50 + 40 * 3 § y = 50 + 120 § y = 170
minuto, depois percorreu mais 200 metros em 5 minutos e os
Resposta: Se alugarmos o barco 3 horas temos que pagar 170 Æ . últimos 400 metros em apenas um minuto, chegando à meta em
34.2 130 = 50 + 40x § 130 - 50 = 40x § 80 = 40x § primeiro.
80 O Pedro chegou à meta em segundo lugar.
§ x= § x=2
40
Efectuou todo o percurso (1000 metros) a uma velocidade cons-
Resposta: Se pagarmos 130 Æ quer dizer que alugamos o barco
tante de 100 metros por minuto, ou seja, percorreu os 100
por 2 horas.
metros em 10 minutos.
35. Como f (x) = 2x + 1 , então tem-se: O António chegou à meta em último lugar, percorrendo os
f (x) = 16 § 2x + 1 = 16 § 2x = 16 - 1 § 2x = 15 § 1000 metros em 11 minutos e 30 segundos. Percorreu os pri-
15 meiros 400 metros em 8 minutos e os restantes 600 metros
§ x= § x = 7,5
2 em 4 minutos e meio.
Resposta: x = 7,5 .

36. Como g (x) = 1 - 2x , então tem-se: 1. Pág. 69


4
1 - 2x = 5 § - 2x = 5 - 1 § - 2x = 4 § x = § x=-2 1.1 III ;
-2
Resposta: x = - 2 . 1.2 III ;
1.3 II ;
37. Pág. 68 1.4 III .
37.1 A piscina tem 25 metros de comprimento.
37.2 Cada atleta percorreu 100 metros. 2. A-2 B - 11 C-8 D-4 E - 12 Pág. 70
F - 13 G-7 H-9 I-3 J-6
37.3 Foi a Ana quem ganhou a corrida.
37.4 Sim, porque ela fez a primeira volta num minuto e a Ana num
3. Pág. 71
minuto e 10 segundos, logo ao fim da primeira volta era a Joana
que ia à frente. 3.1 Não, por exemplo, às 9 horas correspondem dois valores diferen-
tes de dinheiro existente na máquina do multibanco, 2500 euros e
37.5 Ana: 8500 euros.
Fez a primeira “piscina” em 40 segundos, voltando ao início em
3.2 5000 - 2500 = 2500
30 segundos, a próxima “piscina” fez também em 30 segundos e
o regresso à meta também em 30 segundos, ganhando a prova, Resposta: 2500 euros.
pois nas quatro piscinas fez um total de 2 minutos e 10 segundos. 3.3 Duas vezes, às 9 horas e às 16 horas.
Joana: 3.4 5000 - 2500 = 2500 Æ
Fez a primeira “piscina” em 30 segundos, regressando também 8500 - 1000 = 7500 Æ
em 30 segundos, a próxima “piscina” fez em 30 segundos tam- 6000 - 4500 = 1500 Æ
CEXM8 © Porto Editora

bém, mas o regresso à meta foi feito em 50 segundos. Concluiu a


2500 + 7500 + 1500 = 11 500 Æ
prova em 2 minutos e 20 segundos, ficando em segundo lugar.
Resposta: 11 500 Æ .

22
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

2500 Æ 7500 Æ 1500 Æ


3.5 = 500 Æ/h ; ) 1071,43 Æ/h ; = 375 Æ/h . 6. Pág. 74
5 7 4
Gráfico 1: (E) ;
Por exemplo:
Gráfico 2: (F) ;
Resposta: Foi das 9 h às 16 h , porque é neste período de tempo
Gráfico 3: (D) ;
que há mais pessoas na rua.
Gráfico 4: (B) ;
3.6 Não, porque os levantamentos podem ser maiores ou menores, ou
seja, podem não ser todos do mesmo valor. Gráfico 5: (A) ;
Gráfico 6: (C) .
4. Pág. 72
4.1 Valor da compra = 500 Æ 7. Pág. 75
Distância = 45 km 15
7.1 = 7,5 minutos.
2
P = 500 + 25 * 1,30 § P = 500 + 32,5 § P = 532,5
Resposta: 7 minutos e 30 segundos.
Resposta: O Pedro vai pagar 532,50 Æ .
7.2 Gráfico D .
4.2 Distância = 325 km
segunda-feira
8. Pág. 76
P = 1337,50 Æ
8.1 a) f (0) = 2 * 0 + 5 = 5
1337,50 = x + 305 * 1,50 § 1337,50 = x + 457,5
§ x = 880 Resposta: A altura do 1.° poste é 5 metros.

Resposta: O móvel custou 880 Æ . b) x = 40


f (40) = 2 * 40 + 5 = 80 + 5 = 85
5. Pág. 73 Resposta: A altura do 2.° poste é 85 m .
5.1 Capacidade de 1 copo = 32 cl
c) Temos que, 85 - 5 = 80 .
2
6 litros cheia Resposta: A diferença de alturas dos dois postes é 80 metros.
3
x 1
d) Aplicando o Teorema de Pitágoras, vem que:
6*1 6 18
x= § x= § x= § x=9 h2 = 802 + 402
2 2 2
3 3 § h2 = 6400 + 1600
Resposta: A máquina leva 9 litros de sumo de laranja. § h2 = 8000
h>0
5.2 a) Nenhum. ± h = œ8000
b) 9 - 2 = 7 § h ) 89,4
Resposta: 7 litros . Resposta: O comprimento do fio é aproximadamente 89,4 metros.
5.3 10 h " 8 litros
8.2 a) f (0) + f (1) = 3 + (- 1 + 3) = 3 - 1 + 3 = 6 - 1 = 5
12 h " 1 litro 8 - 1 = 7 litros = 700 cl
700 cl b)
= 28 x y=-x+3 (x , y)
25 cl
Resposta: Foram vendidos 28 copos de sumo de laranja. 0 3 (0 , 3)

5.4 5 l + 6 l = 11 l 1 -1+3=2 (1 , 2)

Resposta: 11 litros.
5.5

c) Como f (x) = 6 , então tem-se:


f (x) = 6 § - x + 3 = 6 §
§ -x=6-3 § -x=3 § x=-3
Resposta: x = - 3 .
CEXM8 © Porto Editora

d) Não, porque o seu gráfico, embora seja uma recta, esta não
passa no ponto (0 , 0) , ou seja, na origem do referencial (ou,
porque não é uma função do tipo y = ax , com a 0 0).
20 copos * 25 cl = 500 cl = 5 l
8,6 - 5 = 3,6

23
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

9. Pág. 77 11. Pág. 79


9.1 Temperatura = 1535 °C e K = C + 273 , então tem-se: 11.1 a) 74 kg ;
K = 1535 + 273 § K = 1808 b) 1,76 metros.
Resposta: 1808 K . 11.2 Não, pois no gráfico só é possível ler e associar alturas iguais ou
superiores a 150 cm e pesos iguais ou superiores a 45 kg e uma
9.2 780 kelvin e K = C + 273, então temos:
criança, normalmente, tem altura e peso inferiores a estes valores.
780 = C + 273 § C = 780 - 273 § C = 507
P
780 K = 507 °C 11.3 I = Ana: 170 cm = 1,7 m
a2
Por outro lado temos que: 65 kg
9 9 65
F = C + 32 , logo, F = * 507 + 32 § F = 912,6 + 32 § I= § I ) 22,5 (1 c. d.) kg/m2
5 5 1,72
§ F = 944,6
Resposta: A Ana não é uma pessoa obesa, uma vez que
Resposta: O zinco funde a 944,6 °F . 22,5 kg/m2 < 24,9 kg/m2 .

9.3 0° C
12. Pág. 80
K = C + 273 § K = 0 + 273 § K = 273
9 12.1 a) 70 pulsações por minuto.
F = C + 32 § F = 0 + 32 § F = 32
5 b) 60 minutos (ou 1 hora).
Resposta: A temperatura correspondente a 0 ºC em kelvin são c) 10 minutos (entre os 30 e os 40 minutos).
273 kelvin e em graus Fahrenheit são 32 °F . d) 100 pulsações por minuto.
9 9 e) Aos 10 e aos 55 minutos.
9.4 F = C + 32 § F - 32 = C § 5F - 160 = 9 C §
5 5
5F - 160 12.2 a) 220 - 60 = 160 " Ritmo cardíaco máximo recomendado para
§ 9C = 5F - 160 § C = (1) a Joaquina
9
K = C + 273 § Resposta: A Joaquina nunca atingiu o ritmo cardíaco máximo
§ C = K - 273 , substituindo este valor de C em (1) , vem que: recomendado, já que o número de pulsações por minuto atingido
5F - 160 pela Joaquina foi de 140 .
K - 273 = § 9K - 2457 = 5F - 160 §
9 b) 70% de 160 = 0,7 * 160 = 112
§ 9K - 2457 + 160 = 5F § 9K - 2297 = 5F § 85% de 160 = 0,85 * 160 = 136
9K - 2297 Ora pretendemos saber quais os períodos de tempo em que o
§ 5F = 9K - 2297 § F = § F = 1,8K - 459,4 c.q.m.
5 número de pulsações por minuto da Joaquina se situou entre os
Resposta: A fórmula que relaciona os graus Fahrenheit com os kelvin 112 e 136 .
é F = 1,8K - 459,4 .
Este facto ocorreu durante, aproximadamente 12 minutos
(dos 25 aos 32 minutos e dos 38 aos 43 minutos).
10. Pág. 78
Resposta: O ritmo cardíaco ideal da Joaquina deve situar-se entre
10.1 Por exemplo: Ao longo dos primeiros 20 anos de vida os dois as 112 e as 136 pulsações por minuto, o que se verificou
irmãos tiveram o mesmo peso aos 10 anos (ambos pesavam 30 durante 12 minutos.
kg) e aos 15 anos (ambos pesavam 55 kg) . Aos 20 anos o
c) Por exemplo: Eu chamo-me Cristina e tenho 13 anos.
Paulo pesava cerca de 15 kg mais que a Teresa. Os períodos
O meu ritmo cardíaco máximo recomendado é 207 , e o meu
de tempo em que o Paulo pesava mais que a Teresa foi dos 0
ritmo cardíaco ideal deve variar entre os 144,9 e 175,95 pul-
anos aos 10 anos e dos 15 anos aos 20 anos. Nos primeiros
sações por minuto, quando me encontro a praticar exercício
10 anos de vida a diferença de peso entre os dois irmãos era
físico.
pouca e aos 10 anos até tinham o mesmo peso. Dos 10 anos
aos 20 anos a diferença de peso já foi significativa, até aos 15 Cálculos auxiliares:
anos a Teresa pesava mais do que o Paulo e a partir daí o Paulo 220 - 13 = 207
passou a pesar sempre mais que a Teresa.
70% de 207 = 0,7 * 207 = 144,9
10.2 Paulo: 75 kg e 1,75 m de altura
85% de 207 = 0,85 * 207 = 175,95
Teresa: 60 kg e 1,60 m de altura
75 75
IPaulo = = ) 24,5 kg/m2 ; 13. Pág. 81
1,752 3,0625
60 60 13.1 a) 60 km .
ITeresa = = = 23,4375 kg/m2 .
CEXM8 © Porto Editora

1,62 2,56 b)
Distância (km) 36 144 180
Resposta: O índice de massa corporal do Pedro é 24,5 kg/m2 e o
da Teresa é 23,4385 kg/m2 , visto isto nem o Paulo nem a Teresa Gasolina necessária (litros) 1,2 4,8 6
são pessoas obesas.
c) Por leitura no gráfico, podemos afirmar que a “moto-quatro”
da Joana gasta, aproximadamente, 3,3 litros de gasolina por
cada 100 km. Logo, consome mais que a “moto-quatro” do
João.

24
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 2

13.2 a) Custo das peças = 35 Æ 15.2


Custo mão-de-obra = 12 Æ
C = (35 + 12) * 1,7 § C = 47 * 1,7 § C = 79,90 Æ .
Resposta: 79,90 Æ .

b) C = 103,70 Æ
Custo das peças = 36 Æ
103,70
103,70 = (36 + x) * 1,7 § = 36 + x §
1,7
§ 61 = 36 + x § x = 61 - 36 § x = 25
Resposta: 25 Æ .

15.3 5 + 0,3x = 10 + 0,1x §


14. Pág. 82
§ 0,3x - 0,1x = 10 - 5 §
14.1
§ 0,2x = 5 §
5
§ x= § x = 25
0,2
ou lendo no gráfico a abcissa do ponto de intersecção dos dois
gráficos.
Resposta: Para 25 chamadas.
15.4 Deve escolher a empresa TOQUE, pois até 25 minutos de cha-
madas por mês é mais vantajoso escolher esta empresa.
15.5 Sim, porque para mais de 25 minutos de chamadas por mês é
14.2 a) 3 Æ mais vantajoso (mais económico) a companhia de telefones
TRIM.
b) 7,8 Æ
14.3 a) 4,2 Æ
16. Pág. 84
b) 14,1 Æ
16.1 30 litros.
14.4 (A)
16.2 1 hora.
14.5 Porque se o preço original for 0 Æ , o preço com a redução tam- 16.3 45 litros (50 - 5) .
bém é 0 Æ (e para além disso trata-se de uma situação de pro-
16.4 65 litros (15 + 10 + 30 + 10) .
porcionalidade directa).
16.5 Das 8 h às 12 h , 15 litros; e das 18 h às 20 h , 40 litros.
Os automóveis consomem mais quando circulam na cidade; até se
15. Pág. 83 costuma fazer a comparação entre o consumo médio e o consumo
15.1 a) b) urbano.
TOQUE TRIM 16.6 Não, porque a cada elemento do conjunto de partida não corres-
ponde um e um só elemento do conjunto de chegada. Ao valor
Minutos de chamadas Minutos de chamadas
Custo Custo 16 do tempo (em horas) corresponde uma infinidade de litros de
(por mês) (por mês)
gasóleo.
10 8 10 11
CEXM8 © Porto Editora

30 14 30 13

50 20 50 15

100 35 100 20

25
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 3
1. Pág. 94 14. Sabemos que, por dia, a Joana anda 6 km , ou seja, 6000 metros.
Cada passo da Joana corresponde a 52 cm , ou seja, 0,52
1.1
metros. Então, tem-se:
Resposta: (C)
6000
1.2 A prenda custou 60 euros; se cada pessoa contribuiu com 7 euros e * 7 ) 80 769
0,52
60
50 cêntimos, então tem-se: =8. Concluímos que, numa semana (7 dias) a Joana anda aproximada-
7,5
Resposta: (A) . mente 80 769 passos.
2. E, 80 769 passos = 8,0769 * 104 passos.
2.1 3 * 20 + 1 = 60 + 1 = 61 Resposta: (A) .
Resposta: (A) .
15. Temos que:
2.2 a = 3,21 * 103 = 3210 e 3210 < 3212 .
Resposta: (D) . b = 0,032 * 105 = 3200 e 3200 < 3212 .
c = 3 213 000 * 10- 3 = 3213 e 3213 > 2212 .
3. Pág. 95 d = 32 110 * 10- 1 = 3211 e 3211 < 3212 .
3.1 5 * 10 + 1 = 50 + 1 = 51 Resposta: (C) .
Resposta: (B) .
16. Vamos escrever cada um dos números em notação científica:
3.2 X = 0,000 000 001 15 kg = 1,15 * 10- 9 kg .
Resposta: (B) .
Y = 0,000 000 000 27 kg = 2,7 * 10- 10 kg .
4. Z = 0,000 000 000 089 kg = 8,9 * 10- 11 kg .
4.1 Resposta: (D) . Então, temos que:
4.2 Resposta: (A) . X > Y , pois 10- 9 > 10- 10 .
5. m.m.c. (2 , 6 , 9) = ? Y > Z , pois 10- 10 > 10- 11 .

2=2 m.m.c. (2 , 6, 9) = 2 * 32 = 18 dias A maior destas massas atómicas é X e a menor é Z .

6=2*3 Resposta: (A) .


9=3 2
1. Pág. 98
Resposta: (B) .
1.1
1 5 6 6
1 1 1 1
6. 1- 2 2 * 1- 2 2 = 1- 2 2 = 1 2 2 Pág. 96

Resposta: (D) .
1.2 Número de figura Número de elementos da figura
2 5 2 5 -3 3
1 1 1 1 1 3
7. 1 2 12 12 12 12
-
3
:
3
=
3
:
3
=
3
=12
1
= 3 = 27
3

1 3
Resposta: (B) .
2 6
2 3 6
1 1 1
8. 31 2 4 = 1
-
2
-
2 2 =
64
3 9

Resposta: (B) . 4 12

… …
9. 23 + 25 = 8 + 32 = 40
Resposta: (D) . 100 300
3
1 1 27
10. (- 1)2 : -
3 1 2 =1: -
27 1
=1* -
1 2
= - 27 1 2 … …

n 3n
Resposta: (C) .
11.
2.
Resposta: (B) .
2.1
12. O significado desta expressão é 2,5 * 1012 . Pág. 97
CEXM8 © Porto Editora

Resposta: (A) .
13. O significado desta expressão é 7,03 * 10- 11 .
Resposta: (B) .

26
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

3. 6.
3.1 1.° termo = 10 6.1
2.° termo = 10 + (- 2) = 8
3.° termo = 8 + (- 2) = 6
4.° termo = 6 + (- 2) = 4
5.° termo = 4 + (- 2) = 2

3.2 1.° termo = 10


2.° termo = 10 * 0,1 = 1
6.2 Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig. 7 Fig. 8
3.° termo = 1 * 0,1 = 0,1
Número 1 3 6 10 15 21 28 36
4.° termo = 0,1 * 0,1 = 0,01 de pontos
1 1 1 1 1 1 1
5.° termo = 0,01 * 0,1 = 0,001 +2 +3 +4 +5 +6 +7 +8
Resposta: A figura 8 terá 36 pontos.
4. Pág. 99
4.1 1.° termo = 2 * 1 = 2 7.
2.° termo = 2 * 2 = 4 7.1
3.° termo = 2 * 3 = 6
4.° termo = 2 * 4 = 8
5.° termo = 2 * 5 = 10

4.2 1.° termo = 2 * 1 - 1 = 1


2.° termo = 2 * 2 - 1 = 3
3.° termo = 2 * 3 - 1 = 5
4.° termo = 2 * 4 - 1 = 7 7.2
Número da figura 1 2 3 4 5
5.° termo = 2 * 5 - 1 = 9
Número de fósforos 4 6 8 10 12
4.3 1.° termo = 2 * 1 + 1 = 3
2.° termo = 2 * 2 + 1 = 5 Ora, o primeiro termo é 4 = 2 * 1 + 2 , o segundo termo é
3.° termo = 2 * 3 + 1 = 7 6 = 2 * 2 + 2 , o terceiro termo é 8 = 2 * 3 + 2 , o quarto termo é
4.° termo = 2 * 4 + 1 = 9 10 = 2 * 4 + 2 , …
5.° termo = 2 * 5 + 1 = 11 Então, o número de fósforos da figura n é 2 * n + 2 , ou seja, 2n + 2 .
Assim, a figura 10 terá 22 fósforos (2 * 10 + 2) .
4.4 1.° termo = 5 * 1 + 2 = 7
2.° termo = 5 * 2 + 2 = 12 Resposta: figura 10 : 22 fósforos;
3.° termo = 5 * 3 + 2 = 17 figura n : 2n + 2 fósforos.
4.° termo = 5 * 4 + 2 = 22
8. Pág. 100
5.° termo = 5 * 5 + 2 = 27 1
8.1 1.° termo = ou 0,5 .
2
4.5 1.° termo = 12 - 1 = 0
2
2.° termo = 22 - 1 = 3 2.° termo = ou 1 .
2
3.° termo = 32 - 1 = 8 3
3.° termo = ou 1,5 .
4.° termo = 42 - 1 = 15 2
5.° termo = 52 - 1 = 24 4
4.° termo = ou 2 .
2
4.6 1.° termo = - 12 + 1 = - 1 + 1 = 0 5
5.° termo = ou 2,5 .
2.° termo = - 22 + 2 = - 4 + 2 = – 2 2
8.2 1.° termo = 1 + 5 = 6
3.° termo = - 32 + 3 = - 9 + 3 = – 6
4.° termo = - 42 + 4 = - 16 + 4 = – 12 2.° termo = 2 + 5 = 7
5.° termo = - 5 + 5 = - 25 + 5 = – 20
2 3.° termo = 3 + 5 = 8
5. 4.° termo = 4 + 5 = 9
5.1 Regra: adicionar três unidades ao termo anterior. 5.° termo = 5 + 5 = 10
19 , 22 , 25 , 28 , 31 8.3 1.° termo = 1 * 4 - 1 = 3
5.2 Regra: multiplicar por 2 o termo anterior. 2.° termo = 2 * 4 - 1 = 7
CEXM8 © Porto Editora

32 , 64 , 128 , 256 , 512 3.° termo = 3 * 4 - 1 = 11


4.° termo = 4 * 4 - 1 = 15
5.3 Regra: cada termo, a partir do terceiro, é a soma dos dois termos
imediatamente anteriores (sequência de Fibonacci). 5.° termo = 5 * 4 - 1 = 19
13 , 21 , 34 , 55 , 89

27
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

1-5 4
8.4 1.° termo = =- =–2 9.5
2 2 Objecto Imagem
2-5 3
2.° termo = =- ou – 1,5 1 12 = 1
2 2
3-5 2 22 = 4
3.° termo = =- =–1 2
2 2
4-5 1 3 32 = 9
4.° termo = =- ou – 0,5
2 2
n n2
5-5
5.° termo = =0
2
1+2 3
8.5 1.° termo = = ou 1,5
10. Pág. 101
2 2
2+2 4 10.1 Temos que: 6 = 6 * 1 ; 12 = 6 * 2 e 18 = 6 * 3 .
2.° termo = = =2
2 2
Logo, no interior do rectângulo deve estar escrito:
3+2 5
3.° termo = = ou 2,5 “multiplicar por 6”.
2 2
4+2 6
4.° termo = = =3 10.2 Temos que: - 1 = 1 - 2 ; 0 = 2 - 2 e 1 = 3 - 2
2 2
5+2 7 Logo, no interior do rectângulo deve estar escrito:
5.° termo = = ou 3,5
2 2 “subtrair 2” ou “adicionar – 2” .
8.6 1.° termo = 1 * 0,5 - 3 = – 2,5 10.3 Temos que: 1 = 2 * 1 - 1 ; 3 = 2 * 2 - 1 e 5 = 2 * 3 - 1 .
2.° termo = 2 * 0,5 - 3 = – 2 Logo, no interior de cada um dos rectângulos deve estar escrito,
3.° termo = 3 * 0,5 - 3 = – 1,5 respectivamente, “multiplicar por 2” e “subtrair 1” ou “adicio-
4.° termo = 4 * 0,5 - 3 = – 1 nar – 1” .
5.° termo = 5 * 0,5 - 3 = – 0,5 11.
9. 11.1 Vamos procurar o valor natural n tal que
9.1 2n + 5 = 25 .
Objecto Imagem
Então, tem-se:
1 1 : 2 = 0,5 20
2n + 5 = 25 § 2n = 25 - 5 § 2n = 20 § n =
2
2 2:2=1 § n = 10 .

3 3 : 2 = 1,5 Resposta: É o termo de ordem 10 .

n n:2=
n 11.2 2 * 100 + 5 = 200 + 5 = 205
2
Resposta: O termo de ordem 100 é o 205 .
9.2 Objecto Imagem 12.
1*3 3
12.1 Dia Número de páginas lidas
1 = =1
3 3
1 1
2*3 6
2 = =2 2 2
3 3
3*3 9 3 4
3 = =3
3 3
4 8
n * 3 3n
n = =n
3 3 5 16
6 32
9.3
Objecto Imagem
7 64
1 1 * 3 + (- 2) = 3 - 2 = 1
12.2 No final dos sete primeiro dias, o Pedro já leu 127 páginas do
2 2 * 3 + (- 2) = 6 - 2 = 4
livro (1 + 2 + 4 + 8 + 16 + 32 + 64 = 127).
3 3 * 3 + (- 2) = 9 - 2 = 7 Resposta: Ainda faltam ler ao Pedro 113 páginas (240 - 127) .

n n * 3 + (- 2) = 3n - 2 13. Pág. 102


13.1 I
9.4
Objecto Imagem 1.° termo = 5 - 2 * 1 = 5 - 2 = 3
1 (1 - 1) * 4 = 0 * 4 = 0 2.° termo = 5 - 2 * 2 = 5 - 4 = 1
3.° termo = 5 - 2 * 3 = 5 - 6 = - 1
2 (2 - 1) * 4 = 1 * 4 = 4
4.° termo = 5 - 2 * 4 = 5 - 8 = - 3
CEXM8 © Porto Editora

3 (3 - 1) * 4 = 2 * 4 = 8
5.° termo = 5 - 2 * 5 = 5 - 10 = - 5
n (n - 1) * 4 = 4n - 4

28
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

II 15.
1.° termo = 3 * 1 - 5 = 3 - 5 = - 2 15.1 Os 10 primeiros números quadrados são:
2.° termo = 3 * 2 - 5 = 6 - 5 = 1 1 , 4 , 9 , 16 , 25 , 36 , 49 , 64 , 81 e 100 .
3.° termo = 3 * 3 - 5 = 9 - 5 = 4 Nota: repara que
4.° termo = 3 * 4 - 5 = 12 - 5 = 7 62 = 36 ; 72 = 49 ; 82 = 64 ; 92 = 81 e 102 = 100 .
5.° termo = 3 * 5 - 5 = 15 - 5 = 10 15.2 O termo de ordem n da sequência dos números quadrados é n2 .
III
1.° termo = 12 - 1 = 1 - 1 = 0 16. Pág. 103
2.° termo = 2 - 1 = 4 - 1 = 3
2 16.1 Número do quadrado 1 2 3 4 n
3.° termo = 3 - 1 = 9 - 1 = 8
2
Perímetro (cm) 4 8 12 16 4n
4.° termo = 42 - 1 = 16 - 1 = 15
5.° termo = 52 - 1 = 25 - 1 = 24 16.2 Número do quadrado 1 2 3 4 n

IV Área (cm2) 1 4 9 16 n2

1.° termo = 2 - (1 - 1) = 2 - 0 = 2
17.
2.° termo = 2 - (2 - 1) = 2 - 1 = 1 2 1
17.1 Temos que = , desta forma podemos concluir que
3.° termo = 2 - (3 - 1) = 2 - 2 = 0 56 28
1 1 1 2
4.° termo = 2 - (4 - 1) = 2 - 3 = - 1 > pois 21 < 28 , ou seja, > .
21 28 21 56
5.° termo = 2 - (5 - 1) = 2 - 4 = - 2
3 3 * 9 27 4 4 * 8 32
17.2 Temos que = = e = = , então
V 8 8 * 9 72 9 9 * 8 72
1.° termo = 2 * 1 = 2 27 32 4 3
< pois 27 < 32 , ou seja, > .
72 72 9 8
2.° termo = 2 * 2 = 4
18.
3.° termo = 2 * 3 = 6 1 2 5 1 4 15
18.1 - + = - + =
4.° termo = 2 * 4 = 8 18 9 6 18 18 18
(2) (3)
5.° termo = 2 * 5 = 10
3 15 12 2
=- + = =
Desta forma, temos que: 18 18 18 3
I corresponde a E 12 6 1 12 42 5
18.2 - + - =- + - =
35 5 7 35 35 35
II corresponde a D (7) (5)

III corresponde a A 30 5 25 5
= - = =
35 35 35 7
IV corresponde a C
1 1 1 1 1 1 1 1
V corresponde a B 18.3 1 9 : 32 : 1 3 : 3 - 4 2 * 1 9 * 3 2 : 1 3 * 3 - 4 2 =
1 1 1 1 4 9 1 5
27 1 9 4 2 27 1 36 36 2 27 1 36 2
13.2 I 5 - 2 * 18 = 5 - 36 = - 31 ; = : - = : - = : -
II 3 * 18 - 5 = 54 - 5 = 49 ; (4) (9)

III 182 - 1 = 324 - 1 = 323 ; 1 36 36 4


IV 2 - (18 - 1) = 2 - 17 = - 15 ;
=
27
* - 1
5
=-
135
=-215

V 2 * 18 = 36 . 19.
1 1 1 2
+2* = + =
3
+
8
=
11
4 3 4 3 12 12 12
14. (3) (4)

14.1 Por observação da figura dada podemos concluir que: 1


O quarto menino ficou com do bolo, já que
12
Número de hexágonos Número de hexágonos 11 12 11 1
1- = - = .
brancos coloridos 12 12 12 12
6=4*1+2 1
10 = 4 * 2 + 2 2 20. Pág. 104
14 = 4 * 3 + 2 3
20.1 O mínimo múltiplo comum entre 6 e 9 é 18 .
18 = 4 * 4 + 2 4
Isto significa que ao fim de 18 minutos os dois ciclistas voltarão
Desta forma, temos que:
a encontrar-se no ponto de partida.
CEXM8 © Porto Editora

para 5 hexágonos coloridos são necessários 22 hexágonos


20.2 Temos que: 6 * 3 = 18 e 9 * 2 = 18 , significa que um dos
brancos (4 * 5 + 2) .
ciclistas terá dado três voltas à pista e o outro duas voltas.
14.2 Para 10 hexágonos coloridos são necessários 42 hexágonos
brancos (4 * 10 + 2).

29
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

21. 24.6 35 * 3 * 32 = 38
21.1 Podemos resolver este problema, calculando o m.m.c. (2 , 3 , 5). 24.7 10 * 105 = 106
-1 -3 -4
Como 2 , 3 e 5 são números primos temos que 1 1 1
m.m.c. (2 , 3 , 5) = 2 * 3 * 5 = 30 .
24.8 122 * 122 = 122
Resposta: O menor número possível de alunos do 8.° ano que a 24.9 2- 3 * 2- 3 * 2 = 2- 5
escola pode ter é 30 . 24.10 8- 5 : 82 = 8- 7
21.2 Nas condições do enunciado, o número mínimo de alunos do 8.º 24.11 6- 1 : 6- 3 * 6- 2 = 60
ano que a escola pode ter é dado por m.m.c. (2 , 3 , 5 , 7). 24.12 8- 3 : 8- 2 : 81 = 8- 2
Os números 2 , 3 , 5 e 7 são primos, logo 24.13 8 : 8- 3 * 85 = 89
m.m.c. (2 , 3 , 5 , 7) = 2 * 3 * 5 * 7 = 210 .
24.14 6- 4 : 63 * 6- 1 = 6- 8
Resposta: No mínimo, a escola poderia ter 210 alunos a frequentar 1
o 8.° ano. 24.15 = 9- 2
81
22. Podemos resolver este problema, calculando o m.d.c. (360 , 504): 25.
360 2 504 2 25.1
180 2 252 2
90 2 126 2
45 3 63 3
15 3 21 3
5 5 7 7
1 1

360 = 23 * 32 * 5 504 = 23 * 32 * 7
m.d.c. (360 , 504) = 23 * 32 = 8 * 9 = 72
Para sabermos qual será a composição de cada pratinho, vamos
Vamos determinar o valor de a :
calcular o número de bolinhos de bacalhau e de rissóis que cada
prato leva: a * 107 = 10 § a = 10 : 107 § a = 10- 6 .

360 : 72 = 5 e 504 : 72 = 7 . Determinemos agora o valor de c :

Resposta: O António pode fazer 72 pratinhos, levando cada um 10- 6 * c = 100 § c = 100 : 10- 6 § c = 102 : 10- 6
deles 5 bolinhos de bacalhau e 7 rissóis. § c = 108 .
Finalmente determinemos o valor de b :
23. Vamos determinar a fracção que corresponde à parte da capacidade
do tanque que fica com água se as duas torneiras estiverem abertas, b = 107 * 108 § b = 1015 .
em simultâneo, durante uma hora. 25.2
Torneira A Torneira B
6 horas 1 tanque 4 horas 1 tanque
1 hora x 1 hora y
1 1
x= y=
6 4
1 1 2 3 5
Tem-se que: x + y = + = + =
6 4 12 12 12
(2) (3)

Determinemos então o tempo necessário para encher o tanque com Vamos determinar o valor de a :
as duas torneiras abertas. a * 10- 4 = 0,1 § a = 0,1 : 10- 4 § a = 10- 1 : 10- 4
5 § a = 103 .
1 hora
12
1 a Determinemos agora o valor de b :
103 * b = 0,001 § b = 0,001 : 103 § b = 10- 3 : 103
1 12
Logo, a = = = 2,4 .
5 5 § b = 10- 6 .
12 Por fim, determinemos o valor de c :
Resposta: Se as duas torneiras estivessem abertas, em simultâneo, o c = 10- 6 * 10- 4 § c = 10- 10 .
tanque demoraria 2,4 horas a encher, ou seja, 2 h 24 min.
26.
26.1 Temos que 1 km = 10 000 dm = 104 dm ;
24. Pág. 105
26.2 Temos que 1 dam = 100 dm = 102 dm ;
24.1 54 * 53 = 57
26.3 Temos que 1 m = 10 dm = 101 dm ;
24.2 55 * 52 * 53 = 510
CEXM8 © Porto Editora

26.4 Temos que 1 mm = 0,01 dm = 10- 2 dm ;


24.3 6- 2 * 6 - 3 = 6- 5
26.5 Temos que 1 cm = 0,1 dm = 10- 1 dm ;
24.4 4- 3 * 4- 1 * 4 = 4- 3
26.6 Temos que 10 km = 100 000 dm = 105 dm .
24.5 63 : 62 = 61

30
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

27. Pág. 106 32.


27.1 1 m2 = 10 000 cm2 = 104 cm2 ; 32.1 2 * 0,3 = 2 * 3 * 10- 1 = 6 * 10- 1
27.2 1 dam2 = 1 000 000 cm2 = 106 cm2 ; 0,2 : 0,01 = 0,2 : 10- 2 = 0,2 * 102 = 2 * 10- 1 * 102 = 2 * 10
27.3 1 dm = 100 cm = 10 cm ;
2 2 2 2
0,22 * 100 = 2,2 * 10- 1 * 102 = 2,2 * 10
27.4 1 km2 = 10 000 000 000 = 1010 cm2 ; 2,4 : 0,01 = 2,4 : 10- 2 = 2,4 * 102
27.5 1 mm = 0,01 cm = 10 cm ;
2 2 -2 2
2,3 : 0,001 = 2,3 : 10- 3 = 2,3 * 103
27.6 0,1 m2 = 104 * 0,1 cm2 = 104 * 10- 1 cm2 = 103 cm2 . Vamos, agora, escrever os números dados em notação científica e
por ordem crescente:
28.
6 * 10- 1 < 2 * 10 < 2,2 * 10 < 2,4 * 102 < 2,3 * 103
28.1 1 m3 = 1000 dm3 = 103 dm3 ;
32.2 0,21 : 0,1 = 0,21 : 10- 1 = 0,21 * 101 = 2,1 * 10- 1 * 101 = 2,1 * 100
28.2 1 dam3 = 1 000 000 dm3 = 106 dm3 ;
26 * 0,001 = 26 * 10- 3 = 2,6 * 10 * 10- 3 = 2,6 * 10- 2
28.3 1 cm3 = 0,001 dm3 = 10- 3 dm3 ;
12,1 : 0,01 = 12,1 : 10- 2 = 12,1 * 102 = 1,21 * 10 * 102 = 1,21 * 103
28.4 10 mm3 = 10 * 0,000 001 dm3 = 10 * 10- 6 dm3 = 10- 5 dm3 ;
21 * 0,001 = 21 * 10- 3 = 2,1 * 10 * 10- 3 = 2,1 * 10- 2
28.5 100 cm3 = 100 * 0,001 dm3 = 102 * 10- 3 dm3 = 10- 1 dm3 ;
Vamos, agora, escrever os números dados em notação científica e
28.6 1000 m3 = 1000 * 1000 dm3 = 103 * 103 dm3 = 106 dm3 .
por ordem crescente:
29. 2,1 * 10- 2 < 2,6 * 10- 2 < 2,1 * 100 < 1,21 * 103
29.1 217 = 2,17 * 102 ; 33.
29.2 3257 = 3,257 * 10 ; 3
33.1 1,2 * 10- 3 * 5 * 10- 2
29.3 800 000 = 8 * 105 ; = 1,2 * 5 * 10- 3 * 10- 2
29.4 0,23 = 2,3 * 10- 1 ; = 6 * 10- 5
29.5 0,0005 = 5 * 10 ; -4
33.2 6,1 * 10- 5 * 5 * 10- 4
29.6 0,032 = 3,2 * 10 ; -2
= 6,1 * 5 * 10- 5 * 10- 4
29.7 0,27 = 2,7 * 10 ; -1
= 30,5 * 10- 9
29.8 0,000 000 32 = 3,2 * 10 ; -7
= 3,05 * 10 * 10- 9
29.9 50 mil = 50 000 = 5 * 10 ; 4
= 3,05 * 10- 8
29.10 50 milhões = 50 000 000 = 5 * 10 ; 7
33.3 6,1 * 10- 2 * 0,2 * 10- 1
29.11 um milhão e meio = 1 500 000 = 1,5 * 10 ; 6
= 6,1 * 0,2 * 10- 2 * 10- 1
29.12 22,3 milhões = 22,3 * 106 = 2,23 * 107 ; = 1,22 * 10- 3
29.13 2000 * 10 = 2 * 10 * 10 = 2 * 10 ;
8 3 8 11
33.4 0,2 * 103 * 120 * 104
29.14 500 * 10- 7 = 5 * 102 * 10- 7 = 5 * 10- 5 ; = 0,2 * 120 * 103 * 104
29.15 800 000 * 2 * 10- 7 = 8 * 105 * 2 * 10- 7 = 16 * 10- 2 ; = 24 * 107
= 1,6 * 10 * 10- 2 = 1,6 * 10- 1 ; = 2,4 * 10 * 107
29.16 2,32 * 0,000 05 = 2,32 * 5 * 10 = 11,6 * 10 ; -5 -5
= 2,4 * 108
= 1,16 * 10 * 10- 5 = 1,16 * 10- 4 .
33.5 0,15 * 10- 7 * 0,005 * 105
30.
= 0,15 * 0,005 * 10- 7 * 105
30.1 2,1 * 10- 3 = 0,0021 ;
= 0,000 75 * 10- 2
30.2 5,2 * 105 = 520 000 ;
= 7,5 * 10- 4 * 10- 2
30.3 6,2 * 10- 2 = 0,062 ;
= 7,5 * 10- 6
30.4 1,2 * 10- 4 = 0,000 12 .
33.6 12,5 * 104 * 0,002 * 10
31. Pág. 107 = 12,5 * 0,002 * 104 * 10
31.1 1,2 * 10 > 1,02 * 10 , pois 1,2 > 1,02 .
5 5
= 0,025 * 105
31.2 Temos que 1,3 * 108 = 1,3 * 10 * 107 = 13 * 107 . = 2,5 * 10- 2 * 105
13 * 107 > 6,2 * 107 , pois 13 > 6,2 . = 2,5 * 103
ou 1,3 * 10 > 6,2 * 10 , pois 10 > 10 .
8 7 8 7
33.7 0,15 * 10- 2 * 100 000 * 2 * 100
31.3 1,5 * 10 < 6,7 * 10 , pois 1,5 < 6,7 .
-4 -4
= 0,15 * 10- 2 * 105 * 2 * 100
CEXM8 © Porto Editora

31.4 Temos que 5,1 * 10 = 5,1 * 10 * 10 = 0,51 * 10 .


-9 -1 -8 -8
= 0,15 * 2 * 10- 2 * 105 * 100
4,06 * 10 -8
> 0,51 * 10 -8
, pois 4,06 > 0,51 . = 0,3 * 103
ou 4,06 * 10 -8
> 5,1 * 10 -9
, pois 10 -8
> 10 -9
. = 3 * 10- 1 * 103
= 3 * 102

31
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

A + B 5,61 * 10 -2
34. Pág. 108 35.7 = , já que por 35.5 sabemos que
C 6,875 * 102
2,2 * 105 2,2 5
34.1 = * 10 = 400 * 107 A + B = 5,61 * 10- 2
0,0055 * 10 -2 0,0055 10 -2
= 4 * 102 * 107 = 4 * 109 A + B 5,61 * 10 -2
=
34.2 (8,6 * 10 ) : (2,15 * 10 )
-4 -1 C 6,875 * 102

= (8,6 : 2,15) * (10- 4 : 10- 1) 5,61 10 -2


= *
6,875 102
= 4 * 10- 3
= 0,816 * 10- 4
(5,5 * 10 -4) : (0,4 * 10 -2)
34.3 = = 8,16 * 10- 1 * 10- 4
0,55 * 105
(5,5 : 0,4) * (10 : 10 )
-4 -2 = 8,16 * 10- 5
= =
0,55 * 105
B - A 5,5 * 10 -2 - 1,1 * 10 -3
13,75 * 10 -2 35.8 = =
= = C 6,875 * 102
0,55 * 105
13,75 10 -2 5,5 * 10 -2 - 1,1 * 10 -1 * 10 -2
= * = =
0,55 105 6,875 * 102

= 25 * 10- 7 5,5 * 10 -2 - 0,11 * 10 -2


= =
6,875 * 102
= 2,5 * 10 * 10- 7
(5,5 - 0,11) * 10 -2 5,39 * 10 -2
= 2,5 * 10- 6 = = =
6,875 * 102 6,875 * 102
35. 5,39 -2
= * 10 2 = 0,784 * 10- 4 = 7,84 * 10- 1 * 10- 4 =
35.1 A * B = 1,1 * 10- 3 * 5,5 * 10- 2 6,875 10
= 1,1 * 5,5 * 10- 3 * 10- 2 = 7,84 * 10- 5 .
= 6,05 * 10- 5 36. Temos que 0,07 horas são 4,2 minutos (0,07 * 60) .
35.2 Por 35.1 sabemos que A * B = 6,05 * 10- 5 , daí: Desta forma, vem:
A * B * C = 6,05 * 10- 5 * 6,875 * 102 5,2 * 108 * 4,2 = 5,2 * 4,2 * 108
= 6,05 * 6,875 * 10 -5
* 10
2
= 21,84 * 108
= 41,593 75 * 10- 3 = 2,184 * 10 * 108
= 4,159 375 * 10 * 10- 3 = 2,184 * 109

= 4,159 375 * 10- 2 Resposta: Nesse dia, nessa cidade, foram efectuadas chamadas tele-
fónicas com a duração total de 2,184 * 109 minutos.
35.3 A * B : C = (6,05 * 10- 5) : (6,875 * 102)
37.
= (6,05 : 6,875) * (10- 5 : 102)
37.1 a) Recorrendo a uma regra de três simples temos que:
= 0,88 * 10 -7

n.° de células massa (em gramas)


= 8,8 * 10- 1 * 10- 7
1,2 * 106 1,5 * 10- 2
= 8,8 * 10 -8

1 x
35.4 A : B * C = (1,1 * 10- 3) : (5,5 * 10- 2) * (6,875 * 102)
1 * 1,5 * 10 -2
1,5 10 -2
= [(1,1 : 5,5) * (10- 3 : 10- 2)] * (6,875 * 102) Logo, x = , ou seja, x = *
1,2 * 106 1,2 106
= 0,2 * 10- 1 * 6,875 * 102 x = 1,25 * 10- 8
= 0,2 * 6,875 * 10- 1 * 102
Resposta: Cada célula tem 1,25 * 10- 8 gramas de massa.
= 1,375 * 10
b) Ora, uma célula tem 1,25 * 10- 8 gramas, então um milhão
35.5 A + B = 1,1 * 10- 3 + 5,56 * 10- 2 de células têm 1,25 * 10- 8 * 106 gramas, ou seja 1,25 * 10- 2
= 1,1 * 10- 1 * 10- 2 + 5,5 * 10- 2 gramas.
= 0,11 * 10- 2 + 5,5 * 10- 2 37.2 Recorrendo, novamente, a uma regra de três simples, temos que:
= (0,11 + 5,5) * 10 -2
Número de amostras Número de células
= 5,61 * 10 -2
1 1,2 * 106
35.6 C - A = 6,875 * 102 - 1,1 * 10- 3 80 000 x

= 6,875 * 10 - 1,1 * 10
2 -5
* 10 2
80 000 * 1,2 * 10 6
Logo, x = , ou seja, x = 96 000 * 106
CEXM8 © Porto Editora

Nota: Repara que 10- 5 * 102 = 10- 3 1


x = 9,6 * 104 * 106 § x = 9,6 * 1010 .
= 6,875 * 102 - 0,000 011 * 102
Resposta: Assim, concluímos que 80 000 amostras do mesmo
= (6,875 - 0,000 011) * 102
tamanho têm 9,6 * 1010 células.
= 6,874 989 * 102

32
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

37.3 Aplicando uma regra de três simples, temos: 38.3 a) Recorrendo a uma regra de três simples, temos que:
Número de amostras massa (em gramas) Número de grãos de arroz Massa (em kg)
1 1,5 * 10 -2
1 1,09 * 10- 5
5000 x x 1
5000 * 1,5 * 10 -2
1*1
Logo, x = , ou seja, x = 7500 * 10- 2 Logo, x = , ou seja, x ) 9,17 * 104
1 1,09 * 10 -5
x = 7,5 * 103 * 10- 2 § x = 7,5 * 10 Resposta: Num saco com 1 kg de arroz, há aproximada-
Resposta: A massa das células de 5000 amostras do mesmo mente, 9,17 * 104 grãos de arroz.
tamanho é 7,5 * 10 gramas. b) Temos que:
37.4 Recorrendo a uma regra de três simples, temos: Se um saco com 1 kg de arroz tem aproximadamente
massa(em gramas) Número de células 9,17 * 104 grãos de arroz, então um saco com 5 kg de
arroz tem cerca de 5 vezes mais, ou seja, tem cerca de
1,5 * 10- 2 1,2 * 106
4,59 * 104 grãos de arroz.
1000 x
Resposta: A Joana comprou, aproximadamente, 4,59 * 104
1000 * 1,2 * 106
Logo, x = , ou seja, grãos de arroz.
1,5 * 10 -2
38.4 Sabemos que 10 metros = 1000 centímetros.
x = 1200 * 10
6 6
§ x = 1200 * 10-2
1,5 * 10 -2 1,5 10 Então, tem-se:
§ x = 800 * 108 § x = 8 * 102 * 108 1000 103 1
= = * 106 =
§ x = 8 * 1010 8 * 10 -3
8 * 10 -3 8
= 0,125 * 106
Resposta: Num quilo deste tecido haverá 8 * 1010 células.
= 1,25 * 10- 1 * 106 = 1,25 * 105

38. Pág. 109 Resposta: São necessários 1,25 * 105 cabelos.

38.1 A massa, em gramas, de uma molécula de água é dada pelo 38.5 a) Uma hora são 60 * 60 segundos, ou seja, são 3600 segundos.
seguinte quociente: Desta forma, tem-se que, se a impressora imprime cerca de
72 8050 palavras por segundo, então numa hora imprime cerca
) 2,99 * 10- 23 .
24,08 * 1023 de 2,90 * 107 palavras
Resposta: Assim, podemos concluir que a massa de uma molécula (pois, 8050 * 3600 = 28 980 000 = 2,90 * 107)
de água é aproximadamente 2,99 * 10- 23 gramas. Resposta: Numa hora imprime cerca de 2,90 * 107 palavras.
38.2 a) Temos que 10 metros = 1000 centímetros. b) Sabemos que 1 milhão = 106 , logo cem milhões é igual a
Então, tem-se: 100 * 106 = 102 * 106 = 108 .
1000 1 * 103 1 Recorrendo a uma regra de três simples, temos que:
= = * 106 = 333 333,33 …
3 * 10 -3 3 * 10 -3 3
Número de palavras Tempo(em segundos)
Resposta: São necessários, aproximadamente 3,33 * 105 grãos
8050 1
de pólen, juntos uns aos outros, para formar um cordão com
10 metros. 108 x
108 * 1
b) Vamos, inicialmente, determinar o comprimento dessa circun- Logo, x = , ou seja, x ) 12 422,36 § x ) 1,24 * 104
8050
ferência.
1,3 * 104 Resposta: Um documento com cem milhões de palavras leva,
2 * p * raio = 2 * p * aproximadamente, 1,24 * 104 segundos a imprimir.
2
= 1,3 * 104 * p Nota: A resposta podia ser apresentada com o tempo em
horas (em vez de segundos).
) 40 840,70
Neste caso seria de cerca de 3,45 * 10 0 horas, já que
Determinemos, agora, o número de grãos de pólen necessários 12 422,36 : 3600 ) 3,45 .
para formar um cordão à volta da Terra, formando uma cir-
cunferência com centro no centro da Terra:
1,3 * 104 * p 1,3p * 104 1,3p
-5 = = * 1012
3 * 10 * 10
-3
3 * 10 -8 3
) 1,36 * 1012

Nota: Repara que 3 * 10- 3 cm = 3 * 10- 3 * 10- 5 km .


CEXM8 © Porto Editora

Já que 1 km = 100 000 cm , ou seja, 1 cm = 10- 5 km .


Resposta: São necessários, aproximadamente, 1,36 * 1012 grãos
de pólen.

33
CEXM8-RES-03
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

3
38.6 Vamos efectuar um esquema da situação apresentada. Sejam O , 41. Como o jardim tem da sua área ocupada com flores então tem
20
P e S os pontos onde se situam Júpiter, Plutão e o Sol, respecti- 17 3
vamente. 20 1 1-
202 da sua área não ocupada com flores. Sabemos que

1 2
desta área está ocupada com zonas de passeio, desta forma
3 3
desta área estão ocupadas com relva e árvores que correspondem a
595 m2 .
Pretendemos determinar x .
Assim, temos que:
x = 5,95 * 109 - 7,88 * 108
2 17 17 2 17 34 17
de são pois * = =
x = 5,95 * 10 * 108 - 7,88 * 108 3 20 30 3 20 60 30
x = 59,5 * 108 - 7,88 * 108 17 30
Daí que: 595 : = 595 * = 1050
x = (59,5 - 7,88) * 108 30 17

x = 51,62 * 108 Resposta: O jardim tem 1050 m2 de área.

x = 5,162 * 10 * 108 42. Designemos por x o número de litros de água consumida nesse
x = 5,162 * 10 9 dia, então tem-se:
45
Resposta: A distância, em km, entre Júpiter e Plutão é, aproxima- 0,3x = 45 § x = § x = 150
0,3
damente, 5,16 * 109 . Resposta: Nesse dia foram consumidos 150 litros de água.

43. Se a consola tem um desconto de 15% significa que vai custar


39. Ora, 28 prestações de 756,25 euros cada uma Pág. 110 85% (100% - 15%) do seu custo inicial.
corresponde a 21 175 euros (28 * 756,25) .
Assim, temos:
7
Por outro lado, os 21 175 euros correspondem a do valor do 0,85 * 180 = 153 .
10
3
custo do automóvel 1 -
101. 2 Resposta: A consola custará 153 euros.

Recorrendo a uma regra de três simples, temos que: 44. Vamos determinar 7,5% de 800 :
Valor (em euros) Parte a que corresponde 800 * 0,075 = 60
7 Em média, o colégio necessita de aumentar 12 alunos (60 : 5)
21 175 = 0,7
10 por ano de escolaridade.
x 1
Resposta: O colégio ficará com 860 (800 + 60) alunos.
21 175
Logo, x = = 30 250 .
0,7
45. Pág. 111
Resposta: O automóvel custou 30 250 euros.
Sabemos que o professor já corrigiu 40% dos testes e que ainda
40. Designemos por x o número de chamadas telefónicas efectuadas lhe faltam corrigir 54 testes. Deste modo concluímos que os 54
pelo Pedro nesse mês. testes correspondem a 60% dos testes.
Designemos por x o número de alunos do 8.° ano que tem este
Então, tem-se:
professor:
11 5
x+ x + 50 = x 54
21 14 0,6x = 54 § x = § x = 90 .
0,6
O m.m.c. (14, 21) = 42 , logo Resposta: O professor tem 90 alunos do 8.° ano.
11 5
x+ x + 50 = x 46. Sabemos que o banco baixou os seus lucros em 42% em relação
21 14
(2) (3) (42) (42) ao ano anterior. Então, os 12,18 milhões de euros correspondem
a 58% (100% - 42%) do lucro do ano anterior.
§ 22x + 15x + 2100 = 42x
Assim, temos:
§ 22x + 15x - 42x = - 2100
0,58x = 12,18
§ - 5x = - 2100
CEXM8 © Porto Editora

12,18
2100 x=
§ x= 0,58
5
x = 21
§ x = 420
Resposta: O lucro do banco no ano anterior ao ano passado foi de
Resposta: O Pedro, neste mês, efectuou 420 chamadas.
21 milhões de euros.
47.
47.1 Designemos por x o preço de um determinado produto.
Ora se os preços baixarem 10% esse produto custará 0,9x . No
entanto, se os preços baixarem 5% em seguida baixarem nova-
mente 5% esse produto custará 0,9025x , já que baixar duas
vezes consecutivas 5% corresponde a: 0,95x (baixou 5%)
0,95 * 0,95x = 0,9025x (baixou de novo 5%)
Concluímos que a afirmação é falsa.

34
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

47.2 Designemos por x o preço inicial de um dado produto. 51. Pág. 112
Um aumento de 5% desse produto significa que passará a custar Podemos começar por organizar os dados do enunciado:
1,05x . • há 7 cofres com 16 moedas de ouro cada um, no total estes 7
Se em seguida o mesmo produto baixar 5% passará a custar cofres têm 112 moedas de ouro.
0,9975x , pois: • há 7 cofres com 14 moedas de ouro cada um, no total estes 7
0,95 * 1,05x = 0,9975x . cofres têm 98 moedas de ouro.
A afirmação é falsa, já que 0,9975x não é igual ao preço inicial • há 10 cofres com 9 moedas de ouro cada um, no total estes 10
do produto. cofres têm 90 moedas de ouro.

48. • No total há 300 moedas de ouro (112 + 98 + 90) nos 24 cofres


(777 + 10) .
48.1 Recorrendo a uma regra de três simples temos que:
Assim, podemos desde já concluir que cada irmão terá de receber
Valor (em euros) Percentagem
100 moedas de ouro.
144,95 100
Desta forma, temos:
134,95 x
1.° irmão: 4 cofres de 9 moedas de ouro cada um;
134,95 * 100
Logo, x = ) 93,1 . 4 cofres de 16 moedas de ouro cada um.
144,95
Verificação: 4 * 9 + 4 * 16 = 36 + 64 = 100 .
Então, tem-se 100% - 93,1% = 6,9%
Resposta: A percentagem de desconto é aproximadamente 6,9% . 2.° irmão: 6 cofres de 14 moedas de ouro cada um;
1 cofre de 16 moedas de ouro.
48.2 Vamos resolver de um modo diferente do aplicado em 48.1.
Verificação: 6 * 14 + 1 * 16 = 84 + 16 = 100 .
10 225,50 - 9999,99 = 225,51
3.° irmão: 1 cofre de 14 moedas de ouro
Recorrendo, novamente, a uma regra de três simples temos que:
2 cofres de 16 moedas de ouro cada um.
Valor (em euros) Percentagem
6 cofres de 9 moedas de ouro cada um.
10 225,50 100
Verificação: 1 * 14 + 2 * 16 + 6 * 9 = 14 + 32 + 54 = 100 .
225,51 x
225,51 * 100 52. Vamos, por exemplo, fazer um esquema que possa mostrar a situação:
Logo, x = ) 2,21
10 225,50 1.°
Resposta: A percentagem do desconto é aproximadamente 2,21% .
63
49. Cada tulipa custou euros, sendo x o número total de tulipas.
x
Desta forma, temos:
63
28 * =x (x > 0) 2.°
x
1764
§ =x
x
§ 1764 = x2
§ x2 = 1764
§ x = œ1764
§ x = 42 3.°

Resposta: A Ana comprou 42 tulipas.

50. Vamos, por exemplo, usar o método de tentativa e erro.


• Se a Ana tiver um irmão e uma irmã, o seu irmão não tem
irmãos.
4.°
• Se a Ana tiver dois irmãos e duas irmãs, cada um dos seus irmãos
tem três irmãos e um irmão e três não é o dobro de um.
• Se a Ana tiver três irmãos e três irmãs, cada um dos seus irmãos
CEXM8 © Porto Editora

tem quatro irmãs e dois irmãos, o que satisfaz a condição do


enunciado (cada um dos seus irmãos tem duas vezes mais irmãs
que irmãos).

Resposta: A Ana tem três irmãos e três irmãs.

35
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

5.° 56. Vamos construir uma tabela que possa ilustrar a situação apresen-
tada:

Dia Subiu Desceu Total de metros subidos

1 0,6 m 0,3 m 0,3

2 0,6 m 0,3 m 0,6 = 2 * 0,3


1.°
3 0,6 m 0,3 m 0,9 = 3 * 0,3

… … … …

12 0,6 m 0,3 m 3,6 = 12 * 0,3

Ora, no 13.º dia e durante o dia o caracol atinge o cimo do muro,


7.°
pois já se encontra, no final do 12.º dia a 3,6 metros de altura do
solo, basta por isso subir 0,4 metros.
Resposta: 13 dias.

57. Um dos sobrinhos ficava com 3 pipos cheios, 1 pipo meio cheio
e 3 pipos vazios.
Resposta: O número mínimo de operações necessárias é 7 . Cada um dos outros dois sobrinhos ficava com 2 pipos cheios, 3
53. Designemos por x o tempo em segundo que o primeiro atleta demo- pipos meios cheios e 2 pipos vazios.
rou a cortar a meta. Desta forma, o segundo atleta demorou x + 1 58.
segundos, o terceiro atleta x + 2 segundos e assim sucessivamente.
58.1 Determinemos a quantidade de azoto:
Então, tem-se: 39
* 37 = 28,86
x + x + 1 + x + 2 + x + 3 + x + 4 + x + 5 + x + 6 + x + 7 + x + 8 = 450 50
§ 9x + 36 = 450 Determinemos, agora, a quantidade de oxigénio:
§ 9x = 450 - 36 21% de 37 = 0,21 * 37 = 7,77 .
§ 9x = 414 Resposta: Em 37 m3 de ar existem 28,86 m3 de azoto e 7,77 m3
414 de oxigénio.
§ x=
9
39
§ x = 46 58.2 Temos que = 0,78 , ou seja, 78%
50
Resposta: O primeiro atleta demorou 46 segundos a cortar a Recorrendo a uma regra de três simples, temos que:
meta.
Quantidade de composto Percentagem
54. (em m3) correspondente
Sala Turma
6,23 21
1 A
x 78
2 C
6,23 * 78
Logo, x = = 13,14
3 D 21
Resposta: No quarto do António existem 23,14 m3 de azoto.
4 B

5 E
1. Pág. 114
-2 -2
1 1 3 1 1 1-3
4 2 1
1.2 - : -
4 4
- - 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2
4
= -
4
- -
1
= -
4
- 16
55. Designemos por x a quantia, em euros, que o João Pág. 113
= (- 4)2 - 16 = 16 - 16 = 0 " dos
poupou no primeiro dia.
2 2 2 2
3 5 1 1 3 5 1 1
Então, tem-se: 1.3 1 5 2 * 1- 9 2 - 9 + 1- 3 2 = 3 5 * 1- 9 24 - +
9 9
CEXM8 © Porto Editora

x + x + 5 + x + 10 + x + 15 + x + 20 + x + 25 + x + 30 = 126 3 2
1 1 2
= 1- 2 + 0 = 1- 2 = " círculos
§ 7x = 126 - 105 § 7x = 21 § x = 3 . 9 3 9
0 -1000 0*(-1000) 0
Resposta: Ora, no primeiro dia, o João, poupou 3 euros, então no 4 4 4
segundo dia poupou 8 euros.
1.4 31- 3 2 4 = - 1 32 = - 1 32 = 1 " funestos

2 1
1 1 1 1 1
(- 3) -1 + - 1 2 2 1- 3 2 +
4
- +
3 (4) 4 (3)
1.5 = =
3- 3 + (- 2)4 2 (- 5)2 25
4 3 1
- + -
12 12 12 1 1 1
= = =- * =- " Das
25 25 12 25 300

36
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3


-1
1
152
1.6 (- 1)0 + (- 2) * (- 1)- 1 = 1 + (- 2) * (- 1) = 1 + 2 = 3 " mentiras 1.24 3 (- 2 - 5)0
4 = 112
5 2
= 52 = 25 " Que
1.7 (- 1) - 2 * 3 = - 1 - 4 * 3 = - 1 - 12 = – 13 " alheias
2 1
0 -1
1 1
1.8 - 1
1
-1 2
-1
= - 1
1 2
- 2
-1
= - 1 2
3 -1
= - 1 2
2 1
=–
2
" Finalmente 3 1 32 4
1.25 3 - - = (3 - 1)- 1 = 2- 1 =
2
" baloiçam
2 2 2 2 3 3
4 4
1 2 1 1 3
1- - 2-
1.9 1 -
1-2
1 - 3 -1
-1
=1-
1-
2
1
3
=1-
2 2
3 1
-
3 3
1.26
3 43 4
-
1
2
2
=
-
2
1
2
= (- 3)4 = 81 " na

1 3
1
=1-
2 1 3 3 4 3 1
=1- * =1- = - = " solitárias
1.27 [- (- 2)]- 3 - 23 = (2)- 3 - 23 = 122 -8
2 2 2 4 4 4 4
1 1 64 63
3 = -8= - =– " noite
8 8 8 8
1.10 (- 5)- 3 * (- 5)- 4 : (- 5)- 6 = (- 5)- 3 + (- 4) : (- 5)- 6 4 4 -5
1 1 3
= (- 5)- 7 : (- 5)- 6 = (- 5)- 7 - (- 6) = (- 5)- 7 + 6 = (- 5)- 1 = –
1
" As 1- 4 2 : 1- 3 2 * 1 4 2
5 1.28 2
= -5
3 3
1.11 (- 1)2 : (- 1)- 5 : (- 1)5 * 7 = (- 1)2 - (- 5) : (- 1)5 * 7 1- 4 2 * 1- 4 2
= (- 1)7 : (- 1)5 * 7 = (- 1)7 - 5 * 7 = (- 1)2 * 7 = 1 * 7 = 7 " minhas 1 1 3 4
1 3 3 -5 4 -5

1.12 32 * 33 : 36 * 3- 2 = 32 + 3 : 36 * 3- 2 = 36 : 36 * 3- 2
3- 4 : 1- 3 24 * 1 4 2 3- 4 * 1- 1 24 * 1 4 2
= =
2+(-5)
= -3
3 3
= 35 - 6 * 3- 2 = 3- 1 * 3- 2 = 3- 1 + (- 2) = 3- 3 = 132
1 3
=
1
27
" mãos 1- 4 2 1- 4 2
4 -5 4 +(-5) -1
-1 3 3 3 3
1.13 (- 1)- 20 : (- 1)- 30 * - 1
1
2 = (- 1)- 20 - (- 30) * (- 10)1 142 * 142 142 142
10 = = -3 = = -3 -3
3 3 3
= (- 1) - 20 + 30
* (- 10) = (- 1)10 * (- 10) = 1 * (- 10) 1 42
- 1 42 1 42
- -
= – 10 " estão 3 -1

1.14 4 * (2 - 2)2 : (2- 2)- 1 = 4 * 2- 4 : 22 = 22 * 2- 4 : 22


142 3 3 -1-(-3)
9 2
= =- 1 2
-3 =- 1 2 =– " murmurando
4 3 4 4 16
1 1 -1 2
= 22 + (- 4) : 22 = 2- 2 : 22 = 2- 2 - 2 = 2- 4 = 122 =
16
" cheias 4

1.15 [(- 1)5]- 5 : [(- 2)- 2]- 2 = (- 1)- 25 : (- 2)4 = - 1 : 24 Desta forma, temos:
1 Desligadas dos círculos funestos
= - 1 : 16 = - " De
16 Das mentiras alheias,
1.16 (- 1)10 001
: (- 10) = - 1 : 1 = – 1 " expectativa
0
Finalmente solitárias,
2 2 2
1 1 1 As minhas mãos estão cheias
1.17 -
2 1 2 1 2 1 2* -
2
: -
2
* (- 2)
De expectativa e de segredos
2+2 2 4 2
1 1 1 1 Como os negros arvoredos
= - 1 2
2
: - 1 2
2
* (- 2) = -
2 1 2 1 2 : -
2
* (- 2)
Que baloiçam na noite murmurando.
4-2 2
1 1
= - 1 2
2
* (- 2) = -
2 1 2 * (- 2)
2. Pág. 116
1
= (- 2)2 * (- 2) = (- 2)- 2 + 1 = (- 2)- 1 = – " e
2 2.1 0,03 : 10- 1 = 0,3 = 3 * 10- 1
-1
1
1.18 10 * (- 30)0 - - 1 22 = 10 * 1 - (- 2)1 = 10 - (- 2) 2.2 0,52 : 102 = 0,0052 = 5,2 * 10- 3

= 10 + 2 = 12 " de 2.3 4,2 : 10000 = 4,2 : 104 = 4,2 * 10- 4


-4 5 -4+5 1 2.4 0,76 * 10 * 10- 4 = 0,76 * 10- 3 = 7,6 * 10- 1 * 10- 3 = 7,6 * 10- 4
1 1 1 1 1
1.19 -
3 1 2 * -
31 2 1 2 = -
3 1 2
= -
3
=–
3
" segredos
2.5 52 * 10- 1 * 10- 4 = 52 * 10- 5 = 5,2 * 10 * 10- 5 = 5,2 * 10- 4
3 -2 2 3+(-2) 2 2.6 0,003 * 105 = 3 * 10- 3 * 105 = 3 * 102
1.20 31- 12 2 * 1- 12 2 4 * 23 =
1
31- 2 2 4 * 23
2.7 0,0003 * 104 = 3 * 10- 4 * 104 = 3 * 100 = 3
1 2 2 2
1 1 1 2.8 0,52 : 0,1 : 10- 2 = 0,52 : 10- 1 : 10- 2 = 0,52 * 10 * 102
= 31- 2 2 4 * 23 = - 1 22 * 23 = 122 * 23 = 2- 2 * 23
= 0,52 * 103 = 5,2 * 10- 1 * 103 = 5,2 * 102
= 2- 2 + 3 = 21 = 2 " Como
-2 2
2.9 1,5 * 102 * 0,2 : 105 = 150 * 0,2 : 105 = 30 : 105
1 2
1.21 -
2 1 2 +2 = -2
1 1 2 + 2 = (- 2) + 2 = 4 + 4 = 8 " os
2 2 2
= 30 * 10- 5 = 3 * 10 * 10- 5 = 3 * 10- 4

1.22 (- 5)6 * 55 : (- 5)10 = 56 * 55 : 510 = 56 + 5 : 510 2.10 1,3 * 10- 1 * 0,4 : 10- 5 = 0,13 + 0,4 : 10- 5
= 511 : 510 = 511 - 10 = 51 = 5 " negros = 0,052 : 10- 5 = 0,052 * 105 = 5,2 * 10- 2 * 105 = 5,2 * 103
CEXM8 © Porto Editora

3 (- 1) * (- 3)5 4 0
1 1 2 2.11 3,12 * 108 : (0,6 * 10- 1) = 3,12 * 108 : 0,06
1.23
(- 2) -1 : (- 1)81
=
=
1
=1* -
1 1 2 =
3,12
* 108 = 52 * 108 = 5,2 * 10 * 108 = 5,2 * 109
- :1 - 0,06
2 2
= – 2 " arvoredos

37
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 3

1,5 10 -1
2.12 1,5 * 10- 1 : (0,5 * 10- 8) = * = 3 * 107 3.2 A razão entre o comprimento do lado do 1.° quadrado e o
0,5 10 -8 10
comprimento do lado do 4.° quadrado é =8.
2.13 10- 1 * 10- 3 : 10- 4 : 10- 5 = 10- 4 : 10- 4 : 10- 5 1,25
= 10- 4 - (- 4) : 10- 5 = 100 : 10- 5 = 100 - (- 5) = 105 Logo, a razão entre a área do 1.° quadrado e a área do 4.º qua-
drado é 82 = 64 .
Assim, temos:
Desta forma, temos:
De repente coloridas
área do 1.° quadrado = 64 * área do 4.° quadrado.
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas 4.
Como a poesia ou o amor. 4.1 Temos que: 8 * 3 = 24 .
Para construir a figura 8 são necessários 24 azulejos cinzentos.
3. Pág. 117 4.2 Em cada uma das figuras temos dois azulejos brancos e um número
3.1 lado do 1.° quadrado = 10 múltiplo de três de azulejos cinzentos.

10 Vamos admitir que uma das figuras tem:


lado do 2.° quadrado = =5
2 66 azulejos cinzentos (múltiplo de três)
5 Ora 66 + 2 = 68 .
lado do 3.° quadrado = = 2,5
2
Usando este raciocínio temos:
2,5
CEXM8 © Porto Editora

lado do 4.° quadrado = = 1,25 69 + 2 = 71 ;


2 72
72 + 2 = 74 , como = 24 , concluímos que a figura 24
1,25 3
lado do 5.° quadrado = = 0,625
2 tem um total de 74 azulejos.
Área do 5.° quadrado = 0,625 * 0,625 = 0,390 625 . 4.3 3n + 2 .

38
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 4
1. A razão de semelhança que transforma A em B é 3 . Pág. 126 9. Se QR = 5 cm então BC = 2 * 5 cm = 10 cm , pois o triângulo [PQR]
1 é uma redução do triângulo equilátero [ABC] , de razão 0,5 .
A razão de semelhança que transforma B em A é .
3 Desta forma temos que:
1
A razão de semelhança que transforma D em C é . • o perímetro do triângulo [ABC] é igual a 30 cm .
3
Resposta: (C) . • o comprimento de [AC] é igual a 10 cm .
2 6 • o triângulo [ABC] é uma ampliação do triângulo [PQR] , de
2. Temos que 3 * = .
5 5 razão 2 .
Resposta: (C) . • o perímetro do triângulo [ABC] é igual a 30 cm .

3. Os comprimentos dos lados do triângulo [A'B'C'] têm o dobro do Resposta: (C) .


comprimento dos comprimentos dos lados correspondentes do
triângulo [ABC] .
10. Pág. 129
Resposta: (D) . Os triângulos [ABC] e [ADE] são semelhantes pois têm dois
ângulos geometricamente iguais, a saber:
4. A razão de semelhança que transforma Pág. 127
[ABCD] em [A'B'C'D'] é dada, por exemplo, por:
DAWE = BAWC (ângulo comum aos dois
A'B' 4 1
= = triângulos)
AB 12 3
ED W A = CBWA (ângulos agudos de lados
Resposta: (D) .
paralelos)
5. Como as fotografias são semelhantes, os comprimentos dos lados cor-
respondentes das duas fotografias são directamente proporcionais.
Assim, temos:
x 35 36 * 35
= § x= § x = 20 .
36 63 63
Resposta: (B) . E, como os triângulos são semelhantes os comprimentos dos lados
correspondentes vão directamente proporcionais, então têm-se:
6. Como os dois rectângulos são semelhantes, os comprimentos dos
seus lados correspondentes são directamente proporcionais, assim AE DE 180 x 180 * 170
= ; = § x= § x = 106,25
temos: AC BC 288 170 288

10 6 7*6 Resposta: (A) .


= § PQ = § PQ = 4,2
7 PQ 10
11. A razão de semelhança que transforma o triângulo [COD] no
Perímetro do rectângulo [PQRS] = 2 * PQ + 2 * PS triângulo [ABO] é 3 , então os dois triângulos são semelhantes e a
= 2 * 4,2 + 2 * 7 razão dos perímetros é 3 , quando consideramos uma ampliação.
= 22,4 Resposta: (B) .
Resolução: (D) .
12. O projecto B é uma redução do projecto A .
Perímetro do triângulo transformado 2 A razão de semelhança utilizada na construção do projecto B a
7. = Pág. 128 1 2
Perímetro do triângulo original 5 partir do projecto A foi = .
1,5 3
Perímetro do triângulo transformado 2
= Resposta: (C) .
5,2 5
2
Perímetro do triângulo transformado = * 5,2 = 2,08 13. Pág. 130
5
Resposta: (A) . A área da figura colorida a cor-de-rosa corresponde a nove triângu-
los [ABC] . Desta forma, temos que:
Área do triângulo transformado
8. = 1,22 9 * 10 cm2 = 90 cm2 .
Área do triângulo inicial
CEXM8 © Porto Editora

Resposta: (B) .
Área do triângulo transformado
= 1,22
15
14. Designamos por r a razão de semelhança que transforma um
Área do triângulo transformado = 1,44 * 15 = 21,6 triângulo noutro, então tem-se:
Resposta: (C) .
r2 =
1 r>0
9
± r= Œ 1
9
§ r=
1
3
A razão entre os perímetros dos dois triângulos é igual à razão de
1
semelhança, ou seja, igual a .
3
Resposta: (D) .

39
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

15. A redução efectuada foi de 30% , significa que o segmento de 3.4


recta obtido tem 70% do comprimento do segmento de recta que
a Cristina desenhou.
Então, tem-se: 20 cm * 0,7 = 14 cm .
Resposta: (A) .

16. A área da folha A4 é o dobro da área da folha A5 .


Resposta: (C) .
4.
1. Pág. 131
1.1 É o lado [QR] .
1.2 Designemos por r essa razão de semelhança. Então, tem-se:
3
r= ou r = 0,75 .
4
RP 7,65
1.3 Temos que: = 0,75 § = 0,75
CB CB
7,65
§ CB = § CB = 10,2 .
0,75
P[ABC] = 12 cm + 4 cm + 10,2 cm = 26,2 cm . 5.
QP QP
1.4 Temos que: = 0,75 § = 0,75
AB 12
§ QP = 0,75 * 12 § QP = 9
P[PQR] = 3 cm + 7,65 cm + 9 cm = 19,65 cm .

2.
2
2.1 A razão de semelhança que transforma A em B é =2.
1
4,2
2.2 A razão de semelhança que transforma D em C é = 2,1 .
2
2.3 Temos que: 2,6 * 2,5 = 6,5 e 4,2 * 2,5 = 10,5 .
O perímetro do rectângulo obtido é 2 * 6,5 + 2 * 10,5 , ou seja, 34 .

3. Pág. 132
3.1

Razão de semelhança utilizada: 3 .

3.2

3.3
CEXM8 © Porto Editora

Razão de semelhança utilizada: 2 .

40
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

6. 9.
6.1 9.1 Recorrendo a uma regra de três simples, temos que:
Comprimento no Comprimento
modelo (em cm) real (em cm)
1 60
5,6 x
5,6 * 60
x= § x = 336
1
Resposta: O comprimento real do automóvel é 3,36 metros.

9.2 Temos que 4,5 metros = 450 centímetros e 3,9 metros = 390
6.2 450
centímetros. Ora, 450 centímetros corresponde a = 7,5 cen-
60
390
tímetros no desenho e = 6,5 centímetros no desenho.
60
Então, tem-se:

6.3

7. Pág. 134
Os polígonos [ABCD] e [EFGH] são semelhantes, logo os com-
primentos correspondentes entre os dois polígonos são directa-
mente proporcionais. Assim temos: 10. Pág. 135

HG EF 30 x 30 * 10 10.1 x = 10 cm ; y = 6,4 cm e z = 91° .


= ; = § x= § x = 12
DC AB 25 10 25 10.2 x = 4 cm ; y = 130° e z = 12 cm .
HD EG 30 39 25 * 39
= ; = § y= § y = 32,5 10.3 a) A razão de semelhança que transforma A em B é
DC AC 25 y 30
12,5
= 2,5 .
Resposta: x = 12 cm e y = 32,5 cm . 5
b) A razão de semelhança que transforma B em A é
8. 5
= 0,4 .
8.1 Dois polígonos semelhantes têm os ângulos correspondentes geo- 12,5
W F = CBWA = 68° .
metricamente iguais, daí que HG
8.2 Dois polígonos semelhantes têm os comprimentos dos lados corres- 11. Pág. 136
IJ 6 3 11.1 Como os tampos de todas as quatro mesas são semelhantes,
pondentes directamente proporcionais, daí que = = .
DE 4 2 temos que:
A razão de semelhança que transforma o pentágono [ABCDE] no
1,2 0,8 1,2 * 1,6
3 = § x= § x = 2,4
pentágono [FGHIJ] é ou 1,5 . x 1,6 0,8
2
0,8 1,2 0,8 * 3
8.3 EA = 9 : 1,5 = 6 cm ;
CEXM8 © Porto Editora

= § y= § y=2
y 3 1,2
BC = 12 : 1,5 = 8 cm ;
0,8 1,2 0,8 * 1,8
HI = 6 : 1,5 = 9 cm ; = § z= § z = 1,2
z 1,8 1,2
FG = 8 : 1,5 = 12 cm .
Resposta: x = 2,4 m ; y = 2 m e z = 1,2 m .

41
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

4
11.2 Área do tampo A = 1,2 m * 0,8 m = 0,96 m2 . Perímetro da figura C = * perímetro da figura B
3
Área do tampo B = 2,4 m * 1,6 m = 3,84 m2 . 4
= * 58
Área do tampo C = 3 m * 2 m = 6 m2 . 3
232
Área do tampo D = 1,8 m * 1,2 m = 2,16 m2 . =
3
11.3 A razão entre a área do tampo A e a área do tampo D é 8
2 2
4
Resposta: Área da figura A = 1
3 2
œ28 + 80 cm2 .
132 =
9
.
Perímetro da figura A =
116
cm .
3
11.4 A razão entre o perímetro do tampo C e o perímetro do tampo 32
5 Área da figura C = œ28 + 320 .
A é . 3
2 232
12. Perímetro da figura C = cm .
3
12.1 x = 98°
y 8 15 * 8 13. Pág. 137
= § y= § y = 10
15 12 12
13.1 Designemos por r a razão de semelhança que transforma
15 12 15 * 16
= § z= § z = 20 [ABCD] em [PSRQ] . Então, tem-se:
z 16 12
PR 1 10 5
Resposta: x = 98° ; y = 10 cm e z = 20 cm . r= = = = .
AC 1,8 18 9
5
12.2 Área da figura B Resposta: A razão de semelhança é .
9
Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos: RS 5 RS 5 1,9 * 5
13.2 Temos que: = § = § RS =
h2 + 62 = 82 § h2 = 64 – 36 CD 9 1,9 9 9
§ h = œ28 9,5 95 19
§ RS = = =
9 90 18
12 * œ28 19
Área da figura B = + 12 * 15 = 6œ28 + 180 Resposta: RS = metros.
2 18
Perímetro da figura B 14.
Perímetro da figura B = 2 * 15 + 12 + 2 * 8 = 58 14.1 Vamos determinar a razão entre a altura do bolso e a altura do
emblema e a razão entre a largura do bolso e a largura do
Resposta: Área = (6œ28 + 180) cm2 ;
emblema.
Perímetro = 58 cm .
Temos então que:
12.3 A razão de semelhança que transforma a figura B na figura A é 16 12,6
8 2 § 4,6 e = 4,2 .
= . 3,5 3
12 3
Resposta: A razão de semelhança que deve ser aplicada na
Desta forma, temos:
2 ampliação do emblema de modo que este ocupe o máximo da
2
Área da figura A = 132 * área da figura B área do bolso é 4,2 .

4 14.2 Vamos determinar a altura e a largura do emblema ampliado:


= * (6œ28 + 180)
9 4,5 * 3,5 cm = 15,75 cm e 4,5 * 3 cm = 13,5 cm .
24œ28 + 720
= Resposta: No mínimo os bolsos dos casacos devem ter 15,8 cm
9 de altura e 13,5 cm de largura.
8
= œ28 + 80
3
2
Perímetro da figura A = * perímetro da figura B
15. Pág. 138
3 15.1 Como os quadriláteros [ABCD] e [EFGH] são semelhantes,
2
= * 58 temos que:
3
=
116 AB AD x 21 8 * 21
= § = § x=
3 EF EH 8 8,4 8,4
A razão de semelhança que transforma a figura B na figura C é § x = 20
16 4
= . BC AD y 21 10 * 21
12 3 = § = § y=
FG EH 10 8,4 8,4
Desta forma, temos:
2 § y = 25
4
Área da figura C = 132 * área da figura B
DC AD
= §
11 21
= § z=
11 * 8,4
16 HG EH z 8,4 21
= * (6œ28 + 180)
9 § z = 4,4
CEXM8 © Porto Editora

96œ28 + 2880
= Resposta: x = 20 m ; y = 25 m e z = 4,4, m .
9
32 15.2 P[ABCD] = (21 + 20 + 25 + 11) m = 77 m
= œ28 + 320
3 P[EFGH] = (8,4 + 8 + 10 + 4,4) m = 30,8 m

42
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

DE EB d 10 6 * 10
16. Os triângulos 1 e 3 são semelhantes pois têm os ângulos geo- b) = § = § d= § d = 7,5
CA AB 6 8 8
metricamente iguais.
Resposta: d = 7,5 cm
Os triângulos 5 e 9 são semelhantes pois têm os comprimentos
dos lados directamente proporcionais. DB EB DB 10 10 * 10
c) = § = § DB =
Os triângulos 6 e 8 semelhantes pois têm um ângulo geometri- CB AB 10 8 8
camente igual e os comprimentos dos lados adjacentes a esse § DB = 12,5
ângulo directamente proporcionais. Por outro lado, temos que:
DC = DB - CB
17. Pág. 139
§ e = 12,5 – 10
17.1 Os triângulos [ABC] e [DEF] são semelhantes porque têm um
ângulo geometricamente igual (BCWA = FEWD) e os comprimentos § e = 2,5
dos lados adjacentes a esse ângulo são directamente proporcionais Resposta: e = 2,5 cm .
15 6
110 4
= = 1,5 . 2 20.
17.2 Temos que: 20.1 A soma das amplitudes dos ângulos internos de qualquer triân-
AB AC AB 10 gulo é 180° .
= § =
DF DE 9,25 15
Assim, temos que:
9,25 * 10
§ AB = § AB ) 6,2 EDWF = 180° – 99° – 52° = 29° e BAWC = 180° – 99° – 29° = 52° .
15
P[ABC] ) (10 + 4 + 6,2) cm = 20,2 cm . Os triângulos [ABC] e [DEF] são semelhantes pois têm os
ângulos geometricamente iguais. (c.q.p.)
Resposta: O perímetro do triângulo [ABC] é aproximadamente
20,2 cm . 20.2 Os comprimentos dos lados correspondentes dos dois triângulos
são directamente proporcionais.
18.
BC AB 8 5 8-2
= § = § x= § x = 3,2 .
18.1 Os triângulos [ABC] e [DCE] são semelhantes já que têm dois DF EF x 2 5
ângulos geometricamente iguais, a saber: DE EF y 2 10 * 2
= § = § y= § y=4
• ACWB = ECWD (ângulo comum aos dois triângulos). AC AB 10 5 5
WE = CBWA (ângulos obtusos de dados paralelos). (c.q.m.)
• CD Resposta: x = 3,2 cm e y = 4 cm .

18.2 Como os triângulos [ABC] e [DCE] são semelhantes então têm


os comprimentos dos lados correspondentes directamente propor- 21. Pág. 140
cionais. 21.1 Os triângulos [ABC] e [CDE] são semelhantes pois têm dois
AB BC AB 8 3*8 ângulos geometricamente iguais, a saber:
a) = § = § AB =
ED DC 3 5 5 • ECWD = BCWA (ângulos verticalmente opostos).
§ AB = 4,8 W E = CAWB (ângulos obtusos de lados paralelos) (c.q.p.).
• CD
Resposta: AB = 4,8 cm . 21.2 Os triângulos [ABC] e [CDE] têm os comprimentos dos lados
CE DC CE 5 12 * 5 directamente proporcionais. Desta forma, temos:
b) = § = § CE =
AC BC 12 8 8
BC AB BC 18 18 * 18
= § = § BC =
§ CE = 7,5 EC ED 18 12 12
Resposta: CE = 7,5 m . § BC = 27
c) AE = AC - CE = 12 – 7,5 = 4,5 Resposta: BC = 27 cm .
Resposta: AE = 4,5 m .
22.
FE DE
19. 22.1 Temos que: FEWD = CBWA (ângulos rectos) e = = 1,5 .
CB AB
19.1 Os triângulos [ABC] e [EBD] são semelhantes pois têm dois Os triângulos [ABC] e [DEF] são semelhantes já que têm os
ângulos geometricamente iguais, a saber: comprimentos de dois lados, directamente proporcionais e o
• DBWE = CBWA (ângulo comum aos dois triângulos). ângulo por eles formado é geometricamente igual.
• BAWC = BEWD (ângulos rectos) (c.q.p.) 22.2 A razão de semelhança, r , que transforma o triângulo [ABC] no
19.2 Como os triângulos [ABC] e [EBD] são semelhantes têm os com- 9 3
triângulo [DEF] é r = = 1,5 ou .
primentos dos lados correspondentes directamente proporcionais. 6 2

a) Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que: Perímetro [ABC] 2


22.3 a) = .
Perímetro [DEF] 3
CB = CA + AB
2 2 2

§ c2 = 62 + 82 Área de [ABC] 2 2
4
b) = 132 = .
CEXM8 © Porto Editora

Área de [DEF] 9
§ c = 100
2

c>0
± c = 10
Resposta: c = 10 cm

43
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

23. 28. Pág. 142


23.1 Temos que: 28.1 a) Os triângulos A e B não são semelhantes, já que não têm os
22 15
AB 4 3 comprimentos dos lados directamente proporcionais, 0 .
• = =4* = 1,2 12 5
FD 10 10
3 b) Os triângulos C e D são semelhantes, já que têm os compri-
18 15

AC 6
= = 1,2
mentos de dois directamente proporcionais
6 1
=
5
=3 e 2
FE 5 o ângulo por eles formado é geometricamente igual.
BC 9
• = = 1,2 28.2 Pretendemos efectuar uma redução do
DE 7,5
triângulo A , usando a razão de seme-
Os triângulos [ABC] e [DEF] são semelhantes já que têm os lhança 1 : 4 , assim temos que:
comprimentos dos três lados directamente proporcionais.
12 : 4 = 3 e 5 : 4 = 1,25 .
AB
23.2 a) = 1,2 .
DF
Área de [ABC]
b) = 1,22 = 1,44 .
Área de [DEF]

24. Pág. 141


24.1 Seja r essa razão de semelhança, então tem-se: 29.
8
r= = 1,6 . 29.1 Os triângulos [ABC] e [EDC] são semelhantes pois têm dois
5
ângulos geometricamente iguais, a saber:
24.2 A altura do triângulo [SOL] relativamente ao lado [SO] é
1,6 * 4 cm = 6,4 cm . • BCWA = ECW D (ângulo verticalmente opostos) .
4*5 W E = CAWB (ângulos agudos de lados paralelos) .
• CD
24.3 A[MAR] = = 10 cm2 .
2
24.4 A[SOL] = 10 * 1,62 = 25,6 cm2 . 29.2 Os triângulos [ABC] e [EDC] têm os comprimentos dos lados
directamente proporcionais, então tem-se:
24.5 A razão entre as áreas dos dois triângulos é igual ao quadrado da
razão de semelhança. BC AB BC 10
= § = §
CE ED 6 8
25. 6 * 10
§ BC = § BC = 7,5
25.1 Recorrendo a uma regra de três simples, temos que: 8
Comprimento Comprimento Resposta: BC = 7,5 m .
no modelo (cm) real (cm)
29.3 Determinamos AC :
1 24
AC AB AC 10
30 x = § = §
CD ED 5 8
30 * 24 5 * 10
x= § x = 720 § AC = § AC = 6,25
1 8
Resposta: Na realidade o barco tem 720 cm , ou seja, 7,2 m de Determinamos BC :
comprimento.
BC AB BC 10
= § = §
25.2 A razão entre a área do casco do barco, na realidade, e a razão CE ED 6 8
2
720 6 * 10
entre a área do casco do barco, no modelo é 1 30 2 = 242 = 576 . § BC =
8
= 7,5
Desta forma, são necessários (576 * 20) ml de tinta, ou seja,
P[ABC] = (10 + 6,25 + 7,5) m = 23,75 m
11 520 ml de tinta.
Resposta: São necessários 11,52 litros de tinta. 30.
30.1 Os triângulos A e B são semelhantes pois têm os comprimentos
26. O lado do quadrado original é œ81 cm = 9 cm . 10 8 6
O lado do quadrado ampliado é 9 cm * 1,2 = 10,8 cm .
dos lados directamente proporcionais 15 = = =2 .
4 3 2
A área do quadrado ampliado é (10,8 cm) = 116,64 cm .
2 2
30.2 a) Designamos por r essa razão de semelhança, então tem-se:
10
r= =2.
CEXM8 © Porto Editora

27. No momento 1 cm corresponde a 100 cm na realidade. Deste 5


modo 1 cm2 corresponde a 10 000 cm2 na realidade. Então, tem-se:
Área de B
650 * 10 000 = 6 500 000 b) = 22 = 4 .
Área de A
A área do jardim é 6 500 000 cm2 , ou seja, 650 m2 .

44
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

c) Temos que œ2,25 = 1,5 . 33. Determinamos BC aplicando o Teorema de Pitágoras:


Vamos então desenhar um triângulo C , partindo do triân- BC2 + BD2 = CD2
gulo A , de razão 1,5 .
§ BC2 + 42 = 102
4 * 1,5 = 6
5 * 1,5 = 7,5 § BC2 = 100 – 16
3 * 1,5 = 4,5 w>0
BC
± BC = œ84 ) 9,165

Os triângulos [BCD] e [ABE] são semelhantes, pois têm dois


ângulos geometricamente iguais, a saber:
• BAWE = DCWB (dado, ver figura)
• EBWA = CBWD (ângulos rectos)
Então, tem-se:
AB EB AB 8,5
= § =
BC DB œ84 4
8,5 * œ84
§ AB = § AB § AB ) 19,476
4
Desta forma, temos:
AC = AB + BC
§ AC ) 19,476 + 9,165
31. Pág. 143
§ AC ) 28,641
31.1 Os triângulos [ABC] e [ADE] são semelhantes pois têm dois
Resposta: AC ) 29 m .
ângulos geometricamente iguais, a saber:
• DAWE = BAWC (ângulo comum aos dois triângulos)
1. Pág. 144
• CBWA = EDWA (ângulo agudos de lados paralelos)
1.1 Resposta: (D) .
DE DE
31.2 Temos que BC = § = 1,8 .
1.2 Resposta: (D) .
1,8 BC
Significa que a razão de semelhança que transforma o triângulo 11
[ABC] no triângulo [ADE] é 1,8 . 1.3 a) = 1,1 .
10
31.3 Determinemos AD : b) A área do quadrado ampliado é igual ao produto da área do
AD = 1,8 * 10 § AD = 18 . quadrado original pelo quadrado da razão de semelhança que
transforma o quadrado original no quadrado ampliado, ou seja,
Determinemos AE :
é igual a 100 * 1,12 = 100 * 1,21 = 121% de 100 .
AE y + 12
Ora, = 1,8 § = 1,8
AC y
§ y + 12 = 1,8y (pois y > 0) 2. Pág. 145
12 2.1 Os triângulos [ABE] e [ACD] são semelhantes pois têm dois
§ 1,8y – y = 12 § y = § y = 15
0,8 ângulos geometricamente iguais, a saber:
Se AC = 15 então AE = 27 . • CAWB = BAWD (ângulo comum aos dois triângulos)
P[ADE] = (18 + 27 + 27) cm = 72 cm . • AEWB = ADWC (ângulos agudos de lados paralelos).

32. Vamos efectuar um esquema da situação apresentada. 2.2 Os dois triângulos têm os comprimentos dos lados directamente
proporcionais, então tem-se:
AB BE AB 4,8 12,6 * 4,8
= § = § AB = § AB = 8,4
AC CD 12,6 7,2 7,2
Resposta: AB = 8,4 cm .

AD CD AD 7,2 9,8 * 7,2


2.3 = § = § AD = § AD = 14,7
AE BE 9,8 48 4,8
Resposta: AD = 14,7 cm .

Perímetro de Q 24
2.4 = =2.
Perímetro de P 12
A razão de semelhança que transforma o triângulo P no triângulo
Q é 2 , assim temos:
x representa a altura, em centímetros, do João.
Área de Q Área de Q
CEXM8 © Porto Editora

Como os triângulos representados são semelhantes, temos que: = 22 § =4


Área de P 6
140 84 140 * 108
= § x= § x = 180 § Área de Q = 4 * 6 § Área de Q = 24
x 108 84
Resposta: O João tem 1,80 metros de altura. Resposta: A área do triângulo Q é 24 cm2 .

45
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

3. a=
(1283 * 10 -1)2 (0,025 * 106) 6.2 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
0,025 * 106 - 1283 * 10 -1
EC 2 = DE 2 + DC 2
§ a=
(1 646 089 * 10 -2) (0,025 * 106) § (1,8 + 0,9)2 = 0,92 + DC 2 § 7,29 = 0,81 + DC 2
0,025 * 106 - 0,000 128 3 * 106
§ DC 2 = 6,48
41 152,225 * 104 w>0
DC
§ a= ± DC ) 2,55 (c.q.m.)
0,024 871 7 * 106
§ a ) 1 654 580,306 * 10– 2 6.3 Vamos determinar AC aplicando o Teorema de Pitágoras:
§ a ) 1,654 580 306 * 106 * 10– 2 BC 2 = AB 2 + AC 2
§ a ) 1,655 * 10 4
§ 1,82 = 0,62 + AC 2 § AC 2 = 2,88
w>0
AC
± AC = œ2,88
4. Pág. 146
§ AC ) 1,7
Os triângulos [AEC] , [AFB] e [BDC] são semelhantes entre si já
que têm dois ângulos geometricamente iguais, a saber: Nota: Também podíamos determinar AC usando a semelhança de
triângulos.
• BFWA = CDWB = CEWA (ângulos rectos)
Então, tem-se:
• ABWF = BCWD = ACWE (ângulos agudos de lados paralelos).
altura do tronco do cone ) 2,55 – 1,77 ) 0,85 (c.q.m.).
5. 6.4 Designemos por V o volume do tronco do cone, por V1 o volume
AB * AC 3 * 4 do cone de base menor e por V2 o volume do cone de base maior,
5.1 A[ABC] = = =6
2 2 então tem-se:
A[DEF]
= 0,252 § A[DEF] = 0,252 * 6 § A[DEF] = 0,375 1 1
V = V2 – V1 = * 0,92 * p * œ6,48 - * 0,62 * p * œ2,88
A[ABC] 3 3
V ) 1,52
Resposta: A[ABC] = 6 cm2 e A[DEF] = 0,375 cm2 .
Resposta: O volume do tronco do cone é aproximadamente igual a
5.2 Vamos determinar BC usando o Teorema de Pitágoras: 1,52 m3 .
BC > 0
w
BC 2 = AB 2 + AC 2 § BC 2 = 32 + 42 ± BC = 5 6.5 Os triângulos representados na figura são semelhantes, logo os
comprimentos correspondentes são directamente proporcionais.
Por outro lado, temos:
Assim, temos:
DE = 3 * 0,25 = 0,75
x 20 15 * 20
= § x= § x = 25
DF = 4 * 0,25 = 1 15 12 12
EF = 5 * 0,25 = 1,25 Resposta: O rio tem 25 metros de largura.
P[DEF] = 0,75 + 1 + 1,25 = 3
P[ABC] = 3 + 4 + 5 = 12 7. Pág. 148
P[DEF] 3 1 7.1 a) O triângulo [ABC] pode ser decomposto em 16 triângulos
Logo, = = = 0,25 (c.q.m.)
P[ABC] 12 4 iguais ao triângulo [GHI] . Desta forma, temos:
A[ABC] 6 Área destinada a tulipas 3 1
5.3 = = 16 (c.q.m.) = =
A[DEF] 0,375 Área destinada a relva 15 5
b) No desenho o lado do triângulo [ABC] mede 6 cm .
6. Pág. 147 Assim, podemos afirmar que 6 cm no desenho corresponde a
6.1 Os triângulos [ABC] e [DEC] representados na figura seguinte 6 m na realidade, então tem-se:
são semelhantes. 6 cm corresponde a 600 cm (6 metros)
ou seja, 1 cm corresponde a 100 cm .
A escala usada foi 1 : 100
c)

Então, tem-se:
CEXM8 © Porto Editora

AB BC 0,6 x Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que:


= § = § 0,6 (x + 0,9) = 0,9x
DE EC 0,9 x + 0,9 62 = 32 + h2 § h2 = 36 – 9 § h = œ27 (h > 0)
§ 0,6x + 0,54 = 0,9x § 0,3x = 0,54 § x = 1,8 (c.q.m.) O valor exacto, da altura do triângulo [ABC] é œ27 metros .

46
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

d) Temos que: 9.
6 * œ27 9.1 e 9.2
A[ ] 2 3œ27
A[GHI] = ABC = =
16 16 16
A área da parte do jardim destinada a tulipas é igual a
3œ27 9œ27
3* = .
16 16
9œ27
E, ) 2,92 (c.q.m.)
16
7.2
O triângulo [ABC] é uma
ampliação do triângulo [DEC]
3
de razão e é, também, uma
2
ampliação do triângulo [FGC]
de razão 3 .

9.3 A[A'B'C'D'] = 1 * 2 = 2 u. a.

Desta forma, temos: 10. Pág. 150


A[ABC] 3 2 36 9 10.1 Temos que 6 * 0,25 = 1,5 ; temos de desenhar um triângulo
A[DEC]
= 12
2
§ =
A[DEC] 4 equilátero de lado 1,5 centímetros.
9
§ A[DEC] = 36 : § A[DEC] = 16
4
A[ABC] = 32 § 36 = 9
A[FGC] § A[FGC] = 36 : 9 § A[FGC] = 4
A[FGC]
Logo, A[DEGF] = 16 – 4 = 12
A área do jardim do Pedro destinada a tulipas é 12 m2 .

8. Pág. 149
2*p*1
8.1 P = 10 * 1 + 2 * = 10 + p ) 13,1 cm .
4
p * 12 p p
8.2 A = 10 * 1 + 1 -1 4 2
* 2 = 10 + 2 – = 12 – ) 10,4 cm2 .
2 2
8.3

10.2 P[ABC] = (3 * 6) cm = 18 cm .
18
O lado do quadrado é cm = 4,5 cm .
4

13
CEXM8 © Porto Editora

8.4 O perímetro da figura ampliada é igual ao produto de pelo


10
perímetro da figura original.
2
13
A área da figura ampliada é igual ao produto de 1 10 2 pela área
da figura original.

47
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

11. Pág. 151 13. Pág. 153


11.1 Os triângulos da figura seguintes são semelhantes. 13.1 Sim, a Joana tem razão. Os triângulos A e C são semelhantes,
pois têm os comprimentos dos lados directamente proporcionais
4 2
1
2 1
= =2 . 2
3
13.2 O triângulo ampliado tem 2 * = 3 centímetros de lado, então
2
o seu perímetro é 9 cm .

13.3 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:


42 = h2 + 12 § 16 = h2 + 1
h>0
§ h2 = 15 ± h = œ15
2 * œ15
Área = = œ15 cm2 .
2

13.4 Temos que:


Então, tem-se:
Área do triângulo D
x 0,6 = r2 ,
= § 1,8x = 0,6 (x + 4) Área do triângulo A
x + 4 1,8
sendo r a razão de semelhança que transforma o triângulo A
§ 1,8x = 0,6x + 2,4 § 1,2x = 2,4 § x = 2 (c.q.m.)
no triângulo D .
11.2 a) A1 = p * 1,82 = 3,24p § A1 ) 10,2 m2 ; Então, tem-se:
b) A2 = p * 0,62 = 0,36p § A2 ) 1,1 m2 ;
9œ15
1
c) V1 = * 3,24p * 6 = 6,48p § V1 ) 20,4 m3 ; 16 9œ15 1 9
3 = r2 § r2 = * § r2 = ;
1 œ15 16 œ 15 16
d) V2 = * 0,36p * 2 = 0,24p § V2 ) 0,75 m3 ;
3
e) V = V2 – V1 = 6,48p – 0,24p = 6,24p § V ) 19,6 m3 . r= Œ 9
16
3
§ r= .
4

12. Pág. 152 13.5 Por exemplo:


12.1 Os triângulos [ABC] e [EDB] são semelhantes já que têm dois A amplitude de cada ângulo interno de qualquer triângulo equilá-
ângulos geometricamente iguais, a saber: tero é 60° , então todos os triângulos equiláteros são semelhan-
tes entre si porque têm os ângulos geometricamente iguais.
• CBWA = EBWD (ângulo comum aos dois triângulos)
Já dois triângulos isósceles nem sempre são semelhantes, como
• ACWB = BDW E (ângulos rectos)
por exemplo os triângulos A e B a seguir representados.
12.2 Os comprimentos dos lados dos dois triângulos são directamente
proporcionais. Então, tem-se:
AC AB x 8 3*8 24
= § = § x= § x= § x = 4,8
DE BE 3 5 5 5
w>0
DE
Nota: DE 2 = 52 – 42 ± DE = 3

Resposta: AC = 4,8 cm .

12.3 Temos que:


Estes dois triângulos não têm os ângulos geometricamente iguais (ou
AB CB 8 CB 8*4
= § = § CB = § CB = 6,4 não têm os comprimentos dos lados directamente proporcionais).
BE DB 5 4 5
Por outro lado temos que CE = CB - BE , ou seja, 14. Pág. 154
CE = 6,4 – 5 = 1,4 14.1 Os dois triângulos representados na figura são semelhantes, então
Resposta: CE = 1,4 cm . os comprimentos dos lados são directamente proporcionais.
Assim, temos:
12.4 A[ADEC] = A[ABC] – A[EDB]
1,25 1,25 1,25 * (1,5 + 53,7)
= § h= § h = 46
CB * AC DB * DE h (1,5 + 53,7) 1,5
= -
2 2
Resposta: O farol tem 46 metros de altura.
6,4 * 4,8 4 * 3
= -
2 2
CEXM8 © Porto Editora

= 15,36 – 6
= 9,36

Resposta: A[ADEC] = 9,36 cm2 .

48
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 4

3 1
14.2 a) Os triângulos [EFI] e [ICD] são semelhantes pois têm os 15.3 Área colorida = * 64 + * 36 = 66
4 2
comprimentos de dois lados directamente proporcionais e o
Resposta: 66 .
ângulo por eles formado geometricamente igual, a saber:
15.4 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos que:
DI CI
• = =2
EI FI EG 2 = GF 2 + FE 2 (1)

• AIWB = CIWD (ângulos verticalmente opostos)


Por outro lado, temos:
b) A razão pedida é igual à razão de semelhança que transforma
GF 2 = 36 (área do quadrado [ABFG])
o triângulo [EFI] no triângulo [ICD] , ou seja, 2 .
c) A razão pedida é igual ao quadrado da razão de semelhança que FE = BE - BF = œ64 - œ36 = 8 – 6 = 2
transforma o triângulo [EFI] no triângulo [ICD] , ou seja, 22 = 4 . Voltando a (1) , vem:
36 w>0
EG
d) Se A[ABCD] = 36 então A[ICD] = =9. EG 2 = 36 + 22 ± EG = œ40
4
Por outro lado temos que A[ICD] = 22 * A[EFI] , ou seja, 1 1 6*2
9
15.5 Área não colorida = * 36 + * 64 + = 40
A[EFI] = = 2,25 . 2 4 2
4 66 23
Então, tem-se: A razão pedida é =
40 20
A[ABFE] = A[EBI] – A[EFI] = 9 – 2,25 = 6,75 1 6*2
15.6 A[ACEG] = 36 + * 64 + = 74 .
Resposta: A[ABFE] = 6,75 cm2 . 2 2

15. Pág. 155


15.1 O triângulo [AHG] é rectângulo, já que AHW G = 90° .
15.2 Os triângulos [AHG] e [BIC] são semelhantes pois têm dois
ângulos geometricamente iguais, a saber:
CEXM8 © Porto Editora

• AHWG = BIWC (ângulos rectos)


• BAWH = CBWI = 45° ([AH] está contido na diagonal [AF] do
quadrado [ABFG] e [BI] está contido na diagonal [BD] do
quadrado [BCDE]) .

49
CEXM8-RES-04
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 5
-2 -2+1 1 2.5 - 2 (z + 1) = - (z + 3)
1. (A) = § -1 = - , falsa. Pág. 161
2 3 3 § - 2z - 2 = - z - 3
2 2+1 § -2z + z = - 3 + 2
(B) = § 1 = 1 , verdadeira.
2 3
§ -z=-1
1 1+1 1 2
(C) = § = , falsa.
2 3 2 3 § z=1
0 0+1 1 2.6 0,5 (1 - 2x) = - 2 (- 3 - 0,4x)
(D) = § 0 = , falsa.
2 3 3
§ 0,5 - x = 6 + 0,8x
Resposta: (B) . § - x - 0,8x = 6 - 0,5
2. Resposta: (C) . § - 1,8x = 5,5
3. Resposta: (D) . § 1,8x = - 5,5
5,5
§ x=-
4. Resposta: (B) . Pág. 162 1,8
x-1 x x-3 § x=-
55
5. - = § 15x - 15 - 10x = 6x - 18 18
.
2 3 5
(15) (10) (6) 3.
§ 15x - 10x - 6x = - 18 + 15 § - x = - 3 § x = 3 1
3.1 x - = 2x
2
A equação é possível e determinada em R . (2) (2)

Resposta: (B) . § 2x - 1 = 4x
6. Se há x anos a Inês tinha 12 - x anos, actualmente tem 12 anos, § 2x - 4x = 1
então daqui a x anos a Inês tem 12 + x anos. § - 2x = 1
Resposta: (B) . 1
§ x=- ou x = - 0,5
2
x x-1
1. Pág. 163 3.2 - 1 =
2 2
8 2*8+4 20
1.1 = § 4= § 4 = 4 , verdadeira. § x-2=x-1
2 5 5
§ x-x=-1+2
8 é a solução da equação.
8 2*8-1 16 - 1 15 § 0x = 1 ; equação impossível
1.2 1 - = § 1-4= § -3=
2 6 6 6 1 5
3.3 x - = 1 - x
§ - 3 = 2,5 , falsa. 3 2
(2) (3) (6)
8 não é solução da equação.
§ 2x - 15 = 6 - 6x
2.
§ 2x + 6x = 6 + 15
2.1 x - 7 = 2x - 3
§ 8x = 21
§ x - 2x = - 3 + 7
21
§ x= ou x = 2,625
§ -x=4 8
§ x=-4 1-x
3.4 1 - x - =0
2.2 1 - a - 2a = 8 - 5a + 3 2
(2) (2)
§ - a - 2a + 5a = 8 + 3 - 1 § 2 - 2x - 1 + x = 0
§ 2a = 10 § - 2x + x = - 2 + 1
§ a=5 § -x=-1
2.3 1 + 2 (a - 1) = 3a § x=1
§ 1 + 2a - 2 = 3a
1
§ 2a - 3a = - 1 + 2 3.5 1 - (x - 1) = 0
2
§ -a=1 1
§ 1- x+ =0
1
2 2
§ a=-1 (2)
2.4 3 - (1 - x) = 5 - (-2 + 3x) § 2-x+1=0
§ 3 - 1 + x = 5 + 2 - 3x § -x=-2-1
CEXM8 © Porto Editora

§ x + 3x = 5 + 2 - 3 + 1 § -x=-3
§ 4x = 5 § x=3
5
§ x= ou x = 1,25
4

50
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 5

2 (x - 1)
3.6 = 1 - (x - 2) 6.
3
2x - 2 6.1 Por exemplo:
§ =1-x+2
3 O dobro da soma de um número com três é igual à soma do dobro
(3)
desse número com três.
§ 2x - 2 = 3 - 3x + 6
6.2 Por exemplo:
§ 2x + 3x = 3 + 6 + 2
Metade da diferença entre o quádruplo de um número e dois é
§ 5x = 11 igual à diferença do dobro desse número e um.
11
§ x= ou x = 2,2 6.3 Por exemplo:
5
O António tem 14 anos e a Cristina 12 anos.
4.
Determine daqui a quantos anos a soma das idades do António e
4.1 Substituía a incógnita, no caso x , por cada um dos elementos do
da Cristina é 42 anos.
conjunto A e aquele que transformasse a equação numa igualdade
numérica verdadeira seria a solução da equação. 7.
2x - 1 x - 1 7.1 Por exemplo:
4.2 - =0
2 3 A soma de metade da idade da Ana com cinco é igual a 10 anos.
(3) (2) (6)
Que idade tem a Ana?
§ 6x - 3 - 2x + 2 = 0
7.2 Por exemplo:
§ 6x - 2x = - 2 + 3
Uma terça parte da diferença entre o dobro de um número e um é
§ 4x = 1
igual a 12 .
1
§ x= ou x = 0,25 Qual é esse número?
4
5. Pág. 164
7.3 Por exemplo:
O dobro da soma de um número com um é igual à diferença entre
5.1 Por exemplo 2x = 1 (ou qualquer equação equivalente à equação
esse número e três.
x = a , sendo a um número não natural).
Qual é esse número?
5.2 Por exemplo x = x (ou qualquer equação equivalente à equação
0x = 0 ).
8. Pág. 165
2 1 32 1
5.3 a)
3
16x -12
=
3
x+
3 2 8.1 Por exemplo:
32 2 32 1 2 (x - 1) = 2 (2x - 3)
§ x- = x+
3 6 3 3 x - 1 2x - 3
ou =
32 1 32 1 5 5
§ x- = x+
3 3 3 3 ou x - 1 + 10 = 2x - 3 + 10
32 32 1 1 8.2 Por exemplo:
§ x- x= +
3 3 3 3 x 5
2x = 10 ou = ou x - 3 = 5 - 3 .
2 2 2
§ 0x = , equação impossível.
3 9.
x+1 x-1 x+7 9.1 Por exemplo:
b) - =
3 4 12 x 1
(4) (3) x = 1 ou 2x = 2 ou = .
3 3
§ 4x + 4 - 3x + 3 = x + 7
9.2 Por exemplo:
§ 4x - 3x - x = - 4 - 3 + 7 1 1
x= ou 2x = 1 ou x + 50 = + 50 .
§ 0x = 0 , equação possível e indeterminada. 2 2
x 1 x
10.
c) +
3 2
x-
3 1
+ 20 = x 2 10.1 Por exemplo: x = - 2 .
x 1 x 1
§ + x - + 20 = x 10.2 Por exemplo: x = .
3 2 6 3
(2) (3) (6) (6) 10.3 Por exemplo: 2x - 4 = 2 (x - 2) .
§ 2x + 3x - x + 120 = 6x
11.
§ 2x + 3x - x - 6x = - 120
11.1 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação.
§ - 2x = - 120
CEXM8 © Porto Editora

x + x + 1 + x + 2 = 33 .
§ 2x = 120
Vamos resolver a equação.
§ 2x = 120 x + x + 1 + x + 2 = 33
§ x = 60 , equação possível e determinada. § 3x = 33 - 3
§ 3x = 30
§ x = 10
Resposta: Os números são: 10 , 11 e 12 .

51
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 5

11.2 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação 14.


2x + 2x + 2 + 2x + 4 = 42 . 14.1 Por exemplo:
Vamos resolver a equação: A diferença entre o dinheiro que o Pedro tem e 20 euros é igual
2x + 2x + 2 + 2x + 4 = 42 à terça parte do seu dinheiro.
x
§ 6x + 6 = 42 14.2 x - 20 =
3
§ 6x = 36 (3) (3)

§ x=6 § 3x - 60 = x
Resposta: Os números são: 12 , 14 e 16 . § 3x - x = 60
§ 2x = 60
11.3 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação
§ x = 30
2x - 1 + 2x + 1 + 2x + 3 = 45 .
Vamos resolver a equação: 15. O problema pode ser traduzido pela seguinte equação:
x x x
2x - 1 + 2x + 1 + 2x + 3 = 45 + + + 5 = x , sendo que x representa o número de frutos que
2 4 6
§ 6x + 3 = 45 tem a cesta.
§ 6x = 42 Vamos resolver a equação.
x x x
§ x=7 + + +5=x
2 4 6
Resposta: Os números são: 13 , 15 e 17 . (12) (6) (4) (24) (24)

§ 12x + 6x + 4x + 120 = 24x


12. Pág. 166 § 22x + 120 = 24x
12.1 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação: § 22x - 24x = - 120
x § - 2x = - 120
+ 8 = 16
3 § 2x = 120
Vamos resolver a equação. § x = 60
x
+ 8 = 16 Resposta: A cesta tem 60 frutos.
3
(3) (3)
§ x + 24 = 48 16. Pág. 167
§ x = 24 16.1 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação:
Resposta: O número é 24 . 2 (x - 2) + 2 (x + 5) = 18
12.2 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação Resolvendo a equação, vem:
2 (x + 8) 2x - 4 + 2x + 10 = 18
=9.
2 § 4x + 6 = 18
Vamos resolver a equação. § 4x = 12
2 (x + 8) § x=3
=9
2
Desta forma a área do rectângulo é dada por:
§ x+8=9
(3 - 2) * (3 + 5) = 8
§ x=1
A área do rectângulo [ABCD] é 8 cm2 .
Resposta: O número é 1 .
16.2 Da alínea anterior temos que o perímetro do rectângulo [ABCD]
12.3 O problema pode ser traduzido pela seguinte equação
é dado por 4x + 6 .
2 (x - 3) = 14 .
Assim, temos 4x + 6 = 6 § 4x = 0 § x = 0 .
Vamos resolver a equação. Todavia x tem de ser maior que 2 (para que os lados do rectân-
2 (x - 3) = 14 gulo tomem valores positivos). Logo, não existe qualquer valor de
§ 2x - 6 = 14 x tal que o perímetro do rectângulo é 6 cm .
§ 2x = 20 17.
§ x = 10
17.1 a) O Pedro não tem razão.
Resposta: O número é 10 . Por exemplo: a soma dos números das páginas 111 e 112 é
13. Por exemplo: 223 e a soma dos números das páginas 112 e 113 é 225 ,
desta forma é impossível que a soma obtida pelo Pedro fosse
13.1 Metade da diferença entre o número em que o Pedro pensou e um
214 .
é igual a três.
b) Sejam a e a + 1 dois números inteiros consecutivos. A sua
13.2 O dobro da soma do número em que o Pedro pensou e três é
soma é 2a + 1 , quem é sempre um número ímpar.
igual a 16 .
17.2 Não, 9 * 8 não pode ser um número ímpar. O produto de um
13.3 Metade da diferença entre o número em que o Pedro pensou e um número ímpar por um número par é sempre um número par.
CEXM8 © Porto Editora

é igual ao dobro desse número.


17.3 Não é possível.
13.4 A diferença entre o dobro do número em que o Pedro pensou e
Sejam 2x e 2x + 2 dois números pares consecutivos. A sua
cinco é igual a cinco.
soma é 4x + 2 , que nunca é um número múltiplo de quatro.

52
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 5

4
18.1 CD = x km . 22. Pág. 169
3 11
4 22.1 v = * 2 § v = 4,4
1
18.2 EF = x + 1 km .
3 2 5
Resposta: A velocidade média em milhas por hora é 4,4 .
4 24
18.3 EF =
31 2
* 6 + 1 km =
3 1 2
+ 1 km = (8 + 1) km = 9 km . 22.2 Ora 36 km por hora, corresponde a 36 000 m por 3600
4 segundos, ou seja, 10 m por segundo. Assim, temos:
3 1 2
18.4 AB = x km , logo EF = x + 1 km é o mesmo que
v=
11
* 10 § v = 22
4
11 = AB + 1 . 5
3 Resposta: A velocidade média em milhas por hora é 22 .
Determinemos AB :
11 11
4 22.3 v = s § s = v § 11 s = 5 v
11 = AB + 1 5 5
3
5
4 § s= v.
10 = AB 11
3 23.
3 E
AB = 10 * 23.1 E = mc2 § mc2 = E § m = (c 0 0) .
4 c2
30
AB = 23.2 v = v0 + at § v0 + at = v § at = v - v0
4
v - v0
AB = 7,5 km . § t= (a 0 0)
a
b*h b*h
19. A soma das amplitudes dos ângulos internos de qualquer Pág. 168 23.3 A = § = A § b * h = 2A
2 2
triângulo é 180° . Desta forma, temos: 2A
b § b= (h 0 0)
b + + 90° = 180° h
2 B+b B+b 2
23.4 A = *h § *h=A § A*
b
b + = 90° 2 2 B+b
2 2A
§ h= (B + b 0 0)
2b b
+ = 90° B+b
2 2
24.
3b
= 90° 24.1 x = 2 e y = 3 .
2
3b = 180° 2x + 3y = 13
b = 60° 2 * 2 + 3 * 3 = 13 § 4 + 9 = 13 § 13 = 13 (Verdadeira)
b
Ora se b = 60° então = 30° O par x = 2 e y = 3 é solução da equação.
2
W 1
Então, tem-se: CDA = 180° - 30° = 150° , donde resulta que. 24.2 a = 1 e b = .
2
a a
+ = 180° - 150° 2 (a - b) - (a + b) = 0
3 3
1 1 1 3 2 3
2a
3
= 30° 2 1- 1 2 2 1
- 1+
2 2=0 § 2* - =0 §
2 2
- =0
2 2
2a = 90° 1
§ - = 0 (Falsa)
2
a = 45° 1
O par a = 1 e b = não é solução da equação.
Resposta: a = 45° e b = 60° . 2

20. 1. Pág. 170


20.1 A expressão que tem maior valor é x2 . 1.1 2n + 2 ;
Se x é menor que - 2 , as expressões 2x e x + 2 tomam valo- 1.2 3n + 3 ;
res negativos, enquanto que o quadrado de um número é sempre
não negativo.
1.3 8n + 2 ;

20.2 A expressão que tem maior valor é x + 2 . 1.4 - 5n + 15 ;

20.3 A expressão que tem menor valor é x2 . 1.5 1,5n ;


1.6 2n .
21.
21.1 Pertence à secção B , após o produto é sempre um número nega- 2. Pág. 171
tivo maior que - 1 .
2.1 Área Perímetro
CEXM8 © Porto Editora

21.2 Pertence à secção A , pois o quociente é sempre um número Figura


(em cm2) (em cm)
negativo menor que - 1 .
A x2 4x
21.3 Pertence à secção D , pois o quociente é sempre um número
positivo maior que 1 . x2
B 3x
2
x2
C 2x
4

53
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 5

x * x x2
2.2 a) = 5. Pág. 174
2 2
5.1 3n + 60 - (2n + 20)
b) Determinemos o comprimento da hipotenusa, h , do triângulo,
= 3n + 50 - 2n - 20
em função de x .
= n + 40 .
Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
h2 = x2 + x2 § h2 = 2x2 § h = œ2 x 3n + 60 3n 60
5.2 = + = n + 20 .
3 3 3
O perímetro da figura D é (2x + œ2 x) cm , ou seja, (2 + œ2) x cm .
Deste modo, podemos concluir que o perímetro da figura D é 5.3 a) 3n + 60 - (2n - 5)
maior que 3x cm . = 3n + 60 - 2n + 5

A afirmação verdadeira é a (B) . = n + 65 .


b) 2n - 5 = 15
3. Pág. 172 § 2n = 20
§ n = 10
3.1 CBWG = 60° . A amplitude de qualquer ângulo interno de um
180° Então, tem-se: 3 * 10 + 60 = 90 .
triângulo equilátero é = 60° .
3 Inicialmente, o Paulo tinha 90 moedas no saco.
W
3.2 GAE = 60° .
3.3 São estritamente paralelas.
6. Pág. 175
3.4 Trapézio isósceles.
6.1
3.5 DGW F = CBWG e GFWD = GAWE , em ambos os casos trata-se de ângu- N.° de bilhetes
los agudos de lados paralelos.
10 anos ou menos mais de 10 anos valor em euros
Deste modo temos que DG W F = GFWD = 60° , logo o triângulo
[FGD] é um triângulo equilátero. 25 1 250 + 15 = 265

3.6 AB = 3x 24 2 240 + 30 = 270


3.7 P[ABCDE] = AB + BC + CD + DE + EA
Tendo em conta a tabela anterior, e como pelo menos um dos
= 3x + 2x + x + x + 2x
bilhetes terá de ser para “mais de 10 anos”, o do professor, não é
= 9x
possível que o custo total dos bilhetes possa ser 260 euros.
3.8 Ajardim = 7 * A[FGD] (1)
6.2 O professor da turma do 5.° ano comprou 10 bilhetes para
Determinamos a altura do triângulo “10 anos ou menos” e 16 bilhetes para “mais de 10 anos”,
[FGD] . tendo pago 340 euros.
Aplicando o Teorema de Pitágoras: 6.3 10x + 16y = 340
42 = h2 + 22 § h2 = 12 § h = œ12 § 10x = 340 - 16y
340 16
Voltando a (1) , vem que: § x= - y
10 10
4 * œ12 8
Ajardim = 7 * = 14œ12 ) 48,5 m2 . § x = 34 - y ou x = 34 - 1,6y .
2 5
6.4 O professor comprou 16 bilhetes para “mais de 10 anos”, sendo
4. Pág. 173 que um destes era para ele, desta forma podemos afirmar que a
C F - 32 C turma tem 15 alunos com idade superior a 10 anos.
4.1 = § F - 32 = * 9
5 9 5
9
§ F = C + 32
5 7. Pág. 176
9
4.2 F = * 0 + 32 = 32 , logo 0 °C = 32 °F . 7.1 40 minutos.
5 7.2 A Ana tem o cabelo ruivo.
9
F = * 50 + 32 = 122 , logo 50 °C = 122 °F . D
5 Da leitura da tabela, conclui-se que 40 = .
5
9
F = * 80 + 32 = 176 , logo 80 °C = 176 °F . Como 40 =
D
§ D = 200 .
5 5
C F - 32 F - 32 5F - 160 Na tabela D = 200 corresponde ao cabelo ruivo.
4.3 = § C= *5 § C=
5 9 9 9
5 * 5 - 160
4.4 C = = - 15 , logo 5 °F = - 15 °C . 8. Pág. 177
9
5 * 80 - 160 80 8.1 Gráfico A .
C= = ) 26,7 , logo 80 °F ) 26,7 °C .
9 3 8.2 3 é o comprimento de uma volta completa.
4.5 Ora, como o António se encontram em Atlanta (Estados Unidos), tal- 17
= 5,(6) .
vez estivesse a referir-se à temperatura medida em graus Fahrenheit. 3
5 * 102 - 160 O maior número possível de voltas é 5 .
CEXM8 © Porto Editora

Verifiquemos, C = ) 38,9 .
9
Temos então que 38,9° C ) 102 °F . Faz, assim, sentido dizer que
o António mediu a temperatura em graus Fahrenheit.

54
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 5

9. Pág. 178 10. Pág. 179


9.1 10.1 a) O preço a que o telemóvel foi comprado.
b)
t (meses) v (euros)

0 80

1 75

2 70

c) v = - 5 * 6 + 80 § v = 50
E , 80 - 50 = 30 , logo a desvalorização do telemóvel meio
ano após a sua compra foi de 30 euros.

10.2 O Nuno comprou o seu telemóvel por 68 euros, já que


80 * 0,85 = 68 .
Representando por x o valor inicial do telemóvel que o Pedro
comprou e sabendo que obteve um desconto de 20% , temos
9.2 No sábado passado a Inês gastou 186 cêntimos em chamadas que:
para as redes A e B . 68
0,8 * x = 68 § x = § x = 85 .
9.3 0,9x + 1,1y = 186 § 0,9x = 186 - 1,1y 0,8
Assim, o custo do telemóvel que o Pedro comprou, sem o des-
186 - 1,1y
§ x= . conto de 20% , era de 85 euros.
0,9
CEXM8 © Porto Editora

186 - 1,1 * 120


9.4 x = § x = 60 .
0,9
O tempo total de duração das chamadas efectuadas pela Inês, para
a rede A foi de 60 segundos.

55
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 6
(B) é falsa.
1. (A) O ponto O não pertence à circunferência de centro Pág. 187
O e raio 3 cm , mas pertence ao círculo de centro O e raio 3 cm . Por exemplo:

(B) O ponto C é exterior ao círculo de centro O e raio 3 cm .


(C) Os pontos O , A , D e B pertencem ao círculo de centro O
e raio 3 cm .
Resposta: (D) .

2. Resposta: (D) .

3. (C) A secção de um plano que intersecta uma esfera é um círculo.


(D) A secção de um plano que intersecta uma superfície esférica é
uma circunferência.
Resposta: (A) . Quer o círculo de centro A e raio AD , quer o círculo de cen-
tro A e raio AT , contém os pontos P , Q , R e S .
4. Resposta: (C) . Pág. 188 1.2 a) Existem duas possibilidades, a saber:
5. (A) Há uma infinidade de pontos no parque de campismo que
distam igualmente de A e de B , são todos os pontos que
pertencem à mediatriz do segmento de recta [AB] . ou
(B) e (C) Os pontos do parque de campismo que distam igual-
mente de A e de B pertencem a uma recta.
Resposta: (D) .
b) Considerando o triângulo [PQR]

6. Resposta: (B) . Pág. 189

7. Resposta: (C) . r é a mediatriz de [PQ]

P R
8. Como o plano a é o plano mediador do segmento de Pág. 190
recta [AB] e o ponto C pertence ao plano a , então este ponto
dista igualmente de A e B . Assim, podemos concluir que o triân-
gulo [ACB] é isósceles.
Resposta: (B) . Q

9. (A) O ponto E não pertence a esse conjunto.


(D) A distância entre as abcissas dos pontos A e D é 5 unidades.
r
Resposta: (B) .
Considerando o triângulo [PQS]
10. Resposta: (B) .

1. Pág. 191 r é a mediatriz de [PQ]

1.1 a) Por exemplo:

b) (A) é verdadeira. 1.3 a)


CEXM8 © Porto Editora

56
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

b) 2.° desenha-se uma semi-recta, com origem no ponto A , que forme


com o segmento de recta [AB] um ângulo de amplitude 30° .
3.° o vértice C , pertence à semi-recta desenhada que dista 3 cm
do ponto A é o terceiro vértice do triângulo [ABC] .

1.7

1.4 a) e b) Pág. 192

1.° desenha-se um segmento de recta [AB] de comprimento


menor que 5 cm ;
2.° desenha-se uma semi-recta, com origem no ponto B , que forme
com o segmento de recta [AB] um ângulo de amplitude 30° ;
3.° com centro no ponto B traça-se um arco de circunferência
com 5 cm de raio.
4.° desenha-se uma semi-recta, com origem no ponto A , perpen-
dicular ao segmento de recta [AB] .
5.° o ponto de intersecção da semi-recta desenhada no 4.° ponto
com o arco da circunferência é o terceiro vértice do triângulo
[ABC] .
r é a mediatriz de [AC] 2.
s é a mediatriz de [BC] 2.1
O é o circuncentro do triângulo [ABC] , ou seja, é o ponto de
intersecção das rectas r e s .

1.5

1.° desenha-se um segmento de recta [AB] de 3 cm de compri-


mento;
2.° com centro no ponto B traça-se um arco de circunferência O lugar geométrico desenhado é uma circunferência.
com 5 cm de raio; 2.2
com centro no ponto A traça-se um arco de circunferência
com 3 cm de raio;
3.° o ponto de intersecção dos dois arcos de circunferência é o ter-
ceiro vértice do triângulo [ABC] .

1.6
CEXM8 © Porto Editora

1.° desenha-se um segmento de recta [AB] de 5 cm de compri-


mento:

57
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

3. 5.5 lugar geométrico dos pontos pertencentes ao círculo de centro O e


raio OB e aos lados do triângulo [OAB] .
5.6 lugar geométrico dos pontos que pertencem simultaneamente ao
quadrilátero [ABCD] e ao quadrilátero [EFGH] .

6. Pág. 194

Escala 1 : 500
Significa que:
1 cm corresponde a 500 cm = 5 m
Então, tem-se:
10 m corresponde a 2 cm
16 m corresponde a 3,2 cm .

4. Pág. 193
4.1 e 4.2 Escala 1 : 100 .
Significa que 1 cm no desenho corresponde a 1000 cm na reali-
dade. Então, tem-se: r é a mediatriz de [PQ]
100 metros correspondem a 10 centímetros. Qualquer ponto pertencente à recta r está igualmente distanciado
80 metros correspondem a 8 centímetros. das casas do Paulo e do Quim e, em particular, os pontos A e B
distam 400 metros de cada uma das casas (são os pontos de
intersecção da recta r com a circunferência de centro em Q e
raio 4 cm ou de centro P e raio 4 cm . Podem plantar a árvore
em A ou em B .
7.
7.1 a) Os triângulos [ABC] e [DBC] são geometricamente iguais
porque têm os três lados geometricamente iguais, isto é,
AC = BC ; AD = AB (pois o ponto C dista igualmente de A e
de B , logo CD é a mediatriz de [AB] e [CD] é um lado
comum aos dois triângulos.
b) CD é a mediatriz do segmento de recta [AB] .

7.2 a) Como CD é a mediatriz do segmento de recta [AB] , temos


que CB = CA , logo o triângulo [ABC] é isósceles.
b) Pelo teorema de Pitágoras, temos que:
BC = CD + BD
2 2 2

132 = CD + 52
2

§ CD = 169 - 25
2

§ CD = 144
2
5.
5.1 lugar geométrico dos pontos que distam do ponto O w>0
CD
± CD = œ144
1 cm ou mais e 2 cm ou menos.
§ CD = 12
5.2 lugar geométrico dos pontos que pertencem ao círculo de centro O
AB * CD 10 * 12
e raio r e não pertencem ao quadrado de lado a unidades. A[ABC] = = = 60
2 2
CEXM8 © Porto Editora

5.3 lugar geométrico dos pontos que pertencem ao círculo de centro O Resposta: A área do triângulo [ABC] é 60 cm2 .
e raio OB e que pertencem ao triângulo [ABC] .
5.4 lugar geométricos dos pontos que pertencem ao círculo de centro
O e não pertencem ao quadrilátero [OABC] .

58
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

7.3 (A) Afirmação falsa. 9.


Por exemplo, na figura seguinte, a recta r passa pelo ponto 9.1 e 9.2 Escala 1 : 2000
médio de [AB] e não é a mediatriz de [AB] , pois r não é Significa que 1 cm no desenho corresponde a 2000 cm , ou seja,
perpendicular a [AB] . 20 m na realidade.
Então tem-se:
• 200 metros correspondem a 10 cm ;
• 80 metros correspondem a 4 cm .
Assim temos:

(B) Afirmação falsa.


Por exemplo, na figura seguinte, a recta t é perpendicular a
[AB] e não é a mediatriz de [AB] , pois não passa no ponto
médio de [AB] .

• o ponto O corresponde ao ponto onde se situa a oliveira.

10. Pág. 196


10.1

8. Pág. 195
8.1

r é a mediatriz de [AB]

Resposta: Os pontos C e D .

10.2 A recta perpendicular ao raio de uma corda é a mediatriz dessa


corda. O centro de uma circunferência dista igualmente de todos
os pontos da circunferência, logo é equidistante (dista igualmente)
dos extremos da corda, pertencendo à mediatriz.

10.3 a) Podia-se marcar sobre o arco três pontos distintos C , D e E .


Em seguida, traçava-se a mediatriz de cada uma das cordas,
t é a mediatriz de [AB]
[CD] e [DE] .
8.2
O ponto de intersecção das suas mediatrizes é o centro da cir-
cunferência que passa por C , D e E .
CEXM8 © Porto Editora

M é o ponto
médio de [AB]
s é a mediatriz
de [AM]

59
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

b) 12.3

O lugar geométrico desenhado chama-se coroa circular.

13.
13.1

13.2

11.

14. Pág. 198


14.1 lugar geométrico dos pontos do plano que pertencem ao círculo
de centro O e raio três unidades que têm abcissa positiva ou
nula e ordenada positiva ou nula.
14.2 lugar geométrico dos pontos do plano que pertencem ao círculo
de centro O e raio três unidades que têm abcissa negativa ou
nula e ordenada positiva ou nula ou que têm abcissa positiva ou
nula e ordenada negativa ou nula.
14.3 lugar geométrico dos pontos do plano cuja distância à origem do
referencial é superior ou igual a uma unidade e inferior ou igual a
t é a mediatriz de [AB] .
duas unidades e que têm ordenada maior ou igual a zero.
O é o centro da circunferência.
14.4 lugar geométrico dos pontos do plano cuja distância ao ponto de
12. Pág. 197 coordenadas (1 , 0) é maior ou igual a uma unidade e cuja dis-
tância ao ponto de coordenadas (1,5 ; 0) é menor ou igual a
12.1 e 12.2 Por exemplo:
1,5 unidades.

15.
CEXM8 © Porto Editora

60
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

16. A figura II , já que, por exemplo: Pág. 199 2. Pág. 201


2.1

a>x

r é a mediatriz de [AB]

17.

2.2

18.

s é a mediatriz de [EF]

O ponto P é o ponto de intersecção das mediatrizes de [AB] e


[BC] . 2.3

1. Pág. 200
1.1 A (6,5 ; 4,5) .
1.2 1 : 10 000 .
1.3 Por exemplo: t é a mediatriz de [GH]

2.4
CEXM8 © Porto Editora

As árvores devem estar situadas na zona representada a cor verde


distanciadas 2 cm uma da outra.

a é a mediatriz de [LK]
b é a mediatriz de [ML]

61
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

3. Pág. 202 4.2


3.1 5,5 cm , no mapa.
Logo, a distância em linha recta de Viseu a Penedono é de
5,5 * 10 km = 55 km .
3.2

As vacas podem encontrar-se dentro do campo na zona represen-


tada a cor vermelha.
4.3 A corda da terceira vaca terá de ter, no mínimo, o comprimento da
diagonal do rectângulo. Assim, pelo Teorema de Pitágoras, vem:
x2 = 102 + 82
§ x2 = 164
x>0
± x = œ164
§ x ) 12,8
No mínimo, a corda terá de ter, aproximadamente, 12,8 metros.

3.3 5. Pág. 204


5.1

O ponto P é o ponto de intersecção das mediatrizes de [AB] e


[AC] .
CEXM8 © Porto Editora

A piscina deve situar-se no ponto P .


4. Pág. 203
5.2
4.1 O desenho do rectângulo foi feito usando a escala de 1 : 100 .

62
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

6. Pág. 205 8. Pág. 207


6.1 AB = œ20 cm e AC = 5 cm , logo AB 0 AC , o que exclui as
opções (A) , (B) e (D) .
Resposta: (C) .

6.2

9.
9.1

7. Pág. 206 9.2 Segundo a escala, um quilómetro corresponde a aproximadamente


7.1 A escala utilizada foi 1 : 50 000 . Significa que 1 cm no desenho 2,3 cm .
corresponde a 50 000 cm na realidade, ou seja, a 0,5 km na reali- Seguindo o caminho assinalado a cor vermelha na figura 2, a dis-
dade. tância mínima seria 3,04 km .
Desta forma, 5 km na realidade corresponde a 10 cm no desenho 2,6 + 3,9 + 0,5 = 7 cm
e não 5 cm , como acontece. O guarda António não fez os cálcu- Efectuando uma regra de três simples:
los. A escala utilizada foi 1 : 1000 . 2,3 1
7*1
7.2 7 x; x= ) 3,04 km
2,3

Seguindo o caminho assinalado a cor vermelha na figura 3, a dis-


CEXM8 © Porto Editora

tância mínima seria 3,26 km .


2,6 + 2,25 + 2,65 = 7,5 cm
Efectuando uma regra de três simples:
2,3 1
7,5 * 1
7,5 x; x= ) 3,26 km
2,3

Resposta: Assim, a distância mínima pedida é aproximadamente


3,04 km .

63
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 6

10. Pág. 208 A zona onde pode ser construído o parque infantil está represen-
Escala: 1 : 100 000 , significa que 1 cm no desenho corresponde tada a cor vermelha.
a 100 000 cm , ou seja, a 1 km na realidade. 11.2

12.

11. Pág. 209


11.1
CEXM8 © Porto Editora

64
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 7
1. (A) O monómio xy2 tem grau 3 . Pág. 219 1. Pág. 221
5 1.1 - 2x é um monómio;
(B) Os monómios 2xy2z e x2yz são semelhantes pois não têm a
2
mesma parte literal. 1.2 - 2x + 3 é um polinómio;
(D) O monómio 2x tem grau 1 e coeficiente 2 . 1.3 œ2 é um monómio;
Resposta: (C) . 1.4 - 3xy2 é um monómio;
2. Se a = 5 então, têm-se: 1.5 1 + œ3 é um monómio;
I. 10 + 5 = 15 1.6 5œ2 é um monómio.
II. 10 * 5 = 50 2.
III. 5 + 10 = 35
2
2.1 2 * 3x * 5 = 30x
3
Resposta: (C) . 2.2 2x * xy = 3x2y
2
3. 5 (x + 1) - 3 (7 + x) 2 1 2 1
= 5x + 5 - 21 - 3x 31 2
2.3 x y * =
4 12
xy = xy
6
= 2x - 16 1 3 2
2.4 a * (3b) * a * = a b
2 2
Resposta: (D) .
3.
Monómio Coeficiente Parte literal Grau
4. (x - 3) (x - 1)
= x - x - 3x + 3
2 1
x
1
x 1
2 2
= x - 4x + 3
2

1 2 1
x x2 2
Resposta: (C) . 3 3
1 2 1
xy xy2 3
5 5
5. Pág. 220
Resposta: (A) . œ3 œ3 não tem 0

6. A soma das amplitudes dos ângulos internos de qualquer triângulo


œ2 a œ2 a 1
é 180° . Então, tem-se: 3 3
x 3x
x + 30 + + - 30 = 180 pr2 p r2 2
2 2
2x x 3x 360
¤ + + =
2 2 2 2 4. Por exemplo:
¤ 6x = 360
4.1 2x2 e - 7x2
360
¤ x= 4.2 5t e 2t
6
¤ x = 60 4.3 x2y e - 10x2y
5
Resposta: (C) . 4.4 a e - œ2 a
2
7. A figura pode ser decomposta da seguinte forma
5. Pág. 222
5.1 a + b + 4a = 5a + b
5.2 2b + 3c + 2b + 2 + 5c = 4b + 8c + 2
5.3 3m + 2m + 3n - 1 + 3n - 1 + 2m = 7m + 6n - 2
5.4 2 (3x - 5) + 2 (2y + 1) = 6x - 10 + 4y + 2 = 6x + 4y - 8
Assim, tem-se: 6.
Ajardim = A1 + A2 + A3 6.1 a - (a - 2b) + 1
(x + 1) * 5 = a - a + 2b + 1
¤ 45 = + (x + 1) * 5 + 5x
2 = 2b + 1
5x + 5 1 1 x 6 2 3 1
¤ 45 = + 5x + 5 + 5x 6.2 x - + x- = x+ x- x-
2 2 3 2 6 6 6 2
¤ 45 = 2,5x + 2,5 + 10x + 5
CEXM8 © Porto Editora

(6) (2) (3)

¤ 12,5x = 37,5 5 1
= x-
6 2
¤ x=3
1 1 1 1 1
6.3 3x - (x - y) + x = 3x - x + y + x
Resposta: (C) . 2 2 2 2 2
1
= 3x + y
2

65
CEXM8-RES-05
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 7

1
6.4 1 - 2 (2t - 3t) - (t + 1) 8.3 2 (2x + 1) + x (2x + 1)
2
= 4x + 2 + 2x2 + x
1 1
= 1 - 4t + 6t - t - = 2x2 + 5x + 2
2 2
1
= 1 + 2t - t -
1 8.4 4 (2a - 1) + a (2a - 1)
2 2 = 8a - 4 + 2a2 - a
(2) (2)
2 4 1 1 = 2a2 + 7a - 4
= + t- t-
2 2 2 2
8.5 3 * 5a + 3 * 2 + (a - 1) * 5a + (a - 1) * 2
3 1
= t+ = 15a + 6 + 5a2 - 5a + 2a - 2
2 2
= 5a2 + 12a + 4
1
6.5 2b - (b - 1) + 3b - 7a
2 8.6 a * 1 + a * 2a + (2a + 1) * 1 + (2a + 1) * 2a
1 1 = a + 2a2 + 2a + 1 + 4a2 + 2a
= 2b - b + + 3b - 7a
2 2 = 6a2 + 5a + 1
1 1
= 5b - b - 7a +
2 2
(2)
9. Pág. 225
10 1 1
= b - b - 7a + 9.1 a) (2x + 1) = 4x + 4x + 1 2 2
2 2 2
9 1 b) (3x - 1)2 = 9x2 - 6x + 1
= b - 7a + 2
2 2 1 1
1 a-2
c) 1 2 x + 22 = 4 x + 2x + 4 2

6.6 8 - 2a - (a - 1) - 2
2 3 1 1 1 1 1
d) 1 x - 2 = x + x + 2

1 1 a 2 3 2 9 3 4
= 8 - 2a - a + - +
2 2 3 3
9.2 a) (2a - 3) (2a + 3) = 4a2 - 9
1 a 1 2
= - 2a - a - + 8 + + 1 1 1
2
(6)
3 2 3
(3) (2) (6) (3) (2) 1
b) 3a -
2 2 13a + 2 2 = 9a 2
-
4
12 3 2 48 3 4 1 1 1
=- a- a- a+ + +
6 6 6 6 6 6 c) 11 + 2 x2 11 - 2 x2 = 1 - 4 x 2

17 55
=- a+ 4 1 4 1 16 1
6 6 d) 1 7 - 4 x2 1 7 + 4 x2 = 49 - 16 x 2

7. Pág. 223 9.3 a) (2 - x) 2 - (x - 1) (x + 1)


7.1 7.2 = 4 - 4x + x2 - (x2 - 1)
= 4 - 4x + x2 - x2 + 1
= - 4x + 5
b) (1 - a) (1 + a) - 3 (a + 2)2
= 1 - a2 - 3 (a2 + 4a + 4)
7.3 7.4 = 1 - a2 - 3a2 - 12a - 12
= - 4a2 - 12a - 11
2
1 1 1
c) 1- 2 x + 32 1- 2 x - 32 - 2 1x - 2 2
1 1
= x - 9 - 2 1x - x - 2
2 2
4 4
7.5 7.6
1 2 1
= x - 9 - 2x2 + 2x +
4 (2) (4) 2
1 2 8 2 18 1
= x - x + 2x + +
4 4 2 2
7 2 19
= - x + 2x +
4 2

8. Pág. 224
2 2
10. Pág. 226
8.1 2 * x + x * x = 2x + x2
3 3 10.1 (A) e (B) , pois no primeiro membro da equação temos um pro-
2 duto e o segundo membro é zero.
8.2 2 * x + x * x + x (2x + 1)
3
2 10.2 a) (x - 1) (x + 1) = 0
= 2x + x2 + 2x2 + x
3 § x-1=0 › x+1=0
CEXM8 © Porto Editora

(3)
8 § x=1 › x=-1
= x2 + 3x
3

66
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 7

b) (2x - 1) (x + 3) = 0 11.2 a) x2 - 16 = (x - 4) (x + 4) Pág. 227


§ 2x - 1 = 0 › x + 3 = 0 1 1 1
1
b) x - = x-
2
4 1 2
x+ 21
2 2
§ x= › x=-3 1 1 1
2
1 1
c)
9
- a2 =1 3
-a
3 21
+a 2
c)
2 1
x-1
2
x+1 =0 21 2 d) 4x2 -
1
1
= 2x -
1
2x +
1
21 2
1 1 49 7 7
§ x-1=0 › x+1=0
2 2 x2 x x
1 1
e) 1-
4 1
= 1-
2
1+
2 21 2
§ x=1 › x=-1
2 2 1 1 1
§ x=2 › x=-2
f)
9
- 100x =
2
3 1
- 10x
3
+ 10x 21 2
g) x - 2x + 1 = (x - 1)
2 2
1
d) 3 (x - 1) x + 1 3
=0 2 h) x2 + 2x + 1 = (x + 1)2
1 0 i) x2 - 10x + 25 = (x - 5)2
§ (x - 1) x +13
=
3 2
j) x2 + 6x + 9 = (x + 3)2
1
§ (x - 1) x +13
=0 2 k) 4x2 - 4x + 1 = (2x - 1)2
2
1 1 2 1
§ x-1=0 › x+ =0 l) x +x+1= x+1 1 2
3 4 2
1
§ x=1 › x=- 12.
3
12.1 a - a2 = 0
e) x (2x - 1) = 0
§ a (1 - a) = 0
§ x = 0 › 2x - 1 = 0
1 § a=0 › 1-a=0
§ x=0 › x=
2 § a=0 › a=1
1 1
f) x
3
x-12
=0 2 12.2 x2 + 8x = 0
1 1
§ x=0 › x- =0 § x (x + 8) = 0
3 2
(2) (3) § x=0 › x+8=0
§ x = 0 › 2x - 3 = 0 § x=0 › x=-8
3
§ x=0 › x= 12.3 1 - x2 = 0
2
g)
1
x (x - 1) (x - 3) = 0 § (1 - x) (1 + x) = 0
2
§ 1-x=0 › 1+x=0
1
§ x=0 › x-1=0 › x-3=0
2 § x=1 › x=-1
§ x=0 › x=1 › x=3 1
12.4 - 9x2 = 0
h) (- x - 5) (x + 0,1) (0,2x + 4) = 0 49
1 1
§ - x - 5 = 0 › x + 0,1 = 0 › 0,2x + 4 = 0 §
71- 3x 217
+ 3x = 0 2
§ x = - 5 › x = - 0,1 › x = - 20 1 1
§ - 3x = 0 › + 3x = 0
7 7
1 1
11. § - 3x = - › 3x = -
7 7
11.1 a) x2 + 2x = x (x + 2) 1 1
§ x= › x=-
b) 2b2 - b = b (2b - 1) 21 21
c) a2 - a = a (a - 1) 12.5 x2 + 6x + 9 = 0
1 2 1 § (x + 3)2 = 0
d)
2
x -x=x
2
x-1 1 2 § x+3=0
2
x x
e)
3
-x=x
3
-1 1 2 § x=-3

f) 16x - 8 = 8 (2x - 1)
2 2
12.6 4 + 4x + x2 = 0
g) x + x2 + x3 = x (1 + x + x2) § (2 + x)2 = 0
CEXM8 © Porto Editora

h) - 2x - x + x = x (- 2x - x + 1)
3 2 2
§ 2+x=0
i) 2x2 + 6x + 8 = 2 (x2 + 3x + 4) § x=-2
j) - 2x - 2x - 4x = 2x (- 1 - x - 2x )
3 4 5 3 2
12.7 a2 = 6a
§ a2 - 6a = 0
§ a (a - 6) = 0
§ a=0 › a-6=0
§ a=0 › a=6

67
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 7

12.8 49 = b2 1.3 1.4


§ 49 - b2 = 0
§ (7 - b) (7 + b) = 0
§ 7-b=0 › 7+b=0
§ b=7 › b=-7

12.9 - 2x = 2x2
§ - 2x - 2x2 = 0
§ 2x (- 1 - x) = 0 1.5 1.6
§ 2x = 0 › - 1 - x = 0
§ x=0 › x=-1
1
12.10 x2 + x = -
4
1
§ x2 + x + =0
4
1 2
§ x+ 12
=0 2
1
§ x+ =0 2. Pág. 229
2
1 2.1 Volume = área da base * altura
§ x=-
2
=x*y*y
13.
= x * y2
13.1 a) Arectângulo = (3a + 5) (3a - 5)
= xy2
§ 200 = 9a2 - 25
Resposta: (A) .
§ 9a2 = 225
§ a2 = 25 2.2 Temos que xy2 = 120 .
5
1
§ a = 5 pois a >
3 2 Por exemplo:
se y = 2 então x * 22 = 120 § x = 30
O comprimento do rectângulo é 20 cm , já que 40
(3 * 5 + 5) cm = 20 cm . se y = 3 então x * 32 = 120 § x =
3
b) Seja P o quociente do rectângulo, então tem-se: se y = 10 então x * 102 = 120 § x = 1,2

P = 2 (3a + 5) + 2 (3a - 5) a) x = 30 cm e y = 2 cm .
P = 6a + 10 + 6a - 10 40
b) x = cm e y = 3 cm .
3
P = 12a
c) x = 1,2 cm e y = 10 cm .
O perímetro do rectângulo é 60 cm , já que
(12 * 5) cm = 60 cm . 2.3 O volume do paralelepípedo é dado por b * a * a = ba2
Então tem-se:
13.2 Representemos por x a largura, em centímetros, do rectângulo. a>0
Então tem-se: 10 * a2 = 100 § a2 = 10 ± a = œ10

2x + 2 (x + 6) = 27
§ 2x + 2x + 12 = 27 3. Pág. 230
• O custo total de 10 laranjas e 10 peras é 10 (x + y) .
§ 4x = 15
15 • O troco recebido pelo João que comprou 10 laranjas e pagou
§ x= com 10 euros foi 10 - 10x .
4
§ x = 3,75 • A diferença entre o custo de 10 peras e o custo de 10 laranjas é
Desta forma a área do rectângulo é dada por dada por 10y - 10x .

3,75 * (3,75 + 6) = 3,75 * 9,75 = 36,5625 .


4. Pág. 231
A área do rectângulo é 36,5625 cm2 .
4.1 8 cm .

1. Pág. 228 4.2 18 cm .


1.1 1.2 4.3 Do tipo A .
4.4 Talvez as meloas do tipo B , já que são dentro destes três tipos de
meloas, aquelas em que a altura e o diâmetro de cada meloa se
CEXM8 © Porto Editora

aproximam mais de valores idênticos.


1
4.5 V = p * 222 * 18 § V ) 5473,9
5
O volume da meloa considerada é aproximadamente 5473,9 cm3 .

68
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 7

5. Pág. 232 9.3 Volume = 3 (x - 4) (x + 2)


5.1 Área do rectângulo A = 2x = (3x - 12) (x + 2)
= 3x2 + 6x - 12x - 24
Área do rectângulo C = 2 * 2x = 4x
= 3x2 - 6x - 24
Temos, ainda, que a área do rectângulo B é 2 * 2x = 4x e a área
do rectângulo original é dada por 9.4 a) Volume = área da base * altura
(x + 2x) (x + 2) = x + 2x + 2x + 4x = 3x + 6x
2 2 2 48 = área da base * 3
48
Desta forma, temos que: área da base =
3
3x2 + 6x = 2x + 4x + 4x + área do rectângulo D área da base = 16 cm2
3x2 + 6x - 2x - 4x - 4x = área do rectângulo D b) Temos que x - 4 = 2 , ou seja , x = 6 .
área do rectângulo D = 3x2 - 4x Desta forma, temos que:
se x = 6 então x + 2 = 8
5.2 (3 * 3,5 - 4 * 3,5) cm = 22,75 cm .
2 2 2

Assim, vem:
6. Área total = 2 * 2 * 3 + 2 * 8 * 3 + 2 * 2 * 8
k
6.1 - 2 (5 + 10) = 5 * 5 + Área total = 92 cm2
2
k c) Ora 10 litros = 10 000 cm3 .
§ - 10 - 20 = 25 +
2 Desta forma, temos:
k
§ - 30 - 25 = 10 000 : 48 ) 208,3 , ou seja, são necessários 209 destes
2
recipientes.
k
§ - 55 =
2
§ k = - 110 10. Pág. 234
k 10.1 n2 dá o número de quadrados verdes da figura n ;
6.2 - 2 (- 1,5 + 10) = 5 (- 1,5) +
2 (n + 1)2 dá o número de quadrados brancos da figura n .
k
§ 3 - 20 = - 7,5 + Desta forma, n2 + (n + 1)2 dá o número total de quadrados da
2
k figura n .
§ - 17 + 7,5 =
2
§ - 9,5 =
k 10.2 A 5.ª figura corresponde a n = 5 . Assim, vem:
2 52 + (5 + 1)2 = 25 + 36 = 61 .
§ k = - 19
A 5.ª figura tem 61 quadrados (25 são verdes e 36 são brancos).
5 5 k
6.3 - 2 -
31+ 10 = 5 -
3 2 1 2
+
2
10.3 n2 + (n + 1)2 = n2 + n2 + 2n + 1 = 2n2 + 2n + 1 .
Ora 2n2 é um número par, assim como 2n , então a soma de
10 25 k
§ - 20 = - + dois números pares é ainda um número par, logo 2n2 + 2n é par.
3 3 2
(3) Desta forma, 2n2 + 2n + 1 é ímpar, por isso, n2 + (n + 1)2 é
10 60 25 k sempre um número que não é múltiplo de dois.
§ - + =
3 3 3 2
25 k 11.
§ - =
3 2 11.1 n = 1: 2 * 1 + 1 = 3
(2) (3)
n = 2: 2*2+1=5
§ - 50 = 3k n = 3: 2*3+1=7
50 n = 4: 2*4+1=9
§ k=-
3 n = 5: 2 * 5 + 1 = 11
7. Um múltiplo de 4 é do tipo 4n com n å N . Todos os termos obtidos são ímpares.
Ora, 4n = 2 * 2n , como 2n é par, então 2 * 2n é ainda um 11.2 Qualquer termo é ímpar.
número par.
11.3 Por exemplo, 2n + 1 e 2n + 3 representam dois números ímpares
8. A diferença entre a área do quadrado E e a área do quadrado F é distintos.
dada por: Vamos adicioná-los, 2n + 1 + 2n + 3 = 4n + 4 e 4n + 4 é sempre
(n + 1)2 - n2 = n2 + 2n + 1 - n2 = 2n + 1 um número par, pois 4n + 4 = 2 * 2n + 4 .

Como 2n + 1 é ímpar, qualquer que seja o número natural n ,


temos então que (n + 1)2 - n2 não é múltiplo de dois.
12. Pág. 235
12.1

9. Pág. 233
9.1 O prisma não pode ser um cubo, já que a equação x - 4 = x + 2 é
impossível.

9.2 O prisma é quadrangular regular se:


CEXM8 © Porto Editora

x - 4 = 3 ou x + 2 = 3 , então tem-se que:


para x = 7 ou x = 1 , o prisma é quadrangular regular.
Figura 6

69
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 7

1
12.2 n = 1: * 1 * (1 + 1) = 1 w = NQ
15. • o triângulo [RNQ] é isósceles pois RN w . Pág. 237
2
1 • num triângulo rectângulo a soma das amplitudes dos dois ângulos
n = 2: * 2 * (2 + 1) = 3
2 agudos é 90° .
1 W Q = MR WN , pois a lados iguais opõem-se ângulos geome-
n = 3: * 3 * (3 + 1) = 6 • Ora PN
2
tricamente iguais, logo RNW M + PNW Q = RNW M + MRWN = 90° , pelo
1
n = 4: * 4 * (4 + 1) = 10 ponto anterior.
2
1 W M = 180° .
n = 5: * 5 * (5 + 1) = 15 • O ângulo PNM é raso, logo PN
2
1 W M = RN
Por outro , PN W M + QN
W R + PN
WQ
n = 6: * 6 * (6 + 1) = 21
2 W M = RN
W M + PN
W Q + QN
WR
PN
12.3 3.° termo + 4.° termo = 6 + 10 = 16 = 42 WR
180° = 90° + QN
1
12.4 11.° termo = * 11 * (11 + 1) = 66 W R = 90°
QN
2
1
12.° termo = * 12 * (12 + 1) = 78 MR + PQ
2 • A[RMPQ] = * MP
2
11.° termo + 12.° termo = 66 + 78 = 144 = 122 . b+c
= * (c + b)
2
12.5 Ora se o termo de ordem n da sequência dos números triangulares é 1
1 = (b + c) * (c + b)
n (n + 1) , o termo de ordem n + 1 é 2
2 1
= (b + c) (b + c)
1 1 2
(n + 1) [(n + 1) + 1] = (n + 1) (n + 2) .
2 2 MN * MR c * b bc
• A[RMN] = = =
2 2 2
12.6 Dois números triangulares consecutivos são
1 1 NP * PQ b * c bc
n (n + 1) e (n + 1) (n + 2) . Então, tem-se • A[NPQ] = = =
2 2 2 2 2
1 1 NQ * NR a * a a2
n (n + 1) + (n + 1) (n + 2) • A[RNQ] = = =
2 2 2 2 2
1 2 1 1 • A[RMPQ] = A[RMN] + A[NPQ] + A[RNQ]
= n + n + (n2 + 3n + 2)
2 2 2
bc bc a2
1 2 1 1
= n + n + n2 + n + 1
3 = + +
2 2 2 2 2 2 2
2
a
= n2 + 2n + 1 = bc +
2
= (n + 1)2 1 a2
• (b + c) (b + c) = A[RMPQ] = bc +
2 2
13. Pág. 236 1 a2
• (b + c) (b + c) = bc +
13.1 n = 3: 2 * 3 = 6 2 2
n = 3: 32 - 1 = 8 1 2 a2
(b + 2bc + c ) = bc +
2
2 2
n = 3: 32 + 1 = 10
1 2 1 2 a2
b + bc + c = bc +
Aplicando o Teorema de Pitágoras, vem que: 2 2 2
102 = 82 + 62 1 2 1 2 1 2
b + c = a
100 = 64 + 36 2 2 2
100 = 100 Igualdade verdadeira b2 + c2 = a2

Logo, 6 , 8 e 10 podem ser as medidas numa certa unidade,


dos dados de um triângulo rectângulo. 16. Pág. 238
13.2 (n - 1) + (2n) = (n + 1)
2 2 2 2 2 16.1 São necessários 10 bolas azuis para construir a figura 4 .
n4 - 2n2 + 1 + 4n2 = n4 + 2n2 + 1 16.2 Para n = 6 , temos:
n4 + 2n2 + 1 = n4 + 2n2 + 1 , igualdade verdadeira 6 (6 + 1)
= 21
Os números 2n , n2 - 1 e n2 + 1 , qualquer que seja o número 2
n , formam um termo pitagórico.
Para n = 5 , temos:
14. Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
5 (5 + 1)
w 2 = PB
PQ w2 + QB
w2 = 15
2
w 2 = (x - 2)2 + 22 , PB
PQ w = AB
w - AP
w= x - 2 E, 21 - 15 = 6 .
w 2 = x2 - 4x + 4 + 4
PQ Logo, para construir a figura 6 são necessárias mais 6 bolas
w 2 = x2 - 4x + 8
PQ azuis que para construir a figura 5 .
Área do quadrado [ABCD] = AB
w 2 = x2
CEXM8 © Porto Editora

A área da parte colorida a cor azul é igual à diferença entre a área do


quadrado [ABCD] e a área do quadrado [PQRS] , ou seja, igual a
x2 - (x2 - 4x + 8) = x2 - x2 + 4x - 8 = 4x - 8

70
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 7

n(n + 1) (n + 1)(n + 2)
16.3 + 18. Pág. 239
2 2
n + n n2 + 2n + n + 2
2 18.1 102 = 92 + 10 + 9
= + n2 = (n - 1)2 + n + (n - 1)
2 2
n2 + n + n2 + 2n + n + 2 18.2 Pretendemos mostrar que
=
2
(n + 2)2 = (n + 1)2 + 2n + 3
2n2 + 4n + 2
= 1.° membro = (n + 1)2 = n2 + 4n + 4
2
= n2 + 2n + 1 2.° membro = (n + 1)2 + 2n + 3
= (n + 1)2 = n2 + 2n + 1 + 2n + 3
= n2 + 4n + 4
17. Tendo em conta os dados, temos:
= 1.° membro
(x + 3) (x + 2) = x2 + x2 + 6
19. É o termo 2n - 1 - 2 = 2n - 3 .
§ x2 + 2x + 3x + 6 = 2x2 + 6
§ x2 + 5 + 6 = 2n2 + 6 20. Por exemplo:
§ 2x2 + 6 - x2 - 5x - 6 = 0 2n - 3 e 2n - 1 são dois números ímpares consecutivos.
§ x - 5x = 0
2 Determinemos a diferença entre os seus quadrados.
CEXM8 © Porto Editora

§ x (x - 5) = 0 (2n - 1)2 - (2n - 3)2 = 4n2 - 4n + 1 - (4n2 - 12n + 9)

§ x=0 › x=5 = 4n2 - 4n + 1 - 4n2 + 12n - 9


= 8n - 8
Como x > 0 , vem que x = 5 .
= 8 (n - 1) é um múltiplo de 8 .

71
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 8
1. Pág. 247 b)
Uma figura transformada por uma translação mantém-se geometri-
camente igual à primeira, não altera o seu tamanho e nunca roda.
Resposta: (D) .

2. Resposta: (C) .

3. Pág. 248
• Os vectores b » e d» têm a mesma direcção, sentidos contrários e
comprimentos diferentes.
• Os vectores c» e d» têm direcção, sentido e comprimentos diferentes. c)
• Os vectores a» e d» têm direcção, sentido e comprimentos diferentes.
• Pela regra do triângulo, temos:

Resposta: (D) .

4.
«» + HK
4.1 • AB «» = AB
«» + BE
«» = AE
«» 0 AH
«»
«» + JG
«» = EH
«» + HE
«» = EH
«» - EH
«» = » d)
• EH 0
«» + HI
• IH «» = IH
«» - IH
«» = » «»
0 0 LJ
«» + CG
• AB «» = AB
«» + BH
«» = AH
«» 0 AE
«»

Resposta: (B) .

«» + EG
4.2 • AB «» = AB
«» + BD
«» = AD
«»
«» + JG
• FE «» = FE
«» + EB
«» = FB
«» 0 FH
«»
«» + GD
• HE «» = HE
«» + EB
«» = HB
«» 0 »
0
«» + CJ
• BC «» = «» «»
BJ 0 BG

Resposta: (A) .

1. Pág. 249
2. Pág. 250
1.1 Por exemplo:
2.1 A figura B pode ser obtida da figura A deslocando esta sete uni-
dades para a direita.
2.2 A figura C pode ser obtida da figura A deslocando esta 13 uni-
dades para a direita e uma unidade para baixo.
2.3 A figura D pode ser obtida da figura A deslocando esta 17 uni-
dades para a direita e três unidades para baixo.
2.4 A figura F pode ser obtida da figura A deslocando esta 11 uni-
dades para a direita e seis unidades para baixo.

1.2 a) 3.
3.1 A (- 4 , 2) ; B (2 , 2) ; C (2 , 5) ; D (- 4 , 5) ;
A' (2 , - 2) ; B' (8 , - 2) ; C' (8 , 1) e D' (2 , 1) .
3.2 Para passar das coordenadas dos vértices do rectângulo [ABCD]
para as coordenadas dos vértices do rectângulo [A'B'C'D'] , adi-
ciona-se seis unidades à abcissa e subtrai-se quatro unidades à
CEXM8 © Porto Editora

ordenada de cada um dos pontos A, B , C e D .

72
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 8

4. Pág. 251 6.3


4.1 4.2

4.3 4.4

6.4

5.
«» + BC
5.1 AB «» = AC
«» (ou FD
«» ou IG
«») ;

«» + ED
5.2 AB «» = AB
«» + BC
«» = AC
«» (ou FD
«» ou IG
«») ;

«» + DE
5.3 AB «» = AB
«» + BA
«» = AB
«» - AB
«» = »
0;

«» + EH
5.4 AB «» = AB
«» + BE
«» = AE
«» (ou BD
«» ou FH
«» ou EG
«» ) ;

«» + CG
5.5 AB «» = AB
«» + BH
«» = AH
«» (ou BG
«») ;

«» + IG
5.6 EF «» = HI
«» + IG
«» = HG
«» 6.5
(ou «» ou FE
IH «» ou ED
«» ou AB
«» ou BC
«») ;

«» + HD
5.7 AE «» = AE
«» + EC
«» = AC
«» (ou FD
«» ou IG
«») ;

5.8 «» «» = «»
IE + HD «» = IC
IE + EC «» ;

«» + DE
5.9 ED «» = »
0;

5.10 «» «» = ID
IE + ED «» (ou FC
«») .

6. Pág. 252
6.1

6.6

6.2
CEXM8 © Porto Editora

73
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 8

7. 8. Pág. 254
7.1 a) 8.1 8.2 8.3

A' (1 , - 1) ; B' (8 , - 1) e C' (3 , 2) .

b)

9.
«» ou DC
9.1 ED «» ;

«» ou CD
9.2 DE «» ;
«» ou BF

9.3 O ponto D ;
9.4 O triângulo [ABF] .

1. Pág. 255
W C = CBWI .
1.1 Temos que ID
W C + CBWI + DC
Por outro lado temos que ID W B + BIWD = 360°
A' (- 2 , 2) ; B' (7 , 2) e C' (- 2 , 6) . W
§ 2 * CBI = 360° - 50° - 90°
7.2 § CBWI = 220° : 2 § CBWI = 110° .

1.2 A figura [ABCDEFGH] tem quatro eixos de simetria.


1.3 a) [ID] ;
b) o triângulo [IED] ;
c) o quadrilátero [IHGF] .

1.4
CEXM8 © Porto Editora

74
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 8

1.5 2.3

2.4
2. Pág. 256
2.1 O (0 , 0) ; A (4 , - 4) ; B (8 , 0) e C (4 , 4) .
2.2

2.5 O quadrilátero [O''A''B''C''] pode ser obtido do quadrilátero


[OABC] deslocando este três unidades para cima.
2.6 As coordenadas dos pontos O'' , A'' , B'' e C'' podem ser obtidas
das coordenadas dos pontos O , A , B e C , respectivamente,
mantendo a abcissa e adicionando três unidades à ordenada.
CEXM8 © Porto Editora

75
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO
Capítulo 9
1. Pág. 260 3. Pág. 263
• O número de alunos do 8.° ano da escola da Inês é Joana
245 (26 + 100 + 70 + 49) . I. Eliminam-se as notas 7,2 e 9,3 .
• A percentagem de alunos do 8.° ano da escola da Inês que foi de 7,4 + 8,4 + 8,6 + 9,2 + 8,7 + 8,1
II. = 8,4 .
26 6
bicicleta é, aproximadamente, 11% 1
245
* 100% . 2 Flávia
• A percentagem de alunos do 8.° ano da escola da Inês que foi de I. Eliminam-se as notas 7,1 e 9,8 .
100
autocarro é, aproximadamente, 41%
2451* 100% . 2 II.
9,1 + 8,3 + 8,4 + 8,3 + 8,1 + 7,9
= 8,35 .
6
• A percentagem de alunos do 8.° ano da escola da Inês que foi a
49 A Joana e a Flávia, neste exercício, obtiveram 8,4 pontos e 8,35
pé é 20% 1 245 2
* 100% .
pontos, respectivamente.
Resposta: (D) .
4.
2. • Em 2006 a mãe da Inês comprou 15 presentes. 4.1 O número de alunos que obteve menos de 15 respostas correctas é
• Em 2007 a mãe da Inês comprou 10 presentes. nove. Assim, temos:
9
• A mãe da Inês comprou o mesmo número de presentes em 2006 * 100% = 11,25%
80
e 2008 .
A percentagem de alunos que obtiveram, no teste, menos de 15
• Nos três anos, 2006 , 2007 e 2008 a mãe da Inês comprou 40 respostas correctas é 11,25% .
presentes (15 + 10 + 15) .
4.2 O número de alunos que obtiveram mais de 44 respostas correctas
Resposta: (D) . é 41 (21 + 12 + 8) .
4.3
3. Pág. 261
• O mês em que esta empresa alugou mais automóveis foi em
Junho.
• Em Fevereiro esta empresa alugou 30 automóveis e em Março
alugou 40 automóveis.
• No primeiro trimestre do ano passado, esta empresa alugou 130
automóveis e no segundo trimestre do ano passado alugou 160
automóveis. E, 160 - 130 = 30 .
• No primeiro quadrimestre do ano passado esta empresa alugou
180 automóveis.

Resposta: (C) .

4. Resposta: (C) .

1. Pág. 262
1.1 Sim, a Inês foi dos quatro irmãos aquela que poupou mais 5. Pág. 264
dinheiro. A Inês poupou 40% do seu salário do mês de Abril. 5.1 A percentagem de portugueses cujo grupo sanguíneo é o A é
46,5% (40% + 6,5%) .
1.2 a) O Paulo gastou todo o seu salário do mês de Abril.
b) O Pedro gastou mais que o seu salário do mês de Abril. 5.2 A percentagem de portugueses cujo grupo sanguíneo não é o B é
91,9% (100% – 6,9% – 1,2%) .
2. 5.3 A percentagem de portugueses que não possui o factor Rhesus é
2.1 Este gráfico tem o nome de pictograma. 14,8% (6,5% + 1,2% + 0,4% + 6,7%) .
CEXM8 © Porto Editora

2.2 Na agricultura, nos têxteis e no comércio. 6.


2.3 A razão entre o número de homens e o número de mulheres que 6.1 O número de doentes medicados que registaram melhoras foi 2983
19
trabalham nesta cidade é . (52 + 126 + 310 + 490 + 659 + 1346) .
12
6.2 Vamos determinar o número de doentes medicados.
120 + 235 + 528 + 822 + 1099 + 2244 = 5048 .
2983
Então, tem-se: * 100% ) 59,0927% .
5048
A percentagem de doentes medicados que registaram melhoras é,
aproximadamente, 59% .

76
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 9

7. Pág. 265 c) O António tem mais moedas de 20 cêntimos que moedas de


7.1 • Há quatro cubos com duas faces pintadas. outro valor qualquer (pois a moda dos valores das sete moedas
é 0,20 euros). O valor que ocupa a posição central, depois de
• Há oito cubos com três faces pintadas.
4 1 ordenados por ordem crescente ou decrescente é 0,20 euros
• A percentagem de cubos com duas faces pintadas é = e a
12 3 (já que a mediana dos valores das sete moedas é, também,
8 2 0,20 euros). A soma dos valores das sete moedas é 4,20 euros
percentagem de cubos com três faces pintadas é = .
12 3 (0,60 * 7) . Desta forma, temos:
1 2 2 2 1 1
E, = : 2 , já que :2= * = . 0,10 0,20 0,20 0,20 0,50 1 2
3 3 3 3 2 3
Resposta: (D) . O António tem uma moeda de 10 cêntimos, três moedas de 20
cêntimos, uma moeda de 50 cêntimos, uma moeda de um euro
7.2 Doze pequenos cubos têm apenas duas faces pintadas. e uma moeda de dois euros.
32 + 24
1.2 a) Temos que * 100% ) 58,9% .
8. Pág. 266 95
A percentagem de pessoas, que habitam o prédio do António e
8.1 As regiões que evidenciam um índice de envelhecimento acima da
têm um “peso” igual ou superior a 57 kg é, aproximadamente,
média nacional são: Centro, Alentejo e Algarve.
59% .
8.2 As duas regiões onde se verificam os índices de envelhecimento
mais baixos são: R. A. dos Açores e R. A. da Madeira. b)

8.3 A região que possui índice de envelhecimento mais próximo do


índice de envelhecimento da média nacional é Lisboa.

9.
9.1 A diferença do número de pessoas que viu televisão num computa-
dor, do mês de Janeiro para o mês de Fevereiro foi de:
680 - 663 = 17 , ou seja, de 17 milhares. Efectuando uma regra
de três simples, vem que:
680 100
17 x
17 * 100
x= § x = 2,5
680
A percentagem correspondente a essa diminuição é 2,5% .
9.2 Equação que traduz os dados do problema:
680 + 663 + 682 + x
= 680 ;
4
em que x é o número de pessoas (em milhares) que viu televisão
2. Pág. 269
num computador em Abril de 2006 , em Portugal.
2.1 A turma da Marta tem 30 alunos (9 + 12 + 6 + 3) .
Resolvendo a equação, vem:
2025 + x 2.2 Temos que 27 dos 30 alunos não foi de bicicleta.
= 680 § 2025 + x = 2720 § x = 695
4 27
Desta forma, vem: * 100% = 90% .
Em Abril desse ano 695 milhares de pessoas viram televisão num 30
computador. A percentagem de alunos que não foi de bicicleta é 90% .

2.3 O gráfico C .
10. Pág. 267
Não é o gráfico A porque a altura da barra correspondente ao
10.1 Temos que: transporte comboio é superior ao que deveria ser (por exemplo,
(4,5 - 0,7) kg = 3,8 kg . deveria ter exactamente o triplo da altura da barra correspondente
10.2 O gráfico B . ao transporte bicicleta).
Por exemplo: Não é o gráfico B porque a altura da barra correspondente ao
Não é o gráfico A porque a barra que corresponde a “Outros” transporte autocarro é inferior ao que deveria ser (por exemplo,
deveria ter uma altura superior à barra que corresponde a “Pés e deveria ter exactamente o dobro da altura da barra correspondente
tornozelos”. ao transporte bicicleta).
Não é o gráfico C porque a barra correspondente a “Ombros e
costas” tem menor altura do que a barra correspondente a 3. Pág. 270
“Cabeça e face”. 3.1 A percentagem de alunos que leu cinco livros é 10%
(100% - 20% - 15% - 15% - 20% - 20%) .
1. Pág. 268
3.2 O número de alunos que leu apenas um livro é 225 (0,15 * 1500) .
1.1 a) Adiciona-se o valor de cada uma das sete moedas do António e
CEXM8 © Porto Editora

3.3 A percentagem de alunos que leu menos de três livros é 50%


divide-se essa soma por sete.
(20% + 15% + 15%) .
b) Ordenava-se, por ordem crescente ou decrescente, os valores das
sete moedas do António. O valor que ocupa a posição central 3.4 A percentagem de alunos que leu pelo menos três livros é 50%
corresponde à mediana. (20% + 20% + 10%) .

77
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 9

3.5 O número de alunos que não leu qualquer livro é 300 (0,2 * 1500) . 5.3 A moda é 40 (número das sapatilhas que apresenta maior fre-
O número de alunos que leu: quência).
• um livro é 225 (0,15 * 1500) ; 5.4 Temos que:
• dois livros é 225 (0,15 * 1500) ; 37 * 5 + 38 * 6 + 39 * 9 + 40 * 11 + 41 * 6 + 42 * 3
=
• três livros é 300 (0,2 * 1500) ; 40
• quatro livros é 300 (0,2 * 1500) ; 1576
= = 39,4
40
• cinco livros é 150 (0,1 * 1500) .
A média do número das sapatilhas que os 40 alunos inquiridos
Por outro lado, temos que:
usam é, aproximadamente, 39 .
225 + 225 * 2 + 300 * 3 + 300 * 4 + 150 * 5 = 3525 .
No total, os 1500 alunos da escola da Rita leram 3525 livros. 5.5 • 22,5% dos inquiridos usam sapatilhas com número superior a
9
3.6 • A percentagem de alunos que não leu qualquer livro é igual à 40 1 40 * 100%2 .
percentagem de alunos que leu quatro livros.
• 12,5% dos inquiridos usam sapatilhas com número inferior a
• O número de alunos que leu quatro livros é 300 e o número de 5
alunos que leu dois livros é 225 .
38 1
40
* 100% . 2
4
E, * 225 = 300 . • 27,5% dos inquiridos usam sapatilhas com número
3
11
• A percentagem de alunos que leu menos do que dois livros é 40 1
40
* 100% . 2
superior à percentagem de alunos que leu mais do que três livros
(35% > 30%) . • 50% dos inquiridos usam sapatilhas com número inferior a
20
• A percentagem de alunos que leu quatro livros é inferior à soma das 40
401* 100% . 2
percentagens dos alunos que leram um e dois livros (20% < 30%) .
Resposta: (D) .
Resposta: (B) .
5.6 Significa que depois de ordenados por ordem crescente ou decres-
cente os números das sapatilhas dos 40 alunos inquiridos, a média
4. Pág. 271
aritmética dos dois valores que ocupam as posições centrais é 39,5 .
4.1 A percentagem de jovens que não sabe ou não responde é 18%
(100% – 40% – 30% – 12%) .
O gráfico (D) . 6. Pág. 273

Não pode ser o gráfico (A) porque, por exemplo, a área do sector 6.1 A turma da Inês, o 8.°C , tem 25 alunos (3 + 4 + 6 + 5 + 3 + 3 + 1) .
circular corresponde a televisão tem de ser superior à área do sector 46 * 3 + 48 * 4 + 50 * 6 + 53 * 5 + 55 * 3 + 60 * 3 + 65
6.2
circular correspondente a jogos. 25
Não pode ser o gráfico (B) porque, por exemplo, a percentagem 1305
= = 52,2
referente a Internet é 40% e no gráfico é de 50% . 25
Não pode ser o gráfico (C) porque, por exemplo, não aparece neste A média do “peso” dos alunos do 8.° C é 52,2 kg .
gráfico o sector circular referente a “Não sabe ou não responde”, ou
seja, a sua percentagem é de 0% , o que não é verdade.
6.3 Seja x a média do “peso”, em kg , dos rapazes do 8.° C , então
tem-se:
4.2 Preferência dos Jovens – Internet vs televisão 12 * 51,5 + 13x
= 52,2
Internet 70% 952 25
§ 618 + 13x = 1305 § 13x = 687 § x ) 52,85
Televisão 20% 272
A média do “peso” dos rapazes do 8.° C é, aproximadamente,
Não sabe ou
10% 136 52,85 kg .
não responde
Total 100% 1360 6.4 Significa que se ordenarmos por ordem crescente ou decrescente os
“pesos” dos alunos do 8.° C , o “peso” que ocupa a posição central
é 50 kg .
5. Pág. 272
40 6.5 Temos que 51,5 * 12 = 618 e 618 - 1,2 * 12 = 603,6 .
5.1 * 100% ) 5,71%
700 Desta forma, vem 603,6 : 12 = 50,3 .
A percentagem de alunos da escola que foi inquirida é, aproxima- Por outro lado, temos 687 - 1,2 * 13 = 671,4 e 671,4 : 13 ) 51,65 .
damente, 6% .
A média do “peso” dos rapazes e a média do “peso” das raparigas
5.2 é, aproximadamente, 51,65 kg e 50,3 kg .

7. Pág. 274
35 * 2 + 40 + 45 * 3 + 50 * 7 + 60 * 5 + 65 * 3 + 75 * 2 + 80
7.1 a)
24
1320
= = 55 .
24
CEXM8 © Porto Editora

A média das classificações obtidas por estes 24 alunos no pri-


meiro teste de Matemática foi, efectivamente, 55% .
b) A média aumentou, já que a classificação obtida pelo Nuno foi
superior à média das classificações.

78
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 9

7.2 A média das classificações dos alunos que compõem o grupo da 9.3 Inicialmente, vamos determinar a amplitude do sector circular cor-
Inês é dada por: respondente a cada sabor. Então, tem-se:
58 * 3 + x Maçã Banana Kiwi
, sendo x a classificação obtida pela Inês no trabalho
4
do grupo. Por outro lado, sabemos que entrando com a classificação 360° 24 360° 24 360° 24
da Inês a média não varia mais do que 1% . Desta forma, temos: a 2 b 3 c 4

58 * 3 + x 2 * 360° 3 * 360° 4 * 360°


= 57 § 174 + x = 228 § x = 54 a= = 30° b= = 45° c= = 60°
4 24 24 24
58 * 3 + x
= 59 § 174 + x = 236 § x = 62 Morango Ananás
4
360° 24 360° 24
A classificação da Inês pode ser igual ou superior a 54% e igual d 7 e 8
ou inferior a 62% .
7 * 360° 8 * 360°
d= = 105° e= = 120°
7.3 Se a média das classificações obtidas pelos 25 alunos foi de 60% 24 24
então a soma de todas as classificações é 1500 (25 * 60) . No
Desta forma, temos:
entanto, a professora atribui 40% a um dos valores de uma par-
cela, quando deveria atribuir 90% , desta forma têm-se:
1550
1500 - 40 + 90 = 1550 e = 62 .
25
Ao efectuar a correcção, a média das classificações obtidas pelos
25 alunos no 2.° teste de Matemática passou a ser 62% .

7.4 A média das classificações obtidas pelos 25 alunos neste 3.° teste
de Matemática será igual à média das classificações obtidas pelos
mesmos 25 alunos no 2.° teste de Matemática acrescida de duas
unidades, ou seja, 64% .

8. Pág. 275
8.1 a) Por exemplo, a afirmação é verdadeira pois o valor da maior
despesa mensal é precisamente 350 euros, facto que ocorreu
nos meses de Março e Dezembro.
Nos restantes meses do ano, a despesa em cada mês foi sempre
inferior a 350 euros.
10. Pág. 277
b) Por exemplo, a afirmação é verdadeira já que em Janeiro e
10.1 No lago há 40 patos do tipo B .
Fevereiro foram gastos 150 euros em cada um dos meses e só o
valor gasto em Março ultrapassa os 300 euros, facto que desde 10.2 A razão entre o número de patos do tipo A e o número de patos
160
logo implica que a média da despesa mensal em vestuário, no do tipo B é , ou seja 4 : 1 .
40
primeiro quadrimestre do ano, seja superior a 150 euros.
10.3 O número total de patos existentes no lago é 280 (14 * 20) .
8.2 Temos que:
Então, tem-se que:
150 + 150 + 350 + 120 + 100 + 150 + 50 + 200 + 50 + 350
160
12 • a percentagem de patos do tipo A é * 100% ) 57% ;
280
1670
= ) 139,17 40
12 • a percentagem de patos do tipo B é ) 14% ;
280
A média mensal da despesa em vestuário é, aproximadamente,
80
139,17 euros. • a percentagem de patos do tipo C é ) 29% .
280
8.3 A Ana foi dos dois irmãos a que efectuou os cálculos correctos. Se Desta forma, temos:
a média da despesa em vestuário, no primeiro quadrimestre, foi de
200 euros significa que, em média, em cada um dos primeiros qua- Tipo A Tipo B Tipo C

tro meses se gastaram 200 euros; o mesmo raciocínio se aplica aos 57% 14% 29%
meses de Maio e Junho, ou seja, em cada um deles, em média, gas-
taram-se 220 euros. Desta forma, temos que a média da despesa
10.4 Por exemplo:
em vestuário no primeiro semestre é dada por:
4 * 200 + 2 * 220
) 206,67 .
Tipo A ••••••••••
6
Tipo B •••••••
9. Pág. 276
9.1 A moda do sabor de iogurte preferido é ananás (é o sabor que apre-
Tipo B ••••
CEXM8 © Porto Editora

senta maior número de preferências).


• representa 10 patos
9.2 A percentagem do total dos estudantes que responderam ananás é,
8
aproximadamente, 33% 1 24 * 100%2 .
79
EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 8.° ANO

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO CAPÍTULO 9

11. Pág. 278 14. Pág. 281


11.1 14.1
Sim 70 pessoas ) 33% Tipo de comida % Amplitude do ângulo

Não 143 pessoas ) 67% Hidratos de carbono 60 216°

Gordura 25 90°
11.2
Sim 70 pessoas = 35% Proteínas 15 54°

Não 130 pessoas = 65% Total 100 360°

ou 14.2
Sim 77 pessoas = 35%

Não 143 pessoas = 65%

12. Pág. 279


12.1 O António já respondeu a 18 questões (0,6 * 30) correcta-
mente, a Maria já respondeu a 15 questões (0,5 * 30) correcta-
mente. Cada um deles ainda tem de responder a cinco questões.
Desta forma, existem três possibilidades para a Maria ganhar o
jogo, a saber:
• a Maria responde a quatro da cinco questões correctamente e o
António erra todas as cinco questões.
• a Maria responde às cinco questões correctamente e o António 14.3
Tipo de comida %
apenas responde a uma das cinco questões correctamente.
• a Maria responde às cinco questões correctamente e o António Hidratos de carbono 65

erra todas as cinco questões. Gordura 20


12.2 O Nuno respondeu a 21 questões correctamente (0,6 * 35) ,
Proteínas 15
enquanto que o Pedro respondeu a 28 questões correctamente
(0,8 * 35) . Assim, o Pedro deu mais sete respostas correctas que Total 100
o Nuno.

13. Pág. 280 15. Pág. 282


13.1 A situação onde ocorreu maior número de acidentes foi “atraves- 15.1 A percentagem de agregados familiares que acederam à Internet,
sar em passadeira sinalizada”. de suas casas e por banda larga, em Portugal no ano de 2006 foi
2+7 25% e em 2007 foi 30% .
13.2 Temos que * 100% ) 10% .
91 15.2 O país que registou uma maior percentagem de agregados familiares
Na situação “A sair ou entrar num veículo” a percentagem de que acederam à Internet, de suas casas e por banda larga, em
vítimas que morre ou fica gravemente ferida é, aproximadamente, 2006 , foi o Reino Unido.
10% .
8 + 456 15.3 O país que verificou o maior aumento de percentagem de agrega-
13.3 Temos que * 100% ) 89% . dos familiares que acederam à Internet, de suas casas e por banda
519
Na situação “Atravessar fora da passadeira que está a mais de 50 larga, de 2006 para 2007 , foi a França (registou um aumento
m” a percentagem de vítimas que morre ou fica ligeiramente de 15%) .
ferida é, aproximadamente, 89% . 15.4 Cada agregado familiar é constituído por quatro pessoas e se três
delas tiveram acesso à Internet, significa que três em cada quatro
13.4 É mais perigoso um peão transitar pela direita da faixa de roda-
pessoas tiveram acesso à Internet, ou seja, 75% das pessoas.
gem que pela esquerda. Esta situação pode ser justificada pelo
simples facto de o número de vítimas que circulam pela direita da Desta forma temos:
faixa de rodagem ser 138 , enquanto que o número de vítimas Número de habitantes que tiveram acesso à
que circulam pela esquerda da faixa de rodagem ser 64 . País
Internet no ano de 2006
13.5 Temos que: Espanha 33 355 973
1+7 6+9
* 100% ) 10,96% e * 100% ) 10,87% . França 47 544 105
73 138
Desta forma podemos concluir que é mais provável, embora que
Itália 44 348 465
CEXM8 © Porto Editora

ligeiramente, morrer ou ficar gravemente ferido a “Atravessar a


passadeira sem respeitar os semáforos”. Portugal 7 949 321

13.6 Esta linha pode referir-se a situações de atropelamento que não Reino Unido 45 639 621
constam na tabela.

80

Похожие интересы